Sábado ou Domingo? A questão dos Adventistas

47

Resposta aos protestantes: a questão do sábado como dia de guarda.

O sábado foi feito para o homem, e não o homem para o sábado; de modo que o Filho do Homem é senhor até do sábado” (Marcos 2, 27).

Portanto, ninguém vos julgue por questões de comida e de bebida, ou a respeito de festas anuais ou de sábados, que são apenas sombra de coisas que haviam de vir, mas a realidade é o Corpo de Cristo” (colossenses 2, 16). O que prova que o sábado não é intocável, pois existem coisas superiores ao sábado.

Alguns adventistas procuram impugnar esse trecho de S. Paulo argumentando que “sabados” se refere aos ‘descansos‘, como a páscoa, pentecostes, etc. Todavia, o “Sábado“, dia de guarda, fazia parte dos “sábados“. O apóstolo apenas reforça o que foi ensinado por Nosso Senhor Jesus Cristo, tornando sem efeito o argumento adventista.

A ordem de observar o sábado era rigorosamente cumprida pelos Judeus. Aliás, foi no sábado que eles saíram do Egito rumo à Terra prometida.

O primeiro dia da semana judaica, posterior ao sábado, quando Cristo ressuscitou, tornou-se o dia de culto dos cristãos ou o dia do Senhor. No ano de 57/58, por exemplo, em Trôade, na Ásia Menor, os cristãos se reuniam no primeiro dia da semana, conforme At 20, 7, para celebrar a Eucaristia. Em 1Cor 16, 2, S. Paulo recomenda aos fiéis a coleta em favor dos pobres no primeiro dia da semana – o que supõe uma assembléia religiosa realizada naquele dia.

O Domingo é o dia dedicado à glorificação do Senhor vitorioso sobre a morte, tomou adequadamente o nome de “Kyriaké heméra“, dia do Senhor (ou, propriamente, dia imperial), como se depreende de Ap 1, 10: “Fui arrebatado em espírito no dia do Senhor“. O grego “Kyriaké heméra” deu em latim “Dominica dies“, donde, em português, domiga ou domingo.

Pode-se crer que a celebração do domingo tenha tido origem na própria Igreja-mãe de Jerusalém, pois os apóstolos estavam reunidos no 50o. dia (Pentecostes), que era domingo, quando receberam o Espírito Santo (At 2, 1-3). Este quis se comunicar não num sábado, como Cristo também não quis ressuscitar num sábado, mas no dia seguinte, domingo. O dia da ‘santificação’ de sua Igreja foi o domingo e não o sábado.

Agora, um outro problema. Qual é o sétimo dia? A palavra ‘sábado’ não exprime o dia determinado da semana, mas, em hebraico, quer dizer: cessação, repouso (shabath). Quando deve ser este dia de repouso? Deus nunca determinou. O que ele quer é que, após seis dias, o sétimo lhe seja consagrado.

Da lei antiga, distinguem-se quatro espécies de preceitos: o dogma, a moral, as cerimônias e as leis nacionais.

Destes preceitos, só permanecem, com o advento do Novo Testamento, o dogma, completado por Nosso Senhor Jesus Cristo, e a moral, aperfeiçoada por ele.

Quanto as cerimônias, elas eram figurativas, e as figuras desaparecem diante da realidade. As cerimônias da Igreja substituem suas pré-figuras (ver Hb 4, 3-11). As leis nacionais também já não mais se aplicam.

Outro argumento de alguns estudiosos: na semana judaica, a contagem dos dias começa na primeira-feira e não na segunda-feira, sendo o sétimo dia a nossa sexta-feira e o sábado, o nosso domingo.

Mas, ainda que fosse o sábado o sétimo dia, a Igreja teria o poder de alterá-lo, não sendo ele, como demonstrado, superior ao “Corpo Místico de Cristo” (colossenses 2, 16). O próprio Deus encarnado concedeu este poder à sua Igreja: “Tudo o que ligares na terra, será ligado no Céu e tudo o que desligares na terra, será desligado no Céu“. São palavras de Nosso Senhor Jesus Cristo aos seus discípulos.

Examinemos agora um pouco a história: desde o século II, há depoimentos que atestam a celebração do domingo tal como foi instituída pelos apóstolos, conscientes do significado da ressurreição de Cristo. Assim Santo Inácio de Antioquia (+110, aproximadamente) escrevia aos Magnésios: “Aqueles que viviam na antiga ordem de coisas, chegaram à nova esperança, não observando mais o sábado, mas vivendo segundo o dia do Senhor, dia em que nossa vida se levantou mediante Cristo e sua morte” (9, 1)

O Catecismo dos Apóstolos, chamado de ‘Didaqué‘, escrito no primeiro século de nossa era, também prescreve, em seu artigo XIV: “Reúnam-se no dia do Senhor para partir o pão e agradecer, depois de ter confessado os pecados, para que o sacrifício de vocês seja puro.”

Em meados do século II, encontra-se o famoso depoimento de S. Jusitino, escrito entre 153 e 155: “No dia dito do sol, todos aqueles dos nossos que habitam as cidades ou os campos, se reunam num mesmo lugar. Lêem-se as memórias dos apóstolos e os escritos dos profetas… Quando a oração está terminada, são trazidos e vinho e água… Nós nos reunimos todos no dia do sol, porque é o primeiro dia, aquele em que Deus transformou as trevas e a matéria para criar o mundo, e também porque Jesus Cristo Salvador, ressuscitou dos mortos nesse dia mesmo” (I Apologia 67, 3. 7).

Nessa passagem, S. Justino atesta a celebração da Eucaristia no domingo. Chama-o “dia do sol” porque se dirige a pagãos; faz questão, porém, de lembrar que tal designação é de origem alheia, não cristã: “no dia dito do sol“.

O fato do Imperador Constantino ter preceituado, em 321, certo repouso “no venerável dia do sol” não quer dizer que ele tenha introduzido a observância do dia do Senhor entre os Cristãos; esta, como vimos, data da época dos apóstolos, tendo sido apenas patrocinada por Constantino, desde que se tornou cristão.

47 COMENTÁRIOS

  1. a própria igreja católica diz que somos os mais coerentes/
    Lógico; que contém lógica, coerência; que se apresenta logicamente.Que mantém suas opiniões e seus princípios; que permanece com os mesmos comportamentos: possui comportamentos coerentes com suas ideias.Que se consegue aderir de maneira recíproca.

  2. Recado curto sobre os sábados
    Não adianta querer fazer Deus mudar um só til de suas promulgações, cravadas nas Rochas Sagradas das leis para que nunca se apagassem, que no caso dos fariseus modernos, julgam que Deus teria se arrependido de incluir o Quarto Mandamento, e depois o lixado, deixando a Arca da Aliança aleijada. Só na cabeça do tolos…
    O sábado será sempre o Dia do Senhor, primeiramente porque foi instituído na Criação, foi abençoado e santificado por Deus (quando ele abençoa é para sempre), Em Ezequiel 20:20 foi instituído como um Sinal entre ele e a humanidade (quanto a isso Está escrito que Deus não faz distinção de pessoas ou de raças (Atos 3:24 e 25) ; Está Escrito em I Carta de Pedro 1:24 que DEUS NÃO MUDA e que sua Palavra permanece eternamente. Como ele escreveu, pessoalmente, a Lei do Sétimo Dia nas Rochas Sagradas é para sempre; Jesus promulgou que O SÁBADO FOI CRIADO PARA O HOMEM (Marcos 2:28); Jesus bradou que podem passar os Céus e a Terra antes que das leis se consiga retirar um só caractere, e a leis do sábado tem 433 caracteres (Mateus 5:15 a 37) Sobretudo, Jesus santificou os sábados, sua Igreja, seus apóstolos e a Igreja de Paulo santificaram todos os sábados e jamais um só domingo (Lucas 4:16; Lucas 23:55; Atos 16:13; Atos 13:31 a 44) Outro dia, ouvi o pastor Malafaia afirmar que os evangélicos não guardam o sábado porque nove dos mandamentos estão repetidos no Evangelho, mas o do sábado não; Pura Utopia e desconhecimento bíblico, pois o sábado está repetido por 10 vezes: Marcos 2:28; Lucas 4:16; Lucas 23:55; Atos 16:13; Atos 13:41; Atos 18:4; Atos 1:12; Atos 24:20; Hebreus 4:4; Mateus 5:17 e seguintes.
    Jesus nomeou aqueles que o acusavam de violar os sábados de Filhos do Diabo. João 8:44. Jesus respondeu a eles que apenas APARENTAVA que ele desrespeitava os santos sábados:
    “Se o homem recebe a circuncisão no sábado, para que a lei de Moisés não seja quebrantada, indignais-vos contra mim, porque no sábado curei de todo um homem? Não julgueis segundo a aparência, mas julgai segundo a reta justiça”. Jesus, em João 7:23 a 24

    Estudando-se o Novo Testamento com critério e atenção, concluímos que a palavra de Deus não atribui nenhum significado litúrgico ao dia da ressurreição, simplesmente porque esse acontecimento tem de ser visto apenas como uma realidade existencial experimentada pelo poder do Cristo vitorioso também sobre sua própria morte. De modo algum a ressurreição de Jesus pode ser vista como uma prática cristã associada ao culto aos domingos. Cristo, que havia ressuscitado a outros, não poderia ser vencido pela morte, o que anula totalmente a pretendida importância do tal domingo. Mas a Monumental Vitória de Jesus Cristo deu-se com a sua sofrida Morte na cruz! E não há uma linha no Evangelho que aponte qualquer indício da troca maluca do sábado pelo domingo. Coisa do papado romano para que se cumprisse a profecia no Apocalipse 13:7: Satanás venceu os santos.
    Então, apesar dos pastores famosos e não famosos, O SÁBADO É PARA SEMPRE, PERPETUAMENTE e foi o Senhor Deus quem nos revelou isso quando promulgou que sua palavra permanece eternamente!

    http://www.segundoasescrituras.com.br Na página 2 deste site, há 7 arquivos que se completam entre si:

    119 – O Tratado sobre as leis de Deus
    146 Colossenses 2:16 fácil de entender
    148 A maioria dos pastores evangélicos interpretam errado a Carta aos Gálatas
    150 Absolutamente nada funciona sem leis
    151 O fim da lei é Cristo, interpretado errado
    152 Segundo Jesus, as boas obras são parte imprescindível para a salvação
    153 Recado curto mostrando a verdade do sábado
    154 – As sete verdades sobre o sétimo dia
    156 – História das Raízes da Igreja

    Waldecy Antonio Simões walasi@uol.com.br
    Publicações livres

  3. AS SETE VERDADES BÍBLICAS SOBRE O SÉTIMO DIA.

    A maioria cristã faz uma tremenda confusão a respeito de sábados e domingos. Os cristãos, em minoria, julgam corretamente que o Criador, que nunca muda, jamais aceitaria que uma só de suas leis fundidas nas Rochas Sagradas pudesse ser “lixada” pelos homens, portanto, creem firmemente que o Sábado é o Dia do Senhor. Outra parte considerável crê que Jesus teria revogado todas as dez leis a favor da religião da graça e da liberdade. Uma terceira parte, bem maior, prefere crer que pela ressurreição de Jesus ele teria revogado o Quarto Mandamento a favor do domingo, permanecendo, então, como válidos, os demais mandamentos (nove).

    ONDE ESTÁ, ENTÃO, DE FATO E DE DIREITO, A VERDADE BÍBLICA? Ora, vamos colocá-la aqui, resumidamente, mas de modo tão legítimo, tão cristalino e conclusivo que não dará chance alguma a qualquer refutação, sem se ingressar no farisaísmo religioso (o que é pior do que não ser cristão).

    Vamos às Sete Verdades que não têm como ser desmentidas, pois Está Escrito. Primeiramente é óbvio e muitíssimo fácil concluir que o Sábado é para sempre, apenas lembrando que a Palavra de Deus permanece eternamente. Quem fugir dessa Verdade, ingressa no farisaísmo:

    “Seca-se a erva, e cai a flor, soprando nela o Espírito do Senhor. Na verdade o povo é erva. Seca-se a erva, e cai a flor, porém a palavra de nosso Deus subsiste eternamente”. Isaías 40:7.

    “Porque toda a carne é como a erva, e toda a glória do homem como a flor da erva. Secou-se a erva, e caiu a sua flor, mas a palavra do Senhor permanece para sempre. E esta é a palavra que entre vós foi evangelizada”. I Pedro 1:24.

    Então, vamos às Dez provas só refutáveis para aqueles que tentam, de todas as maneiras, fugir da VERDADE BÍBLICA DO SÉTIMO DIA:

    1) O Mandamento do Sétimo Dia foi instituído na Criação do mundo (Gênesis 2:3), não para o próprio Criador, pois em sua perfeição jamais criaria um Mandamento para si próprio, não tem como e, como Espírito Perfeito jamais se cansa, então o Mandamento do sábado foi criado para o homem, pois ele, sim, necessita de um dia de descanso na semana. O próprio Jesus legitimou isso no Evangelho ao reger:

    “O sábado foi estabelecido por causa do homem, e não o homem por causa do sábado; de sorte que o Filho do homem é, também, o Senhor do sábado”. Jesus Cristo, em Marcos 2:28. Se o Filho de Deus afirmou que o sábado foi criado para o homem, então o sábado foi criado para a Humanidade, assim como os castigos promulgados contra Adão e Eva foram, também, dirigidos à Humanidade.

    Quanto a ser o Senhor do sábado, Jesus também afirmou que é maior que o Templo (Mateus 12:6, maior que Abraão (João 8:57), maior que Jonas (Lucas 11:32), maior que Salomão (Mateus 12:42) e mais importante que Jacó, sem desmerecer qualquer um deles, portanto, também não desmereceu o santo sábado, pois é o Senhor de Tudo, pois está Escrito que Deus lhe deu toda a autoridade sobre tudo o que existe:

    “Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra”. Jesus, em Mateus 28:18,

    2) A maioria evangélica, católicos e ortodoxos julgam, temerariamente, que a Ressurreição de Jesus teria anulado, teria riscado das Rochas de Deus o Mandamento do Sétimo Dia, dando lugar ao primeiro dia da semana, o tal domingo, mas isso é absolutamente impossível, pois não há uma só linha no Evangelho que autorize tal mudança, mesmo porque Está Escrito que Deus Nunca Muda em suas Promulgações à Humanidade:

    “Seca-se a erva, e cai a flor, soprando nela o Espírito do Senhor. Na verdade o povo é erva. Seca-se a erva, e cai a flor, porém a palavra de nosso Deus subsiste eternamente”. Isaías 40:7.

    “Porque toda a carne é como a erva, e toda a glória do homem como a flor da erva. Secou-se a erva, e caiu a sua flor, mas a palavra do Senhor permanece para sempre. E esta é a palavra que entre vós foi evangelizada”. I Pedro 1:24.

    Então, segundo as Escrituras, o sábado é para sempre, e se teria havido mudança a respeito, essa foi criada pelo homem e nunca por Deus. Quanto a isso, num descuido, o clero católico confessa, por escrito, o seu gravíssimo erro ao atentar violentamente contra o Sétimo Dia.:

    “A Igreja de Deus, porém, achou conveniente transferir para o domingo a solene celebração do sábado”. Catecismo católico, Edição2, Editora Vozes, Petrópolis, RJ. 1962.

    3) Uma parte dos cristãos julga que Jesus acabou com as leis a favor da graça e da liberdade, mas Jesus fez tudo exatamente ao contrário, pois legitimou TODAS as leis do Decálogo em sua primeira pregação à Humanidade, no Sermão do Monte e ainda amentou o grau de observação em algumas das 10 leis (Mateus, 5:21 a 32.

    “Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til jamais passará da lei sem que tudo seja cumprido”. Jesus, em Mateus 5:17 a 37. Está Escrito que tudo será cumprido na Consumação dos Séculos, no Grande Dia de Jesus, quando os Portais do Reino de Deus serão abertos aos mortais de Jesus, antes fechados desde Adão e Eva (João 14:1 a 3, como também em 1 Tessalonicenses 4:13 a 17).

