Imagens e Idolatria: O que é um ídolo?

231

Respostas às acusações protestantes sobre idolatria e o uso de imagens.

Diferença entre Imagem e Ídolo

Imagem não é o mesmo que ídolo. Chama-se ídolo: uma imagem falsa, um simulacro a que se atribui vida própria, conforme explica o profeta Habacuc (2, 18). Eis o que claramente indica Habacuc, dizendo: “Ai daquele que diz ao pau: Acorda, e a pedra muda: Desperta” (Hc 2, 19)

A Bíblia reza no livro de Josué: “Josué prostrou-se com o rosto em terra diante da arca do Senhor, e assim permaneceu até à tarde, imitando-o todos anciãos de Israel” (Jos 7, 6).

Terão sido idólatras Josué e os anciãos de Israel?

Foi Deus ainda que ordenou a Moisés levantar uma “serpente” de metal (Nm 21, 8) e todos os que olhassem para ela seriam curados. Ora, que “olhar” é esse que confere uma cura milagrosa diante de uma estátua de metal?

Temos as provas de como esse culto era já uma pré-figura do culto à Deus nas palavras de S. João, que diz que tal “serpente” era o símbolo do Cristo crucificado: “Bem como ergueu Moisés a serpente no deserto, assim cumpre que seja levantado o Filho do Homem” (Jo 3, 14).

Por acaso caíram também Moisés e S. João, e até o Espírito Santo (autor da Sagrada Escritura) em crime de idolatria? É claro que não.

A idolatria consistiria em achar que a divindade está em uma estátua, por exemplo. Ou seja, teríamos que colocar alimentos para as imagens, como faziam os romanos, os egípcios e os demais povos idólatras. Teríamos que achar que Deus e o santo são a mesma pessoa. No fundo, seria dizer que S. Benedito não é e nem foi S. Benedito, mas foi Deus, etc.

Nunca se ouviu algum católico defendendo que o Santo era Deus! Mesmo porque isso seria cair em um panteísmo (defendido por Calvino e Lutero em algumas de suas obras). Para se dizer que os católicos adoram os santos, eles teriam que dizer que S. Benedito, por exemplo, não é S. Benedito, mas Deus.

E, ainda mais difícil, os católicos teriam que afirmar que S. Benedito é a estátua, uma espécie de amuleto mágico…

Nenhum católico acredita que o santo seja Deus ou que ele seja a madeira da estátua (como uma divindade). Logo, não há idolatria possível, visto que esta consiste em adorar um falso deus.

Alguns protestantes argumentam que só é possível fazer imagens quando Deus expressamente permite. Pergunta-se: onde está essa norma na Bíblia? É uma contradição dos protestantes, pois tudo para eles está na Bíblia, todavia, para condenar os católicos, não é necessária a Bíblia…

Deus proíbe a idolatria e não o uso de imagens

O mesmo Deus, no mesmo livro do Êxodo em que proíbe que sejam feitas imagens, manda Moisés fazer dois querubins de ouro e colocá-los por cima da Arca da Aliança (Ex 25, 18-20). Manda-lhe, também, fazer uma serpente de bronze e colocá-la por cima duma haste, para curar os mordidos pelas serpentes venenosas (Num 21, 8-9). Manda, ainda, a Salomão enfeitar o templo de Jerusalém com imanges de querubins, palmas, flores, bois e leões (I Reis 6, 23-35 e 7, 29).

Ora, se Deus manda fazer imagens em várias passagens das Sagradas Escrituras (Ex 25, 17-22; 1Rs 6, 23-28; 1 Rs 6, 29s; Nm 21, 4-9; 1Rs 7, 23-26; 1 Rs 7, 28s; etc) e proíbe que se façam imagens em outra, de duas uma, ou Deus é contraditório ou fazer imagens não é idolatria!

Portanto, fica claro que o erro não está nas imagens, mas no tipo de culto que se presta à elas.

Os Judeus, saindo da dominação egípcia, um povo idólatra, tinham muita tendência à idolatria. Basta ver o que aconteceu quando Moisés desceu do Monte Sinai com as Tábuas da Lei e encontrou o povo adorando o “Bezerro de Ouro” como se ele fosse uma divindade, um amuleto. É claro, como permitir que um povo tendente à idolatria fosse fazer imagens.

Nas imagens católicas se representam os santos, que são pessoas que possuem virtudes que os tornam “semelhantes” a Deus, como afirmou S. Paulo: “já não sou eu quem vivo, mas é Cristo que vive em mim“.

Nas catacumbas encontram-se, em toda parte, imagens e estátuas da Virgem Maria; prova de que tal culto existia no tempo dos apóstolos e foi por eles praticado, ensinado e transmitido à posteridade. Uma das imagens de Nossa Senhora, segundo a tradição, foi pintada pelo próprio S. Lucas e está na catedral de Loreto, exposto à veneração dos fiéis.

As imagens católicas representam pessoas virtuosas. Virtude essa que provém da graça de Deus. O mesmo não se dava na idolatria, pois os povos idólatras representavam as virtudes e os vícios em seus ídolos.

O Concílio de Trento formalmente legitimou o uso das imagens: As imagens de Jesus Cristo, da Mãe de Deus, e dos outros santos, podem ser adquiridas e conservadas, sobretudo nas Igrejas, e se lhes pode prestar honra e veneração; não porque há nelas qualquer virtude ou qualquer coisa de divino, ou para delas alcançar qualquer auxílio, ou porque se tenha nelas confiança, como os pagãos de outrora, que colocavam a sua esperança nos ídolos, mas, sim, porque o culto que lhes é prestado dirige-se ao original que representam, de modo que nas imanges que possuímos, diante das quais nos descobrimos ou inclinamos a cabeça, nós adoramos Cristo, e veneramos os santos que elas representam (Sess XXV).

O Concílio de Nicéia, o primeiro celebrado na Igreja, no ano de 325, sob o Papa S. Silvestre I e o imperador Constantino, defende o culto das imagens contra os iconoclastas, com um vigor admirável.

Lê-se nos atos deste concílio: Nós recebemos o culto das imagens, e ferimos de anátema os que procedem de modo contrário. Anátema a todo aquele que aplica às santas imagens os textos da escritura contra os ídolos. Anátema a todo aquele que as chama ídolos. Anátema àqueles que ousam dizer que a Igreja presta culto a ídolos.

231 COMENTÁRIOS

  1. O que eu vejo disso tudo, pelos frutos os conhecereis. A verdade vai aparecendo aos poucos, homosexualismo, pedofilia, inquisição etc. Mas claro, muita coisa encoberta, muita coisa ainda está para ser desmascarado. Quando nós morrermos, vamos prestar conta por cada coisa que falamos aqui. Não façam imagens para adoração, como falei, cantar músicas que dizem que estátuas são mediadoras etc, se isso não é adoração, não sei mais o que é adoração.

  2. Caro Henrique, quem nos convence não é o homem, mas o Espírito Santo. Sei que defende sua fé com diligência, assim como Saulo de Tarso defendia a dele. Assim como Saulo foi você o é, mas um dia no caminho de Damasco teve um encontro pessoal com Jesus e isto mudou tudo. Não somos inimigos (evangélicos e católicos), somos cristãos, amamos ao próximo como a nós mesmos. Então, não podemos convencer um ao outro sobre essas coisas da fé, mas o Espírito Santo pode e o faz. Deus conhece nossos corações e assim tudo se encaixa perfeitamente. Deus te abençõe muito com o que há de mais precioso, a sauvação. Do amigo e irmão em Cristo, Roberto.

    • As doutrina protestantes são todas degeneradas, aberrantes e contraditórias.
      Por isso nunca terão unidade, e professam vários Cristo, segundo sua própria doutrina.
      protestantismo o dogma não vem de Cristo, mas os vários “cristos” se adaptam aos dogmas do reformador.
      O evangélico, com todo respeito, não tem noção aprofundada sobre conceitos de fé, graça, adoração, justificação, pecado, milagre etc. Por isso, qualquer coisa é idolatria, pecado, milagre e qualquer coisa é fé.

      • Deuteronômio 5
        Deuteronômio 5
        ouvir
        1 E chamou Moisés a todo o Israel, e disse-lhes: Ouve, ó Israel, os estatutos e juízos que hoje vos falo aos ouvidos; e aprendê-los-eis, e guardá-los-eis, para os cumprir.
        2 O Senhor nosso Deus fez conosco aliança em Horebe.
        3 Não com nossos pais fez o Senhor esta aliança, mas conosco, todos os que hoje aqui estamos vivos.
        4 Face a face o Senhor falou conosco no monte, do meio do fogo
        5 (Naquele tempo eu estava em pé entre o Senhor e vós, para vos notificar a palavra do Senhor; porque temestes o fogo e não subistes ao monte), dizendo:
        6 Eu sou o Senhor teu Deus, que te tirei da terra do Egito, da casa da servidão;
        7 Não terás outros deuses diante de mim;
        8 Não farás para ti imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima no céu, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra;
        9 Não te encurvarás a elas, nem as servirás; porque eu, o Senhor teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniqüidade dos pais nos filhos, até a terceira e quarta geração daqueles que me odeiam.

      • Católicos mentirosos ou gostam de agitar, pois passam aqui em frente de casa numa tal de procissão carregando uma imagem sei la do que, catando hinos dizendo que é mediador entre Deus, rogai por nós e ai afora, e vem um camarada aqui em cima usando a própria bíblia para falar asneiras. Deus nunca pediu para adorar querubins, ou flores etc. Repito Deus nunca pediu. Da próxima vez que passarem aqui na frente de casa vou mostrar este teu textão ai de grande sábio que você é, e vx se entenda com este padre e todos os outros do Brasil.

  3. MARIA É A MULHER DO LIVRO DO APOCALIPSE .

    //

    Lucas 1:42-43: e exclamou em alta voz: “Bendita és tu entre as mulheres, e bendito é o fruto do teu ventre! 43 E donde me é concedido, que a mãe do meu Senhor venha me visitar?.

    //

    Agora note que em Lucas 1, o termo ‘Senhor’ é usado e cada vez que o termo é usado, ele fala de Deus.)

    E mais não só Jesus é Deus e, portanto, Maria é a mãe de Deus, mas a Bíblia ensina explicitamente que Maria é a Mãe de Deus, como afirma em Lucas 1:43.

    //

    Vou mostrar que Maria é a mãe dos cristãos e isso não é especulação, mas um fato bíblico direto.

    //

    Há muitos católicos que usam João 19:25-27, como prova de que Maria é a Mãe dos cristãos, e ver em João como aquele que leva Maria para a sua casa, como representando todos os cristãos que tomam Maria como sua mãe.

    //

    Mais eu vou mostra que Maria é a mãe de todos os cristãos.

    Maria é a mulher de Apocalipse 12, ela é a mãe de todos os cristãos.

    Primeiro, dê um olhar para a própria passagem, Rev. 12:1-17.

    VEJA:

    1 E um grande sinal apareceu no céu, uma mulher vestida do sol, tendo a lua debaixo dos seus pés e na cabeça uma coroa de doze estrelas; 2 ela estava grávida e gritava em dores de parto após o nascimento, na angústia para a entrega. 3 Apareceu então outro sinal no céu: eis um grande dragão vermelho, com sete cabeças e dez chifres e sete diademas sobre as suas cabeças. 4 Sua cauda arrastou um terço das estrelas do céu, e lançou-as sobre a terra.

    //

    E o dragão parou diante da mulher que estava prestes a ter um filho, para que pudesse devorar o filho que estava para nascer, 5, ela deu à luz um filho homem, aquele que há de reger todas as nações com vara de ferro, mas seu filho foi arrebatado para Deus e para o seu trono, 6 e a mulher fugiu para o deserto, onde já tinha lugar preparado por Deus, em que para ser alimentada por 1.260 dias.

    //

    7 Agora guerra surgiu no céu: Miguel e seus anjos lutando contra o dragão, e o dragão e os seus anjos batalhavam, 8 mas foram derrotados e não houve mais lugar para eles no céu. 9 E o grande dragão foi precipitado, a antiga serpente, que se chama o Diabo e Satanás, o sedutor de todo o mundo – ele foi precipitado na terra, e os seus anjos foram lançados com ele.

    //

    10 E ouvi uma grande voz no céu, que dizia: “Agora, a salvação, o poder, e o reino do nosso Deus e a autoridade do seu Cristo, porque já o acusador de nossos irmãos foi jogado para baixo, que os acusa de dia e noite diante do nosso Deus.

    //

    11 E eles o venceram pelo sangue do Cordeiro e pela palavra do seu testemunho, pois eles não amaram as suas vidas até a morte. 12 Alegrai-vos, pois, ó céus, e você que nele habitam! Mas ai tu, ó terra e do mar, porque o diabo desceu a vós com grande ira, porque ele sabe que seu tempo é curto! ” 13 E, quando o dragão viu que tinha sido atirado para a terra, perseguiu a mulher que dera à luz o filho varão. 14 Mas a mulher recebeu as duas asas da grande águia, para que voasse de a serpente no deserto, para o lugar onde ela deve ser sustentada por um tempo, e tempos, e metade de um tempo.

    //

    15 A serpente derramou água como um rio da sua boca, atrás da mulher, para arrastá-la com o dilúvio. 16 Mas a terra veio a ajuda de uma mulher, e a terra abriu a boca e engoliu o rio que o dragão tinha derramado de sua boca. 17 Então o dragão estava zangado com a mulher, e foi fazer guerra ao resto de sua descendência, aos que guardam os mandamentos de Deus e prestar testemunho de Jesus. Ele estava na areia do mar.

    //

    Note que, no final da passagem, vemos que o diabo faz guerra com aqueles que guardam os mandamentos de Deus e presta testemunho de Jesus. Estes são todos os cristãos, como cristãos, são os que dão testemunho de Jesus e guardar os mandamentos de Deus (1 João 2:3-4, Jo. 14:15, 15:10, 1 Coríntios.

    7:19).

    //

    O apóstolo, o autor do Livro do Apocalipse está falando dos cristãos, pois eles são os que dão testemunho de Jesus.

    //

    No entanto, a descendência desses cristãos são: filhos da mulher de Apocalipse 12. Pois é mais do que certo que Maria é a única “mulher” do Apocalipse,

    //

    Vemos que essa mulher, ela tem grande autoridade. Ela é coroado com símbolos de autoridade com ‘uma coroa de doze estrelas “.

    //

    No entanto, a parte principal de que é a “mulher” é, a parte que dá à luz o filho (v. 2). Quem é o Filho? O Filho, que ela dar à luz no é aquele que governa a terra, com uma vara de ferro. Esta é uma clara referência ao Salmo 2.

    //

    No Salmo 2, Deus diz, v.7, “Tu és meu filho, hoje te gerei.” No Novo Testamento, esta é aplicada a Jesus (Hb 1:5, por exemplo).

    //

    No Salmo 02:09 diz que este filho vai “governá-los (ou break) com uma vara de ferro.” Em Apocalipse 19:13-15, esta frase de governar com uma vara de ferro é aplicada especificamente para ‘o Verbo de Deus “.

    //

    Agora na teologia joanina, esta frase é uma referência direta a Jesus. Assim, este filho é Jesus. Agora, a mulher de Apocalipse 12 é aquele que dá a luz a Jesus isso é mais do que claro pois nem mesmo Lutero o pai do Protestantismo negou.

    //

    Agora, quem deu a luz a Jesus? A bíblia mostra claramente que a única pessoa que dá a luz a Jesus é Maria.

    //

    Uma vez que a ênfase é duas vezes sobre a mulher que dá à luz (vv. 2 e 5), e do Filho é Jesus, o candidato mais óbvio para a “mulher” de Apocalipse 12 é Maria.

    //

    E outra Maria é a mulher é a única pessoa a dar à luz a Jesus. No entanto, vamos olhar para uma objeção que alguns protestantes usará para dizer que Maria não é a mulher ou pelo menos não uma “mulher” de Apocalipse 12.

    //

    Em Apocalipse 12:2, a “mulher” é aquele que dá à luz a criança. No verso 5, a “mulher” novamente é conhecido como aquele que traz uma criança do sexo masculino que vai governar.

    //

    Agora, quem tem a palavra da Bíblia é a mulher que dá à luz uma criança do sexo masculino? Em Isaías 07:14, há uma profecia de uma virgem (ou como diz o RSV, um jovem ‘mulher’), que vai dar à luz a uma criança.

    //

    Isso, é claro, é uma profecia sobre a virgindade da mulher. A mulher passa a ser Maria, e não Israel. Em Mateus 01:25 – 02:01 e Lucas 02:05, vemos que ela é Maria, que dá à luz o Filho.

    //

    E mais um olhar sobre as Escrituras, ambos no Novo e Velho Testamento nenhum protestante vai encontrar uma única referência a Israel, quer ser uma ‘mulher’, ou dar à luz o Messias.

    //

    13 Agora, quando eles se retirado, eis que um anjo do Senhor apareceu a José em um sonho e disse: “Levanta-te, toma o menino e sua mãe, e foge para o Egito e fica lá até que eu te dizer, porque Herodes está prestes a procurar o menino para o matar “. 14 E levantou-se e tomou o menino e sua mãe, de noite, e partiu para o Egito

    //

    De fato, há algo na vida de Maria, que teve sua fuga. Herodes queria destruir todas as crianças, com a finalidade de destruir aquele que seria o Messias (Mt. 2:16-17). Ela fugiu com José para escapar da ira do rei Herodes, com base no que o anjo diz a José através de um sonho.

    //

    Assim, na verdade, havia algo na vida de Maria, que coincide com Apocalipse 12. Em Apocalipse 12, o dragão, ou Satanás, tentou destruir o menino Jesus quando ele se tornou nascido (Ap 12:2-5). Eles fugiram e permaneceu no Egito (ou deserto) até que o rei Herodes morreu e tornou-se seguro para voltar para Israel. Isto coincide com os acontecimentos como os encontrados em Mateus.

    //

    Vemos tanto em Apocalipse 12:02 e 5 o comentário sobre a mulher que dá à luz o Filho. João está falando de Jesus. Jesus nasceu anos antes de João quando escreveu Apocalipse 12.

    //

    Jesus ascensão ao céu (como mencionado no versículo 5) não é um evento futuro escatológico. Ele já aconteceu. Ambos afirmam que v. 5 está falando sobre a ascensão de Jesus. Assim, pelo menos essas seções importantes do Apocalipse 12 (onde especificamente a mulher é mencionado) implicam eventos que já aconteceram. e encaixa perfeitamente aos acontecimentos da vida de Maria, como os eventos falado nos versículos 2-5 que falam de eventos passados.

    //

    Note que o apóstolo João nos dá a identificação daqueles de que fala em Apocalipse 12. O “Filho” é ele quem vai reger todas as nações (Ap 12:2-5), E que nasceu de uma mulher. João fala também de um dragão que está a procura para destruir uma criança e vai para a guerra contra os anjos de Deus (vv. 3-4, 7-9).

    //

    O apóstolo João identifica diretamente o que está em guerra com a criança do sexo masculino que passa a ser Jesus, e a mulher, e Miguel e os anjos, como o Diabo, e Satanás, que é o enganador de todo o mundo. Assim, o dragão é um indivíduo, e não uma entidade coletiva.

    //

    Além disso, vemos que aqueles que estão lutando contra o dragão são Miguel e os anjos. O Arcanjo Miguel é um indivíduo, e não uma entidade coletiva. E mais note que o apóstolo João identifica Miguel como um indivíduo, e não uma entidade coletiva.

    //

    É mais do que certo que a única mulher que se encaixa na descrição de uma mulher que foi a mãe da criança que iria governar as nações? É Maria. A passagem do livro do Apocalipse 12 é uma grande referência a Maria,

    //

    O Senhor Deus disse à serpente: “Porque fizeste isto, maldita serás tu dentre todos os animais domésticos, e acima de todos os animais selvagens, em cima de sua barriga você deve ir, e pó comerás todos os dias da sua vida 15. I Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e a sua descendência; esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar. ” 16 E à mulher disse: “Multiplicarei grandemente a tua dor no parto, na dor darás à luz filhos, mas o seu desejo será para o teu marido, e ele te dominará.”

    //

    Antes de abordar a tarefa de identificar quem é esta mulher de Gênesis 3:15 é, vamos olhar para as semelhanças entre Gênesis 3, que fala de uma “mulher”, e Apocalipse 12, que também fala de uma “mulher”. Quando se fala em Apocalipse 12

    //

    Vamos ao início da passagem que ecoa a profecia de Is. 07:14 tomado por Miquéias 5:1-2. Como o almah de Isaías, a mulher do Apocalipse é um sinal (semeion ).

    //

    Mas aqui ela aparece em seu triunfo, a lua “debaixo de seus pés” parece indicar que ela é levantada acima da vicissitude de que este planeta em constante mutação é o símbolo.

    //

    Tal como acontece com Maria Jo 19:25-27 esse personagem celestial é repetidamente designado pela palavra “mulher” (Ap 12:1, 4, 12, 13-17). Tal como acontece com Maria, que é levado para ser a Mãe de Cristo e mãe dos discípulos de Cristo, que são chamados de “o resto de seus filhos” (Ap 12-17).

    //

    Este último termo é um eco de Gn. 3:14-15, onde também a serpente (Apoc. 00:09 e 14) está em guerra contra a “mulher” e “seus descendentes”. Gênesis 3:14-15

    //

    1) Deus disse para a serpente …

    2) /

    Apocalipse. 12:09

    /

    O grande dragão, a serpente primordial conhecido como o Diabo e Satanás …

    /

    Gênesis 3:15

    2) Eu vou fazer você inimigos um do outro: você e a mulher

    Rev. 12:13-14

    /

    Surgiu em busca da mulher … mas ela foi dado um enorme par de asas de águia para voar para longe da serpente no deserto.

    Gênesis 3:15

    //

    3) a tua descendência e a sua descendência.

    Apocalipse 12:17

    //

    O dragão irou-se contra a mulher e foi fazer guerra ao resto de seus filhos (ou descendentes), isto é, todos os que obedecem aos mandamentos e dá testemunho de Deus por Jesus.

    //

    Agora um outro paralelo entre Gênesis 3 e Apocalipse 12

    Gênesis 3:15

    4) Esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.

    Rev. 12:05, 11

    //

    A semente da mulher, que passa a ser Jesus, sobe ao céu, e o diabo é derrotado, e é pelo seu sangue (chamado de sangue do Cordeiro), através do qual ele esmaga o dragão.

    //

    Note aqui que os paralelos são óbvios. Primeiro, o diabo é falado tanto em Apocalipse e Genesis. O diabo está intrinsecamente envolvidos em ambas as passagens em guerra tanto com o filho e a mulher.

    //

    O Diabo está em guerra tanto com a mulher de Gênesis 3:15, e a mulher em Apocalipse 12, que deu à luz um Filho, que será vitorioso em ambas as passagens.

    //

    O diabo será derrotado tanto como profetizado em Gênesis 3, e cumpriu em Apocalipse 12. Nesta vitória, a ‘mulher’ é o centro de ambas as passagens.

    //

    NOTE:

    Que desde Gênesis 3 e Apocalipse 12 é, sem dúvida, ligado, a pessoa da mulher, que é uma figura central em ambas as passagens.

    //

    É óbvio que, se isso (Gênesis 3:15) é uma profecia sobre Jesus, e isso é chamado de “Proto-evangelho”, aquele cuja semente Jesus veio foi a sua Mãe Maria.

    //

    A mulher falada de quem vai estar em guerra com o diabo, seria Maria. Isso se encaixa novamente em Apocalipse 12, onde a mulher está em guerra com o diabo.

    //

    Os seguidores de Lutero não fazem nada mais do que aprofundar e esclarecer a exegese do reformador alemão. A semente da mulher é Cristo, e somente Cristo. Na frase é indicada “a semente da mulher ao nascimento virginal de Cristo de Maria, uma promessa confirmada por Isaías 7:14 “(S. Virgulin” Ricerche su Genesi 3, 15 dal 1970 al 1977 “, Marianum 40 [ 1978]:. 28-29

    //

    Conclusão: Maria é nossa Mãe
    via Apocalipse 12

    Quem é a mulher de Apocalipse 12? Quem é chamado de Mulher na Bíblia?

    //

    Sempre que Jesus se refere à sua mãe, o que ele chama? Mulher. Ele chama sua mulher na época de seu primeiro milagre em Caná João 2:4.

    //

    Ele a chama de Mulher , eis o teu filho, quando se refere a João (João 19:27).

    //

    Paulo chama-lhe a mulher em Gal. 04:04 o significado primário da Mulher do Rev. 12 é Maria!

    a mulher de Gênesis 3:15, e a mulher de Apocalipse 12. Há uma mulher que está em inimizade com o Diabo em ambas as passagens. Satanás está em guerra com Jesus em ambas as passagens, e a mulher é uma parte central em ambas as passagens.

    //

    Na passagem de Gênesis há uma promessa da vitória que mostra que ele cumpriu em Apocalipse 12. É evidente que a “mulher” de Gênesis 3:15 e Apocalipse 12 são a mesma mulher.

    //

    O único que se encaixa no projeto em ambas as passagens é Maria. Em Gênesis 3, vimos a possibilidade de Eva, que está sendo destruído pela evidência interna. Genesis 3 pontos não só a Jesus, mas também a Maria, como até mesmo reconhecido pelos “reformadores”. Martin Luther escreve em referência ao Gênesis 3:15 passagem:

    Cristo é só para ser adorado? Ou é a Santa Mãe de Deus, em vez de não ser honrado? Esta é a mulher que esmagou a cabeça da serpente. Ouve-nos. Para o seu Filho nega nada.

    //

    A Escritura é bastante claro que quem dá à luz o Messias é Maria. A interpretação mais natural de Apocalipse 12, é que a “mulher” que dá à luz o Messias, é na verdade a “mulher” que dá à luz o Messias: Isso é Maria.

    //

    Nós olhamos Apocalipse 12 e olhou para quem tem mais chances de ser identificada como a “mulher” de Apocalipse 12.

    //

    A “mulher” é aquela que dá à luz o Filho, que governa sobre a terra. A mulher está vestida com o sol e a lua é colocado sob seus pés e ela é coroada com doze estrelas. Todos os outros personagens na cena de Apocalipse 12 são os indivíduos.

    //

    Jesus é o Filho que governa. Migueel é identificado. Satanás é identificado. Assim, de modo a ser coerente com a interpretação da única forma que pode ser assim é por ter essa pessoa identificada como um indivíduo.

    //

    A única pessoa que é um indivíduo, que é também a Mãe do Messias, é Maria, a Mãe de Jesus. Maria é a “mulher” de Apocalipse 12,

    //

    No testemunho apostólico, há apenas duas referências a ela. Paulo falou da semente nascido de mulher (Gl 4:04),

    //

    E João contou a mulher vestida com o sol que dera à luz o varão (Ap 12:1). Ambos retratam o nascimento de Cristo.

    //

    Primeiro, o termo “mulher” é expressamente vinculada no texto para passagens do Antigo e do Novo Testamento, onde Maria está presente e atua como protagonista. Esse é o texto profético de Gênesis 3:15, onde o ‘Woman’ , com seu filho, é o inimigo triunfante da serpente, sedutor de nossos primeiros pais.

    //

    Em Gal. 04:04, a “Mulher” – Maria é a origem humana do Verbo feito carne. Em Caná da Galiléia, Maria é a “mulher” de quem prepara o caminho para a manifestação pública do Messias-Salvador, persuadir Jesus a trabalhar o primeiro dos seus “sinais” (Jo 2:1-11):

    //

    Ao pé da Cruz , na consumação da missão salvífica universal, Maria está presente como a ‘Mulher’ associado com Cristo, proclamada por Jesus como a mãe de João, que representa a humanidade redimida. Finalmente, no texto do Rev. 12, o mesmo ‘Woman’ , recapitula e conclui o plano salvífico de Deus já previu no alvorecer da humanidade, em Gênesis 3:15.

    //

    Agora vamos voltar para o final de Apocalipse 12:

    O dragão estava zangado com a mulher, e foi fazer guerra ao resto de sua descendência, aos que guardam os mandamentos de Deus e prestar testemunho de Jesus.

    //

    Ele estava na areia do mar.

    Agora vimos que a mulher de Apocalipse 12 é Maria. Na passagem acima, onde a mulher está lutando com o dragão, ou Satanás, ela tem alguns filhos que estão em guerra com o diabo. Quem são seus filhos? Todos aqueles que guardam os mandamentos de Deus e prestar testemunho de Jesus.

    //

    Assim, vemos que os cristãos que dão testemunho de Jesus tem esta mulher, ou Maria como sua mãe. Este estudo mostrou que o Apocalipse 12 tem Maria como a mãe, e esta passagem de Apocalipse 12 indica que os cristãos que dão testemunho de Jesus, também são filhos de Maria.

    //

    Deus não nos deu uma família mono parental. Ele nos dá sua mãe como Maria. Obviamente, estes são os seguidores de Cristo, e não filhos físicos de Maria. Assim como Jesus, chamada Maria, mãe de João (Jo 19:27), todos os que o seguem, são seus filhos, através de Apocalipse 12:17.

    //

    Além disso, quando vemos que é Maria, que é a mulher que tem as 12 coroas, temos uma base perfeitamente bíblica para chamá-la de mãe, a rainha. O fato de que existem mães Rainha falsos que podem ser referenciados no Antigo Testamento não acaba com seu título e Apocalipse mais do que o fato de que existem falsos messias acabar com o fato de que há um Messias real! ! Assim, aqueles que dão testemunho de Jesus, também Maria, sua mãe. Essa é a verdade bíblica clara.

    //

    ISSO É INCONTESTÁVEL
    //
    COMO EU ME ORGULHO DE SER CATÓLICO MARIA INTERCEDA POR TODOS NÓS AQUI NA TERRA.
    //
    DEIXO O MEU FACE PARTICULAR PARA AQUELES QUE AMA A IGREJA CATÓLICA E QUEIRAM APRENDER A PATRÍSTICA E COMO CALAR A BOCA DE PROTESTANTES.
    https://www.facebook.com/edmilsoncatolico

  4. MARIA É A MULHER REVESTIDA DE SOL EM APOCALIPSE.
    VEJA:

    Apocalipse 12
    Apareceu em seguida um grande sinal no céu: uma Mulher revestida do sol, a lua debaixo dos seus pés e na cabeça uma coroa de doze estrelas.
    2. Estava grávida e gritava de dores, sentindo as angústias de dar à luz
    ////////////////////
    Depois apareceu outro sinal no céu: um grande Dragão vermelho, com sete cabeças e dez chifres, e nas cabeças sete coroas.
    Varria com sua cauda uma terça parte das estrelas do céu, e as atirou à terra. Esse Dragão deteve-se diante da Mulher que estava para dar à luz, a fim de que, quando ela desse à luz, lhe devorasse o filho.

    ///
    Ela deu à luz um Filho, um menino, aquele que deve reger todas as nações pagãs com cetro de ferro. Mas seu Filho foi arrebatado para junto de Deus e do seu trono.

    ////////////////////
    Gênesis 3
    15. Porei ódio entre ti e a mulher, entre a tua descendência e a dela. Esta te ferirá a cabeça, e tu ferirás o calcanhar.
    //

    Nesse texto de gênesis podemos observar exatamente o que eu estou falando, existem duas descendências, uma da Mulher e outra da serpente, sendo que a descendência da Mulher seria perseguida pela descendência da serpente, pois é exatamente isso que acontece em nossos dias, nós Católicos descendentes da (Mulher)
    //
    A primeira característica dessa Mulher é que ela estava revestida do sol e tinha a lua debaixo dos seus pés,
    //
    Neste versículo devemos entender que Deus estava enviando um sinal, podemos observar isso logo no inicio do versículo “Apareceu em seguida um grande sinal”; então Deus estava enviando um sinal com uma Mulher revestida se sol.
    //
    Entenda que biblicamente só existe um texto na Bíblia fora Apocalipse 12 onde Deus também envia um sinal com uma Mulher.
    //
    VEJA:
    Isaias 7
    14. Por isso, o próprio Senhor vos dará um sinal: uma virgem(Maria) conceberá e dará à luz um filho, e o chamará Deus Conosco.(Jesus Cristo)
    //
    NOTE:
    Que no texto de Apocalipse Deus envia um sinal com uma Mulher que daria a luz ao menino e no texto de Isaias 7 Deus também envia o mesmo sinal, uma Mulher virgem que daria a luz ao menino, todos nós Cristãos sabemos exatamente quem é a Mulher que deu a luz ao menino Deus! Essa Mulher se chama a bem aventurada Virgem Maria.
    //
    E mais no texto do Apocalipse diz ainda que essa Mulher estava revestida de sol e tinha a lua debaixo dos seus pés.
    //
    Agora vou mostrar que existe no antigo Testamento um texto que explique isso incontestavelmente.
    //
    VEJA:

    Cântico dos cânticos 6
    9. uma, porém, é a minha pomba, uma só a minha perfeita; ela é a única de sua mãe, a predileta daquela que a deu à luz.
    //
    Ao vê-la, as donzelas proclamam-na bem-aventurada, rainhas e concubinas a louvam.
    //
    E MAIS…
    10. Quem é esta que surge como a aurora, bela como a lua, brilhante como o sol, temível como um exército em ordem de batalha?
    //
    ESSES VERSÍCULOS SÃO IDENTICOS AO APOCALIPSE 12 ISSO É FATO.
    E OUTRA:
    Ainda existe duas observações nesse texto, primeiro que a Mulher bela como a lua e brilhante como o sol era a perfeita escolhida.
    //
    todos nós sabemos quem foi a escolhida “Virgem Maria”;
    //
    Agora a segunda particularidade nesse texto se trata da forma com que Deus proclama essa Mulher“Ao vê-la, as donzelas proclamam-na bem-aventurada”; nessa frase Deus está afirmando que a Mulher bela como a lua e brilhante como o sol segundo o livro dos cânticos e revestida do sol com a lua debaixo dos pés segundo o livro do Apocalipse seria proclamada bem aventurada.
    //
    Saiba que biblicamente só existe uma Mulher que seria proclamada bem aventurada por todas as gerações:
    //
    Lucas 1
    46. E Maria disse: Minha alma glorifica ao Senhor,
    47. meu espírito exulta de alegria em Deus, meu Salvador,
    48. porque olhou para sua pobre serva. Por isto, desde agora, me proclamarão bem-aventurada todas as gerações,
    //
    MEUS IRMÃOS:
    A bem aventurada virgem Maria, bela como a lua e brilhante como o sol, no qual serviu como sinal para vinda do salvador é a mesma Mulher do Apocalipse 12 que também serviu como sinal para vinda do salvador, ela estava revestida do sol e tinha a lua debaixo dos pés.
    //

    E mais saiba que a Mulher revestida do sol tem um significado muito extraordinário,pois Maria carregou em seu ventre a luz do mundo e o sol nascente.
    //
    Lucas 1
    78. Graças à ternura e misericórdia de nosso Deus, que nos vai trazer do alto a visita do Sol nascente,
    //
    João 8
    12. Falou-lhes outra vez Jesus: Eu sou a luz do mundo; aquele que me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida.
    //
    COMO EU ME ORGULHO DE SER CATÓLICO MARIA INTERCEDA POR TODOS NÓS AQUI NA TERRA.
    //
    DEIXO O MEU FACE PARTICULAR PARA AQUELES QUE AMA A IGREJA CATÓLICA E QUEIRAM APRENDER A PATRÍSTICA E COMO CALAR A BOCA DE PROTESTANTES.
    https://www.facebook.com/edmilsoncatolico

  5. O assunto da vez é o “papa” de Roma, sua escolha, sua sucessão. Todos os olhares se voltam para a praça de “são” Pedro e especificamente para o teto da Capela Sistina, onde a fumaça de uma chaminé porá fim a uma eleição indireta. Um clube que segue o velho ditado, “amicitia tibe ivnge pares”. Todos muito sérios, descendo muito respeitáveis de suas limusines, abdicando por uns dias de seus charutos caros e de seus vinhos finos, para passar a imagem de santidade que as TVs perpetuam “per omni saecvla saecvlorvm”. Sepultando sob as muralhas do Vaticano toneladas de podridão moral, ética e – sim – religiosa.
    Todos aqueles desvios que, ocultos pelos prelados e pela mídia, levaram à Reforma Protestante, a qual, ao contrário do que apregoam os católicos, não foi um movimento “cismático” (como se referem aos protestantes até hoje) que desejava “dividir” a Igreja. Entre em qualquer site católico e comprove. Lutero e reformadores como Wycliff, Huss e Calvino, dentre outros, queriam que a cristandade voltasse à pureza original, à simplicidade primitiva dos apóstolos, e abandonasse todas as práticas herdadas do paganismo através dos séculos, sobre as quais falei aqui, aqui, aqui, aqui e aqui- para ficar só nessas.
    Resumindo: a hierarquia católica quando viu que as pessoas em toda parte estavam abrindo os olhos, multidões se entregavam a Jesus, abandonando os ídolos e suas superstições e a Bíblia estava sedo traduzida na linguagem de cada povo – o que levaria à comparação da vida dos discípulos com a dos padres, bispos, cardeais, “papas” e outros títulos – resolveu se mexer.
    Era preciso contra-atacar. No século XVI já existia a imprensa e muitos livros, inclusive e principalmente a Bíblia, eram impressos aos milhares. O homem, deixando para trás as trevas medievais, reaprendia a raciocinar. Portanto, o plano deveria ser bem elaborado, mas com ares de espiritualidade.
    Por volta de 1530, o fervor religioso crescia dentro da igreja de Roma. Muitos clérigos perceberam que o ensino dos reformadores era de fato correto: eles queriam uma vida espiritual mais profunda, mas não tinham forças, coragem ou inteligência para abandonar as velhas tradições. Assim, reconheciam a necessidade de um movimento que incentivasse as pessoas a buscarem a Deus; mas tinham medo de serem queimados como hereges. Alguns desses homens foram feitos cardeais pelo “papa” Paulo III, para elaborar uma reforma religiosa e em 1537 produziram um documento afirmando que os abusos eram culpa de “papas” anteriores. Surgiram novas ordens religiosas (monges e freiras), e com suas regras de pobreza, castidade e obediência cega ao “papa”, recuperaram parte do respeito perdido durante séculos de ganância e vícios. Os abusos foram coibidos, e houve certa moralização, que não se vê hoje em dia.
    Mas só isso não bastava aos propósitos satânicos, travestidos de zelo e piedade. Onde a Reforma Protestante não estava consolidada, como Espanha, Portugal e Itália, era preciso agir com mão de ferro. O povo tinha que ser mais envolvido pelas doutrinas romanistas, caso contrário a Verdade triunfaria e aí, adeus poder, privilégios, mordomias. As armas de Roma seriam usadas com força total. Forjadas no inferno, essas armas foram tão terríveis que ainda hoje trazem repulsa a pessoas civilizadas. Essas armas – um contra-ataque violento – foram chamadas de Inquisição.
    O romanismo não tinha escapatória ao ser confrontado com a Palavra de Deus, agora largamente difundida graças à imprensa. As cruzadas, que em tese deveriam libertar a Terra Santa do domínio árabe, haviam falhado miseravelmente. A igreja romana canalizara a frustração da derrota atacando os chamados hereges, que na verdade apenas rejeitavam os abusos papais e, como os primitivos cristãos, só aceitavam a autoridade da Bíblia. Roma, por seu lado, interpretava ao pé da letra as passagens da Bíblia que lhe interessavam, e dizia seguir Deuteronômio 13:1-9, 17:25 e Êxodo 22:18, que mandavam punir os feiticeiros e agoureiros. Citavam até as palavras de Jesus no Evangelho de João 15:6: “Se alguém não permanecer em mim, será lançado fora… e ali arderá”. Assim, passou a perseguir a todos os que se opunham à doutrina papal, acusando-os de servirem ao Diabo.
    O sistema tinha atrativos para os delatores. Comprovada a heresia (quase sempre), o dedo-duro recebia, como recompensa, parte dos bens do condenado. O que se seguiu foi uma indústria da delação, pois os acusados quase nunca tinham a garantia de um julgamento justo (exemplos? Huss, Wycliff e inúmeros outros). Às vezes, o julgamento era por meio do “ordálio”: jogava-se o acusado, amarrado, num rio. Se boiasse, era inocente; se afundasse, era culpado. Ou então, era obrigado a caminhar descalço sobre brasas; se os pés se queimassem, era culpado; caso contrário, estava livre.
    Não vamos nos alongar sobre os detalhes tétricos dessa política infernal: seus instrumentos e métodos bem denotam sua origem. Se quiser saber mais, leia o conto “O Poço e o Pêndulo”, de Edgar Allan Poe, ou clique aqui. Basta dizer que milhares pereceram. Somente Bernardo Gui (que aparece como inquisidor-chefe no filme “O Nome da Rosa”) condenou cerca de mil pessoas. Roberto, o Dominicano, queimou 180 na fogueira em um só dia. Ximenes, na Espanha, executou quase 2300 “hereges”. Tomás de Torquemada faria inveja a Stalin, Hitler e Saddam Hussein juntos: sob suas ordens, dez mil foram executados. Muitos que hoje são considerados “santos” (Ignácio de Loyola e Francisco Xavier, por exemplo) apoiavam abertamente esses expedientes. Tais foram as medidas extremas tomadas por aqueles que já não podiam dominar o povo pelas idéias. Só lhes restava reinar através do terror.
    Uma instituição sádica ficou conhecida ao longo dos séculos como “Santa Inquisição”. É bom ressaltar que embora a Inquisição na Espanha seja uma instituição diferente da Romana, que mudou o nome para “Sagrada Congregação Para a Doutrina da Fé”, seus métodos e finalidades sempre foram os mesmos. O mais ilustre dirigente e mentor da Inquisição em tempos recentes foi um padre alemão chamado Joseph Ratzinger, a.k.a. “sua santidade Bento XVI”…
    Mas além da violência física e psicológica, outro expediente foi usado para tentar ocultar o Evangelho. A imprensa prestava um serviço inestimável à Verdade. Livros, panfletos e a própria Bíblia alcançavam grandes tiragens, e a procura era intensa. Então a igreja romana elaborou uma censura: o “Index”, uma lista de livros que não se podia ler e nem mesmo possuir, sob o risco de ir para a fogueira.
    A primeira edição do Index saiu em 1543, e dela constava, além de autores protestantes, filósofos humanistas como Erasmo de Rotterdam e, pasmem os senhores, a própria Bíblia. O hoje clássico “Os Lusíadas” de Camões, só veio a lume com a autorização do censor da Inquisição em Portugal. Mas ainda hoje algumas edições de livros possuem, como curiosidade tipográfica, o selo “Imprimatur” – a autorização da Inquisição para ser impresso.
    Para resolver o “problema” da Bíblia, o concílio (reunião geral de bispos) que se realizou na cidade italiana de Trento entre 1545 e 1563 concluiu que deveria ser feita uma edição “católica” da Bíblia. Assim foram incluídos nas Sagradas Escrituras os livros chamados apócrifos. Conhecidos de longa data, mas desprovidos de inspiração divina, cheios de absurdos teológicos, históricos e geográficos (para não falar de heresias evidentes, apesar de terem certo valor literário), essas obras pretenderam justificar os erros do romanismo, já que agora eram oficialmente parte da Bíblia. Aos católicos só seria permitido ler essa versão, que recebeu também longos comentários de rodapé, com a interpretação oficial de Roma.
    O concílio também elaborou decretos sobre o purgatório, os “sacramentos”, obediência cega ao “papa” e coisas desse tipo. Não por acaso, esse movimento todo ficou conhecido como “Contra-reforma”. Precisa dizer mais? Dessa época de negrume espiritual emergiu também outra instituição que muitos consideraram benéfica, mas cujo propósito inicial era completar o trabalho da Inquisição. Foi chamada “A Companhia de Jesus”, e seus membros, jesuítas.
    Fundada pelo ex-soldado, mercenário e aventureiro basco Ignácio de Loyola, a ordem veio para combater as “heresias” e promover missões e a educação, como prevenção ao protestantismo. Ainda hoje, ela controla várias instituições educacionais católicas, inclusive no Brasil, onde chegou nas caravelas de Cabral. Nóbrega e Anchieta pertenciam a essa organização. É interessante notar que algum esforço foi feito para “catequizar” (definição católica de “evangelizar”) os indígenas, após muito discutirem se eles tinham alma ou não. Mas pouco foi feito em relação aos escravos; aliás, muitos padres eram donos de escravos, e nada fizeram até o século XIX para libertá-los.
    De qualquer forma, apesar dos golpes sofridos pela Reforma Protestante, já começava a soprar o vento do Espírito, avivando os crentes e preparando a Igreja para um novo período de vitória sobre essas trevas.
    Hoje, os homens de preto mudaram de tática: copiam modos e maneiras protestantes, enchendo as missas de músicas e “corinhos”, uns insossos como suas “homilias”, outros clonados de cantores evangélicos; e ensinam a falar em línguas estranhas. Até “mega-templos” estão adotando; fazem “batalha espiritual” e “cura interior”; e buscam a mistura com o que lhes parece mais popular. Se você ouve uma emissora católica pode ser facilmente confundido e pensar que é uma rádio cristã; mas logo as idolatrias aparecem e desfazem a farsa.
    Mas isso é só a casca: a essência não mudará, não importa se o chefe seja nazista ou esquerdista, conservador ou “progressista”, europeu ou… bem… não-europeu parece que ainda vai demorar. Os dogmas continuarão os mesmos: continuarão crendo que “sem Maria não há salvação”; que só “pedindo à mãe o filho atende”. Não vão acabar os “santos” mais lendários do que a “papisa” Joana. Continuarão com suas imagens, rezando pelos mortos, passando cinza na testa, acendendo velas, fazendo procissões, crismas, batizando crianças. A mulher não terá lugar de destaque; os “homens de preto” continuarão mais filósofos do que teólogos; ainda tentarão influenciar mais a política do que a vida espiritual das pessoas; seguirão sem poder casar e a assediar adolescentes imberbes. Nada mudará! Com a desculpa do “ecumenismo”, formarão a “igreja mundial” nos dias finais da humanidade.
    Não se iluda: um dos principais objetivos dos “papas” foi e sempre será a destruição dos “hereges” e “cismáticos”, ou seja, todo aquele que crê que a Bíblia é a única regra de fé e prática para o cristão, e por isso rejeita a tradição dos homens. O que eles chamam de “ecumenismo”, no fundo é isso: “um só rebanho, um só pastor”… desde que o “pastor” seja o “papa” de Roma.
    E é por isso que você não deve se deixar iludir pela pompa e circunstância que cerca essa “actio inter amicos” que acontece em Roma, de tempos em tempos.
    Doa a quem doer…

    • Sr. João Oliveira, você despeja aqui um monte de palavras “doutas”, “históricas”, típicas dos clássicos inimigos da Igreja que tentam combatê-la ao longo dos séculos ressaltando um passado de coisas verídicas misturadas com exageros comprovadamente forjados, descobertos por historiadores modernos os quais você deve fazer questão de não querer ler e entender. É lamentável que criaturas como você não percebam uma coisa tão simples: Jesus disse a Pedro: “as foças do inferno não a vencerão” Mt. 16,18. É estranho que uma Igreja tão “satânica” ultrapasse os séculos usando o nome de Jesus vencendo tantas investidas e tentativas de destruição por parte de históricos inimigos seus. Coisa que você não deve também fazer questão de enxergar é que o protestantismo é como uma concha de retalhos que se divide a cada dia e só se sustenta porque sus inúmeras denominações tem um único objetivo comum: “combater” a única Igreja edificada por Jesus, abafando com isso suas contrariedades mútuas que aqui e ali se manifestam em brigas de lideres religiosos onde o que deixa bem claro que o “jisus” tão pregado é o “jisus” dinheiro. Se esta Igreja católica por um acaso, sabendo-se que jamais isso ocorrerá até que ela cumpra inteiramente o seu papel estipulado por N S Jesus até a sua vinda gloriosa, deixasse de existir, acabando o “foco a perseguir”, a Igreja católica, o que viria à tona seria as divisões protestantes satânicas, suas contrariedades, que resultariam numa gigantesca guerra entre si até que todas se destruíssem mutualmente pois todas têm concepções diferentes sobre a Palavra de Deus e brigam sim, para defenderem suas “teses”. É simplesmente lamentável.

      • Sem contar sobre a inquisição né querido, o de a igreja católico matou milhões por causa da sua santidade. Pare de defender a igreja católica, e ame a Jesus.

    • Pra mim hoje quem passa a visitar a igreja cristã é perseguida e pior Deus nao tá no meio desses cristoes porque Deus é um só religiao sempre existiu e isso leva a morte e nao tá levando a ninguem a nada só guerra na terra e os anjos :

  6. Bomé interessante os catolicos falarem “Deus proibiu idolos mas permitiu imagens” agora qual a função dessas imagens?1- só existem no velho testamento,curioso o unico tipo de anjo que era confeccionado era justamente”querubins”anjos infantis que significam “inicio” além de leões e outros bichos,quem pedia intercessão ao leão?outro os idolos de Maria não podem ser igualados aos da Biblia pois é uma imagem de adoração e veneração ,além de feias.

  7. OLHA HEREGE RENATO DE CARVALHO PODE TER CERTEZA QUE TIRO SIM TODAS SUAS DUVIDAS PRIMEIRO VOU TI MOSTRAR AS SAFADEZAS E AS CORRUPÇÕES DOS LIDERES PROTESTANTES.
    AMIGO SE TODO PROTESTANTES SOUBESSE DO PODRE DO PROTESTANTISMO JAMAIS SERIA UM PROTESTANTE
    VEJA AQUI UM POUCO DA BABILÔNIA PROTESTANTE!
    ////////////

    MAS ANTES SAIBA QUE NO COMEÇO DO PROTESTANTISMO TODOS OS PROTESTANTES USAVAM OS 7 LIVROS DA BÍBLIA!
    ///////////
    E UMA OUTRA COISA RENATO DE CARVALHO:

    O canôn bíblico foi definido em 393d.C no Concílio de Hipona, procure a Ata desse Concílio e você verá que estão contidos todos os 7 livros deuterocanônicos, que faltam na bíblia protestante.
    ////////////

    A primeira bíblia impressa, a Bíblia de Gutenberg, anterior a reforma, também continha os 7 livros deuterocanônicos.
    /////////

    A SBB que é protestante, confirma o que é obvio, ou seja, confirma que os cristãos primtiviso usavam os 7 livros deuterocanônicos.

