Diferença entre o Pai-Nosso católico e o protestante

0

Você já deve ter notado uma curiosa diferença entre o Pai-Nosso católico e o protestante.
Não me refiro às pequenas variações de palavras – algo que acontece mesmo entre os
católicos – mas à frase que vai ao fim da oração, recitada por certas
denominações protestantes: “Porque teu é o reino e o poder e a glória para sempre. Amém”.
De onde vem essa diferença? O protestante logo virá com a resposta pronta: “Está na
Bíblia. Basta ler na edição de Ferreira de Almeida, em Mateus 6, 13”. Interessante constatar,
contudo, que ao usarem aquela fórmula no final do Pai-Nosso, os protestantes fazem, sem o
saber, uma homenagem à Tradição católica!
A fórmula “Porque teu é o reino…” é uma doxologia, isto é, uma expressão de louvor
geralmente acrescentada ao texto sagrado para acompanhar um trecho da liturgia. Esses
acréscimos vêm dos tempos da Igreja primitiva e ainda são muito comuns na Santa Missa e no Ofício Divino.
Ora, essa expressão não consta nos códices mais antigos do Evangelho de São Mateus.
Estudiosos, mesmo protestantes, reconhecem esse fato. Ela foi simplesmente acrescentada
por um copista – católico, diga-se de passagem – como uma reverência natural ao texto
sagrado. Note-se que o copista não fez isso com o propósito de adulterar a Bíblia, ele o fez de
boa-fé. Mas São Mateus não havia escrito tal fórmula.
A cópia do Evangelho de São Mateus acrescida da doxologia atravessou os séculos
até que Ferreira de Almeida, protestante português, utilizou-a para sua tradução da Bíblia, no
século XVII. E essa é a mesma versão – com eventuais atualizações – que os protestantes de
língua portuguesa utilizam até hoje.
Mas não sejamos injustos com Ferreira de Almeida. Ele não tinha condições de saber dessa
piedosa interpolação de um copista católico, feita nos primórdios do cristianismo. Apenas a
crítica mais recente esclareceu a questão.
De qualquer maneira, se você for arguido por um protestante sobre o “Porque teu é o reino e
o poder…”, pode dizer com toda segurança que é graças aos católicos que ele usa essa
fórmula.

Fontes consultadas:
1. https://catholicstraightanswers.com/why-does-the-catholic-our-father-have-a-different-
ending-than-the-protestant-one/
2. http://www.pr.gonet.biz/index-read.php?num=2389

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.