    Se Jesus Cristo afirmou que das leis de Deus Pai nem mesmo um simples til se poderá retirar, é absolutamente impossível atentar contra a lei do sábado, pois o Quarto Mandamento contém 80 palavras ou 433 caracteres. E assim, pelo menos até o Grande dia da Volta de Jesus, o sábado é para sempre!

    4) A ampla maioria cristã alega que em sua vida pública Jesus teria violado os sábados ao trabalhar nesse dia, mas quem o acusou de violar os sábados foram os fariseus, os filhos do diabo, assim como Jesus Cristo os nomeou em João 8:44. A respeito dessa acusação dos filhos de Satanás, vamos ver que Jesus respondeu a eles que apenas APARENTAVA que ele desrespeitava os santos sábados:

    “Se o homem recebe a circuncisão no sábado, para que a lei de Moisés não seja quebrantada, indignais-vos contra mim, porque no sábado curei de todo um homem? Não julgueis segundo a aparência, mas julgai segundo a reta justiça”. Jesus, em João 7:23 a 24

    “E, tomando a palavra o príncipe da sinagoga (filho do diabo acusador), indignado porque Jesus curava no sábado, disse à multidão: Seis dias há em que é mister trabalhar; nestes, pois, vinde para serdes curados, e não no dia de sábado. Respondeu-lhe, porém, o Senhor, e disse: Hipócrita, no sábado não desprende da manjedoura cada um de vós o seu boi, ou jumento, e não o leva a beber? E não convinha soltar desta prisão, no dia de sábado, esta filha de Abraão, a qual há dezoito anos Satanás tinha presa?”. Lucas 13:14-16, Jesus revela que o amor de caridade tem preponderância sobre qualquer lei (1 Coríntios 13:13)..

    “E, estava ali um homem que tinha uma das mãos mirrada; e eles (os fariseus do diabo), para o acusarem, o interrogaram, dizendo: É lícito curar nos sábados? E ele lhes disse: Qual dentre vós será o homem que tendo uma ovelha, se num sábado ela cair numa cova, não lançará mão dela, e a levantará? Pois, quanto mais vale um homem do que uma ovelha? É, por consequência, lícito fazer bem nos sábados. Então disse àquele homem: Estende a tua mão. E ele a estendeu, e ficou sã como a outra. E os fariseus, tendo saído, formaram conselho contra ele, para o matarem”. Mateus 12:10-14.

    “E os escribas e fariseus (filhos do diabo) observavam-no, se curaria no sábado, para acharem de que o acusar. Mas ele (Jesus) bem conhecia os seus pensamentos; e disse ao homem que tinha a mão mirrada: Levanta-te, e fica em pé no meio. E, levantando-se ele, ficou em pé. Então Jesus lhes disse: Uma coisa vos hei de perguntar: É lícito nos sábados fazer bem, ou fazer mal? salvar a vida, ou matar? E, olhando para todos em redor, disse ao homem: Estende a tua mão. E ele assim o fez, e a mão lhe foi restituída sã como a outra. E ficaram cheios de furor, e uns com os outros conferenciavam sobre o que fariam a Jesus”. Lucas 6:7-11.

    “E dizia-lhes Jesus: Invalidais o Mandamento de Deus para guardardes a vossa tradição”. Jesus, em Marcos 7:9

    5) O sábado é o ÙNICO Mandamento chamado por Deus de Santo e Bendito e o Único estabelecido como UM SINAL entre ele e a Humanidade: “Santificai os meus sábados, pois servirão de sinal entre mim e vós, para que saibais que eu sou o SENHOR, vosso Deus”. Ezequiel 20:20.

    Ora, se o sábado foi estabelecido por Deus como UM SINAL entre ele e a Humanidade, de modo algum jamais sairá dessa condição divina. Quanto aos que julgam que esse Sinal foi dado apenas aos israelitas, então, nesse caso, nós não podemos nos servir de nenhum livro do Velho Testamento, nem dos Salmos, etc. e nem mesmo de Malaquias, muito usado para legitimar os dízimos. É ou não é? Dois pesos e duas medidas não vale! Além disso, abaixo, no capítulo 7, Está Escrito que nós somos os legítimos herdeiros dos israelitas e que Jesus, de todos nós, fez UM SÓ POVO.

    6) Dizem os sábios que um bom exemplo vale mais que mil palavras. É ou não é? É claro que é! então, vamos ver os vários exemplos de Jesus e de sua Igreja Primitiva santificando os sábados (que valem mais que milhões de palavras) até mesmo décadas após a Ressurreição? Essa parte ANULA completamente as pretensões dos que defendem erradamente o domingo “substituindo” o Sábado Santo, solene e Abençoado do Senhor:

    “E, chegando a Nazaré, onde fora criado, (Jesus) entrou num dia de sábado, segundo o seu costume, na sinagoga, e levantou-se para ler”. Lucas 4:16. Jesus, nos concedendo o exemplo, pois segundo o Mandamento e a Tradição israelita, guardou o sábado por toda a sua vida.

    Antes da ressurreição de Jesus, os cristãos faziam do sábado um dia de louvor:

    “O sábado ia começar. Ora, as mulheres que tinham ido da Galiléia com Jesus, indo, observaram o sepulcro onde fora colocado o corpo de Jesus. Voltando, prepararam aromas e bálsamos. No sábado, observaram o repouso, segundo a Lei”. Lucas 23:55 – 56. A Igreja de Jesus, nos concedendo o exemplo.

    Então, Jesus ensinou a sua Igreja a ser também legalista! Vejamos a Igreja Cristã aos tempos de Paulo, décadas depois da ressurreição de Jesus os cristãos de Paulo fazendo do sábado um dia de culto e louvor:

    “No dia de sábado, saímos fora da porta, junto ao rio, onde julgávamos haver um lugar de oração; e, assentando-nos, falamos às mulheres que para ali tinham concorrido”. Atos dos Apóstolos 16:13.
    Esse preceito revela, com toda clareza, de modo irrefutável, um culto de louvor aos sábados pelos cristãos. As mulheres cristãs sempre trabalhavam, só não aos sábados. Então, segundo o preceito acima, estavam em dia de descanso, santificando os sábados assim como os homens! Mas fariseus de quase todas as denominações, também católicos e ortodoxos alegam que a Igreja de Jesus santificava o tal domingo. É possível uma tolice dessas, depois dessas revelações?

    “No sábado seguinte, concorreu quase toda a cidade para ouvir a palavra de Deus, mas os judeus, vendo aquela concorrência, encheram-se de inveja…”. Atos 13:41 – 44.
    Se os judeus encheram-se de inveja não se tratava de uma reunião judia aos sábados, mas sim um culto cristão que reuniu quase toda a cidade para louvar no sábado. Isso não poder ser negado!

    “E todo o sábado, ensinava na sinagoga, persuadindo tanto judeus como gregos”. Atos 18:4.
    Os defensores do domingo, inventado, argumentam, falsamente, que Paulo comparecia às sinagogas dos judeus aos sábados, porque era nesse dia que podia encontrá-los, mas não é o caso aqui, pois, pela sua tradição, os judeus jamais aceitariam que gentios pagãos – no caso presente os gregos – participassem de cerimônias em seus templos, em simples reuniões e nem mesmo jamais aceitariam permanecer com eles ou com outros pagãos no mesmo ambiente. Sabemos que o santo em vida Paulo não ensinava somente aos judeus, mas principalmente aos demais pagãos. Quanto a isso, se os primeiros cristãos guardavam o sábado mesmo após a ressurreição de Jesus, só isso prova a Grande Mentira do tal domingo, um feito gigantesco de Satanás, segundo o Apocalipse 13:7.

    Em Atos dos Apóstolos, conforme a tradição dos apóstolos de santificarem os sábados, um preceito é usado como referência ao Quarto dos Mandamentos:

    “Então voltaram para Jerusalém, do monte chamado Olival, que dista daquela cidade tanto como a uma jornada de sábado…”. Atos 1:12. Ora, ao se referirem a uma jornada de sábado como exemplo pelos apóstolos de Jesus, é certo que se tratava de um preceito em uso.

    “Orai para que vossa fuga não se dê no inverno, nem no sábado”.
    Jesus Cristo, em Mateus 24:20, ressalta, novamente, a grande importância do sábado (nem no inverno que é muito frio, o que dificultaria a fuga dos inimigos romanos (na terrível carnificina, no massacre contra os judeus nos anos 70, no episódio Masada), nem nos sábados porque é o Dia Santo de Deus, consagrado para descanso e louvor.

    7) Os cristãos, em parte, alegam, altamente equivocados, que o Decálogo do Monte Sinai, no qual o sábado está intrínseco, teria sido dado apenas aos israelitas, e não a nós do Evangelho, por isso, alegam que “nós não temos obrigação de guardar”. Mas vejamos que a Verdade do Evangelho de Deus que nos faz herdeiros dos israelitas:

    “E todos os profetas, a começar por Samuel, assim como todos os que depois falaram, também anunciaram estes dias. Vós sois os filhos dos profetas e da aliança que Deus estabeleceu com vossos pais, dizendo a Abraão: Na tua descendência serão abençoadas todas as nações da Terra”. Atos dos Apóstolos 3:24 – 25. Os herdeiros não herdam apenas as bênçãos, mas também as obrigações.

    Novamente, a Verdade do Evangelho faz dos cristãos e de Israel um só povo:

    “Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos os povos fez um e, derrubando a parede de separação que estava no meio, na sua carne desfez a inimizade, isto é, a lei dos mandamentos que consistia em ordenanças, para criar em si mesmo dos dois um novo homem, fazendo a paz, e pela cruz reconciliar ambos com Deus em um corpo, matando com ela as inimizades. E, vindo, ele evangelizou a paz, a vós que estáveis longe, e aos que estavam perto; porque por ele ambos temos acesso ao Pai em um mesmo Espírito. Assim que já não sois estrangeiros, nem forasteiros, mas concidadãos dos santos, e da família de Deus”. Efésios 2:14 a 19.

    “…na sua carne desfez a inimizade, isto é, a lei dos mandamentos que consistia em ordenanças…”. Esse verso, retirado do preceito acima, nada tem a ver com a derrocada do Decálogo, pois sendo isso impossível, o apóstolo Paulo, sempre dirigido pelo Espírito Santo de Deus, se refere às ordenanças e leis antigas, provindas de Levítico, criadas numa época para regular as ações dos israelitas nos difíceis 40 anos de deserto, mas que de forma alguma tiveram lugar no Evangelho de Jesus. E isso Está Escrito em Lucas 16:16, que revela:

    A lei e os profetas vigoraram até João; desde então é anunciado o reino de Deus, e todo o homem emprega força para entrar nele. E é mais fácil passar o céu e a terra do que cair um til da lei. Lucas 16:16 e 17 Esses dois preceitos nos mostram a derrocada (no Evangelho) das leis que escravizavam, que amaldiçoavam e até poderiam nos matar, se tivessem sido integradas no Evangelho. Em seguida a essas colocações, a Palavra de Deus novamente legitima o Decálogo de Deus (as 10 leis).

    “O sábado foi estabelecido por causa do homem, e não o homem por causa do sábado; de sorte que o Filho do homem é, também, o Senhor do sábado”. Jesus Cristo, em Marcos 2:28, respondendo à irritação dos judeus quando permitiu que seus amigos colhessem espigas (Mateus, 12:1), com o objetivo de mostrar que o amor de caridade tem de sobrepor-se a toda e qualquer lei, pois é maior que a fé (1Coríntios 13:13) e, por isso, tem de sobrepor-se até mesmo ao mandamento do Sábado, pois seus amigos estavam com fome pelas longas caminhadas. Da mesma forma, Jesus citou Davi que, com fome, ele e os seus amigos avançaram e comeram dos pães sagrados do templo, coisa proibida até para o rei, pois em ambos os casos não se poderia transferir a solução para o dia seguinte. Essa é a regra do sábado santo.
    Nesse mesmo preceito, Jesus legitima o sábado mais uma vez: o sábado foi criado pelo Deus Imutável por causa do homem. Portanto, enquanto existir o homem na Terra os sábados terão de ser observados, pelo menos pelos cristãos. E inegavelmente é mais uma Verdade do Senhor Deus que não pode ser contestada por ninguém, e de modo algum!

    Para aquele que julga que todos os dias são de Deus, isso é verdade, mas só um ele elegeu como Um SINAL entre ele e o homem e o único dia que nomeou como Santo e Bendito.

    No arquivo anexado temos um escrito que completa perfeitamente esse presente, de nome O Tratado sobre as leis de Deus, onde nos mostra como o sábado de Deus foi corrompido e porquê.

    Quem precisa de mais que isso para inteirar-se de que O SÁBADO É PARA SEMPRE??? PONTO FINAL!

    http://www.segundoasscrituras.com.br

    O Tratado sobre as leis de Deus Elaborado cuidadosamente, e com todos os detalhes sobre as leis bíblicas, pois nada no Universo funciona sem leis.

    http://www.segundoasescrituras.com.br/livrosword/122pastoresinterpretamerradoacartaaosgalatas.doc O livro de Gálatas é interpretado errado pela maioria evangélica, também pelos pastores e de maior prestígio.

    Waldecy Antonio Simões. walasi@uol.com.br

  4. (
    AS SETE VERDADES BÍBLICAS SOBRE O SÉTIMO DIA.

    Esse escrito é dirigido exclusivamente aos cristãos de todos os seguimentos. Se você for um deles, leia, pois é curto , mas bem interessante.

    A maioria cristã faz uma tremenda confusão a respeito de sábados e domingos. Os cristãos, em minoria, julgam corretamente que o Criador, que nunca muda, jamais aceitaria que uma só de suas leis fundidas nas Rochas Sagradas pudesse ser “lixada” pelos homens, portanto, creem firmemente que o Sábado é o Dia do Senhor. Outra parte considerável crê que Jesus teria revogado todas as dez leis a favor da religião da graça e da liberdade. Uma terceira parte, bem maior, prefere crer que pela ressurreição de Jesus ele teria revogado o Quarto Mandamento a favor do domingo, permanecendo, então, como válidos, os demais mandamentos (nove).

    ONDE ESTÁ, ENTÃO, DE FATO E DE DIREITO, A VERDADE BÍBLICA? Ora, vamos colocá-la aqui, resumidamente, mas de modo tão legítimo, tão cristalino e conclusivo que não dará chance alguma a qualquer refutação, sem se ingressar no farisaísmo religioso (o que é pior do que não ser cristão).

    Vamos às Sete Verdades que não têm como ser desmentidas, pois Está Escrito:

    1) O Mandamento do Sétimo Dia foi instituído na Criação do mundo (Gênesis 2:3), não para o próprio Criador, pois em sua perfeição jamais criaria um Mandamento para si próprio, não tem como e, como Espírito Perfeito jamais se cansa, então o Mandamento do sábado foi criado para o homem, pois ele, sim, necessita de um dia de descanso na semana. O próprio Jesus legitimou isso no Evangelho ao reger:

    “O sábado foi estabelecido por causa do homem, e não o homem por causa do sábado; de sorte que o Filho do homem é, também, o Senhor do sábado”. Jesus Cristo, em Marcos 2:28. Se o Filho de Deus afirmou que o sábado foi criado para o homem, então o sábado foi criado para a Humanidade, assim como os castigos promulgados contra Adão e Eva foram, também, dirigidos à Humanidade.