    CORRUPÇÃO E MUTILAÇÃO DAS BÍBLIAS PROTESTANTES

    E vou ti afirmar meu caro Luiz foram terríveis os prejuízos causados pelos tradutores protestantes em todas as suas tentativas de traduzir as Sagradas Escrituras. E mais a incompetência, aliada muitas vezes a má fé, causou danos irreparáveis aos ensinamentos de Jesus Cristo na terra contribuindo decisivamente para a dispersão de seu rebanho. Agora Luiz acompanhe abaixo cada tradutor protestante e seu atentado às Escrituras:
    ////////////////////////////
    Lutero

    Na Alemanha, já havia 30 diferentes edições católicas alemãs da Bíblia*, mas, Lutero, fundando o protestantismo, resolveu fazer sua tradução e adulterou Romanos 1,17, onde diz que “o justo viverá pela fé”. Ele acrescentou a palavra alemã “allein” que significa “somente”, e passou a pregar que o justo “viverá SOMENTE pela fé”. Foi o modo desonesto que ele achou para justificar sua nova religião do “Sola fide”. Ele mesmo confirmou esta adulteração, quando cheio de ódio disse: ”Se um papista lhe questionar sobre a palavra ‘somente’, diga-lhe isto: papistas e excrementos são a mesma coisa. Quem não aceitar a minha tradução, que se vá. O demônio agradecerá por esta censura sem minha permissão.”(Amic. Discussion, 1, 127,’The Facts About Luther,’ O’Hare, TAN Books, 1987, p. 201). – * (Imperial Encyclopedia and Dictionary © 1904 Vol. 4, Hanry G. Allen & Company), (Holman Bible Dictionary © 1991).
    ///////////////////////

    A carta de Tiago que condena o “Somente a fé” em (2,20), (2,14-16) e (2,21-22), foi assim tratada pelo dito “reformador”: ”A carta de Tiago é uma carta de palha, pois não contém nada de evangélico.”(‘Preface to the New Testament,’ ed. Dillenberger, p. 19.).
    Hoje, discretamente retiraram o “somente” das traduções protestantes posteriores, mas a doutrina de Lutero (sola fide) é a essência do protestantismo. Continua o jeito fácil de salvar-se, “somente” tendo fé, como determinou Lutero: “Seja um pecador e peque fortemente, mas creia e se alegre em Cristo mais fortemente ainda…Se estamos aqui (neste mundo) devemos pecar…Pecado algum nos separará do Cordeiro, mesmo praticando fornicação e assassinatos milhares de vezes ao dia”. (Carta a Melanchthon, 1 de agosto de 1521 – American Edition, Luther’s Works, vol. 48, pp. 281-82, editado por H. Lehmann, Fortress, 1963).
    /////////////////////////////////////

    Agora RENATO DE CARVALHO veja um pouco de Zwinglio
    Zwínglio foi além, na sua tradução alemã, ousou adulterar as mais importantes palavras de Jesus Cristo, com visível intenção de eliminar sua presença na Eucaristia. Colocou a palavra “significa”, onde Jesus diz que o pão “É” seu Corpo e o vinho “É” seu Sangue. Veja o repúdio de um autor protestante da época: “Não é possível de modo algum excusar este crime de Zwínglio; a cousa é por demais manifesta; (…) Não o podeis negar nem ocultar porque andam pelas mãos de muitos os exemplares dedicados por Zwinglio a Francisco, rei de França, e impressos em Zurique no mês de março de 1525. Na aldeia de Munder, na Saxônia, no ano 60 eu vi na casa do reitor do colégio, Humberto, não sem grande maravilha e perturbação, exemplares da Bíblia alemã, impressas em Zurique, onde verifiquei que as palavras do Filho de Deus haviam sido adulteradas no sentido dos sonhos de Zwinglio. Em todos os quatro lugares (Mt., 26; Mc., 14; Lc., 22; I cor., 11) em que se referem as palavras da instituição do Filho de Deus, o texto achava-se assim falseado: Das bedeutet meinen Leib, das bedeutet meinen Blut, isto significa o meu corpo, isto significa o meu sangue.” (Conr. Schluesselburg, op. cit. f. 44 a.) (citações em padre Leonel Franca, op. cit., pág. 211).
    /////////////////////////////

    E outra RENATO DE CARVALHO saiba que Lutero levantou-se contra Zwinglio, e disse que ”“é “ não pode ser traduzido por “significa””. (Uma Confissão a respeito da Ceia de Cristo – Von Abendmahl Christi, Bekenntnis WA 26, 261-509, LW 37. 151-372, PEC 287-296. – SASSE, H. Isto é o meu Corpo, p. 107).
    ~/////////////////////////////////
    Agora RENATO DE CARVALHO vou ti mostrar um pouco de outro vagabundo de nome Tyndale
    Tyndale foi outro falsário protestante, por isso, morto por um decreto do imperador em Augsburg. O rei Henrique VIII já havia condenado em 1531 a “bíblia” de Tyndale como uma corrupção da Escritura. Nas palavras dos conselheiros do rei: “a tradução da Escritura corrompida por Tyndale deveria ser totalmente expelida, rejeitada e deveria ficar fora das mãos das pessoas…”. Para se pensar, que as “bíblias” protestantes de Tyndale ou Lutero fossem tão boas, por que os protestantes europeus hoje não as usam como fazem com a King James? São Thomas More, que viveu naquele tempo comentou que, procurar erros na “bíblia” de Tyndale era semelhante a procurar água no mar. (Henry G. Graham, Where We Got The Bible (TAN Books, 1977) pp. 128,130).
    ///////////////////////////////

    Agora RENATO DE CARVALHO veja um pouco da biografia de Miguel Servet
    Miguel Servet foi outro protestante que morreu por corromper ao traduzir as Escrituras. João Calvino, o principal “reformador” protestante em 1522, obteve tantas cópias quanto pôde ter achado da Bíblia protestante de Miguel Servet para serem queimadas, já que Calvino não a aprovou. Depois Calvino queimou o próprio Miguel Servet na estaca. (Henry G. Graham, Where We Got The Bible (TAN Books, 1977) p. 129).
    //////////////////////
    Agora veja o dramaturgo inglês de nome William Shakespear
    William Shakespear, aquele da caveirinha, nasceu em 1564, e quando tinha 46 anos, em 1610, participou da tradução da Bíblia protestante do Rei Tiago (King James Version – KJV, publicada em 1611), e maliciosamente forçando a tradução, ele deixou autografado seu sobrenome no Salmo 46. Usando uma Bíblia KJV, localize o Salmo 46 e conte 46 palavras a partir do início: você encontrará a palavra “shake”. Vá agora para o final do mesmo Salmo e conte 46 palavras a partir da última voltando: você encontrará agora a palavra “spear”. Junte-as, e você obterá “Shakespear” (veja abaixo).
    SALM 46 (King James Version):
    “God is our refuge and strength, a very present help in trouble. Therefore will not we fear, though the earth be removed, and though the mountains be carried into the midst of the sea; Though the waters thereof roar and be troubled, though the mountains shake with the swelling thereof. Selah. There is a river, the streams whereof shall make glad the city of God, the holy place of the tabernacles of the most High. God is in the midst of her; she shall not be moved: God shall help her, and that right early. The heathen raged, the kingdoms were moved: he uttered his voice, the earth melted. The Lord of hosts is with us; the God of Jacob is our refuge. Selah. Come, behold the works of the Lord, what desolations he hath made in the earth. He maketh wars to cease unto the end of the earth; he breaketh the bow, and cutteth the spear in sunder; he burneth the chariot in the fire. Be still, and know that I am God: I will be exalted among the heathen, I will be exalted in the earth. The Lord of hosts is with us; the God of Jacob is our refuge”. (Charles The Hammer – Fonte: Catholic Apologetics .Net ).
    E assim o malandro Shakespear fez sua travessura, nos Salmos da bíblia inglesa protestante. Apesar do descalabro acima, esta é tida pelos protestantes como sua melhor tradução. Isso porque foi literalmente traduzida da Vulgata Católica de São Jerônimo. O crítico bíblico protestante, George Campbell, disse: “A vulgata é, no geral, uma versão boa e fiel”. ( Fonte: Lista Apologética Aplicada).
    //////////////////////////

    Agora Luiz veja quem realmente foi João Ferreira de Almeida
    João Ferreira de Almeida, um protestante adolescente de 16 anos de idade, de origem portuguesa (que não era padre coisa nenhuma, mas usava esse título para ganhar credibilidade), afirmava ter feito a primeira tradução em língua portuguesa da Bíblia, diretamente dos originais em hebraico e grego. O que não é verdade.
    Este, nunca teve a mão os originais da bíblia, mas, escritos do séc. XVI de Erasmo de Roterdam. Também valeu-se de traduções católicas em vários idiomas, como atesta a Enciclopédia Wikipédia: “João Ferreira de Almeida lançou-se num enorme projecto: a tradução do Novo Testamento para o português usando como base parte dos Evangelhos e das Cartas do Novo Testamento em espanhol da tradução de Reyna Valera, 1569. Almeida usou também como fontes nessa tradução, as versões: Latina (de Beza), Francesa [Genebra, 1588] e Italiana [Diodati 1641] – todas elas traduzidas do grego e do hebraico. O trabalho foi concluído em menos de um ano quando Almeida tinha apenas 16 anos de idade.”http://pt.wikipedia.org/wiki/Jo%C3%A3o_Ferreira_de_Almeida
    A tradução do NT do adolescente João Ferreira tinha tantos erros, que os revisores passaram quatro anos tentando corrigir o que ele fez em menos de um. Ele morreu em 1691, sem completar o VT, e outro continuou a desastrada missão. Antes de morrer, João Ferreira publicou uma lista de mais de mil erros em seu Novo Testamento, e Ribeiro dos Santos afirma serem mais. (Ribeiro dos Santos foi um importante historiador do protestantismo brasileiro. Ele era pastor presbiteriano).
    Hoje, os erros aumentaram, incluindo os de gramática, com frases inteiras erradas, tanto pela fraseologia quanto pela ortografia e sintaxe. Em (Êxodo 9,24), (I Samuel 18,22) e (I Cor 4,3) a palavra espanhola “mui” aparece com grande freqüência do VT ao NT, provando que a tradução não foi dos originais, mas, surrupiada de versões latinas.
    As novas edições do adolescente João Ferreira, trazem muitos velhos erros, apesar de aparecer escrito na página inicial de cada volume, as frases: “EDIÇÃO REVISTA E CORRIGIDA”, ALMEIDA CORRIGIDA E FIEL. Tais expressões significam, em bom português, que o que foi impresso trouxe sempre erros e mais erros, a ponto de a própria legítima Palavra de Deus ter tido a necessidade de ser examinada de novo (revista) e “corrigida” por seres humanos incapazes, dando a entender que essa Palavra revelada pela Escritura Sagrada, no Antigo e no Novo Testamento, continha erros e precisou ser CORRIGIDA!
    Em 1819, a Bíblia iniciada e não terminada por João Ferreira de Almeida foi publicada em um só volume pela primeira vez, com o título:

    Note que 128 anos depois da morte de João Ferreira, que usava o título de “padre” para ganhar credibilidade, os protestantes, continuaram usando esse mesmo falso título, para dar credibilidade a sua bíblia ainda hoje infestada de erros. Alguns dizem que ele usava o título de “padre” ingenuamente, porque eram assim também chamados os missionários protestantes. Mas ingênuo mesmo, é quem crê numa marmelada destas.
    Como se não bastasse as distorções das Sagradas Escritura, eles também a mutilaram arrancando-lhe sete livros.
    Até o início do séc. XVII, os deuterocanônicos estavam lá nas Bíblias protestantes. Dá uma conferida na edição protestante KJV de 1611, e veja que nela estavam TODOS OS DEUTEROCANÔNICOS. Somente após a morte do Rei Tiago é que os protestantes resolveram “reformar” sua bíblia, ARRANCANDO-LHE definitivamente os deuterocanônicos, e os tachando erroneamente de “apócrifos”, por contrariarem suas doutrinas humanas. E ainda espalharam a mentira de que a Igreja os teria inserido no Concílio de Trento. Para desmascará-los, basta ver tais livros no índice de bíblia de Gutemberg, impressa quase um século antes deste Concílio.
    ///////////////////////////
    Agora corrigindo os protrestantes: Olha Luiz o nome sempre significou: [escritos de assunto sagrado não incluídos pela Igreja no Cânon das Escrituras autênticas e divinamente inspiradas,] (Dicionário Enciclopédia. Encarta 99). Ou seja, são os livros que ficaram fora do Cânon da Igreja. Esses é que são os espúrios, ocultos etc, etc..
    //////////////////////

    Agora RENATO DE CARVALHO já os deuterocanônicos, estão sim no Cânon cristão. Confira: Que já escrevia Santo Agostinho, no ano 397: “… O cânon inteiro da Bíblia é o seguinte: os cinco livros de Moisés, ou seja, Gênese, Êxodo, Levítico, Números, Deuteronômio,… Tobias, Éster e Judite, e os dois livros de Macabeus,… Para dois livros, Sabedoria e Eclesiástico, é designado Salomão como autor, mas nossa provável opinião é que foram escritos por Jesus, o filho de Sirac,… Baruque,…” (Santo Agostinho, Sobre a Doutrina Cristã, livro 2, cap. 8, 13 ano 397).
    ////////////////////

    Virginia Mollenkott
    Durante os anos em que a bíblia protestante NIV (Nova Versão Internacional), esteve sendo preparada (1968-1978), trabalhou na comissão Virginia Mollenkott. Ela declarou sem a menor cerimônia: “Meu lesbianismo sempre tem sido parte de mim…” (New International Version – What today’s Christian needs to know about the NIV, G.W. & D.E. Anderson, article no. 74 TBS)
    //////////////////.
    Declarou ainda a tradutora protestante: “Até onde eu sei, ninguém incluindo o Dr. Palmer suspeitava que eu era lésbica enquanto eu estava trabalhando na NIV; era informação que eu mantinha privada naquela época”. (Carta de Virginia Mollenkott a Michael J. Penfold datada em 18 Dez. 1996).
    Como resultado natural de seu homossexualismo, Virginia Mollenkott certamente influenciou o texto da NIV, que suprimiu palavras contundentes sobre a condenação que o Senhor faz à prática homossexual. A mais escancarada foi em 1Cor 6,10 onde as palavras “efeminados” e “sodomitas” [em grego literalmente”arsenokoites” – homem que pratica coito com outro homem], foram retiradas e substituídas por “male prostitutes” (homens prostitutos) e “homosexual offenders” (ofensores de homossexuais!).
    /////////////

    Veja, agora, que se você prega para um homossexual que ele está em pecado quando pratica o homossexualismo, você o está ofendendo e você é que está cometendo o pecado imperdoável!!!
    A corrupção foi tanta, que 64.576 palavras estão faltando na corrupta NVI e DEZESSETE VERSOS INTEIROS! Veja a lista:
    Em Mateus: 3 versos: 17:21, 18:11 e 23:14.
    Em Marcos: 5 versos: 7:16, 9:44, 9:46, 11:26 e 15:28.
    Em Lucas: 2 versos: 17:36, 23:17.
    Em João: 1 verso: 5:4.
    Em Atos: 4 versos: 8:37, 15:34, 24:7, 28:28,
    Em Romanos: 1 verso: 16:24 e
    Em 1João: 1 verso: 5:7.
    Total: 17 versos subtraídos!
    A NVI foi lançada no Brasil, e certamente é a preferida das igrejas evangélicas gays: ‘Sinos de Belém’ e ‘Acalanto’. Ótima, para as corriqueiras cerimônias “matrimoniais” gays da igreja presbiteriana.
    E assim vai o povo errante do “Somente a fé”, do “significa”, dos falsários mortos, do errático tradutor de dezesseis anos que dizia-se “padre”, do “revista e corrigida”, do “ corrigida e fiel”, do Shakspear, do arranca livros e da lésbica tradutora, chamando o Todo Poderoso Deus, de “El Shadai”(???), de “Jeová” (???), ou qualquer outra coisa que os corruptores determinarem. O problema como vimos, é que seus ludibriados leitores viciam na palavra errada.
    ///////////
    O Reverendo. Dr. Aked, ministro batista, declarou à “Appleton’s Magazine,” em setembro de 1908:
    “Nas páginas da versão protestante da Bíblia será achado erros históricos, enganos aritméticos, inconsistências e contradições múltiplas, e, o que é longe pior, a pessoa acha que os crimes mais horríveis são cometidos por homens que falam: ‘Deus disse,’ em justificação de seus terríveis atos. Além disso, a Bíblia inglesa é uma versão de uma versão que é uma tradução de uma tradução. Veio do hebraico, grego e latim em inglês. Em todas suas fases antigas foi copiada à mão de um manuscrito a outro por escritores diferentes, um processo que resultou em muitos enganos”.
    Corrompendo e mutilando a Bíblia, Lutero e seus seguidores caem sob a maldição da própria Bíblia, que diz:
    ” Eu declaro a todos aqueles que ouvirem as palavras da profecia deste livro: se alguém lhes ajuntar alguma coisa, Deus ajuntará sobre ele as pragas descritas neste livro; E se alguém dele tirar qualquer coisa, Deus lhe tirará a sua parte da árvore da vida e da Cidade Santa, descritas neste livro.” (Apoc. 22,18-19).
    “É que de fato, não somos, como tantos outros, falsificadores da palavra de Deus. Mas é na sua integridade, tal como procede de Deus, que nós a pregamos em Cristo, sob os olhares de Deus.” (2 Cor. 2,17).

    EDMILSON disse:
    junho 3, 2013 às 3:35 pm
    1 0 Rate This
    AGORA LUIZ A RESPOSTA SOBRE DANIEL:

    3) Daniel 14 : 34-36 – Pode um anjo pegar pelos cabelos e levar para outro lugar?

    Qual o problema nisso? Por que isso não pode acontecer? O profeta Jonas que foi engolido e passou três dias dentro do ventre de um peixe e depois foi vomitado vivo em terra firme em outro lugar? (Jonas 2, 1-2). A jumenta de Balaão falou (Números 22, 27-28)?

    Qual o problema nessas passagens? Se cremos no Deus do impossível, por que um anjo não poderia levar alguém pelos cabelos para outro lugar? Elias foi levado ao carruagem de fogo voadora (II Reis 11), não há nenhum problema com a passagem!

    • Pera ae meu caro!!! Você está querendo introduzir no protestantismo algo como homossexualismo, quando você mesmo sabe que o que pregamos não é isso!!! Muito pelo contrário, se for comprovado que um pastor evangélico está cometendo erros (QUALQUER QUE SEJA) no ministério ele é expulso, expulso, expulso, tá ok? Esse pastor não é transferido para um outro lugar para outras criancinhas como quando acontece com vocês e o Vaticano passa a mão na cabeça.

      Você disse: “Declarou ainda a tradutora protestante: “Até onde eu sei, ninguém incluindo o Dr. Palmer suspeitava que eu era lésbica enquanto eu estava trabalhando na NIV; era informação que eu mantinha privada naquela época”. (Carta de Virginia Mollenkott a Michael J. Penfold datada em 18 Dez. 1996).
      Como resultado natural de seu homossexualismo, Virginia Mollenkott certamente influenciou o texto da NIV, que suprimiu palavras contundentes sobre a condenação que o Senhor faz à prática homossexual. A mais escancarada foi em 1Cor 6,10 onde as palavras “efeminados” e “sodomitas” [em grego literalmente”arsenokoites” – homem que pratica coito com outro homem], foram retiradas e substituídas por “male prostitutes” (homens prostitutos) e “homosexual offenders” (ofensores de homossexuais!).

      MEU CARO EDMILSON, NÃO ME VENHA COM ESSAS ACUSAÇÕES PORQUE VOCÊ ESTÁ INSULTANDO A MINHA INTELIGÊNCIA!!!

      EU E VOCÊ SABEMOS, SÓ PELO FALAR DESSA SENHORA, QUE ELA NÃO ENTENDE NADA DE ESPIRITUALIDADE, NEM TÃO POUCO DE DEUS – QUE ESQUADRINHA OS CORAÇÕES E SABE DE TODAS AS COISAS OCULTAS. ELA TIRANDO OU NÃO TEXTOS DA BÍBLIA ESTÁ ENGANANDO O HOMEM, NÃO A DEUS.

      TENHO TAMBÉM UMA LISTA ENORME DAS TRADUÇÕES ROMANAS QUE SÃO ADULTERADAS PARA ADORAÇÕES FALSAS, E COMPARO COM OS ESCRITOS JUDAICOS E OUTROS, VOCÊ QUER VER?

      O fato de estar aparecendo homossexual abrindo “igrejas” e dizendo que Deus co
      mpactua com aquelas abominações não tem nada a ver com Protestantismo!!! FALA SÉRIO CARA PROCURE ARGUMENTO MELHOR PARA FALAR MAL DE IGREJAS PROTESTANTES!!!! O FATO É QUE ELES QUEREM DEUS MAS NÃO QUEREM SE ARREPENDER, E É IMPOSSÍVEL, IMPOSSÍVEL, IMPOSSÍVEL COMPACTUAR AS DUAS COISAS!!!

      Você costuma ler muito a bibliografia (estórias) do Vaticano. Todas as outras histórias não têm valor para você porque você está dominado e não consegue pensar por si só. Com isso você acaba dizendo, por tabela, que não existe história verdadeira a não ser as escritas pelo Vaticano.

      DA OUTRA VEZ VOCÊ ME VEIO COM UMA PUBLICAÇÃO DO VATICANO SOBRE A INQUISIÇÃO, DIZENDO QUE ERA UMA “HISTÓRIA” VERDADEIRA. TENHA DÓ MEU CARO, VOCÊ ACHA QUE ELES IRIAM COLOCAR ALI TODAS AS ATROCIDADES QUE FIZERAM OU CONFIRMÁ-LAS? UM DIA ESSA PERSEGUIÇÃO VAI SURGIR NOVAMENTE, É SÓ LER EM APOCALIPSE A PARTE QUE FALA SOBRE A IMAGEM QUE RECEBE O FÔLEGO DE VIDA. VOCÊ ACHA QUE AQUILO É SIMBOLISMO? VAI PENSANDO… QUEM NÃO QUISER ADORAR AQUELA IMAGEM – COMO OS PROTESTANTES QUE VOCÊ TANTO ODEIA – VAI MORRER MEU CARO. AQUILO NÃO É SIMBOLISMO NÃO!!!

      Você sabe muito bem que a tua Patrística, nos primeiros séculos, pregava a Sola. O que eu tenho dito a você? Tenho dito que a Igreja Romana se desviou ao longo dos séculos, e foi o que aconteceu. Qualquer católico que goste de leitura sabe disso, mas aceitar ou não, já é uma outra história.

      QUEM NÃO ACEITAR VAI MORRER NO ERRO.

      • RENATO DE CARVALHO TODAS AS SEITAS QUE NASCEM NO MEIO DO PROTESTANTISMO E QUE SE DIVIDE EM HERESIAS É PROTESTANTE POIS NASCE E NASCEU DO LIVRE EXAME BÍBLICO!

        //////////////////

        AGORA VOCÊ RENATO DE CARVALHO TINHA QUE TOMAR VERGONHA NA CARA POR QUE VOCÊ FICA PEGANDO FRASES DE OBRAS DOS PADRES DA IGREJA DE SITES PROTESTANTES ONDE ELES TIRAM FRASE DO CONTESTO E ADULTERAM ESCRITOS DESCARADAMENTE?

        POR UE VC FAZ ISSO?

        SE VOCÊ QUISER EU TI PASSO OBRAS DOS PADRES DA IGREJA DA MAIOR BIBLIOTECA DO BRASIL LÁ TEM MILHARES DE OBRAS TRADUZIDAS PARA O PORTUGUÊS POIS É FEIO CARA FICAR POSTANDO O QUE NÃO É VERDADE?

        SE VC SE DIZ PROTESTANTE ENTÃO POR QUÊ MENTIR?

        ESCREVENDO ALGO QUE UM PADRE DA IGREJA NUNCA PREGOU?

        • RENATO DE CARVALHO

          VC ME DIZ:

          TENHO TAMBÉM UMA LISTA ENORME DAS TRADUÇÕES ROMANAS QUE SÃO ADULTERADAS PARA ADORAÇÕES FALSAS, E COMPARO COM OS ESCRITOS JUDAICOS E OUTROS, VOCÊ QUER VER?

          ME TRAGA PIADISTA MAS QUERO TESTEMUNHAS OCULARES FONTE HISTÓRICA DA ÉPOCA DOS FATOS VOU AMAR TI REFUTAR PARA MAS DE 2 MILHÕES DE PESSOAS QUE ENTRA NESSE SITE!

          ///////////////////////

          E OUTRA SOBRE A INQUISIÇÃO EXISTE HISTORIADORES DA ÉPOCA DOS FATOS VAI ESTUDAR

          VOCÊ VIM ME DIZER!

          DA OUTRA VEZ VOCÊ ME VEIO COM UMA PUBLICAÇÃO DO VATICANO SOBRE A INQUISIÇÃO, DIZENDO QUE ERA UMA “HISTÓRIA” VERDADEIRA. TENHA DÓ MEU CARO, VOCÊ ACHA QUE ELES IRIAM COLOCAR ALI TODAS AS ATROCIDADES QUE FIZERAM OU CONFIRMÁ-LAS? UM DIA ESSA PERSEGUIÇÃO VAI SURGIR NOVAMENTE, É SÓ LER EM APOCALIPSE A PARTE QUE FALA SOBRE A IMAGEM QUE RECEBE O FÔLEGO DE VIDA. VOCÊ ACHA QUE AQUILO É SIMBOLISMO? VAI PENSANDO… QUEM NÃO QUISER ADORAR AQUELA IMAGEM – COMO OS PROTESTANTES QUE VOCÊ TANTO ODEIA – VAI MORRER MEU CARO. AQUILO NÃO É SIMBOLISMO NÃO!!!

          VOCÊ TEM O QUE NA CABEÇA CARA?

          ///////////////

          E OUTRA OLHA COM O QUE VC ME VEM!

          Você costuma ler muito a bibliografia (estórias) do Vaticano. Todas as outras histórias não têm valor para você porque você está dominado e não consegue pensar por si só. Com isso você acaba dizendo, por tabela, que não existe história verdadeira a não ser as escritas pelo Vaticano.

          OLHA EU ESTUDO PATRÍSTICA E HISTÓRIA PRIMITIVA ONDE TEM TESTEMUNHAS OCULARES COM FATOS VERÍDICOS COM TESTEMUNHAS OCULARES

          ME DA PENA DE VÊ UMA DESGRAÇA SATÂNICA COMO VC

          PIADISTA O VATICANO NÃO MUDA NADA NA HISTÓRIA DOS FATOS QUEM TI PREGOU ISSO?
          VAI ESTUDAR HISTÓRIA VERDADEIRA NA SUA VIDA!

          ////////////////////

          NO MEIO DAS SEITAS PROTESTANTES VOCÊ NUNCA VAI APRENDER A PATRÍSTICA E A HISTÓRIA PRIMITIVA POR QUÊ ELES TEM INVEJA E ÓDIO DA UNICA IGREJA FUNDADA POR JESUS CRISTO QUE É A CATÓLICA!

          EU APOSTO 50 MIL REAIS MEUS CONTRA 10 MIL REAIS SEUS QUE O QUE OS PROTESTANTES ESCREVE QUADO FALA DA IGREJA CATÓLICA SOBRE PADRES DA IGREJA BISPOS NÃO EXISTE NA HISTÓRIA DEIXA DE SER MANÉ FILHO DO DIABO SE CONVERTA!

          ///////////////////

          EU APOSTO COM VC E APOSTO COM QUAL QUER PASTOR OU HISTORIADOR PROTESTANTES QUE ELES SÃO MENTIROSOS E RACIONALISTAS NO ASSUNTO PATRÍSTICA E HISTÓRIA PRIMITIVA!

          ////////////

          TODOS ELES RENATO DE CARVALHO ESCONDEM ESSAS VERDADES ABSOLUTAS DE VOCÊS LEIGOS

          • RENATO DE CARVALHO COMO VC E MENTIROSO!
            OLHA EXISTE LIVROS DE HISTORIA QUE SAO LIVROS DE PONTOS DE VISTA SEM PROVAS ARQUEOLOGICAS E MUITO MENOS HISTORICAS .
            ///////
            PARA VC DEBATER E QUER REFUTAR QUE SAO PEDRO NAO FOI BISPO,
            VC TEM QUE POSSUIR HISTORIADORES DA EPOCA ESCRITOS GENUINOS DA EPOCA QUE OS CONTESTE.
            PARA VC FILHO DO DIABO DIZER QUE A IGREJA FALSIFICOU DOCUMENTOS VC TEM QURE TER PROVAS
            OLHA EU POSSO DIZER QUE SHAKESPEARE NAO EXISTIU EU POSSO DIZER DE A ALEMANHA NAO E PAIS DIZER TODO MUNDO DIZ E PODE ATE VENDER MILHOES DE LIVROS COM ISSO AGORA O IMPOSSIVEL E PROVAR RENATO DE CARVALHO
            ///////////

            TRAGA FONTES PRA GENTE DEBATER PIADISTA VC SO VEM COM FABULAS TRAGA FONTES HISTORICA DA EPOCA DOS FATOS, TRAGA TESTEMUNHAS OCULARES, TRAGA REGISTROS NOTAS DE RODA PE.
            TRAGA REGISTROS ARQUEOLOGICOS E GEOLOGICOS VC DELIRA NAS SUAS LOUCURAS RECHEADAS DE MENTIRAS
            //////////
            NAO SUMA VAMOS CONVERSAR MEU DESAFIO ESTA POSTO PARA VC OU PARA QUAL QUER PROTESTANTE RACIONALISTA

  8. OS PAIS DA IGREJA E A SOLA SCRIPTURA

    “Qualquer ensinamento que não se enquadre nas Escrituras deve ser rejeitado, mesmo que faça chover milagres todos os dias” (Martinho Lutero)

    Uma das falácias mais repetidas pelos romanistas é que o conceito fundamental de “Sola Scriptura” é uma “invenção de Lutero”, que não era pregada na Igreja primitiva, aquela dos primeiros séculos de Cristianismo. O que Lutero e os demais Reformadores pregavam era que nós não podemos ultrapassar as Escrituras para impor dogmas ou doutrinas que não tem harmonia com a Sagrada Escritura, visto que esta é o ápice da autoridade em matéria doutrinária, constituída por Deus para ser o pilar e fundamento de nossa fé.

    Este presente estudo elaborado visa juntar evidências sólidas e marcantes que demonstram da maneira clara e inequívoca que a única “invenção” que existe são os dogmas e doutrinas do catolicismo que não tem qualquer apoio bíblico. A Sola Scriptura, assim como os demais princípios da Reforma Protestante, longe de serem “invenções do século XVI”, foi apenas o retorno àquilo que já era pregado pelos apóstolos e pais da Igreja nos primeiros séculos.

    Iremos, para fundamentar o nosso estudo, fazer uso constante da Patrística, o estudo dos documentos históricos dos Pais da Igreja Primitiva, para ver se ela era ou não adepta das bases da Sola Scriptura – doutrina de que a Escritura Sagrada é a autoridade máxima e final em regra de fé, e que todas as doutrinas religiosas devem estar subordinadas em harmonia a ela.

    As provas são realmente esmagadoras, e as analisaremos ao longo dos séculos, terminando por mostrar também até onde ia a “tradição” e quais são os limites dela, assim como deixar claro quando e como que a Bíblia deixou de ser a única regra de fé para os cristãos, que com o tempo passaram a crer nas tradições humanas em lugar do mandamento de Deus, que se encontra nas Escrituras Santas do Senhor.

    Infelizmente, há pouco ou quase nada sobre este importante tema em sites evangélicos que defendem a fé. Não sei se é por pouco se importarem com a Patrística ou por muita dó dos católicos, mas não vemos muito sobre isso por aí. Pelo menos de tudo o que eu consegui pesquisar na internet durante meses, o máximo que chegam a fazer é citarem um ou outro texto apenas. Por isso, me empenhei em “vasculhar” os escritos dos Pais com a finalidade de trazer provas sólidas e eficientes que demonstrem de maneira clara e elucidativa que os pais da igreja não contrariavam os Reformadores no tocante à regra de fé e prática.

    Como o objetivo aqui é apenas esmagar as pretensões católicas com base na Patrística, não será necessário abrir a própria Bíblia com esta finalidade, visto que para isso já existem os tópicos: “A Sola Scriptura (P1)” / “A Sola Scriptura (P2)” / “A Sola Scriptura (P3)”, todos estes elaborados por mim e que buscam, a partir da própria Bíblia, provar este princípio cristão.

    Quanto ao mais, estarei apenas mostrando através da Patrística aquilo que O CLERO CATÓLICO MAIS QUER VER BEM ESCONDIDO, mas já que eu não tenho medo de ser queimado no fogo, torturado ou morto por eles (ainda bem que a “Santa” Inquisição já foi para o espaço), então eu acho que não tem tanto problema assim em mostrar – de uma vez por todas – os graves erros que o catolicismo enfrenta pela frente ao fazer essa grave acusação sem fundamento.

    -A Autoridade Suprema das Escrituras no Século I

    Nada melhor do que começarmos este estudo com as provas da Sola Scriptura logo no primeiro século. Nesta época, além dos escritos apostólicos que fazem parte da Sagrada Escritura que estamos tratando, temos também outros escritos (não apostólicos, mas relevantes como fonte histórica) como a carta de Policarpo (69-155 AD) aos Filipenses e a de Clemente (35-101 AD) aos Coríntios.

    Estes tiveram contato com os apóstolos, e somam mais provas para o que estamos tratando, conquanto que as obras dos Pais nesta época não eram tantas quanto aquelas que viriam nos séculos posteriores, em muito maior quantidade tanto de escritores quanto de obras escritas. Mesmo assim, as evidências nestas duas epístolas nos indicam claramente o princípio no qual estamos lidando. Vamos dar início com a carta de Policarpo, que escreve o seguinte:

    “Creio que sois bem versados nas Sagradas Letras e que não ignorais nada; o que, porém, não me foi concedido. Nessas Escrituras está dito: “Encolerizai-vos e não pequeis, e que o sol não se ponha sobre vossa cólera.” Feliz quem se lembrar disso. Acredito que é assim convosco” (Policarpo aos Filipenses, 12:1)

    É bem interessante notarmos aqui que, em primeiro lugar, os cristãos do primeiro século já estavam versados nas Sagradas Letras. Conquanto que nada nos seja dito com relação a eles estarem sendo “doutrinados pela tradição”, a Sagrada Escritura aparece como a única regra de fé nos cristãos dos primeiros séculos. Mais adiante veremos que a tradição não servia para fundamento de doutrina religiosa não-bíblica, mas somente para práticas complementares (não-doutrinárias).

    Quando Policarpo escreve dizendo que os cristãos de Filipos estavam “versados nas Sagradas Letras” a tal ponto de que “não ignoram nada”, isso nos leva a crer que eram realmente essas mesmas “Sagradas Letras” (o único meio pelo qual Policarpo aponta quanto a eles serem versados) a autoridade suprema em regras doutrinárias.

    Não vemos ele dizendo sobre sermos versados em algum outro lugar, porque a doutrina está dentro das Escrituras, e não fora dela! Em segundo lugar, é importante observarmos que a passagem Escriturística na qual Policarpo faz tal citação não provém do Antigo Testamento, mas sim do Novo, mais especificamente na epístola paulina aos Efésios (4:26).

    É óbvio que eu não estou dizendo que o Antigo Testamento não era “Escritura Sagrada”, mas sim que o Novo Testamento também já era considerado, já em pleno primeiro século AD, como parte das Escrituras. Ou seja, os cristãos estavam versados nas Sagradas Letras, o Antigo Testamento e também o Novo, com as epístolas paulinas, sem ignorar coisa alguma, mas – é claro – ignorando qualquer “tradição” que não aparece na epístola. Os cristãos do século I poderiam ignorar a “tradição”, mas certamente não ignoravam as Sagradas Letras!

    A evidência mais forte e clara de que a Sagrada Escritura era a autoridade máxima e suprema no século I, é o fato de que os cristãos se “curvavam” diante dela:

    “Irmãos, sede cheios de imitação e zelo no que se refere à salvação. Vós vos curvastes sobre as Sagradas Escrituras, essas verdadeiras Escrituras dadas pelo Espírito Santo. Sabeis que nada de injusto e de falso está escrito nelas. Não encontrareis que os justos tenham sido rejeitados por homens santos” (Clemente aos Coríntios, 45:1)

    Que outra figura de linguagem seria mais adequada e precisa para relatar a autoridade máxima de algo, senão o termo: “vós vos curvastes diante das Sagradas Letras… essas verdadeiras Escrituras dadas pelo Espírito Santo”? Será que Clemente iria empregar uma linguagem tão forte e eloquente, chegando a tal ponto de afirmar a supremacia das Escrituras a se “curvar” diante delas, se o objetivo dele era afirmar que a Escritura NÃO é a autoridade máxima e suprema na Igreja?

    Será que alguém que quer acentuar que algo não é autoridade máxima vai empregar uma linguagem dessas? Se a Escritura não era a autoridade máxima, por que Clemente não coloca nada do lado dela como sendo juntamente importante; ou melhor, por que ele nunca nos diz para nos “curvarmos diante da ‘Sagrada’ Tradição”??? A resposta para isso é realmente muito simples: Era a Escritura a autoridade máxima e a palavra final na Igreja, motivo pelo qual Clemente insiste tanto em acentuar novamente que:

    “Caríssimos, conheceis, e conheceis bem, as Sagradas Escrituras, e vos inclinastes sobre as palavras de Deus. Nós vos escrevemos essas coisas para recordar” (Clemente aos Coríntios, 53:1)

    Nada – além das Escrituras – é referido como sendo as “palavras de Deus”. Somente as Sagradas Escrituras eram alvo de “inclinação” (i.e, subordinação, obediência à autoridade, sujeição a algo supremo) dos cristãos. Este quadro nos mostra de forma clara e inequívoca que é algo tolo e irracional acreditar que os pais da igreja do primeiro século perdiam o tempo deles falando sobre sermos “versados nas Sagradas Letras e nos inclinarmos diante delas”, sendo que ela nem sequer era a autoridade suprema diante do que nós temos que nos “inclinarmos”!

    -A Autoridade Suprema das Escrituras no Século II

    Muitas outras obras foram escritas pelos Pais no século II, quando entramos com Justino, Tertuliano, Orígenes, Irineu, Hipólito, Teófilo, entre outros. Dentre tantas citações que diretamente ou indiretamente revelam os conceitos da Sola Scriptura em seus escritos, irei passar alguns deles aqui neste estudo. Começaremos com o estudo das obras de Justino mártir que, nas suas palavras, dizia que:

    “Não temos algum mandamento de Cristo que nos obrigue a crer nas tradições e nas doutrinas humanas, mas somente naquelas que os bem-aventurados profetas promulgaram e que Cristo mesmo ensinou, e eu tenho cuidado de referir todas as coisas às Escrituras e pedir a elas os meus argumentos e as minhas demonstrações” (Justino Mártir, Diálogo com Trifão)

    Aqui está uma das principais bases da Sola nos escritos de Justino, que nos revela uma prática constante na Igreja cristã primitiva que consistia em rejeitar as tradições na forma de doutrinas humanas e referir todas as coisas à Escritura. Para Justino, deixar de referir TODAS as coisas à autoridade máxima da Sagrada Escritura significa aderir a tradições e doutrinas humanas. É digno de nota que Justino se esforçava a por os seus argumentos com base nas Escrituras, bem como as suas demonstrações tinham ela por fundamento, e não apenas em “um ou outro assunto”, mas em “todas as coisas”!

    É evidente que jamais algum católico terá a coragem de ser como Justino e ter o cuidado de referirTODAS as suas doutrinas às Escrituras, pois a grande maioria de seus dogmas e doutrinas humanas não se encontram em parte alguma da Bíblia (como eles mesmos confessam e admitem), mas sim numa chamada “tradição oral”.

    Assim, quando o povo de Deus diz que determinada DOUTRINA tem que estar na Bíblia, eles simplesmente riem, zombam, escarnecem e debocham de tal crente, dizendo que “não tem que estar na Bíblia coisa nenhuma”! Afinal, no dia em que os católicos inventarem de tomarem a posição de Justino e“referir TODAS as coisas às Escrituras”, o catolicismo simplesmente vai às ruínas, bem como as suas “tradições” antibíblicas.

    Será que os católicos referem todos os seus dogmas e todas as suas doutrinas à luz das Escrituras?Será que o papa que inventou há pouco mais de 50 anos atrás a “Assunção de Maria” se preocupou um pouquinho em “referir todas as coisas as Escrituras”?

    O que poderíamos dizer quanto às outras centenas de doutrinas pagãs e antibíblicas de tal seita, incluindo a prática da “Santa” Inquisição, a venda de indulgências (pagar $ pelo perdão dos pecados), o limbo, o purgatório, a oração pelos mortos, a confecção de imagens para prestação de culto e honra, a imaculada conceição de Maria, o batismo infantil e por aspersão, dentre outras inúmeras pseudo-doutrinas romanistas que, na sua maioria, os próprios padres confessam não se achar em lugar nenhum das Escrituras (mas apelam para a “tradição oral”), enquanto outras pessoas pagam o maior mico para se passarem pelo ridículo tentando provar todas essas asneiras nas Escrituras com uma passagem mais deturpada do que a outra?

    Podemos concluir que o que Justino escreve é, portanto, o golpe de morte nos embustes papistas que visam não referir todas as coisas às Escrituras (mas baseiam-se na fragilidade de uma suposta “tradição oral”), não tem o menor cuidado de pedir a ela os seus argumentos e demonstrações, e muito menos deixam de lado as suas tradições e doutrinas humanas que eles seguem.

    Convenhamos: se a Igreja primitiva fosse como a católica romana, que afoga as Escrituras pelos seus dogmas e diz que não precisa estar na Bíblia e se apoia nas suas próprias tradições, será que Justino iria ser tão enfático em declarar que devemos ter o cuidado de referir todas as coisas às Escrituras?

    Será que ele iria falar tão mal de “tradições” que formam “doutrinas humanas”, se eles estivessem fundamentados sobre a tradição, assim como é a ICAR nos dias de hoje? Será que um católico seria capaz de referir todos os seus dogmas, doutrinas, argumentos e demonstrações às Sagradas Escrituras? É claro que não!!! Para o maior desespero dos católicos, além do fato de que TODAS as doutrinas devem ter por base a referência das Escrituras, vemos que é SOMENTE a partir dela que nós temos o nosso fundamento:

    “Não temos algum mandamento de Cristo que nos obrigue a crer nas tradições e nas doutrinas humanas, mas SOMENTE naquelas que os bem-aventurados profetas promulgaram e que Cristo mesmo ensinou, e eu tenho cuidado de referir todas as coisas às Escrituras e pedir a elas os meus argumentos e as minhas demonstrações” (Justino Mártir, Diálogo com Trifão)

    É óbvio que o “SOMENTE” aqui não está em nada relacionado às “tradições” ou “doutrinas humanas” (que Justino vigorosamente as condena), mas sim às “Escrituras” pelas quais devem ser “referidas todas as coisas”. Este paralelismo nos deixa claro e evidente que é SOMENTE AS ESCRITURAS a regra de fé e doutrina dos primeiros cristãos. É por isso que Justino, ferrenhamente anticatólico, fazia questão de realmente referir TODAS as coisas com base nas Escrituras e à luz dela:

    “Mas agora, por meio dos conteúdos das Escrituras estimada santa e profética entre vós, eu tentar provar tudo o que eu tenho apresentado, na esperança de que algum de vocês possa ser encontrado para ser parte do remanescente, que foi deixado pela graça do Senhor dos Exércitos, para a salvação eterna” (Diálogo com Trifão, Cap.32)

    “É uma coisa ridícula… que quem funda o seu discurso nas Escrituras proféticas deva abandoná-las e abster-se de referir constantemente as mesmas Escrituras, por pensar que ele próprio pode prover algo melhor do que a Escritura” (Diálogo com Trifão 85:5)

    “Ele disse que via uma escada, e a Escritura declara que Deus se erguia sobre ela. Mas que este não era o Pai, o demonstramos pelas Escrituras… E que a rocha simbolicamente proclamava Cristo, o demonstrámos também por muitas Escrituras” (Diálogo com Trifão 86:2-3)

    “Eu desculpo e perdoo você, meu amigo, pois você não sabe o que dizes, mas foram persuadidos pelos professores que não entendem as Escrituras, e você fala, como um adivinho, o que vem em sua mente” (Diálogo com Trifão, Cap.9)

    “Você está familiarizado com eles, Trifão? Elas estão contidas em suas Escrituras, ou melhor, não a sua, mas nossa. Para nós acreditamos nelas, mas, apesar de você lê-las, não captura o espírito que está nelas” (Diálogo com Trifão, Cap.29)

    “Porque Cristo é Rei e Sacerdote, é Deus e Senhor, tanto dos anjos como dos homens, é capitão, é a pedra, e nasceu como filho, e pela primeira vez foi sujeito ao sofrimento, e em seguida retornou para o céu e, novamente, vindo com glória, Ele é anunciado como tendo o reino eterno: assim que eu provo de todas as Escrituras” (Diálogo com Trifão, Cap.34)

    ”Revertendo as Escrituras, eu devo me esforçar para convencê-lo que aquele que se diz que apareceu a Abraão e Jacó, e Moisés, e que é chamado de Deus, é diferente daquele que fez todas as coisas, numericamente” (Diálogo com Trifão, Cap.56)

    ”Eu poderia ter provado a vocês a partir das Escrituras que um desses três é Deus, e é chamado de Anjo” (Diálogo com Trifão, Cap.56)

    ”Eu estou inteiramente convencido de que nenhuma Escritura contradiz outra, e você deve se esforçar para convencer aqueles que imaginam que as Escrituras são contraditórias, em vez de ser da mesma opinião que eu” (Diálogo com Trifão, Cap.65)

    “Esteja bem certo, então, Trifão, que está estabelecido no conhecimento e fé nas Escrituras, das falsificações que aquele que é chamado diabo realizou entre os gregos” (Diálogo com Trifão, Cap.69)

    “E por esse motivo que estou, através do medo, muito sincero no desejo de conversar com os homens de acordo com as Escrituras, mas não com os que tem amor ao dinheiro, ou de glória, ou de prazer”(Diálogo com Trifão, Cap.82)

    É digno de nota que sempre Justino insistia em dizer que em todos os termos doutrinários era necessário provar nas Escrituras aquilo que ele estava dizendo. Note que ele nunca aduz a “procurar na tradição”, mas somente nas Escrituras (=Sola Scriptura), que eram sempre o pilar e fundamento da nossa fé.

    Se existissem doutrinas ocultas na Escritura Sagrada, então Justino não iria insistir tanto em dizer que aquilo que ele mesmo dizia deveria ser provado pela Escritura. Afinal, para que tamanha necessidade e obrigação de “provar algo nas Escrituras” se, como os católicos insistem em dizer, tem um monte de doutrinas “por aí” que simplesmente não se encontram na Bíblia??? Neste caso, seria inútil tal necessidade de ter que provar todas as doutrinas por “muitas Escrituras”, pois os próprios católicos são contra isso!

    “Mas que isso não era o Pai, temos de provar nas Escrituras” (Diálogo com Trifão, Cap.86)

    “E que a pedra proclamava simbolicamente Cristo, temos também que provar por muitas Escrituras”(Diálogo com Trifão, Cap.86)

    Note o termo: “temos que provar”; remete a uma necessariedade. Para que tal necessariedade, se os católicos estão mais do que convictos de que não há tão necessidade, tendo em vista a suposta “insuficiência” das Escrituras e que muitas doutrinas não estão nela? Se o pensamento católico está com a razão, qual seria a verdadeira finalidade em ser absolutamente necessário as provas por muitas Escrituras acerca do tema doutrinário que está sendo tratado? Por que Justino simplesmente não faz como os católicos, dizendo que não tem que estar na Bíblia coisa nenhuma e que não existe tal necessidade de alguma doutrina específica estar na Bíblia?

    Essas perguntas atormentam a mente dos pobres bispos católicos, pois se eles quiserem realmente responder honestamente a estas perguntas, irão direta ou indiretamente remeterem ao conceito básico da Sola Scriptura, abrindo mão de seus conceitos contra a suficiência da Bíblia. Note também que a questão que está sendo tratada aqui não é se aquele assunto em questão está ou não está na Bíblia, mas sim do porque que é NECESSÁRIO “ter que provar” pelas Escrituras, se nem todas as doutrinas precisam mesmo estar nelas. Neste caso, ainda que houvesse uma passagem bíblica sobre isso, Justino poderia fazer como os católicos e simplesmente dizer que:

    “E que a pedra proclamava simbolicamente Cristo, vamos mostrar nas Escrituras, embora não haveria necessariedade disso”

    Infelizmente Justino nem escreveu assim e nem deixou simplesmente a passagem bíblica em foco, como também fez questão de ressaltar que era necessário que tal coisa se encontrasse nas Escrituras. A questão é que eles tinham que provar por muitas Escrituras!

    Finalmente, para concluirmos todas as esmagadoras evidências que encontramos nas obras de Justino, vemos que o próprio Justino repudia a si mesmo caso provasse algo por meio de doutrinas ou argumentos humanos. Neste caso, ele próprio afirma que não deveríamos concordar com ele. Pelo que, então, deveríamos concordar com Justino naquilo que ele diz? Adivinhe!

    “Se eu me comprometo a provar isso por doutrinas ou argumentos humanos, você não deve concordar comigo. Mas se eu citar com freqüência as Escrituras, e pedir-lhe para compreendê-las, você é duro de coração no reconhecimento da mente e da vontade de Deus. Mas se você deseja permanecer para sempre assim, eu não seria ferido a todo e para sempre mantendo o mesmo parecer que eu tinha antes de eu me encontrei com você, vou te deixar” (Diálogo com Trifão, Cap.68)

    Com as citações frequentes das Escrituras! Qual é a conclusão de tudo isso? Certamente que, assim como vimos, todas as doutrinas devem ter por base e fundamento a Escritura, que todas as doutrinas devem ser referidas a ela cuidadosamente, que temos que prova-las por meio de “muitas Escrituras”, demonstrando através das Escrituras “tudo o que temos apresentado”! Por ser, portanto, a autoridade máxima e suprema em toda a regra de fé e doutrina, é óbvio que Justino não poderia deixar de dizer,CLARA E EXPLICITAMENTE, a suficiência das Escrituras:

    “Agora, então, tornar-nos a prova de que este homem que você diz que foi crucificado e subiu aos céus é o Cristo de Deus. Para você ter suficientemente provado por meio das Escrituras já citadas por você, que é declarado nas Escrituras que Cristo devia sofrer e entrar novamente na glória, e receber o reino eterno de todas as nações, e que cada reino esteja subordinado a Ele: agora mostram-nos que este homem é ele” (Diálogo com Trifão, Cap.39)

    “Mas você me parece não ter ouvido as Escrituras o que eu disse que tinha apagado. Para tal como foram citadas são mais do que suficiente para provar os pontos em disputa, além daqueles que são mantidas por nós, e ainda serão apresentados” (Diálogo com Trifão, Cap.73)

    As Escrituras são mais do que o SUFICIENTE para provar os pontos em disputa! Já imaginou um católico, daqueles típicos que escarnecem dizendo o tempo todo que “a Escritura não é suficiente” e que as doutrinas só são completas e suficientes com a “ajudinha” da “tradição” (estes dizem com todo ar de orgulho, arrogância e prepotência que ‘a Bíblia é INSUFICIENTE’!), confessarem um dia que a Escritura é MAIS DO QUE SUFICIENTE para provar os pontos em disputa???

    Bom, enquanto eles vão meditando com os ótimos ensinamentos do anticatólico Justino, podemos afirmar com certeza que se apegar as Escrituras é suficiente para estar seguro em todos os aspectos. Sim, nós não somos insuficientes com a Escritura. Nós não somos inseguros se tivermos apenas a Escritura para nos guiar, porquanto se apegar as Escrituras significa estar seguro em TODOS os aspectos, como Trifão diz a Justino:

    “Eu comentei com o senhor, que está muito ansioso para ser seguro em todos os aspectos, uma vez que você se apega as Escrituras” (Diálogo com Trifão, Cap.80)

    Sendo que é bem claro aqui que se apegar as Escrituras faz o homem seguro em TODOS os aspectos, então é óbvio que o aspecto doutrinário não está excluso deste quadro. Já pensou um cristão dizendo que a Escritura faz o homem seguro em TODOS os aspectos, se justamente o aspecto mais importante de todos (o doutrinário) está simplesmente excluso deste quadro???
    Neste caso, obviamente a Escritura não nos faria seguro em TODOS os aspectos, mas apenas emALGUNS aspectos, sendo que o PRINCIPAL aspecto – o aspecto doutrinário – ela seria insuficiente! É evidente, desta forma, que “todos os aspectos” inclui o mais importante aspecto que é oDOUTRINÁRIO. Desta forma, é possível concluirmos como Justino – que se apegar as Escrituras significa fazer o homem suficientemente seguro em todos os aspectos. Aleluia!
    Passaremos agora para as evidências da Sola Scriptura que são encontradas nos escritos do latino Tertuliano, de Cartago. Ele, assim como os demais pais da Igreja de sua época, rejeitava a “tradição oral” que incluísse alguma doutrina que não se encontrasse na Escritura ou que não fosse claramente deduzido a partir dela. Foi ele quem disse uma das mais fortes declarações contra a autencidade das tradições orais e em favor daquilo que está escrito:

    “Mostre-nos a escola de Hermógenes que o que ela ensina está escrito: se não está escrito, trema em vista do anátema fulminado contra aqueles que acrescentam à Escritura, ou tiram alguma coisa dela”(Tertuliano, Contra Hermógenes, cap. 22)

    Essa enfática declaração não nos deixa com outra alternativa senão admitirmos que, para Tertuliano, era absolutamente necessário que um determinado ensino se encontrasse nas Escrituras, ou senão ele repreende com um “anátema fulminado contra aqueles que acrescentam algo a Escritura ou tiram alguma coisa dela”!

