Os Três Espelhos

0

stock-photo-2832987-three-hand-mirrorsUma menina de bons sentimentos, mas um pouco vaidosa, do colégio, onde era educada, escreveu à mãe, pedindo-lhe que lhe mandasse um espelho. A mãe lhe respondeu que em vez de um, mandar-lhe-ia três. Chegaram de fato três embrulhos. A menina abre o primeiro, e ali encontra um verdadeiro espelho, com a inscrição:

– Eis o que és.

Abre o segundo e lhe aparece a figura de uma caveira, com as palavras: – Eis o que serás:

Abre o terceiro, e ali vê uma imagem de Maria Imaculada, e a advertência:

– Eis o que deves ser.

A mocinha compreendeu qual era o desejo da mãe: beijou aquele espelho e se propôs querer para o futuro imitar as virtudes de Maria Santíssima, pretendendo-a como modelo.

Assim deveríamos fazer nós: ter em tudo por modelo Maria Santíssima.

Então, sim, poderíamos dizer que possuímos a verdadeira devoção a ela: a devoção que nos salvará, pois é esta a sentença do Abade Guerrico (que é o eco das divinas Escrituras, do ensinamento da Igreja e das doutrinas dos Santos Padres): “Qui virgini farnulatur securus est de Paradiso: Quem serve à Virgem, a essa Rainha tão poderosa, a essa Mãe tão boa, está seguro do Paraíso.

(A PALAVRA DE DEUS EM EXEMPLOS – G. Mortarino J.C. –

Edições Paulinas, SP – 1ª. edição, 1961, pp. 386 – 387).

 

N.B.: Se tivéssemos muitas mães como aquela do exemplo acima, o mundo seria certamente outro.

Artigo anterior“Scarification tattoo” Mais um passo dado rumo ao culto do horrendo
Próximo artigoOs homens? Que as feras os despedacem! Coitadas das feras assassinas!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.