    Quanto a ser o Senhor do sábado, Jesus também afirmou que é maior que o Templo (Mateus 12:6, maior que Abraão (João 8:57), maior que Jonas (Lucas 11:32), maior que Salomão (Mateus 12:42) e mais importante que Jacó, sem desmerecer qualquer um deles, portanto, também não desmereceu o santo sábado, pois é o Senhor de Tudo, pois está Escrito que Deus lhe deu toda a autoridade sobre tudo o que existe:

    “Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra”. Jesus, em Mateus 28+18,

    2) A maioria evangélica, católicos e ortodoxos julgam, temerariamente, que a Ressurreição de Jesus teria anulado, teria riscado das Rochas de Deus o Mandamento do Sétimo Dia, dando lugar ao primeiro dia da semana, o tal domingo, mas isso é absolutamente impossível, pois não há uma só linha no Evangelho que autorize tal mudança, mesmo porque Está Escrito que Deus Nunca Muda em suas Promulgações à Humanidade:

    “Seca-se a erva, e cai a flor, soprando nela o Espírito do Senhor. Na verdade o povo é erva. Seca-se a erva, e cai a flor, porém a palavra de nosso Deus subsiste eternamente”. Isaías 40:7.

    “Porque toda a carne é como a erva, e toda a glória do homem como a flor da erva. Secou-se a erva, e caiu a sua flor, mas a palavra do Senhor permanece para sempre. E esta é a palavra que entre vós foi evangelizada”. I Pedro 1:24.

    Então, segundo as Escrituras, o sábado é para sempre, e se teria havido mudança a respeito, essa foi criada pelo homem e nunca por Deus. Quanto a isso, num descuido, o clero católico confessa, por escrito, o seu gravíssimo erro ao atentar violentamente contra o Sétimo Dia.:

    “A Igreja de Deus, porém, achou conveniente transferir para o domingo a solene celebração do sábado”. Catecismo católico, Edição2, Editora Vozes, Petrópolis, RJ. 1962.

    3) Uma parte dos cristãos julga que Jesus acabou com as leis a favor da graça e da liberdade, mas Jesus fez tudo exatamente ao contrário, pois legitimou TODAS as leis do Decálogo em sua primeira pregação à Humanidade, no Sermão do Monte e ainda amentou o grau de observação em algumas das 10 leis (Mateus, 5:21 a 32.

    “Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til jamais passará da lei sem que tudo seja cumprido”. Jesus, em Mateus 5:17 a 37. Está Escrito que tudo será cumprido na Consumação dos Séculos, no Grande Dia de Jesus, quando os Portais do Reino de Deus serão abertos aos mortais de Jesus, antes fechados desde Adão e Eva (João 14:1 a 3, como também em 1 Tessalonicenses 4:13 a 17).

    Se Jesus Cristo afirmou que das leis de Deus Pai nem mesmo um simples til se poderá retirar, é absolutamente impossível atentar contra a lei do sábado, pois o Quarto Mandamento contém 80 palavras ou 433 caracteres. E assim, pelo menos até o Grande dia da Volta de Jesus, o sábado é para sempre!

    4) A ampla maioria cristã alega que em sua vida pública Jesus teria violado os sábados ao trabalhar nesse dia, mas quem o acusou de violar os sábados foram os fariseus, os filhos do diabo, assim como Jesus Cristo os nomeou em João 8:44. A respeito dessa acusação dos filhos de Satanás, vamos ver que Jesus respondeu a eles que apenas APARENTAVA que ele desrespeitava os santos sábados:

    “Se o homem recebe a circuncisão no sábado, para que a lei de Moisés não seja quebrantada, indignais-vos contra mim, porque no sábado curei de todo um homem? Não julgueis segundo a aparência, mas julgai segundo a reta justiça”. Jesus, em João 7:23 a 24

    “E, tomando a palavra o príncipe da sinagoga (filho do diabo acusador), indignado porque Jesus curava no sábado, disse à multidão: Seis dias há em que é mister trabalhar; nestes, pois, vinde para serdes curados, e não no dia de sábado. Respondeu-lhe, porém, o Senhor, e disse: Hipócrita, no sábado não desprende da manjedoura cada um de vós o seu boi, ou jumento, e não o leva a beber? E não convinha soltar desta prisão, no dia de sábado, esta filha de Abraão, a qual há dezoito anos Satanás tinha presa?”. Lucas 13:14-16, Jesus revela que o amor de caridade tem preponderância sobre qualquer lei (1 Coríntios 13:13)..

    “E, estava ali um homem que tinha uma das mãos mirrada; e eles (os fariseus do diabo), para o acusarem, o interrogaram, dizendo: É lícito curar nos sábados? E ele lhes disse: Qual dentre vós será o homem que tendo uma ovelha, se num sábado ela cair numa cova, não lançará mão dela, e a levantará? Pois, quanto mais vale um homem do que uma ovelha? É, por consequência, lícito fazer bem nos sábados. Então disse àquele homem: Estende a tua mão. E ele a estendeu, e ficou sã como a outra. E os fariseus, tendo saído, formaram conselho contra ele, para o matarem”. Mateus 12:10-14.

    “E os escribas e fariseus (filhos do diabo) observavam-no, se curaria no sábado, para acharem de que o acusar. Mas ele (Jesus) bem conhecia os seus pensamentos; e disse ao homem que tinha a mão mirrada: Levanta-te, e fica em pé no meio. E, levantando-se ele, ficou em pé. Então Jesus lhes disse: Uma coisa vos hei de perguntar: É lícito nos sábados fazer bem, ou fazer mal? salvar a vida, ou matar? E, olhando para todos em redor, disse ao homem: Estende a tua mão. E ele assim o fez, e a mão lhe foi restituída sã como a outra. E ficaram cheios de furor, e uns com os outros conferenciavam sobre o que fariam a Jesus”. Lucas 6:7-11.

    “E dizia-lhes Jesus: Invalidais o Mandamento de Deus para guardardes a vossa tradição”. Jesus, em Marcos 7:9

    5) O sábado é o ÙNICO Mandamento chamado por Deus de Santo e Bendito e o Único estabelecido como UM SINAL entre ele e a Humanidade: “Santificai os meus sábados, pois servirão de sinal entre mim e vós, para que saibais que eu sou o SENHOR, vosso Deus”. Ezequiel 20:20.

    Ora, se o sábado foi estabelecido por Deus como UM SINAL entre ele e a Humanidade, de modo algum jamais sairá dessa condição divina. Quanto aos que julgam que esse Sinal foi dado apenas aos israelitas, então, nesse caso, nós não podemos nos servir de nenhum livro do Velho Testamento, nem dos Salmos, etc. e nem mesmo de Malaquias, muito usado para legitimar os dízimos. É ou não é? Dois pesos e duas medidas não vale! Além disso, abaixo, no capítulo 7, Está Escrito que nós somos os legítimos herdeiros dos israelitas e que Jesus, de todos nós, fez UM SÓ POVO.

    6) Dizem os sábios que um bom exemplo vale mais que mil palavras. É ou não é? É claro que é! então, vamos ver os vários exemplos de Jesus e de sua Igreja Primitiva santificando os sábados (que valem mais que milhões de palavras) até mesmo décadas após a Ressurreição? Essa parte ANULA completamente as pretensões dos que defendem erradamente o domingo “substituindo” o Sábado Santo, solene e Abençoado do Senhor:

    “E, chegando a Nazaré, onde fora criado, (Jesus) entrou num dia de sábado, segundo o seu costume, na sinagoga, e levantou-se para ler”. Lucas 4:16. Jesus, nos concedendo o exemplo, pois segundo o Mandamento e a Tradição israelita, guardou o sábado por toda a sua vida.

    Antes da ressurreição de Jesus, os cristãos faziam do sábado um dia de louvor, em local sem teto e sem paredes:
    Vejamos a Igreja Cristã aos tempos de Paulo, mesmo depois da ressurreição de Jesus os cristãos de Paulo faziam do sábado um dia de culto e louvor, na Igreja de Deus, sem teto e sem paredes:
    “No dia de sábado, saímos fora da porta, junto ao rio, onde julgávamos haver um lugar de oração; e, assentando-nos, falamos às mulheres que para ali tinham concorrido”. Atos dos Apóstolos 16:13.
    Esse preceito revela, com toda clareza, um culto de louvor aos sábados pelos cristãos. As mulheres cristãs sempre trabalhavam, só não aos sábados. Então, segundo o preceito acima, estavam em dia de descanso, santificando os sábados assim como os homens!

    “No sábado seguinte, concorreu quase toda a cidade para ouvir a palavra de Deus, mas os judeus, vendo aquela concorrência, encheram-se de inveja…”. Atos 13:41 – 44.
    Se os judeus encheram-se de inveja não se tratava de uma reunião judia aos sábados, pois aconteceu ao ar livre, junto a um rio, pois é evidente que, quase toda a cidade não caberia num salão ou num templo, então, está claro que essa reunião, para adoração, no santo dia do Senhor, foi realizada ao ar livre.
    Tratou-se de um culto cristão sem teto, nem paredes, que reuniu quase toda a cidade para louvar no sábado. A Palavra Escrita registrou essas duas revelações e várias outras idênticas colocadas a seguir como veremos, exatamente para revelar-nos que o sábado sempre será o Dia do Senhor, não importa que no catecismo católico, como também na maioria dos seguimentos evangélicos esteja completamente diferente da Proclamação do Deus Imutável

    “E todo o sábado, ensinava na sinagoga, persuadindo tanto judeus como gregos”. Atos 18:4.

    Os defensores do domingo, inventado, argumentam, falsamente, que Paulo comparecia às sinagogas dos judeus aos sábados, porque era nesse dia que podia encontrá-los, mas não é o caso aqui, pois, pela sua tradição, os judeus jamais aceitariam que gentios pagãos – no caso presente os gregos – participassem de cerimônias em seus templos, em simples reuniões e nem mesmo jamais aceitariam permanecer com eles ou com outros pagãos no mesmo ambiente. Sabemos que o santo em vida Paulo não ensinava somente aos judeus, mas principalmente aos demais pagãos. Quanto a isso, se os primeiros cristãos guardavam o sábado mesmo após a ressurreição de Jesus, só isso prova a Grande Mentira do tal domingo, um feito gigantesco de Satanás, segundo o Apocalipse 13:7.

    Em Atos dos Apóstolos, conforme a tradição dos apóstolos de santificarem os sábados, um preceito é usado como referência ao Quarto dos Mandamentos:

    “Então voltaram para Jerusalém, do monte chamado Olival, que dista daquela cidade tanto como a uma jornada de sábado…”. Atos 1:12. Ora, ao se referirem a uma jornada de sábado como exemplo pelos apóstolos de Jesus, é certo que se tratava de um preceito em uso.

    “Orai para que vossa fuga não se dê no inverno, nem no sábado”.
    Jesus Cristo, em Mateus 24:20, ressalta, novamente, a grande importância do sábado (nem no inverno que é muito frio, o que dificultaria a fuga dos inimigos romanos (na terrível carnificina, no massacre contra os judeus nos anos 70, no episódio Masada), nem nos sábados porque é o Dia Santo de Deus, consagrado para descanso e louvor.

    7) Os cristãos, em parte, alegam, altamente equivocados, que o Decálogo do Monte Sinai, no qual o sábado está intrínseco, teria sido dado apenas aos israelitas, e não a nós do Evangelho, por isso, alegam que “nós não temos obrigação de guardar”. Mas vejamos que a Verdade do Evangelho de Deus que nos faz herdeiros dos israelitas:

    “E todos os profetas, a começar por Samuel, assim como todos os que depois falaram, também anunciaram estes dias. Vós sois os filhos dos profetas e da aliança que Deus estabeleceu com vossos pais, dizendo a Abraão: Na tua descendência serão abençoadas todas as nações da Terra”. Atos dos Apóstolos 3:24 – 25. Os herdeiros não herdam apenas as bênçãos, mas também as obrigações.

    Novamente, a Verdade do Evangelho faz dos cristãos e de Israel um só povo:

    “Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos os povos fez um e, derrubando a parede de separação que estava no meio, na sua carne desfez a inimizade, isto é, a lei dos mandamentos que consistia em ordenanças, para criar em si mesmo dos dois um novo homem, fazendo a paz, e pela cruz reconciliar ambos com Deus em um corpo, matando com ela as inimizades. E, vindo, ele evangelizou a paz, a vós que estáveis longe, e aos que estavam perto; porque por ele ambos temos acesso ao Pai em um mesmo Espírito. Assim que já não sois estrangeiros, nem forasteiros, mas concidadãos dos santos, e da família de Deus”. Efésios 2:14 a 19.

    “…na sua carne desfez a inimizade, isto é, a lei dos mandamentos que consistia em ordenanças…”. Esse verso, retirado do preceito acima, nada tem a ver com a derrocada do Decálogo, pois sendo isso impossível, o apóstolo Paulo, sempre dirigido pelo Espírito Santo de Deus, se refere às ordenanças e leis antigas, provindas de Levítico, criadas numa época para regular as ações dos israelitas nos difíceis 40 anos de deserto, mas que de forma alguma tiveram lugar no Evangelho de Jesus. E isso Está Escrito em Lucas 16:16, que revela:

    A lei e os profetas vigoraram até João; desde então é anunciado o reino de Deus, e todo o homem emprega força para entrar nele. E é mais fácil passar o céu e a terra do que cair um til da lei. Lucas 16:16 e 17 Esses dois preceitos nos mostram a derrocada (no Evangelho) das leis que escravizavam, que amaldiçoavam e até poderiam nos matar, se tivessem sido integradas no Evangelho. Em seguida a essas colocações, a Palavra de Deus novamente legitima o Decálogo de Deus (as 10 leis).

    “O sábado foi estabelecido por causa do homem, e não o homem por causa do sábado; de sorte que o Filho do homem é, também, o Senhor do sábado”. Jesus Cristo, em Marcos 2:28, respondendo à irritação dos judeus quando permitiu que seus amigos colhessem espigas (Mateus, 12:1), com o objetivo de mostrar que o amor de caridade tem de sobrepor-se a toda e qualquer lei, pois é maior que a fé (1Coríntios 13:13) e, por isso, tem de sobrepor-se até mesmo ao mandamento do Sábado, pois seus amigos estavam com fome pelas longas caminhadas. Da mesma forma, Jesus citou Davi que, com fome, ele e os seus amigos avançaram e comeram dos pães sagrados do templo, coisa proibida até para o rei, pois em ambos os casos não se poderia transferir a solução para o dia seguinte. Essa é a regra do sábado santo.
    Nesse mesmo preceito, Jesus legitima o sábado mais uma vez: o sábado foi criado pelo Deus Imutável por causa do homem. Portanto, enquanto existir o homem na Terra os sábados terão de ser observados, pelo menos pelos cristãos. E inegavelmente é mais uma Verdade do Senhor Deus que não pode ser contestada por ninguém, e de modo algum!

    Para aquele que julga que todos os dias são de Deus, isso é verdade, mas só um ele elegeu como Um SINAL entre ele e o homem e o único dia que nomeou como Santo e Bendito.

    Quem precisa de mais que isso para inteirar-se de que O SÁBADO É PARA SEMPRE??? PONTO FINAL!

    Waldecy A Simões.

    walasi@uol.com.br

    http://www.segundoasescrituras.com.br Nesse site, temos um escrito que completa perfeitamente esse presente escrito, de nome
    O Tratado sobre as leis de Deus, no qual nos mostra como o sábado de Deus foi corrompido e porquê.