    O fato de algo não estar escrito nas Escrituras remete necessariamente em acrescentar algo a ela. Os católicos não confessam, mas sabem que acrescentam inúmeras doutrinas às Escrituras, que não estão contidas nela, pois pensam encontrar-se na “tradição oral”.

    Tertuliano repudia totalmente tal atitude, com um “anátema [maldição] fulminante”, e mostrando o princípio de que a doutrina de seus oponentes tem que estar nas Escrituras – não existe choro e nem berra, pois estar fora dela significa estar dentro da anátema! Quanto a isso, creio nem ser necessário explanar o fato de que os romanistas nunca, jamais, e em circunstância alguma aceitariam uma coisa dessas, pois não creem que todas as doutrinas estão escritas, e vão procurar muitas doutrinas “lindas e maravilhosas” fora dela, sem ter medo de tirar ou acrescentar algo que não existe na Bíblia.

    Os católicos não “tremem” por algo não estar escrito, simplesmente porque quase NADA das “doutrinas” deles está escrito! Tudo é baseado naquilo que NÃO está escrito, naquilo queSUPOSTAMENTE foi “transmitido oralmente”, e que eles ainda imaginam que foi transmitidoincorruptivelmente até nós nos dias de hoje.

    Mal sabem eles que deveriam tremer se algo não está escrito, que estão em anátema e que estão acrescentando e tirando algo das Escrituras! Tertuliano é, assim, um dos mais claros sobre os princípios básicos acerca da Sola Scriptura dentre os pais do segundo século. Para ele, o ensino tem que estar nas Escrituras, pois do contrário está acrescentando ou tirando algo dela, estando em anátema fulminado! O que significa isso? Sola Scriptura!!!

    Também existem outras declarações suas que corroboram fortemente com isso, incluindo algumas citações que remetem (diretamente ou indiretamente) a este princípio cristão:

    “Muito bem! Você diz, eu te desafio a pregar deste dia em diante (e isto também, com a autoridade destas mesmas Escrituras) dois Deuses e dois Senhores, conforme sua própria visão. Deus proíbe (é minha resposta). Pois nós, que pela graça de Deus possuímos um discernimento sobre os tempos e as ocasiões das Sagradas Escrituras, especialmente nós que somos seguidores do Paracleto, não de mestres humanos, de fato declaramos definitivamente que Dois Seres são Deus, o Pai e o Filho, e com a adição do Espírito Santo, até mesmo Três, de acordo com o princípio da economia divina, que introduz número, para que não se possa crer que o próprio Pai, como vocês perversamente inferem, tenha nascido e sofrido, o que não é permitido crer, desde que não foi nos passado assim” (Contra Práxeas, 13)

    A pregação deveria ser feita com base na “autoridade destas mesmas Escrituras”, porque não existe confiabilidade na tradição oral. Evidentemente Tertuliano não iria exigir que tal ensino tivesse que estar dentro da autoridade das Escrituras se um monte de doutrinas cristãs nem estão na Bíblia, como os católicos dizem! Como é que Tertuliano iria exigir que o ensino estivesse fundamento na autoridade das Escrituras, se ele mesmo (como cristão) cresse que existem muitas doutrinas que nem estão nas Escrituras? Neste caso, seria inútil e impreciso que tal ensino tivesse que estar dentro das Escrituras!

    É óbvio que tal ensino (independente do teor) deveria estar dentro da autoridade das Escrituras, simplesmente porque todas as doutrinas devem passar pelo crivo Escriturístico. Se as doutrinas pudessem ter chegado com ou sem a harmonia das Escrituras, então seria ridículo que fosse necessário que tal ensino estivesse sob a autoridade das Escrituras, uma vez sendo que as doutrinas não precisariam estar dentro dela! Assim, os católicos serão obrigados a admitir que existia umcritério na igreja primitiva para uma doutrina ser considerada aceita: estar com a autoridade destas mesmas Escrituras! Isso explica porque uma doutrina não poderia ser aceita senão que fosse dada a eles através das Escrituras:

    “Certamente não se poderia crer até mesmo nestas coisas mesmo do Filho de Deus, a menos que elas fossem dadas a nós nas Escrituras” (Contra Práxeas, 16)

    Uma doutrina não poderia ser aceita a não ser que ela fosse dada a nós nas Escrituras!!! Isso nos deixa ainda mais claro e evidente que uma doutrina tem que estar dentro das Escrituras para ser considerada verdadeira. Fora dela, não haveria segurança e nem confiança digna de crédito ou respeito. Tertuliano é muito bem claro na sua afirmação categórica de que uma doutrina só pode ser aceita se for dada a nós através das Escrituras! O que é isso, senão Sola Scriptura???

    Ora, esta é a única conclusão que podemos chegar, simplesmente não existe outra. Os católicos não conseguirão mudar o fato de que as doutrinas só são admitidas se estão nas Escrituras; portanto, a Escritura é a única regra de fé e doutrina cristã. Os cristãos não admitiam doutrinas a não ser que elas fossem dadas através das Escrituras!!!

    De que adianta uma “tradição” que coloca doutrinas não-bíblicas dentro de alguma igreja em particular, se todas as doutrinas devem estar nas Escrituras? Não faz senso. A única lógica é de que a Escritura deve ser o padrão doutrinário supremo e absoluto na vida dos cristãos, assim como era com Tertuliano. Mas não para por aqui. Tertuliano afirma também que a Escritura é SUFICIENTE, novamente contrariando a tal da “insuficiência das Escrituras” tão propagada entre os papistas. Assim como Justino, Tertuliano pregava que:

    “Nos deixe felizes em dizer que Cristo morreu, o Filho do Pai; e deixe isto ser suficiente, porque as Escrituras nos disseram assim” (Contra Práxeas, 29)

    Fica muito claro que a Escritura é suficiente, pois através dela uma doutrina pode ser considerada como fidedigna e verdadeira. Isso é suficiente… porque as Escrituras nos disseram assim, e não porque chegou a nós através de uma “tradição” não-escrita! Ademais, Tertuliano ainda continua dizendo sobre a AUTORIDADE das Escrituras, deixando entender que se tratava de um PADRÃO de autoridade máxima que os cristãos deveriam seguir, tão grande quanto o próprio apóstolo:

    “Pois mesmo o apóstolo, em sua declaração – que ele não faz sem sentir o peso dela – que “Cristo morreu”, imediatamente adiciona, “de acordo com as Escrituras”, para que ele possa aliviar a dureza da declaração pela autoridade das Escrituras, e assim remover a ofensa do leitor” (Contra Práxeas, 29)

    Depois de tudo isso, alguém ainda poderia dizer que Tertuliano pregou algo sobre a tradição que não se encontrava na Bíblia. Isso é verdade; porém, eles infelizmente se esquecem completamente de que tais tradições não eram em termos doutrinários ou de ensino, mas sim de meros costumes. Não era uma tradição tal como a dos católicos, que corrompem as Escrituras e anulam o mandamento de Deus para dar lugar às suas vãs tradições passadas oralmente. Sobre isso, Tertuliano diz:

    “Todas as vezes que iniciamos ou terminamos alguma coisa, todas as vezes que entramos ou saímos de casa, quando nos vestimos, nos calçamos, vamos tomar banho, nos pomos à mesa, acendemos as luzernas, vamos para a cama, nos sentamos, qualquer que seja a ocupação para a qual nos preparamos, façamos frequentemente na nossa testa um pequeno sinal da cruz. Para estas e outras semelhantes praxes da disciplina cristã, se tu pretendes normas bíblicas, não encontrarás nenhuma. Sobre a sua fonte te será antes mostrado a tradição que causou a origem delas, o costume que motivou a continuidade delas e a fidelidade que leva a observá-las” (Tertulliano, La Corona [ De Corona] , Roma 1980, 3-4; pag. 153,155)

    Perceba que todas essas práticas que Tertuliano diz não se encontrarem explicitamente nas Escrituras são todas elas meros costumes, e não doutrinas! Ora, existe uma enorme diferença entre doutrinas e costumes, se é que os católicos sabem disso. Doutrinas teológicas devem necessariamente estar contidas em nossa única e verdadeira regra de fé, a Escritura Sagrada.

    Porém, alguns costumes que não afetam em absolutamente nada a nossa salvação e que não tem ligação doutrinária podem ser praticados, como é o caso que Tertuliano faz com o “sair de casa”, as vestes, o “tomar banho”, o se “por a mesa”, o “acender as luzernas”, dentre outras semelhantes praxes da disciplina cristã, que não são doutrinas, mas sim COSTUMES, como ele faz questão de observar lá no final.

    Em outras palavras, Tertuliano não está negando o princípio da Sola Scriptura e muito menos dizendo que existem doutrinas que não estão na Bíblia. Ele apenas se refere a um ou outro costume que de doutrinário não tem nada e que não se encontra nas Escrituras explicitamente. Por exemplo, qualquer evangélico que crê na Sola Scriptura pratica o “sair e entrar em casa”, se vestem, tomam banho e acedem a luz. Isso qualquer protestante faz naturalmente e sem deixar de modo nenhum de acreditar na Sola Scriptura!

    Nenhum evangélico precisa abrir mão da Sola Scriptura para sair de casa ou tomar um banho! Portanto, tais costumes em absolutamente NADA afetam o fato da Sola Scriptura, pois o princípio da Sola não é que todos os COSTUMES se encontram na Bíblia, mas sim que todas as DOUTRINAS se encontram nela. A Escritura contém tudo o que precisamos no tangente à SALVAÇÃO, para sermos irrepreensíveis à vista de Deus e lhe obedeçamos perfeitamente. Wayne Grudem definiu a suficiência das Escrituras da seguinte maneira:

    “A suficiência da Escritura significa que a Escritura continha todas as palavras de Deus que ele pretendeu que seu povo tivesse em cada estágio da história redentora, e que agora ela contém tudo o que precisamos que Deus nos diga para nossa salvação, para confiarmos nele perfeitamente e para que lhe obedeçamos perfeitamente” (Wayne Grudem, Teologia Sistemática, Ed. Vida Nova)

    A conclusão que nós chegamos é que todas as doutrinas se encontram na Bíblia, mas alguns costumescomo esses (passados por Tertuliano) podem não se encontrar diretamente nela; sem, contudo, contrariar a Sola Scriptura, pois não se trata de questões doutrinárias e muito menos que sejam importantes para a salvação do ser humano.

    Ninguém em sã consciência iria negar viajar de avião porque “o avião não está na Bíblia”! É óbvio que mesmo um seguidor da Sola Scriptura pode perfeitamente viajar de avião (mesmo sem o avião estar na Bíblia) porque isso não afeta em nada a Sola Scriptura, que evidentemente não se refere a costumes (como viajar de avião, tomar banho, se por a mesa e se vestir, etc), mas sim a doutrinas teológicas fundamentais para a salvação.

    Ou seja, a Sola Scriptura é absolutamente aplicável dentro disso que Tertuliano disse, assim como qualquer outro evangélico praticaria sem o menor problema! Os católicos que usam esta passagem (e outras semelhantes) nos escritos dos pais para provar a validade da tradição só mostram não saber nada quanto à diferença fundamental entre COSTUMES e DOUTRINAS, eles misturam as duas coisas porque muitas vezes é proibido pensar no catolicismo.

    É extremamente importante mostrar tal passagem de Tertuliano sobre a tradição, pois quase sempre quando os pais falam sobre a “tradição” é neste sentido, isto é, de meros costumes ou de informações históricas, mas não sobre doutrinas que não se encontram nas Escrituras.

    Por isso mesmo é preciso prestar sempre muita atenção a estes sites católicos que passam uma lista aparentemente “assustadora” de passagens isoladas de Patrística que falam da tradição, que podem chegar a surpreender algum boboca que não consegue diferenciar entre os tipos de “tradição” existentes, e pode cair em uma cilada por causa disso. Veremos mais à frente como que a tradição citada por Irineu é algo com suporte bíblico, e como que a tradição citada por Eusébio se limita a conhecimentos puramente históricos.

    Nenhuma delas se refere a algo que os católicos romanos criaram mais tarde para suportar as heresias deles, de uma tradição antibíblica e doutrinária, que não se encontra nas Escrituras e que nem pode ser aduzido a partir dela. Veja que Tertuliano não citou uma lista de doutrinas praticadas que não se encontram nas Escrituras, colocando como exemplo o purgatório, o limbo, a intercessão dos santos, todos os “títulos” de Maria ou a sua “assunção” aos céus. Ele não faz uma lista de nenhuma dessas doutrinas, porque de fato não existia nenhuma lista de DOUTRINAS não-bíblicas, mas apenas uma lista de COSTUMES que não se encontram expressamente nela.

    Se existisse uma lista de DOUTRINAS que não se encontram nas Escrituras, então Tertuliano certamente passaria para nós; afinal, isso seria de tão extrema importância muito mais do que os meros costumes! Por que razão Tertuliano cita apenas costumes, mas nunca doutrinas? Simplesmente porque, de fato, não existiam doutrinas fora das Escrituras, e por isso apenas costumes são referidos na lista de Tertuliano. Qualquer católico, por exemplo, se lhe fosse pedido fazer uma lista das tradições romanistas, iria começar com todas as doutrinas e dogmas que eles chegaram através da tradição.

    Muito provavelmente a lista se resumiria a tais dogmas e doutrinas, podendo talvez ter alguma coisa sobre costumes. Evidentemente na religião católica as doutrinas que chegaram através de tradição ficam em primeiro lugar porque elas são muitas e formam o pilar do catolicismo. Eles JAMAIS se “esqueceriam” de mencionar as doutrinas e dogmas na lista de tradições!

    Tertuliano, contudo, faz questão de ressaltar apenas alguns COSTUMES que eram tradição. Ele não fala NADA sobre doutrinas (o que seria certamente muito mais importante, valioso e relevante do que os costumes), porque realmente as DOUTRINAS não se encontram na tradição, mas sim na Bíblia.

    É essa a conclusão mais razoável que podemos chegar através do fato de que ele cita apenas costumes e não doutrinas que fossem de grande maior relevância e que poderiam ser perfeitamente aplicadas ali. Note que Tertuliano cita nominalmente oito dos costumes dos cristãos (tradição), e sumaria o resto dizendo sobre outras “SEMELHANTES praxes da DISCIPLINA cristã”, sobre os “COSTUMES que motivou a observá-las”.

    Evidentemente esse “SEMELHANTES” não pode se tratar de DOUTRINAS, mas sim de OUTROS COSTUMES. Tertuliano não diz que além dos costumes também existiam “DOUTRINAS CRISTÃS” legadas somente pela tradição que não se encontra na Bíblia. Ao contrário, ele alega que as outras tradições que eles seguem são SEMELHANTES àquelas recém mencionadas por ele.

    Ou seja, se trata evidentemente de outros COSTUMES observados, e não sobre questões doutrinárias! Com efeito, vemos nestes trechos de Tertuliano não apenas que a alegação católica é claramente falsa e inválida, mas também a comprovação de que não existiam doutrinas não-bíblicas incluídas nas tradições cristãs, mas apenas meros costumes.

    Isso liquida completamente com as pretensões romanistas que insistem em dizer que existia uma “tradição apostólica doutrinária e extra-bíblica” que foi “transmitida oralmente” nos primeiros séculos até os dias de hoje, porque já em pleno segundo século AD vemos a confirmação de que essa “tradição” não tinha nada a ver com doutrinas extra-bíblicas, mas apenas com costumes.

    Outro dos mais influentes pais da igreja primitiva que iremos analisar é Orígenes. Ele escreveu, em sua obra “De Principii”:

    “Em terceiro lugar, os apóstolos nos manifestaram o Espírito Santo, associado em honra e dignidade ao Pai e ao Filho. Nisto, porém, já não se distingue manifestamente se o Espírito Santo é gerado ou não gerado, ou se deve ser tido também ele mesmo como Filho de Deus ou não. São estas coisas que devem ser investigadas com o melhor de nossa capacidade através de uma cuidadosa busca a partir das Sagradas Escrituras” (Cap.4)

    Aqui vemos uma clara declaração de que é através de uma cuidadosa busca a partir das Sagradas Escrituras que uma determinada questão doutrinária em específica é fundamentada. Note que Orígenes, assim como os demais pais, não aduzem em momento algum a uma suposta “tradição oral” na qual eles poderiam perfeitamente fundamentar-se (caso elas realmente existissem); ao contrário, é apenas à Escritura que ele se refere como fazendo uma cuidadosa busca.

    Convenhamos: se a fonte de fé dos cristãos nos primeiros séculos não fosse somente as Escrituras, mas também uma tradição com igual valor e importância, não seria conveniente que Orígenes fizesse “cuidadosa busca” a partir dela também? Com certeza; mas este não é o caso! Um pouco mais a frente, nesta mesma obra abordada, Orígenes diz o seguinte:

    “Importa, portanto, que use destas coisas como de elementos e fundamentos, segundo o mandamento que diz: “Iluminai-vos pela luz da ciência”, todo aquele que deseje construir uma série e um corpo de razões de todas estas coisas, para investigar por meio de afirmações manifestas e necessárias o que haja de verdade em cada uma delas, e edificar um corpo de exemplos e afirmaçõesa partir do que tiver encontrado nas Sagradas Escrituras” (Cap.10)

    Vemos, portanto, que é a partir do que temos encontrado nas Escrituras que podemos edificar o corpo com exemplos e afirmações práticas. Novamente, quando a questão chega a sua fase doutrinária, vemos a “tradição” simplesmente evaporando na cena. Fica muito claro que doutrinas são fundamentadas sobre aquilo que tiver sido encontrado nas Sagradas Escrituras! Orígenes também é o autor de várias outras declarações, tais como:

    “Quem vem instruído na música de Deus, sendo um homem sábio em palavra e obras, como outro Davi… apresentará o som da música de Deus, tendo aprendido deste a pulsar as cordas no tempo correto, ora as cordas da Lei, ora as cordas do Evangelho em harmonia com elas, e novamente as cordas Proféticas e, quando a razão o exige, as cordas Apostólicas que estão em harmonia com as Proféticas, e de igual modo as Apostólicas com aquelas dos Evangelhos. Pois ele sabe que toda a Escritura é um instrumento de Deus perfeito e harmonizado, o qual a partir de diversos sons liberta uma voz de salvação para aqueles dispostos a aprender, que detém e restringe toda a obra de um mau espírito, tal como a música de Davi punha a repousar o espírito mau em Saul, o qual também o estava sufocando. Vemos, então, que ele é em terceiro lugar um pacificador, que vê de acordo com a Escritura a paz de toda ela, e implanta esta paz naqueles que buscam corretamente e fazem distinções adequadas num espírito genuíno” (Sobre a unidade e harmonia das Escrituras)

    Veja que é a Escritura um instrumento de Deus “perfeito e harmonizado”, e que “liberta uma voz de salvação”. Ora, como dizer que a Sagrada Escritura é insuficiente para a salvação do ser humano, sendo que Orígenes afirma que é exatamente ela o instrumento perfeito utilizado por Deus para libertar a voz de salvação aos homens?

    Como ela pode ser considerada insuficiente, se este mesmo Orígenes afirma que ela é perfeita e harmonizada? Isso realmente não faz lógica, a não ser que fôssemos deduzir mais uma vez que Orígenes, assim como os demais pais da igreja, faziam menção ao princípio da Sola Scriptura em contraste direto com as tradições não-bíblicas, e do clero católico que afirma que a Escritura é insuficiente.

    Note também que Orígenes, além de induzir à suficiência das Escrituras, também declara que um homem sábio em palavras e em obras deve estar em harmonia com os Evangelhos, com os Profetas e com os Apóstolos. Orígenes está claramente aqui impondo uma ordem claramente Escriturística: (1)Lei; (2) Profetas; (3) Evangelhos; (4) Apóstolos. É precisamente esta a ordem presente na Sagrada Escritura, e Orígenes diz que devemos estar em harmonia com elas.

    Como Orígenes teria dito isso, se a igreja primitiva supostamente “católica romana” praticava inúmeras doutrinas que simplesmente não tem harmonia com as Escrituras??? É evidente que tal harmonia só ocorre em caso que os próprios cristãos não se desviassem da harmonia presente nas Escrituras (Lei+Profetas+Evangelhos+Apóstolos).

    Em toda a Patrística, eu desafio os romanistas a irem buscar qualquer documento histórico da Igreja primitiva que com certeza absoluta não encontrarão nenhuma declaração categórica de alguém que tenha dito tal asneira de que “a Sagrada Escritura é insuficiente”! Já vimos claras declarações com respeito à suficiência dela, algumas claramente e diretas e outras que podem ser feitas por inferência e um raciocínio lógico e indutivo. Vejamos mais algumas declarações de Orígenes com relação à Escritura Sagrada e a sua perfeita harmonia e suficiência como autoridade máxima e suprema de fé e prática. Ele escreve dizendo:

    “Não observo que seja grandemente confirmado pela autoridade da sagrada Escritura; ao passo que, em relação aos restantes dois, se encontra um considerável número de passagens nas sagradas Escrituras que parecem passíveis de ser-lhes aplicados” (De Principii, 4)

    Note que Orígenes nega receber algum ensinamento que não tenha base Escriturística. Primeiramente ele diz que não observa que aquilo seja confirmado pela autoridade da Sagrada Escritura (então ele repudia tal ensino). Em seguida, ele analisa outros dois restantes que, por sua vez, se encontra um considerável número de passagens nas Sagradas Escrituras; então, Orígenes diz que aqueles sim seriam possíveis de serem aplicados! É muito claro e evidente aqui um princípio básico de aceitação doutrinária: Se o ensino não é confirmado pela autoridade máxima da Escritura, ele é repudiado; mas, se é confirmado por um considerável número de passagens bíblicas, então é possível de ser aplicado!

    O que isso significa? Significa simplesmente que é impossível que um ensino seja aplicável a não ser que haja um considerável número de passagens nas Sagradas Escrituras que confirme isso! Isso evidentemente exclui os ensinamentos papistas da parada, porquanto não existe um “considerável número de passagens nas Sagradas Escrituras” que os confirmem; seguindo-se, portanto, que eles não seriam possíveis de serem aplicados na teologia da igreja primitiva, na visão de Orígenes. O que Orígenes diz é realmente muito simples:

    (1) Ou o ensino é confirmado pela autoridade da Sagrada Escritura por um considerável número de passagens, e neste caso é possível de serem aplicados.

    (2) Ou então não é possível ser-lhe aplicados, se não se encontra este considerável número de passagens nas Sagradas Escrituras, pois não estaria sendo confirmado pela autoridade suprema da Sagrada Escritura.

    Isso nos deixa muito claro que só é possível uma doutrina ser aplicada caso se encontre na Bíblia. Se não, vou usar a mesma expressão usada por Tertuliano: “trema diante do anátema fulminado contra aqueles que acrescentam algo a Escritura, ou tiram dela alguma coisa”!

    Orígenes tem sempre o cuidado de referir um considerável número de passagens das Sagradas Escrituras que podem ser aplicadas, porque fora dela não se está na verdade, mas sim no erro. Ele diz também:

    “Ora, tudo isto, como sublinhámos, foi feito pelo Espírito Santo para que, vendo que aqueles eventos que jazem na superfície não podem ser nem verdadeiros nem úteis, possamos ser guiados à investigação daquela verdade que está oculta mais profundamente, e à afirmação de um significado digno de Deus naquelas Escrituras que cremos inspiradas por Ele” (De Principii, 4:15)

    “O Espírito Santo, porém, não cuidou apenas, desta forma, as Escrituras compostas até ao advento de Cristo; mas sendo um e o mesmo Espírito, e procedendo de um mesmo Deus, procedeu de igual modo com os evangelistas e apóstolos” (De Principii, 4:16)

    “Ao passo que a divindade de Jesus é estabelecida tanto pela existência das Igrejas dos salvos, como pelas profecias expressas concernentes a Ele, e pelas curas produzidas em Seu nome, e pela sabedoria e conhecimento que há n`Ele, e as verdades mais profundas que são descobertas por aqueles que sabem como ascender de uma fé simples, e investigar o significado que subjaz nas Escrituras divinas, conforme as admoestações de Jesus, que disse ‘Esquadrinhai as Escrituras’ e o desejo de Paulo, que ensinou que ‘devemos saber como responder a todo o homem’, sim, e também de quem disse ‘estai sempre preparados para dar um resposta a todo aquele que vos pedir a razão da fé que há em vós.’” (Contra Celso III, 33)

    Creio que não seja mais necessário mostrarmos como que Orígenes, sem medo de errar, buscava sempre colocar como fundamento as Escrituras que deveriam ser “esquadrinhadas” e que fariam o homem preparado para dar resposta a qualquer que pedir a razão da esperança que nele há. Infelizmente para os católicos, essa esperança e fé vêm através das Escrituras, e não por meio de alguma tradição extra-bíblica que alguém alegue possuir.

    Note também que, mesmo se este outro fato fosse levado em consideração, qual seria a tradição correta a seguirmos? Ora, a própria tradição da Igreja Católica do Oriente é bem diferente da tradição da Igreja Católica do Ocidente, seguindo-se, portanto, que certamente muitas “tradições” se corromperam em meio a este processo. Os católicos querem grifar meia dúzia de passagens encontradas na Patrística para dizerem que devemos seguir a tradição; mas, neste caso, qual seria a tradição que deveríamos seguir?

    A tradição dos ortodoxos ou a dos romanos, que são amplamente divergentes entre si? Sendo que os pais apenas se preocupavam em escrever sobre a “tradição”, por que razão deveríamos presumir que os ortodoxos estão equivocados (se são tão antigos quanto os próprios romanos) e apenas os romanos que estão corretos em suas “tradições”?

    Ora, certamente o romanista não terá algum “argumento” para sustentar isso, mas apenas falácias e mais falácias e um desespero emocional em tentar denegrir a tradição dos ortodoxos para colocar a sua no lugar, sem critério nenhum. Pergunte aos ortodoxos se o purgatório existe. Pergunte a eles se a tradição oral deles diz que o limbo existe. Pergunte a um ortodoxo se Maria foi assunta aos céus. Pergunte a um ortodoxo se o bispo romano tem primazia universal sobre todas as demais comunidades e se possui a infalibilidade doutrinária. Pergunte a eles, e você verá que as suas “tradições” dizem coisas completamente inversas com relação a Roma.

    Isso já deveria se esperar tendo em vista tradições corrompidas e adulteradas ao longo dos séculos (ou tradições que nem sequer passaram a existir um dia e que foram posteriormente inventadas por algum sujeito, às vezes até pelo próprio papa), mas certamente não deveria se esperar em caso que as tradições fossem plenamente confiáveis e seguras em seu todo. Elas não são simplesmente “interpretadas diferentemente”, mas são diretamente contraditórias.

    Algo é muito diferente de outro, e nos mostram que, ainda que Orígenes ou qualquer outro pai falasse sobre as tradições de sua época, isso não resolveria em nada a questão, até o dia em que eles conseguissem provar também que as tradições deles que são as corretas, que as dos ortodoxos estão erradas (exatamente nos pontos que discordam da Igreja Romana) e que as tradições orais são plenamente seguras e confiáveis. Essas coisas nunca um católico, por mais prepotente ou seguro que seja, conseguirá responder honestamente e sem rodeios. Mas vamos retornar ao nosso estudo central sobre os escritos dos pais e continuar com o massacre de Orígenes contra a catequese:

    “Para tratar de tantas e tais coisas não basta confiar a sumidade deste assunto aos sentidos humanos e à inteligência comum, discorrendo, por assim dizer, visivelmente sobre as coisas invisíveis. Devemos tomar também, para a demonstração das coisas de que falamos, os testemunhos das Divinas Escrituras. No entanto, para que estes testemunhos possam oferecer-nos uma fé certa e indubitável, tanto nas coisas que haveremos de dizer, como nas que já dissemos, parece-nos ser necessário mostrar antes que as próprias Escrituras são divinas, isto é, inspiradas pelo Espírito de Deus. Mostraremos, tão brevemente quanto pudermos, o que as próprias Escrituras nos dizem a este respeito e que nos possa mover competentemente. Falaremos, pois, de Moisés, o primeiro legislador do povo hebreu, e das palavras de Jesus Cristo, autor e príncipe da religião e do dogma dos cristãos” (De Principiis, Livro IV, Cap.1)

    “Feito este breve comentário sobre a inspiração das Sagradas Escrituras pelo Espírito Santo, parece-nos agora necessário explicar por que motivo alguns, ignorando o caminho pelo qual se alcança o entendimento das letras divinas, não as lendo corretamente, caíram em tantos erros” (De Principiis, Livro IV, Cap.8)

    “Deve fazê-lo, primeiro, para que os mais simples sejam edificados pelo próprio corpo das Escrituras, por assim dizer. É deste modo que chamamos ao entendimento comum e histórico. Se, porém, eles já começam a adiantar-se um pouco, de tal modo que possam entender algo mais profundamente, que sejam edificados também pela própria alma das Escrituras” (De Principiis, Livro IV, Cap.11)

    Aqui vemos primeiramente que devemos tomar para demonstração daquilo que dizemos os testemunhos das Divinas Escrituras. Em segundo lugar, que as próprias Escrituras são divinas (inspiradas pelo Espírito Santo). Em terceiro lugar, ver o que a Escritura diz a respeito. Em quarto lugar, provada a inspiração divina das Escrituras, devemos ler ela corretamente. E, em quinto lugar, devemos ser, assim, edificados pelo corpo das Escrituras. Ora, todo este processo seria profundamente desnecessário em caso que a única fonte de fé dos cristãos não fosse a Escritura Sagrada.

    Em primeiro lugar, seria desnecessário Orígenes ter que primeiro colocar os fundamentos da inspiração da Escritura para depois fundamentar aquilo que ele mesmo estava dizendo. Por que simplesmente não “confiar na tradição”? Vemos que Orígenes se preocupava em demonstrar aquilo que ele dizia através dos testemunhos da própria Escritura e, desta forma, precisava provar que ela era divina, isto é, que ela é inspirada pelo Espírito de Deus. Tudo isso seria desnecessário em caso que a tradição tivesse valor doutrinário igual e paralelo às Escrituras.

    Neste caso, Orígenes certamente ocuparia o seu tempo também para colocar as bases da tradição (assim como ele fez com a Escritura), provando também que a tradição era sagrada ou divina e que se fundamentava também nela para demonstrar aquilo que ele dizia. Contudo, tal simplesmente não acontece, e o único fundamento de Orígenes era a Escritura (=Sola Scriptura), pelo que ele se preocupava em estabelecer as bases dela como as suas próprias bases de demonstração doutrinária.

    Ele segue estar ordem para, enfim, dizer que nós somos edificados pelo corpo (ou “alma”) das Escrituras, pois é ela a nossa autoridade máxima e suprema de fé e doutrina e, desta forma, é nela e por meio dela que nós somos edificados espiritualmente. Se isso tudo não for “Sola Scriptura”, então que o papista em questão se levante para demonstrar aonde foi que Orígenes perdeu o tempo dele tendo que provar a origem e autoridade da tradição, dizendo que ela é sagrada, mostrando que ela é divina, que é inspirada por Deus, e que demonstrava as suas teorias com base numa tradição extra-bíblica e que era edificado pelo corpo e alma da tradição!

    Mais à frente vemos Orígenes fazendo declarações ainda mais fortes, como que a Sagrada Escritura foi o instrumento concedido por Deus para a salvação dos homens:

    “Assim como o homem é dito ser constituído de corpo, alma e espírito, assim também o é a Sagrada Escritura que pela liberalidade divina foi concedida para a salvação dos homens” (De Principiis, Livro IV, Cap.11)

    A Sagrada Escritura foi o instrumento concedido por Deus para a salvação dos homens!!! Orígenes também diz:

    “No entanto, se em todas as coisas desta roupagem, isto é, se em tudo o que se encontra na história da lei, fossem guardadas as conseqüências e conservada a ordem, de tal modo que nela a inteligência pudesse conservar um curso contínuo de entendimento, não acreditaríamos que pudesse haver mais nada inserido mais profundamente nas Sagradas Escrituras do que isto que nos é manifestado na sua superfície” (De Principiis, Livro IV, Cap.15)

    As Escrituras são tão suficientes, mas tão suficientes, que nada poderia estar inserido mais profundamente nela, além daquilo que já está manifestado em sua superfície! Ora, seguindo a “lógica” católica de que a Escritura é insuficiente e existem muitas doutrinas que não se encontram na Bíblia (nem superficialmente e nem profundamente), Orígenes jamais poderia ter dito que nada poderia estar inserido “mais profundamente” nela além daquilo que já está, se realmente os cristãos guardavam “tradições” doutrinárias que não estão na Bíblia em lugar nenhum!!!

    A lógica complementar nos diz que, se nada poderia estar inserido nas Escrituras além daquilo que já está, então logicamente o que está nela já nos é o suficiente. E isso factualmente aniquila com as pretensões católicas de dizer que as várias doutrinas e dogmas de sua “Igreja” não se encontram na Bíblia porque ela é insuficiente! É por isso que a verdade mais alta se encontra nas Escrituras:

    “Tudo isto, conforme dissemos, o Espírito Santo buscou para que, na medida em que o que está na superfície não possa ser verdadeiro ou útil, rapidamente fôssemos chamados à busca de uma verdade mais alta e procurássemos nas Escrituras, que cremos inspiradas por Deus, um sentido digno de Deus”(De Principiis, Livro IV, Cap.15)

    É procurando nas Escrituras que encontramos a “verdade mais alta”. Cremos que, se essa “verdade mais alta” só se encontra através de uma cuidadosa busca através das Escrituras inspiradas de Deus, então consequentemente essa mesma Escritura deve ser fonte de doutrina suficiente para conter as verdades acerca de Deus e do Seu Reino. Por isso, não devemos ser guiados pela vileza das palavras, mas sim pela inteligência das letras divinas, que sabemos que foi o Espírito Santo quem as inspirou:

    “Exortados assim brevemente pela própria lógica e coerência do assunto, embora nos tenhamos estendido um pouco, seja suficiente o que dissemos para mostrar que há algumas coisas cuja significação não pode ser explicada por nenhum discurso da língua humana, mas que são declaradas por uma inteligência mais simples do que as propriedades de quaisquer palavras. A esta regra deve ater-se também a inteligência das letras divinas, e considere-se o que se diz não pela vileza da palavra, mas pela divindade do Santo Espírito que inspirou quem as escreveu” (De Principiis, Livro IV, Cap.27)

    Outro influente pai da Igreja primitiva foi Irineu de Lyon. Dele procedem várias afirmações que iremos analisar a seguir. Algumas delas são usadas pelos católicas, outras pelos protestantes. Como evidentemente Irineu não era bipolar e nem poderia entrar em contradição consigo mesmo e dentro de um mesmo e único livro, temos que achar um consenso se ele realmente cria que a Sagrada Escritura era suficiente para a salvação, ou se ela era um livro qualquer. Ele disse:

    “O verdadeiro conhecimento é a doutrina dos Apóstolos, e a antiga constituição da Igreja em todo o mundo, e a manifestação distinta do Corpo de Cristo conforme as sucessões dos bispos, pelas quais eles transmitiram aquela Igreja que existe em todos os lugares, e chegou até nós, sendo guardada e preservada sem nenhuma falsificação nas Escrituras, por um sistema muito completo de doutrina, esem receber adição nem subtração; e a leitura [da Palavra] sem falsificação, e uma exposição lícita ediligente em harmonia com as Escrituras, sem perigo nem blasfémia, e o preeminente carisma do amor, o qual é mais precioso do que o conhecimento, mais glorioso do que a profecia, e que excede todos os outros dons” [Adv Haer IV, 33,8]

    É por demais óbvio a partir disso que uma doutrina deveria estar em diligente harmonia com as Escrituras para ser considerada como verdadeira. Isso não acontece coma igreja de Roma simplesmente porque eles subtraem as Escrituras pelas tradições humanas que eles possuem, suplantando a autoridade máxima e suprema das Sagradas Letras. Irineu, sem hesitação, afirma que a Escritura chegou guardada e preservada sem nenhuma falsificação, e que possui um sistema COMPLETO de doutrina. Preste atenção nesta declaração de Irineu: “…por um sistema MUITO COMPLETO de doutrina…”.

    Isso é um “xeque-mate” nas pretensões romanistas, uma vez sendo que, a Bíblia sendo um sistema COMPLETO DE DOUTRINAS, elimina as chances ou possibilidades de ser um livro doutrinariamente insuficiente e incompleto. Afinal, como pode um livro em particular ser um sistema MUITO COMPLETO DE DOUTRINA se ele não possui a totalidade das doutrinas de Deus? Se existem pontos doutrinários importantes que não estão contidos na Bíblia, mas estão ocultados dela, por que razão Irineu iria escrever que justamente a Escritura era este “sistema completo”?

    Será que os católicos sabem mesmo o que significa este: “COMPLETO”??? Creio que não. Mas o mais significativo não é simplesmente a ignorância dos católicos quanto aos escritos de Irineu e essa insistência tola em retirar de seus escritos apenas aquilo que lhes convém (quando ele fala um pouco sobre a tradição, o que veremos mais a seguir), mas sim o fato deles ignorarem absolutamente todas as outras evidências no escrito deste mesmo indivíduo, que prova que a Escritura não é um sistema doutrinariamente incompleto e que as doutrinas devem estar em diligente harmonia a ela. No mais, Irineu afirma isso ainda mais claramente, quando disse:

    “De nada mais temos aprendido o plano de nossa salvação, senão daqueles através de quem o evangelho nos chegou, o qual eles pregaram inicialmente em público, e, em tempos mais recentes, pela vontade de Deus, nos foi legado por eles nas Escrituras, para que sejam o fundamento e pilar de nossa fé”[Irenaeus, “Against Heresies” 3.1.1, p. 414.]

    Note duas coisas principais aqui neste texto: Em primeiro lugar, que não houve ‘acréscimos’ doutrinários desde que os apóstolos começaram a anunciar a mensagem do evangelho. Isso é muito relevante, pois os católicos constantemente adicionaram doutrinas ao longo dos séculos, desde a fundação da Igreja Romana como centralizada no poder, até pleno século passado, com as suas milhares de invencionices e doutrinas que são totalmente ocultas em séculos anteriores.

    Irineu não disse que o evangelho ou a doutrina apostólica estaria sujeita a acréscimos ao longo dos séculos (como a Igreja católica fez e continua fazendo até hoje), mas sim que ele estava FECHADO, não sujeito a ACRÉSCIMOS, pois de nada eles tinham aprendido quanto ao plano de salvação senão através de que o evangelho nos chegou! Em segundo lugar, a declaração de Irineu ali no final do verso mata toda a charada: A Escritura é o fundamento e pilar de nossa fé! Aleluia!!!

    Infelizmente os católicos nunca poderão tomar a mesma atitude que Irineu, dizendo que a Sagrada Escritura é o pila

      • RENATO VOCÊ QUE CRITICA ROMA SAIBA QUE ELE É BÍBLICO FILHO DAS TREVAS:
        VEJA AQUI MAS UMA REFUTAÇÃO!

        CARTA AOS QUE ESTÃO EM ROMA
        ROMANOS 1,7. “a todos os que estão em Roma, queridos de Deus, chamados a serem santos: a vós, graça e paz da parte de Deus, nosso Pai, e da parte do Senhor Jesus Cristo!”
        //////////////
        ROMANOS 16,20 “O Deus da paz em breve não tardará aesmagar Satanás debaixo dos vossos pés. A graça de nosso Senhor Jesus Cristo esteja convosco!” (Rm 16,20)
        /////////////////////

        Renato de carvalho vocês integrantes dessas seitas protestantes, quando citam a sigla da Igreja Católica, citam: “ICAR” (Igreja Católica Apostólica Romana), mas quando pronunciam seu nome, pronunciam malandramente apenas: “igreja romana”, em berrante contradição. Logo fica evidenciada a má fé dos inimigos da Igreja de Cristo, que tentam confundir o termo “romana” com local de origem desta, enquanto procuram esconder os próprios países de origem de suas seita
        ///////////////////////s.
        Renato de Carvalho não sabe você, que a Igreja Católica Apostólica Romana, é tão “romana” quanto o apóstolo Paulo o foi, sem jamais ter nascido em Roma/Itália.
        VOCÊ RENATO DE CARVALHO
        Desconhece os seguidores de seitas alemãs, americanas, inglesas, holandesas e brasileiras, que no tempo que Cristo fundou a sua única Igreja na Palestina, quase todo o oriente era território ocupado por Roma. Pompeu já havia conquistado a Palestina para Roma e a transformado em uma província governada por judeus. Veja que São Paulo não nasceu em Roma/Itália, mas em Tarso, hoje Turquia, e era “romano de nascimento”, como também é nesse sentido, a única Igreja fundada por Cristo na Palestina. (”Palestina”, Enciclopédia® Microsoft® Encarta 99. © 1993-1998 Microsoft Corporation. Todos os direitos reservados.)
        ///////////////////
        AGORA HEREGE RENATO DE CARVALHO:
        Confira o que respondeu São Paulo em (Atos 22, 27-28): “E, vindo o tribuno, disse-lhe: Dize-me, és tu romano? E ele disse: Sim”. E respondeu o tribuno: Eu com grande soma de dinheiro alcancei este direito de cidadão. Paulo disse: Mas eu sou de nascimento”.
        Agora Renato de Carvalho como explicar isso a um pastor evangélico de paletó lascado, se São Paulo nasceu em Tarso, Turquia???
        ////////////
        Todos sabemos que se um argentino nascer nas ilhas Malvinas que, fica na Argentina, será declarado “cidadão inglês”, por este ter nascido em território ocupado pela Inglaterra, mesmo estando na Argentina de Diego Maradona.
        ///////////
        O mesmo aplica-se a Igreja Católica Apostólica Romana, que Cristo fundou na Palestina, território então, também ocupado por Roma. Logo desabam as “igrejas” de areia protestantes.
        ////////////
        ENTENDA RENATO DE CARVALHO
        Que é neste sentido que a Igreja de Cristo é “romana”, mas, antes disso em seu nome, ela é “CATÓLICA” (universal) e“APOSTÓLICA” (dos apóstolos de Cristo), coisa que jamais serão de fato, as seitas protestantes fundadas por pecadores dezesseis séculos depois na Alemanha, Estados Unidos, Inglaterra, Holanda, Brasil, etc.
        //////////////////
        São Paulo e os demais apóstolos só conheceram a Roma/Itália geográfica e para lá levaram a Igreja depois que Cristo disse: “(…)Tem bom ânimo: porque, como deste testemunho de mim em Jerusalém, assim importa que o dês também em Roma”. ) (Atos 23,11).
        /////////////
        Logo escrevia São Paulo aos romanos: “A todos os que estais em Roma, amados de Deus, chamados Santos: Graças a paz de Deus, nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo. Primeiramente, dou graças a Deus por Jesus Cristo, acerca de vós todos, porque em todo o mundo é anunciada a vossa fé.” (Rm 1,7- 8).
        //////////////
        Como vemos,RENATO DE CARVALHO que em todo o mundo é anunciada a fé dos “romanos” que estão em Roma, e não a fé posterior dos alemães, americanos, ingleses, holandeses e brasileiros, seguidores de seitas que enganam, querendo colocar-se no lugar da Igreja de Cristo, promovendo as divisões condenadas pelo próprio apóstolo São Paulo, que já alertava naquele tempo aos romanos: “Noteis os que promovem dissensões (divisões) e escândalos contra a doutrina que aprendeste; desviai-vos deles. Porque os tais não servem a Nosso Senhor Jesus Cristo, mas ao seu ventre; e, com suaves palavras e lisonjas, enganam o coração dos símplices”.(Romanos 16,17-18).
        (Versículos conforme bíblia de João Ferreira, usada pelos protestantes das seitas: alemães, americanas, inglesas, holandesas brasileiras, etc.).
        ///////////////
        Agora Renato de Carvalho corrija, quando encontrar um protestante desavisado chamando a Igreja Católica Apostólica Romana, que Cristo fundou, de “igreja romana”.
        /////////////
        A Igreja fundada por Cristo nasceu Romana
        Quando Cristo nasceu o império Romano dominava grande extensão do mundo conhecido. A Palestina (Judéia-Samaria-Galiléia) eram províncias romanas.
        ////////////
        Em 40 a.C., Herodes, genro de Hircano II, foi nomeado rei da Judeia por Octávio e Marco António. Foi-lhe concedida autonomia quase ilimitada nos assuntos internos do país. A Judeia foi então invadida pelos partos, porém Herodes obteve ajuda das legiões romanas que expulsaram os invasores. Tornou-se rei efectivamente em 37 a.C., com a conquista da cidade de Jerusalém. (…)
        ////////////
        E MAIS PIADISTA RENATO DE CARVALHO.
        A partir de 6 d.C., tornou-se uma província romana sob juridisção parcial do governador da Síria. A administração do território é entregue a governadores romanos da ordem equestre, chamados de prefeitos. Mais tarde, serão também chamados de procuradores.

        VAI ESTUDAR GEOGRAFIA E ARQUEOLOGIA RENATO DE CARVALHO POIS A PATRÍSTICA QUE VOCÊ CITE É FALSIFICADA VOCÊS TIRA FRASE DO CONTESTO ADULTERAM TEXTOS DESCARADAMENTE ISSO É CRIME E TINHA QUE DA CÁDEIA.

        E SÓ MAIS UMA DICA RENATO DE CARVALHO VISITE AS MAIORES BIBLIOTECAS DO MUNDO E LEIA OS ORIGINAIS DOS PADRES DA IGREJA E OS COMPARE COM ESCRITOS DOS PADRES DA IGREJA DE SITES PROTESTANTES SATÂNICOS E VOCÊ VAI SE DECEPCIONAR MUITO E VAI CHORAR FEL.

    • VOCÊS SABEM A DEFINIÇÃO DE CONTRADIÇÃO? OLHA QUE EU SOU SÓ UM PEDREIRO E ANALFABETO , MAS TENHO VISTO MUITOS ERROS GRAMATICAIS E DE ENTENDIMENTOS DE DEFINIÇÕES DE PALAVRAS.

      SINCERAMENTE COMO PEDREIRO E DE POUCO ESTUDO EU NÃO DEVO NADA A VOCÊS, NO QUE DIZ RESPEITO A OBRIGAÇÃO DE SER CONHECEDOR DA GRAMÁTICA PORTUGUESA E SIGNIFICADO DE PALAVRAS.

      EU PODERIA ME CONTRADIZER SE DESSE MUITAS DEFINIÇÕES PARA UM MESMO ASSUNTO, O QUE NÃO É O CASO.

      CREIO QUE VOCÊS NÃO TENHAM ADJETIVOS PARA QUALIFICAR CERTAS SITUAÇÕES, E POR ISSO SÃO MUITO REPETITIVOS.

      • RENATO DE CARVALHO OLHA VOCÊ É UMA DESGRAÇA NA SOCIEDADE!

        POR CAUSA DE SEMI ANALFABETOS COMO VOCÊ,
        TODOS OS DIAS SURGE UMA NOVA SEITA NO BRASIL E NO MUNDO.

        VOCÊ É UMA ABERRAÇÃO OLHA TI SUGIRO A ESTUDAR NAS MAIORES BIBLIOTECAS DO MUNDO! PARE DE PESQUISAR SUAS FABULAS EM SITES SATÂNICOS PROTESTANTES!

        ESTUDE NAS FONTES FILHO DAS TREVAS!

        AGORA SOBRE A GRAMATICA EU TI RESPONDO COM SIMPLICIDADE EU POR EMOÇÃO E FELICIDADE DE DEBATER CONTRA HEREGES COMO VOCÊ ACABO ESCREVENDO ERRADO POIS NÃO REVISO O QUE ESCREVO PARA HEREGES COMO VOCÊ

        AGORA RENATO DE CARVALHO EU SÓ REVISO MEUS COMENTÁRIOS QUANDO ESCREVO UMA MATÉRIA PARA REFUTAR MALDITOS COMO VOCÊ!

        MAS MUITO OBRIGADO VOU COMEÇAR A CORRIGIR MEUS COMENTÁRIOS KKKKKKKKKK

        POIS É MUITO FEIO MESMO EU ESCREVER ERRADO UM APOLOGISTA COMO EU
        QUE ESTUDOU A MAS DE 8 ANOS A PATRÍSTICA E A HISTÓRIA PRIMITIVA NA SUÍÇA

        E SER REPREENDIDO POR UM HEREGE SEMI ANALFABETO DE NOME RENATO DE CARVALHO QUE PESQUISA SUAS FABULAS EM LIVRARIAS PROTESTANTES E EM SITES DE WIKIPEDIA KKKKKKKK

        • MUITO BEM!!! É ISSO QUE EU VENHO MOSTRANDO. ALGUÉM QUE SE DIZ CRISTÃO E É CHEIO DE ÓDIO POR NÃO TER ARGUMENTO. UM CRISTÃO DE VERDADE NÃO USA DE PALAVRAS COMO ESSAS. POR MAIS QUE ENCONTRE PESSOAS QUE, SEGUNDO VOCÊ, ESTEJA ERRADA NO QUE CONCERNE AO CONHECIMENTO DE DEUS, OS ARGUMENTOS TERIAM QUE SER SEMPRE EM PROL DA PALAVRA DE DEUS.
          COMO UM CRISTÃO PODE TER TANTO ÓDIO? VOCÊ É RELIGIOSO, NÃO É CRISTÃO.

          JESUS DISSE: “APRENDEI DE MIM, QUE SOU MANSO E HUMILDE DE CORAÇÃO”

          TAMBÉM ESTÁ ESCRITO QUE O QUE CONTAMINA O SER HUMANO NÃO É O QUE ENTRA PELA BOCA, E SIM O QUE SAI: COM A BOCA VOCÊ PODE AMALDIÇOAR OU ABENÇOAR.

          AH! NÃO É ESTUDE NAS FONTES FILHO DAS TREVAS!
          É: ESTUDE NAS FONTES, FILHO DAS TREVAS! COM VÍRGULA.

          FALE QUE O QUE MANDEI SOBRE A TORÁ DOS JUDEUS ESTÁ ERRADO. O QUE EU DISSE LÁ NÃO TIREI DE SITE.

          IDOLATRIA É ISTO AQUI, DITA POR UM RABINO. NÃO FOI EVANGÉLICO QUE ESCREVEU.
          VOCÊS TEIMAM EM DIZER QUE ESTAMOS ERRADOS… KKKKKKKKKKKK … LEIA O RABINO FALANDO:

          E OLHA QUE JACÓ FOI UM HEROI DA FÉ.

          VAMOS VER O QUE DIZ A TORÁ DOS JUDEUS? É A TORÁ MESMO, EM HEBRAICO, ARAMAICO E TRADUZIDA PARA O PORTUGUÊS PELO RABINO MEIR MATZLIAH MELAMED . NOTE-SE QUE ATÉ AS PALAVRAS SÃO DIFERENTES.

          GÊNESIS 47: 29

          “E CHAGARAM OS DIAS DE ISRAEL PARA MORRER, E CHAMOU SEU FILHO JOSÉ, E DISSE-LHE: SE, ROGO, ACHEI GRAÇA A TEUS OLHOS, PÕE, ROGO, TUA MÃO DEBAIXO DE MINHA COXA, E FARÁS COMIGO CARIDADE E VERDADE; ROGO-TE, NÃO ME SEPULTES NO EGITO”

          NA MESMA TORÁ TEM UM COMENTÁRIO SOBRE ESSE VERSÍCULO, VEJA:

          “NÃO ME SEPULTES NO EGITO – JACOB ERA ADMIRADO NA TERRA DE SEU EXÍLIO COMO UMA FIGURA MÁGICA, RESPEITADA PELO POVO EGÍPCIO. SE FOSSE ENTERRADO NESTA TERRA, SEU TÚMULO SE TRANSFORMARIA EM LOCAL SAGRADO, FOCO DE PEREGRINAÇÃO E ADORAÇÃO. SER IDOLATRADO APÓS A MORTE SERIA UM FINAL TRÁGICO PARA UMA PESSOA QUE SIMBOLIZOU A FÉ NO DEUS ÚNICO DURANTE A SUA VIDA”

          • RENATO DE CARVALHO OLHA EU ESPERAVA MAS DE VOCÊ?
            VOCÊ É MUITO FRACO SE ESPELHA EM YOUTUBE E EM ESCRITORES DO NOSSO TEMPO!
            VOCÊ SE MOSTRA RACIONALISTA E CONTRADITÓRIO.

