Sendo o aborto universalmente aceito, que argumentos lógicos impedirão a eutanásia e outras formas de assassinato, tirania e depravação?

1 – O aborto viola os Direitos de Deus

A principal tática dos favoráveis à legalização deste assassinato é tratar a criminalização do aborto como sendo uma “violação dos direitos das mulheres”. No entanto, ninguém – por mais prejudicado que esteja – têm o direito de assassinar um inocente. E pior ainda: legalizar o aborto é violar gravemente os Direitos de Deus e também os direitos do novo ser que foi gerado no ventre da mulher.

2 – A vida começa na concepção

Esta é a definição dada em qualquer livro médico respeitável. Defender o início da vida em qualquer momento depois da fusão do óvulo da mãe e da contribuição do pai é irracional e um sofisma chocante.

Uma pessoa humana começa a existir no momento da concepção, mesmo que apenas como uma célula. O importante não é o acidente de tamanho ou peso, mas a essência – que é totalmente humana. O feto tem um código genético distinto, imutável e irrepetível, único em toda a história, desde o momento da concepção até a morte. Nada é adicionado exceto nutrição e oxigênio.

Apenas máquinas como relógios e carros começam a existir parte por parte. Os seres vivos vêm à existência de uma só vez e desdobram seu mundo de potenciais inatos gradualmente.

3 – Nossa guerra mais mortal

As contínuas guerras que abalaram o mundo nas últimas décadas e os contínuos atentados terroristas têm contribuído para criar em alguns um crescente anseio pela paz. No entanto, apesar de toda essa preocupação, a guerra mais horrível de todas e o pior de todos os ataques terroristas continua inabalável. Esta é uma guerra que está ocorrendo dentro de nossas fronteiras, e nos últimos 45 anos, apenas nos EUA, fez mais de 58 milhões de vítimas. Brutalmente assassinadas.

Esse flagelo é tão horrível quanto qualquer coisa que os terroristas possam imaginar, porque atinge o cerne da humanidade: a família. Ao destruir o laço humano mais básico de todos – entre mãe e filho – o aborto dissolve o precioso elo que une nossa nação.

Enquanto mãe e filho são as primeiras vítimas, não há um único elemento da sociedade que não seja afetado pelo aborto. Mãe, filho, pai, marido, tia, tio, amigo, irmão e avô sofrem as cicatrizes desse iníquo bisturi.

4 – A humanidade deve proteger a vida inocente

O primeiro e mais importante instinto dos seres humanos é a preservação da vida. Isso começa com a autopreservação e se estende a toda a humanidade através dos laços matrimoniais e da família.

A “interrupção da gravidez” na verdade constitui o assassinato de um ser humano inocente e está em contradição direta com essa premissa básica da natureza humana. Isso viola a lei natural e pode deixar o Brasil como um país incapaz de se repovoar sem a ajuda da imigração em massa.

5 – O aborto não é seguro

Em comparação com outros procedimentos médicos, a indústria do aborto é amplamente não regulamentada. Embora não existam estatísticas exatas para o número de mulheres que morrem de procedimentos fracassados, LifeDynamics.com compilou uma lista de 249 mulheres mortas por abortos legais.¹ Além disso, o National Cancer Institute encomendou um estudo da Dra. Janet Daling, uma defensora do aborto, e seus colegas do Fred Hutchinson Cancer Research Center, que encontraram uma ligação entre aborto e câncer: “entre as mulheres que já haviam engravidado pelo menos uma vez, o risco de câncer de mama naqueles que sofreram aborto induzido foi 50% maior do que entre outras mulheres”².

O jornal oficial da Associação Médica Católica, The Linacre Quarterly, publicou um estudo com descobertas semelhantes: “Existem evidências internacionais de uma ligação entre o aborto induzido e o câncer de mama”3.

6 – Uma torre biogenética de Babel

Em uma progressão cínica, mas lógica, a cultura da morte está agora empenhada em iniciar a vida humana para destruí-la.

Sua nova fronteira é a pesquisa com células-tronco embrionárias e a clonagem humana. Em nome da ciência e da saúde, a vida humana é destruída em seu início e a clonagem “limitada” é usada para produzir células utilizáveis que podem ser manipuladas e colhidas para ajudar os vivos.

Em resumo, as barreiras éticas remanescentes que preservam a dignidade humana e os direitos de Deus na Criação estão diminuindo constantemente.

A revolução da biotecnologia tem como objetivo declarado não apenas curar doenças, mas a construção de um “admirável mundo novo” de engenharia genética, mudando a própria constituição e o próprio desenho do homem.

Não podemos permitir a conclusão deste desafio a Deus, uma nova Torre de Babel, que será como outra caixa de Pandora, desencadeando um grave problema moral e ético em nossa nação.