  5. Resolvi Guardar o sábado do Senhor e aconteceu algo sobrenatural

    Já indo para 6 anos descobri através de um servo de Deus e Jesus Cristo o quanto eu era amada por Deus e Jesus, desta forma imediatamente me rendi aos pés de Jesus Cristo e fui batizada através de uma Igreja evangélica pentecostal.
    Desde este dia sou feliz, amo a Deus a cada segundo da minha vida é tanto amor que recebo dele que muitas vezes tenho vontade de gritar mais gritar desesperadamente o nome dele para todos ouvirem.já a alguns anos depois da minha entrega a Deus e Jesus Crito, entrego nas ruas como doação de amor varias bíblias todos os dias antes de começar o meu trabalho em uma empresa.
    Minha Igreja não tem estudo bíblico então eu querendo saber tudo de porque Deus me amava tanto procurei e ouvi falar que a Igreja Adventista do Sétimo dia tinha o melhor estudo bíblico do mundo e que mostrava as verdades direto da Propriá palavra de Deus texto e contexto apenas na bíblia sempre na bíblia e que era tudo sem cobrar nada, DVDs de estudos grátis pelo correio e que melhor ainda tinha um canal de televisão chamado novo tempo na net 184 que dava os ensinos 24 h interruptivos,era tudo o que eu queria .
    Acabei encontrando todas as resposta e hoje depois de um ano de estudos sem sair de casa e sem pagar um centavo descobri toda a verdade da bíblia sagrada sem mascara ou maquiagem, porém, eu apenas não conseguia entender como eu uma pessoa que pensa em Deus 24 horas e o ama tanto a cada segundo deveria obedecer o quarto mandamento que foi escrito pelo próprio dedo de Deus para guardar o sábado e não o domingo, eu entendia que eu já o amava demais todos os dias não precisava de um dia para isso mais que ele já tinha de mim todos os dias.
    A duas semanas, eu , creio que dirigida pelo Espirito Santo, resolvi que iria guardar um sábado para adoração a Deus, sem fazer nada do meu interesse e sim guardar o dia inteiro só fazendo coisas para Deus como ler a bíblia,ouvir louvores,evangelizar pelo Zap, ver vídeos bíblicos, orar a Deus conversando com ele o dia inteiro pois aquele dia seria somente para ele.
    Foi a maior experiencia que tive nestes quase 6 anos que o conheci, comecei a guarda do sábado para o Senhor, eu orei pela manha,comecei a evangelizar pelo Zap, li a bíblia escolhi Ezequiel e depois de 4 ou 5 horas me guardando percebi em mim uma grande alegria desde a hora que eu havia acordado pela manha e percebi que eu não lembrei de meu trabalho na empresa, não lembrei dos meu problemas,parecia que eu não estava aqui na terra eu senti que algo estava me protegendo de tudo na realidade a minha mente só pensava em Deus e Jesus,eu realmente estava com a minha mente limpa de tudo eu me sentia alegre , descansada de tudo do mundo, chorava muito quando percebi que a guarda do sábado não era para Deus e sim era Deus e Jesus Cristo que estavam me guardando, me cuidando com muito amor e carinho pois chorava porque sentia me em outra dimensão, não sou louca e nunca deixei de amar a Deus eu nunca havia recebido esta benção de esquecer de tudo do meu mundo circular. Foi uma experiencia incrível, então descobri que Deus só havia detalhado tanto com seu próprio dedo no quarto mandamento textualizando mais neste mandamento do que nos outros nove porque ele queria realmente que nos os filhos dele entendesse que este mandamento foi criado para que ele pudesse cuidar de nos, colocando- nos no seu colo pois eu senti a verdadeira comunhão com a Trindade algo maravilhoso aconteceu, hoje já estou na guarda do meu segundo sábado e passei a semana toda me preparando, eu contei as horas para chegar na sexta feira no por do sol 7:27 H, agora estou compartilhando este testemunho porque Deus me tocou muito.

    Buscai primeiro o reino dos Céus e outras coisas, vos serao acrescentada.
    A melhor maneira que o homem dispõe para se aperfeiçoar, é aproximar-se de Deus.
    Deus é a lei e o legislador do Universo
    Felizes são os que ouvem a palavra de Deus e a guardam!

    Que a Paz e a Graça do Senhor Jesus Cristo permaneça em sua vida para sempre,Ámen, Ámen e Ámen.

  6. Declarações da Igreja Católica Romana sobre o sábado
    Igreja Católica Apostólica Romana ou Igreja Católica Apostólica Cristã qual das duas devo seguir?
    Alguma vez você já parou para se perguntar “Se Jesus fundou a Igreja Cristã, por que existe a Igreja Romana”? Afinal qual a diferença entre essas duas igrejas? O que mudou entre a Igreja original fundada por Jesus e a Romana vinda +300 anos depois de Cristo?
    Este texto é apenas um resumo do estudo completo com 10 páginas disponível no site http://www.deusfaloucomigo.com.br
    Para ver o vídeo da foto ao lado na integra, procure no site do Youtube pelo vídeo
    “Igreja Romana confirma mudança do Sábado para o Domingo pela sua própria autoridade”
    Abaixo antigas declarações da Igreja Romana esquecidas com tempo, mas que são consideradas válidas até hoje pelos Romanos onde podemos ver que a decisão foi tomada mediante ao erro de se considerar que o “Papa tem a mesma autoridade e poder de Deus”.
    Devo ressaltar que 90% dos Católicos nos dias de hoje não concordam com isso, mas por não conhecerem estes fatos antigos, nunca ouviram falar, por isso continuam cometendo o erro de guardar o domingo como dia sagrado ao invés do Sábado bíblico.
    “Pelo meu divino poder eu aboli o dia do Sábado e te ordeno guardar o primeiro dia da semana”.E todas as nações se ajoelham em reverencia e obediência ao comando da Santa Igreja Católica. (T and Wright CSSR in a Lecture Heart for Kansas em 18 de Fevereiro de 1884).
    A Igreja Católica por 1000 anos antes da existência dos protestantes, pela sua virtuosa missão divina, mudou o dia Sábado para o Domingo.
    (The Catholic Mirror 23 de Setembro de 1893 publicado pelo Cardeal James Gibbons).
    Nos, observamos o domingo, no lugar do sábado por que a Igreja no “Concilio de Nicéa em 325 DC, transferiu a solenidade do 7º dia para o domingo” (Peter Guyrman Os conversos do Catecismo da igreja católica segunda edição 1910 pagina 50)
    • O Papa e Deus são o mesmo, logo ele tem todo o poder nos Céus e na terra” (Papa Pio V, citado em Barclay, Capítulo XXVII, p. 218, “Cities Petrus)
    • Todos os nomes que nas Escrituras se aplicam a Cristo são aplicáveis ao Papa” (Berlamino, “On the Authority of Councils”, liv. 2, cap. 17)
    • “Cuidemos não perder aquela salvação, aquela vida e fôlego os quais tu nos tem dado, pois tu és nosso pastor, tu és nosso médico, tu és nosso governador, tu és nosso esposo, finalmente tu és outro Deus, sobre a terra” (Quinto Concílio, Sessão IV, ano 1512; Do Latim em Mansi SC, Vol. 32, col. 761 – também citado em A História dos Concílios, vol. XIV, col 109, por Labbe e Cossart)
    • “O Papa tem poder para mudar os tempos, ab-rogar leis e dispensar todas as coisas, mesmo os preceitos de Cristo” (Decretal de Translat, Episcopcap. 6)
    • “O Papa é de tão grande autoridade e poder que pode modificar, explicar ou interpretar mesmo as leis divinas… O Papa pode modificar as leis divinas visto seu poder não provir dos homens, mas de Deus, e age como vigário do Filho de Deus na Terra, com o mais amplo poder de ligar e desligar o rebanho” (Extraí¬do de “Prompta Bilbiotheca”, publicado em Roma, em 1900)
    • Enciclopédia Wikipédia: Vicarius Filii Dei = Vigário de Cristo (em latim Vicarius Christi) Um vigário é um servo que representa um superior, administrando a posição detida no lugar do verdadeiro soberano;
    • “A vontade do Papa representa a razão. Ele pode dispensar a lei, e fazer do errado, direito, por meio de correções e mudanças das leis” (Papa Nicolau, em seu discurso de n° 96).
    • “Portanto, não te maravilhes si está em meu poder mudar tempo e tempos, alterar e mudar a lei, dispensar todas as cousas, sim, os próprios preceitos de Cristo. Papa Nicolau, escrevendo aos bispos de França, que puxem pelas espadas materiais” (Papa Nicolau, em seu discurso de n° 96; Extraído de “Decretal de Translat, Episcop”, cap. 6)
    • “O Domingo é a nossa MARCA de autoridade… A Igreja (de Roma) está acima da Bíblia; e esta transferência da observância do Sábado para o Domingo é a prova desse fato.” (Catholic Record, 1 de Setembro de 1923.)
    • “Podeis ler a Bíblia do Gênesis ao Apocalipse, e não encontrareis uma única linha que autorize a santificação do domingo. As Escrituras ordenam a observância religiosa do sábado, dia que nós nunca santificamos.” Cardeal James Gibbons, – (The Faith of Our Fathers, pág 111)
    • “O Domingo é uma instituição católica, e sua observância só pode ser defendida por princípios católicos. Do princípio ao fim das Escrituras não é possível encontrar uma única passagem que autorize a mudança do culto semanal, do último para o primeiro dia da semana.”(Catholic Press, 25/08/1900)
    • “Ridícula e embaraçosa seria a situação dos Protestantes se devessem eles justificar, pelas Escrituras, toda a sua doutrina. Haja vista o só caso da santificação do domingo. Se nos ativermos somente às Escrituras, o ‘dia do Senhor’ que deve ser santificado é o sábado, tanto no Velho como no Novo Testamento, e em nenhum lugar da Bíblia consta que esse dia houvesse sido substituído pelo domingo.
    Logo, repitamos com os Adventistas do 7º dia: se os protestantes se fiam só nas Escrituras, que santifiquem o sábado; se quiserem celebrar o domingo é porque reconhecem a autoridade da Igreja Católica Romana, que foi ela quem fez essa mudança; portanto, abracem essa Igreja!”
    • (Dr. Emílio José Salim (Em seu livro “Ciência e Religião”, Ed. Vozes, 1950, vol. 2, Nota de Rodapé – pág. 14)
    • “Foi a Igreja Católica que, por autoridade de Jesus Cristo, transferiu esse descanso para o domingo, em memória da ressurreição de nosso Senhor: de modo que a observância do domingo pelos protestantes é uma homenagem que prestam, independentemente de sua vontade, à autoridade da Igreja.” “Monitor Paroquial”, 26/08/1926, Socorro, SP, ano I, nº. 8.
    • O Cardeal Maida, Arcebispo de Detroit, EUA, observa: “O dia santo foi mudado do sábado para o domingo… não em virtude de qualquer instrução dada pelas Escrituras, mas por causa do sentimento de poder da própria igreja (Católica). (…) As pessoas que pensam que as escrituras deveriam ser a única autoridade, deveriam logicamente se tornar Adventistas do Sétimo Dia, e santificar o sábado.” (Em “St. Catherine Catholic Church Sentinel”, Algonac, Michigan, EUA, 21 de maio de 1995.)
    • “A Igreja (Católica) mudou a observância do sábado para o domingo pelo direito divino e a autoridade infalível concedida a ela pelo seu fundador, Jesus Cristo. O protestante, propondo a Bíblia como seu único guia de fé, não tem razão para observar o domingo. Nessa questão, os Adventistas do Sétimo Dia são os únicos protestantes coerentes.” (Declara o “Boletim Católico Universal”: P. 4, de 14 de agosto de 1942.)
    • “Já que o Sábado, e não o domingo, é especificado na Bíblia, não é curioso que os protestantes, que professam extrair da Bíblia a sua religião, observem o domingo ao invés do Sábado. Sim, é claro, não faz sentido, mas a mudança foi feita cerca de quinze séculos antes do protestantismo nascer. Eles continuaram a obedecer a este costume [TRADIÇÃO], embora esteja baseado na autoridade da Igreja Católica e não num texto explícito da Bíblia. Esta observância continua como uma lembrança da Igreja-Mãe da qual os protestantes se desligaram, como um garoto que foge de sua mãe mas ainda carrega em seu bolso uma foto ou um cacho de cabelos de sua mãe”. (Reverendo John O’Brian, A Fé de Milhões, págs. 421-422.)
    • Também declaramos que de todos os protestantes, os adventistas do sétimo dia constituem o único grupo que raciocina corretamente e é coerente com seus ensinos. É sempre um bocado engraçado ver igrejas protestantes, em púlpitos e legislaturas, requerendo a observância do domingo, sobre a qual nada consta na Bíblia. – (Peter R. Tramer, Editor da Revista Católica. )
    “Foi a Igreja (Católica) que… transferiu este repouso (do sábado bíblico) para o domingo… Então, a observância do domingo pelos protestantes é uma homenagem que, contra si mesmos, rendem à autoridade da Igreja Católica.” (Plan Talk the Protestantism of Today”, Monsenhor Louis Segur P. 213.
    • “Talvez a coisa mais ousada, a mudança mais revolucionária, que a Igreja já fez aconteceu no primeiro século. O dia sagrado, o Sábado, foi mudado de Sábado para domingo… Não por alguma ordem encontrada nas Escrituras, mas pelo sentido do próprio poder da Igreja. As pessoas que acham que as Escrituras devem ser a única autoridade deveriam, logicamente, tornar-se Adventistas do Sétimo Dia e guardarem o Sábado sagrado”. (Reitoria de Santa Catarina, Norte de Michigan, EUA, Jornal da Paróquia de 21/05/95. )

  7. Olá amigos

    A expressão ” primeiro dia da semana ” aparece 7 vezes. Isso signifca que foi usado o número 7 justamente para indicar claramente a abolição do Sábado ou seja as 7 vezes substituiram o sétimo dia.

    Um grande abraço

    Luiz

    • Só por que vc não quer enxergar a verdade, não te provem a mesma. Quem toma veneno sem saber também morre.
      Jesus afirma no evangelho de Mateus 5:17 “NÃO VIM PARA ABOLIR A LEI DO EVANGELHO, NEM UMA SÓ LETRA DO MANDAMENTO DE MEU PAI.”

      VCs não sabem ler??????????????????

  8. Prezados amigos, paz no Senhor Jesus.

    Enquanto alguns discutem as escrituras o Diabo fica dando as cartas, vejam Mt 25,31-46, sigam somente isso e verão, não precisa ser doutor nas escrituras, sigam meus irmãos essa passagem do evangelho. Paz e Luz no Senhor Jesus.

    • Leia Isaías 56 e note que o grande YHVH que é o mesmo de ontem hoje é eternamente nunca mudou um J ou til das sagradas escrituras, mas os romanos que mataram o filho de Deus e perseguiram e mataram seus discípulos, tenta mudar as escrituras sagradas de toda forma. Veja também em Deuteronômio 9:10 que o Deus de Abraão, Isaque e Jacob, cuidou de escrever suas leis com seu próprio dedo, por isso ela é imutável, e jamais pode ser mudada por homem algum. Mas em Daniel 7:25 está dizendo oque seria feito com sua palavra e leis.; em Mateus 5: 17, 18, 19 Jesus disse que veio cumprir a lei de Deus, e o Sábado está contido na lei. Lembre que o império romano tentou esconder as escrituras por alguns séculos, e até hoje, através da igreja católica, ensina o engano e desvia o ser humano da verdade, onde está escrito que o dia de descanso criado pelo Eterno foi mudado para o Domingo?

      • Olá a todos

        A expressão ” primeiro dia da semana” ocorre 7 vezes isso indica que é exatamente o número de dias da semana e o significado é que como são 7 dias e lembra Sábado( 7º dia) indica que o Sábado foi substituido pelo Santo Domingo.

        E Jesus ressucitou no Santo Domingo.

        O dia da descida do Espírito Santo foi num Santo Domingo.