            COMO TENHO PENA DE VOCÊ RENATO DE CARVALHO!

            SOBRE IMAGENS E IDOLATRIA VOCÊ PECA MUITO COM ERROS GRAVES!

            SOBRE O PRIMADO DA IGREJA VOCÊS PROTESTANTES QUEREM CONTESTAR
            O QUE 1500 ANOS ATRÁS NUNCA FORA CONTESTADO

            RENATO DE CARVALHO VAMOS VIAJAR TI MOSTRO A GRANDEZA DA PATRÍSTICA E A GRANDEZA DA HISTÓRIA PRIMITIVA

            AMIGO A IGREJA CATÓLICA SEMPRE FOI SANTA E SEMPRE SERVIU DE MODELO

            OS RACIONALISTAS, OS HEREGES SEM RELIGIÃO, E MUITOS OUTROS
            ESCREVEM LIVROS FALSOS E AMADORES PARA GANHAR DINHEIRO AS CUSTAS DA MENTIRA!

            INQUISIÇÃO, PAPISA, CONSTANTINO,ETC…

            SE VOCÊ FOSSE MAS ESPERTO E INTELIGENTE RENATO DE CARVALHO
            VOCÊ IRIA NA ÉPOCA DOS FATOS PARA VÊ SE ISSO EXISTIU MESMO?

            MAIS NÃO VOCÊ PREFERE VIVER NA MENTIRA!

            QUE UM EXEMPLO DAQUI A 500 ANOS APARECER UM HISTORIADOR AFIRMANDO QUE PELÉ NÃO FEZ MIL GOL

            AÍ QUEM LESSE SEUS LIVROS CONTRA PELÉ ACREDITARIA NESSE CARRASCO

            MAIS QUEM FOSSE INTELIGENTE E FOSSE NAS ÉPOCAS DOS FATOS VERIA QUE O QUE O TAL HISTORIADOR DISSE E ESCREVEU É UM TAL ABSURDO

            ASSIM TAMBÉM É MEU CARO RENATO DE CARVALHO OS HISTORIADORES PROTESTANTES QUANDO ESCREVE CONTRA A IGREJA VAI POR MIM
            COMECE A VÊ ISSO MAS A FUNDO!

        • FRANCISCO ESTÁ AÍ A MINHA RESPOSTA AOS SANTOS QUE ESTÃO NO CÉU!
          TI FIZ ESSA MATÉRIA PARA ESCLARECER SUAS DUVIDAS?
          POIS SANTOS NÃO SÃO E NUNCA FORAM INVENÇÕES DA IGREJA CATÓLICA MEU CARO LEIGO.

          VAMOS LÁ:

          A IGREJA CATÓLICA SEMPRE PREGOU OS SANTOS POR QUE DESDE SEMPRE OS SANTOS SEMPRE FORAM PREGADOS BIBLICAMENTE DESDE SEMPRE PELOS PROFETAS.

          VEJA:

          Vendo-o, pois, os filhos dos profetas que estavam defronte em Jericó, disseram: O espírito de Elias repousa sobre Eliseu. E vieram-lhe ao encontro, e se prostraram diante dele em terra. (2Re 2:15 ACF)
          OS SANTOS NÃO SÃO E NUNCA SERÃO ÍDOLOS QUANDO ELES SÃO COLOCADOS NO SEU DEVIDO LUGAR!
          AQUI NESSE PEQUENO ESTUDO VOU MOSTRAR UM POUCO DA TRADIÇÃO BÍBLICA QUE MOSTRA CLARAMENTE QUE QUEM MORRE E FOR SALVO JÁ ESTÁ NO CÉU VAMOS LÁ!

          E PARA COMEÇAR VEJA AQUI NESSE VERSÍCULO QUE JÓ JÁ ESTAVA MORTO E ELE JÁ ERA REFERÊNCIA BÍBLICA EM TOBIAS E AINDA É CHAMADO DE SANTO POR TOBIAS
          VEJA:
          Tobias, 2

          12. Deus permitiu que lhe acontecesse essa prova, para que a sua paciência, como a do santo homem Jó, servisse de exemplo à posteridade.
          VIU A PRÓPRIA BÍBLIA CHAMA DE HOMEM SANTO A PESSOA QUE SERVIU A DEUS QUANDO ESSE HOMEM ESTAVA NA CAMINHADA DA VIDA PREGANDO O BEM E SERVINDO DE FÉ EXEMPLO!
          VEJA:

          Terrível é Deus na assembléia dos santos, maior e mais tremendo que todos os que o cercam. (Salmos 88, 8)
          MEUS IRMÃOS E MINHAS IRMÃS AGORA PARA NÃO RESTAR DUVIDAS?
          COMPARE O SALMO 88,8 ).
          COM O VERSÍCULO DE APOCALIPSE 5;8 )
          VEJA:
          IT- PERFUMES – “Quando recebeu o livro, os quatro Animais e os vinte e quatro Anciãos prostraram-se diante do Cordeiro, tendo cada um uma cítara e taças de ouro cheias de perfume (que são as orações dos santos)” (Apocalipse 5,8).
          AGORA EM OUTRA PASSAGEM VEJA QUE MOISÉS MESMO MORTO A MILHARES DE ANOS ELE É REFERÊNCIA BÍBLICA NO NOVO TESTAMENTO QUE AFIRMA QUE ELE ESTÁ VIVO E AINDA JULGA
          VAMOS LÁ:
          IT-APÓSTOLOS – “Orai por nós” (Hb 13,18) itBONS – Quem acusa os maus também os defende os bons – “Não julgueis que vos hei de acusar diante do Pai; há quem vos acusa: Moisés, no qual colocais a vossa esperança. ” (São João 5,45)

          IT- BONS – Quem acusa os maus também os defende os bons – “Não julgueis que vos hei de acusar diante do Pai; há quem vos acusa: Moisés, no qual colocais a vossa esperança. ” (São João 5,45)

          E PARA NÃO RESTAR NENHUMA DUVIDA COMPARE ESSE VERSÍCULO DO NOVO TESTAMENTO COM O DE TOBIAS DO VELHO TESTAMENTO
          E VEJA QUE OS (PATRIARCAS )
          SÃO CONSIDERADOS SANTOS E VIVOS!
          VEJA:
          Somos filhos dos santos (patriarcas), e esperamos aquela vida que Deus há de dar aos que não perdem jamais a sua confiança nele. (Tobias 2, 18)
          E MAIS NOTE A SINTONIA DESSE VERSÍCULO AÍ DE CIMA QUE FALA DOS PATRIARCAS COM ESSE AQUI DEBAIXO
          VEJA:
          Eu digo a vocês: muitos virão do Oriente e do Ocidente, e se sentarão à mesa no Reino do Céu junto com Abraão, Isaac e Jacó. (Mt 8,11).
          AGORA VEJAM MAS PROVAS CLARAS SOBRE OS SANTOS NO CÉU
          O Senhor disse a Moisés: “Eu sou o Deus de Abraão, Isaac e Jacó..”(Ex 3,6).
          No tempo de Moisés, Abraão, Isaac e Jacó já haviam morrido.
          Como Deus disse que era o “DEUS DELES” ?
          Ora, ele não é Deus dos mortos, mas dos vivos. (Mt 22,31-32).

          O ENGRAÇADO É QUE AINDA TEM PROTESTANTES QUE TENTAM INUTILMENTE REFUTAR A IGREJA CATÓLICA DIZENDO QUE OS SANTOS SÃO INVENÇÃO DA IGREJA CATÓLICA ISSO É O CUMULO!
          AGORA
          VEJA MAIS REFERÊNCIAS AOS SANTOS NO CÉU
          IT-CONHECIMENTO – 2 – “Não sabeis que os Santos julgarão o mundo?”. (1 Cor 6, 2). Ora, o mundo a que São Paulo se referia é o nosso mundo dos vivos. Portanto, Os Santos, para nos julgarem, devem conhecer nossas necessidades, isto é, devem ter contato com nossa realidade.
          DETALHE
          IT-CONHECIMENTO – 3 – Samuel profetizou mesmo depois de morrer: “Depois disso, adormeceu e apareceu ao rei, e lhe mostrou seu fim (próximo); levantou a sua voz do seio da terra para profetizar a destruição da impiedade do povo” (Eclesiástico 46,23)

          AGORA VEJA COMO OS OSSOS DE UM SANTO PROFETA MESMO MORTO FAZ MILAGRES
          IT-ELISEU – “Ora, aconteceu que um grupo de pessoas, estando a enterrar um homem, viu uma turma desses guerrilheiros e jogou o cadáver no túmulo de Eliseu. O morto, ao tocar os ossos de Eliseu, voltou à vida, e pôs-se de pé. ” (II Reis 13,21)
          RESUMINDO MEUS IRMÃOS E MINHAS IRMÃS
          A IGREJA PROVA PELA PATRÍSTICA E PELA ARQUEOLOGIA QUE A DEVOÇÃO AOS SANTOS JÁ VEM DE NOÉ DE ABRAÃO DE MOISÉS ETC…
          E AOS TEMPOS DOS APOSTÓLOS INDISCUTIVELMENTE.
          VEJA UMA PEQUENA PROVA!
          IT-GRAFITOS – Nas catacumbas de São Sebastião, em Roma, onde foi sepultado este glorioso mártir, há um lugar denominado: “Memória Apostólica de São Sebastião”. Entre os anos 250 e 260, os cristãos aí depositaram os restos mortais de São Pedro e São Paulo. Ao que tudo indica, serviu de refúgio. O violento acirramento da perseguição dos Imperadores Decio e Valeriano trazia o perigo de profanação aos seus túmulos. O Martyriologium Hieronymi, no ano de 258, faz referências à festa de São Pedro, celebrada como hoje, no dia 29 de junho, simultaneamente com a de São Paulo nessas catacumbas e a do 1º Papa também no Vaticano. O corpo de São Sebastião foi colocado nesse cemitério subterrâneo e lhe deu o nome. Nas paredes circunvizinhas ao lugar do sepultamento há 660 grafitos com intercessões aos dois Apóstolos. São redigidos em grego, latim e uma em aramaico, datados em torno do ano de 257. Eis como exemplo: “Pedro e Paulo intercedei pelos pecadores”; “Paulo e Pedro rogai por Vítor”; “Paulo e Pedro rogai por cada um de nós e pelos nossos bens”; “Paulo e Pedro abençoai-nos”. Tais orações são feitas em favor de vivos e mortos por cristãos oriundos de várias partes do orbe, o que se deduz pelos idiomas usados. Esses grafitos – eu os vi recentemente – revelam costume no início da Igreja de os fiéis pedirem a intercessão dos santos junto ao trono de Deus.
          E MAIS
          IT-MORTOS – A Igreja sempre acreditou na intercessão dos que haviam “morrido em Cristo,” isto é, santamente. Daí o culto aos mártires desde o tempo das catacumbas. Veja, … estas inscrições encontradas nas lápides túmulares, nas catacumbas: “Ático, dorme em paz seguro de tua salvação e pede solícito por nossos pecados” (Inscrição em lápide, hoje no Museu Capitolino) “Vicência, pede em Cristo por Febe e por seu esposo” ( Catacumba de São Calixto). “Sabácio, doce alma, PEDE E ROGA PELOS IRMÃOS E COMPANHEIROS TEUS” ( Catacumba de São Gordiano). “Genciano, fiel, em paz, que viveu 21 anos, 8 meses e 16 dias. QUE EM TUAS ORAÇÕES ROGUES POR NÓS, PORQUE TE SABEMOS EM CRISTO” ( Lápide encontrada na via Salária). E veja, …, esta outra inscrição como mostra a crença dos cristãos primitivos no Purgatório: ” Ó Cristo, tem presentes a Marcelino pecador e a Jovino, que sempre vivais em Deus”( Cemitério de São Pedro) [ Todas estas inscrições estão citadas no livro de Lúcio Navarro, Legítima Interpretação da Bíblia,p. 542].

          CONCLUSÃO A TRADIÇÃO JÁ VEM DESDE O COMEÇO DO POVO DE DEUS DO ANTIGO TESTAMENTO!

          VOU DA UNS EXEMPLOS:

          PELA TRADIÇÃO O CEGO CHAMAVA JESUS DE FILHO DE DAVI!
          MAS JESUS NÃO Ó ADVERTIU E MUITO MENOS CONDENOU OU ADVERTIU O CEGO DE ELE ESTARIA COMETENDO IDOLATRIA POR CHAMAR JESUS DE FILHO DE DAVI! POIS DAVI JÁ ESTAVA MORTO NO TEMPO DE JESUS?
          VEJA:
          Lucas 18
          35 Ao aproximar-se Jesus de Jericó, um homem cego estava sentado à beira do caminho, pedindo esmola.
          36 Quando ouviu a multidão passando, ele perguntou o que estava acontecendo.
          37 Disseram-lhe: “Jesus de Nazaré está passando”.
          38 Então ele se pôs a gritar: “Jesus, filho de Davi, tem misericórdia de mim!”
          39 Os que iam adiante o repreendiam para que ficasse quieto, mas ele gritava ainda mais: “Filho de Davi, tem misericórdia de mim!”
          40 Jesus parou e ordenou que o homem lhe fosse trazido. Quando ele chegou perto, Jesus perguntou-lhe:
          41 “O que você quer que eu faça?” “Senhor, eu quero ver”, respondeu ele.
          42 Jesus lhe disse: “Recupere a visão! A sua fé o curou”.
          43 Imediatamente ele recuperou a visão e seguia Jesus glorificando a Deus. Quando todo o povo viu isso, deu louvores a Deus.

          E MAIS ISSO É TRADIÇÃO JÁ PREGADA NO TEMPO DE JESUS
          E MUITO ANTES TAMBÉM PELOS DOUTORES DA LEI PELOS ESCRIBAS
          E TAMBÉM PELOS MESTRE DA LEI E POR TODOS OS ANCIÕES
          AGORA:
          VEJA COMO O POVO COMPARAVA JESUS
          QUEM DIZEIS QUE EU SOU?
          Em Marcos 8:27-29, Jesus abordou os discípulos com duas perguntas: A primeira foi “Quem dizem os homens que sou eu? E muitos comparam jejus e
          Diziam que ele era João Batista, Elias, e algum dos profetas –
          E NOTE AQUI: QUE JESUS NÃO REPREENDEU NENHUM DOS APOSTÓLOS E MUITO MENOS O POVO QUE AFIRMAVA QUE JESUS FOSSE JEREMIS ETC…
          SABE POR QUE? JESUS NÃO ADVERTIA O POVO?
          POR QUE O PRÓPRIO JESUS FAZIA REFERÊNCIAS AOS PATRÍRCAS JÁ MORTOS E ABRAÃO É UM GRANDE EXEMPLO DISSO!
          JESUS DIZIA QUE ANTES DE VIM AO MUNDO ABRAÃO JÁ SORRIA COM SUA CHEGADA!
          JESUS TAMBÉM FALA DE LAZÁRO NO SEIO DE ABRAÃO.

          E A BÍBLIA TAMBÉM DIZ QUE TODAS AS DECENCIAS CHAMARÃO ABRAÃO DE PAI DA FÉ!

          E O ANJO TAMBÉM DIZ QUE TODAS AS DECENDENCIAS CHAMARÃO MARIA DE BEM AVENTUDA.
          VEJAM O QUE DIZ SÃO PAULO
          “2. Conheço um homem em Cristo que há catorze anos foi arrebatado até o terceiro céu. Se foi no corpo, não sei. Se fora do corpo, também não sei; Deus o sabe. 3. E sei que esse homem – se no corpo ou se fora do corpo, não sei; Deus o sabe – 4. foi arrebatado ao paraíso e lá ouviu palavras inefáveis, que não é permitido a um homem repetir” (II Coríntios capítulo 12)
          AGORA VEJA A LIGAÇÃO DESSE OUTRO VERSÍCULO!
          São Lucas 23:39-43: “E um dos malfeitores que estavam pendurados blasfemava dele, dizendo: Se tu és o Cristo, salva-te a ti mesmo, e a nós. Respondendo, porém, o outro, repreendia-o, dizendo: Tu nem ainda temes a Deus, estando na mesma condenação? E nós, na verdade, com justiça, porque recebemos o que os nossos feitos mereciam; mas este nenhum mal fez. E disse a Jesus: Senhor, lembra-te de mim, quando entrares no teu reino. E disse-lhe Jesus: Em verdade te digo hoje que estarás comigo no Paraíso.”
          AGORA VEJA QUE AQUI:
          JESUS FALA DE ABRAÃO NO PARAÍSO E MAIS JESUS SEMPRE USOU A TRADIÇÃO COMO REALIDADE!
          VEJA:
          “22. Ora, aconteceu morrer o mendigo e ser levado pelos anjos ao seio de Abraão. Morreu também o rico e foi sepultado. 23. E estando ele nos tormentos do inferno, levantou os olhos e viu, ao longe, Abraão e Lázaro no seu seio. 24. Gritou, então: – Pai Abraão, compadece-te de mim e manda Lázaro que molhe em água a ponta de seu dedo, a fim de me refrescar a língua, pois sou cruelmente atormentado nestas chamas. 25. Abraão, porém, replicou: – Filho, lembra-te de que recebeste teus bens em vida, mas Lázaro, males; por isso ele agora aqui é consolado, mas tu estás em tormento. 26. Além de tudo, há entre nós e vós um grande abismo, de maneira que, os que querem passar daqui para vós, não o podem, nem os de lá passar para cá”
          ISSO É CLARO QUEM MORRE E ESTÁ SALVO COM CERTEZA ELE ESTÁ NO CÉU
          VEJA UMA OUTRA PROVA DISSO!
          2 Macabeus. 15.12-16 – Onias Sumo Sacerdote e o profeta Jeremias estavam falecido durante séculos, e ainda interagiram com o Judas Macabeus e rezaram pelo o povo santo na terra.

          AGORA PARA NÃO RESTAR DUVIDAS?
          LEIA ESSE VERSÍCULO ” (Col. 1, 3). No evangelho de S. Mateus (20, 30), Jesus Cristo ensina que os “santos são como os anjos de Deus no céu”.

          E MAIS…
          IT-ONIAS – “Tomando então a palavra, disse Onias: “Este é o amigo de seus irmãos aquele que muito ora pelo povo e por toda a cidade santa, Jeremias, o profeta de Deus” (2Mac 15,14).
          ISSO É INTERCESSÃO
          IT-SANTOS – 1 – “A fumaça dos perfumes subiu da mão do anjo com as orações dos santos, diante de Deus. ” (Apocalipse 8,4).

          AGORA AQUI NESSAS PASSAGENS É SÓ MAIS UMA DAS GRANDES AMOSTRAS DE QUE QUANDO MORREMOS JÁ SAMOS JULGADOS

          VEJA:

          JU-PARTICULAR – CADA UM RECEBERÁ O QUE MERECE – “Porque teremos de comparecer diante do tribunal de Cristo. Ali cada um receberá o que mereceu, conforme o bem ou o mal que tiver feito enquanto estava no corpo. ” (II Coríntios 5,10)

          JU-PARTICULAR – DEPOIS DA MORTE – “E como é um fato que os homens devem morrer uma só vez, depois do que vem um julgamento” (Hb 9,27)

          JU-PARTICULAR – DILEMA DE SÃO PAULO – “Sinto-me num dilema: o meu desejo é partir e ir estar com Cristo, pois isso me é muito melhor, mas permanecer na carne é mais necessário por vossa causa” (Fl 1,23-24)

          JU- PARTICULAR – LADRÃO – “Ele [Jesus] respondeu: “em verdade, eu te digo, hoje estarás comigo no Paraíso” (Lc 23,43)

          JU-PARTICULAR – MORAR JUNTO DO SENHOR –
          Sim, estamos cheios de confiança, e preferimos deixar a mansão deste corpo para ir morar junto do Senhor” (2Cor 5,8
          JU-PARTICULAR – RICO AVARENTO E LÁZARO – “Aconteceu que o pobre morreu e foi levado pelos anjos ao seio de Abraão. Morreu também o rico e foi sepultado” (Lc 16,22

          AGORA VEJA A LIGAÇÃO DOS VERSÍCULOS (LC 16,22 )COM MT.17.1-3 E MARCOS 9.4, LUCAS 9.30-31
          VEJA:
          Mt. 17.1-3, Marcos 9.4, Lucas 9.30-31 – Moisés falecido e Elias aparecem na Transfiguração para conversar com Jesus, na presença de Pedro, Tiago e João (que podem ser as duas “testemunhas” João se refere no Ap 11.3). Nada na Bíblia nunca sugere que Deus odeia ou proíba a comunicação entre quem vive no céu e quem vive na terra. Ao contrário, Deus incentiva a comunicação dentro da comunhão dos santos. Aparecimento de Moisés e Elias na terra também nos ensinam que os santos no céu têm recursos que superam nossas limitações na terra.
          E MAIS…
          Mt. 22.30, Jesus diz que seremos “como anjos no céu.” Isso significa que santos humanos (como os santos anjos) podem ser chamados para ajudar as pessoas na terra. Deus permite e incentiva a interação entre os membros de sua família.

          AGORA VOU MOSTRAR UMA PASSAGEM BÍBLICA EM QUE APARECEM 2 HOMENS VESTIDOS DE BRANCO AOS APOSTÓLOS.

          VEJA:

          Atos 1
          9. Depois de dizer isso, Jesus foi levado ao céu à vista deles. E quando uma nuvem o cobriu, eles não puderam vê-lo mais.
          10. Os apóstolos continuavam a olhar para o céu, enquanto Jesus ia embora. Mas, de repente, dois homens vestidos de branco
          11. apareceram a eles e disseram: “Homens da Galiléia, por que vocês estão aí parados, olhando para o céu? Esse Jesus que foi tirado de vocês e levado para o céu, virá do mesmo modo com que vocês o viram partir para o céu.”
          A IGREJA CATÓLICA SEGUE FIELMENTE A DOUTRINA DA BÍBLIA DO NOVO TESTAMENTO SOBRE A DEVOÇÃO AOS SANTOS!

          AGORA NESSE VERSÍCULO NOTE QUE JÓ JÁ MORTO JÁ É REFERÊNCIA BÍBLICA EM TOBIAS E AINDA É CHAMADO DE SANTO POR TOBIAS
          VEJA:
          Tobias, 2

          12. Deus permitiu que lhe acontecesse essa prova, para que a sua paciência, como a do santo homem Jó, servisse de exemplo à posteridade.
          VEJA AGORA NESSA OUTRA PASSAGEM OS SANTOS SALVOS QUE ESTÃO NA ASSEMBLÉIA
          VEJA:

          Terrível é Deus na assembléia dos santos, maior e mais tremendo que todos os que o cercam. (Salmos 88, 8)
          AGORA PARA NÃO RESTAR DUVIDAS?
          COMPARE O SALMO 88,8 )
          COM APOCALIPSE 5;8 )
          VEJA:
          IT-PERFUMES – “Quando recebeu o livro, os quatro Animais e os vinte e quatro Anciãos prostraram-se diante do Cordeiro, tendo cada um uma cítara e taças de ouro cheias de perfume (que são as orações dos santos)” (Apocalipse 5,8).

          AGORA EM OUTRA PASSAGEM VEJA QUE MOISÉS MESMO MORTO A MILHARES DE ANOS ELE É REFERÊNCIA BÍBLICA NO NOVO TESTAMENTO QUE AFIRMA QUE ELE ESTÁ VIVO E AINDA JULGA
          VAMOS LÁ:
          IT-APÓSTOLOS – “Orai por nós” (Hb 13,18) itBONS – Quem acusa os maus também os defende os bons – “Não julgueis que vos hei de acusar diante do Pai; há quem vos acusa: Moisés, no qual colocais a vossa esperança. ” (São João 5,45)

          IT-BONS – Quem acusa os maus também os defende os bons – “Não julgueis que vos hei de acusar diante do Pai; há quem vos acusa: Moisés, no qual colocais a vossa esperança. ” (São João 5,45)

          VEJA MAIS REFERÊNCIAS AOS SANTOS NO CÉU
          IT-CONHECIMENTO – 2 – “Não sabeis que os Santos julgarão o mundo?”. (1 Cor 6, 2). Ora, o mundo a que São Paulo se referia é o nosso mundo dos vivos. Portanto, Os Santos, para nos julgarem, devem conhecer nossas necessidades, isto é, devem ter contato com nossa realidade.
          AGORA UM DETALHE
          IT-CONHECIMENTO – 3 – Samuel profetizou mesmo depois de morrer: “Depois disso, adormeceu e apareceu ao rei, e lhe mostrou seu fim (próximo); levantou a sua voz do seio da terra para profetizar a destruição da impiedade do povo” (Eclesiástico 46,23)

          VEJA COMO OS OSSOS DE UM SANTO PROFETA MESMO MORTO FAZ MILAGRES
          IT-ELISEU – “Ora, aconteceu que um grupo de pessoas, estando a enterrar um homem, viu uma turma desses guerrilheiros e jogou o cadáver no túmulo de Eliseu. O morto, ao tocar os ossos de Eliseu, voltou à vida, e pôs-se de pé. ” (II Reis 13,21)
          RESUMINDO A IGREJA PROVA PELA BÍBLIA E TAMBÉM PELA PATRÍSTICA E PELA ARQUEOLOGIA QUE A DEVOÇÃO AOS SANTOS JÁ VEM DOS APOSTÓLOS
          VEJA UMA PEQUENA PROVA!
          IT-GRAFITOS – Nas catacumbas de São Sebastião, em Roma, onde foi sepultado este glorioso mártir, há um lugar denominado: “Memória Apostólica de São Sebastião”. Entre os anos 250 e 260, os cristãos aí depositaram os restos mortais de São Pedro e São Paulo. Ao que tudo indica, serviu de refúgio. O violento acirramento da perseguição dos Imperadores Decio e Valeriano trazia o perigo de profanação aos seus túmulos. O Martyriologium Hieronymi, no ano de 258, faz referências à festa de São Pedro, celebrada como hoje, no dia 29 de junho, simultaneamente com a de São Paulo nessas catacumbas e a do 1º Papa também no Vaticano. O corpo de São Sebastião foi colocado nesse cemitério subterrâneo e lhe deu o nome. Nas paredes circunvizinhas ao lugar do sepultamento há 660 grafitos com intercessões aos dois Apóstolos. São redigidos em grego, latim e uma em aramaico, datados em torno do ano de 257. Eis como exemplo: “Pedro e Paulo intercedei pelos pecadores”; “Paulo e Pedro rogai por Vítor”; “Paulo e Pedro rogai por cada um de nós e pelos nossos bens”; “Paulo e Pedro abençoai-nos”. Tais orações são feitas em favor de vivos e mortos por cristãos oriundos de várias partes do orbe, o que se deduz pelos idiomas usados. Esses grafitos – eu os vi recentemente – revelam costume no início da Igreja de os fiéis pedirem a intercessão dos santos junto ao trono de Deus.
          E MAIS
          IT-MORTOS – A Igreja sempre acreditou na intercessão dos que haviam “morrido em Cristo,” isto é, santamente. Daí o culto aos mártires desde o tempo das catacumbas. Veja, … estas inscrições encontradas nas lápides túmulares, nas catacumbas: “Ático, dorme em paz seguro de tua salvação e pede solícito por nossos pecados” (Inscrição em lápide, hoje no Museu Capitolino) “Vicência, pede em Cristo por Febe e por seu esposo” ( Catacumba de São Calixto). “Sabácio, doce alma, PEDE E ROGA PELOS IRMÃOS E COMPANHEIROS TEUS” ( Catacumba de São Gordiano). “Genciano, fiel, em paz, que viveu 21 anos, 8 meses e 16 dias. QUE EM TUAS ORAÇÕES ROGUES POR NÓS, PORQUE TE SABEMOS EM CRISTO” ( Lápide encontrada na via Salária). E veja, …, esta outra inscrição como mostra a crença dos cristãos primitivos no Purgatório: ” Ó Cristo, tem presentes a Marcelino pecador e a Jovino, que sempre vivais em Deus”( Cemitério de São Pedro) [ Todas estas inscrições estão citadas no livro de Lúcio Navarro, Legítima Interpretação da Bíblia,p. 542].

          CONCLUSÃO A TRADIÇÃO JÁ VEM DESDE O COMEÇO DO POVO DE DEUS DO ANTIGO TESTAMENTO!

          VOU DA UNS EXEMPLOS:

          PELA TRADIÇÃO O CEGO CHAMAVA JESUS DE FILHO DE DAVI!
          MAS JESUS NÃO ADVERTIU O CEGO E MUITO MENOS CONDENOU O CEGO DE ELE ESTÁ COMETENDO IDOLATRIA POR CHAMAR JESUS DE FILHO DE DAVI! POIS DAVI JÁ ESTAVA A MORTO NO TEMPO DE JESUS?
          VEJA:
          Lucas 18
          35 Ao aproximar-se Jesus de Jericó, um homem cego estava sentado à beira do caminho, pedindo esmola.
          36 Quando ouviu a multidão passando, ele perguntou o que estava acontecendo.
          37 Disseram-lhe: “Jesus de Nazaré está passando”.
          38 Então ele se pôs a gritar: “Jesus, filho de Davi, tem misericórdia de mim!”
          39 Os que iam adiante o repreendiam para que ficasse quieto, mas ele gritava ainda mais: “Filho de Davi, tem misericórdia de mim!”
          40 Jesus parou e ordenou que o homem lhe fosse trazido. Quando ele chegou perto, Jesus perguntou-lhe:
          41 “O que você quer que eu faça?” “Senhor, eu quero ver”, respondeu ele.
          42 Jesus lhe disse: “Recupere a visão! A sua fé o curou”.
          43 Imediatamente ele recuperou a visão e seguia Jesus glorificando a Deus. Quando todo o povo viu isso, deu louvores a Deus.

          E MAIS ISSO É TRADIÇÃO JÁ PREGADA NO TEMPO DE JESUS E MUITO ANTES TAMBÉM PELOS DOUTORES E MESTRE DA LEI E POR TODOS OS ANCIÕES.

          VEJA COMO O POVO JÁ COMPARAVA JESUS
          Quem Dizeis Que Eu Sou?
          Em Marcos 8:27-29, Jesus abordou os discípulos com duas perguntas: A primeira foi “Quem dizem os homens que sou eu? E muitos comparam jejus e
          Diziam que ele era João Batista, Elias, e algum dos profetas –
          E NOTE AQUI QUE JESUS NÃO REPREENDEU NENHUM DOS APOSTÓLOS E MUITO MENOS O POVO QUE AFIRMAVA QUE JESUS FOSSE JEREMIS ETC…
          AGORA SABE POR QUE? JESUS NÃO ADVERTIU O POVO?
          POR QUE O PRÓPRIO JESUS JÁ FAZIA REFERÊNCIAS AOS PATRÍRCAS COMO A TODOS OS PROFETAS.
          JESUS DIZIA QUE ANTES DE VIM AO MUNDO ABRAÃO JÁ SORRIA COM SUA CHEGADA!
          JESUS FALA DE LAZÁRO NO SEIO DE ABRAÃO.

          E A BÍBLIA DIZ QUE TODAS AS DECENCIAS CHAMARÃO ABRAÃO DE PAI DA FÉ!

          E O ANJO DIZ QUE TODAS AS DECENDENCIAS CHAMARÃO MARIA DE BEM AVENTUDA ISSO É BÍBLICO .
          VEJA MAIS REFERÊNCIAS BÍBLICAS SOBRE SANTOS
          2 Macabeus. 15.12-16 – Onias Sumo Sacerdote e o profeta Jeremias estavam falecido durante séculos, e ainda interagiram com o Judas Macabeus e rezaram pelo o povo santo na terra.

          E PARA NÃO RESTAR DUVIDAS?
          LEIA ESSE VERSÍCULO ” (Col. 1, 3). No evangelho de S. Mateus (20, 30), Jesus Cristo ensina que os “santos são como os anjos de Deus no céu”.
          IT-ONIAS – “Tomando então a palavra, disse Onias: “Este é o amigo de seus irmãos aquele que muito ora pelo povo e por toda a cidade santa, Jeremias, o profeta de Deus” (2Mac 15,14).
          IT-SANTOS – 1 – “A fumaça dos perfumes subiu da mão do anjo com as orações dos santos, diante de Deus. ” (Apocalipse 8,4).

          AGORA PARA FINALIZAR MEDITEM ESSES VERSICULOS

          “O homem espiritual, ao contrário, julga todas as coisas e não é julgado por ninguém” (I Coríntios 2,15)
          “Não sabeis que os santos julgarão o mundo?… ” (1 Coríntios 6,2

          “Vi também tronos, sobre os quais se assentaram aqueles que RECEBERAM O PODER DE JULGAR…” (Apocalipse 20,4
          Mt. 26.53 – Jesus diz que Ele pode invocar a ajuda de doze legiões de anjos. Se Jesus disse que Ele poderia pedir a ajuda dos santos anjos, então nós também podemos, que são chamados a imitar Jesus em palavras e atos. E, de Mt. 22.30, Jesus diz que seremos “como anjos no céu.” Isso significa que santos humanos (como os santos anjos) podem ser chamados para ajudar as pessoas na terra. Deus permite e incentiva a interação entre os membros de sua família.

      • VEJA HEREGE RENATO DE CARVALHO OS SANTOS BIBLICAMENTE
        AQUI É SÓ UM PEDACINHO DO MEU ESTUDO INACABADO NÃO TERMINEI AINDA E NÃO CORRIGI AS LETRAS MAS VOU TI MANDAR ASSIM MESMO!

        A IGREJA CATÓLICA PREGAM OS SANTOS POR QUE DESDE SEMPRE OS SANTOS SEMPRE FORAM PREGADOS BIBLICAMENTE DESDE SEMPRE.

        VEJA:

        Vendo-o, pois, os filhos dos profetas que estavam defronte em Jericó, disseram: O espírito de Elias repousa sobre Eliseu. E vieram-lhe ao encontro, e se prostraram diante dele em terra. (2Re 2:15 ACF)

        MEUS IRMÃOS E MINHAS IRMÃS ENTENDAM QUE A IGREJA CATÓLICA SEGUE FIELMENTE A DOUTRINA DA BÍBLIA DO NOVO TESTAMENTO SOBRE A DEVOÇÃO AOS SANTOS!
        ENTEDA QUE OS SANTOS NÃO SÃO E NUNCA SERÃO ÍDOLOS QUANDO ELES SÃO COLOCADOS NO SEU DEVIDO LUGAR!
        AQUI NESSE PEQUENO ARTIGO VOU MOSTRAR UM POUCO DA TRADIÇÃO BÍBLICA QUE MOSTRAM CLARAMENTE QUE QUEM MORRE E FOR SALVO JÁ ESTÁ NO CÉU VAMOS LÁ!

        E PARA COMEÇAR VEJA AQUI NESSE VERSÍCULO QUE JÓ JÁ ESTAVA MORTO E ELE JÁ ERA REFERÊNCIA BÍBLICA EM TOBIAS E AINDA É CHAMADO DE SANTO POR TOBIAS
        VEJA:
        Tobias, 2

        12. Deus permitiu que lhe acontecesse essa prova, para que a sua paciência, como a do santo homem Jó, servisse de exemplo à posteridade.
        VIU A PRÓPRIA BÍBLIA CHAMA DE SANTO OS QUE SERVIRAM A DEUS QUANDO ESSE SANTO ESTAVA NA CAMINHADA DA VIDA PREGANDO O BEM E SERVINDO DE EXEMPLO!
        AGORA VEJA AGORA NESSA OUTRA PASSAGEM QUE MOSTRA QUE OS SANTOS QUE SALVOS ESTÃO NA ASSEMBLÉIA
        VEJA:

        Terrível é Deus na assembléia dos santos, maior e mais tremendo que todos os que o cercam. (Salmos 88, 8)
        MEUS IRMÃOS E MINHAS IRMÃS AGORA PARA NÃO RESTAR DUVIDA?
        COMPARE O SALMO 88,8 ).
        COM O VERSÍCULO DE APOCALIPSE 5;8 )
        VEJA:
        itPERFUMES – “Quando recebeu o livro, os quatro Animais e os vinte e quatro Anciãos prostraram-se diante do Cordeiro, tendo cada um uma cítara e taças de ouro cheias de perfume (que são as orações dos santos)” (Apocalipse 5,8).
        AGORA EM OUTRA PASSAGEM VEJA QUE MOISÉS MESMO MORTO A MILHARES DE ANOS ELE É REFERÊNCIA BÍBLICA NO NOVO TESTAMENTO QUE AFIRMA QUE ELE ESTÁ VIVO E AINDA JULGA
        VAMOS LÁ:
        It APÓSTOLOS – “Orai por nós” (Hb 13,18) itBONS – Quem acusa os maus também os defende os bons – “Não julgueis que vos hei de acusar diante do Pai; há quem vos acusa: Moisés, no qual colocais a vossa esperança. ” (São João 5,45)

        It BONS – Quem acusa os maus também os defende os bons – “Não julgueis que vos hei de acusar diante do Pai; há quem vos acusa: Moisés, no qual colocais a vossa esperança. ” (São João 5,45)

        E PARA NÃO RESTAR NENHUMA DUVIDA COMPARE ESSE VERSÍCULO DO NOVO TESTAMENTO COM O DE TOBIAS DO VELHO TESTAMENTO
        E VEJA QUE OS (PATRIARCAS )
        SÃO CONSIDERADOS SANTOS E VIVOS!
        VEJA:
        Somos filhos dos santos (patriarcas), e esperamos aquela vida que Deus há de dar aos que não perdem jamais a sua confiança nele. (Tobias 2, 18)
        E MAIS NOTE A SINTONIA DESSE VERSÍCULO AÍ DE CIMA QUE FALA DOS PATRIARCAS COM ESSE AQUI DEBAIXO
        VEJA:
        Eu digo a vocês: muitos virão do Oriente e do Ocidente, e se sentarão à mesa no Reino do Céu junto com Abraão, Isaac e Jacó. (Mt 8,11).
        AGORA VEJAM MAS PROVAS CLARAS SOBRE OS SANTOS NO CÉU
        O Senhor disse a Moisés: “Eu sou o Deus de Abraão, Isaac e Jacó..”(Ex 3,6).
        No tempo de Moisés, Abraão, Isaac e Jacó já haviam morrido.
        Como Deus disse que era o “DEUS DELES” ?
        Ora, ele não é Deus dos mortos, mas dos vivos. (Mt 22,31-32).

        O ENGRAÇADO É QUE AINDA TEM PROTESTANTES QUE TENTAM INUTILMENTE REFUTAR A IGREJA CATÓLICA DIZENDO QUE OS SANTOS SÃO INVENÇÃO DA IGREJA CATÓLICA ISSO É O CUMULO!
        AGORA
        VEJA MAIS REFERÊNCIAS AOS SANTOS NO CÉU
        IT-CONHECIMENTO – 2 – “Não sabeis que os Santos julgarão o mundo?”. (1 Cor 6, 2). Ora, o mundo a que São Paulo se referia é o nosso mundo dos vivos. Portanto, Os Santos, para nos julgarem, devem conhecer nossas necessidades, isto é, devem ter contato com nossa realidade.
        DETALHE
        IT-CONHECIMENTO – 3 – Samuel profetizou mesmo depois de morrer: “Depois disso, adormeceu e apareceu ao rei, e lhe mostrou seu fim (próximo); levantou a sua voz do seio da terra para profetizar a destruição da impiedade do povo” (Eclesiástico 46,23)

        AGORA VEJA COMO OS OSSOS DE UM SANTO PROFETA MESMO MORTO FAZ MILAGRES
        IT-ELISEU – “Ora, aconteceu que um grupo de pessoas, estando a enterrar um homem, viu uma turma desses guerrilheiros e jogou o cadáver no túmulo de Eliseu. O morto, ao tocar os ossos de Eliseu, voltou à vida, e pôs-se de pé. ” (II Reis 13,21)
        RESUMINDO MEUS IRMÃOS E MINHAS IRMÃS
        A IGREJA PROVA PELA PATRÍSTICA E PELA ARQUEOLOGIA QUE A DEVOÇÃO AOS SANTOS JÁ VEM DE NOÉ DE ABRAÃO DE MOISÉS ETC…
        E AOS TEMPOS DOS APOSTÓLOS INDISCUTIVELMENTE.
        VEJA UMA PEQUENA PROVA!
        IT-GRAFITOS – Nas catacumbas de São Sebastião, em Roma, onde foi sepultado este glorioso mártir, há um lugar denominado: “Memória Apostólica de São Sebastião”. Entre os anos 250 e 260, os cristãos aí depositaram os restos mortais de São Pedro e São Paulo. Ao que tudo indica, serviu de refúgio. O violento acirramento da perseguição dos Imperadores Decio e Valeriano trazia o perigo de profanação aos seus túmulos. O Martyriologium Hieronymi, no ano de 258, faz referências à festa de São Pedro, celebrada como hoje, no dia 29 de junho, simultaneamente com a de São Paulo nessas catacumbas e a do 1º Papa também no Vaticano. O corpo de São Sebastião foi colocado nesse cemitério subterrâneo e lhe deu o nome. Nas paredes circunvizinhas ao lugar do sepultamento há 660 grafitos com intercessões aos dois Apóstolos. São redigidos em grego, latim e uma em aramaico, datados em torno do ano de 257. Eis como exemplo: “Pedro e Paulo intercedei pelos pecadores”; “Paulo e Pedro rogai por Vítor”; “Paulo e Pedro rogai por cada um de nós e pelos nossos bens”; “Paulo e Pedro abençoai-nos”. Tais orações são feitas em favor de vivos e mortos por cristãos oriundos de várias partes do orbe, o que se deduz pelos idiomas usados. Esses grafitos – eu os vi recentemente – revelam costume no início da Igreja de os fiéis pedirem a intercessão dos santos junto ao trono de Deus.
        E MAIS
        IT-MORTOS – 1 – A Igreja sempre acreditou na intercessão dos que haviam “morrido em Cristo,” isto é, santamente. Daí o culto aos mártires desde o tempo das catacumbas. Veja, … estas inscrições encontradas nas lápides túmulares, nas catacumbas: “Ático, dorme em paz seguro de tua salvação e pede solícito por nossos pecados” (Inscrição em lápide, hoje no Museu Capitolino) “Vicência, pede em Cristo por Febe e por seu esposo” ( Catacumba de São Calixto). “Sabácio, doce alma, PEDE E ROGA PELOS IRMÃOS E COMPANHEIROS TEUS” ( Catacumba de São Gordiano). “Genciano, fiel, em paz, que viveu 21 anos, 8 meses e 16 dias. QUE EM TUAS ORAÇÕES ROGUES POR NÓS, PORQUE TE SABEMOS EM CRISTO” ( Lápide encontrada na via Salária). E veja, …, esta outra inscrição como mostra a crença dos cristãos primitivos no Purgatório: ” Ó Cristo, tem presentes a Marcelino pecador e a Jovino, que sempre vivais em Deus”( Cemitério de São Pedro) [ Todas estas inscrições estão citadas no livro de Lúcio Navarro, Legítima Interpretação da Bíblia,p. 542].

        CONCLUSÃO A TRADIÇÃO JÁ VEM DESDE O COMEÇO DO POVO DE DEUS DO ANTIGO TESTAMENTO!

        VOU DA UNS EXEMPLOS:

        PELA TRADIÇÃO O CEGO CHAMAVA JESUS DE FILHO DE DAVI!
        MAS JESUS NÃO Ó ADVERTIU E MUITO MENOS CONDENOU OU ADVERTIU O CEGO DE ELE ESTARIA COMETENDO IDOLATRIA POR CHAMAR JESUS DE FILHO DE DAVI! POIS DAVI JÁ ESTAVA MORTO NO TEMPO DE JESUS?
        VEJA:
        Lucas 18
        35 Ao aproximar-se Jesus de Jericó, um homem cego estava sentado à beira do caminho, pedindo esmola.
        36 Quando ouviu a multidão passando, ele perguntou o que estava acontecendo.
        37 Disseram-lhe: “Jesus de Nazaré está passando”.
        38 Então ele se pôs a gritar: “Jesus, filho de Davi, tem misericórdia de mim!”
        39 Os que iam adiante o repreendiam para que ficasse quieto, mas ele gritava ainda mais: “Filho de Davi, tem misericórdia de mim!”
        40 Jesus parou e ordenou que o homem lhe fosse trazido. Quando ele chegou perto, Jesus perguntou-lhe:
        41 “O que você quer que eu faça?” “Senhor, eu quero ver”, respondeu ele.
        42 Jesus lhe disse: “Recupere a visão! A sua fé o curou”.
        43 Imediatamente ele recuperou a visão e seguia Jesus glorificando a Deus. Quando todo o povo viu isso, deu louvores a Deus.

        E MAIS ISSO É TRADIÇÃO JÁ PREGADA A NOTEMPO DE JESUS
        E MUITO ANTES TAMBÉM PELOS DOUTORES PELOS ESCRIBAS E TAMBÉM PELOS MESTRE DA LEI E POR TODOS OS ANCIÕES
        AGORA:
        VEJA COMO O POVO COMPARAVA JESUS
        QUEM DIZEIS QUE EU SOU?
        Em Marcos 8:27-29, Jesus abordou os discípulos com duas perguntas: A primeira foi “Quem dizem os homens que sou eu? E muitos comparam jejus e
        Diziam que ele era João Batista, Elias, e algum dos profetas –
        E NOTE AQUI: QUE JESUS NÃO REPREENDEU NENHUM DOS APOSTÓLOS E MUITO MENOS O POVO QUE AFIRMAVA QUE JESUS FOSSE JEREMIS ETC…
        SABE POR QUE JESUS NÃO ADVERTIU O POVO?
        POR QUE O PRÓPRIO JESUS FAZIA REFERÊNCIAS AOS PATRÍRCAS COMO TODOS PROFETAS COMO OS APOSTÓLOS
        JESUS DIZIA QUE ANTES DE VIM AO MUNDO ABRAÃO JÁ SORRIA COM SUA CHEGADA!
        JESUS FALA DE LAZÁRO NO SEIO DE ABRAÃO.

        E A BÍBLIA DIZ QUE TODAS AS DECENCIAS CHAMARÃO ABRAÃO DE PAI DA FÉ!

        E O ANJO DIZ QUE TODAS AS DECENDENCIAS CHAMARÃO MARIA DE BEM AVENTUDA.
        VEJAM O QUE DIZ SÃO PAULO
        “2. Conheço um homem em Cristo que há catorze anos foi arrebatado até o terceiro céu. Se foi no corpo, não sei. Se fora do corpo, também não sei; Deus o sabe. 3. E sei que esse homem – se no corpo ou se fora do corpo, não sei; Deus o sabe – 4. foi arrebatado ao paraíso e lá ouviu palavras inefáveis, que não é permitido a um homem repetir” (II Coríntios capítulo 12)
        AGORA VEJA O QUE JESUS DIZ!
        São Lucas 23:39-43: “E um dos malfeitores que estavam pendurados blasfemava dele, dizendo: Se tu és o Cristo, salva-te a ti mesmo, e a nós. Respondendo, porém, o outro, repreendia-o, dizendo: Tu nem ainda temes a Deus, estando na mesma condenação? E nós, na verdade, com justiça, porque recebemos o que os nossos feitos mereciam; mas este nenhum mal fez. E disse a Jesus: Senhor, lembra-te de mim, quando entrares no teu reino. E disse-lhe Jesus: Em verdade te digo hoje que estarás comigo no Paraíso.”
        AGORA VEJA QUE AQUI: QUE JESUS FALA DE ABRAÃO NO PARAÍSOE MAIS JESUS SEMPRE USOU A TRADIÇÃO COMO REALIDADE!
        VEJA:
        “22. Ora, aconteceu morrer o mendigo e ser levado pelos anjos ao seio de Abraão. Morreu também o rico e foi sepultado. 23. E estando ele nos tormentos do inferno, levantou os olhos e viu, ao longe, Abraão e Lázaro no seu seio. 24. Gritou, então: – Pai Abraão, compadece-te de mim e manda Lázaro que molhe em água a ponta de seu dedo, a fim de me refrescar a língua, pois sou cruelmente atormentado nestas chamas. 25. Abraão, porém, replicou: – Filho, lembra-te de que recebeste teus bens em vida, mas Lázaro, males; por isso ele agora aqui é consolado, mas tu estás em tormento. 26. Além de tudo, há entre nós e vós um grande abismo, de maneira que, os que querem passar daqui para vós, não o podem, nem os de lá passar para cá”
        AGORA VEJA ESSE VERSÍCULO COMO PREGA O QUE A IGREJA PREGA E SEMPRE PREGOU

        2 Macabeus. 15.12-16 – Onias Sumo Sacerdote e o profeta Jeremias estavam falecido durante séculos, e ainda interagiram com o Judas Macabeus e rezaram pelo o povo santo na terra.

        E PARA NÃO RESTAR DUVIDAS?
        LEIA ESSE VERSÍCULO ” (Col. 1, 3). No evangelho de S. Mateus (20, 30), Jesus Cristo ensina que os “santos são como os anjos de Deus no céu”.

        E MAIS…
        IT-ONIAS – “Tomando então a palavra, disse Onias: “Este é o amigo de seus irmãos aquele que muito ora pelo povo e por toda a cidade santa, Jeremias, o profeta de Deus” (2Mac 15,14).
        ISSO É INTERCESSÃO
        IT-SANTOS – 1 – “A fumaça dos perfumes subiu da mão do anjo com as orações dos santos, diante de Deus. ” (Apocalipse 8,4).

        AGORA AQUI NESSAS PASSAGENS É SÓ MAIS UMA DAS GRANDES AMOSTRAS DE QUE QUANDO MORREMOS JÁ SAMOS JULGADOS

        VEJA:

        JU-PARTICULAR – 1 – CADA UM RECEBERÁ O QUE MERECE – “Porque teremos de comparecer diante do tribunal de Cristo. Ali cada um receberá o que mereceu, conforme o bem ou o mal que tiver feito enquanto estava no corpo. ” (II Coríntios 5,10)

        JU-PARTICULAR –

        DEPOIS DA MORTE – “E como é um fato que os homens devem morrer uma só vez, depois do que vem um julgamento” (Hb 9,27)

        JU-PARTICULAR –
        DILEMA DE SÃO PAULO – “Sinto-me num dilema: o meu desejo é partir e ir estar com Cristo, pois isso me é muito melhor, mas permanecer na carne é mais necessário por vossa causa” (Fl 1,23-24)

        JU- PARTICULAR –
        LADRÃO – “Ele [Jesus] respondeu: “em verdade, eu te digo, hoje estarás comigo no Paraíso” (Lc 23,43)

        JU-PARTICULAR –

        MORAR JUNTO DO SENHOR –
        Sim, estamos cheios de confiança, e preferimos deixar a mansão deste corpo para ir morar junto do Senhor” (2Cor 5,8
        JU-PARTICULAR –

        RICO AVARENTO E LÁZARO – “Aconteceu que o pobre morreu e foi levado pelos anjos ao seio de Abraão. Morreu também o rico e foi sepultado” (Lc 16,22

        AGORA VEJA A LIGAÇÃO DOS VERSÍCULOS (LC 16,22 )COM MT.17.1-3 E MARCOS 9.4, LUCAS 9.30-31
        VEJA:
        Mt. 17.1-3, Marcos 9.4, Lucas 9.30-31 – Moisés falecido e Elias aparecem na Transfiguração para conversar com Jesus, na presença de Pedro, Tiago e João (que podem ser as duas “testemunhas” João se refere no Ap 11.3). Nada na Bíblia nunca sugere que Deus odeia ou proíba a comunicação entre quem vive no céu e quem vive na terra. Ao contrário, Deus incentiva a comunicação dentro da comunhão dos santos. Aparecimento de Moisés e Elias na terra também nos ensinam que os santos no céu têm recursos que superam nossas limitações na terra.
        E MAIS…
        Mt. 22.30, Jesus diz que seremos “como anjos no céu.” Isso significa que santos humanos (como os santos anjos) podem ser chamados para ajudar as pessoas na terra. Deus permite e incentiva a interação entre os membros de sua família.