7 – Quebrando o ciclo do aborto

O aborto é um pecado que perpetua o mal. A mentalidade do aborto destrói a família, tornando mais difícil para os novos brasileiros que sobrevivem além do útero encontrar a família unida pelo laço indissolúvel do casamento entre um homem e uma mulher.

As crianças precisam de famílias que as cultivem, protejam sua inocência e desenvolvam suas personalidades. Em particular, todas as crianças devem encontrar dentro de seus lares a Fé que lhes permita conhecer, amar e servir a Deus neste mundo e ser felizes com Ele para sempre no próximo.

Enquanto a família tradicional continuar em crise, nunca iremos cortar as linhas de energia que abastecem as infames fábricas de abortos. Enquanto a Fé permanecer morta nas almas, nunca eliminaremos a podridão moral da imoralidade sexual, que é o solo contaminado onde o movimento abortista cresce e floresce.

8 – Legalização do aborto: Caso nos EUA – 45 anos de mentiras

O 45º aniversário da infame decisão “Roe contra Wade” da Suprema Corte Americana que legalizou o aborto-sob-demanda evoca o maior conjunto de mentiras já postas em prática – mentiras que custaram a vida de mais de 58 milhões de bebês inocentes cruelmente assassinados no ventre de suas mães.

O caso Americano não é o único e têm se repetido em todos os países que legalizaram esse horror.

Como pode este verdadeiro genocídio, numericamente comparável com o da Alemanha de Hitler ou a Rússia de Stalin, ser posto em pauta para legalização em um País que tem como símbolo o Cristo Redentor e foi fundado sob o signo da Santa Cruz?

9 – Projeto TAMAR e Projeto MATAR

O coração do feto começa a bater aos 24 dias e as ondas cerebrais já podem ser registradas depois de 43 dias.4 Se a lei usa esses fatores para determinar a morte, por que eles não podem ser usados para determinar a vida?

Como argumenta o eminente jurista, Dr. Ives Gandra Martins: “Decididamente, no Brasil, para alguns parlamentares, as tartarugas são muito mais importantes que os seres humanos. O denominado projeto Tamar protege a vida das tartarugas desde 1980, com equipe especializada monitorando todas as noites, de setembro a março, 1.100 praias no litoral, e de janeiro a junho, as ilhas oceânicas. Protege-se, desta forma 14.000 ninhos, algo em torno de 650.000 filhotes. Quem destruir um único ovo de tartaruga comete crime contra a fauna e poderá ir para a cadeia (Lei 9.605/93)”.

“É louvável a proteção dos ovos de tartaruga. O que, evidentemente, não é louvável é a destruição de seres humanos no ventre materno, conforme proposto pela eminente deputada Jandira Feghali, em qualquer circunstância, sob qualquer motivo -até o último minuto antes do parto- e sem qualquer punição para o médico, a mulher ou quem tenha colaborado com o aborto do nascituro”.7

“Pela Lei Tamar, destruir ovos de tartaruga é crime, pela legalização do aborto, matar seres humanos no ventre materno, não. É a desvalorização máxima do ser humano”.

10 – Um abismo atrai outros abismos

Ontem foi propagação da contracepção. Hoje é a legalização do aborto e do dito “casamento” entre pessoas do mesmo sexo. E amanhã? Será a proliferação da eutanásia generalizada de nossos doentes e idosos? Não quererão os detratores da Família a legalização do “amor livre”? Não defenderão a criação de campos extermínio para todos os considerados ideologicamente “indesejáveis”?

Sendo o aborto universalmente aceito, que argumentos lógicos impedirão a eutanásia e outras formas de assassinato, tirania e depravação?

Notas:

  1. LifeDynamics.com: “The Pro Choice Death List” accessed on June 20, 2017.  http://www.safeandlegal.com/th…
  2. Journal of the National Cancer Institute: “Risk of breast cancer among young women: relationship to induced abortion,” accessed on June 20, 2017. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/p…
  3. A. Patrick Schneider, Christine M. Zainer, Christopher Kevin Kubat, Nancy K. Mullen & Amberly K. Windisch (2014) The breast cancer epidemic: 10 facts, The Linacre Quarterly, 81:3, 244-277, DOI: http://dx.doi.org/10.1179/2050…
  4. Is a Baby Human from the Beginning?, Human Life International, https://www.hli.org/resources/…
  5. Between-Hospital Variation in Treatment and Outcomes in Extremely Preterm Infants, The New England Journal of Medicine, May 7, 2015: http://www.nejm.org/doi/full/1…
  6. Fact #13: The 8 week+ unborn baby feels real physical pain during an abortion, AbortionFacts.com: http://www.abortionfacts.com/f…
  7. O projeto Tamar – Ives Gandra Martins http://www.domluizbergonzini.com.br/2011/01/o-projeto-tamar-dr-ives-gandra-martins.html