        Um abraço

        Luiz

  9. MARIA É COROADA COM 12 ESTRELAS
    “… e na cabeça uma coroa de doze estrelas ”
    (Ap 12, 1)
    NOTAS:
    /
    No Apocalipse, a coroa é uma coroa de vida e imortalidade (Ap 2, 11).
    /
    A coroa é também um símbolo de triunfo, vitória, como pode ser visto de uma forma geral, no Novo Testamento.
    //
    E no Apocalipse, em particular.
    NOTE QUE:
    Estas conotações se encaixar perfeitamente com todas as outras referências para a vitória de Cristo ressuscitado no livro do Apocalipse e neste capítulo particular.
    /
    VEJA:
    Antes de dar-nos a ver o fiel e verdadeiro Cristo, o Rei dos reis e Senhor dos senhores (Apocalipse 17, 14 e Ap 19, 16), É tão nítido que o Apocalipse nos permite ver o que gera, uma mulher coroada também.
    //
    E MAIS…
    O anel é formado de doze estrelas.
    /
    Agora saiba que o número “DOZE” refere-se aos doze apóstolos do Cordeiro (Ap 21, 14).
    /
    Simbolismo “doze estrelas” que não se encontram apenas uma vez na Bíblia, quando o patriarca Jose diz que teve um sonho o sol, a lua e onze estrelas se curvando-se diante dele, o sol e a lua representam o pai e a mãe de José e as onze estrelas simbolizam seus irmãos (Gênesis 37: 9).
    //
    Doze estrelas simbolizam os doze filho de Jacó, as doze tribos de Israel. O que poderia ser o significado deste lembrete das doze tribos de Israel?
    //
    AGORA…

    A coroa de doze estrelas que se refere à mulher como o antigo Israel?
    A mulher pode designar profetas de Israel que dá à luz o Messias”.
    //
    Mas a mulher também significa “Maria e a Igreja. ”
    //
    De fato, é” vestida de sol “(Ap 12, 1), um sol no contexto do Apocalipse refere-se a Cristo ressuscitado (Ap 1, 16).
    //
    POR ISSO…

    Devemos considerar, portanto, que esta mulher é antigo Israel que acreditava em Cristo, a Igreja hebraico, judaico-cristã, após as doze tribos?
    //
    VEJA QUE…
    Esta interpretação é muito estreita: Esta mulher está vestida com o sol, o sol do Ressuscitado, que está no meio das sete igrejas que estão não só judaico-cristã (Ap 1-2). O filho da mulher também são “os que guardam os mandamentos [grego: ‘entole]” (Ap 12, 17), expressão encontrada exatamente Ap 14, 12 onde se refere aos crentes “de todas as nações “(Ap 14, 6), e não apenas a partir dos 144.000 judeus (Ap 14, 1).
    //

    Será que isso significa que a Igreja e Maria será coroada pelas doze tribos, ou seja, amado por todos Israel?
    Esta visão não pode corresponder ao presente autor. Mas a lua está sob os pés de visão da mulher transcende os séculos de duração.
    //
    É por isso que, como São Paulo deseja que todo o Israel será salvo e não tenho nenhuma dúvida de que esse processo está em andamento (Rm 11, 26), e o autor do Apocalipse pode prever o dia em que todos Israel “coroa” da Igreja ou Maria.
    //

    Esta coroa de doze estrelas que ele quer dizer a Igreja e Maria cumprindo as profecias da coligação de doze tribos de vezes profecias por Cristo em um sentido universal, para trazer todos os homens?
    //
    VEJA QUE…
    Esta interpretação se encaixa bem com todo o livro do Apocalipse, que não é apenas interessados no destino de Jerusalém e da Igreja atrás dela, mas no destino do mundo.
    //
    No corpus joanino, esta interpretação também se encaixa bem com Maria no Calvário acolhe o filho de Deus que Jesus traz através da sua morte na cruz (Jo 11,51-52) – o filho de Deus, que não são apenas os exilados de Israel, mas todos os homens.

    ________________________________________

  10. caro amigo Edmilson!

    esse seu comentário, não teve o menor respaldo bíblico ou mesmo histórico sobre o assunto em questão, isso só prova o fato de você sendo católico não saber a historia de sua própria igreja. fora o fato de você não ter introduzido dentro de sua explicação o que o caro adventista escreveu!

    • Olá amigos

      O Dia de Pentecostes em Atos 2 foi num Domingo ou numa Segunda-feira? Se o Dia de Pentecostes são 50 dias após ou depois da Páscoa então o dia da Páscoa não estaria incluso na contagem e sendo assim o dia de Pentecostes não cairia numa Segunda-feira ?Ou seja terminado o Dia da Páscoa ai começaria a contar 50 dias.

      um abraço

      Luiz

  11. AMIGOS CATÓLICOS VEJA ESSA REFUTAÇÃO QUE EU FIZ CONTRA UM HEREGE DA ADVENTISTA
    SAIBAM QUE O DOMINGO É UM NOME BÍBLICO CRIADO POR SÃO JOÃO.

    W. FRANK O DOMINGO – O DIA QUE O SENHOR FEZ!
    ////////
    VEJA:

    “Este é o dia que o Senhor fez; regozijemo-nos e alegremo-nos nele”
    (Sl 118.24)

    //////////////

    Olha W. Frank veja o domingo, no Novo Testamento, ele é chamado de ‘O dia do Senhor’. Agora em latim, dominica die, de onde deriva seu nome nas línguas neolatinas, por exemplo: no espanhol, ‘domingo’; no italiano, ‘domenica’; e no francês, ‘dimanche’, faladas por cerca de 400 milhões de pessoas”.
    ///////////////
    E MAIS W. FRANK:

    O domingo é um vocábulo exclusivo do cristianismo. Olha herege entenda que essa palavra, bem como as suas análogas, não existia em nenhuma língua do mundo até o final do século 1o, quando o apóstolo João criou a expressão grega: KURIAKH ‛mera (KYRIAKE HEMERA), vertida para o latim como: dominica die.
    ////////////////////
    E VAI MAIS W. FRANK:

    Os antigos documentos da Igreja primitiva, transcritos para o russo, relatam que João, encarcerado na ilha de Patmos, chorava muito ao chegar o primeiro dia da semana, ao lembra-se das uniões para a Ceia do Senhor, celebrada sempre nesse dia: “No primeiro dia da semana, ajuntando-se os discípulos para partir o pão…” (At 20.7). E foi justamente em um “primeiro dia da semana” que Jesus, ressuscitado, lhe apareceu e lhe revelou os maravilhosos eventos do Apocalipse (Ap 1.10).
    //////////////////////
    Certamente que todo o livro não foi elaborado naquele mesmo dia. Mas W. Frank o fato indiscutível é que Jesus apareceu a João exatamente no “primeiro dia da semana”.
    Isso explica porque a Ucrânia e a Rússia trocaram os nomes do primeiro dia da semana, que entre os pagãos era chamado “dia do sol”, por uma expressão tão ou mais significativa do que aquela adotada nos países de línguas neolatinas.
    //////////
    Lemos na Bíblia ucraniana João afirmando que foi arrebatado no “dia da ressurreição” (DIEN VOSCRECII). De igual modo, na Bíblia russa também lemos: “Eu fui arrebatado em espírito, no dia da ressurreição”. Aliás, na língua russa, todos os dias da semana ficaram subordinados ao dia da ressurreição! Por exemplo: segunda-feira, em russo, é (PONDIELNIK) (“o dia após a ressurreição”); terça-feira, ( VOFTORNIK) (“o segundo dia após a ressurreição”); quarta-feira, (SREDA) (“terceiro dia após a ressurreição”), e assim por diante.
    ////////////

    E NOTE W. FRANK
    Vale realçar que o apóstolo João, ao frisar o dia da semana em que Jesus lhe apareceu, criou uma nova expressão na língua grega: KURIAKH HMERA (KYRIAKE HEMERA). Expressão esta que deu origem à palavra “domingo”, conforme explanaremos a seguir. Mas antes de continuarmos, para melhor compreensão da minha refutação nos seus fracos argumentos, recorrerei aqui à etimologia, que nos revelará a origem das palavras, o seu desenvolvimento histórico e as possíveis mudanças de seu significado.
    /////////////

    W. Frank vejamos agora alguns exemplos de como as palavras evoluem:

    •A palavra “efeméride” provém de dois termos gregos: EPI (“sobre”) E´HE HEMERA´, que significa “dia”, de onde veio também o adjetivo efêmero, ou seja, “o que é breve, transitório, passageiro”.
    /////////

    •Agora W. Frank a palavra “castigar” provém do latim: castus (“irrepreensível”, “puro”, “fiel”) + agere (“fazer”). Temos um emprego bíblico neste sentido quando o escritor aos hebreus declara que Deus “castiga a quem ama” com a finalidade de nos tornar puros e fiéis a Ele (Hb 12.6).
    /////////////

    •Agora W. Frank as palavras “mouco” (ou surdo) e “domingo” possuem também sua origem num texto de João. Vejamos: “Então Simão Pedro, que tinha espada, desembainhou-a, e feriu o servo do sumo sacerdote, cortando-lhe a orelha direita. E o nome do servo era Malco” (Jo 18.10). Malcus, do latim, deu origem à palavra “mouco”, em português, significando aquele que não ouve, ou que ouve pouco ou mal; surdo.
    ///////////////////////

    Agora W. Frank analisemos, Apocalipse 1.10 à luz do original grego, da etimologia, da hermenêutica bíblica, da história e dos escritos patrísticos.
    ////////////

    Eis o que os mais abalizados biblicistas afirmam sobre a expressão joanina: KYRIAKE HEMERA:
    //

    “Temos aqui a palavra( KYRIAKOS) , em um sentido adjetivado, isto é, “pertencente ao Senhor”. Originalmente, esta palavra era usada com o sentido imperial, como algo que pertencia ao César romano. ‘Os crentes primitivos […] aplicaram-na ao domingo, o primeiro dia da semana’. Esse é o uso que se encontra em Didaché 14 e Inácio, Magn. 9, que foram escritos não muito depois do Apocalipse”.
    ////////////////////////
    AGORA W. FRANK ENTENDA QUE…
    “‘O dia do Senhor’, em Apocalipse 1.10, é tido pela maioria dos autores como o domingo”.
    POR ISSO
    “O primeiro dia da semana é, sem dúvida. ‘o dia do Senhor’, referido em Apocalipse 1.10”.
    //

    A frase: ‘O dia do Senhor’,( KURIAKH)´MERA (KYRIAKE HEMERA), ocorre uma só vez, e isto se dá no último livro. Apocalipse 1.10 […]que expressava a convicção de que o domingo era o dia da ressurreição, quando Cristo Jesus conquistou a morte e se tornou Senhor de todos” (Ef 1.20-22;).
    //
    AGORA HEREGE W. FRANK

    Nem mesmo no texto grego da Septuaginta encontramos a expressão (KURIAKH´MERA) criada pelo apóstolo João para aludir ao dia da ressurreição! Pois a expressão hebraica “dia do Senhor” sempre foi vertida para o grego como ‛ (HEMERA TOU KYRIOU).
    //
    Mas o que João escreveu foi (KURIAKH ‛MERA). Por que João teria usado uma expressão jamais encontrada em qualquer outro escrito, sagrado ou profano? Cremos que pelas seguintes razões:

    1) Para indicar algo também inédito na história da humanidade: a ressurreição de Cristo.
    ////////////

    2) E mais W. Frank para deixar bem claro que se referia ao dia da ressurreição, o domingo, e não aos eventos escatológicos da segunda vinda de Cristo, a (PARUSIA), que também é chamada “dia do Senhor”, como nestes versículos:
    /////////

    a) “O sol se converterá em trevas, e a lua, em sangue, antes de chegar o grande e glorioso dia do Senhor” (At
    2.20).
    /////

    b) “… Seja entregue para destruição da carne, para que o espírito seja salvo no dia do Senhor” (1Co 5.5).
    /////

    c) “Porque vós mesmos sabeis muito bem que o dia do Senhor virá como o ladrão de noite” (1Ts 5.2).
    //////
    d) “Mas o dia do Senhor virá como o ladrão de noite” (2Pe 3.10).
    /////

    Note W. Frank que há uma significativa diferença entre a expressão “dia do Senhor”, alusiva à segunda vinda de Cristo, e a expressão que encontramos escrita em Apocalipse 1.10, “dia do Senhor”, referindo-se ao dia da ressurreição.
    W. FRANK NOTE TAMBÉM QUE:

    (KYRIAKOS é uma forma adjetivada da palavra KURIO V (KÝRIOS – SENHOR)
    e significa literal e exatamente: “que diz respeito ao Senhor”; “concernente ao Senhor”; “pertencente ao Senhor”; “senhorial”, ou “dominical”, e não “do Senhor”, como lemos em algumas das nossas traduções.
    ///////////
    VEJA W. FRANK

    Que a tradução literal de Apocalipse 1.10 seria: “Eu fui arrebatado pelo espírito no dia senhorial”. Mas este adjetivo, “senhorial”, derivado do termo “senhor”, raramente é usado. O seu sinônimo é “dominical”, porque o português é uma língua neolatina. “Senhor”, em latim, é Dominus. Assim, quando dizemos Dom Pedro II ou Dom Evaristo Arns, estamos abreviando a palavra Dominus, para dizer: Senhor Pedro II, Senhor Evaristo Arns. O mesmo processo etimológico acontece com o adjetivo “popular”. Quando algo pertence ao povo, não dizemos “ POVOAL”, mas “popular”, porque, em latim, POPULUS, significa “povo”.
    //////

    Por isso acertadamente, Jerônimo verteu (KURIAKH ‛MERA)
    (KYRIAKE HEMERA ) para a Vulgata Latina como Dominica die (“dia dominical”, “domingo”) e não como dia DOMINI (“dia do Senhor”). Veja:

    “Fui in spiritu in dominica die et audivi post me vocem magnam tamquam tubae”(Ap 2.10).
    //
    FUI IN SPIRITU IN DOMINICA DIE ET AUDIVI POST ME VOCEM MAGNAM TAMQUAM TUBAE”(AP 2.10) .
    /////

    Daí, a clássica versão de Antônio Pereira de Figueiredo traduzir: “Eu fui arrebatado em espírito hum dia de domingo, e ouvi por detrás de mim (HUMA) grande voz, como de trombeta” (1819).
    /////

    AGORA HEREGE W. FRANK VOU TI MOSTRAR UM POUQUINHO DE PATRÍSTICA COM TESTEMUNHAS OCULARES.
    VEJA QUI ALGUNS DOCUMENTOS ANTES DE CONSTANTINO TER NASCIDO!

    Leia esses documentos escritos nos três primeiros séculos, muito antes de Constantino existir (280-337), adotaram e conservam, todos eles, a mesma expressão concebida pelo apóstolo João para referir-se ao glorioso dia da ressurreição de Jesus Cristo.

    Século 1º: O ensino dos apóstolos

    Possivelmente, contemporâneo do Apocalipse: “E no dia do Senhor (KYRIAKE HEMERA), congregai-vos para partir o pão e dai graças”.
    ///////////////

    Século 2º : Escritos de Melito de Sardes

    Olha W. Frank entenda que nestes escritos, há um tratado sobre a adoração no domingo, intitulado: (PERI KYRIAKES) (acerca do dia dominical), “dia do Senhor”, isto é, “domingo”.
    ///////////////////

    Agora W. Frank veja que no ano 111:Existe a epístola de Inácio aos magnesianos
    VEJA:

    “Porque se no dia de hoje vivermos segundo a maneira do judaísmo, confessamos que não temos recebido a graça […] Assim pois, os que haviam andado em práticas antigas alcançaram uma nova esperança, já sem observar os sábados, porém modelando suas vidas segundo o ‘dia do Senhor’ (KYRIAKEN ZONTES)”.
    ///////////
    AGORA W. FRANK
    Ano 130: O “evangelho de Pedro”

    É um documento histórico comprovadamente escrito no princípio do século 2o, e também se refere ao dia da ressurreição usando o mesmo adjetivo (KYRIAKES), que, na edição de Jorge Luís Borges, é traduzido corretamente por “domingo”.
    ///////////////
    AGORA W. FRANK
    Ano 132, ou antes: Epístola de Barnabé

    “Portanto, também nós guardamos o oitavo dia ( KYRIAKE HEMERA), ‘domingo’) para nos alegrarmos em que também Jesus se levantou dentre os mortos e, havendo sido manifestado, ascendeu aos céus”.
    ///////////////
    AGORA W. FRANK NO ANO
    150—168: Justino Mártir, Eusébio, Clemente de Alexandria

    São escritores dos séculos 2º e 3º, e todos eles também adotaram o (KYRIAKE HEMERA)criado por João para o “dia da ressurreição”, vertido para o latim como Domínica die (“dia dominical”) e passado para o português como “domingo”!

    AGORA W. FRANK VEJA A SINGULARIDADE DO NOME DOMINGO!