        E PARA FINALIZAR E DESMASCAR OS PROTESTANTES VOU MOSTRAR UMA PASSAGEM BÍBLICA EM QUE APARECEM 2 HOMENS VESTIDOS DE BRANCO AOS APOSTÓLOS
        CONCLUSÃO ESSES DOIS HOMENS NÃO SÃO ANJOS POIS NÃO TEM ASAS
        E MAIS EM NENHUMA PARTE DA BÍBLIA UM ANJO FOI OU É CHAMADO DE HOMEM!
        ISSO MOSTRA CLARAMENTE QUE ESSES DOIS HOMENS VESTIDOS DE BRANCO SÃO SANTOS HOMENS DE DEUS.

        VEJA:

        Atos 1
        9. Depois de dizer isso, Jesus foi levado ao céu à vista deles. E quando uma nuvem o cobriu, eles não puderam vê-lo mais.
        10. Os apóstolos continuavam a olhar para o céu, enquanto Jesus ia embora. Mas, de repente, dois homens vestidos de branco
        11. apareceram a eles e disseram: “Homens da Galiléia, por que vocês estão aí parados, olhando para o céu? Esse Jesus que foi tirado de vocês e levado para o céu, virá do mesmo modo com que vocês o viram partir para o céu.”

        A IGREJA CATÓLICA SEGUE FIELMENTE A DOUTRINA DA BÍBLIA DO NOVO TESTAMENTO SOBRE DEVOÇÃO AOS SANTOS!

        SANTOS NÃO SÃO E NUNCA SERÃO ÍDOLOS QUANDO ELES SÃO COLOCADOS NO SEU DEVIDO LUGAR!
        AQUI NESSE PEQUENO ARTIGO VOU MOSTRAR UM POUCO DA TRADIÇÃO BÍBLICA QUE MOSTRAM CLARAMENTE QUE QUEM MORRE E FOR SALVO JÁ ESTÁ NO CÉU VAMOS LÁ!

        • EDMÍLSON.

          GRAMÁTICA PURA.

          JFA NÃO É ADULTERADA COMO VOCÊS FALAM.
          OS DOIS VERSÍCULOS SÃO DE BÍBLIAS CATÓLICAS, TANTO O QUE VOCÊ ESCREVEU QUANTO O QUE EU MANDEI DA BÍBLIA DE JERUSALÉM.

          ISSO DÁ A INTERPRETAÇÃO – INTERPRETAÇÃO DA GRAMÁTICA – DE QUE O LADRÃO NÃO FOI SALVO NA HORA.
          SÃO DUAS PASSAGENS ONDE FICAMOS SABENDO QUE A PESSOA QUANDO MORRE TEM SEU DESTINO TRAÇADO JÁ ALI, NA HORA DA MORTE, É A DO O LADRÃO QUE FOI SALVO E LUCAS 16:19-31

          VOCÊ MANDOU:
          ISSO NÃO DÁ A CERTEZA DA SALVAÇÃO IMEDIATA.

          “E disse-lhe Jesus: Em verdade te digo hoje que estarás comigo no Paraíso.”

          CREIO QUE TENHA SIDO ESCRITO ASSIM PARA SUSTENTAR O PURGATÓRIO, TIRANDO ASSIM A PERFEIÇÃO DO SACRIFÍCIO DE CRISTO.

          EU ESTOU MANDANDO PARA VOCÊ:

          CORRIGINDO O QUE FOI ESCRITO ANTERIORMENTE, A BÍBLIA DE JERUSALÉM DIZ:

          ISSO DÁ A CERTEZA DA SALVAÇÃO IMEDIATA.

          LUCAS 23:43 ELE RESPONDEU: “EM VERDADE, EU TE DIGO, HOJE ESTARÁS COMIGO NO PARAÍSO”

          CHARLES T. RUSSEL TAMBÉM FEZ MUITO ISSO NA “TRADUÇÃO DO NOVO MUNDO DAS ESCRITURAS SAGRADAS”

          OUTRA PASSAGEM QUE VOCÊ MANDA VEM DE LIVROS APÓCRIFOS QUE VÃO DE ENCONTRO AO QUE A BÍBLIA ENSINA. MUITOS DESSES LIVROS – OS MAIS ANTIGOS – FORAM ESCRITOS 200 ANOS dC, MUITO TEMPO, E POR ISSO SÃO BASEADOS EM ACHISMOS HUMANOS.
          ISSO QUE ESTÁ AQUI ABAIXO É MEDIUNIDADE, ENSINADA PELO ESPIRITISMO.
          O FATO DESSES LIVROS FAZEREM PARTE DO CANON CATÓLICO É PARA TENTAR DAR SUSTENTAÇÃO AOS ERROS. DEUS NÃO FALARIA UMA COISA NUMA HORA E DESMENTIRIA LOGO DEPOIS, SENÃO ELE SERIA CONTRADITÓRIO.
          ERA UM COSTUME DO POVO HEBREU VIVER SE DESVIANDO DOS ENSINAMENTOS QUE RECEBIA.

          2 Macabeus. 15.12-16 – Onias Sumo Sacerdote e o profeta Jeremias estavam falecido durante séculos, e ainda interagiram com o Judas Macabeus e rezaram pelo o povo santo na terra.

          VAMOS VER O QUE DIZ A BÍBLIA DE JERUSALÉM:

          DEUTERONÔMIO 18:9-13
          “9 QUANDO ENTRARES NA TERRA QUE TEU DEUS TE DARÁ, NÃO APRENDAS A IMITAR AS ABOMINAÇÕES DAQUELAS NAÇÕES. 10 QUE EM TEU MEIO NÃO SE ENCONTRE ALGUÉM QUE QUEIME SEU FILHO OU SUA FILHA, NEM QUE FAÇA PRESSÁGIO, ORÁCULO ADIVINHAÇÃO OU MAGIA, 11 OU QUE PRATIQUE ENCANTAMENTOS, QUE INTERROGUEM ESPÍRITOS OU ADIVINHOS, OU AINDA QUE INTERROGUE OS MORTOS.”

      • VOCÊ TEM QUE APRENDER MUITAS VERDADES RENATO DE CARVALHO OLHA EXISTEM MILHARES DE CARTAS DE SÃO PEDRO DE BARNABÉ E ATOS DOS APÓSTOLOS FOI TIRADO DE DOIS LIVROS QUE ESCREVEU SÃO LUCAS COMO O EVANGELHO DE MARCOS FOI TIRADO DO LIVRO DE SÃO MARCOS

        OLHA FILHOS DAS TREVAS O CÂNON DO NOVOS TESTAMENTO FOI A IGREJA QUE DECIDIU O QUE IRIA FAZER PARTE

        POIS A BÍBLIA FOI FEITO PARA A IGREJA E NÃO A IGREJA PARA BÍBLIA

        E OUTRA COISA NOS PRIMEIROS 3 SÉCULOS DA ERA CRISTÃ ERAM LIDOS NAS IGREJAS ERAM AS CARTAS DOS PADRES DA IGREJA E DOS PADRES APOSTÓLICOS JUNTO COM OS EVANGELHOS

        VOCÊ TEM QUE APRENDER MUITO COISA LEIGO RENATO DE CARVALHO

        MAS VOCÊ SÓ ENCONTRARÁ A VERDADE NO MOMENTO QUE VOCÊ DEIXAR DE LÊ AS SATÂNICAS ADULTERAÇÕES PROTESTANTES

        É TÃO VERGONHOSO ISSO QUE MUITOS PREFERE SER CHAMADO DE CRISTÃO DO QUE UM PROTESTANTE KKKKKKKKKKKKKKKKK

        VOCÊ ME DIVERTE MUITO RENATO DE CARVALHO

        O DIA QUE VOCÊ SE INTERESSAR PELA VERDADE ME PROCURE

    • O FILHO DO DEMÔNIO DE NOME RENATO DE CARVALHO JÁ VOLTOU COM SUAS BLASFÊMIAS E LOROTAS SEJA VEM VINDO FILHO DO DIABO SEMPRE ESTAREI AQUI PARA TI REFUTAR FILHO DAS TREVAS FALSO PROFETA

      OLHA ESSAS SUAS PAPAGAIADAS SEMPRE SERÃO DESMASCARADAS E OUTRA DEMÔNIO A MAIORIA DOS PADRES APOSTÓLICOS NÃO FORAM ROMANISTA

  9. Ricardo vai estudar meu caro deixa de papagaiada saiba que nós católicos não adoramos estátuas!” Você ainda continuam a fazer essa afirmação ridícula. Agora porque os católicos têm estátuas em suas igrejas, passa a acusação, de que eles estão violando o mandamento de Deus: “Não farás para ti imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, ou que seja nas águas debaixo da terra: você não deve se curvar a elas nem as servirás “(Êxodo 20:4-5),” Ai de mim, este povo cometeu um grande pecado, pois eles fizeram para si um deus de ouro “(Ex . 32:31).

    Ricardo é direito de alertar as pessoas contra o pecado de idolatria quando cometê-lo. Mas chamar católicos idólatras, porque eles têm imagens de Cristo e dos santos é baseada em equívoco ou ignorância do que a Bíblia diz sobre a finalidade e usos (boas e ruins) de estátuas.

    Sugiro que você leia o Escritor anti-católica Loraine Boettner, em seu livro Catolicismo Romano , faz a declaração cobertor “, Deus proibiu o uso de imagens na adoração” (281). No entanto, se as pessoas “Examinai as Escrituras” (cf. Jo 5:39), eles iriam encontrar o oposto é verdadeiro. Deus proibiu a adoração de estátuas, mas não proíbem o uso religioso de estátuas. Em vez disso, ele realmente ordenou a sua utilização em contextos religiosos!

    Deus disse a fazê-los

    As pessoas que se opõem a estatuária religiosa esquecer as muitas passagens onde o Senhor ordena a confecção de estátuas. Por exemplo: “Farás também dois querubins de ouro [ie, duas estátuas de anjos de ouro], de ouro batido os farás, nas duas extremidades do propiciatório Farás um querubim numa extremidade, eo outro querubim. na outra extremidade, de um pedaço de o propiciatório fareis os querubins nas duas extremidades Os querubins estenderão as suas asas por cima, que cobriam o propiciatório com suas asas, suas faces voltadas um para o outro;. direção ao propiciatório as faces dos querubins ser “(Ex. 25:18-20).

    David deu a Salomão o plano “para o altar do incenso feito de ouro refinado, e seu peso, também seu plano para a carruagem de ouro dos querubins que abriram suas asas e cobrir a arca da aliança do Senhor Tudo isso ele deixou claro. pela escrita da mão do Senhor a respeito de tudo isso, todo o trabalho deve ser feito de acordo com o plano “(1 Cr. 28:18-19). Plano de Davi para o templo, o que o autor bíblico nos diz foi “por a escrita da mão do Senhor sobre tudo”, incluído estátuas de anjos.

    Da mesma forma Ezequiel 41:17-18 descreve imagens gravadas (esculpida) no templo idealizado ele foi mostrado em uma visão, pois ele escreve: “Nas paredes em redor na sala interior e [sobre] a nave foram esculpidos semelhanças de querubins. ”

    Ricardo você conhece os usos religiosos de Imagens

    Durante uma praga de serpentes enviadas para punir os israelitas durante o Êxodo, Deus disse a Moisés para “fazer [a estátua] uma serpente de bronze, e configurá-lo em um poste, e todo aquele que for mordido, quando ele vê isso viverá. Então Moisés fez uma serpente de bronze, e configurá-lo em um poste, e se um pouco serpente qualquer homem, ele olhava para a serpente de bronze e viver “(Nm 21:8-9).

    Era preciso olhar para a estátua de bronze da serpente para ser curado, o que mostra que as estátuas poderiam ser usadas ritualmente, e não apenas como enfeites religiosos.

    Os católicos usam estátuas, pinturas e outros dispositivos artísticos para lembrar a pessoa ou coisa representada. Assim como ajuda a lembrar a mãe, olhando para a fotografia dela, por isso ajuda a lembrar o exemplo dos santos, olhando para fotos deles. Os católicos também usam estátuas como ferramentas de ensino. Na Igreja primitiva eram especialmente úteis para a instrução dos analfabetos. Muitos protestantes têm imagens de Jesus e outras figuras da Bíblia na escola dominical para ensinar as crianças. Os católicos também usam estátuas para comemorar certas pessoas e eventos, assim como as igrejas protestantes têm presépios tridimensionais no Natal.

    Se uma medida protestantes pela mesma regra e, em seguida, usando essas imagens “esculpidas”, eles estariam praticando a “idolatria” de que acusam os católicos. Mas não há nenhuma idolatria acontecendo nestas situações. Deus proíbe a adoração de imagens como deuses, mas ele não proíbe a confecção de imagens. Se ele tivesse, filmes religiosos, vídeos, fotografias, pinturas, e todas as coisas semelhantes seriam proibidos. Mas, como o caso da serpente de bronze mostra, Deus não mesmo proíbem o uso ritual de imagens religiosas.

    É quando as pessoas começam a adorar a estátua como um deus que o Senhor torna-se irritado. Assim, quando as pessoas que começam a adorar a serpente de bronze como um deus-serpente (a quem deram o nome de “Neustã”), o justo rei Ezequias mandou destruí-la (2 Rs. 18:04).

    What About Curvando-se?

    Às vezes, anti-católicos citar Deuteronômio 5:9, onde Deus disse a respeito de ídolos: “Você não deve se curvar a eles.” Uma vez que muitos católicos, por vezes, se curvar ou ajoelhar-se diante de estátuas de Jesus e dos santos, anti-católicos confundir a veneração legítima de uma imagem sagrada com o pecado da idolatria.

    Apesar de se curvar pode ser usado como uma postura de adoração, nem todos se curvando é a adoração. No Japão, as pessoas mostram respeito por curvando-se em saudação (o equivalente ao aperto de mão ocidental). Da mesma forma, uma pessoa pode se ajoelhar diante de um rei sem adorá-lo como um deus. Da mesma forma, um católico que pode ajoelhar-se na frente de uma estátua enquanto orava não está adorando a estátua ou até mesmo rezando para que , mais do que o protestante que se ajoelha com uma Bíblia em suas mãos quando orando está adorando a Bíblia ou orando para isso .

    Escondendo o segundo mandamento?

    Outra acusação às vezes feita pelos protestantes é que a Igreja Católica “esconde” o segundo mandamento. Isto porque, em catecismos católicos, o primeiro mandamento é frequentemente listado como “Não terás outros deuses diante de mim” (Êxodo 20:03), ea segunda é listado como “Não tomarás o nome do Senhor em vão “. (Ex. 20:07). A partir disso, argumenta-se que os católicos ter excluído a proibição de idolatria para justificar o uso de estátuas religiosas. Mas isso é falso. Católicos simplesmente grupo os mandamentos de maneira diferente da maioria dos protestantes.

    Em Êxodo 20:2-17, o que dá os Dez Mandamentos, há realmente quatorze declarações imperativas. Para chegar a dez Mandamentos, algumas declarações têm de ser agrupadas, e não há mais do que uma forma de se fazer isso. Uma vez que, no mundo antigo, o politeísmo ea idolatria eram sempre united-idolatria ser a expressão externa do politeísmo, a numeração Judeu dos Dez Mandamentos sempre agrupados os imperativos “Não terás outros deuses diante de mim” (Ex. 20 : 3) e “Não farás para ti imagem de escultura” (Êxodo 20:04). A numeração católica histórica segue a numeração judaica quanto a este ponto, assim como o histórico Luterana numeração. Martin Luther reconheceu que os imperativos contra o politeísmo ea idolatria são duas partes de um único comando.

    Judeus e cristãos abreviar os mandamentos, para que possam ser lembrado através de um resumo, a fórmula de dez pontos. Por exemplo, judeus, católicos e protestantes normalmente resumir o mandamento do sábado como “Lembra-te do sábado para o santificar”, embora o texto real do mandamento leva quatro versos (Êxodo 20:8-11).

    Quando a proibição do politeísmo / idolatria é resumido, judeus, católicos e luteranos abreviá-lo como “Não terás outros deuses diante de mim.” Esta não é uma tentativa de “esconder” a proibição idolatria (judeus e luteranos nem sequer usar estátuas de santos e anjos). É para tornar o aprendizado mais fácil os Dez Mandamentos.

    A Igreja Católica não é dogmática sobre como os Dez Mandamentos devem ser numeradas, no entanto. O Catecismo da Igreja Católica diz: “A divisão ea numeração dos mandamentos têm variado no decorrer da história. O presente catecismo segue a divisão dos mandamentos estabelecida por Agostinho, que se tornou tradicional na Igreja Católica. Também é que da confissão luterana. Os Padres gregos elaboraram uma divisão ligeiramente diferente, que se encontra nas Igrejas ortodoxas e nas comunidades reformadas “(CIC 2066).

    O Formulário de Deus?

    Alguns anti-católicos apelo para Deuteronômio 4:15-18 em seu ataque em estátuas religiosas: “[S] esde que você não viu nenhuma forma no dia em que o Senhor falou com você no Horeb, do meio do fogo, cuidado para que não agir corruptamente fazendo uma imagem esculpida para si mesmos, na forma de qualquer figura, semelhança de homem ou mulher, à semelhança de qualquer animal que há na terra, à semelhança de qualquer ave que voa no ar, à semelhança de qualquer coisa que se arrasta sobre a terra, à semelhança de qualquer peixe que há nas águas debaixo da terra. ”

    Nós já mostramos que Deus não proíbe a confecção de estátuas ou imagens de várias criaturas para fins religiosos (cf. 1 Rs 6:29-32, 8:6-66.;. 2 Cr 3:7-14) . Mas o que dizer de estátuas ou imagens que representam Deus? Muitos protestantes diria que é errado, porque Deuteronômio 4 diz que os israelitas não ver Deus, sob qualquer forma, quando ele fez o pacto com eles, por isso não devemos fazer representações simbólicas de Deus também. Mas será que Deuteronômio 4 proibir tais representações?

    A resposta é não

    No início de sua história, Israel foi proibido de fazer quaisquer representações de Deus, porque ele não se revelou de forma visível.Dada a cultura pagã em torno deles, os israelitas poderiam ter sido tentado a adorar a Deus na forma de um animal ou de algum objeto natural (por exemplo, um touro ou o sol).

    Mas depois, Deus me revelar-se sob formas visíveis, como em Daniel 7:09: “Enquanto eu olhava, tronos foram colocados e que era ancião de dias se assentou; suas vestes se tornaram brancas como a neve, eo cabelo da sua cabeça como a pura lã; seu trono era de chamas de fogo, e as rodas eram fogo ardente “. Protestantes fazem representações do Pai sob esta forma quando eles fazem ilustrações das profecias do Antigo Testamento.

    O Espírito Santo revelou-se em pelo menos duas formas visíveis-o de uma pomba, no batismo de Jesus (Mateus 03:16, Marcos 01:10, Lucas 3:22, João 1:32), e como línguas de fogo , no dia de Pentecostes (Atos 2:1-4). Protestantes usar essas imagens ao desenhar ou pintar esses episódios bíblicos e quando eles usam broches Espírito Santo ou lugar emblemas pomba em seus carros.

    Mas, mais importante, na Encarnação de Cristo, seu Filho, Deus mostrou a humanidade um ícone de si mesmo. Paul disse: “Ele é a imagem (em grego: ícone ) do Deus invisível, o primogênito de toda a criação. ” Cristo é, divina “ícone” tangível do invisível, Deus infinito.

    Lemos que, quando os magos foram “ir para a casa eles viram o menino com Maria, sua mãe, e, prostrando-se eo adoraram. Então, abrindo os seus tesouros, ofereceram-lhe presentes: ouro, incenso e mirra “(Mt 2,11). Embora Deus não revelou a forma para ele no Monte Horebe, ele fez revelar uma na casa em Belém.

    A linha de fundo é que, quando Deus fez a nova aliança com a gente, ele fez revelar-se sob uma forma visível em Jesus Cristo. Por essa razão, nós podemos fazer representações de Deus em Cristo. Mesmo os protestantes usam todos os tipos de imagens religiosas: Fotos de Jesus e outras pessoas bíblicas aparecer em uma infinidade de Bíblias, livros de imagens, camisetas, jóias, adesivos, cartões, discos compactos, e cenas manjedoura. Cristo ainda é simbolicamente representado pelas Icthus ou “emblema de peixe.”

    O senso comum diz-nos que, uma vez que Deus se revelou em várias imagens, sobretudo na encarnação de Jesus Cristo, não é errado para nós, para usar imagens destas formas de aprofundar o nosso conhecimento e no amor de Deus. Isso é por que Deus revelou-se nessas formas visíveis, e é por isso que estátuas e imagens são feitas deles.

    Ricardo agora você conhece? A Idolatria condenada pela Igreja

    VOU TI MOSTRAR!

    Saiba você que desde os tempos dos apóstolos, a Igreja Católica condenou sistematicamente o pecado de idolatria. Os Padres da Igreja alertar contra este pecado, e concílios da Igreja também tratou do assunto.

    O Concílio de Nicéia (787), que tratou em grande parte com a questão do uso religioso de imagens e ícones, disse: “[T] ele quem nos resgatou da escuridão da idolatria insanidade, Cristo nosso Deus, quando ele levou para sua noiva sua santa Igreja Católica … prometeu que iria protegê-la e garantiu sua santa discípulos dizendo: ‘Eu estou convosco todos os dias até a consumação desta era. … Para esta oferta graciosa algumas pessoas não prestaram atenção; sendo ludibriado pelo inimigo traiçoeiro eles abandonaram a verdadeira linha de raciocínio … e eles não conseguiram distinguir o sagrado do profano, afirmando que os ícones de nosso Senhor e do seu santos não eram diferentes das imagens de madeira satânicos ídolos. ”

    O Catecismo do Concílio de Trento (1566) ensinou que a idolatria está comprometida “, adorando ídolos e imagens como Deus, ou acreditar que elas possuem qualquer divindade ou virtude que dá direito a nossa adoração, orando, ou depositando confiança neles” ( 374).

    “A idolatria é uma perversão da religiosidade inata do homem. Uma idólatra é aquele que” transfere sua indestrutível noção de Deus como algo diferente de Deus “(CIC 2114).

    A Igreja absolutamente reconhece e condena o pecado da idolatria. O anti-católicos não conseguem reconhecer é a distinção entre pensar um pedaço de pedra ou gesso é um deus e desejando lembrar visualmente Cristo e os santos no céu, fazendo estátuas em sua honra. Agora Ricardo a confecção e uso de estátuas religiosas é um bem prática bíblica.

    Quem disser o contrário não conhece Bíblia.

    • BELO TRABALHO EDMILSON EU SOU PROFESSORA DE HISTÓRIA DA FACULDADE CATÓLICA DE BRASILIA E VOCÊ ESTÁ COM TODA RAZÃO EM AFIRMAR QUE SÃO PEDRO FOI O PRIMEIRO BISPO DE ROMA!

      É IMPOSSÍVEL UM HISTORIADOR PROTESTANTE OU QUALQUER PASTOR QUESTIONAR O PRIMADO DE SÃO PEDRO!

      ESTUDO A VIDA DE SÃO PEDRO E POSSO TE GARANTIR QUE ESSE NOSSO IRMÃO SEPARADO RENATO DE CARVALHO NÃO CONHECE NADA DE HISTÓRIA BOM DIA! PRA VOCÊ!

      E CONTINUE A SURRAR ESSES HEREGES…

      • PATRÍCIA, A PROFESSORA.

        VOCÊ DEVE CONHECER ESSA PARTE NEGRA DA HISTÓRIA DA IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA…

        Ah! Eu sou da Santa igreja Católica… kkkkkkkkkkkkkkkkkk

        CONTRADITÓRIOS SÃO VOCÊS, QUE ENFORCARAM, QUEIMARAM, ASSASSINARAM JOANA D’ARC E 500 ANOS DEPOIS A CANONIZAM COMO “SANTA”

        A Inquisição, ou Santa Inquisição foi uma espécie de tribunal religioso criado na Idade Média para condenar todos aqueles que eram contra os dogmas pregados pela Igreja Católica.
        Fundado pelo Papa Gregório IX, o Tribunal do Santo Ofício da Inquisição mandou para a fogueira milhares de pessoas que eram consideradas hereges (praticante de heresias; doutrinas ou práticas contrárias ao que é definido pela Igreja Católica) por praticarem atos considerados bruxaria, heresia ou simplesmente por serem praticantes de outra religião que não o catolicismo.

        A verdade é que embora o apogeu da Inquisição tenha se dado no século XVIII, as perseguições aos hereges pelos católicos, têm registros bem mais antigos. No século XII os “albigenses” foram massacrados a mando do Papa Inocêncio III que liderou uma cruzada contra aqueles que eram considerados os “hereges do sul da França” por pregarem a volta da Igreja às suas origens e a rejeição a opulência da Igreja da época.

        Em 1252, a situação que já era ruim, piora. O Papa Inocêncio IV publica um documento, o “Ad Exstirpanda”, onde autoriza o uso da tortura como forma de conseguir a conversão. O documento é renovado pelos papas seguintes reforçando o poder da Igreja e a perseguição.

        A Inquisição tomou tamanha força que mesmo os soberanos e os nobres temiam a perseguição pelo Tribunal e, por isso, eram obrigados a ser condizentes. Até porque, naquela época, o poder da Igreja estava intimamente ligado ao do Estado.

        Mais terrível que qualquer episódio da história humana até então, a Inquisição enterrou a Europa sob um milênio de trevas deixando um saldo de incontáveis vítimas de torturas e perseguições que eram condenadas pelos chamados “autos de fé” – ocasião em que é lida a sentença em praça pública.

        Galileu Galilei foi um exemplo bastante famoso da insanidade cristã na Idade Média: ele foi perseguido por afirmar através de suas teorias que a terra girava em torno do sol e não o contrário. Mas, para ele o episódio não teve mais implicações. Já outros como Giordano Bruno, o pai da filosofia moderna, e Joana D’Arc, que afirmava ser uma enviada de Deus para libertar a França e utilizava roupas masculinas, foram mortos pelo Tribunal do Santo Ofício.

        Uma lista de livros proibidos foi publicada, o ”Index Librorum Prohibitorum” através da qual diversos livros foram queimados ou proibidos pela Igreja.

        O Tribunal era bastante rigoroso quanto à condenação. O réu não tinha direito à saber o porquê e nem por quem havia sido condenado, não tinha direito a defesa e bastavam apenas duas testemunhas como prova.

        O pior período da Inquisição foi durante a chamada Inquisição Espanhola (Século XV ao Século XIX). De caráter político, alguns historiadores afirmam que a Inquisição Espanhola foi uma forma que Fernando de Aragão encontrou de perseguir seus opositores, conseguir o poder total sobre os reinos de Castela e Aragão (Espanha) e ainda expulsar os judeus e muçulmanos.

        A história da inquisição no Brasil

        Entre os séculos 16 e 18, a Inquisição investigou a Colônia. Prendeu mais de mil pessoas e mandou 29 para a fogueira. Seu maior alvo foram os cristãos-novos
        Tiago Cordeiro | 01/11/2010 13h29
        “Arrependo-me e peço perdão porque pequei. “Pela primeira vez em dois anos de martírio, Guiomar Nunes disse o que os inquisidores queriam ouvir. A multidão reunida na praça do Comércio, em Lisboa, na tarde de 17 de junho de 1731, gritava contra os hereges, enfileirados diante de um palanque, onde se encontravam autoridades políticas e religiosas. Diante de 3 mil pessoas eufóricas, um a um, os sete réus foram chamados à contrição uma última vez. Acusada de judaísmo, a pernambucana entre eles resistiu muito antes de confessar. Enfrentara interrogatórios duríssimos na prisão. Suas palavras derradeiras, porém, não bastaram para o Tribunal do Santo Ofício. O inquisidor se ajoelhou no tablado montado para a ocasião e, enquanto os auxiliares retiravam-lhe a capa e o barrete, os condenados eram aspergidos com água benta. Em seguida, receberam suas sentenças. Aos 47 anos, Guiomar foi garroteada – estrangulada com uma espécie de torniquete -, e seu corpo, consumido no meio da praça por chamas de até 6 m de altura. Ao pedir perdão, conseguiu evitar que fosse queimada viva. Do outro lado do Atlântico, no Engenho de Santo André (na atual Paraíba), o vendedor de latas Luís Nunes de Fonseca acabara de se tornar viúvo, com oito filhos do casal para criar.

        Guiomar morreu em Portugal porque o Brasil não torturou ou fez arder seus hereges em fogueiras. Mas ela foi delatada e presa em um processo iniciado por aqui. E não foi a única. Por mais de 200 anos, a Inquisição católica atuou nas terras da América portuguesa. Estimulou delações e criou um clima de terror nas principais cidades por meio dos temidos visitadores e de auxiliares locais, integrantes do clero. Prendeu e enviou para a Europa pessoas que dificilmente voltavam à terra natal. Quem não foi condenado ao degredo e perdeu todos os bens acabou, como se dizia na época, purificado pelo fogo. A exemplo de Guiomar e dos outros condenados queimados com ela, que nem sequer puderam ser enterrados, suas cinzas foram espalhadas ao vento.

        Cristãos-novos

        À frente da União Ibérica, o rei Filipe IV bem que tentou instalar um tribunal do Santo Ofício no Brasil, em 1623, mas não teve autorização da Igreja e desistiu diante das invasões holandesas no Nordeste. Entre os séculos 15 e 16, com a ocupação de colônias na Ásia e nas Américas, Portugal e Espanha empenharam-se em retomar as perseguições que marcaram a Idade Média. O objetivo era garantir que as novas terras se tornassem obedientes à fé europeia e controlar com rédea curta a crescente população de cristãos-novos (descendentes de judeus convertidos).

        A chamada Inquisição medieval teve características distintas. Começou no século 13 (com precedentes no século anterior), agiu principalmente na França e na Itália e perseguiu quem discordava dos dogmas do catolicismo ou desrespeitava suas estritas normas de conduta. No século 15, porém, no auge do Renascimento, a atuação dos inquisidores era decadente. Após pressionar muito o papa, a Espanha conseguiu recriar o tribunal, em 1478, e Portugal, em 1536. Estava inaugurada a Inquisição moderna. Os espanhóis instalaram tribunais em cidades centrais de suas colônias: Cartagena, Lima e Cidade do México. Os portugueses conseguiram fazer isso apenas na mais distante: Goa (na atual Índia).

        “Os judeus, em princípio, não podiam ser perseguidos pela Inquisição, que investigava apenas as pessoas batizadas. Mas, depois de forçados à conversão, seus descendentes eram investigados até mesmo dez gerações depois. Era racismo mesmo”, diz o historiador Bruno Feitler, autor de Nas Malhas da Consciência – Igreja e Inquisição no Brasil. Os cristão-novos eram estigmatizados e perseguidos havia pelo menos três séculos. Com o surgimento de colônias afastadas dos centros de poder, muitos deles preferiram se mudar (ou foram expulsos), o que causou preocupação nas autoridades locais, que temiam a retomada de práticas judaicas. Considerada a primeira professora do Brasil, Branca Dias foi vítima desse cenário. Denunciada pela mãe e pela irmã (possivelmente sob tortura) ainda em Portugal, ela respondeu às acusações de judaísmo, cumpriu pena de dois anos de prisão e depois imigrou com o marido para Pernambuco, onde foi investigada mais uma vez – mesmo vários anos depois de morta, em 1558. Acabou condenada, assim como suas filhas e netas (elas, sim, estavam bem vivas…).

        Com a atuação nas metrópoles e no além-mar, esse segundo momento da Inquisição foi marcado por um controle muito maior do Estado, que sustentava os tribunais e se responsabilizava por organizar os autos de fé, as grandes simulações do Juízo Final. Invariavelmente, as fogueiras eram acesas, os hereges, queimados (vivos, mortos ou na forma de bonecos, as efígies), e o povo festejava madrugada adentro. No Brasil, os representantes do Tribunal do Santo Ofício eram as autoridades eclesiásticas locais, que tinham autonomia para identificar casos de desobediência à fé, realizar investigações preliminares e prender os suspeitos, remetidos para Lisboa, onde o processo era concluído. Essa estrutura funcionou entre os séculos 16 e 18. A sede podia estar distante, mas a Inquisição mostrou sua força bem de perto, especialmente quando enviou funcionários para visitas pessoais a algumas áreas cruciais da Colônia.

        Visitações

        Era um grande acontecimento. O desembarque do emissário mobilizava a população e fazia multiplicar as procissões. Acompanhado de um séquito de dezenas de pessoas, o visitador era instalado em algum casarão central, onde o governador-geral, funcionários de alto escalão, juízes, bispos, vigários e missionários passavam para o beija-mão. Em 1591, a recepção ao primeiro dos quatro enviados parou Salvador: “Heitor Furtado (de Mendonça) veio debaixo de um pálio de tela de ouro e, adentrando a Sé, ouviu renovados votos de louvor à sua pessoa e ao Santo Ofício. Dirigiu-se então à capela-mor, após a leitura da constituição de Pio V em favor da Inquisição, onde estava posto um altar ricamente adornado com uma cruz de prata arvorada, e quatro castiçais grandes, também de prata, com velas acesas, além de dois missais abertos em cima de almofadas de damasco, nos quais jaziam duas cruzes de prata. Em meio a todo esse luxo, o visitador rumou para o topo do altar, sentou-se numa cadeira de veludo trazida pelo capelão e recebeu o juramento do governador, juízes, vereadores e mais funcionários, todos ajoelhados perante o Santo Ofício”, descreve o historiador Ronaldo Vainfas. Sabe-se que Mendonça chegou preocupado – tinha lido um texto em que o padre Antônio Vieira dizia que, no Brasil, “não se guarda um só mandamento de Deus e muito menos os da Igreja”.

        O início das visitas marcava o Tempo da Graça, período de até 60 dias em que todas as pessoas eram “convidadas” a se manifestar. Nas ruas eram afixadas cópias do monitório, documento que listava os “crimes” sujeitos a investigação, incluindo blasfêmias, sacrilégios e, claro, transgressões sexuais e judaísmo. “Quanto mais rápido a pessoa se apresentava, menos suspeitas levantava contra si”, diz Fernando Vieira, professor da Universidade Católica de Brasília. A essa altura, a festa dava lugar à tensão. Como as denúncias eram anônimas, aquele era o momento ideal para vinganças. Uma mulher trocada pelo marido, por exemplo, poderia denunciá-lo por bigamia (também há casos de denúncias de homens abandonados pela mulher). Um comerciante passado para trás nos negócios era capaz de sugerir que o concorrente praticava o judaísmo. Escravos denunciavam os seus senhores por sodomia. Na medida em que as acusações se acumulavam, os suspeitos eram levados para diante do visitador. Nem sempre sabiam qual o suposto crime. “No século 17, um homem acusado de homossexualismo confessou judaísmo porque achou que esse era o motivo da denúncia. Acabou julgado pelos dois”, afirma Feitler.

        Muitas vezes, amigos entregavam uns aos outros e familiares eram forçados a voltar-se contra um parente. Foi o que ocorreu com Ana Rodrigues, a primeira moradora do Brasil condenada à fogueira (leia essa e outras histórias a partir da pág. 30). “A chegada do visitador causava um descontrole nas relações sociais”, diz o historiador Angelo Assis, professor da Universidade de Viçosa. O barbeiro Salvador Rodrigues foi acusado de sodomia pelos próprios irmãos na Belém de 1661. O inquérito levantou uma vasta rede de contatos homossexuais e acabou punindo outras pessoas na cidade.

        Tradicionalmente, são citadas três visitações ao Brasil. A primeira, entre 1591 e 1595, passou por Bahia, Pernambuco, Itamaracá e Paraíba, num momento em que a União Ibérica enviava vários inquisidores às suas colônias. A segunda, de 1618 a 1621, a cargo de dom Marcos Teixeira, voltou à Bahia, dessa vez com maior foco na busca por cristãos-novos. A terceira, de 1763 a 1769, visitou a província do Grão-Pará e Maranhão e ficou sediada em Belém. As motivações dessa última não estão muito claras, mas a explicação mais comum é a de que ela funcionou para prover suporte ao novo governo local e para mudar a direção da Igreja na região – o visitador, Giraldo José de Abranches, chegou com o novo governador-geral, Fernando da Costa de Ataíde Teive, e acumulou o posto de novo bispo da província. De toda forma, em nenhum outro lugar foram investigados tantos curandeiros e feiticeiros quanto naquelas paragens.

        Dúvidas

        Os arquivos dessas investigações ainda não são totalmente conhecidos. Localizados na Torre do Tombo, em Portugal, eles citam 40 mil nomes de pessoas perseguidas, mas sem classificação por local de nascimento. Tampouco está claro se essas foram as únicas visitações. Recentemente descobriu-se outra, entre 1627 e 1628, que passou por Rio de Janeiro (onde o visitador Luís Pires da Veiga foi ameaçado de apedrejamento pela população), São Paulo e São Vicente. “Com certeza, há visitações das quais ainda não se encontraram os livros, fora aqueles que se perderam em naufrágios”, afirma Assis.

        O certo mesmo é que a Inquisição teve grande impacto na vida da Colônia. “A ação inquisitorial se fez sentir em todo o Brasil desde o início da colonização até o século 18, mesmo em capitanias que nunca receberam visitações, como Minas Gerais e Ceará”, afirma a historiadora Marcia Eliane Souza e Mello, professora da Universidade Federal do Amazonas. Tanto isso é verdade que há registros de processos antes da primeira visitação. Já em 1546, o donatário da capitania de Porto Seguro, Pero do Campo Tourinho, foi denunciado por ter afirmado que, em suas terras, ele era o “papa” e que trabalhador nenhum tiraria folga nos domingos e dias santos. Ao longo da década de 1550, em Salvador, o bispo dom Pedro Fernandes Sardinha, o primeiro do Brasil, exerceu funções inquisitoriais.

        Bispos, padres, missionários, todos os membros da Igreja eram orientados a observar os costumes de seus fiéis e encaminhar os casos suspeitos para instâncias superiores. Mas a rede do Tribunal do Santo Ofício era mais vasta: havia representantes locais escolhidos no clero, os “comissários”, que tinham a obrigação de circular pela região com os olhos (e ouvidos) bem abertos. E contavam com a ajuda de informantes, os “familiares”, homens influentes que conseguiam da Igreja um certificado de que tinham boa conduta e “sangue puro”, intocado por antepassados judeus (o poeta Cláudio Manoel da Costa, por exemplo, foi recusado por “suspeita de sangue”). Os “familiares” acompanhavam as prisões e o confisco de bens determinado pelos comissários, às vezes antes mesmo da conclusão dos processos. A Quaresma era estratégica: todos os habitantes tinham o dever de confessar os pecados – e de entregar os alheios, sob pena de responder como cúmplices.

        As grandes cidades foram as mais visadas. Minas Gerais, no auge da mineração, foi alvo preferencial. Assim como o Rio de Janeiro, na medida em que crescia em importância. No fim das contas (ao menos das disponíveis), veio de lá a maior parte dos acusados. “Rio e Minas, principalmente no século 17, tinham um importante número de representantes inquisitoriais. Mas há vítimas espalhadas por boa parte do país, como no Espírito Santo, no Piauí e em Goiás”, diz a historiadora Anita Novinsky, da USP. Só na Paraíba, no século 18, 50 pessoas do mesmo círculo familiar foram presas, acusadas de manter as esnogas (sinagogas secretas). No Mato Grosso, foram cinco viagens de comissários em busca de casos de feitiçaria. O “mandingueiro” Manoel Francisco Davida não escapou.

        Técnicas de investigação

        Sobretudo nos inquéritos por judaísmo, era comum os acusados se comprometerem por manter tradições como enterrar os mortos em terra virgem e certos hábitos à mesa. O capelão do inquisidor geral em Portugal, Andrés Bernardez, recomendava: “Existe uma forma judaica de cozinhar e comer, a que todos devemos estar atentos. Eles preparam seus pratos, principalmente a carne, com muito alho e cebola, fritando-os ao invés de assá-los ou utilizar a banha de porco”. Na Bahia de 1560, a mucama de Joana Fenade a denunciou por “fritar cebolas em óleo e jogá-las numa panela com carne para todos comerem”.
        É verdade que a Inquisição foi muito mais mortal em outras praças (veja à dir.), mas isso não diminui o rastro de medo deixado no Brasil. De toda forma, ela legou aos historiadores relatos preciosos sobre o cotidiano da Colônia até cerca de 1768, quando o Tribunal do Santo Ofício português foi transformado em tribunal régio (no contexto das reformas do marques de Pombal), o que esvaziou sua atuação. A extinção formal ocorreu em 1821. Os processos reproduzem hábitos religiosos, alimentares, sexuais… As toneladas de papel arquivadas no Tombo apresentam da genealogia detalhada das famílias envolvidas às traições nos casamentos. “É um acervo riquíssimo e ainda não totalmente investigado”, diz Novinsky.

        Infelizes condenados

        Algumas das vítimas dos visitadores e dos representantes da inquisição

        Ana Rodrigues

        A cristã-nova era uma octagenária quando foi presa, na Bahia, em 1593, acusada de judaísmo. Morreu na cadeia, em Lisboa, e ainda assim foi punida: seus ossos foram incinerados após dez anos. Era a primeira prisioneira da colônia levada à fogueira.

        Bento Teixeira

        Um dos primeiros poetas do Brasil, o português fugiu para Pernambuco após matar a esposa. Sua biografia é nebulosa, mas, em 1594, foi intimado pelo visitador Heitor de Mendonça, acusado de judaísmo. Foi condenado em Lisboa, mas acabou libertado.

        João Fernandes

        Foi delatado por amigos na cidade de Olinda, com 20 anos de idade, em 1594. Admitiu ter tido “ajuntamento carnal nefando e sodomítico” em uma rede com Bartolomeu Pires, filho do ferreiro da região. Foi denunciado em praça pública, mas seu destino é desconhecido.

        Antonio de Gouveia

        Ordenado sacerdote, o açoriano virou jesuíta. Foi desligado da ordem ao ser acusado de praticar necromancia. Preso, acabou desterrado para Pernambuco, onde foi detido de novo, em 1571, por manter as “atividades mágicas” com mortos.

        Feliciana de lira Barros

        Nascida no Pará, era costureira e cristã-velha. Viúva aos 36 anos, foi processada por sodomia, denunciada por vários parentes, em 1763. Foi levada a Portugal para julgamento, mas não se sabe exatamente o que aconteceu com ela depois disso.

        Manuel lopes de Carvalho

        Foi um dos poucos brasileiros queimados vivos. Nasceu na Bahia e ordenou-se padre. Defendia a união entre o cristianismo e o judaísmo. Na prisão, chegou a dizer que seria ele o messias. Morreu em 1726.

        Antonio José da Silva
        Conhecido como “o Judeu”, nasceu no Rio de Janeiro, em 1705. Estudou direito em Coimbra e escreveu peças que ironizavam a sociedade portuguesa. Foi preso com a mãe e a esposa em 1737. Condenado, pediu perdão e, por isso, foi morto antes de ser queimado, em 1739.

        Saiba mais

        LIVROS

        Inquisição: Prisioneiros do Brasil, Anita Novinsky, Expressão e Cultura, 2002.

        O mais completo levantamento sobre o assunto, com estudos de caso e estatísticas.

        Inquisição em Xeque: Temas, Controvérsias, Estudos de Caso, Ronaldo Vainfas, Bruno Feitler e Lana Lage da Gama (orgs.), Ed. Uerj, 2006.

        Somatória de artigos que analisam a Inquisição no Brasil em vários aspectos.

        O Diabo e a Terra de Santa Cruz, Laura de Mello e Souza, Companhia das Letras, 1986.
        Até hoje uma relevante obra de referência sobre os hábitos dos habitantes da colônia que foram perseguidos.

        A inquisição…

        • Investigou 1076 pessoas no brasil e condenou 29 à fogueira (vivas, depois de mortas ou queimadas em efígie).

        • Foram 778 homens e 298 mulheres processados, sendo que… 46,13% dos homens e 89,92% das mulheres foram acusados de judaísmo

        • 38% dos homens e 8% das mulheres foram denunciados por realizar feitiçaria ou pactos com o demônio

        • O restante foi enquadrado nas outras heresias, em especial bigamia e sodomia

        • Do total de investigados, 27,76% eram mercadores e agricultores, contra 12,86% de artesãos

        Outros Tribunais

        Em Portugal, foram…

        • 29 590 investigados

        • 2 441 condenados à fogueira

        Em Goa, foram…

        • 3 800 investigados

        • 42 condenados à fogueira

        • RENATO DE CARVALHO
          Olha sobre a Inquisição, uma coisa são as calúnias contra ela para denegrir a Igreja, outra coisa, e inteiramente o contrário, é o que de fato foi a Inquisição.
          RENATO DE CARVALHO
          Até mesmo um historiador simpático ao movimento cátaro e mesmo ao dualismo maniqueu,– Michel de Roquebert — se recusa a repetir o que a historiagrafia romântica inventou contra a Inquisição, tribunal fundado exatamente para combater o catarismo, ainda que ele considere a Inquisição cruel.
          Diz ele:
          “Afastemos imediatamente a imagem de ëpinal de um Languedoc inteiramente submetido ao horror de uma repressão cega, com cortejos de cátaros — perfeitos e perfeitas ou simplesmente crentes — entregues em massa à tortura, às fogueiras, ou ao menos, ao calabouço perpétuo. Espantoso o sistema certamente foi. Mas de um modo infinitamentemais insidioso do que se pensa frequentemente, de uma crueldade psicológica mais do que física, com perversos efeitos (…) A Inquisição languedociana queimará, aliás, infinitamente menos gente em um século do que Simão de Montfort e seus cruzados entre julho de 1200 e maio de 1211… Será preciso lembrar, com efeito, que a vocação da Inquisição era então a de converter, e não de queimar, e que a fogueira para queimar hereges, mesmo que ninguém ouse dizê-lo, é uma confissão de fracasso?
          Ademais, o Languedoc do século XIII não é a Espanha do fim do século XV, a de Fernando e Isabel e de Torquemada, e a Inquisição não é no Languedoc a polícia política de que os Reis Católicos [da Espanha] farão um organismo do Estado. É uma jurisdição independente, paralela à justiça civil, da qual ela toma emprestado, aliás, o essencial de seu processo, e do qual acontece que ela chega até mesmo, por vezes, a abrandar os métodos (…) os cerca de oitenta inquisidores sucessivos que durante quase um século tiveram que gerir a repressào da heresia em terra occitana, para não falar senão deles, desenvolveram um zelo sucessivamente limitado ou subtil, expeditivo ou meticuloso, que foi lucrativo para a ortodoxia, sem que ela tenha entretanto realizado o verdadeiro holocausto que se evoca por vezes com gosto excessivo”. (Michel de Roquebert, Histoire des Cathares, Perrin , Paris, 1999, pp.18-19).
          Também no livro do Professor João Bernardino Gonzaga, da Faculade de Direito da USP e da PUC de São Paulo – A Inquisição em Seu Mundo (edicão Saraiva, São Paulo, 1994 — você encontrará muitas informações desfazendo a lenda negra que os inimigos da Igreja criaram a respito da Inquisição.
          Que a Inquisição não pode ter sido o monstro que apresentam você pode compreender ao saber que houve muitos santos inquisidores, como, por exemplo, São Pio V que foi Papa e inquisidor, São Pedro Arbués, São Pedro de Verona, e que ela foi protegida por santos como São Domingos, São Luis IX, Rei de França, e São Fernando III, Rei de Castela.
          Permita-me ainda corrigi-la de um erro?
          Você diz que a “Igreja errou e pecou”, e que não a está julgando .
          A igreja não pode errar nem pecar, porque ela é o corpo místico de Cristo que é a sua cabeça divina infalível. Quem pode errar e pecar são os membros da Igreja, no caso que você alega, os padres e os Papas. Estes, pessoalmente podem cair em pecados e erros, pois eles somente são infalíveis ao tratar de fé e moral, ensinando toda a Igreja, com o poder dado por Cristo a Pedro, e definindo uma verdade e proibindo pensar o contrário.
          A Igreja não peca, nem erra nunca.
          Quanto à pena de morte, há, em nosso site, inúmeros artigos provando que o Governante, cujo poder vem de Deus, pode punir com a morte, como se depreende de muitos texto bíblicos.
          Cito-lhe alguns:
          1) Êxodo XXI, 11-17 onde Deus dá lista de crimes puníveis com a morte;
          2) Gn IX, 6, onde Deus ordena a Noé que todo assassino deve ser morto;
          3) Apoc XIII, 10 onde Cristo diz: “quem matar à espada, importa que seja morto à espada”.
          4) Mt XXVI, 52, onde Jesus diz a Pedro que quem ferir com a espada, com a espada deverá ser ferido;
          5) Jo. XIX, 11, no qual Cristo reconhece que Pilatos, como governante tem o poder — dado por Deus — de condenar à morte.
          Finalmente, você me pergunta sobre o que pensamos: “dessa Igreja Católica de hoje tão deturpada principalmente pela Maçonaria, sem falar nesses “Católicos” hipócritas…(que dizem ser católicos)”.
          Como já lhe disse, a Igreja Católica é infalível e não pode ser deturpada por ninguém. Ela é a esposa de Cirsto infinitamente perfeita, sem mancha e sem ruga. Outra coisa são os seus mebros pecadores.
          Infelizmente, hoje, há muita corrupção doutrinária entre os católicos. Há muitos membros do clero contaminados por idéias heréticas ou por opiniões falsas. Esse fato é inegável. Mas não podemos, por causa do escândalo, esquecer que os sacerdotes continuam sempre sacerdotes, merecedores enquanto tais de nosso respeito e submissão em tudo o que não for pecado ou erro.
          AGORA RENATO DE CARVALHO! Quanto aos “católicos hipócritas” a que você se refere, convém rezar por eles, dar bom exemplo de vida católica para compensar o escândalo que eles causam e , quando for necessário, desmascará-los, visando o bem das almas e a conversão deles.
          RESUMINDO.

          RENATO ESTUDE AS FONTES SOBRE A INQUISIÇÃO DA ÉPOCA ESTUDE OS FATOS AS TESTEMUNHAS OCULARES VOCÊ É FRUSTANTE.

        • OLHA RENATO DE CARVALHO NÃO EXISTE UM SÓ DOCUMENTO OU HISTÓRIADOR DA ÉPOCA DA UNQUISIÇÃO QUE AFIRMA QUE O PAPA MANDOU ALGUÉM PARA FOGUEIRA ISSO É INVENÇÃO SATÂNICAS DE PESSOAS ANALFABETAS E MAL INFORMADOS COMO VOCÊ.

          Tantos são os irmãos perdidos nesse rio de” confusão “que o demônio vem vomitando”.Por cause de mentirosos como você!
          Isso mesmo RENATO DE CARVALHO: “um rio de confusão vomitado pelo demônio”.
          RENATO DE CARVALHO VOCÊ LEU O LIVRO livro Malleus malleficarum, E POR ISSO FICOU LOUCO DOENTE.
          RENATO DE CARVALHO esse livro, é uma obra de inquisidores, tratando de pecados praticados pelos adeptos da feitiçaria. Como o livro entra em detalhes escabrosos, os inimigos da Igreja o editaram para atiçar a curiosidade mórbida de nosso tempo, e não para combater a feitiçaria, antes o publicaram para incitar ódio à Igreja.
          AGORA RENATO DE CARVALHO
          Sobre obras de inquisidores é bem interessante ler o livro Manual do Inquisidor escrito pelo Grande Inquisidor Bernard Guy (Essa obra está editada em francês) Caso você tenha interesse em estudar a Inquisição, recomendo-lhe o livro do Prof. João Bernardino Gonzaga “A Inquisição em seu Mundo”, edição Saraiva.
          AGORA RENATO DE CARVALHO
          Se você ler italiano recomendo-lhe o livro de Rino Cammilleri “La Vera Storia dell´Inquisizione”, Edizione Piemme, Casle Monferrato, 200.
          Em francês, lhe recomendo a Histoire de l´ Inquisition au Moyen Âge de Jean Guiraud ( Ed Auguste Picard, Paris , 2 volumes, 1935).
          É impossível compreender a Inquisição sem conhecer a heresia contra a qual ela foi fundada, que foi o catarismo, heresia gnóstica de tipo maniqueu. Sobre os cátaros, então, lhe recomendo os livros de Arno Borst Les Cathares, e a série de livros sobre o Catarismo do historiador pró cátaros Michel de Roquebert: L´Épóppée Cathare ($ vol,) Les Cathares, e ainda Histoire des Cathares.
          René Nelly é outro autor pró-heresia cátara, que vale a pena ler.

