Santo Aniceto

0
Santo Aniceto

Papa e Mártir

(+ 165)

NATURAL da Síria era Aniceto o sucessor de São Pio I na cadeira de S. Pedro. O governo deste Pontífice coincide com o tempo do imperador romano Antônio. Não é certo se morreu mártir pela fé; é, porém, fora de dúvida, que tanto lhe foram os sofrimentos e aflições pela causa de Cristo, que a Igreja lhe conferiu o título honroso de mártir. Além das perseguições ofi­ciais da parte do governo romano, existiam perigosas heresias, que faziam periclitar a existência da Igreja. Embora fosse ela edificada sobre rochedo, contra o qual o in­ferno em vão dirige os ataques, grande número dos fiéis abando­nou a fé, correndo atrás do fogo fatuo de seitas errôneas. Grandes foram os estragos que o herege Va­letim causou ao rebanho de Cristo.

A essa obra perniciosa associou-se uma adepta da seita imoralíssi­ma dos Carpocratitas, Marcelina, a qual levou muitas pessoas à apos­tasia. Ainda um tal Marcion, here­ge e propagandista temível, propa­lou o veneno da heresia entre os cristãos.

O Papa Aniceto envidou todos os esforços para impedir o progresso da obra de satanás e reconduzir ao seio da Igreja os pobres transvia­dos.

Deus lhe enviou um auxiliar de grande valor, na pessoa de S. Po­licarpo.

Este discípulo de S. João Evan­gelista, veio a Roma, e em demons­trações públicas, provou que a Igreja de Roma, na doutrina, era idêntica a de Jerusalém. Esta de­claração causou a conversão de muitos hereges.

Num ponto, aliás, de ordem se­cundária, houve divergência entre Policarpo e Aniceto; quanto ao tempo da celebração da Páscoa. Os cristãos do Oriente comemoravam a Páscoa com os Judeus, quando na Igreja Romana não existia este uso. Policarpo, desejoso de ver Ro­ma adotar o uso da Igreja asiática, não conseguiu esta uniformização. Aniceto opinava e com razão, que não devia abolir um costume intro­duzido e aprovado pelo príncipe dos Apóstolos. Entretanto deixou aos cristãos orientais toda a liberdade na celebração da Festa da Páscoa, como eram acostumados desde os dias de S. João Evangelista.

Santo Hegesipo era outro auxi­liar estimável, que eficazmente di­rigiu forte campanha contra as he­resias. Num livro que escreveu, sobre a tradição, provou que a dou­trina passou pura e inalterada, dos Apóstolos ao Papa Aniceto e de­monstrou que a mesma doutrina era conservada e ensinada, sem a mínima alteração.

Aniceto governou a Igreja du­rante oito anos e nove meses e mor­reu no ano de 165.

Retirado e adaptado do livro: Lehmann, Pe. João Batista , S.V.D., Na Luz Perpétua, Lar Católico, Juiz de Fora, 1956.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.