2 COMENTÁRIOS

  1. A estupidez de discussão de sexo de anjos, onde a posição da Igreja é mero dogma de fé estabelecido por alguém no poder. Vamos ver ponto a ponto.
    1 – O aborto viola os Direitos de Deus
    Quem diz que Deus tem “direitos”? Um papa? E Deus Infinito precisa de ter direitos? E qual é o direito da mulher? Acatar o que diz um Papa?
    2 – A vida começa na concepção
    Quem disse que a Vida começa na concepção? Algum Papa? Baseado em que? Na sua própria opinião? Fazer um aborto é ameaça a Vida, mas matar um boi ou derrubar um árvore não? É muita burrice escorada por dogmas absurdos.
    4 – A humanidade deve proteger a vida inocente
    Então, entre a probabilidade de morrer o feto ou a mãe, “se mata a mãe”, porque é “direito de Deus”? É possível mais burrice? Aborto é uma decisão que deve acatar leis, não se aceita o aborto, não se aceita estupidezas como essa!
    5 – O aborto não é seguro
    Nenhuma cirurgia é segura, então, o transplante ou extração de órgãos ‘agride’ o “direito de Deus”? Dá para entender tanta burrice?
    6 – Uma torre biogenética de Babel
    Senhores “calhordas científicos”, o que se discutem são leis dos homens, não questões científicas, que diga-se de passagem nem praia dos religiosos é. A lei é dos homens, ainda que devam ser conforme as leis de Deus (alguém descreveu quais são as leis de Deus? Há leis que só prescrevem direitos e não deveres?) sendo que os avanços da ciência (uma vez que a religião não avança, está amarrada a dogmas de fé da época de Cristo) são exatamente para dar suporte às leis dos homens. Calhordas religiosos querem discutir ciência, e sequer discutem moral e ética que seria de fato praia dos religiosos?
    7 – Quebrando o ciclo do aborto
    Que a família é o suporte da Vida, está certo. Mas que suporte os religiosos dão às mães ‘solteiras, estupradas etc.’? E não é direito da mulher optar pelo aborto quando “indesejado”, ou quando está em risco sua própria vida? Trata-se de leis apenas seus calhordas religiosos.
    8 – Legalização do aborto: Caso nos EUA – 45 anos de mentiras
    Quais são as leis americanas? SÃO FALHAS? Que se corrijam as leis, não se criticar o que sequer conhece!
    9 – Projeto TAMAR e Projeto MATAR
    É muita burrice travestida de sabedoria. Os ovos são destruídos pela natureza? Então, na natureza existe o “aborto natural”? O projeto Tamar evita que “ovos se abortem? É tanta burrice que não dá nem para comentar!
    10 – Um abismo atrai outros abismos
    E além do aborto, há também a “contraconcepção”? Quer dizer, evitar o feto, é tão pecado como fazer o aborto? E se não houve concepção (na opinião idiota de religiosos) também pode haver o crime? Pode-se admitir tamanha burrice?

    É claro que nessa toada poder-se-ia acrescentar mais 90 idiotices do mesmo naipe.
    arioba.

    • Boa noite Caro Arioba,

      Em principio o Dogma é uma verdade revelada por Deus, e, como tal, diretamente proposta pela Igreja à nossa Fé.
      A Revelação, fonte do dogma, dá a conhecer o ensinamento divino em seu próprio conceito: tal é a primazia de Pedro e de seus discípulos e, como consequência, a infalibilidade pontifícia. E Um dogma é uma verdade revelada sobre a Fé Absoluta, definitiva, imutável, infalível, inquestionável e absolutamente segura sobre a qual não pode pairar nenhuma dúvida.

      Nosso Senhor Jesus Cristo dá essa infalibilidade de ensinar a São Pedro e a seus sucessores quando diz; “Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela; Eu te darei as chaves do reino dos céus; e tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus.” (Mateus 16:18,19)

      Sobre o Dogma poderíamos falar muito a respeito, mas serve-lhe apenas como introdução, pois a maneira como, supostamente foi explicitado, o que é um dogma, soou de forma pejorativa. Mas vamos adiante.

      Deus tem o direito de ser único. Não há outro Deus no espaço nem no tempo. Deus tem o direito de não ter princípio nem fim. Ele está fora do tempo. Deus tem o direito de centralizar o culto em si mesmo. “Não terás outros deuses além de mim”, e sendo o Criador dos homens, Ele tem o direito que seus mandamentos sejam cumpridos.
      E todos nós possuímos um direito natural, que é o direito a Vida, porém temos um direito positivo atrelado a esse direito natural que é o de não matar, ou seja, para cumprir-se o primeiro (direito a Vida), deve respeitar o segundo (não matar). Isso é lógico, não há como negar.