          LEIA ESSES HOSTORIADORES OK E DEPOIS FALE COMIGO!

      • SÓ PORQUE A IGREJA CATÓLICA QUER PORQUE ISSO NÃO CONTA NA BÍBLIA.

        SUPOSIÇÕES, NA VIDA SECULAR, TÊM SER PROVADAS COM EXPERIMENTOS CIENTÍFICOS.

        SUPOSIÇÕES, NA VIDA CRISTÃ, TÊM QUE PASSAR PELO CRIVO DAS ESCRITURAS.

        • RENATO DE CARVALHO O CÂNON BÍBLICO FORAM OS BISPOS DA IGREJA QUE SELECIONOU NO ANO 392

          E OUTRA ANALFABETO O ATOS DOS APÓSTOLOS DE SÃO LUCAS FORAM OS BISPOS DA IGREJA CATÓLICA QUE TIRARAM DO LIVRO DE SÃO LUCAS E COLOCOU ALGUMAS CARTAS NO CÂNON BÍBLICO.

          APRENDA RENATO DE CARVALHO QUE A BÍBLIA DO NOVO TESTAMENTO FOI FEITO PARA A IGREJA E NÃO A IGREJA QUE FOI FEITA PELA BÍBLIA

          APRENDA RENATO DE CARVALHO QUE NOS PRIMEIROS SÉCULOS ERAM LIDOS NAS IGREJAS AS CARTAS DOS PADRES APOSTÓLICOS E PADRES DA IGREJA

          EU TI PROVO ISSO UM MILHÃO DE VEZES VOCÊ É UMA POBRE CRIANCINHA ANALFABETO LEIGA MAL DO SÉCULO

          TRAGA UM TEÓLOGO PROTESTANTE OU UM HISTORIADOR PROTESTANTE PARA MIM O REFUTAR AQUI NO SITE

          OLHA RENATO DE CARVALHO SUA BURRICE DA IBOPE AQUI NO SITE LEPANTO QUE TEM MAS DE UM MILHÃO DE VISITAS

          VOCÊ É UM POBRE COITADO ACUSA ACUSA E NÃO PROVA NADA

          • AMIGOS QUE VISITAM ESSE SITE VAI UM CONSELHO SINCERO E VERDADEIRO!
            QUANDO VIM NO SITE MENTIROSOS COMO ESSE TAL DE RENATO DE CARVALHO E MUITOS OUTROS
            QUE FALA SOBRE INQUISIÇÃO PAPISA R QUE A IGREJA CATÓLICA FOI FEITA POR CONSTANTINO ETC…

            NÃO ACREDITEM NESSAS SAFADEZAS DOS MALIGNOS DO MAL DO SÉCULO
            SUGIRO A VOCÊS CAROS LEITORES A IR NAS FONTES SEMPRE
            LEIAM LIVROS COM TESTEMUNHAS OCULARES DE NOME DOS AUTORES DA ÉPOCA!

          • ENTÃO REFUTE ESSE TEÓLOGO CATÓLICO AÍ.

            NÃO SOU MENTIROSO, E QUANDO AFIRMO ALGUMA COISA PODE TER A CERTEZA DE QUE TEM FUNDAMENTO OU DO CONTRÁRIO, EU NEM ME ATREVO.

            ESSE HOME AÍ, QUE ESTÁ FALANDO, PODERIA MENTIR POR SER CATÓLICO, MAS ELE ESTÁ SENDO VERDADEIRO.

            TVENDO – REDE APARECIDA 08-11-2011

            ENTREVISTA DADA A REDE APARECIDA (TV CATÓLICA) PELO PROFESSOR ANDRÉ BARROSO, MESTRE, TEÓLOGO, FILÓSOFO E CATÓLICO.

            DETALHE: EM NENHUM MOMENTO ESSE HOMEM OFENDE OS PROTESTANTES, PORQUE ELE SABE QUE NÃO SOMOS INIMIGOS.

            TUDO O QUE ELE DIZ AQUI CORROBORA COM O QUE EU TENHO AFIRMADO TODO ESSE TEMPO: CATÓLICOS A PARTIR DO QUARTO SÉCULO, PORQUE ANTES NÃO HAVIA CATOLICISMO; IGREJA E ESTADO “COMUNGANDO DA MESMA ÓSTEA”, DAÍ A MATANÇA NO PERÍODO MEDIEVAL ATRAVÉS DA “SANTA” INQUISIÇÃO.

            TEMA DO PROGRAMA: INÍCIO DO CATOLICISMO

            O LINK DO YOUTUBE LEVA DIRETO A ENTREVISTA, QUE TEM 10:07m.
            TRANCREVI, NA ÍNTEGRA, ESSE TRECHO DA ENTREVISTA, MAS QUEM QUISER ASSISTI-LA POR INTEIRO É SÓ ACESSAR O LINK http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=pSbtmRuSflA

            Primeira pergunta: O que significa Catolicismo?

            “A gente, no início do Cristianismo, a gente ainda não tem… Os Cristãos não são identificados como Católicos, isso vai acontecer depois do século terceiro, lá pro século quarto, quando aí, a religião Cristã vai se tornar a religião oficial do Estado, com Constantino. Então aí, você vai começar a chamar de Católico em oposição aos outros seguimentos que saem, mas isso vai ficar afirmado mesmo na Reforma Protestante, que a gente vai ter Protestantes de um lado e Católicos do outro. Mas no Cristianismo antigo, primitivo, esse termo vem por quê? Porque “Ide, pregai o Evangelho a toda criatura; aquele que crê e for batizado será … é… terá salvação”. Então, esse “Ide”, pregai a todo, tem o sentido de universal, daí o termo “Católico” do grego, está na Septuaginta – “toda criatura”, você vai ser identificado como Católico –, mas Católico quer dizer universal.

            Pergunta do entrevistador: Quando você falou sobre Constantino, foi a partir daí que passou a ser Catolicismo? Foi a partir dele? Quem era ele, na verdade?

            Entrevistado:
            Constantino era um imperador romano, que em 325 vai instituir a religião Cristã como a religião oficial do Estado romano, e a partir daí você tem a institucionalização da Igreja Cristã. Mas até aí a gente tem um sem número de movimentos, de grupos, de religiões que dialogam, que têm conflitos, que têm crises – mas até Constantino – aí quando chega em Constantino, aí sim, é oficial, é estatal. Aí o que está contra a Igreja vai estar contra Constantino. A gente vai começar a ter essas separações, essas decisões e cismas e etc que a gente vai ver na história da Igreja medieval: o último grande cisma, que é o cisma Protestante do século XVI, com Lutero, Calvino, etc.

            Pergunta da entrevistadora: Você fala sobre a religião Cristã, tem gente até que tem dúvida, se confunde disso “ eu sou Cristão ou eu sou Católico?” Qual a diferença? Existe uma diferença? SABEMOS QUE NÃO É SÓ O CATOLICISMO QUE É CRISTÃO. Explica isso um pouquinho.

            Entrevistado: Esse é o problema, porque acabamos nos apropriando de um termo Católico, e acabamos, inclusive, esquecendo que somos Cristão, e aí o Protestantismo se apossou – não é bem a palavra, mas tomou conta desse termo: “nós somos Cristão e eles são Católicos”. Mas Católicos quer dizer universal. Todos somos Cristãos. Então até bem pouco tempo você não tem essa diferença, mas quando da Reforma Protestante isso vai ficar marcado, aí sim vai ficar Católicos de um lado e Cristãos do outro, e todos os Cristãos que vêm do Protestantismo, das correntes Protestantes: Calvino, Anglicanismo, Luteranismo – aí esses serão os Cristãos e nós seremos os Católicos, mas na verdade todos Cristãos. É um desafio para nós retomar isso, porque Cristão está na origem desse movimento religioso e a gente não pode perder isso, acabamos esquecendo, e aí “não, eu sou Católico”, e aí fica a disputa não é? Jesus criou a igreja Católica [rsrs]… ou criou a Igreja Cristã …”

      • CONTRADITÓRIOS SÃO VOCÊS

        PATRÍCIA,COMO PROFESSORA DE HISTÓRIA TALVEZ VOCÊ POSSA EXPLICAR ESSA CONTRADIÇÃO DE MATAR JOANA D’ARC E DEPOIS DE 500 ANOS CANONIZÁ-LA.

        ONDE ESTÁ A INFALIBILIDADE PAPAL?
        O deus NA TERRA FALHOU DESSA VEZ?

        NINGUÉM É SALVO POR CONHECER A HISTÓRIA. SE ASSIM FOSSE OS ANALFABETOS NÃO PODERIAM SER SALVOS – E DIGA-SE DE PASAGEM QUE JESUS ESCOLHEU MUITOS INDOUTOS.
        A PESSOA É SALVA POR SE ARREPENDER DOS PECADOS E CAMINHAR COM CRISTO. RELIGIOSIDADE NÃO GARANTE A SALVAÇÃO DE NINGUÉM

        EDMÍLSON

        UMA PESSOA QUE SE DIZ CRISTÃ E TEM ÓDIO EM SEUS ARGUMENTOS É SOMENTE UM RELIGIOSO, CUJAS ORAÇÕES OU REZAS – SEI LÁ O QUE VOCÊS FAZEM – NÃO ULTRAPASSAM NEM O TETO DA IGREJA.
        DEUS OLHA O SER HUMANO NO INTERIOR, E SEI QUE QUANDO ELE TE OLHA QUERENDO ME ESGANAR, ENFORCAR, SEI LÁ, ELE NÃO SE AGRADA DAS TUAS ATITUDES.

        ENTÃO VAI UMA DICA: QUANDO ESTIVERES DEBATENDO COM ALGUÉM PROCURE SE ATER AO ASSUNTO, E NÃO DEIXE O ÓDIO TOMAR CONTA DE VOCÊ SENÃO VOCÊ PODE ACABAR TENDO UM INFARTO OU UM DERRAME. TEU MODO DE EVANGELIZAR TEM QUE SER REVISTO, REPENSADO.

        NÃO VOU MAIS PASSAR POR AQUI, PORQUE ATÉ DE MAU CARÁTER JÁ FUI CHAMADO. EU NÃO QUERO SER OFENDIDO MAIS, PORQUE O FATO DE EU DISCORDAR SOBRE ASSUNTOS RELACIONADOS A FÉ CRISTÃ, NÃO LHE DÁ O DIREITO DE ME OFENDER. DEBATI COM VOCÊ MUITAS VEZES E NÃO USEI DE BAIXOS ARGUMENTOS OU ARGUMENTOS ESTRANHOS AO ASSUNTO DEBATIDO.

        SE ESSA É UMA MANEIRA DE VOCÊ EXPULSAR DO SITE OS DE OPINIÃO CONTRÁRIA, VOCÊ CONSEGUIU. POR OUTRO LADO SEI QUE DEUS NÃO APROVA ESSA TUA ATITUDE.

        A MIM VOCÊ NÃO PRECISA AGRADAR, MAS SE EU FOSSE VOCÊ PROCURARIA AGRADAR A DEUS.

        • RENATO DE CARVALHO

          DE ONDE VOCÊ TIROU ESSA FABULA DE QUE A IGREJA MATOU JOANA DARK

          KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

          CARA VOCÊ É UMA COMÉDIA ISSO NÃO EXISTE ANALFABETO NA HISTÓRIA DOS FATOS!

          VOCÊ QUE OS NOMES DOS PRIMEIROS ADULTERADORES DE HISTÓRIA DAS SEITAS PROTESTANTES EU TI DOU UM POR UM DELES

          • RESPOSTA PARA EDMILSON, QUE DIZ QUE A MORTE DE JOANA D’ARC PELA “SANTA” INQUISIÇÃO (IGREJA CATÓLICA) É UMA FÁBULA, E QUE É APENAS UMA ADULTERAÇÃO DA HISTÓRIA.

            O SITE É CATÓLICO.

            SE ESSE ASSASSINATO OCORREU TENDO COMO PANO DE FUNDO INTERESSES POLÍTICOS – SE REALMENTE FOI ISSO, TORNO A REPETIR – MESMO ASSIM NÃO MUDA EM NADA O FATO DE A IGREJA TER CONCORDADO COM A MORTE DE JOANA D’ARC.

            FATO É QUE SE A IGREJA ESTIVESSE SENDO GUIADA POR CRISTO E NÃO PELO HOMEM NUNCA CONCORDARIA COM ISSO, MUDANDO ASSIM O FATO DE TER CONCORDADO COM A SITUAÇÃO.

            ENTÃO VOLTO A MESMA PERGUNTA QUE FIZ ANTERIORMENTE SOBRE MATAR JOANA D’ARC E DEPOIS CANONIZÁ-LA: ONDE ESTÁ A INFALIBILIDADE PAPAL? O deus NA TERRA ERROU DESTA VEZ?

            SOMENTE NO SÉCULO XIX, 1870 É FEITA A DECLARAÇÃO DA “INFALIBILIDADE” PAPAL.

            AGORA UMA COISA ME CHAMA A ATENÇÃO: SE O PAPA É O “SUCESSOR” DE PEDRO E ESSA “INFALIBILIDADE” SÓ FOI DECRETADA EM 1870 SIGNIFICA QUE OS OUTROS PAPAS ERAM FALHOS?

            TÍTULO: Vida heroica e trágica morte da Santa Joana D’Arc são um exemplo para os cristãos e políticos
            SITE: http://www.catolicismoromano.com.br/content/view/865/1/

            A vida heroica e a trágica morte de Santa Joana D’Arc são um exemplo para os cristãos, especialmente para aqueles engajados na política.

            Isto foi afirmado pelo Papa Bento XVI em sua catequese, dentro do ciclo dedicado às santas mulheres da Idade Média, e que hoje quis dedicar a Joana, “a donzela”, a jovem heroína francesa que foi executada na fogueira por seus inimigos políticos. Joana (1412-1431), originária da aldeia de Domrémy, recebeu uma série de revelações divinas sobre a missão que deveria cumprir, libertando seu povo do domínio inglês, no contexto da Guerra dos Cem Anos.

            Com apenas 17 anos, ela liderou os exércitos franceses a várias vitórias, principalmente ao levantamento do Cerco de Orléans (1429), que ajudou a restaurar o trono de Charles VII.

            Capturada pelos ingleses, abandonada por seus aliados e com um tribunal eclesiástico manipulado por interesses políticos, Joana foi acusada de heresia e condenada à fogueira, onde morreu com apenas 19 anos.

            Reabilitada 25 anos mais tarde pelo Papa espanhol Calisto III, foi canonizada em 1920, por Bento XV. Sua figura teve um grande impacto sobre escritores como Charles Péguy, e uma profunda influência sobre outra grande santa francesa, Teresa de Lisieux.

            OUTRO SITE: http://mortenahistoria.blogspot.com.br/2011/07/morte-de-joana-darc.html

            TÍTULO: MORTE DE JOANA D’ARC

            NOME: Joana d’Arc (19 anos)
            QUEM FOI: Heroína da Guerra dos Cem Anos, durante a qual tomou partido pelos Armagnacs, na longa luta contra os borguinhões e seus aliados ingleses. Descendente de camponeses, gente modesta e analfabeta, foi uma mártir francesa canonizada em 1920, quase cinco séculos depois de ter sido queimada viva.
            NASCIMENTO: 6 de janeiro 1412 – Domrémy-la-Pucelle, França
            MORTE: 30 de maio 1431 – Rouen, França.
            CAUSA DA MORTE: Queimada viva (pela Inquisição).
            OBS.: Médium extraordinária, foi queimada viva, como bruxa, pela Santa Inquisição. A cerimônia de execução aconteceu na Praça do Velho Mercado (Place du Vieux Marché), às 9 horas, em Rouen. Antes da execução ela se confessou com Jean Totmouille e Martin Ladvenu, que lhe administraram os sacramentos da Comunhão. Entrou, vestida de branco, na praça cheia de gente, e foi colocada na plataforma montada para sua execução. Após lerem o seu veredito, Joana foi queimada viva. Suas cinzas foram jogadas no rio Sena, para que não se tornassem objeto de veneração pública. Era o fim da heroína francesa.

        • RENATO DE CARVALHO NÃO ME VENHA COM SENTIMENTALISMO BARATO
          VOCÊ QUE OFENDE OS CATÓLICOS CHAMANDO-NOS DE IDOLATRAS
          VOCÊ DIZ MUITAS BABOSEIRAS CONTRA A IGREJA FUNDADA POR JESUS CRISTO

          E AINDA TEM A SAFADEZA DE VIM DIZER QUE NÃO OFENDE A NINGUÉM SE EU FOSSE VOCÊ EU TOMARIA VERGONHA NA CARA
          E SOBRE TEÓLOGOS É TEÓLOGO E SE O TEÓLOGO CADA UM AS VEZES TEM SEUS PONTOS DE VISTA MEU CARO LEIGO PONTO DE VISTA É PONTO DE VISTA AGORA NÃO CONDIZ EM NADA COM A REALIDADE SE ELE VIER COM FRASES FORA DA IGREJA RENATO DE CARVALHO SE EU FOSSE VOCÊ TOMARIA VERGONHA NA CARA!

          OLHA ESTOU TERMINANDO UM TRABALHO QUE FALA DOS SANTOS SÓ COM MATÉRIAS BÍBLICAS COM TRADIÇÃO E TESTEMUNHAS OCULARES

          ME AGUARDE HEREGE DAS TREVAS!

          • DIZER QUE VOCÊ É IDÓLATRA NÃO É OFENSA PORQUE ESTÁ ESCRITO NA BÍBLIA QUE QUEM PEDE ALGO A IMAGEM É IDÓLATRA. OFENSA É QUANDO VOCÊ ME CHAMA DE ANALFABETO, SEM CARÁTER, SAFADO,PARA EU TER VERGONHA NA CARA, COISAS DESSE TIPO, COMO SE VOCÊ ME CONHECESSE. EU NUNCA BAIXEI O NÍVEL, E NÃO QUERO VIRAR UM RELIGIOSO COMO VOCÊ. (ISSO CONTAMINA)
            A FORMA COMO VOCÊ SE DIRIGE ÀS PESSOAS JÁ DIZ QUAIS QUALIDADES VOCÊ TEM COMO “CRISTÃO”
            COMO EU FALEI ANTES, NINGUÉM É SALVO POR CONHECER A HISTÓRIA O POR SER INTELECTUALIZADO(A).

            TEUS ESTUDOS NÃO ME INTERESSAM PORQUE SÃO BASEADOS EM DESVIOS QUE COMEÇARAM NO FINAL DO SEGUNDO SÉCULO. VOCÊ TEM A PATRÍSTICA E A TRADIÇÃO HUMANA COMO REGRA DE FÉ, MAS EU PREFIRO FICAR COM A BÍBLIA PELOS MOTIVOS QUE JÉ MOSTREI.

            JÁ MOSTREI O QUE UM HOMEM CONHECEDOR DA HISTÓRIA DISSE SOBRE CONSTANTINO – E ELE NÃO MENTIU, NÃO É PONTO DE VISTA DELE COISA NENHUMA -, ELE MOSTROU OS ESCRITOS HISTÓRICOS QUE CONFIRMARAM O QUE EU DISSE.

            SE O PRÓPRIO JESUS CRISTO VIESSE AQUI NA TERRA E DISSESSE PARA VOCÊ QUE O PAPADO É UM EMBUSTE, SERIA BEM CAPAZ DE VOCÊ QUERER MATÁ-LO PARA CONTINUAR DANDO CRÉDITO AS MENTIRAS QUE ESTÃO LEVANDO MILHARES DE PESSOAS PARA O INFERNO.

            VOCÊ ACHA QUE PARA SER VERDADEIRO O TEÓLOGO TEM QUE DEFENDER SEUS INTERESSES, MESMO QUE ISSO SIGNIFIQUE MASCARAR A VERDADE.

            DIGA ENTÃO QUE O PAPA DE VOCÊS – O BENTO XVI – ESTÁ MENTINDO QUANDO FALA QUE A SANTA INQUISIÇÃO FOI UM AVANÇO, QUANDO DEVERIA DIZER QUE FOI UM ERRO DESNECESSÁRIO. VIGÁRIO DE CRISTO Ah! Ah!

            O PAPA CONFIRMA QUE ELA (A INQUISIÇÃO) EXISTIU, E VOCÊ SABE MUITO BEM DISSO. O ENGRAÇADO É QUE VOCÊ DISSE PARA AS PESSOAS VISITANTES DO SITE NÃO ACREDITAREM NAS “MENTIRAS” QUE EU FALEI SOBRE INQUISIÇÃO E CONSTANTINO.
            VOCÊ VIVE DE MENTIRA PARA SUSTENTAR O QUE VOCÊ QUER QUE AS PESSOAS ACREDITEM.

            QUANDO ELE DIZ QUE A SANTA INQUISIÇÃO FOI UM AVANÇO ELE ESTÁ CONFIRMANDO QUE ELA EXISTIU E DESMENTINDO VOCÊ, QUE ME CHAMA DE MENTIROSO.

        • SEMPRE PIADISTA O RENATO DE CARVALHO RSRSRS
          COM CERTEZA É MUITO FÁCIL REFUTAR VOCÊ E QUAL QUER TEÓLOGO
          PIADISTA SE ELE MUDAR OS RUMOS

          ANALFABETO RICARDO DE CARVALHO NÃO EXISTE DUAS HISTÓRIAS COLOCA ISSO NA SUA CABEÇA

          AGORA ESSE TEÓLOGO QUE VOCÊ POSTOU AÍ NÃO É UM TEÓLOGO CATÓLICO

          É MAIS UM TEÓLOGO FARSANTE

          DAQUELES QUE DIZ QUE O QUE SALVA É O EVANGELHO E NÃO RELIGIÃO

          TRAGA ESSE TEÓLOGO AQUI PRA MIM CALAR A BOCA DELE QUE MEU NUMERO MEU BLOG EU DEBATO COM ELE NO YOU TUBE FACE A FACE TERIA UM IMENSO PRAZER DE FAZER PERGUNTAS A ELE

          • EDMILSON

            VOCÊ DISSE QUE QUER CALAR A BOCA DO TEÓLOGO QUE FALA SOBRE CONSTANTINO, PAI DO CATOLICISMO ROMANO.

            VOCÊ NÃO CALA A BOCA DE NINGUÉM CARA!!! DEIXA DE QUERER SER O TAL. VOCÊ DIZ QUE ESTUDOU NUM PAÍS DESENVOLVIDO AÍ , QUE EU NÃO LEMBRO O NOME, MAS NÃO CONHECE NEM A GRAMÁTICA DIREITO, NÃO SABE NEM ESCREVER. VOCÊ FALA DEMAIS E NÃO TEM PERSONALIDADE.

            NÃO PRECISO SER UM EVANILDO BECHARA NA GRAMÁTICA NÃO, MAS PELO MENOS O BÁSICO EU CONHEÇO. VOCÊ AINDA TEM QUE APRENDER MUITO.

            Ah! FUI BUSCAR O QUE VOCÊ ESCREVEU, DIZENDO QUE ESTUDOU:

            “POIS É MUITO FEIO MESMO EU ESCREVER ERRADO UM APOLOGISTA COMO EU
            QUE ESTUDOU A MAS DE 8 ANOS A PATRÍSTICA E A HISTÓRIA PRIMITIVA NA SUÍÇA”

            VOCÊ ESCREVEU: “TRAGA ESSE TEÓLOGO AQUI PRA MIM CALAR A BOCA DELE QUE MEU NUMERO MEU BLOG EU DEBATO COM ELE NO YOU TUBE FACE A FACE TERIA UM IMENSO PRAZER DE FAZER PERGUNTAS A ELE”

            NÃO É PRA MIM CALAR COMO VOCÊ ESCREVE. É PRA EU CALAR, PORQUE CALAR É UM VERBO QUE ESTÁ NO INFINITIVO, E QUANDO É ASSIM TEMOS QUE USAR “EU” E NÃO “MIM”. “MIM” SÓ É USADO ANTES DE VÍRGULA OU E FINAL DE FRASE.

            ESSE “A” QUE VOCÊ ESCREVEU LOGO ACIMA É DO VERBO HAVER COM “H”

            SÃO ERROS QUE NÃO MERECEM DESCULPAS POR PRESSA, ENTÃO NÃO ME VENHA DIZER QUE É DOUTOR EM NADA PORQUE EU CONHEÇO GENTE INSTRUÍDA. GENTE INSTRUÍDA NÃO INSULTA AS PESSOAS COMO VOCÊ COSTUMA FAZER.

            ADIOS!!

          • Olha, sugiro Edmilson eu sugiro que você encerre esse assunto. Não adianta ficar discutindo com que não conhece a bília, e não sabe interpretá-la, não conhece história, não conhe3ce nada. O problema dos evangélicos começou com Lutero, que era uma ignorante de marca maior, que não soube interpretar São Pazulo, e o mesmo aconteceu com todos o redformadores. E a situação hoje é ainda pior, porque nós vimos o que aconteceu com a Pastor Marco Feliciano. Pra você poder compreender a Bíblia, tem que estudar muito, mas muito mesmo, exegese e hermenêutica bí blic as, e eles falam pelo que ouviram falar. E como só ouviram falar baboseiras, repetem como papagaios. E discutgir com quem não tem nenhum preparo e simploesmente perda de tempo.

          • RENATO DE CARVALHO FOI POR CAUSAS DE DOENTES COMO VOCÊ QUE A SEITA PROTESTANTE É DIVIDIDA MILHÕES DE SEITAS E DOUTRINAS HERÉTICAS ESPALHADAS PELO MUNDO

            OLHA O PAPA PEDE PERDÃO PELOS ERROS COMETIDOS PELOS HOMENS MAIS O PAPA NUNCA PEDIU PERDÃO PELOS ERROS DA IGREJA SABE POR QUE? POR QUE ELA É SANTA E VERDADEIRA!

            AGORA HEREGE QUEM MATOU NA INQUISIÇÃO FOI AS SEITAS PROTESTANTES!

            A IGREJA CATÓLICA JAMAIS MATOU ALGUÉM COMO OS OPORTUNISTAS OS HEREGES OS HISTORIADORES PROTESTANTES AFIRMAM

            POIS ELES QUEREM É GANHAR DINHEIRO A CUSTA DAS MENTIRAS E CALUNIAS MAIS NOS DIAS DE HOJE ESSAS LENDAS ESTÃO SENDO DESMASCARADAS RENATO DE CARVALHO

            E OUTRA O ÚNICO HISTORIADOR EM VIDA DE CONSTANTINO FOI EUSÉBIO DE CESARÉRIA PROCURE PELA OBRA VITA CONSTANTINO

            E OUTRA OS HOMENS DA IGREJA CATÓLICA ERRARAM E ERRAM EM QUESTÕES ADMINISTRATIVAS EM VAIDADES E DISPUTAS

            MAS EM QUESTÕES DOUTRINARIAS E DOGMÁTICAS JAMAIS

            ESTUDE A IGREJA RENATO DE CARVALHO NAS FONTES E VOCÊ VERÁS FILHOS DAS TREVAS

          • VOCÊ É ANALFABETO RENATO DE CARVALHO NÃO CONHECE NADA E MUITO MENOS SABE O QUE É E O QUE FOI A INQUISIÇÃO

            Entendendo a Inquisição I: – A Igreja após a queda de Roma

            Porem, como disse o escritor Tertuliano, convertido ao cristianismo depois de muitos anos combatendo-o veementemente, “O sangue dos mártires é a semente dos cristãos”. Assim, cumpria-se cada vez mais a promessa de Nosso Senhor a Pedro, garantindo que as portas do inferno não prevaleceriam e nem prevalecerão sobre a Igreja (Mt 16,18).

            O fruto desta Santa Resistência foi colhido apenas no século IV, quando o imperador Constantino no ano de 313 declarou licito o culto cristão e além disso o tornou religião oficial do Estado.

            Porem, crises financeiras e muitas disputas internas e externas por poder faziam com que o império se enfraquecesse. Os frutos deste enfraquecimento foram diversas guerras internas que inicialmente dividiram o império romano em dois. O Ocidental, com capital em Roma e um Oriental, com capital em Constantinopla.

            Este enfraquecimento fez com que diversas invasões de povos Bárbaros (palavra oriunda de blá-blá-blá, ou seja, povos que falavam línguas que não se compreendia em Roma) vindos de todas as direções e que avançavam aos poucos pelas fronteiras do Império Romano Ocidental.

            Godos, ostrogodos, visigodos, suevos, francos, germânicos, eslavos (compreendendo centenas etnias e tribos diferentes), vândalos, saxões, anglos, unos são exemplos de tribos bárbaras que aos poucos foram conquistando a Europa, reduzindo assim as fronteiras até o ponto de tomarem a capital romana oriental em 476 dc, o bárbaro Odorico depôs Rômulo Augusto e proclamou-se “patrício” dos romanos.

            Um longo processo de modificação do império teve inicio, sempre embaixo de guerras sangrentas, cruéis perseguições, massacres, intolerância que moldaram o que viria a ser a sociedade medieval dos séculos seguintes.

            Você pode estar se perguntando, como a Igreja se enquadrou neste turbilhão de transformações politicas, sociais, ideológicas e religiosa.

            Sem duvida nenhuma se hoje você está lendo este artigo, seja você católico ou não, deve muito a Santa Igreja de Cristo. O fato de ela ser Católica (professa a mesma fé da mesma maneira em todos os lugares, ou seja, universal) foi vital para que a sociedade ocidental que conhecemos hoje se estabelecesse.

            Todos esses povos que citamos acima, estavam longe de viverem em harmonia entre si. É fato conhecido que inúmeras e violentas guerras entre estas tribos foram travadas e a ação pacificadora da Igreja foi fundamental para que a paz fosse estabelecida entre esses povos.

            Outra coisa que é importante lembrar é que todos esses povos eram nômades, isto é, viviam em acampamentos temporários, consumindo os recursos de uma determinada região e quando estes se esgotavam, dirigiam-se para outro lugar, o que gerava conflitos com possíveis grupos que por acaso já estivesses na região. Não havia cultura entre esses povos. Arte e ciências eram extremamente escassas, assim como tratamentos de saúde, educação, e serviços básicos que os romanos já a muito gozavam.

            Neste cenário, o conhecimento arreigado pela Igreja de agricultura, letras, ciências e medicina propiciaram que esses povos se fixassem em um local (sedentarismo), extinguindo a necessidade de deslocamentos e guerras por territórios provisórios.

            Já no século III, um movimento maravilhoso surgiu no seio da igreja. O monaquismo (vida em regime monastico, ou seja, como um monge). Porem foi no século IV e V que o movimento se expandiu com força extraordinária, muito em função de um gigante da Igreja e com certeza uma das pessoas mais influentes e importantes da história humana. Este homem foi São Bento (480-547) que com sua humildade, cultura extraordinária e sua Regra propiciaram a crianção de um método simples e muito efetivo de evangelização e educação dos povos bárbaros, unindo-os pela fé no Cristo e na Santa Igreja.

            Foram os Beneditinos (Monges Seguidores da regra de São Bento) que literalmente colonizaram a Europa, aplacando conflitos e divergencias sociais.

            Em nossos dias, podemos ver que diversas cidades européias tem seu marco zero um mosteiro, uma paróquia ou uma catedral (Pariz – Notre-Dame; Londres –Canterbury; Cassino – Abadia Monta Cassino, dentre outras) . Isto acontecia pelo fato desses monastérios possuirem escolas, hospitais, artes e catequese acessíveis a todos os níveis sociais.

            Os monges ensinaram os bárbaros o cultivo da terra, leitura, escrita, artes, mossonaria (arte de construir com blocos de pedra, tijolos e alvenaria), ciência naturais e exatas (engenharia, geometria e matemática).

            Não é dificil assim vermos que toda sociedade a partir da alta idade média (476-1000 DC) foi construída sobre as bases fundamentais do cristianismo católico e sem ele, a sociedade bárbara iria se auto-destruir por seus métodos violentos e desumanos.

            É importante ver que muitos destes resquicios, apensar dos grandes esforços da Igreja, continuaram por muitos e muitos séculos subsequentes, impelindo a Igreja a combater tais costumes de maneira veemente e incansável.

            Ficamos por aqui. Espero que este artigo seja de muita utilidade para você amigo leitor intender a importância da Santa Igreja de Cristo para a história do mundo ocidental e os motivos pelo qual o Estado e a Igreja eram tão interligados. Afinal, sem a universalidade(catolicismo) da igreja, provavelmente o mundo seria bem diferente do que conhecemos hoje.

            No próximo artigo, abordaremos o comportamento social, politico e judicial na Idade Média. Iremos abordar a mentalidade popular deste período, costume e ver descobrir por quê alguns métodos jurídicos e penais atribuídas de maneira erronea a Igreja na Inquisição eram na verdade costumes bárbaros cuja Igreja era veemente contrária e feroz combatente, ao ponto de excomungar reis e membros do alto escalão da nobresa da época.

            Fontes:
            CARDINI, Franco – Atlas Histórico do Cristianismo para Jovens – Editora Cidade Nova – São Paulo – 2007.
            Wikipedia:http://wikipedia.org.br
            Woods, Thomas E. – How the Catholic Church Built the Western Civilization – Ragnery Publishing Inc – 2005
            Fontes:

            * CARDINI, Franco – Atlas Histórico do Cristianismo para Jovens – Editora Cidade Nova – São Paulo – *

            * 2007.Wikipedia: http://wikipedia.org.br

            *Woods, Thomas E. – How the Catholic Church Built the Western Civilization – Ragnery Publishing Inc – 2005

      • PATRICIA A HISTÓRIA DE PEDRO QUE VOCÊ ESTUDA SÃO DE ESCRITORES ROMANISTAS – DEDUÇÕES OU ACHISMOS, QUE CONVÊM NO SUSTENTO DA IDEIA DE QUE CRISTO COLOCOU PEDRO COMO PAPA.

        NÃO VOU DIZER QUE VOCÊ, PATRÍCIA, NÃO CONHEÇA A HISTÓRIA. PENSO QUE, APESAR DE CONHECÊ-LA VOCÊ SIMPLESMENTE OMITE A VERDADE DOS FATOS POR PURA IDEOLOGIA, CONVENIENTE AS TUAS CRENÇAS. NÃO SEJA UMA CATÓLICA QUE NÃO ASSUME A VERDADE, PORQUE O QUE É VERDADEIRO TEM QUE SER EXPOSTO. A EXPOSIÇÃO DESSA VERDADE ESTÁ AÍ, EU JÁ POSTEI, UM TEÓLOGO E MESTRE (NÃO É MESTRE DE KUNG-FU NÃO, É MESTRE PORQUE TEM O CURSO DE MESTRADO) E FILÓSOFO E CATÓLICO CONFIRMANDO QUE O CATOLICISMO NASCEU COM CONSTANTINO. VEJA A ENTREVISTA NA TV REDE APARECIDA, UMA TV CATÓLICA, PELO LINK: http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=pSbtmRuSflA

        OS ESCRITORES DA PATRÍSTICA, QUE VOCÊS TANTO CITAM, TÊM OPINIÕES PARTICULARES SOBRE DETERMINADOS ASSUNTOS, E A BÍBLIA NÃO PERMITE OPINIÕES PARTICULARES SOBRE CAUSAS SAGRADAS. QUERER DESCONSIDERAR A PALAVRA DE DEUS PARA DAR ÊNFASE A OPINIÕES NÃO INSPIRADAS PELO ESPÍRITO DE DEUS É, NO MÍNIMO, ANTIBÍBLICO.

        QUANDO EU DISSE QUE CONSTANTINO INSTITUCIONALIZOU A IGREJA CATÓLICA (325 dC) E FEZ A JUNÇÃO ENTRE ESTADO E IGREJA EU NÃO MENTI, ANTES NÃO HAVIA CATOLICISMO, E A IGREJA JÁ ESTAVA DESVIADA PELAS INTRODUÇÕES HERÉTICAS EM SEU SEIO, COMEÇANDO EM 197 dC – VOCÊ QUE CONHECE A HISTÓRIA SABE DISSO MELHOR DO QUE EU.

        UM OUTRO SITE MOSTRA UM VÍDEO DE UM PADRE – Pr. Carreira das Neves – DIZENDO QUE AS FESTAS PAGÃS FORAM CRISTIANIZADAS NA ÉPOCA DE CONSTANTINO. VÁ LÁ E CONFIRA http://religioescristas.blogspot.com.br/2013/03/do-primeiro-papa-ate-zeferino-217-dc.html

        QUANTO A SURRA AOS HEREGES QUE VOCÊ MENCIONA, NEM FAZENDO MELHOR QUE ISSO VOCÊS CONSEGUIRÃO PORQUE ESTAMOS CALÇADOS PELA PALAVRA DE DEUS. PARA SABER QUE ISSO QUE NÓS EVANGÉLICOS TEMOS PROFERIDO É A PALAVRA DE DEUS É SÓ VER DE QUE LADO AS OFENSAS SAEM. JÁ FUI CHAMADO DE TUDO QUE É NOME AQUI POR MUITOS QUE SE DIZEM CRISTÃOS. SE É ISSO QUE AS PESSOAS APRENDEM LENDO A PATRÍSTICA…

        • OLHA HEREGE RENATO DE CARVALHO SALVE MARIA!

          Olha eu tenho em mãos o livro publicado pelo Vaticano, sobre a Inquisição, cujos dados são confiáveis e interessantes.

          Agora o que não é confiável é sus lorotas

          RENATO HEREGE DE CARVALHO

          Abaixo lhe passo outro resumo feito por outra agência de notícias.

          A pesquisa agora publicada pelo Vaticano comprovou que houve um imenso exagero nas acusações feitas, durante séculos, contra a Inquisição . Os dados da pesquisa demonstram que o número de condenações à morte foi imensamente menor que o propalado: não chegando a 2% dos processos.

          Mais ainda: grande parte das condenações não era executada. Muitas vezes “executava”-se um boneco, e não o próprio sentenciado. Eram execuções simbólicas.

          E OUTRA RENATO DE CARVALHO:

          O Papa pediu perdão pelos erros humanos do Tribunal da Inquisição, já que todo Tribunal comete erros, (menos os do século XX herdeiros do Tribunal Revolucionário de Robespierre pelo qual ninguém pede perdão. E por que será ?) Quanto à tortura, ninguém diz que ela era normalmente utilizada por todos os Estados até o século XIX.

          E foi só no século XX que a tortura foi proscrita, especialmente nos países comunistas, nos quais jamais houve tortura, visto que, nunca dos nuncas, um comunista pediu perdão por ela.

          Ninguém diz também que a Inquisição foi a primeira instituição a considerar a confissão sob tortura como nula.

          Como poucos, muito poucos, lembram que grandes santos foram inquisidores, por exemplo, São Pedro Arbués.

          Claro que esse pedido de perdão feito pelo Papa será explorado pelos inimigos da Igreja, como se o Papa tivesse admitido a culpa da Igreja, porque só pede perdão quem se sente culpado.

          E não se entende como o Papa João Paulo II seja culpado por erros de outros homens, se erro houve.

          Repare, na notícia que lhe transcrevo abaixo, como o Cradeal Georges Cottier– bem modernista e contrário à Inquisição — reconhece que “Daqui a 50 anos, podemos ser acusados de não ver certas coisas”.

          Tu o disseste…

          Curioso, porém, é que, em contra partida, os que fizeram uma campanha denigratória e caluniosa contra a Inquisição – cujas condenações se revelaram mínimas — esses inimigos da Igreja, jamais pedem perdão por suas calúnias.

          Somando e subtraindo, a Igreja continua com a culpa no Tribunal de Caifás e de Pilatos.

          VEJA O QUE DIZ AQUI RENATO DE CARVALHO HEREGE.

          http://noticias.bol.com.br/destaques/2004/06/15/ult94u73742.jhtm

          Terça-feira, 15 de junho de 2004 13h19

          João Paulo 2º pede desculpas pela Inquisição

          da Folha Online

          Conversas sobre julgamentos, bruxas queimadas e livros proibidos ecoaram no Vaticano nesta terça-feira, enquanto o papa João Paulo 2º pedia perdão pela Inquisição, quando a Igreja Católica torturou e matou pessoas consideradas heréticas.

          O papa fez seu apelo em uma carta lida durante uma entrevista coletiva convocada para o lançamento de um livro sobre a Inquisição.

          Ele repetiu uma frase de um documento de 2000, no qual pela primeira vez o papa pediu perdão pelos “erros cometidos a serviço da verdade por meio do uso de métodos que não têm relação com a palavra do Senhor”.

          A declaração refere-se à tortura, aos julgamentos sumários, às conversões forçadas e às fogueiras nas quais eram queimados os acusados de heresia.

          Mas, na carta, o papa foi mais longe, dizendo que o pedido de perdão valia “tanto para os dramas relacionados com a Inquisição quanto para as feridas deixadas na memória [coletiva] depois daquilo”.

          O papa Gregório 9º criou a Inquisição em 1233 para combater a heresia, mas autoridades da Igreja Católica logo começaram a contar com autoridades civis para multar, prender, torturar e matar supostos heréticos. Ela atingiu um pico no século 16, como resposta à Reforma.

          O livro de 800 páginas lançado nesta terça-feira baseia-se nos discursos feitos no simpósio acadêmico patrocinado pelo Vaticano seis anos atrás.

          Mas a entrevista coletiva foi além disso.

          Um mapa mostrou que a Alemanha registrou o maior número de “bruxos” e “bruxas” mortos por tribunais civis no começo do século 15.

          Cerca de 25 mil pessoas da população de 16 milhões foram mortas.

          Mas, em termos proporcionais, o recorde pertence a Liechtenstein, onde 300 pessoas, ou 10% dos 3.000 habitantes da região, foram mortas por bruxaria.

          O professor Agostino Borromeo, editor do livro, disse que menos pessoas foram realmente mortas pela Inquisição do que geralmente se acredita.

          Ele afirmou que apenas cerca de 1,8% das pessoas investigadas pela Inquisição espanhola foram mortas. Manequins foram queimados para representar os julgados à revelia e condenados à morte.

          Os heréticos e bruxas que se arrependiam no último minutos eram estrangulados até morrer e depois seus corpos eram queimados. “Era consideradas uma forma menos dolorida de morrer”, afirmou.

          Uma das vítimas mais conhecidas era o astrônomo italiano Galileu Galilei (1564-1642), condenado por defender que a Terra girava em torno do Sol. Ele foi reabilitado por João Paulo 2º em 1992.

          O cardeal Georges Cottier foi questionado por que o Vaticano não condenou papas anteriores que permitiram a Inquisição.

          “Quando pedimos perdão, não condenamos. Estamos todos condicionados pela mentalidade de nosso tempo. Daqui a 50 anos, podemos ser acusados de não ver certas coisas”, disse.

          Com agências internacionais

        • E mais piadista Renato de Carvalho o que você nega é a infalibilidade e a indefectibilidade da Igreja.
          Mas entenda filho das trevas que Cristo prometeu a São Pedro que lhe daria as chaves do Reino dos Céus, e que as portas do inferno não prevaleceriam sobre Pedro e seu sucessores. Isto significa que Cristo prometeu a São Pedro e aos Papas que jamais eles errariam ao ensinar algo sobre Fé e moral, para toda a Igreja, quando usassem o poder dado por Cristo, e definindo uma questão, ensinando algo, ao mesmo tempo em que excomungassem a tese contrária.
          Por isso foi a Igreja que, usando o poder dado por Cristo, decidiu que livros eram inspirados por Deus, e quais não o eram. Os livros apócrifos, que se pretendiam inspirados, e não o eram, contém erros gravíssimos contra a fé, o que comprova que a Igreja acertou bem em condená-los.
          Quanto ao caso Galileu, você repete os slogans que os inimigos da Igreja inventam sobre ele.
          OLHA RENATO DE CARVALHO Recomendo-lhe que leia o livro de Pietro Redondi sobre o caso Galileu para ter uma idéia do que aconteceu (“Galileu Herético”, P. Redondi, Companhia das Letras).
          Alás, RENATO DE CARVALHO
          Não foi Galileu que disse que a terra não é o centro geométrico do Universo.
          O que ele defendeu, em matéria astronômica, foi a rotação da terra, e usando um argumento falso: o das marés.
          Você veja que muitos hoje afirmam, bem erroneamente, que o universo é infinito. Ora, se ele fosse infinito, não teria um centro, pois só o que é finito pode ter propriamente um centro.
          Ademais, a palavra centro tem várias acepções. Por exemplo, pode significar o lugar mais importante, e não o centro físico. Veja: São Paulo é o verdadeiro centro do Brasil, e não está no centro geográfico do nosso país. Nova York é o maior centro dos USA e está no seu litoral atlântico. A Europa é o centro do mundo e, entretanto, não é o centro geográfico dele.
          Por isso, atrevo-me a lhe dizer que a terra, por ser o único astro habitado e habitável, é realmente o centro do Universo. E que chiem de raiva os que sonham com ETs.
          Também você erra RENATO DE CARVALHO ao dizer que a Inquisição queimava bruxas.
          A Inquisição existiu na Idade Média para combater os hereges, especialmente a heresia cátara que era contra o casamento e a procriação. Talvez você desconheça, mas a Inquisição era feita especialmente para vigiar o que ensinavam os padres.
          Casos de bruxas ocorreram, mas depois da Idade Média. E houve mais casos de perseguição a bruxas em países protestantes do que em paises católicos.
          Por outro lado, RENATO DE CARVALHO se você ler o livro de Carlo Guinsburg sobre os feiticeiros do norte da Itália — os benandanti — e a Inquisição, verá que a Inquisição não condenou quase nenhum, ou nenhum deles — já não me recordo da leitura desse livro — à morte.
          Assim como Cristo, a Igreja, na História, é caluniada. Tome pois cuidado em não gritar para que ela seja crucificada, e para que seja libertada a “igreja de Barrabás”.

          • RENATO DE CARVALHO VOCÊ É TÃO INGÊNUO QUE NEGA QUE SÃO PEDRO FOI O PRIMEIRO BISPO.

            ESSE SUA CONTESTAÇÃO É TÃO ESCANDALOSA E FALSA
            QUE NÃO EXISTE UM SÓ HISTORIADOR DE 1480 ANOS PARA TRÁS QUE NEGUE O PRIMADO DE SÃO PEDRO EM ROMA!

            OLHA RENATO DE CARVALHO NEM MESMO OS HEREGES QUE A IGREJA COMBATEU A IGREJA NOS PRIMEIROS SÉCULOS NEGOU O PRIMADO DE SÃO PEDRO.

            CARA CONTESTAR O PRIMADO DE SÃO PEDRO ISSO
            NASCEU DE LUTERO E CALVINO

            VOU TI SUGERIR ESTUDE TODA A PATRÍSTICA E TODA HISTÓRIA ANTES DE NASCER AO MUNDO AS SEITAS PROTESTANTES

            E VERÁS QUE É TUDO MARMELADA FURADA NEGAR O PRIMADO DE SÃO PEDRO EM ROMA!

            CARA SE VOCÊ É INTELIGENTE ESTUDE TODA LITERATURA DO MUNDO TODOS OS ESCRITORES DO MUNDO ANTES DE 1480 PARA TRÁS

            E VERÁS COMO É CERTO O PRIMADO DE SÃO PEDRO

            RENATO DE CARVALHO É GIGANTESCA AS PROVAS E OS TESTEMUNHOS DE SÃO PEDRO EM ROMA SEM UMA UNICA VOZ DISCORDE.

            CAIA NA REAL DEIXA DE SER RACIONALISTA RACIONALISTA É UMA PESSOA QUE CRIA UM LIVRO DE ESTÓRIA E COM ELA JULGO O PASSADO AO SEU MODO E AO SEU PONTO DE VISTA

            CAIA NA REAL RENATO DE CARVALHO VAI POR MIM FAÇA O QUE TI FALEI.

  10. ISSO É A PATRÍSTICA RENATO DE CARVALHO

    Tábua cronológica da história do cristianismo – terceiro século

    202 – 6ª perseguição da Igreja, sob Sétimo Severo (198-211). Leônidas, pai de Orígenes (veja 211 abaixo) é martirizado e sua propriedade confiscada.

    Albano, soldado romano, morre em Verulamium durante esta perseguição, em 209. Primeiro mártir bretão. Executado por abrigar um padre cristão.

    210 – Minucius Felix, um africano do norte, escreve seu Octavius. Uma apologia da fé cristã, Octavius é notável para seu excelente latim.

    211 – Orígenes “Adamantius” preside a escola catequética em Alexandria. Ele deixou a escola em 232 ou 233. Orígenes nasceu em Alexandria em 185. Foi educado por Ammonius Saccas, a mesma pessoa que depois ensinou Plotino (veja 244 abaixo). Muitos especulam que Ammonius foi o originador do neoplatonismo. Depois, Orígenes foi instruído por Clemente de Alexandria. Orígenes morreu em Tiro em 253 ou 254. Sua morte foi devida ao severo tratamento que ele recebeu na prisão em Tiro durante as perseguições de Décio (de 249).

    Orígenes compilou a Hexapla, seis traduções do Velho Testamento em colunas paralelas contendo o hebraico, um transliteração do hebraico ao grego, e o quatro versões. Ele considerava que o cânon do Velho Testamento consistia dos livros na Bíblia grega, mas já que não incluía livros disponíveis em hebraico, Orígenes aconselhou que as escrituras adicionais não fossem citadas em debates com os judeus. Seu método de interpretar as Escrituras era alegórico – o sentido literal era de pouca importância para ele. Como Clemente, rejeitou um milênio literal.

    Ele acreditou que todas as almas existiram antes de se unirem à carne. Todas as almas, menos uma, caíram diante de Deus; e foi esta alma fiel que Deus escolheu para que Seu Logos se unisse para formar o Filho do homem. Orígenes acreditava no livre-arbítrio, e não excluía a possibilidade que os redimidos pudessem cair, até mesmo no céu. Por outro lado, Orígenes dizia que o diabo seria salvo. Muitas de suas idéias, particularmente sobre a preexistência das almas e a redenção universal, foram condenadas pelo 5º Concílio Ecumênico em 553. Eusébio de Cesaréia informou que Orígenes se castrou, mas os próprios comentários de Orígenes sobre evangelho de Mateus descartam isso.

    Orígenes foi oposto ao monarquismo, ou em sua forma modalista, ou na idéia que o Filho simplesmente era um homem santo cheio do Espírito. Ele ensinou que enquanto o Pai e o Filho são uma pessoa em poder e desejo, eram duas realidades distintas (semelhante à teologia do Logos de Justino). Eles eram distintos como o arquétipo e a imagem. Mas, em Orígenes, o Filho é inferior ao Pai e subordinado a Ele. O Filho é procriado, não feito, e Sua geração é eterna, não no tempo. Ele é o mediador entre o mundo criado e o Pai Supremo.

    Orígenes insistiu que Maria precisou da redenção dos pecados, como todos os humanos. Diferente de Tertuliano, acreditou que Maria permaneceu virgem para o resto da vida. Acreditou que os irmãos de Jesus eram filhos de José, não dela.

    Sobre palavras: muitos dos debates sobre a Trindade e cristologia centravam-se nos significados das palavras hipóstase e ousia. Elas eram originalmente sinônimas, a primeira estóica e a outra platônica, significando uma existência ou essência real. Mas Orígenes freqüentemente usou hipóstase no sentido de subsistência individual ou indivíduo existente.

    Em seu Comentário aos Romanos, escrito entre 233 e 244, Orígenes escreveu, “também é devido a isto [o pecado hereditário] que a Igreja tem uma tradição dos apóstolos de dar o batismo até mesmo às crianças”.

    A interpretação de Orígenes de Mt 16.17-18 discorda da interpretação papal sobre a supremacia na Igreja. Orígenes viu Cristo como a Rocha ( 1 Cor 10.4), e todos os que têm fé em Cristo como Pedro como ‘rochas’. De acordo com Ef. 2.2, todos os apóstolos (e os profetas) são a fundação na qual a Igreja é construída.

