6 de novembro: o dia do Santo Condestável!

0

Cavaleiro, Condestável do Reino e religioso carmelita, Frei Nuno de Santa Maria é considerado um dos maiores heróis da história de Portugal.

Nascido em 24 de junho de 1360 na freguesia portuguesa Flor da Rosa, D.Nuno descendia de famílias nobres tanto do lado paterno quanto do lado materno. Criado no meio de cavaleiros e escudeiro, desde de jovem  já demonstrava aptidão para a carreira das armas. Aos 13 depois de  fazer um reconhecimento do exército de Castela, foi armado cavaleiro junto com seu irmão Diogo.

Em 1383 o Rei de Portugal, Dom Fernando morre, deixando como herdeiro apenas sua filha, Dona Beatriz, que casara-se com o Rei de Castela, este, pelo casamento, poderia tornar-se rei de Portugal. Além disso, após o cisma do Ocidente de 1378 os castelhanos passaram a apoiar o “anti-papa”, o Papa de Avinhão, enquanto os portugueses apoiavam o verdadeiro Pontífice Romano.

Perante tamanha crise o regente e Defensor do Reino, Mestre de Avis Dom João, forma um novo Conselho e convida Nuno Álvares para tomar parte. Com isso, o Condestável é enviado ao Alentejo para conter os castelhanos. E em 6 de abril de 1384 Nuno comanda a vitória portuguesa sobre as tropas castelhanas na Batalha de Atoleiros.

Após a reunião das Cortes em maio de 1385, D.João I é aclamando rei de Portugal e Nuno Álvares nomeado  Condestável sendo lhe  atribuído o comando de todo o exército português. Apesar de sucessivas derrotas (atoleiros e o Cerco de Lisboa), os castelhanos ainda possuíam um grande exército, muito bem numeroso e equipado. Portanto, em 13 de agosto de 1385, São Nuno reunido com suas tropas em Aljubarrota, comunga,pede graças para derrotar os castelhanos e recolhe-se em orações, aguardando a chegando das tropas inimigas. A disparidade numérica é grande, os portugueses contavam com pouco mais de 7500 homens enquanto os castelhanos eram mais de 30000. Com grande coragem e respeito ao adversário S.Nuno foi sem dúvidas a maior inspiração para as tropas portuguesas

Vitória portuguesa em Aljubarrota

derrotarem os  castelhanos. Ainda em 1385 outra batalha ocorrera, batalha de Valverde, em que os portugueses derrotam e afugentam definitivamente os invasores.

Como forma de agradecimento e gratidão as vitórias Dom João e Nuno Álvares mandam construir um mosteiro em honra a Santa Maria da Vitória, conhecido como Mosteiro da Batalha.

Nos tempos de paz S.Nuno dedica-se a edificação de Igrejas e da realização de obras de caridade. E ainda como militar participa da conquista portuguesa de Ceuta em 1415, conquista importante para o posterior início da expansões marítimas portuguesas, as grandes navegações e consequentemente o descobrimento do Brasil.

Mosteiro da Batalha

Em 1423, aos 63 anos,  Nuno torna-se carmelita, tomando o nome de Frei Nuno de Santa Maria . Por seu coração nobre e caridoso, ficou conhecido pelo povo português como o Santo Condestável.

Curiosamente, em 1424 o embaixador do reino de Castela faz uma visita a S.Nuno, sendo recebido em sua humilde cela de frade. Após um breve diálogo o embaixador perguntou a Nuno se ele nunca mais despiria a mortalha que envergava, referindo-se ao seu hábito de frade. Ao que Nuno teria respondido, com firmeza e erguendo-se, com um brilho no olhar e batendo no peito. Um som de metal fez-se ouvir, o da armadura que usava por baixo da hábito carmelita… “Senhor, despi-la-ei, se el-rei de Castela mover outra guerra a Portugal!…Enquanto não estiver sepultado, servirei ao mesmo tempo a minha fé e esta terra que me deu o ser.”

Frei Nuno de Santa Maria

Nuno Álvares Pereira faleceu em 1 de novembro de 1431, dois dias após a assinatura do tratado de paz perpétuo entre Portugal e Castela. Seu túmulo foi destruído no grande terremoto de 1755, em seu epitáfio estava escrito:” Aqui jaz aquele famoso Nuno, o Condestável, fundador da Sereníssima Casa de Bragança, excelente general, beato monge, que durante a sua vida na terra tão ardentemente desejou o Reino dos Céus depois da morte, e mereceu a eterna companhia dos Santos. As suas honras terrenas foram incontáveis, mas voltou-lhes as costas. Foi um grande Príncipe, mas fez-se humilde monge. Fundou, construiu e dedicou esta igreja onde descansa o seu corpo.”

Em 23 de janeiro de 1918 foi beatificado pelo Papa Bento XV e em 26 de abril de 2009 foi canonizado São Nuno de Santa Maria pelo Papa Bento XVI.

 

São Nuno de Santa Maria: rogai por nós!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.