      A questão do nascimento na concepção é algo biologicamente comprovado por diversos médicos especialistas, e eles explicam que, o individuo humano começa a existir biologicamente a partir de quando ele tem um corpo. E a formação do corpo de qualquer pessoa, inicia-se no momento da fecundação, que é quando os espermatozoides se une com o ovócito, formando 46 cromossomos. E quando o espermatozoide e o ovócito se encontram, ali já é formado um novo individuo, porque nesse momento da fecundação, o ser já detêm todas as suas características através do DNA.

      Você chegou a comentar: ” Calhordas religiosos querem discutir ciência, e sequer discutem moral e ética que seria de fato praia dos religiosos?”

      Observamos que essa forma de “argumentar” uma pessoal que quer discutir ética, como você mesmo informou, não usaria formas pejorativas como essa, pois se queres falar de ética deve-se praticá-la, e contudo essa forma de “argumentação”, observamos que é propriamente um ódio e um ataque a Religião Católica.

      Outro comentário: “Senhores “calhordas científicos”, o que se discutem são leis dos homens, não questões científicas, que diga-se de passagem nem praia dos religiosos é”

      A questão é que, a influencia dos religioso da Santa Igreja Católica sempre trouxe e sempre traz frutos para o campo secular, por exemplo em questão de universidades:

      A primeira Universidade do mundo Ocidental foi a de Bolonha (1158), na Itália, que teve a sua origem na fusão da escola episcopal com a escola monacal camaldulense de São Félix.Em 1200 Bolonha tinha dez mil estudantes

      A segunda, e que teve maior fama foi a Universidade de Paris, a Sorbone, que surgiu da escola episcopal da Catedral de Notre Dame. Foi fundada pelo confessor de S. Luiz IX, rei de França, Sorbon.

      Salamanca é a Universidade mais antiga da Espanha das que ainda existem, fundada pela Igreja; seu lema é “Quod natura non dat, Salmantica non praestat” (O que a natureza não nos dá, Salamanca não acrescenta).

      Em 1499, o Cardeal Cisneros fundou a famosa universidade “Complutense” mediante a Bula Pontifícia concedida pelo Papa Alexandre VI. Nos anos de 1509-1510 já funcionavam cinco Faculdades: Artes e Filosofia, Teologia, Direito Canônico, Letras e Medicina.

      A atual Universidade de Roma, La Sapienza foi fundada há sete séculos, em 1303, pelo Papa Bonifácio VIII (1294-1303), com o nome de “Studium Urbis”.

      Só na França havia uma dezena de universidades: Montepellier (1125), Orleans (1200), Toulouse (1217), Anger (1220), Gray, Pont-à-Mousson, Lyon, Parmiers, Norbonne e Cabors. Na Itália: Salerno (1220), Bolonha (1111), Pádua, Nápoles e Palerno. Na Inglaterra: Oxford (1214), nascida das Abadias de Santa Frideswide e de Oxevey, Cambridge. Além de Praga na Boêmia, Cracóvia (1362), Viena (1366), Heidelberg (1386). Na Espanha: Salamanca e Portugal, Coimbra. Todas fundadas pela Igreja

      E em questão de medicina;

      São Basílio Magno (330-369) fundou um hospital em Cesareia, na Terra Santa, no século IV, especialmente para os leprosos. Os mosteiros também prestaram muitos atendimentos aos doentes.

      E um historiador chamado Guenter Risse no livro “A History of Hospitals”, citado por Thomas Woods, mostra que quando caiu o império romano do ocidente (476), os mosteiros assumiram cada vez mais os cuidados dos doentes como nunca foi feito na Europa por vários séculos. Esses mosteiros se tornaram verdadeiras escolas de medicina entre os séculos V e X; falava-se do período da “medicina monástica”. Durante o reavivamento dos anos 800 com Carlos Magno, os mosteiros se destacaram como os principais centros de estudo e transmissão dos textos antigos de medicina.

      Em suma, esses dados que lhe apresentei foi apenas para mostrar-lhe que os religioso podem e devem entrar em discussões como essas, por isso reafirmo que, a forma de “argumentação” foi propriamente um ataque a Religião Católica.

      E por fim, você comenta:

      “[…]evitar o feto, é tão pecado como fazer o aborto? E se não houve concepção (na opinião idiota de religiosos) também pode haver o crime? Pode-se admitir tamanha burrice?”

      a contracepção priva intencionalmente o ato conjugal da sua abertura à procriação e, dessa forma, realiza uma dissociação voluntária das finalidades do matrimônio, isto é, as dimensões unitiva e procriativa. Além do mais, os métodos contraceptivos atuam de modo direto na fecundidade matrimonial. É um não à procriação.

      Bruno Oliveira

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.