    “E Jesus, tendo ressuscitado na manhã do primeiro dia da semana…” (Mc 16.9).
    ////////
    Alguns alegam que a palavra “domingo” não consta na Bíblia. É verdade. Não encontramos nos textos originais a palavra portuguesa “domingo”, como também não encontramos as palavras: Deus, casa, livro, amor ou sábado, mas, sim, as suas correspondentes nas línguas hebraica, aramaica ou grega.
    ///////////////
    E MAIS W. FRANK O NOME…

    Domingo é a tradução literal da expressão criada pelo apóstolo João: (KURIAKH´MERA) / (KYRIAKE HEMERA), vertida para o latim como Domínica die e corretamente traduzida em todas as versões da Vulgata para as línguas neolatinas como (DOMINU LUI) , domingo, mingo, (DOMENICA DIMANCHE), e outros nomes semelhantes no galego, no provençal, no franco-provençal, no romeno, no reto-romano, no sardo e no dalmático, faladas por mais de 400.000 000 de pessoas!
    ///////////
    E MAIS W. FRANK
    As seguintes traduções: de Antônio Pereira de Figueiredo, do Centro Bíblico Católico, dos Monges de Maredsous, de João José Pedreira de Castro, do dr. José Basílio Pereira, do Mons. Vicente Zioni e Matos Soares, bem como qualquer outra versão do Novo Testamento para o português ou para o espanhol, feita da Vulgata Latina, trazem em Apocalipse 1.10 a palavra “domingo”.
    ///////////////////
    ENTENDA PIADISTA HEREGE W. FRANK QUE O NOME…

    Domingo não é um nome importado do paganismo, como (SATURDY) (“dia de Saturno”), nem do judaísmo, como (SHABATH) (“descanso”).
    //////////////////

    Domingo não é dia comemorativo da criação do mundo nem da libertação do povo de Israel, tampouco dia de descanso, pasmaceira, televisão, futebol, pescarias, clubes ou jogatina.
    ////////
    W. FRANK
    Domingo é dia de oração, de adoração, dia de cultuarmos a Deus, dia de atividade espiritual, como evangelismo, visita aos necessitados, aos encarcerados ou enfermos!

    Domingo é o nome de um dia exclusivo do cristianismo, criado por João para caracterizar e distinguir o dia da vitória de Jesus sobre a morte, consumando a libertação de toda a humanidade.

    Domingo é o dia aclamado por Davi, em sua jubilosa profecia sobre o dia da ressurreição: “Esta é a porta do SENHOR, pela qual os justos entrarão. Louvar-te-ei, pois me escutaste, e te fizeste a minha salvação. A pedra que os edificadores rejeitaram tornou-se a cabeça da esquina. Da parte do SENHOR se fez isto; maravilhoso é aos nossos olhos. Este é o dia que fez o SENHOR; regozijemo-nos, e alegremo-nos nele” (Sl 118.20-24).

    Observe agora W. Frank a exatidão do cumprimento de cada sentença, de cada afirmação, de cada palavra desta impressionante profecia escrita por volta de mil anos antes de Jesus nascer.

    Esta é a porta

    “Eu sou a porta; se alguém entrar por mim, salvar-se-á, e entrará, e sairá, e achará pastagens” (Jo 10.9).
    ///

    “Tendo sido, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo” (Rm 5.1).
    ///

    “Porque por ele ambos temos acesso ao Pai em um mesmo Espírito” (Ef 2.18).
    ///

    A pedra

    “Ele é a pedra que foi rejeitada por vós, os edificadores, a qual foi posta por cabeça de esquina” (At 4.11).

    W. Frank você sabe né que os edificadores rejeitaram

    “Diz-lhes Jesus: Nunca lestes nas Escrituras: A pedra, que os edificadores rejeitaram, essa foi posta por cabeça do ângulo; pelo Senhor foi feito isto, e é maravilhoso aos nossos olhos? Portanto, eu vos digo que o reino de Deus vos será tirado, e será dado a uma nação que dê os seus frutos” (Mt 21.42,43).
    ///

    Da parte do Senhor se fez isto

    “O Deus de nossos pais ressuscitou a Jesus, ao qual vós matastes, suspendendo-o no madeiro” (At 5.30).
    ///

    Maravilhoso é aos nossos olhos

    “Ao qual Deus ressuscitou, soltas as ânsias da morte, pois não era possível que fosse retido por ela” (At 2.24).
    ///

    Este é o dia que fez o SENHOR

    “E, no fim do sábado, quando já despontava o primeiro dia da semana, Maria Madalena e a outra Maria foram ver o sepulcro” (Mt 28.1).
    ///

    “E, no primeiro dia da semana, foram ao sepulcro, de manhã cedo, ao nascer do sol” (Mt 16.2).
    ///

    “E no primeiro dia da semana, muito de madrugada, foram elas ao sepulcro, levando as especiarias que tinham preparado, e algumas outras com elas” (Lc 24.1).
    ///

    “E no primeiro dia da semana, Maria Madalena foi ao sepulcro de madrugada, sendo ainda escuro, e viu a pedra tirada do sepulcro” (Jo 20.1).
    ///

    “Chegada, pois, a tarde daquele dia, o primeiro da semana, e cerradas as portas onde os discípulos, com medo dos judeus, se tinham ajuntado, chegou Jesus, e pôs-se no meio, e disse-lhes: Paz seja convosco” (Jo 20.19).
    ///

    “E no primeiro dia da semana, ajuntando-se os discípulos para partir o pão, Paulo, que havia de partir no dia seguinte, falava com eles; e prolongou a prática até a meia-noite” (At 20.7).
    ///

    “No primeiro dia da semana cada um de vós ponha de parte o que puder ajuntar, conforme a sua prosperidade, para que não se façam as coletas quando eu chegar (1Co 16.2).
    ///

    Regozijemo-nos, e alegremo-nos nele

    “Assim também vós agora, na verdade, tendes tristeza; mas outra vez vos verei, e o vosso coração se alegrará, e a vossa alegria ninguém vo-la tirará” (Jo 16.22).
    ///

    “Regozijai-vos sempre” (1Ts 5.16).
    ///

    “Regozijai-vos sempre no Senhor; outra vez digo, regozijai-vos” (Fp 4.4).
    ///
    POIS É W. FRANK O SEU PROBLEMA É QUE VOCÊ SE TORNOU RACIONALISTA POR ISSO VOCÊ TEM MEDO DE ESTUDAR A PATRÍSTICA OLHA W. FRANK VOCÊ É TÃO INOCENTE QUE SE EXISTISSE MESMO MENTIRAS E FARSAS NA IGREJA CATÓLICA
    ELA MESMA ADULTERARIA A BÍBLIA E COLOCARIA O QUE BEM ENTENDESSE!
    POIS FOI OS BISPOS DA IGREJA QUE SELECIONOU A BÍBLIA FICARAM VÁRAS CARTAS DOS APOSTÓLOS DE FORA .
    VOU TI DA ESSAS FONTES OK
    QUEM SABE DE HOJE EM DIANTE VOCÊ COMEÇARÁ A IR NAS ORIGENS DOS FATOS.
    ///

    Notas:

    Enciclopédia Encarta 99. 1993-1998 Microsoft Corporation, sobre o verbete: domingo.
    Patrísticos. Escritos dos proeminentes líderes cristãos dos primeiros séculos, também chamados “pais da Igreja”.
    Enciclopédia de Bíblia Teologia e Filosofia. Editora e distribuidora Candeia, 1991, vol. 2, p. 213.
    HENRY Mattthew. Comentário Bíblico. Editorial Clie (Barcelona),1999, p.1924-c
    PETTINGILL William D.D. Bible Questions Answered, p.177. “The first day of the week is doubtless ‘the Lord’s day’ refereed to in Ap 1.10”. Zondervan Publishing House, Ninth Printing, Michigan, 1974.
    ELWELL A. Walter. Enciclopédia Histórica Teológica da Igreja Cristã. Soc. Religiosa Edições Vida Nova, 1988.
    Septuaginta, Versão dos LXX, ou Alexandrina, é uma tradução do antigo testamento hebraico grego.

    • Isso é o que chamo de trabalho perdido! Pois o indivíduo faz esse esforço todo para tentar mostrar no latim, o que a palavra domingo significa. Meu amigo “dia do Senhor”, nem no hebraico e nem no grego significa “domingo” ou “primeiro dia da semana”. Os textos bíblicos originais são hebraico e grego e não em latim.
      Assista ao video que o Vinicios postou logo acima e você terá um melhor esclarecimento dos fatos.

      Que Deus te abençoe!

    • Esqueçam este latim maldito, os padres rezavam as missas em latim, pra deixar o povo confundido e mais burro que já era. Assim ficava fácil saquear o povo e enriquecerem com as indulgências, pois os cardeais cobravam preço alto pra darem o perdão pra quem fosse pedir perdão, mas quem colocava o pecado nos lombos do povo era a própria igreja, por isso o Vaticano eh cheio de riquezas, de tanto saquear os fiéis da idade média , e quem tentasse ensinar ao contrário era queimado vivo ou enforcado, os discípulos de Jesus que o diga!!!!!

  12. O que posso fazer por essas pessoas e ora e pedir que o Espirito santo lhe quie na verdade, nao distoçam a palavra de Deus amigos. Olha a advertencia que paulo nos da em Gl. 1:8- mas, ainda que nos ou mesmo um anjo vindo do ceu vos pregue evangelho que va alem do que vos temos pregado, seja anatema. (amaldiçoado). Olha Ap. 22:18,19. Eu, a todo aquele que ouve as palavras da profecia desde livro, testifico: se alguem lhes fizer qualquer ácrescimo , Deus lhe acrescentara os flagelos escritos neste livro.e. Se alguem tirar qualque coisa das palavras do livro desta profecia, Deus tirara a sua parte da arvore da vida, da cidade santa e das coisas que se acham escritas neste livro… Se o proprio Deus disse que nao muda por que vc diz que Ele estar menttido. Ao dizer que Ele muduo o sabado para domingo vc estar afirmando que Ele e mentiroso………… Estude a Biblia. Mais estude mesmo nao e so pra ler, pessa a presença do Espirito santo so Ele vai fazer vc compriender a verdadeira verdade… Bjs

  13. Vamos falar dos verdadeiros mandamentos aqueles que foi escritos pelo dedo de Deus.. E que o homem mudaria assim como disse Daniel 7-25.proferira palavras contra o Altissimo.magoara os santos do Altissimo e cuidara em mudar os tempos e a lei: e os santos lhe serao entregues nas maos, por um tempo, dois tempos e metade de um tempo………Esse e o mandamento de Deus…1= nao teras outros Deuses diante de mim.. 2= nao faras para ti imagens de escultura. 3= nao tomaras o nome do senhor teu Deus em vao. 4= lembra-te do dia de Sabado para o santifica.5= honnra teu pai e tua mae para que se prolongue os teus dias na terra..6= nao mataras.. 7=nao adulteras. 8= nao furtaras. 9= nao diras falso testemunho contra o teu proximo..10= nao cobiçaras a casa do teu proximo, nao cobiçaras a mulher do teu proximo. ..(o verdadeiro). Agora vamos conhecer os mandamentos escritos pelo o homem. 1= amar a Deus sobre todas as coisas. 2= nao tomaras seu santo nome em vao..3= guardar domingos e festas. 4= honra pai e mae. 5= nao matar. 6= nao furtar. 7= nao levantar falso testemunho. 8 = nao adulteras..9= nao desejar a mulher do proximo. 10= nao cobiçar as coisas alheias… (o falso) . Preste atençao como eles tira o segundo mandamento que fala para nao fazer e nen adora imagens pois elas nada fazem sao mortas sem vida. Tambem tiram o dia que Deus santificou. E colocam o domingo como dia de descanço. E dividiram o decimo mandamento e 2 , agora eu lhes pergunto quem cobiça ja esta desejando, quem deseja ja esta cobiçando. Pecebe quenta contradiçao neste mandamento feito por homens…enguanto o Deus e perfeito…… E jesus ressucitou no domingo porque tinha que descança no Sabado. porque Jesus nao vei revogar aLei e sim cumprir..MATEUS 5:17,19

  14. para entendermos a palavra de Deus, precisamos pedir a ele pra nos ensinar porque a palavra é dele ele é o autor,o espirito santo é que nos convence do pecado, e o pecado faz separação entre nós e Deus e o que é pecado? a palavra de Deus tem a resposta; pecado é transgredir a lei de Deus,Deus tem o seu codigo de conduta

  15. irmaos Deus ama o pecador ,mas nao ama o pecado os dez mandamentos revelam o caracter de Deus.como que ninguem por ai anda adulterando ou roubando ou ate mesmo assassinando. se alguem quiser deitar com sua esposa vc vai falar que e adulterio como vc sabe disso porque esta escrito na lei de DEus escrita pelo proprio dedo de DEUS(EX:24,12)jESUS EM MOMENTO algum dos relatis biiblicos transgridiu o sabado.os doutores da lei guardavam o sabado por interesse,como eram doutores da lei porque eram recebidos com toda pompa nas festividades da epoca nao guardavam por amor a Deus. se me amardes guardareis os meus mandamentos.ve-se que o irmao nao entende de doutrina biblica muito menos de seita .veja no dicionario qual a definiçao de seita e a igreja adventista da qual sou membra a 22 anos,graças ao poder do espirito de Deus que e quem nos guia a toda verdada TODA verdade nao a meia verdade O ESPIRITO DE DEUS GUIA A TODA A VERDADE.se vc nao consegue entender toda a verdade da biblia e porque o espirito que esta te guiando nao e o da verdade.EU SOU O SENHOR QUE NAO MUDO.Osabado foi instituido no edem Deus mandou o povo lembrar(lembra te)osabado foi feito pro homem para deleite com a familia como a propria igreja catolica tem o domingo como dia de descanso,so que Deus mandou guardar o sabado nao foi nenhum outro dia,ele quer o sabado.agora se algum de nos pecador como somos nos achamos no direito de trocar esse dia, so resta-me orar pra que DEUS TENHA MISERICORDIA DESTAS PESSOAS E QUE O ESPIRITO DE DEUS OS GUIE A TODA VERDADE

  16. Em relação se devemos guardar o sábadoou domingo, é uma questão de ser realmente uma pessoa liberta, como disse Jesus,( CONHECEREIS A VERDADE E A VERDADE VOOS LIBERTARÁ). O verdadeiro cristão que realemente se converteu e passou a conhecer a verdade, esse guarda o dia de sábado, porque procurou estudar a biblia, os fatos históricos, que nos mostram que o unico dia santificado por Deus para ser guardado é o dia de sábado. Eu por ex.sou de uma denominação pentecostal, onde na minha igreja 90% guarda o domingo, mas eu guardo o sábado, vez que estudei o assunto por sete anos e recebi a revelação que o único dia do Senhor é o dia de sábado. A maioria dos cristãos não prega a verdade biblica, dai surge pregações que não são verdade e sim os cristãos continuam presos nas pregações que ouvem, sem conhecer a verdade que Jesus manda anunciar ( como escrito está conhecereis a verdade e a verdade vos libertará).Am verdade está escrita nos dez mandamentos do Senhor (êxodo 20 e versiculos de 1 a 17) este é overdfadeiro mandamento que devemos seguir, sendo que muitos confunde Êxodo 20 com Deuteronomio 5 versículos de 1 a 20, essse último não é amdamento de Deus e sim de Moíses, o que muitos cristãos misturam e acabam dizendo que a biblia é contraditória, o que é um grande equivoco, pois Deus não contradiz o que diz e o que faz e já fez. A guarda do sábado foi trocada pela guarda do domingo em 07 de março, no ´seculo I DC. pelo Imperador Romano CONSTANTINO, pois aliou-se a igreja católica como maioria, impuseram a espada contra os judeus matando muitos que não aceitaram a adoração do deus sol de Constantino, coisa que era aceito pelo catolicismo, mas o Imperador por motivo espiritual que lhe fora revelado, que lhe disse que através da espada não conseguiria mudar a idéia dos Judeus para aceitar os desejos de seu coração que era fazê-los adorar o deus Sol, dai Constantino se converte ao cristianismo, assim sendo os judeus iniciaram aceitar as propostas de Constantino e foram passando ir nos dias de festas que foi trocado para o dia de domingo, o que foi tonando-se um costume que se chegou a té nós, porém os fiéis cristãos continuam santificando o dia de sábado, assim como eu faço, e através dessa minha opção só tenho recebido bênçãos do Senhor. Não adiata você guardadr 9 mandamentos e faltar com o dia de sábado, está escrito Tiago 2:10, quarda todos os mandamentos, mas atropela um desses mandamentos, é como não tivesse guardado nenhum. Mas para que você seja bem orientado precisa fazer um voto com Deus, pedindo orientação do conhecimento da verdade para saer liberto, assim como eu fiz.Amém? Pr J.L.Barbosa, servo do Senhor e advogado dos menos aquinhoados…