    Eusébio informou (Livro VI, Capítulo 33) que Orígenes foi importante em corrigir a cristologia de Berilo, bispo de Bostra na Arábia. Os ensinos de Berilo ocasionaram várias discussões com outros bispos e resultaram numa conferência que Orígenes participou. Aparentemente, Berilo ensinou que o Filho não existiu antes da vida humana e não possuiu divindade.

    211 – Apolônio, um oponente do montanismo, nasce.

    212 – cidadania plena a todos os habitantes livres do império.

    216 – o imperador Caracalla (211-217) levou vingança na cidade de Alexandria. Sua ira foi mais feroz contra a comunidade literária, por causa de certos versos sarcásticos que tinham sido escritos sobre ele por ter assassinado seu irmão, Geta.

    217 – Calisto (217-222) se torna bispo de Roma, para o horror de Hipólito. Em uma certa época que nos é agora desconhecida, Hipólito também foi ordenado bispo de Roma – falando de uma maneira anacrônica, ele era um “anti-papa”. Contudo ele foi, depois de seu martírio, considerado santo da Igreja.

    A controvérsia monarquista continua. Tertuliano, na África, dizia que Deus é uma substância consistindo em três pessoas (terminologia adotada pela maioria da Igreja).

    Calisto foi o primeiro bispo de Roma conhecido a usar a passagem da “Rocha” de Mateus a aplicar-se à cátedra papal, por volta de 220. Alguns acreditam que a obra de Tertuliano, Sobre a Modéstia, foi escrita como uma resposta a uma ordem de Calisto que os que cometeram pecados sexuais tinham que praticar penitência, em preparação para a comunhão. Escrevendo como um montanista, Tertuliano foi oposto à restauração, e em Sobre a Modéstia,ele pôs um argumento baseado em Mt. 16.18 na boca de Calisto. Tertuliano não colocou Calisto como autoridade suprema da Igreja, mas escreveu que os bispos (“toda Igreja consangüínea a Pedro”) tinham o poder para perdoar pecados. Tertuliano disse que este poder era pessoal e pertencia só a Pedro. A interpretação da passagem foi desenvolvida mais adiante por Sirício (384/5).

    220 – nesta época, Hipólito estabeleceu a data do nascimento de Cristo como 25 de dezembro. No Oriente, o 6 de janeiro era a data para isto. O Oriente adotou a idéia Ocidental durante o quarto século.

    O imperador Eleogábalo (218-222) introduziu o culto do deus de sol sírio em Roma neste ano.

    225? – papiro 45: 1º Chester Beatty, Evangelhos (Cesaréia), Atos (Alexandrino): Mt. 20:24-32; 21:13-19; 25:41-26:39; Mc. 4:36-40; 5:15-26, 38-6:3, 16-25, 36-50; 7:3-15, 25-8:1, 10-26, 34-9:9, 18-31; 11:27-12:1, 5-8, 13-19,24-28; Lc. 6:31-41,45-7:7; 9:26-41, 45-10:1, 6-22, 26-11:1, 6-25, 28-46, 50-12:12, 18-37, 42-13:1, 6-24, 29-14:10, 17-33; Jo. 10:7-25, 30-11:10, 18-36, 42-57; At. 4:27-36; 5:10-21, 30-39; 6:7-7:2, 10-21, 32-41, 52-8:1, 14-25, 34-9:6, 16-27, 35-10:2, 10-23, 31-41; 11:2-14, 24-12:5, 13-22; 13:6-16, 25-36, 46-14:3, 15-23; 15:2-7, 19-27, 38-16:4, 15-21, 32-40; 17:9-17

    Papiro 967: Chester Beatty 9, Ez. 11:25- grego, ~Codex Vaticano,

    231 – uma casa particular na cidade de Dura-Europos, no Eufrates, foi adaptada para adoração cristã. Este é o exemplo mais antigo conhecido de uma igreja com imagens religiosas nas paredes. A arte parece ter sido influenciada por um trabalho semelhante numa sinagoga da cidade. Há afrescos de Adão e Eva, o Bom Pastor e seu rebanho, a mulher samaritana no poço, Cristo caminhando na água, a ressurreição de Lázaro, a ressurreição de Cristo, a cura do paralítico e a vitória de Davi sobre Golias.

    235 – perseguição pelo imperador Maximino (235-238). Nesta época, o bispo de Roma, Poncião e Hipólito, foram exilados a Sardenha. Poncião morreu logo após, e Hipólito em aproximadamente 238.

    240 – introduzem-se os jogos pítios em muitas cidades do Império romano. Eram competições atléticas feitas de quatro em quatro anos em honra de Apolo e foi originalmente ligado com o oráculo de Delfos.

    241 – fim dos Fratres Arvales. Este foi um sacerdócio pagão em Roma que oferecia sacrifícios anuais para a fertilidade da terra.

    244 – Plotino, um pagão do Egito, abre uma escola em Roma. A filosofia de Plotino enfatizava a transcendência de Deus e Sua incompreensibilidade (devido à Sua simplicidade). Nous é emanado de Deus e contém idéias de classes e indivíduos. As duas Almas (correspondendo à Alma do Mundo de Platão) procedem do Nous. [A interpretação de Plotino que Nous e Alma emanaram foi questionada pelos filósofos modernos – em particular, veja Plotino, de Lloyd Gerson]. A criação material existe no fundo desta cadeia e é o princípio de mal. Curiosamente, Plotino criticou os gnósticos por seu desprezo à realidade material, considerando-a de alto valor como a imagem da realidade inteligível. Plotino ensinou que a alma pode subir a união com Deus pela purificação, a rejeição da percepção dos sentidos a favor da filosofia e ciência, um estágio além do pensamento discursivo, e uma fase final de união mística além da separação. Vladimir Lossky mostra que que Plotino viu a união como simplicidade e a removeu as distinções, o misticismo cristão não vê a incompreensibilidade de Deus como dívida para Sua simplicidade, mas como absoluto, e assim a união com Deus é um “ir além de ser o que é”. Plotino morreu em 269 ou 270. Seu maior discípulo foi Porfírio, um crítico do Cristianismo, que ofereceu o neoplatonismo como uma alternativa culta para o cristianismo entre as classes altas.

    247 – Dionísio, aluno de Orígenes, se torna bispo de Alexandria (247-64) .

    249-51 – 7ª perseguição da Igreja, pelo imperador Décio (249-251). Os bispos de Roma, Antioquia e Jerusalém são martirizados. Décio exigiu que se fizesse um certificado se a pessoa oferecia sacrifício aos deuses. Muitos cristãos sacrificaram ou compraram certificados, o que muitos outros declararam como mal. Começa uma praga no reinado de Décio, que dura 15 anos.

    Cipriano, bispo de Cartago (248-258), disse que nenhum ser humano tem o poder de remeter apostasia. As idéias de Cipriano mais tarde resultam no cisma donatista.

    Cipriano interpretou Mt.16.18 não como dando algum privilégio especial a Pedro. Em sua opinião, Cristo separa Pedro dos outros como um símbolo de unidade. Os outros apóstolos eram exatamente o que Pedro foi. Cipriano constantemente foi chamado de “o mais glorioso e bendito papa”.

    Cipriano, pelo menos, desfrutou uma monarquia limitada como bispo: “tenho decretado uma regra desde o princípio de meu episcopado de não decidir as coisas por mim mesmo sem antes consultá-los [os presbíteros] e ter o acordo das pessoas”.

    Em 251 ou 253, em um concílio em Cartago, Cipriano respondeu a uma questão de Fido, um bispo rural, se o batismo infantil deveria ser demorado até o oitavo dia. Cipriano respondeu que não deveria haver nenhuma demora. Ele não viu nenhuma razão de correr o risco de danação eterna da criança. A comunhão infantil, Cipriano informou, era o costume em Cartago. Fido parece ter sido motivado para demorar batismo por causa do aparecimento impuro de crianças recém-nascidas! (Epístola LVIII.)

    Em uma obra chamada O Caído, Cipriano recontou a história de uma jovem cristã (que amamentava), que foi participar de um sacrifício pagão. Depois disto, a menina nunca mais foi fisicamente capaz de controlar o pão e vinho da Eucaristia. Esta é evidência mais antiga de paedocommunion.

    250 – em uma carta para Paulo de Samasota, Dionísio de Alexandria freqüentemente se refere “aTheotokos Maria (theotokos Maria).”

    Diofanto de Alexandria nasce neste ano. Ele foi o primeiro em introduzir o simbolismo na álgebra.

    250? papiro 72: Bodmer 5-11+, pub. 1959, texto-tipo “Alexandrino”: Natividade de Maria; 3Cor; Odes de Solomão 11; Judas 1-25; o Sermão de Melito Sobre a Páscoa; Fragmento de Hino; Apologia de Filéias; Sl. 33,34; 1Pd. 1:1-5:14; 2Pd. 1:1-3:18; Judas 1-25

    Papiro 77: Mt. 23:30-39

    Papiro Chester Beatty: #5:R962: Gn. 8:13-9:2; Gn. 24:13-46:33, Enoque 91-105; ,
    #7: Eu 8:18-19:13,38:14-45:5,54:1-60:22;
    #8: Jr. 4:30-5:24;
    #10: Dn. 1-12:13 (+Ad), Bel 4-39, Sus 5-eº, Ester 1:1a-8:6(+Ad)

    O uncial 0189: At. 5:3-21

    250 – os góticos aparecem na Ásia Menor.

    251 – dois candidatos rivais disputam a vaga da Sé de Roma. Novaciano dizia que a Igreja não podia perdoar ou aceitar os culpados de assassinato, adultério ou apostasia. Cornélio dizia que o bispo podia perdoar até pecados graves. As idéias de Novaciano foram pressagiadas por Hipólito e Tertuliano contra Calisto (veja 217). Cornélio tinha a experiência de Paulo do tratamento do coríntio incestuoso e com a idéia de Irineu de que uma mulher cristã adúltera poderia ser restabelecida pela penitência.

    Cornélio ganhou a eleição (e isto foi, aparentemente, uma eleição pela congregação), e os seguidores de Novaciano formaram suas próprias comunidades. Cipriano de Cartago, depois de hesitar inicialmente, fez amizade com Cornélio.

    Na Carta XL, Cipriano disse que os leigos tinham um papel na eleição dos bispos: “nem deixaremos de lhes ordenar que coloquem suas dissensões e disputas perniciosas de lado, e conscientizá-los que isto é abandonar a Mãe; e reconhecer e entender que quando um bispo é eleito e aprovado pelo testemunho e juízo dos colegas e pessoas, nenhum outro possa por nenhum meio ser designado”. Isto é de uma carta a Cornélio, bispo recentemente eleito de Roma na qual Cipriano descreveu como ele também lidou com os seguidores de Novaciano. Veja a Carta LI.

    Ao escrever a Cornélio, bispo de Roma, Cipriano se referiu a ele como “irmão”, como fez Cornélio em resposta. Os bispos de Roma não começaram a chamar os outros bispos de “filhos” até o tempo de Dâmaso.

    “Com um falso bispo eleito para eles por hereges, eles ousam vir aqui e trazer cartas de cismáticos e blasfemadores à cátedra de Pedro, inclusive à Igreja principal na qual unidade sacerdotal tem sua fonte; nem eles sabem que estes são romanos cuja fé foi louvada pelo Apóstolo, e entre quem não é possível para perfídia ter entrada….Por isso, como foi decretado por nós – certo e justo – que o caso de toda pessoa deveria ser ouvido onde o crime foi cometido; e uma parte do rebanho foi dedicada a cada pastor individual para reger e governar, tendo que dar conta ao Senhor; convêm que eles não se separarem de nosso acordo entre os bispos com malvada astúcia, mas julgar cada caso onde possa haver julgamento…” (Cipriano, Carta para Cornélio de Roma, LIV,14).

    254-6 – Estêvão é bispo de Roma. Ele decidiu que congregações espanholas em Merida e Leon deveriam receber como bispo um deles que tinha decaído durante a perseguição de Décio. As congregações apelaram para Cipriano de Cartago (bispo 248-58). Cipriano convoca um concílio que decidiu a favor do espanhol.

    Estêvão é o primeiro a utilizar o texto “tu és Pedro” para afirmar sua posição como o sucessor de Pedro (mas veja Calisto e Sirício, 384/5 abaixo. A atribuição dessa interpretação a Estêvão parece ser uma conclusão da resposta de Cipriano). Cipriano se opôs: “Na pessoa de um homem ele deu as chaves a todos, que ele poderia denotar a unidade de tudo; o resto, então, seja o mesmo aquele Peter era, sendo admitido a uma participação igual em honra e dá poder a, mas um começo é feito de unidade que a igreja de Cristo pode ser mostrada para ser um.”

    255 – uma compilação dos bispos de Roma, conhecida como Catálogo Liberiano, é escrita nesta época.

    256 – Cipriano convoca um concílio setembro deste ano delcarando que o batismo praticado pelos novacianos era ilegal. Estêvão de Roma discutiu contra Cipriano a favor da validez de batismo administrado por eles.

    256 – os francos cruzam o Reno.

    257 – 8ª perseguição da Igreja, sob Valério (253-259). São publicados editos exigindo prática do paganismo e dizendo que os cristãos são proibidos e prestar serviço de culto, sob pena de morte. Em 258, Valério começou a executar o clero – S. Cipriano foi martirizado nesta época. Ele também atacou não-cristãos, mas perdoava da morte quem negasse a Cristo. A perseguição continuou até 260. Devido as dificuldades da época, Valério buscou predizer o futuro por sacrifício humano e outro ritos. Quando os esforço falharam, culpou os cristãos na família imperial. Assim, seu desejo de restabelecer o culto pagão motivou a perseguição.

    258 – em 29 de junho deste ano, os restos de S. Pedro e S. Paulo são transferidos para as catacumbas na Via Ápia. A festa dos santos Pedro e Paulo no calendário romano data deste ano e comemora este evento.

    258 – Xisto, bispo de Roma, foi executado, junto com seus diáconos. Quando estava sendo preso, Xisto encarregou S. Lourenço do cuidado dos pobres. Depois prenderam S. Lourenço. Na prisão, ele converteu e batizou um cego e derramou-lhe água de um vaso sobre o corpo três vezes. O cego foi curado. S. Lourenço, ao se recusar ao sacrifício dos ídolos, foi queimado com ferro quente, batido, e colocado em um prato de ferro quente onde morreu.

    258 – os Alemanni descem dos Alpes ao vale do rio Pó. Como resultado Verona, Como e Aquileia foram fortificadas com pedra de tumbas.

    259 – Dionísio, bispo de Alexandria, foi envolvido em uma disputa na Líbia entre defensores da teologia do Logos (veja acima, ano 189) e com alguns modalistas monarquistas. Dionísio disse que o Filho e o Pai são tão diferentes quanto um barco e um barqueiro, e negou eles são da mesma substância. Os líbios apelaram para Dionísio de Roma (260-68), que organizou um sínodo para avaliar o assunto. Ele reprovou os sabelianos e os que separaram Deus em três deuses ou consideram que o Filho fosse uma criatura. Em sua Defesa da Definição de Nicéia, Atanásio cita Dionísio de Alexandria: “eu escrevi em outra carta uma refutação daquela falsa acusação que eles trazem contra mim, que eu nego que Cristo um em essência com Deus”. Dionísio se arrependeu de usar as expressões “o Filho foi feito” e que “Ele não é eterno”.

    Escrevendo contra o sabelianos, Dionísio de Roma deu a seguinte exposição da Trindade:

    “Me dirijo àqueles que dividem, partem em pedaços e destroem a mais sagrada doutrina da Igreja de Deus, a Divina Monarquia, dando a idéia que são três poderes ou um deus de três cabeças. Me disseram que alguns entre vocês que são catequistas e professores da Divina Palavra, tomaram parte, por assim dizer, desta doutrina errônea, as opiniões de Sabélio; porque ele, de forma blasfema, diz que o Filho é o Pai, e o Pai é o Filho, mas de alguma forma pregam três deuses, dividindo a unidade sagrada em três subsistências estranhas uma à outra e totalmente separadas. Pois Deus é assim: a Palavra Divina está unida e o Espírito Santo tem que repousar e habitar em Deus; assim como em um ápice, quero dizer o Deus do Universo, a Divina Trindade deve ser entendida. Porque é a doutrina do presunçoso Marcião, cortar e dividir a Divina Monarquia em três origens, – um ensino do diabo, não dos verdadeiros discípulos de Cristo e amantes dos ensinos do Salvador, porque eles sabem bem que a Escritura prega a Trindade mas nem o Velho Testamento como o Novo pregam três deuses. Da mesma forma deve-se criticar os que dizem o Filho ser uma criatura e dizem que o Senhor foi originado, como uma das obras da Criação; pois os oráculos divinos testemunharam a Sua geração que Ele viria, mas não que seria criado. Isto é uma blasfêmia e não uma blasfêmia comum, mas uma grande, dizer que o Senhor é criado. Pois se Ele viesse ser o Filho, Ele nunca foi Deus; mas se Ele sempre foi Deus, se (como é realmente) Ele está no Pai, como Ele diz, e se o Cristo é o Verbo, Sabedoria e Poder (o qual, como sabeis, diz a Escritura), estes atributos são poderes de Deus. Se então o Filho foi originado, estes atributos nunca existiram; por conseguinte houve um tempo, quando Deus estava sem eles, o que é absurdo. E por que dizer mais a vós, homens cheios do Espírito Santo, conscientes dos absurdos dos que dizem o Filho ser uma obra? Não querendo saber disto, presumo, os autores desta opinião perderam completamente a verdade, explicando, ao contrário do sentido que diz as Sagradas Escrituras, como está profetizado nas palavras: ‘O Senhor me criou, primícias de suas obras’ (Pv. 8.22). Pois o sentido de ‘Ele criou’ como sabeis, não significa que Ele foi criado, porque nós temos que entender ‘Ele criou’ quer dizer ‘Ele me colocou sobre todas as Suas obras’, que foram ‘feitas por Seu Filho’. E ‘Ele criou’ aqui não deve ser entendido como ‘feito’, pois criar difere de fazer. ‘Não é ele teu pai, que te adquiriu, te fez e te criou?’ (Dt. 32.6), diz Moisés em seu grande cântico em Deuteronômio. E alguém precisa lhes dizer, homens temerosos, que Ele é ‘o Primogênito de toda criatura, nascido do útero antes da estrela da manhã’ (Cl. 1.15 e Salmo 110.3) que disse, como Sabedoria, ‘Antes de todas as colinas Ele me criou?’ (Pv. 8.25). E em muitas passagens dos divinos oráculos diz que o Filho foi gerado, mas em nenhuma parte diz que Ele teve um começo; isto já declara como culpados os que dizem que o Senhor foi criado. Não dividimos em três deuses a bendita Unidade nem erramos ao falar de ‘obra’, a dignidade e majestade do Senhor; mas temos que acreditar em Deus Pai Todo-poderoso, em Cristo Jesus Seu Filho e no Espírito Santo, que é o Deus do Universo. Pois ‘eu’, diz Ele, ‘e o Pai somos um’ e ‘eu estou no Pai e o Pai em mim’. Assim temos a Divina Trindade, e este santo ensino da Monarquia, preservado”.

    260 – o imperador Valério é levado como prisioneiro pelo imperador persa Shahpuhr I. O príncipe de Palmira (que tinha ganho independência depois da derrota de Valério) tomou controle das províncias orientais do império até 272, quando foram recuperadas pelo imperador Aureliano.

    260 – Paulo de Samosata se torna bispo de Antioquia, na Síria. Ele ignorou a teologia do Logos, dizendo que Jesus era um mero homem que foi inspirado em seu batismo (adocionismo). Para ele, o Verbo e o Espírito eram manifestações do Pai. Ele foi condenado por um sínodo em Antioquia em 268 (264?), presidido por Heleno, bispo de Tarso. Dionísio de Alexandria e Firmílio de Cesaréia foram convidados a assistir o sínodo. Paulo teve suporte até certo tempo porque teve o apoio do governo de Palmira. Quando Aureliano (270-75) recuperou controle das províncias orientais, ele disse as igrejas deveriam propriedades legais decididas pelos bispos de Roma. Parece que esta preocupação de Aureliano foi devido à lealdade dos bispo de Antioquia, e ele escolheu empregar o bispo de Roma para garantir a lealdade. Paulo foi visto como o antepassado do arianismo.

    Gregório Taumaturgo (213-270) estava presente no concílio que condenou Paulo de Samosata. Sendo aluno de Orígenes, Gregório entendia a Trindade de forma ortodoxa. Sua Exposição da Fé é considerada precursora do Credo de Nicéia:

    “Há um Deus, o Pai do Verbo vivente, que é Sua Sabedoria, Poder e Eterna Imagem: Genitor perfeito do Procriado Perfeito, o Pai do Filho Unigênito. Só há um Senhor, Único, Deus de Deus, Imagem e Semelhança da Divindade, Palavra Eficiente, Sabedoria da constituição de todas as coisas, Poder Criador da Criação, verdadeiro Filho do Pai, Invisível do Invisível, Incorruptível do Incorruptível, Imortal do Imortal, e Eterno do Eterno. E há Um Espírito Santo, que tem Sua precedência de Deus, e sendo feito manifesto pelo Filho, para os homens: Imagem Perfeita do Perfeito; Vida, a Causa do Viver; Fonte Santa; Santidade, Provedor, Líder de Santificação; em quem se manifesta Deus, o Pai, que é antes de todos e em todos, e Deus Filho, que é sobre todos. Há uma perfeita Trindade em glória, eternidade e soberania, não dividida nem estranha. Portanto, não há nada criado ou submisso na Trindade; nem algo superinduzido, como se antes não existisse, ou que depois foi criada. E assim, nem o Filho esperou pelo Pai, nem o Espírito para o Filho; mas sem variação e sem mudança, a mesma Trindade”.

    261 – o imperador Galênio proclama um edito de tolerância para os cristãos. Em resposta para um abaixo assinado de bispos cristãos, devolveu as igrejas e cemitérios confiscados. Antes disto, as igrejas não podiam possuir propriedade, já que o cristianismo era ilegal. As igrejas começaram a receber dinheiro e propriedade vendidas em leilões.

    262 – o templo de Artêmis em Éfeso é destruído por invasores góticos.

    262/3 – Porfírio se torna discípulo de Plotino em Roma. Ele organizou os escritos de Plotino em seis livros de nove capítulos cada, Enêidas. Porfírio ensinou a doutrina da salvação de Plotino como um processo ascético de meditação, terminando no conhecimento de Deus. Porfírio acentuou a necessidade do asceticismo – a abstinência da carne, celibato, fuga dos prazeres, etc. Porfírio também escreveu quinze livros contra o cristianismo, respondido por Metódio, Eusébio de Cesaréia e outros, sendo queimado em 448. Sócrates, o historiador da Igreja do século V, disse que Porfírio era uma apóstata do Cristianismo.

    268 – os Júturos e o Alemanni avançam até 112 km de Roma nesta época, e de novo em 270. Por conseguinte, constrói-se uma alta parede ao redor de Roma.

    269 – os góticos invadem os Bálcãs. Os romanos os derrotam em Naisus.

    Permite-se aos góticos habitarem a Dácia, em 270 (quer dizer, o norte do território do Danúbio). O imperador Aureliano retira a regra romana da Dácia.

  11. RENATO DE CARVALHO ANALFABETO SE EU TI MOSTRAR SÓ A PATRÍSTICA DO PRIMEIRO E SEGUNDO SÉCULO VOCÊ VIRA CATÓLICO SÓ NESSES 2 SÉCULOS JÁ EXISTEM MAIS DE 400 TESTEMUNHOS E TODOS SÃO TESTIFICADOS

    VEJA UM DOS GRANDES DA NOSSA IGREJA

    Biografia de Dionísio, o Grande
    Dionísio, o Grande, c.190-265, também chamado de São Dionísio de Alexandria, foi bispo de Alexandria de 247 até sua morte. Um teólogo famoso, ele participou de várias disputas doutrinárias. Durante sua oposição vigorosa ao Sabelianismo, que negou a realidade das três pessoas da Santíssima Trindade, ele foi acusado de crença triteísmo, em três deuses. Ele é um dos Padres da Igreja. Festa dia: 17 de novembro.
    Obras de Dionísio, o Grande
    • Dionísio
    fragmentos existentes das obras de Dionísio
    • Parte I.-Contendo várias seções das Obras.
    • Parte II.-Contendo Epístolas, ou fragmentos de epístolas.
    Fragmentos exegética.
    I.-Um Comentário sobre o Princípio de Eclesiastes.
    II.-O Evangelho Segundo Lucas.
    III.-On Lucas XXII. 42, Etc.
    IV.-Uma Exposição de Lucas XXII. 46, Etc.
    V.-On João VIII. 12.
    VI. da substância Uno.
    VII.-On na Recepção do caducadas para penitencial.
    .

    • CADE VOCÊ RENATO DE CARVALHO!

      AÍ MENTIROSO ME MOSTRA SÓ UMA PROVA CONTRA O PRIMADO DE SÃO PEDRO EM ROMA?

      ME MOSTRE SÓ UMA FONTE DA ÉPOCA ME MOSTRE SOMENTE UM REGISTRO DA ÉPOCA COM FONTE HISTÓRICA COM TESTEMUNHAS OCULARES

      EU NÃO AGUENTO VÊ TANTAS PAPAGAIADAS DE DESGRAÇADOS MAL DO SÉCULO COMO VOCÊ
      QUE APODRECE O PROTESTANTISMO A CADA DIA!

      ME MOSTRE ALGUMA FONTE CONTRA O PRIMADO DE SÃO PEDRO RENATO DE CARVALHO EU TI DOU 50 MIL REAIS

  12. RENATO DE CARVALHO AGORA VAMOS A BIOGRAFIA DE TERTULIANO
    {Tur tul’-ee-uhn}
    Quintus Septímio Florens Tertuliano, b. Cartago, c.155, d. depois de 220, foi um dos maiores teólogos e escritores ocidentais da antiguidade cristã.Através de seus escritos uma testemunha à doutrina e à disciplina da Igreja primitiva na crença e de culto é preservada.
    Ele foi um defensor nos tribunais, em Roma, convertido Tertuliano (c.193) ao cristianismo. Cerca de 207 ele rompeu com a Igreja e se juntou aos montanistas na África. Pouco depois, porém, ele rompeu com eles e formou seu próprio partido, conhecidos como os Tertullianists.
    Um extremista por natureza, ele havia passado por um período de licenciosidade durante seus primeiros anos, mas depois, ele defendeu uma severa ascese e disciplina que seus seguidores encontraram difícil de imitar.
    Tertuliano era um homem de temperamento ardente, grande talento, e incansável propósito. Ele escreveu com uma brilhante retórica e sátira cortante.Sua paixão pela verdade levou em polêmica com seus inimigos: em turno pagãos, judeus, hereges e católicos. Sua admiração pelo heroísmo cristão sob perseguição parece ter sido o fator mais forte em sua conversão.
    Escritos de Tertuliano, nomeadamente Apologeticum, De Praescriptione hæreticorum e De carne Christi, teve um efeito duradouro sobre o pensamento cristão, especialmente por aqueles que, como Cipriano de Cartago, sempre o considerou como um “mestre”. Ele também influenciou o desenvolvimento do pensamento ocidental e cristã da criação do latim eclesiástico.
    Veja as obras de Tertuliano
    • Introdução ao Tertuliano (145-220 dC)
    • A Apologia – Tertuliano
    • Em Idolatria – Tertuliano
    • Os shows, ou De spectaculis – Tertuliano
    • O Terço, ou De Corona – Tertuliano
    • Para Escápula – Tertuliano
    • Anúncio Nationes – Livro I – Tertuliano
    • Anúncio Nationes – Livro II – Tertuliano
    • Anúncio Nationes – Apêndice – Tertuliano
    • Uma Resposta para os judeus – Tertuliano
    • Testemunho da Alma – Tertuliano
    • Um Tratado sobre a Alma – Tertuliano
    • Introdução, pelo editor americano – Tertuliano
    • A Receita Contra Hereges – Tertuliano
    • Intro para os cinco livros contra Marcion – Tertuliano
    • Contra Marcião – Livro I – Tertuliano
    • Contra Marcião – Livro II – Tertuliano
    • Contra Marcião – Livro III – Tertuliano
    • Contra Marcião – Livro IV – Tertuliano
    • Contra Marcião – Livro V – Tertuliano
    • Contra Hermógenes – Tertuliano
    • Contra o Valentinians – Tertuliano
    • Na carne de Cristo – Tertuliano
    • Sobre a ressurreição da carne – Tertuliano
    • Contra Práxeas – Tertuliano
    • Scorpiace – Tertuliano
    • Apêndice: contra todas as heresias – Tertuliano
    • Em Arrependimento – Tertuliano
    • No Batismo – Tertuliano
    • Em Oração – Tertuliano
    • Anúncio Martyras – Tertuliano
    • Martírio de Perpétua e Felicitas – Tertuliano
    • Da Paciência – Tertuliano
    • No Pálio – Tertuliano
    • No Vestuário de Mulheres – Livro I – Tertuliano
    • No Vestuário de Mulheres – Livro II – Tertuliano
    • Sobre o Véu das virgens – Tertuliano
    • Para sua esposa – Livro I – Tertuliano
    • Para sua esposa – Livro II – Tertuliano
    • Na Exortação à Castidade – Tertuliano
    sobre monogamia
    • Na modéstia – Tertuliano
    • Em Jejum – Tertuliano
    • De fuga em persecutione – Tertuliano
    • Apêndice – Tertuliano
    1. Uma linhagem de Jonas Profeta.
    2. Uma linhagem de Sodoma.
    3. Gênesis.
    4. Uma cepa do Acórdão do Senhor.
    5. Cinco Livros em resposta a Marcion.

    • VOCÊ CITA MUITO OS PAIS DA IGREJA PRIMITIVA, MAS ESQUECE QUE COM O TEMPO A IGREJA CRISTÃ SE DESVIOU DO EVANGELHO, DAÍ A SEPARAÇÃO POR AQUELES QUE QUERIAM VOLTAR À PREGAÇÃO ORIGINAL, O QUE GEROU A SANTA INQUISIÇÃO. FALE SOBRE A SANTA INQUISIÇÃO.
      OS DOCUMENTOS AINDA ESTÃO NO VATICANO, PORQUE UM DIA HAVERÁ OUTRO MASSACRE DAQUELE. LEIA APOCALIPSE.

    • RENATO DE CARVALHO
      Sobre a Inquisição, tenho recomendado que se leia o livro do Professor João Bernardino Gonzaga A Inquisição em seu Mundo, no qual ele demonstra como a tortura era usada por todos os governos. Aliás, ela foi usada comumente por todos os estados até o século XIX, oficialmente.
      E será que hoje ela não é usada ?
      A Imprensa está cheia de denúncias de que ela ainda é usada. O Cardeal Mindzenty foi barbaramente torturado pelos comunistas, e disso pouco se fala. Como se fala pouco que a Igreja –e através da Inquisição — foi a primeira instituição a não reconhecer como válidas as confissões obtidas sob tortura.
      No livro La Vera Storia dell Inquisizione de Rino Camilleri (Ed Piemme, Casale Monferrato, 2.001) se pode ler: “Onde mais se escurece o negrume da lenda [sobre a Inquisição] é quanto à tortura. Também aqui, porém a inquisição revela uma insuspeitada modernidade. Antes de tudo, deve ser dito que a tortura — como meio de interrogatório e também como pena — era usada normalmente na justiça do antigo regime. O primeiro monarca a abolir a tortura foi, de fato, Luis XVI, no fim do século XVIII” (Rino Camilleri,.La Vera Storia dell ´Inquisizione, Ed Piemme, Casale Monferrato, 2.001, pp. 45-46).
      E ainda:
      “As fontes [históricas] demonstram muito claramente que a Inquisição recorria à tortura muito raramente. O especialista Bartolomé Benassa, que se ocupou da Inquisição mais dura, a espanhola, fala de um uso da tortura “relativamente pouco frequente e geralmente moderado, era o recurso à pena capital, excepcional depois do ano 1500″. O fato é que os inquisidores não acreditavam na eficácia da tortura. Os manuais para inquisidores convidavam a que se desconfiasse dela, porque os fracos, sob tortura, confessariam qualquer coisa, e nela os “duros” teriam persistido facilmente. Ora, porque quem resistia à tortura sem confessar era automaticamente solto, vai de si que como meio de prova a tortura era pouco útil. Não só. A confissão obtida sob tortura devia ser confirmada por escrito pelo imputado posteriormente, sem tortura (somente assim as eventuais admissões de culpa podiam ser levadas a juízo). (Rino Camilleri,.La Vera Storia dell ´Inquisizione, Ed Piemme, Casale Monferrato, 2.001, p.p. 46-47).
      Ainda agora o vaticano ditou um estudo pormenorizado sobre a Inquisição que desfaz muitas das lendas sobre as mortes na Inquisição. Transcrevo para você o que foi noticiado sobre esse novo livro:
      Quarta-feira, 16 de junho de 2004 10h04
      ________________________________________
      Estudo do Vaticano diz que Inquisição matou menos do que se pensava
      VERITY MURPHY da BBC, em Londres O Vaticano publicou um novo estudo sobre os abusos cometidos durante a Inquisição que traz uma conclusão surpreendente: os julgamentos por heresia não eram tão brutais quanto se acreditava.
      Segundo o relatório de 800 páginas, a Inquisição, que espalhou temor na Europa durante a Idade Média, não praticou tantas execuções ou tortura como dizem os livros de história.
      O editor do novo livro, professor Agostino Borromeo, sustenta que, na Espanha, apenas 1,8% dos investigados pela Inquisição espanhola foram mortos.
      Apesar disso, o papa João Paulo 2º novamente pediu desculpas pelos excessos dos interrogadores, expressando pesar por “erros cometidos a serviço da verdade por meio do recurso a métodos não-cristãos”.
      O papa, porém, não ultrapassou a regra da igreja segundo a qual os pontífices não criticam os seus predecessores. O papa Gregório 9º, que criou a Inquisição em 1233 para combater a heresia (a negação da verdade da fé católica), não foi mencionado no comunicado.
      Hereges
      Após a consolidação do poder na Europa da Igreja Católica Romana, nos séculos 12 e 13, ela estabeleceu a Inquisição para assegurar que os hereges não minassem a sua autoridade.
      O sistema tomou a forma de uma rede de tribunais eclesiásticos com juízes e investigadores.
      As punições aos condenados variavam de visitas forçadas à igreja ou fazer peregrinações até a prisão perpétua ou execução na fogueira.
      A Inquisição estimulava delações, e os acusados não tinham o direito de questionar a pessoa que o havia acusado de heresia.
      Ela atingiu o seu pico no século 16, quando a igreja enfrentava a reforma protestante. Seu julgamento mais famoso aconteceu em 1633, quando Galileu foi condenado por postular que a Terra girava ao redor do Sol.
      A Inquisição espanhola, que se tornou independente do Vaticano no século 15, praticou os abusos mais extremos, sobretudo com o uso dos autos da fé, em que matavam os condenados em fogueiras públicas.
      Seus representantes torturavam as vítimas, realizavam julgamentos sumários, forçavam conversões e aprovavam sentenças de morte.
      “Não há dúvidas de que, no começo, os procedimentos planejados foram aplicados com rigor excessivo, que em alguns casos foram degenerados e se tornaram verdadeiros abusos”, diz o novo estudo do Vaticano.
      Mas o relatório, preparado ao longo de seis anos, argumenta que a Inquisição não foi tão má como se costumava crer.
      “Bonecos no fogo”
      Borromeo cita como exemplo que, de 125 mil julgamentos de suspeitos de heresia na Espanha, menos de 2% foram executados.
      Ele afirma que muitas vezes bonecos eram queimados para representar aqueles que foram condenados à revelia.
      E que bruxas e hereges que demonstravam arrependimento no último minuto recebiam algum tipo de alívio para a dor quando eram estrangulados antes de serem queimados.
      Para aqueles que possuem ligação com as vítimas da Inquisição, porém, a declaração do Vaticano de que ela não era tão má quanto se dizia tem pouca importância.
      Os valdesianos, membros de uma seita protestante declarada herege no século 12, estavam entre as vítimas da Inquisição.
      “Não importa se há muitos ou poucos casos. O que é importante é que você não pode dizer: “Estou certo, você está errado, e eu vou te queimar””, disse Thomas Noffke, um pastor valdesiano americano que vive em Roma.
      Ainda segundo o novo relatório, no auge da Inquisição a Alemanha matou mais bruxas e bruxos que em qualquer outro lugar, cerca de 25 mil”.
      ________________________________________
      Como você vê, esse livro que mandarei adquirir logo mais, demonstra que o número de execuções pela Inquisição foi mínimo.
      NÃO CONVERSE ASNEIRAS RENATO DE CARVALHO
      ESTUDE HISTÓRIA NAS FONTES.

      • SOBRE A INQUISIÇÃO RENATO DE CARVALHO SE VOCÊ QUISER CONHECER A VERDADE
        E SAIR DO ENGANO POSSO TI SUGERIR UM LIVRO INTERESSANTE.
        Adquira a obra “A Inquisição e seu mundo” do Professor da Faculdade de Direito da USP, João Bernardino Gonzaga. O livro é da edição Saraiva e é muito bom.
        Lá você verá como os jornais e as enciclopédias vulgares mentem e caluniam a Inquisição e a Igreja.
        A tortura era o método normalmente aplicado, infelizmente, por todos os países, por todas as polícias, e permitido por todos os códigos legais até o século passado.
        Foi a Igreja a primeira a não aceitar a confissão sob tortura como prova de culpa.
        Na Inquisição — ao contrário do que se fazia em todas as partes, a tortura só podia ser aplicada uma vez, sem derramamento de sangue, só com a aprovação do Bispo e com a assistência de um médico. Os papas sempre preveniram os inquisidores de que eles eram pastores e não torturadores nem carrascos.
        Nas prisões de todos os países, toda pena capital era precedida de torturas punitivas. Por isso os acusados preferiam ser julgados pela inquisição, onde o tratamento era sempre muito menos cruel.
        Na Inquisição visava-se a conversão e não a punição do acusado. Por isso, a Inquisição era o único tribunal do mundo que começava dando um prazo de perdão: quem se acusasse de ter agido contra a Fé dentro de um prazo de 15 a 30 dias estava perdoado. O acusado, em qualquer fase do processo, pedindo perdão, estava perdoado.
        O livro do Professor João Bernardino Gonzaga menciona muitas outras situações que mostram como a Inquisição era misericordiosa em relação aos outros tribunais da época, e como ela foi caluniada.
        Por exemplo, o condenado à prisão podia sair para cuidar dos pais ou parentes doentes. Permitia-se mesmo ao condenado tirar … FÉRIAS !!! da prisão em que estava, gozando de um período de liberdade.
        Eu teria que lhe escrever um livro para desmentir todas as calúnias que se inventaram sobre a Inquisição.
        A Inquisição da Igreja, diferentemente da Inquisição Espanhola, do Estado, não existia para os judeus, muçulmanos ou não cristãos.
        Ela só julgava quem fosse católico e tivesse traído a Fé.
        Há textos de historiadores judeus que confirmam isso. George Sokolsky, editor judeu de Nova York, em artigo intitulado “Nós Judeus”, escreveu:
        “A tarefa da Inquisição não era perseguir judeus, mas limpar a Igreja de todo traço de heresia ou qualquer coisa não ortodoxa. A Inquisição não estava preocupada com os infiéis fora da Santa Igreja, mas com aqueles heréticos que estavam dentro dela (Nova York, 1935, pg. 53).
        O Dr. Cecil Roth, especialista inglês em História do Judaísmo, declarou num Forum sionista em Bufalo, (USA):
        “Apenas em Roma existe uma colonia de judeus que continuou a sua existência desde bem antes da era cristã, isto porque, de todas as dinastias da Europa, o Papado não apenas recusou-se a perseguir os judeus de Roma e da Itália, mas também durante todos os períodos, os Papas sempre foram protetores dos judeus.
        (…) A verdade é que os Papas e a Igreja Católica, desde os primeiros tempos da Santa Igreja, nunca foram responsáveis por perseguições físicas aos judeus, e entre todas as capitais do mundo, Roma é o único lugar isento de ter sido cenário para a tragédia judaica. E, por isso, nós judeus, deveríamos ter gratidão ” (25 de Fev de 1927).
        AGORA RENATO DE CARVALHO
        Se você me pergunta se Cristo era a favor da pena de morte, ao citar o caso da adúltera.
        Repare que Jesus não disse que não se devia puní-la. Disse o contrário: que aquele que não tivesse pecado ATIRASSE a primeira pedra. Deste modo, Jesus confirmou a lei mosaica. O que Ele condenou foi alguém desejar, individualmente, ser juiz e executante da pena capital. Mas, quando Pedro cortou a orelha do servo, Cristo disse-lhe: “Pedro, mete a espada na baínha, porque quem com o ferro fere com o ferro será ferido”. (Cfr. Mt XXVI, 52 citando Números, XXXV, 16)
        Repare que Jesus não mandou Pedro jogar fora a espada. Mandou guardá-la, para que Pedro, quando fosse seu representante na Terra, a usasse contra quem ferisse ou matasse outro com a espada.
        Por isso, no Apocalipse, se diz expressamente “QUEM MATAR À ESPADA, IMPORTA QUE SEJA MORTO À ESPADA” (Apoc. XIII, 10).
        E quando Pilatos julgava a Cristo, disse:
        “Não me respondes? Não sabes que tenho poder de te perdoar ou de te condenar [à morte]?
        Ao que Cristo lhe respondeu:
        “Tu não terias esse poder, se não te fosse dado pelo alto” (Jo. XIX, 10).
        Logo, Pilatos tinha o poder de condenar à morte, porque lhe fora dado por Deus.
        Cristo pregou sim o amor e o perdão.
        Só que o perdão só pode ser dado se a pessoa pedí-lo.
        Se teu irmão te ofender setenta vezes sete vezes e pedir-te perdão, deves perdoá-lo setenta vezes sete vezes”.
        E o amor consite em desejar o céu para os outros, e não em não castigar os outros. Se uma mãe castiga um filho para corrigi-lo, ela o está amando.
        Leia no site a explicação que dei para um leitor sobre o amor e o ódio.

        Quando todos gritaram para libertar Barrabás e para crucificar Cristo, poucos ficaram fiéis a nosso Senhor. Hoje também, todos gritam calúnias contra a Igreja Católica, a única Igreja de Deus e gritam inocentemente levados pelas mentiras. Pois o que mais existe hoje são os gritos e calúnias contra ela, Mais isso tem que ser e vai ser mudado OLHA RENATO DE CARVALHO
        agora, eu repito e refuto e provo e sempre provarei em alto e em bom som: Que creio na Igreja, Una SANTA, Católica e Apostólica e Romana”.
        SOBRE A QUAL AS PORTAS DO INFERNO NUNCA PREVALECERÃO.

  13. RENATO DE CARVALHO ISSO É A PATRÍSTICA DO SEGUNDO SÉCULO
    COM TESTEMUNHAS OCULARES FONTE HISTÓRICA E FATOS VERÍDICOS COMPROVADO PELA ARQUEOLOGIA E PELA GEOGRAFIA E POR TODOS ESCRITORES E HISTORIADORES ECLESIÁSTICO AGORA SE CONTESTA ME REFUTE

    Biografia de São Clemente de Alexandria
    Clemente de Alexandria, c.150-c.215, foi um teólogo grego que fez uma primeira tentativa de sintetizar platônica e pensamento cristão. Ele nasceu provavelmente em Atenas, onde recebeu a sua formação inicial. Depois que ele se tornou um cristão, ele foi para Alexandria para procurar a instrução de Pantænus, chefe da escola catequética e um renomado professor cristão. Pantænus deu Clement o “elemento imortal do conhecimento” que ele procurava. De acordo com Pantænus, que o conhecimento religioso, ou gnose, se prepara para o estado de êxtase em que a identidade perfeita com Deus é alcançada. Ele considerou que a gnose só verdade, porém, era para ser encontrado na fé cristã (ver gnosticismo). Clement conseguiu Pantænus como chefe da escola cerca de 190. Cerca de 202, durante a perseguição do imperador romano Septímio Severo, ele foi forçado a fugir para a Capadócia, onde morreu.
    Clemente foi um dos fundadores da tradição alexandrina na teologia cristã. Seus escritos fusível fé cristã e da filosofia (platônica) grego. Suas mais conhecidas obras são a Protréptico (Exortação aos gregos), no qual ele tentou converter adoradores de deuses pagãos, o Pædagogus (Tutor), uma explicação do mundo em termos de o Logos, ou a mente de Deus, eo Stromata (Miscelâneas), na qual afirmou que a filosofia é um presente de Deus para os gregos. Clemente tem sido chamado às vezes um gnóstico cristão. Ele é considerado um dos Padres da Igreja.
    Obras de São Clemente de Alexandria
    • Introdução à Clemente de Alexandria (153-217 AD)
    • Exortação aos pagãos – Clemente de Alexandria
    • O Instrutor – eu Livro – Clemente de Alexandria
    • O Instrutor – Livro II – Clemente de Alexandria
    • O Instrutor – Livro III – Clemente de Alexandria
    • O Stromata ou Miscellanies – eu Livro – Clemente de Alexandria
    • O Stromata ou Miscellanies – Livro II – Clemente de Alexandria
    • O Stromata ou Miscellanies – Livro III – Clemente de Alexandria
    • O Stromata ou Miscellanies – Livro IV – Clemente de Alexandria
    • O Stromata ou Miscellanies – Livro V – Clemente de Alexandria
    • O Stromata ou Miscellanies – Livro VI – Clemente de Alexandria
    • O Stromata ou Miscellanies – Livro VII – Clemente de Alexandria
    • O Stromata ou Miscellanies – Livro VIII – Clemente de Alexandria
    • Fragmentos de manuscritos de Clemente de Alexandria
    Fragmentos de Clemente de Alexandria.
    I.-a partir da tradução latina de Cassiodoro.
    II.-Nicetas, Bispo de Heraclea.
    III.-A partir da Catena em Lucas, Editado por Corderius.
    IV.-dos livros de os Hypotyposes.
    V.-do livro sobre a Providência.
    VI.-do livro sobre a alma.
    VII. fragmento do Livro em calúnia.
    VIII.-Outros Fragmentos de Antonius Melissa.
    IX. Fragmento do Tratado sobre casamento .
    X.-Fragmentos de Outros Livros Perdidos.
    XI.-fragmentos encontrados em grego apenas na edição de Oxford.
    XII.-fragmentos que não constam da edição de Oxford.
    • Na salvação do homem rico – Clemente de Alexandria
    Quem é o homem rico que será salvo?

    • MOSTRE-ME A FONTE HISTÓRICA DE MARIA SEMPRE VIRGEM E MEDIANEIRA, SE O PRÓPRIO COMENTÁRIO DA BÍBLIA CATÓLICA DIZ O CONTRÁRIO.
      A IGREJA CATÓLICA DIZ QUE LUCAS 19:16-31 É SOMENTE UMA PARÁBOLA, SEM NEXO HISTÓRICO, E POR ISSO AQUILO NÃO É VERDADE (CRISTO NUNCA MENTIU). A GRANDE

      CONTRADIÇÃO NESSA AFIRMAÇÃO (QUE ESTOU RESPONDENDO) É DIZER QUE TEM QUE TER BASE HISTÓRICA, MAS O CATOLICISMO SOMENTE PEDE BASE HISTÓRICA QUANDO LHE É CONVENIENTE. NÃO A PEDE COM MARIA.

      SÃO JORGE FOI UM PADRE CATÓLICO QUE, SEGUNDO A FÁBULA, MATOU O DRAGÃO. QUE DRAGÃO FOI ESSE QUE NUNCA EXISTIU NA HISTÓRIA. AGORA VOCÊ QUER FALAR EM HISTÓRIA?

      QUEM ESTÁ RECEBENDO AQUELA ADORAÇÃO É O DEMÔNIO AMIGUINHO, E RINDO DA TUA CARA, PODE CRER. LEIA AS ESCRITURAS.

      ÀS VEZES PASSA PELA NOSSA CABEÇA ALGUMA COISA ASSIM: ACHO QUE HOJE, FIM DE SEMANA, VOU FAZER UM CHURRASCO.

      DA MESMA FORMA DEVE ACONTECER COM A LIDERANÇA CATÓLICA: “QUAL O SANTO QUE VOU CRIAR HOJE? QUAL A HISTORINHA QUE VOU INTRODUZIR NA IGREJA PARA VIRAR TRADIÇÃO?”

      PALAVRA DE DEUS É COISA SÉRIA!!! NÃO É ACHISMO E INVENÇÕES INFUNDADAS. AS INSPIRAÇÕES TÊM QUE VIR LÁ DE CIMA, DO TRONO DE DEUS E NÃO DO VATICANO.

      DESCULPEM-ME TODOS VOCÊS, MAS MARIA NÃO PODE INTERCEDER POR NINGUÉM. O CATOLICISMO ESTÁ MAIS PARA UMBANDA DO QUE PARA CRISTIANISMO. QUEM PEDE AJUDA A MORTOS OU TENTA AJUDAR MORTOS É MACUMBEIRO (COMO JÁ DISSE: LUCAS 19:16-31). É POR ISSO QUE UM MACUMBEIRO FREQUENTA A IGREJA CATÓLICA E NÃO A EVANGÉLICA, PORQUE SE ENTRAR NUMA IGREJA EVANGÉLICA CAI ENDEMONIADO.

      • OLHA COMO VOCÊ E TODA SEITA PROTESTANTE É LEIGA
        RENATO DE CARVALHO

        Caiafarsa

        Just another WordPress.com weblog
        A arqueologia confirma a Igreja Católica!
        Em 2005, foram encontradas na cidade de Megido, em Israel, as ruínas de uma igreja que pode ter sido uma das primeiras da história. Segundo a perita em inscrições antigas, Leah di Segni (Universidade Hebraica de Jerusalém), “as letras, os nomes e a forma [dos mosaicos lá encontrados] apontam para antes de Constantino”. Diz que a cerâmica encontrada – potes de cozinha, jarras de vinho – é “do fim do período romano”, tal como os motivos desenhados. “A decoração é romana, não bizantina. E não temos nenhuma cruz no chão, temos peixes.” (v. mais em http://www.publico.pt/Cultura/arqueologos-israelitas-pensam-ter-descoberto-primeira-igreja-crista-na-terra-santa_1238019 )
        Os fascinantes achados do interior do templo jogam por terra as falácias protestantes, segundo as quais o cristianismo primitivo, supostamente equivalente ao protestantismo atual, teria sido suprimido pela Igreja Católica mediante o enxertamento de doutrinas e práticas pagãs. Pois bem, ledo engano! Nesses últimos 2000 anos, a Igreja que permaneceu fiel a si mesma e à doutrina ensinada pelos apóstolos foi a Santa Igreja Católica!

        Vejamos:

        […]Durante os primeiros trabalhos para a construção de mais um setor da cadeia foi achado junto do local um mikveh, ou seja pia batismal. Juntamente com ele as bases de uma grande construção e também mosaicos de grandes proporções com inscrições em grego.
        ..

        http://www.cafetorah.com/node/94

        ..
        Pia batismal pra que, se o batismo era exclusivamente por imersão? Aqui fica confirmado que o pedobatismo foi doutrina e prática da Igreja dos tempos apostólicos, e não introdução de Constantino ou qualquer baboseira parecida.

        Ainda no referido site, consta a seguinte informação:
        .
        […]Na terceira e mais importante inscrição foi achado “Ao Deus Yeshua em sua Memória”.

        Portanto, fica confirmado que o reconhecimento da naureza divina de Cristo não foi adulteração posterior da doutrina cristã promovida pela Igreja Católica, como querem as testemunhas-de-jeová, e sim que esse reconhecimento constituía a própria doutrina.

