Jihad vs Cruzadas: quem agrediu primeiro, mais e pior?

0
Bill Warner 01
Bill Warner, diretor do Centro para o Estudo do Islã Político.

Bill Warner, diretor do Centro para o Estudo do Islã Político, teve uma ideia muito valiosa. Ele observou que:

“sempre que você está lidando com um apologista do Islã, ou até mesmo com um muçulmano, e você fala da jihad (ou guerra santa islâmica), ele quase imediatamente dispara: ‘Mas, e essas terríveis cruzadas?’”.

Bill explicou que eles justificam moralmente a guerra santa se ela for contra o Ocidente cristão. Porém, eles se dizem contra as cruzadas, essa guerra santa promovida e aprovada por Papas, Santos e Doutores da Igreja.

Enquanto os muçulmanos não se envergonham de sua aberrante contradição, no mundo cristão parece haver vergonha de falar das santas e heroicas empresas feitas sob o signo da Cruz.

Bill enfrentou o problema pelo lado dos fatos. Ele criou um banco de dados de 548 batalhas provocadas pelo Islã contra a civilização cristã. E não foram todas: faltam combates provocados pelo islamismo invasor na África, na Índia, no Afeganistão e outros locais.

Com esses dados ele montou um mapa dinâmico e o postou em http://politicalislam.com/jihad-vs-crusades/. Apresentamos uma tradução dos excertos mais relevantes, o quer dizer de quase tudo:

“548 batalhas é muita coisa; é demais para se compreender. Então, eu criei um mapa dinâmico das batalha com centro no Mediterrâneo, com incrementos de 20 anos.

Desde o início a vontade do Islã foi invadir, destruir e matar.
Desde o início a vontade do Islã foi invadir, destruir e matar.

“Na tela, um ponto branco designa uma nova batalha num período de vinte anos. Toda vez que a tela muda para o próximo período de 20 anos, os pontos brancos anteriores ficam vermelhos e um conjunto de novas batalhas é representado para que você possa ver a história se desenrolando.

“Isto pode parecer um pouco confuso, mas assistindo ao vídeo você vai entender exatamente o que eu quero dizer.

“O início da exibição dinâmica mostra o Islã que irrompe a partir da Península Arábica e imediatamente começa a atacar o Oriente Médio.

“Observe que isso acontece não muito antes das batalhas que o Islã provocou em todo o Mediterrâneo e os ataques contra o sul da França e da Espanha.

“Aqui vemos o Islã projetando seu poder em todo o Mediterrâneo. As pequenas ilhas do Mediterrâneo são atacadas.

“Os navios do Islã atacam cidades costeiras para matar, roubar, estuprar e fazer escravos.

“Mais de um milhão de pessoas foram escravizadas na área de cultura europeia e levadas para o mundo islâmico.

“É algo que você não consegue imaginar, mas é absolutamente verdadeiro.

Castro Lorenzo batalha naval contra os corsarios maometanos do norte da Africa
Castro Lorenzo: batalha naval contra os corsários maometanos que incursionavam desde o norte da África.

Só na Espanha, o Islã provocou mais de 200 batalhas.

“Pelo leste, na Turquia, as forças islâmicas tentaram invadir a Europa.

“A luta na Espanha durou 400 anos até os cristãos empurrarem os muçulmanos para trás.

“Mas no leste, a cidade de Constantinopla caiu e a jihad pulou por cima da Europa Oriental.

“Posta para fora da Espanha, a jihad islamizou completamente a África e o Oriente Médio.

“Isso tudo foi jihad, e jihad implacável. E por que tão implacável?

“Bem, foi assim porque Maomé foi implacável pregando sua jihad, e esses invasores são bons alunos do Islã. E por isso fazem jihad contra o ‘infiel’, infinitamente.

“Era tradicional que quando um novo sultão galgava o poder, imediatamente ele ia tentar lançar novas guerras, para ficar registrado na história islâmica que ele lutou contra o infiel.

O resultado da jihad nesse longo período foi de 548batalhas.

“Porém, quando você fala de jihad, as pessoas puxam o tema das Cruzadas!

“Por isso, eu também preparei um mapa dinâmico de todos os ataques ofensivos dos cruzados.

“Vamos vê-lo e fazer uma comparação.

“As Cruzadas entraram no Oriente Médio pela Turquia. Mas as batalhas delas decorrentes foram muito menos do que você imagina. Em pouco tempo, a lista acaba e o mapa termina.

“Agora, então, podemos falar sobre alguns fatos!

Constantinopla foi desde sua fundação uma cidade greco-romana Os turcos invadiram sem nenhum fundamento
Constantinopla foi desde sua fundação uma cidade greco-romana. Os turcos invadiram sem nenhum direito nem argumento, salvo o Corão.

“Sim, houve Cruzadas!

“Mas note que elas acabaram séculos atrás, e a jihad ainda está sendo impulsionada hoje.

“A jihad está ali, agredindo há 1.400 anos.

“Não há comparação possível entre a jihad e as Cruzadas.

“E, sobretudo, certamente não há comparação moral.

“Quando você olhar para as Cruzadas, lembre-se que as Cruzadas foram guerras defensivas.

“Por quê?

“Como vimos no mapa da jihad, foi o Islã quem saiu da Arábia e conquistou o Oriente Médio, que era cristão.

“Os cruzados tentaram libertar os seus irmãos e irmãs cristãos da perseguição da jihad.

“Portanto, não há comparação moral alguma. A motivação dos cruzados era libertar os cristãos; o propósito de jihad era, e ainda é, escravizar o Kafir, quer dizer, o ‘infiel’.

Então, da próxima vez que você ouvir alguém falar sobre ‘as terríveis Cruzadas’, pode responder com estes fatos.

“Você poderá dizer para a pessoa que critica as Cruzadas: ‘Você realmente não sabe nada dos fatos!’”.

Video: mapa estatístico da agressão do Islã

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here