    • MARKUS NÃO CONVERSE ASNEIRAS FILHO DE LUTERO VEJA AQUI AS SUAS CONTRADIÇÕES

      A guarda do sábado é a principal controvérsia da doutrina do adventismo o próprio complemento do nome desta seita (sétimo dia) mostra quanto vínculo subsiste entre o adventismo e o sábado.
      Helen White ensina que a observância do sábado é o selo de Deus, enquanto o domingo será o selo do Anticristo.
      Sábado ou Domingo?
      Acusado pelos judeus de violar o sábado, Jesus afirmou “O sábado foi estabelecido por causa do homem, e não o homem por causa do sábado; de sorte que o Filho do Homem é Senhor do sábado” (Marcos capítulo 2 versos 27,28).
      Com estas palavras Jesus defende o princípio moral do 4º mandamento do Decálogo, condenando o cerimonial e revela sua autoridade divina sobre o sábado, para cumpri-lo, aboli-lo ou mudá-lo.
      Por que o Domingo?
      Dentre as razões da substituição do sábado pelo domingo destacam-se as seguintes:
      1º – Cristo ressuscitou no 1º dia da semana. “Tendo ressuscitado de manhã, no primeiro dia da semana” (Marcos capítulo 16 verso 9)
      2º – O primeiro dia da semana (Domingo) foi o dia especial das manifestações de Cristo ressuscitado. “Nesse mesmo dia, dois dos discípulos iam a caminho de uma aldeia chamada Emaús, que ficava a sessenta estádios de Jerusalém; e conversavam entre si sobre tudo o que acontecera. Enquanto conversavam e discutiam, aproximou-se deles o próprio Jesus e pôs-se a caminho com eles…Enquanto isto diziam, Jesus apresentou-se no meio deles e disse-lhes: (A paz esteja convosco!)” (Lucas capítulo 24 versos13-15.36)
      “Dito isto, voltou-se para trás e viu Jesus, de pé, mas não se dava conta que era Ele. Ao anoitecer daquele dia, o primeiro da semana, estando fechadas as portas do lugar onde os discípulos se encontravam, com medo das autoridades judaicas, veio Jesus, pôs-se no meio deles e disse-lhes: A paz seja convosco!” Oito dias depois, estavam os discípulos outra vez dentro de casa e Tomé com eles. Estando as portas, fechadas, Jesus veio, pôs-se no meio deles e disse: (A paz seja convosco!)“ (João capítulo 20 versos 14,19,26)
      3º – Dia de Pentecostes, Domingo. “Depois, contareis sete semanas completas, a partir do dia seguinte ao do sábado, isto é, do dia em tiverdes feito o rito da apresentação da gaveta de espigas. Contareis até ao dia seguinte da sétima semana, isto é, cinquenta dias, e oferecereis ao Senhor uma nova oblação. Proclamareis nesse mesmo dia uma assembleia sagrada e não fareis nenhum trabalho servil; é uma lei perpétua para todos os vossos descendentes onde quer que habitem” (Levítico capítulo 23 versos 15,16,21)
      4º – Os primeiros cristãos costumavam se reunir aos domingos para celebrar a Santa Ceia do Senhor, pregar e separar suas ofertas para o Senhor. “No primeiro dia da semana, estando nós reunidos para partir o pão” (Atos capítulo 20 verso 7; 1)
      “No primeiro dia da semana, cada um de vós ponha de parte, em sua casa” (I Coríntios 16 verso 2)
      Finalizando, consideremos as palavras de S. Paulo aos Colossenses:
      “Ninguém, pois, vos julgue por causa de comida e bebida, ou dia de festa, ou lua nova, ou sábados, porque tudo isso tem sido sombra das coisas que haviam de vir; porém o Corpo é de Cristo. Ninguém se árbitro contra vós outros, pretextando humildade e culto dos anjos, baseando-se em visões, enfatuado, sem motivo algum, na sua mente carnal, e não retendo a cabeça, da qual todo o corpo, suprido e bem vinculado por suas juntas e ligamentos, cresce o crescimento que procede de Deus” (Colossenses capítulo 2 versos 16-19)
      Autor: Eugénio Duarte
      Para complementar o maravilhoso artigo do nosso irmão Eugéno Duarte, colocarei os documentos mais antigos da Igreja Católica a respeito da Observação do Domingo Cristão ao invés do Sábado Judaico.
      A Epístola de Barnabás (74 d.C.): Um dos documentos mais antigos da Igreja, anterior ao Apocalipse.
      “Guardamos o oitavo dia (o domingo) com alegria, o dia em que Jesus levantou-se dos mortos” (Epístola de Barnabé capítulo 15 versos 6-8)
      Santo Inácio de Antioquia (†107):
      “Aqueles que viviam segundo a ordem antiga das coisas voltaram-se para a nova esperança, não mais observando o Sábado, mas sim o dia do Senhor, no qual a nossa vida foi abençoada, por Ele e por sua morte” (Epístola aos Magnésios capítulo 9 verso 1)
      São Justino (†165):
      “Reunimo-nos todos no dia do sol, porque é o primeiro dia após o Sábado dos judeus, mas também o primeiro dia em que Deus, extraindo a matéria das trevas, criou o mundo e, neste mesmo dia, Jesus Cristo, nosso Salvador, ressuscitou dentre os mortos“ (Apologia capítulo 1 verso 67)
      Referências bibliográficas:
      Bíblia versão dos Monges de Maredsous (Bélgica) editora Ave Maria.
      Epístola de São Barnabé (74 D.C).
      Epístola de Santo Inácio aos Magnésios (107 D.C).
      Apologias de São Justino Mártir (165 D.C).

  17. “Eu o senhor não mudo…”. A bíblia é a principal fonte de verdade, se alguém mostrar na bíblia um fragmento de texto, uma frase ou pelo menos uma palavra que menciona explicitamente que (“assim diz o senhor”) devemos santificar o domingo, gostaria de ler.

    • AS representações simbólicas dos querubins – muito provavelmente – possuíam pés e mãos, não é mesmo?
      Da vida acreditam que os “querubins da glória” (Hb 9,5) eram cotos ou aleijados?
      As estátuas querubínicas da Arca da Aliança são representadas possuindo pés e mãos.]
      OBS.: Na Vulgata, inclusive, é citada que, no Templo de Jerusalém, a presença de uma imagem de homem:
      Apresentando como que a figura de um homem de pé” (III Reis 7,36)>> [BÍBLIA SAGRADA (Traduzida da Vulgata), 15a.
      edição, Edições Paulinas, SP, 1998, p. 378].– [III Reis 7,36 equivale, nas demais traduções da Bíblia, a 1 Reis 7,36]
      b)Ao citar o texto do Deuteronômio, você Maurício Pereira da Silva frisou: imagem de “homem e mulher “. Por que ele não frisou também a parte antecedente que diz: “Imagem esculpida em forma de ídolo” (Dt 4,16).
      Assim, Deus haveria especificado a proibição da Lei como sendo só sobre as estátuas (isto é, “imagem esculpida”) e não com referência a qualquer tipo de imagem.
      Essa proibição do Deuteronômio inclui: a pintura, o desenho, o mosaico, o vitral, os bordados, as tapeçaria, posters, etc?
      Se dizes que sim; então, prove! Pois, pelo texto bíblico é dito especificadamente: “imagem esculpida em forma de ídolo”(cf. Dt 4). Repito, pelo texto do deuteronômio citado, NÃO é qualquer tipo de imagem; mas “ESTÁTUA” e ainda, esta estátua, tem que ser “em forma de ídolo”.
      (Sugerindo, assim, que éxistem estátuas que não possuem a forma idolátrica e estas, por conseguinte, também não seriam proibidas).
      Em suma, por tal inferência,então, poder-se-ia afirmar que: “Todo ídolo – obrigatoriamente – teria que ser uma estátua; mas nem toda estátua seria um ídolo” (assim como todo dólar é dinheiro; mas nem todo dinheiro é dólar);
      Haja vista existirem estátuas aceitas no templo (querubins, leões, touros: 1Rs 7,29; além de escultura de guirlandas e palmas: 2 Cron 3,5),afora a estátua da serpente de bronze (cf. Nm 21,8-9) ou dos ratos e tumores (cf. 1Sm 6,11).
      Há ainda a estátua que ficou – por um bom período de tempo – na Casa de Deus em Silo: “Eles instalaram para seu uso a imagem que Micas havia esculpido, e ela permaneceu lá todo o tempo em que subsistira a casa de Deus em Silo” (Jz 18,31).
      E o Dicionário?
      “No Dicionário Aurélio 3.0 – Século XXI” também é dito que honrar é venerar. E agora Maurício Pereira da Silva ? Tu não honrarás mais teus pais porquanto – no Aurélio – venerar significar honrar?
      E como fica o santo mandamento que diz: “Honra teu pai e tua mãe” (Lc 18,20); bem como a seguinte sentença bíblica que diz: “Se alguém me serve, meu Pai o honrará” (Jo 12,26); ou ainda: “Honrai a todos” (1 Ped
      2,17). Aliás, no mesmo dicionário, “venerar”
      Significa respeitar. Será que não mais respeitará nada e ninguém, exceto Deus?… Eu creio que não! Pois, certamente, você Maurício Pereira da Silva
      Continuará respeitando muitas coisas; bem como dando a honra a quem é devida a honra, não é mesmo?… Aí eu me pergunto: você honra os santos de Deus? Você os respeita? Sim ou não?… Você respeitaria as imagens do Templo de Jerusalém?
      {Lembre-se –- segundo o Aurélio respeitar é venerar (e que, presumidamente, seria o mesmo que adorar).]

      Você as respeitaria ou não?… E como Adorar, segundo o citado dicionário, é igual a idolatrar; então, não te incomodarias de ser chamado de “idolatrador” de Deus? [Eu porém não idolatro Deus, eu o adoro!]
      Segundo o mesmo dicionário, adorar é amar extremamente. E me responda, então: “Deus amou o mundo: pouco, medianamente, ou em extremo?
      Não foi em extremo,? A ponto de – conforme está escrito – entregar ao seu Filho amado para salvação do mesmo:
      “Deus amou tanto o mundo, que entregou o seu Filho único” (Jo 3,16). por conseguinte, segundo aquele que vulgarmente é denominado de “Pai dos Burros”, Deus teria cometido o pecado da idolatria; da Silva?
      Esse é um cipoal meteste, os herege protestantes

      (E com dicionário embaixo do braço!… Melhor seria fechá-lo, e rapidamente! Antes que, “com pés e mãos”
      Sejas, tu, laçado nos fogo do inferno – conforme asseverou Nosso Senhor Jesus Cristo.)
      Eu, porém, digo: têm certos lugares (“as sinagogas de Satanás”) que peço a Deus não precisar nunca ir para não ter, quiçá, que me depara com os “cães” (Mt 7,6), “víboras” (Mt 23,33) e todo tipo de “bestas” – que por lá possa haver? Por outro lado, eu teria – se possível fosse – um enorme prazer em visitar o Templo de Deus, que Salomão mandou edificar; e no qual a glória de Deus pousou. Lugar Sacro em que abundavam inúmeras imagens de animais (touros e leões) – imagens que participavam do Verdadeiro Culto a Deus. Aliás, imagens sagradas e abençoadas e que, portanto, conjuntamente com todo o Templo do Altíssimo, eram reverenciadas. Está escrito: “Reverenciareis meu santuário” (Lv 19,30).
      E ainda:”Me prostro voltado para o teu sagrado templo” (Sl 138(137),2). [O Santuário, como é bem sabido, estava cheio de imagens.
      ]…E lá (no teu santuário), ó Senhor, possamos cantar com o Salmista: “Nós nos saciamos com os bens da tua casa, com as coisas sagradas do teu templo”
      (Sl 65(64),5).
      [OBS.: o Templo e tudo que havia nele eram sagrados! Portanto, cada objeto de lá, inclusive, as imagens, não podiam ser tidos com simples enfeites – eram ornamentos sacros com significados simbólicos-religiosos preciosos.]
      Olha os que ignoram a Escritura é preciso deixar claro: o que é proibido é a prostração “adorativa” perante criaturas (sejam imagens ou não); e não a prostração SEM adoração. Vejamos, alugns exemplos, lícitos, de prostrações sem a adoração:
      – “Betsabéia se ajoelhou e se prostrou diante do rei” (1 Rs 1,16).
      – “Quando chegou o profeta Natã… Ele veio perante o rei e se prostrou diante dele” (1 Rs 1,22s.) – “Esse terceiro chefe subiu, dobrou os joelhoes diante de Eliseu e suplicou-lhe assim: “Ó homem de Deus…” ” (2 Rs 1,13).
      – “Prostrai-vos perante o seu monte sagrado” (Sl 99(98),9).
      – “Josué então rasgou suas vestes, prostrou-se com a face em terra diante da Arca de Iahweh até à tarde, tanto ele como os anciãos de Israel” (Jos 7,6).

  18. Olá amigos,vamos entender:

    ADÃO É EVA NÃO ERAM JUDEUS, CERTO?
    ABRÃAO NA ERA JUDEU
    ISAQUE NÃO ERA JUDEU
    JACÓ NÃO ERA JUDEU, ELE FOI O PAI DE JUDÁ DE ONDE SAIU OS JUDEUS
    MOISÉS NÃO ERA JUDEU, ERA DA TRIBO DE LEVI IRMÃO DE JUDÁ
    ME RESPONDAM UMA COISA? COMO ESSE POVO GUARDAVA O SÁBADO SE NÃO ERAM JUDEUS? A JUDEIA SE TORNOU UM PAIS MAIS OU MENOS EM 800 ANTES DE CRISTO.

    Abraço

    • Meu amigo JD OLIVEIRA OLHA a guarda do sábado é a principal controvérsia da doutrina do adventismo o próprio complemento do nome desta seita (sétimo dia) mostra quanto vínculo subsiste entre o adventismo e o sábado.

      Helen White ensina que a observância do sábado é o selo de Deus, enquanto o domingo será o selo do Anticristo.

      AÍ EU TI PERGUNTO AMIGO JD OLIVEIRA Sábado ou Domingo?

      Acusado pelos judeus de violar o sábado, Jesus afirmou “O sábado foi estabelecido por causa do homem, e não o homem por causa do sábado; de sorte que o Filho do Homem é Senhor do sábado” (Marcos capítulo 2 versos 27,28).

      JD OLIVEIRA OLHA com estas palavras Jesus defende o princípio moral do 4º mandamento do Decálogo, condenando o cerimonial e revela sua autoridade divina sobre o sábado, para cumpri-lo, aboli-lo ou mudá-lo.

      AGORA EU TI PERGUNTO JD OLIVEIRA Por que o Domingo?

      Dentre as razões da substituição do sábado pelo domingo destacam-se as seguintes:

      1º – Cristo ressuscitou no 1º dia da semana. “Tendo ressuscitado de manhã, no primeiro dia da semana” (Marcos capítulo 16 verso 9)

      2º – O primeiro dia da semana (Domingo) foi o dia especial das manifestações de Cristo ressuscitado. “Nesse mesmo dia, dois dos discípulos iam a caminho de uma aldeia chamada Emaús, que ficava a sessenta estádios de Jerusalém; e conversavam entre si sobre tudo o que acontecera. Enquanto conversavam e discutiam, aproximou-se deles o próprio Jesus e pôs-se a caminho com eles…Enquanto isto diziam, Jesus apresentou-se no meio deles e disse-lhes: (A paz esteja convosco!)” (Lucas capítulo 24 versos13-15.36)

      “Dito isto, voltou-se para trás e viu Jesus, de pé, mas não se dava conta que era Ele. Ao anoitecer daquele dia, o primeiro da semana, estando fechadas as portas do lugar onde os discípulos se encontravam, com medo das autoridades judaicas, veio Jesus, pôs-se no meio deles e disse-lhes: A paz seja convosco!” Oito dias depois, estavam os discípulos outra vez dentro de casa e Tomé com eles. Estando as portas, fechadas, Jesus veio, pôs-se no meio deles e disse: (A paz seja convosco!)“ (João capítulo 20 versos 14,19,26)

      3º – Dia de Pentecostes, Domingo. “Depois, contareis sete semanas completas, a partir do dia seguinte ao do sábado, isto é, do dia em tiverdes feito o rito da apresentação da gaveta de espigas. Contareis até ao dia seguinte da sétima semana, isto é, cinquenta dias, e oferecereis ao Senhor uma nova oblação. Proclamareis nesse mesmo dia uma assembleia sagrada e não fareis nenhum trabalho servil; é uma lei perpétua para todos os vossos descendentes onde quer que habitem” (Levítico capítulo 23 versos 15,16,21)

      4º – Os primeiros cristãos costumavam se reunir aos domingos para celebrar a Santa Ceia do Senhor, pregar e separar suas ofertas para o Senhor. “No primeiro dia da semana, estando nós reunidos para partir o pão” (Atos capítulo 20 verso 7; 1)

      “No primeiro dia da semana, cada um de vós ponha de parte, em sua casa” (I Coríntios 16 verso 2)

      Finalizando, consideremos as palavras de S. Paulo aos Colossenses:

      “Ninguém, pois, vos julgue por causa de comida e bebida, ou dia de festa, ou lua nova, ou sábados, porque tudo isso tem sido sombra das coisas que haviam de vir; porém o Corpo é de Cristo. Ninguém se árbitro contra vós outros, pretextando humildade e culto dos anjos, baseando-se em visões, enfatuado, sem motivo algum, na sua mente carnal, e não retendo a cabeça, da qual todo o corpo, suprido e bem vinculado por suas juntas e ligamentos, cresce o crescimento que procede de Deus” (Colossenses capítulo 2 versos 16-19)

      AGORA PARA FINALIZAR MEU AMIGO JD VEJA ESSES os documentos mais antigos da Igreja Católica a respeito da Observação do Domingo Cristão ao invés do Sábado Judaico.

      A Epístola de Barnabás (74 d.C.): Um dos documentos mais antigos da Igreja, anterior ao Apocalipse.

      “Guardamos o oitavo dia (o domingo) com alegria, o dia em que Jesus levantou-se dos mortos” (Epístola de Barnabé capítulo 15 versos 6-8)

      Santo Inácio de Antioquia (†107):

      “Aqueles que viviam segundo a ordem antiga das coisas voltaram-se para a nova esperança, não mais observando o Sábado, mas sim o dia do Senhor, no qual a nossa vida foi abençoada, por Ele e por sua morte” (Epístola aos Magnésios capítulo 9 verso 1)

      São Justino (†165):

      “Reunimo-nos todos no dia do sol, porque é o primeiro dia após o Sábado dos judeus, mas também o primeiro dia em que Deus, extraindo a matéria das trevas, criou o mundo e, neste mesmo dia, Jesus Cristo, nosso Salvador, ressuscitou dentre os mortos“ (Apologia capítulo 1 verso 67)

      UM ABRAÇO AMIGO JD OLIVEIRA

    • A observância do sábado veio um pouco depois do povo hebreu ter saído do Egito, o decálogo são leis morais, o desvio das leis de Deus e a causa das muitas religiões neste mundo. Antes de ter as leis, estes mesmos homens que você sitou, já acreditava em um redentor, por isso eles sacrificavam cordeiros, que simbolizava o filho de Deus que tira o pecado do mundo. O sábado não foi feito só pro homem ficar de papo pro ar, o sábado foi feito pra adoração . Lembre que o sábado foi separado por Deus lá no edem para um momento oportuno. ” é Deus abençoou e santificou o dia sétimo ” observe lá no Gênesis que Deus abençoou todos os dias, o sétimo, Ele abençoou e SANTIFICOU, santo quer dizer:, SEPARADO.

  19. Apenas gostava de levar a todos a prestar atençäo numa coisa que esta alem da discuçäo: reparem que a questäo do sabado é algo que näo so è descrita na lei de Moises (Exodo 20:1-17) que muitos a tem como abolida, ele aparece logo na criaçäo do planeta (Gens 1:1-31) como a grade prova da existencia de um criador que acabara de terminar o seu projecto de criaçäo. Ele procura de todo geito mostrar que este dia Sabado näo é um dia comum como os outros (Gens 2:1-3). Eis ai o primeiro motivos de os Adventistas terem o sabado como dia especial para o encontro com o Deus do Universo. Mas quer deixar bem claro e sublinhado: Näo há so salvaçäo pela guarda do sabado mas sim pela Graça, isto é submiçäo total a Deus e guarda dos seu prenceito… Abraço.

  20. andré medeiro da uma lida em apocalipse 17- 9, pra te ajudar mulher em profecia quer dizer igreja.
    Agora me diz qual igreja esta localizada em sete montes.

  21. Saudações antes de tudo. A paz esteja convosco.
    Em primeiro lugar,caro Stellio, o autor não julgou ninguém: ele disse a razão pela qual a Igreja Católica guarda os domingos, e não os sábados.

    Caro André Medeiros: defina adorar. Concordo que, muito provavelmente por questões de sincretismo religioso, muitas das pessoas que se dizem católicas viajam na maionese. Porém, o posicionamento OFICIAL da igreja em relação aos santos nem de longe pode ser considerado igual a “adorar”. Adorar é estabelecer alguém como Deus. A igreja não faz nem de longe isso.

    Caro Pedro Henrique: você consegue apontar o erro das argumentações do autor? Se você detectou, por favor, diga-nos. O fato de que Pentecostes aconteceu em um domingo, a coleta das ofertas tenha acontecido em um domingo, a ressurreição do Nosso Senhor tenha acontecido em um domingo nos leva a acreditar que desde os primeiros anos de igreja, os cristãos se reunião para celebrar o culto em domingos. Além do mais: a etimologia da palavra shabath demonstra que a ideia é o descanso após seis dias de trabalho. Citando o texto:

    “Agora, um outro problema. Qual é o sétimo dia? A palavra ‘sábado’ NÃO EXPRIME o dia determinado da semana, mas, em hebraico, quer dizer: cessação, repouso (shabath). Quando deve ser este dia de repouso? Deus nunca determinou. O que ele quer é que, após seis dias, o sétimo lhe seja consagrado.”

    Acho que eu vou parar por aqui. A verdade é que, não importa qual argumento eu use, para muitos evangélicos, a Igreja Católica é a projeção de suas frustrações. Muitos vão odiá-la, mesmo que Cristo queira que a amemos.

    • Eu não sou de religião alguma, mas se tem uma religião que está ensinando o caminho muito errado eh este pessoal que veste batina e diz ser os sucessores dos discípulos de Jesus. Os romanos mataram Jesus e seus discípulos e introduziram uma mistura de paganismo com cristianismo, só pra manter o povo sob domínio. Se não fosse um padre se rebelar contra a mentirada que os papas e cardeais diziam, até hoje estaríamos sem saber da biblia e sendo feito de marionetes, se bem que tem muitos ainda que são, mas porque querem ou por preguiça de ler as páginas das escrituras.

    • 1- Augusto uma perguntinha…… Você disse acima que adorar é estabelecer alguém como Deus certo? Pois bem, a ICAR, reconhece o PAPA um homem, como sendo o representante de Deus e tendo poder para mudar as leis, fazer o errado virar certo e bla, bla, bla…..

      Não estaria a ICAR na figura do papa, tomando para sí as prerrogativas que são unicamente de DEUS?

      2 – A própria ICAR reconhece que ela mudou o dia de guarda original, uma pesquisa simples na Internet mostra isso, e Fiéis Católicos podem achar várias referências a essa mudança em documentos oficiais da ICAR. Vejamos alguns exemplos:

      – No Boletim Católico Universal, pág. 4, de 14 de agosto de 1942 foi escrito:

      “A Igreja mudou a observância do sábado para o domingo pelo direito divino e a autoridade infalível concedida a ela pelo seu fundador, Jesus Cristo. O protestante, propondo a Bíblia como seu único guia de fé, não tem razão para observar o domingo. Nessa questão, os Adventistas do Sétimo Dia são os únicos protestantes coerentes.”

      O próprio papa: “Lembrem-se todos os cristãos de que o sétimo dia foi consagrado por Deus, recebido e observado, não somente pelos judeus mas por todos os outros que pretendiam adorar a Deus, embora nós, tenhamos mudado o Seu Sábado para o domingo.” [Thomas Morer, Discourse in Six Dialogues on the Name, Notion, and Observation of the Lord’s Day, pág. 281 e 282]

      Concílio de Laodicéia (364 ad), Cânon 29: “Os cristãos não devem judaizar e descansar no Sábado, mas sim trabalhar neste dia; devem honrar o dia do Senhor (domingo) e descansar, se for possível, como cristãos. Se, entretanto, forem encontrados judaizando, sejam excomungados por Cristo.” [Hefele, History of the Councils of the Church, vol. II, livro 6, sec. 93, pág. 318]

      “O domingo é uma instituição católica e suas reivindicações de observância podem ser definidas unicamente em princípios católicos… Desde o princípio até o fim das Escrituras não há uma só passagem que autorize a mudança do dia de adoração pública semanal do último dia da semana ao primeiro.” [The Catholic Press of Sidney, Austrália, 25 de agosto de 1999]

      “O protestantismo, ao descartar a autoridade da igreja (Católica), não tem boas razões para sua teoria referente ao domingo e deve, naturalmente, guardar o Sábado como dia de descanso.” [John Gilmary Shea, American Catholic Quarterly Review, janeiro, 1883.]

      “Fazemos bem em recordar aos presbiterianos, batistas, metodistas e todos os demais cristãos que a Bíblia não os aprova em nenhum lugar em sua observância do domingo. O domingo é uma instituição da Igreja Católica Romana, e aqueles que observam este dia observam um mandamento da Igreja Católica.” [Priest Brady, em um discurso relatado no Elizabeth, N. J. News, 18 de marco de 1903]

      – “Pergunta: ‘Tendes alguma outra maneira de provar que a Igreja (Católica) tem o poder de instituir dias festivos por preceito?’ Resposta: ‘Se ela não tivesse semelhante poder, não poderia ter feito tudo quanto os religiosos modernos estão de acordo. Não teria substituído a observância do sábado do sétimo dia, pela observância do domingo, o primeiro dia da semana, uma mudança para a qual não existe autoridade nas Escrituras.'” [Stephan Keerran, em A Doctrinal Catechism, 176]

      – “A razão e o senso comum exigem a aceitação de uma outra destas alternativas: o protestantismo e a observância e santificação do Sábado, ou o catolicismo e a observância e santificação do domingo. Um compromisso ou acordo é impossível.” [The Catholic Mirror, l3 de dezembro de 1893]

      – “Deus simplesmente concedeu à Sua Igreja (Católica) poder para dispor qualquer dia ou dias que achar apropriado(s) como dia(s) sagrado(s). A Igreja escolheu o domingo, primeiro dia da semana e, no decurso dos anos, adicionou outros como dias sagrados.” [Vicent J. Kelly, Forbidden Sunday and Feast-Day Occupations, pág. 2]

      – O papa Inocêncio III declarou que o pontífice romano é “o representante sobre a Terra, não de um mero homem, mas do próprio Deus.” [Veja Decretals of the Lord Pope Gregory IX, livro 1, tít. 7, cap. 3, Cop. Jur. Canon (2ª ed. de Leipzig, 1881), col. 99]

      – “Nós temos nesta Terra o lugar de Deus Todo-Poderoso.” [Papa Leo XIII, carta encíclica Ad Extremas, 24 de junho de 1893]

      – O papa se auto-intitula “Senhor Deus, o Papa”. [Ver Extravagantes do Papa João XXII, tít. 14, cap. 4, Declaramus. Na ed. de Antuérpia de Extravagantes, datada de 1584, as palavras “Dominium Deum Nostrum Papam” (Nosso Senhor Deus o Papa) ocorre na col. 153]

      – “Não o Criador do Universo, em Gênesis 2:1-3; mas a Igreja Católica pode reivindicar para si a honra de haver outorgado ao homem um repouso a cada sete dias.” [S.D. Mosna, Storia della Domenica, 1969, págs. 366 e 367]

      – “Se os protestantes seguissem a Bíblia, adorariam a Deus no dia de Sábado. Ao guardar o domingo, estão seguindo uma lei da Igreja Católica.” [Albert Smith, Chanceler da Arquiocese de Baltimor, respondendo pelo Cardeal, numa carta datada em 10 de fevereiro de 1920]

      3 – Com relação à questão de o sétimo dia ser o sábado….. Muitos dos textos acima já refutam seu pensamento. Mas se eles não são o suficiente, eu pergunto a você qual é o Sabbath (ou sábado) que o judeu ortodoxo observa? É algum dia diferente doo nosso sábado? Desde a antiguidade os povos em todos os lugares tem observado uma semana de sete dias (com base na astronomia), os nomes dos dias podem variar mas depois de uma determinada época o calendário ocidental seguindo os moldes já estabelecidos muito antes do surgimento da ICAR e do próprio cristianismo, foi aceito universalmente (nenos pelos judeus que estão no ano de ….). Quando da Revolução Francesa, se tentou um novo calendário e um novo calendário (https://pt.wikipedia.org/wiki/Calendário_revolucionário_francês) que não funcionou direito e foi relegado…. por tudo isso, posso afirmar para você…. quando falamos do sétimo dia da semana, estamos falando do Sábado sim, e o primeiro dia como Sunday (Dia do Deus sol – alusão ao paganismo adotado pela ICAR na época de Constantino) e para nós Domingo.

      Espero ter trazido um pouco de luz a seus posicionamentos.

      Saudações em Cristo.

  22. Os “sábados” citado naquele texto refere-se aos dias de festas e não ao Sábado do Senhor e tbm diz na Bíblia que aquele que ama Deus e não guarda os Seus mandamentos é mentiroso.

  23. Em Romanos 1:25 está escrito “pois eles mudaram a verdade de Deus em mentira,
    adorando a criatura em lugar do criador,o qual é bendito eternamente. Amem”

    Quem adora a cristuras? Não são os ADVENTISTAS.

    Em Daniel 8:12 diz “O exército lhe foi entregue, com o sacrifício diário, por causa das suas transgressões; e deitou por terra a verdade; e o que fez prosperou.

    Os dez mandamentos são verdades. Foram escritos pelo dedo de Deus.

    Leiam APOCALIPSE 18:1a4 e depois toda a biblia,antes peçam ao Espirito Santo que lhes mostre a verdade, e saibam quem é a babilonia,a grande prosttuta,a mãe das meretrizes e quem são as meretrizes

    Deus ama a todos.

  24. em colossenses 2:16 Paulo diz: ” ninguém vos julgue…” o que vocês estão fazendo ao dizerem que os adventistas estão errados em guardar o dia de sábado é justamente o que Paulo pede que não façam : não julgar a ninguém. Outra coisa sobre o texto acima citado: se ele está abolindo o dia de sábado também está abolindo as festas, a comida… e tudo isto tem em todas as igrejas…

    • Ninguém pode mudar a lei de Deus, poder até que pode, só que vai contra o que Deus pede. As Leis do Deus de Abraao são eternas. Mas se quiser seguir os senhores que usam batina, esteja à vontade, cada um vai dar conta de si mesmo, lembre-se disso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.