        Por fim, a igreja de Megido nos revela/confirma que o uso de representações era prática corrente entre os cristãos primitivos, a qual a Igreja Católica permanece fiel desde então, ao passo que as confissões protestantes a renegam sob a alegação de que são corrupções da doutrina introduzidas pelo paganismo (v. em http://cienciaconfirmaigreja.blogspot.com/2008/08/surpresa-de-megido-e-igreja-crist-mais.html )

        __ http://divinity.uchicago.edu/martycenter/publications/sightings/archive_2005/1215.shtml

  14. RENETO DE CARVALHO FILHO DAS TREVAS ISSO AQUI É AS 10 MAIORES PERSEGUIÇÕES AOS MÁRTIRES DA IGREJA CATÓLICA VAI ESTUDAR ANALFABETO SEU PROBLEMA É QUE VOCÊ ESTUDA SUAS FANTASIAS EM SITES SATÂNICOS QUE FALSIFICA OS ESCRITOS ISSO É O CUMULO

    A primeira perseguição contra a Igreja deu-se no ano 67 d.C, sob o domínio de Nero, o sexto imperador de Roma. Durante os cinco primeiros anos de seu reinado, o monarca agiu de forma tolerante. Depois, porém, deu vazão às mais atrozes barbaridades. Entre outros caprichos diabólicos, ordenou que a cidade de Roma fosse incendiada — ordem cumprida por seus oficiais, guardas e servos. Enquanto a cidade imperial ardia em chamas, subiu à torre de Mecenas a fim de tocar lira e entoar o cântico do incêndio de Tróia. Fez questão de declarar abertamente que “desejava a ruína de todas as coisas antes de sua morte”. Além do grande edifício do Circo, muitos palácios e casas foram destruídos. Milhares de pessoas pereceram nas chamas; outro tanto foi sufocado pela fumaça ou sepultado sob as ruínas.

    Quando Nero percebeu que sua conduta era intensamente censurada, e que ele se tornara objeto de profundo ódio, decidiu culpar os cristãos pelo incêndio voraz. Assim, além de livrar-se, aproveitou para regalar-se com novas crueldades.

    Foi esta a causa da primeira perseguição. As brutalidades cometidas contra os cristãos eram tais, que até os próprios romanos foram movidos pela compaixão. Nero desenvolveu requintes para as suas crueldades, e inventou castigos que só a mais infernal imaginação poderia conceber. Em particular, fez com que alguns fossem costurados em peles de animais selvagens e lançados aos cães para serem destroçados. Outros, com as vestes encharcadas de cera inflamável, foram atados aos postes de seu jardim particular, onde lhes atearam fogo para que ardessem como tochas de iluminação. A perseguição generalizou-se por todo o império romano. Contudo, o espírito do cristianismo só aumentava. Foi durante essa perseguição que os apóstolos Paulo e Pedro sofreram o martírio.

    Aos seus nomes pode-se acrescentar Erasto, tesoureiro de Corinto; Aristarco, o macedônio; Trófimo, de Éfeso, convertido através da mensagem de Paulo e que se tornou seu colaborador; José, comumente chamado Barsabás; Ananias, o bispo de Damasco; e cada um dos setenta.

    A Segunda Perseguição sob Domiciano, em 81 d.C.
    O imperador Domiciano, por natureza inclinado à crueldade, matou primeiro seu irmão, suscitando logo a segunda perseguição aos cristãos. Em sua fúria, matou alguns senadores romanos; uns, por desconfiança, e outros, para confiscar-lhes os bens. De imediato, ordenou a execução de todos os pertencentes à linhagem de Davi.

    Entre os numerosos mártires dessa perseguição, nomeiam-se Simeão, bispo de Jerusalém, e o evangelista João, lançado em óleo fervente, o qual nenhum mal lhe fez e, a seguir, foi exilado na ilha de Patmos. Flávia, filha de um senador romano, foi quem ditou a seguinte lei: “Que nenhum cristão, uma vez trazido ao tribunal, fique isento de castigo, sem que renuncie a sua religião”.

    Durante esse reinado, foram escritas várias histórias, inventadas com a finalidade de causar dano aos cristãos. Tal era o fanatismo dos pagãos, que se qualquer fome, epidemia ou terremoto assolasse alguma das províncias romanas, culpavam os cristãos. As perseguições fizeram aumentar o número de informantes, e muitos, movidos pela cobiça, testificavam falsamente contra a vida de inocentes.

    Outra dificuldade era que, ao serem levados aos tribunais, os cristãos eram submetidos a um juramento; caso se recusassem a fazê-lo, eram sentenciados à morte, e caso se confessassem cristãos, a sentença era a mesma.

    Os nomes abaixo identificam os que mais se destacaram dentre os numerosos mártires dessa perseguição.

    Dionísio, o areopagita, era ateniense de nascimento e instruído em toda literatura útil e estética da Grécia. Viajou ao Egito para estudar astronomia e fez observações muito precisas do grande eclipse sobrenatural ocorrido na crucificação de nosso Salvador. A santidade de sua vida e a pureza de suas maneiras recomendaram-no de tal modo diante dos cristãos, que foi designado bispo de Atenas.

    Nicodemos, um benevolente cristão, sofreu em Roma durante o furor da perseguição de Domiciano.

    Protásio e Qervásio foram martirizados em Milão.

    Timóteo, o célebre discípulo de Paulo, foi bispo de Éfeso, onde pastoreou zelosamente a igreja até 97 d.C. Nesse tempo, quando os pagãos estavam para celebrar a festa chamada Catagogião, Timóteo repreendeu-os severamente por sua ridícula idolatria. Exasperado, o povo caiu sobre ele, armado de paus. Terrivelmente espancado, o discípulo de Paulo expirou dois dias depois.

    A Terceira Perseguição sob Trajano, em 108 d.C.
    Na terceira perseguição, Plínio, o Jovem, homem erudito e famoso, vendo a lamentável matança de cristãos, foi movido pela compaixão e escreveu a Trajano, comunicando-lhe que milhares de pessoas eram mortas diariamente sem que nada houvessem feito às leis romanas; não mereciam, portanto, aquela perseguição. “Tudo o que eles contam acerca de seu crime ou erro (ou como tenha que se chamar) somente consiste nisto: que costumam reunir-se em determinados dias, antes do amanhecer, e repetir juntos uma oração que honra a Cristo como Deus, além de se comprometerem a não cometer maldade alguma, não furtar, roubar ou adulterar; nunca mentir, e jamais defraudar alguém. Feito isto, costumam separar-se e voltar a reunir-se depois para uma inocente refeição em comum”.

    Nessa perseguição sofreu o bem-aventurado Inácio, muito considerado por todos os cristãos. Ele havia sido designado ao bispado de Antioquia, em sucessão a Pedro. Contam alguns que, ao ser enviado da Síria a Roma, porque professava a Cristo, foi entregue às feras para ser devorado. Também dizem que quando passou pela Ásia (atual Turquia), debaixo do mais apurado cuidado de seus guardiões, fortaleceu e confirmou as igrejas em todas as cidades por onde passava, tanto com suas exortações como pela pregação da Palavra. Assim, ao chegar a Esmirna, escreveu aos cristãos de Roma a fim de exortá-los a não empregarem meio algum para libertá-lo de seu martírio; que não o privassem daquilo que mais anelava e esperava. “Agora começo a ser um discípulo, fiada me importa das coisas visíveis ou invisíveis, para poder ganhar somente a Cristo. Que venham sobre mim o fogo e a cruz, manadas de bestas selvagens, rompimento de ossos e dilaceramento do corpo, e toda a malícia do diabo. Que assim seja, se eu tão-somente puder ganhar a Cristo Jesus!” E quando recebeu a sentença de ser lançado às feras, tal era o seu desejo de padecer que, cada vez que ouvia rugir os leões, dizia: “Sou o trigo de Cristo; vou ser moído com os dentes de feras para que possa ser achado pão puro”.

    Adriano, o sucessor de Trajano, deu andamento a esta terceira perseguição com a mesma severidade que o seu antecessor. Nesse tempo foram martirizados Alexandre, bispo de Roma; seus dois diáconos, Quirino e Hermes, com suas famílias; Zeno, um nobre romano, e cerca de outros dez mil cristãos.Muitos foram crucificados no monte Ararate, coroados de espinhos e traspassados com lanças, numa imitação da paixão de Cristo. Eustáquio, um valente comandante romano, com muitos êxitos militares, recebeu ordem do imperador para unir-se a um sacrifício idólatra em celebração a uma de suas próprias vitórias. Sua fé, porém (pois era cristão), era maior que a sua vaidade, e ele, nobremente, recusou-se a comparecer. Enfurecido pela negativa, o ingrato imperador esqueceu-se dos serviços do destro comandante e ordenou o seu martírio, bem como o de toda a sua família.

    No martírio de Faustines e Jovitas, ambos os irmãos e cidadãos de Bréscia, tantos foram os seus padecimentos e tão grande a sua paciência, que Calocerio, um pagão, ao contemplá-los, foi tomado de admiração e exclamou: “Grande é o Deus dos cristãos!” Por isso, foi preso e sofreu igual sorte.Muitas outras crueldades tiveram de sofrer os cristãos, até que Quadratus, bispo de Atenas, fizesse uma erudita apologia a favor deles, diante do imperador, que então se achava presente. Aristides, um filósofo da mesma cidade, também contribuiu, ao escrever uma elegante epístola que levou Adriano a diminuir sua severidade e ceder a favor dos cristãos.Adriano, ao morrer em 138 d.C, foi sucedido por António Pio, um dos mais gentis monarcas que já reinaram, e que deteve as perseguições contra os cristã.

    A Quarta Perseguição sob Marco Aurélio, em 162 d.C.

    No ano 161 de nosso Senhor, Marco Aurélio assumiu o trono. Embora elogiável no estudo da filosofia e em sua atividade de governo, era um homem de natureza rígida e severa; foi duro e feroz contra os cristãos, e desencadeou a quarta perseguição.

    As crueldades executadas nesta perseguição foram de tal calibre que muitos dos espectadores estremeciam de horror ao vê-las, e ficavam atónitos diante da coragem dos que as sofriam. Alguns dos mártires eram obrigados a passar, com os pés já feridos, sobre espinhos, cravos, conchas afiadas, etc. Outros eram açoitados até que seus tendões e veias ficassem expostos, e, depois de haverem sofrido os mais atrozes tormentos já inventados, eram mortos das maneiras mais terríveis.

    Germânico, jovem ainda, porém verdadeiro cristão, foi entregue às feras por causa de sua fé. Enfrentou tudo com coragem tão assombrosa, que muitos pagãos se converteram ao cristianismo.

    Policarpo, o respeitado bispo de Esmirna, ocultou-se ao ouvir que o procuravam; foi, porém, descoberto por um menino. Depois de servir uma refeição aos guardas que o prenderam, pediu-lhes uma hora de oração, e foi atendido. Orou com tal fervor que os soldados, os quais o haviam detido, arrependeram-se de havê-lo feito. Todavia, levaram-no ao procônsul; ele foi condenado e queimado na praça do mercado.

    O procônsul pressionou-o: “Jura e te darei a liberdade. Blasfema contra Cristo”.

    Policarpo respondeu-lhe: “Durante oitenta e seis anos o tenho servido, e nunca me fez mal algum. Como blasfemaria eu contra o meu Rei, que me tem salvado?”

    Policarpo assegurou-lhes que se manteria imóvel na estaca; então, ao contrário do que se costumava fazer, foi apenas atado, e não cravado. Ao acenderem a fogueira, as chamas rodearam-lhe o corpo, como um arco, sem tocá-lo. Ordenaram então ao carrasco que o traspassasse com uma espada. Com isto, manou tão grande quantidade de sangue que o fogo apagou-se. Não obstante, por instigação dos inimigos do Evangelho, principalmente dos judeus, ordenou-se que seu corpo fosse consumido na fogueira; e a petição de seus amigos, que lhe queriam dar um sepultamento cristão, foi desprezada. Contudo, recolheram-lhe os ossos e o que foi possível de seus restos mortais, e os enterraram decentemente

    Metrodoro, um ministro e pregador impetuoso, e Peônio, autor de várias e excelentes apologias à fé cristã, foram também queimados. Carpo e Papilo, dois dignos cristãos, e Agatônica, uma piedosa mulher, sofreram o martírio em Pergamópolis, na Ásia.

    Felicitate, uma ilustre dama romana, de classe social elevada e muito virtuosa, era devota crista. Tinha sete filhos, a quem educara com a mais exemplar piedade. Enero, o mais velho, foi flagelado e prensado com pesos até morrer. Félix e Felipe, que o seguiam em idade, foram descerebrados com garrotes. Silvano, o quarto, foi jogado de um precipício e morreu. Os três mais novos, Alexandro, Vital e Marcial, foram decapitados. A mãe foi morta com a mesma espada que os mataram.

    Justino, o célebre filósofo, foi martirizado nesta perseguição. Era natural de Neápolis, em Samaria, e nascera em 103 d.C. Foi um grande amante da verdade e erudito universal; investigou as filosofias estóica e peripatética, e provou a pitagórica, mas, ao desgostar-se da conduta de um de seus professores, investigou a platónica, na qual encontrou grande deleite. Por volta do ano 133 d.C, aos trinta anos, converteu-se ao cristianismo e, desde então, pela primeira vez, percebeu a real natureza da verdade.

    Escreveu uma elegante epístola aos gentios e empregou seus talentos para convencer os judeus da verdade dos ritos cristãos. Dedicou grande tempo a viajar, até estabelecer sua residência em Roma, no monte Viminal.

    Abriu uma escola pública; ensinou a muitos que foram, posteriormente, destacados personagens na história; e escreveu um tratado para refutar todo tipo de heresias. Quando os pagãos começaram a tratar os cristãos com severidade, Justino escreveu sua primeira apologia a favor deles. Este escrito, que exibe grande erudição e genialidade, fez com que o imperador publicasse um edito em favor dos cristãos.

    Pouco depois entrou em frequentes discussões com Crescente, pessoa de vida viciosa, conquanto célebre filósofo cínico. Os argumentos de Justino foram poderosos, porém odiosos para Crescente, que decidiu, e conseguiu, sua destruição.

    A segunda apologia de Justino, devido a certas coisas que continha, deu ao cínico Crescente a oportunidade de predispor o imperador contra ele; por isso, Justino foi detido juntamente com seis companheiros. Como se recusassem a prestar sacrifícios aos ídolos pagãos, foram condenados ao açoite seguido de decapitação. Esta sentença cumpriu-se com toda a severidade imaginável.

    Vários foram decapitados por se recusarem a sacrificar à imagem de Júpiter; em particular, Concordo, diácono da cidade de Espólito.

    Quando algumas das agitadas nações do Norte levantaram armas contra Roma, o imperador pôs-se em marcha para enfrentá-las. Não obstante, viu-se preso numa emboscada e temeu perder todo o seu exército. Isolados entre montanhas, rodeados de inimigos, e com muita sede, em vão invocaram as divindades pagãs. Então o imperador ordenou aos homens pertencentes à Legião do Trovão que orassem ao seu Deus pedindo socorro. De imediato veio a milagrosa resposta: caiu uma chuva torrencial, que foi recolhida e represada pelos homens, trazendo alívio repentino e assombroso. Parece que a tormenta intimidou de tal forma os inimigos que uma parte deles desertou até o exército romano; o restante foi derrotado, e as províncias rebeldes foram totalmente recuperadas.

    Este episódio fez com que a perseguição se atenuasse por algum tempo, ao menos nas zonas sob a inspeção do imperador. Observamos, porém, que logo se desencadearia na França, particularmente em Lyon, onde as torturas impostas aos cristãos quase ultrapassam a capacidade de descrição.

    Eis os principais desses mártires: um jovem chamado Vetio Agato; Blandina, uma dama cristã de débil constituição; Sancto, diácono em Vienna — a este aplicaram pratos de bronze em brasas sobre as partes mais sensíveis do corpo; Bíblias, uma frágil mulher que fora apóstata anteriormente; Attalo, de Pérgamo, e Potino, o conceituado bispo de Lyon, que tinha noventa anos. No dia em que Blandina e outros três campeões da fé foram levados ao anfiteatro, penduraram-na em um lenho a fim de expô-la como alimento às feras. Entretanto, com suas fervorosas orações, ela alentava os companheiros. Nenhuma das feras a tocou, e ela foi levada de volta à masmorra. Ao ser retirada de lá pela terceira e última vez, saiu acompanhada por Pontico, um adolescente de quinze anos. A consistência da fé deles enfureceu de tal maneira a multidão, que não foram respeitados nem o sexo dela nem a juventude dele; ambos foram objeto de todo tipo de castigos e torturas. Fortalecido por Blandina, o menino perseverou até a morte; ela, depois de suportar os sofrimentos mencionados, foi finalmente morta à espada.

    Nessas ocasiões, os cristãos caminhavam para o martírio coroados com guirlandas de flores; por elas, recebiam no Céu imarcescíveis coroas de glória.

    Dizem que a vida dos cristãos primitivos consistia em “perseguição sobre a terra e orações no subsolo”. Suas vidas estão expressas no Coliseu e nas

    catacumbas. Debaixo de Roma estão os subterrâneos que chamamos de catacumbas, e tanto serviam de templos como de tumbas. A primitiva comunidade cristã em Roma poderia ser chamada, com razão, de a Igreja das Catacumbas. Perto desta cidade existem cerca de sessenta catacumbas, onde podem ser percorridas umas seiscentas milhas de galerias, e isto não é a totalidade. Elas têm uma altura de aproximadamente oito pés (2,4 metros) e uma largura entre três e cinco pés (em torno de 1 a 1,5 metro), e contêm, de cada lado, várias fileiras de cavidades compridas, baixas e horizontais, umas sobre as outras, como as beliches de um barco. Nestes cubículos eram postos os cadáveres e em seguida eram fechados com uma simples lápide de mármore ou grandes lajes de argila, unidas com concreto. Nestas lápides ou lajes estão gravados ou pintados epitáfios e símbolos. Tanto pagãos como cristãos sepultavam seus mortos nessas catacumbas. Quando foram abertos os sepulcros cristãos, os esqueletos contaram sua terrível história. Encontraram-se cabeças separadas do corpo, costelas e clavículas quebradas, e ossos calcinados pelo fogo. Apesar da terrível história de perseguição que aí se lê, as inscrições respiram gozo, paz e triunfo. Eis algumas delas:

    “Aqui jaz Márcia, posta a repousar em um sonho de paz.”

    “Lorenzo a seu mais doce filho, levado pelos anjos.”

    “Vitorioso em paz e em Cristo.”

    “Ao ser chamado, foi-se em paz.”

    Ao ler estas inscrições, recordemos a história de perseguições, tortura e fogo contada pelos esqueletos.

    Entretanto, a plena força destes epitáfios é melhor apreciada quando os contrastamos com os epitáfios pagãos, tais como:

    “Vive para esta hora presente, porque de nada mais estamos seguros.”

    “Levanto minhas mãos contra os deuses que me arrebataram aos vinte anos, mesmo não havendo feito algo de errado.”

    “Uma vez não era. Agora não sou. Nada sei dele, e não é minha preocupação.”

    “Peregrino, não me maldigas quando passares por aqui; porque estou em trevas e não posso responder.”

    Os mais frequentes símbolos cristãos nas paredes das catacumbas são: um pastor com um cordeiro nos ombros, um navio com as velas desfraldadas, harpas, âncoras e, principalmente, o peixe.

    A Quinta Perseguição sob Severo, em 192 d.C.

    Severo, recuperado de uma grave enfermidade após haver recebido cuidados de um cristão, chegou a ser um grande benfeitor dos cristãos em geral. Ao prevalecer, porém, os preconceitos e a fúria da multidão ignorante, foram postas em ação leis obsoletas em relação aos adeptos do cristianismo. O avanço do movimento alarmava os pagãos e reavivava o velho hábito de se culpar os cristãos pelas desgraças acidentais que sobrevinham. Esta perseguição desencadeou-se em 192 d.C.

    Embora rugisse a malícia persecutória, o Evangelho resplandecia fulgurantemente; firme como uma rocha, resistia com êxito aos ataques dos inimigos. Tertuliano, que viveu nessa época, informa-nos que, se os cristãos houvessem se retirado em massa dos territórios romanos, o império teria ficado grandemente despovoado.

    Victor, bispo de Roma, sofreu o martírio no primeiro ano do terceiro século, em 201 d.C. Leônidas, pai do célebre Origenes, foi decapitado por Cristiano. Muitos dos ouvintes de Origenes também foram martirizados; em particular dois irmãos, Plutarco e Sereno. Um outro Sereno, e também Heron e Heráclides, foram decapitados. Com Rhais deu-se o seguinte: derramaram-lhe breu fervente sobre a cabeça, e logo o queimaram, como também a sua mãe Marcela. Potainiena, irmã de Rhais, foi executada da mesma forma que ele. Entretanto, Brasílides, oficial do exército, que recebeu ordens para presidir a execução, converteu-se ao Evangelho.

    Quando pediram a Brasílides que fizesse um certo juramento, afirmou que não poderia jurar pelos ídolos romanos, porque era cristão. Cheia de estupor, a multidão não podia crer no que ouvia; porém, após confirmar o que dissera, ele foi arrastado à presença do juiz, lançado no cárcere e, pouco depois, decapitado.

    Irineu, bispo de Lyon, nascera na Grécia e recebera uma educação esmerada e cristã. Supõe-se, em geral, que o relato das perseguições em Lyon tenha sido escrito por ele mesmo. Sucedeu ao mártir Potino, como bispo de Lyon, e pastoreou com grande discrição sua comunidade cristã; opunha-se fervorosamente às heresias em geral e, por volta de 187 d.C, escreveu um célebre tratado contra as mesmas. Victor, bispo de Roma, desejoso de impor ali a observação da Páscoa, ao preferir este a outros lugares, provocou algumas desordens entre os cristãos. De maneira particular, Irineu escreveu-lhe uma epístola sinódica, em nome das igrejas galicanas.

    Este zelo pelo cristianismo acabou por destacá-lo como objeto de ressentimento diante do imperador, o que lhe custou a decapitação em 202 d.C.

    As perseguições, ao se estenderem à África, provocaram a morte de muitos cristãos. Mencionaremos os mais destacados entre eles:

    Perpétua, de aproximadamente vinte e dois anos, casada. Com ela sofreram Felicitas, também casada e em adiantado estado de gestação, e Revocato, escravo e catecúmeno de Cartago. Outros presos destinados a sofrer nessa ocasião foram Saturnino, Secúndulo e Satur. no dia marcado para a execução deles, foram levados ao anfiteatro. A Satur, Secúndulo e Revocato mandaram que corressem entre os domadores das feras. Estes, dispostos em duas fileiras, flagelavam-nos severamente enquanto corriam. Felicitas e Perpétua foram despidas e expostas a um touro bravo, que se lançou primeiro contra Perpétua, deixando-a inconsciente; logo arremessou-se contra Felicitas, e a içou terrivelmente pelos chifres. Como ambas continuassem vivas, o carrasco atravessou-as com uma espada. Revocato e Satur foram devorados pelas feras; Saturnino foi decapitado, e Secúndulo morreu no cárcere. Estas execuções aconteceram em março de 205 d.C.

    Esperato e outros doze foram decapitados, e o mesmo aconteceu com Androcles, na França. Asclepíades, bispo de Antioquia, sofreu muitas torturas, mas não foi morto.

    Cecília, jovem dama de uma boa família em Roma, casada com um cavaleiro chamado Valeriano, ganhou o marido e o irmão para Jesus, que foram por isso decapitados. O oficial que os levou à execução foi convertido por eles e sofreu a mesma sorte. A dama foi lançada despida em um banho fervente e, após permanecer ali um tempo considerável, foi decapitada. Isto aconteceu em 222 d.C.

    Calixto, bispo de Roma, sofreu o martírio em 224 d.C, mas não há registro sobre a forma de sua morte. Urbano, bispo de Roma, sofreu a mesma sorte em 232 d.C.

    A Sexta Perseguição sob Maino, em 235 d.C.
    Em 235 d.C, começou, sob o comando de Maximino, uma nova perseguição. O governador de Capadócia, Seremiano, fez todo o possível para exterminar os cristãos daquela província.

    As principais pessoas a morrer sob este reinado foram: Pontiano, bispo de Roma (seu sucessor, um grego chamado Anteros, ofendeu o governo ao

    reconhecer os atos dos mártires); Pamaquio e Quirito, senadores romanos, juntamente com suas famílias; Simplício, também senador; Calepódio, um ministro cristão que foi lançado ao rio Tiber; Martina, uma nobre e formosa donzela; e Hipólito, um prelado cristão que foi atado a um cavalo selvagem e arrastado até morrer.

    Durante esta perseguição, suscitada por Maximino, muitos cristãos foram executados sem julgamento e enterrados indiscriminadamente em montões; às vezes, cinquenta ou sessenta eram jogados juntos em uma vala comum, sem a menor decência.

    Ao morrer o tirano Maximino, em 238 d.C, substituiu-o Qordiano. Durante seu reinado, assim como no de Felipe, seu sucessor, a Igreja esteve livre das perseguições num período de mais de dez anos. Porém, em 249 d.C, por instigação de um sacerdote pagão, e sem conhecimento do imperador, desatou-se em Alexandria violenta perseguição.

    A Sétima Perseguição sob Décio, em 249 d.C.
    Esta foi ocasionada, em parte, pelo aborrecimento que Décio tinha para com seu antecessor, Felipe, considerado cristão, e também por seu ciúme diante do assombroso avanço do cristianismo. O que ocorria era que os templos pagãos começavam a ser abandonados e as igrejas cristãs tornavam-se repletas.

    Estas razões estimularam Décio a tentar a extirpação do nome “cristão”. E, desafortunadamente para o Evangelho, vários erros ocorreram, nesse tempo, dentro da Igreja. Os cristãos achavam-se divididos entre si; os interesses próprios separavam aqueles a quem o amor deveria manter unidos; a virulência do orgulho deu ocasião a uma série de facções.

    Os pagãos, em geral, ambicionavam pôr em ação os decretos imperiais e consideravam o assassinato dos cristãos um mérito para si próprios. Nessa ocasião, os mártires foram inumeráveis; relacionaremos, porém, apenas os principais.

    Fabiano, bispo de Roma, foi a primeira pessoa, em posição eminente, a sentir a severidade dessa perseguição. O falecido imperador havia posto seu tesouro aos cuidados desse homem, devido à sua integridade. Mas Décio, por não encontrar tanto quanto sua avareza o fizera imaginar, decidiu vingar-se do bom prelado. Fabiano foi, então, preso e decapitado em 20 de janeiro de 250 d.C.

    Julião, nativo da Cilicia, como nos informa Crisóstomo, foi preso por ser cristão. Posto em uma bolsa de couro, junto com várias cobras e escorpiões, foi lançado ao mar.

    Pedro, um jovem muito simpático, tanto pelo seu físico como por suas qualidades intelectuais, foi decapitado por se recusar a sacrificar a Vénus. No julgamento, declarou: “Estou atónito ao ver que sacrificais a uma mulher tão infame, cujas abominações são registradas por vossos próprios historiadores e cuja vida consistiu em ações que vossas próprias leis castigariam. Não oferecerei sacrifício a ela, mas ao verdadeiro Deus apresentarei a oferta aceitável de louvores e orações”. Ao ouvir isto, Óptimo, procônsul da Ásia, ordenou que o preso fosse estirado na roda de tormento, onde se lhe romperam todos os ossos. Depois, foi decapitado.

    Nicômaco, obrigado a comparecer diante do procônsul como cristão, recebeu ordens de sacrificar aos ídolos pagãos. No entanto, ele replicou: “Não posso dar a demónios a reverência devida somente ao Todo-Poderoso”. Esta maneira de falar enfureceu de tal modo o procônsul, que Nicômaco foi posto no potro. Depois de suportar os tormentos por um tempo, retratou-se. Porém, logo depois desta prova de debilidade, entrou em agonia; tombou ao chão e morreu imediatamente.

    Denisa, uma jovem de apenas dezesseis anos, ao contemplar este terrível juízo, exclamou: “Oh, infeliz, para que comprar um momento de alívio à custa de uma eternidade de misérias?!” Ao ouvi-la proferir tais palavras, Óptimo chamou-a e, ao saber que ela também era cristã, mandou decapitá-la.

    André e Paulo, dois companheiros de Nicômaco, sofreram o martírio por apedrejamento em 251 d.C. e morreram invocando o nome de seu Redentor.

    Alexandro e Epímaco, de Alexandria, foram presos como suspeitos de serem cristãos. Diante da confirmação, foram golpeados com estacas, rasgados com ganchos de ferro e, finalmente, queimados. Também nos informa um fragmento preservado por Eusébio que quatro mulheres mártires sofreram naquele mesmo dia e no mesmo lugar, mas não da mesma maneira; foram decapitadas.

    Luciano e Marciano, dois malvados pagãos versados nas artes mágicas, converteram-se ao cristianismo e, para expiar os erros passados, passaram a viver como eremitas e alimentar-se apenas de pão e água. Depois de um tempo nesta condição, tornaram-se zelosos pregadores e ganharam muitas almas para Jesus. Vindo a perseguição, foram presos e levados diante de Sabino, o governador da Bitínia. Quando lhes interrogaram em nome de que autoridade pregavam, Luciano respondeu que “as leis da caridade e da humanidade obrigavam todo homem a buscar a conversão de seus semelhantes e a fazer tudo o que estivesse ao seu alcance para libertá-los dos laços do diabo”.

    Havendo Luciano respondido desta maneira. Marciano acrescentou que a conversão deles “havia sido pela mesma graça concedida ao apóstolo Paulo, que, de zeloso perseguidor da Igreja, convertera-se em pregador do Evangelho”.

    O procônsul, ao perceber que não podia prevalecer sobre eles no sentido de obrigá-los a renunciar a fé, condenou-os a ser queimados vivos. A sentença foi logo executada.

    Trifon e Respício, dois homens ilustres, foram apreendidos como cristãos e encarcerados em Nisa. Tiveram os pés traspassados com cravos; foram arrastados pelas ruas, açoitados, descarnados com ganchos de ferro, queimados com tochas, e finalmente decapitados no dia primeiro de fevereiro de 251 d.C.

    Ágata, uma bonita dama siciliana, não era tão notada por seus dotes naturais, mas por sua piedade. Tal era a sua formosura que Quintiano, governador da Sicília, apaixonou-se por ela e fez muitas tentativas de vencer sua castidade; todas, porém, sem êxito. A fim de satisfazer mais facilmente suas paixões, colocou a virtuosa dama nas mãos de Afrodica, mulher infame e depravada. Esta miserável usou todos os artifícios para arrastá-la à prostituição; contudo, viu falidos todos os seus esforços, pois a castidade de Ágata era inexpugnável, e ela sabia muito bem que só a virtude poderia dar-lhe a verdadeira felicidade. Afrodica fez saber a Quintiano a inutilidade de seus esforços, e este, enfurecido ao ver seus desígnios frustrados, tornou sua concupiscência em ressentimento. Quando Ágata se confessou cristã, ele decidiu satisfazer-se com a vingança, desde que não podia gratificar-se com a paixão. Por ordens suas. Ágata foi flagelada, queimada com ferros em brasa e descarnada com ganchos de ferro. Ao suportar estas torturas com admirável força, foi posta nua sobre brasas misturadas com vidro, e logo devolvida ao cárcere, onde expirou no dia 5 de fevereiro de 251 d.C.

    Cirilo, bispo de Qortyna, foi preso por ordens de Lúcio, governador daquela região, que o exortou a obedecer à ordem imperial, a fazer os sacrifícios e a salvar da destruição sua venerável pessoa de oitenta e quatro anos. O bom prelado respondeu que, como havia ensinado a outros durante muito tempo a salvar suas almas, agora só podia pensar na própria salvação. O digno prelado escutou, sem a menor emoção, a sua sentença, dada com furor; caminhou animadamente até o lugar da execução e sofreu o martírio com total integridade.

    Em nenhum lugar a perseguição manifestou-se com tanta ira como na ilha de Creta, pois o governador, sumamente ativo na execução dos éditos imperiais, fez correr rios de sangue dos piedosos cristãos.

    Babylas, um cristão com educação académica, chegou a ser bispo de Antioquia em 237 d.C, depois de Zebino. Atuou com zelo incomparável e pastoreou a igreja com uma prudência admirável durante os tempos mais tormentosos. A primeira desgraça a ocorrer em Antioquia durante a missão de Babylas foi o cerco orquestrado por Sapor, rei da Pérsia, que, ao invadir toda a Síria, tomou e saqueou essa cidade, entre outras, e tratou os moradores cristãos com maior dureza que os outros; porém, logo foi derrotado por Qordiano.

    Depois da morte de Qordiano, o imperador Décio, que o sucedeu, visitou Antioquia e ali expressou o desejo de visitar uma comunidade cristã. Babylas opôs-se absolutamente a isso e não permitiu a sua entrada. O imperador dissimulou momentaneamente a ira, mas logo mandou buscar o bispo e, ao repreendê-lo duramente por sua insolência, ordenou que sacrificasse às divindades pagãs como expiação por sua ofensa. Ao recusar, Babylas foi deixado no cárcere, preso em cadeias, e tratado com a maior severidade. Logo depois, foi decapitado juntamente com três jovens que foram seus alunos. Isto aconteceu em 251 d.C.

    Neste mesmo tempo foi encarcerado Alexandro, bispo de Jerusalém, e ali morreu devido à dureza de sua reclusão.

    Juliano, um ancião aleijado por causa de uma artrite, foi atado juntamente com Cronión a corcovas de camelos, flagelados cruelmente e logo lançados ao fogo, onde morreram. Também quarenta donzelas foram queimadas em Antioquia, após sofrerem encarceramento e flagelos.

    Em 251 d.C, o imperador Décio, depois de erigir um templo pagão em Éfeso, ordenou que todos os habitantes da cidade sacrificassem aos deuses. Esta ordem foi nobremente desprezada por sete de seus próprios soldados: Maximiano, Marciano, Joanes, Malco, Dionísio, Seraión e Constantino. O imperador, desejoso de que eles renunciassem a fé cristã mediante suas exortações e apelos, deu-lhes um tempo considerável até voltar de uma expedição. Durante a sua ausência, os bravos soldados fugiram e ocultaram-se em uma gruta. Ao regressar e tomar conhecimento do fato, o imperador ordenou que a entrada da caverna fosse fechada, e todos morreram de fome.

    Teodora, uma jovem e formosa dama de Antioquia, recusou-se a sacrificar aos deuses de Roma. Foi, por isso, condenada a viver em um bordel, onde sua

    virtude seria sacrificada à brutalidade e à concupiscência. Dídimo, um cristão, entrou naquele recinto vestido com um uniforme de soldado romano, revelou-se a Teodora e aconselhou-a a fugir disfarçada com aquela roupa, ficando ele em seu lugar. Quando descobriram no bordel um homem no lugar da formosa dama, Dídimo foi levado diante do governador, a quem confessou a verdade. Ao declarar-se cristão, recebeu imediata sentença de morte. Teodora, ao ouvir que seu libertador morreria, rogou perante o juiz e implorou que a sentença recaísse sobre ela. Não obstante, surdo aos clamores dos inocentes e insensível à justiça, o implacável juiz condenou a ambos. Dídimo e Teodora foram decapitados e depois tiveram os corpos queimados.

    Secundiano, acusado de ser cristão, era levado ao cárcere quando Veriano e Marcelino indagaram aos soldados que o conduziam: “Para onde levais um inocente?” A pergunta fez com que também fossem presos e, após serem torturados, os três foram pendurados e decapitados.

    Orígenes, o célebre presbítero e ensinador da Palavra de Deus em Alexandria, foi preso aos sessenta e quatro anos e largado numa imunda masmorra, totalmente acorrentado, com os pés no cepo e as pernas estiradas ao máximo, durante vários dias seguidos. Foi ameaçado com fogo e torturado com todos os requintes de crueldade inventados pelas mentes mais diabólicas. Durante o seu terrível e prolongado tormento, morreu o imperador Décio. Qallo, seu sucessor, envolveu-se numa guerra com os godos e, com isso, os cristãos tiveram um certo alívio. Orígenes obteve então a liberdade e retirou-se para Tiro, onde ficou até a morte, que lhe sobreveio aos sessenta e nove anos.

    Qallo, depois de concluir suas guerras, deparou-se com uma praga no império. Ele ordenou, então, que fossem oferecidos sacrifícios aos deuses pagãos. Esta medida fez com que novas perseguições aos cristãos fossem desencadeadas, desde a capital do império até as províncias mais afastadas. Muitos foram as vítimas da impetuosidade da população, assim como do preconceito dos magistrados. Entre esses mártires estiveram Cornélio, bispo cristão de Roma, e Lúcio, seu sucessor, em 253 d.C.

    A maioria dos erros introduzidos na Igreja, nesta época, resultou de se colocar a razão humana em competição com a revelação. Quando, porém, os teólogos mais capazes demonstraram a falibilidade de tais argumentos, as opiniões que se haviam levantado desvaneceram-se como as estrelas diante do Sol.

    A Oitava Perseguição sob Valeriano, em 257 d.C.
    A oitava perseguição veio sob o comando de Valeriano, em abril de 257 d.C, e continuou por três anos e dez meses. Foram inumeráveis os mártires dessa perseguição; suas torturas e mortes eram variadas e penosas. Citamos a seguir os mais ilustres nomes dentre eles, embora não se tenha respeitado classe, sexo ou idade.

    Rufina e Secunda eram duas formosas e refinadas damas, filhas de Asterio, eminente cavalheiro de Roma. Rufina, a mais velha, estava prometida em casamento a Armentário, um jovem da nobreza. Secunda, a mais nova, a Verino, pessoa de linhagem fina e opulenta. Os pretendentes eram ambos cristãos, mas ao levantar-se a perseguição, renunciaram a fé para salvar suas fortunas. Esforçaram-se muito, então, na tentativa de persuadir as damas a fazerem o mesmo. Frustrados em seus propósitos, tornaram-se tão abjetos que chegaram ao ponto de denunciá-las. Ambas foram presas e levadas a comparecer perante Junio Donato, governador de Roma. Lá, em 257 d.C, selaram com sangue o seu martírio.

    Estêvão, bispo de Roma, foi decapitado naquele mesmo ano. Também Saturnino, o piedoso bispo ortodoxo de Toulouse, por se recusar a sacrificar aos ídolos, foi tratado com as mais bárbaras e inimagináveis crueldades. Ataram-lhe os pés à cauda de um touro, e o enfurecido animal desceu em disparada as escadarias do templo. O crânio do digno mártir abriu-se, de onde saiu seu cérebro, que se espalhou pelo chão.

    Sixto sucedeu a Estêvão como bispo de Roma. Supõe-se que era grego de nascimento e servira durante algum tempo como diácono, sob a direção de Estêvão. Sua grande fidelidade, singular sabedoria e coragem incomum distinguiram-no em muitas ocasiões. E o feliz resultado de uma polémica travada com alguns hereges é geralmente tido como uma confirmação de suas características de piedade e prudência. Mo ano 258 d.C, Marciano, que dirigia os assuntos do governo em Roma, conseguiu uma ordem do imperador Valeriano para matar todo o clero cristão que atuava na capital do império. Por ordem dele, Sixto e seis de seus diáconos sofreram o martírio.

    Acerquemo-nos do fogo do martirizado Lorenzo, para que nossos corações sejam aquecidos. O implacável tirano Marciano, ciente de que Lorenzo não só era ministro da Palavra de Deus, mas também tesoureiro das finanças da igreja em Roma, prometeu ao imperador, com o aprisionamento de uma só pessoa,

    uma dupla presa: primeiro, com o espírito da avareza, puxaria para o governo todo o tesouro dos cristãos pobres; depois, com a ferocidade da tirania, trataria de agitá-los, perturbá-los e esgotá-los em seus trabalhos diários. De rosto feroz e cruel semblante, o ambicioso lobo perguntou onde Lorenzo havia empregado as riquezas da igreja em Roma. Este, pedindo-lhe três dias de prazo, prometeu declarar onde se encontrava o tesouro. Enquanto isso, fez congregar uma grande quantidade de cristãos pobres. Ao chegar o dia em que deveria dar a resposta, Lorenzo recebeu do perseguidor ordens de se manter fiel à promessa. Então, o valente ministro, estendendo os braços aos pobres, declarou: “Estes são o precioso tesouro da igreja em Roma; estes são verdadeiramente o tesouro, aqueles em quem reina a fé de Cristo, em quem Jesus Cristo tem sua morada. Que jóias mais preciosas pode ter Cristo, senão aquelas nas quais prometeu morar? Porque assim está escrito: Tive fome e me destes de comer; tive sede e me destes de beber; fui forasteiro e me hospedastes’. E também: ‘Sempre que o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes’. Que maior riqueza pode possuir Cristo, nosso Mestre, que o povo pobre em quem deseja ser visto?”

    Ah! que língua poderia expressar o furor e a raiva do coração do tirano? Agora batia o pé, lançava olhares furiosos, gesticulava ameaçadoramente, comportava-se como louco. Seus olhos relampagueavam fogo; a boca espumava como a de um javali e mostrava os dentes como um infernal mastim, não era mais um homem racional; era um leão rugidor e rompante.

    “Acendam o fogo”, guinchou ele, “e não economizem lenha. Este vilão pensa que engana o imperador? Acabem com ele! Acabem com ele! Açoitem-no com chicotes, sacudam-no com varas, apliquem-lhe golpes com os punhos, descerebrem-no com garrotes. Este traidor zomba do imperador? Pincem-no com uma tenaz ardente, imprensem-no com placas incandescentes, atem-lhe as mãos e os pés, e quando a grelha de ferro estiver em brasas, amarrem-no a ela. Sob pena de nosso maior desagrado, cada um de vocês, verdugos, cumpra sua missão”.

    Ditas estas palavras, foram prontamente cumpridas. Depois de cruéis tormentos, o manso cordeiro foi posto — não direi que sobre uma cama de ferro incandescente, mas em suave colchão de plumas. Pois Deus operou de modo tão milagroso para com Lorenzo, que a cama de fogo serviu-lhe de leito de repouso eterno.

    Na África, a perseguição rugiu com peculiar violência; milhares receberam a coroa do martírio. Dentre eles destacamos as personalidades mais distintas:

    Cipriano, bispo de Cartago, um eminente prelado e adorno da Igreja. O esplendor de seu génio era temperado pela solidez de seu juízo; tinha todas as virtudes de cavalheiro combinadas às qualidades de um cristão. Sua doutrina era ortodoxa e pura; sua linguagem, fácil e elegante; e seus modos, gentis e atraentes. Era, em resumo, um pregador piedoso e cortês. Em sua juventude, fora educado nos princípios dos gentios e, possuidor de uma fortuna considerável, vivera em todo o esplendor da riqueza e em toda a dignidade da pompa.

    Por volta do ano 246 d.C, Cecílio, ministro cristão em Cartago, tornou-se o feliz instrumento da conversão de Cipriano e, pelo grande afeto que sempre sentiu pelo mestre, este jovem resolveu ser chamado Cecílio Cipriano. Antes de seu batismo, estudou cuidadosamente as Escrituras e, impressionado com a beleza da verdade, decidiu praticar as virtudes que nelas se recomendavam. Depois de seu batismo, vendeu suas posses, distribuiu seu dinheiro aos pobres, vestiu-se de modo simples e iniciou uma vida austera. Em pouco tempo foi nomeado presbítero. Era tão admirado por suas virtudes e obras que, por ocasião da morte de Donato, em 248 d.C, foi eleito, quase unanimemente, bispo de Cartago.

    Os cuidados de Cipriano não se estendiam somente a Cartago, mas a Numídia e Mauritânia. Em todas as suas palestras, sempre aconselhou seus obreiros, ciente de que só a unanimidade ajudaria o progresso da Igreja. Esta era a sua máxima: “O bispo está na igreja, e a igreja no bispo, de forma que a unidade só pode ser preservada mediante um estreito vínculo entre o pastor e sua igreja”.

    Em 250 d.C, Cipriano foi publicamente proscrito pelo imperador Décio sob o nome de Cecílio Cipriano, bispo dos cristãos. O clamor universal dos pagãos foi: “Cipriano aos leões; Cipriano às feras”. O bispo apartou-se do furor da multidão, e suas possessões foram imediatamente confiscadas. Durante seu retiro, escreveu trinta piedosas e elegantes epístolas ao seu rebanho. Contudo, vários cismas ocorridos na Igreja provocaram nele grande ansiedade. Com o abrandamento do rigor da perseguição, voltou a Cartago e fez tudo o que estava ao seu alcance para desfazer as opiniões erróneas. Quando uma terrível peste sobreveio a Cartago, foi, como de costume, atribuída aos cristãos. Os magistrados começaram logo uma perseguição, o que ocasionou uma carta deles a Cipriano. Em resposta, ele reivindicou a causa do cristianismo. Em 257 d.C, Cipriano teve de comparecer diante do procônsul Aspásio Paturno, que o desterrou para uma pequena cidade, no mar da Líbia. Ao morrer este procônsul, voltou a Cartago; porém, logo foi preso e levado diante do novo governador, que o condenou à decapitação. A sentença foi executada no dia quatorze de setembro de 258 d.C.

    Os discípulos de Cipriano, martirizados nesta perseguição, foram Lúcio, Flaviano, Victórico, Remo, Montano, Julião, Primelo e Donaciano.

    Em Útica, a tragédia foi maior: por ordem do governador, trezentos cristãos foram postos ao redor de um forno de cozimento de cerâmica. Após prepararem as brasas e o incenso, receberam a ordem para que sacrificassem a Júpiter, ou seriam jogados ao fogo. Recusaram unanimemente e, cheios de bravura, saltaram no forno, onde foram imediatamente asfixiados.

    Fructuoso, bispo de Tarragona, na Espanha, e seus dois diáconos, Augúrio e Eulogio, foram queimados por serem cristãos.

    Alexandro, Malco e Prisco, três cristãos da Palestina, e uma mulher da mesma região, acusaram-se voluntariamente de serem cristãos, pelo que foram sentenciados a ser devorados por tigres, determinação que foi executada.

    Máxima, Donatila e Secunda, três jovens de Tuburga, receberam como bebida fel e vinagre, foram duramente flageladas, atormentadas sobre um patíbulo, sujas com cal, assadas sobre uma grelha de ferro, maltratadas por feras, e finalmente decapitadas.

    É oportuno observar a singular, porém mísera sorte do imperador Valeriano, que durante muito tempo, e tão duramente, perseguiu os cristãos. Este tirano foi feito prisioneiro, mediante um estratagema, por Sapor, imperador da Pérsia, que o levou ao seu próprio país e tratou-o ali com a mais inusitada indignidade, ao fazê-lo sempre ajoelhar-se como o mais humilde escravo e colocar sobre ele os pés, como se fora uma banqueta, quando montava em seu cavalo. Depois de tê-lo humilhado durante sete anos neste abjeto estado de escravidão, fez com que lhe tirassem os olhos, apesar de já possuir oitenta e três anos de idade. Ainda não saciados os seus desejos de vingança, ordenou que o esfolassem e esfregassem-lhe sal na carne viva. Sob tais torturas, morreu Valeriano, um dos mais tiranos imperadores de Roma e um dos maiores perseguidores dos cristãos.

    Em 260 d.C, assumiu Qallieno, filho de Valeriano, e durante seu reinado (exceto por alguns poucos mártires) a Igreja gozou paz.

    A Nona Perseguição sob Aureliano, em 274 d.C.
    Eis os dois mártires desta perseguição:

    Félix, bispo de Roma, que assumiu o cargo em 274 d.C, foi a primeira vítima da petulância de Aureliano, ao ser decapitado no dia vinte e dois de dezembro do mesmo ano.

    Agapito, um jovem cavalheiro que vendera suas possessões e dera o dinheiro aos pobres, foi preso como cristão, torturado, e logo decapitado em Praeneste, cidade que dista um dia de viagem de Roma.

    Foram eles os únicos mártires registrados durante este reinado, que tão cedo viu o seu fim, quando foi o imperador assassinado em Bizâncio por seus próprios criados.

    Aureliano foi sucedido por Tácito, que foi seguido por Probo, e este, por Caro. Quando este último foi morto por um raio, sucederam-no os seus filhos Carnio e Numeriano. Durante todos estes reinados a Igreja teve paz.

    Diocleciano ascendeu ao trono imperial em 284 d.C. No princípio, mostrou grande favor aos cristãos. No ano 286 d.C, fez sociedade com Maximiano. Alguns cristãos foram mortos antes que se desatasse uma perseguição geral. Dentre eles destacam-se os irmãos Feliciano e Primo.

    Marco e Marceliano eram gémeos, naturais de Roma e de nobre linhagem. Seus pais eram pagãos, porém os tutores responsáveis por sua educação criaram-nos como cristãos. Sua constância venceu os que desejavam vê-los convertidos ao paganismo; seus pais e toda a família converteram-se à fé que antes reprovavam. Foram martirizados ao serem atados a estacas, com os pés traspassados por cravos. Depois de permanecer nesta situação um dia e uma noite, foram transpassados com lanças, que lhes puseram fim aos sofrimentos.

    Zoe, a mulher do carcereiro que cuidou dos mártires acima mencionados, converteu-se através deles. Foi por isso pendurada numa árvore com um fogo de palha sob si. Seu corpo foi lançado a um rio, atado a uma pedra, para que afundasse.

    No ano 286 d.C, teve lugar um acontecimento dos mais notáveis registrados nos anais da Igreja. Uma legião de soldados, composta de seis mil seiscentos e sessenta seis homens, era totalmente constituída por cristãos. Era chamada Legião Tebana porque os homens haviam sido recrutados em Tebas. Estiveram alojados no Oriente até que o imperador Maximiano ordenou que se dirigissem às Qálias, a fim de o ajudarem contra os rebeldes de Borgonha. Passaram os Alpes, entraram nas Qálias, sob as ordens de Maurício, Cândido e Exupérnio, seus dignos comandantes, e finalmente reuniram-se ao imperador.

    Nesta ocasião, Maximiano ordenou um sacrifício geral, que deveria ser assistido por todo o exército. Também determinou um juramento de lealdade e de auxílio na extirpação dos cristãos das Qálias. Alarmados diante de tais ordens, cada um dos componentes da Legião Tebana recusou-se, por completo, a sacrificar e fazer os juramentos propostos. Extremamente enfurecido com a recusa, Maximiano ordenou que toda a legião fosse dizimada, isto é, que selecionassem um de cada dez homens, e os matassem à espada. Após a execução da ordem sanguinária, o restante permaneceu inflexível; por isso deu lugar à segunda dizimação: um de cada dez homens dos que ficaram vivos morreu de igual modo.

    Este segundo castigo não teve maiores efeitos que o primeiro; os soldados mantiveram-se firmes em sua decisão e em seus princípios. Porém, por conselho de seus oficiais, declararam fidelidade ao seu imperador. Poder-se-ia pensar que isso abrandaria o soberano, mas o efeito foi contrário. Encolerizado diante da perseverança e unanimidade dos soldados, determinou que toda a legião fosse morta. A ordem foi executada pelas outras tropas, que os despedaçaram com suas espadas em 22 de setembro de 286 d.C.

    Alban, que deu nome a St. Alban’s, em Hertfordshire, foi o primeiro mártir britânico. A Inglaterra havia recebido o Evangelho de Cristo através de Lúcio, o primeiro rei cristão; porém, não sofreu a ira da perseguição até muitos anos depois. Alban era originalmente pagão, mas foi convertido através de Anfíbalo, um evangelista, a quem deu refúgio por causa de sua religião. Os inimigos de Anfíbalo, ao inteirar-se do lugar onde estava escondido, chegaram à casa de Alban. A fim de facilitar a fuga do mensageiro de Deus, Alban apresentou-se como a pessoa a quem buscavam.

    Descoberto o engano, o governador ordenou que o açoitassem, e o sentenciou à decapitação no dia 22 de junho de 287 d.C. Assegura-nos o conceituado Beda que, nesta ocasião, o carrasco converteu-se subitamente ao cristianismo e pediu permissão para morrer por Alban ou com ele. Ao obter sua segunda petição, foram ambos decapitados por um soldado, que assumiu voluntariamente o papel de carrasco. Isto aconteceu no dia vinte e dois de junho de 287 d.C, em Verulam, agora St. Alban’s, em Hertfordshire, onde foi erigida uma magnífica igreja em sua memória, no tempo de Constantino, o Grande. Destruído nas guerras saxônicas, o nobre edifício gótico foi reconstruído por Offa, rei de Mércia, e junto a ele levantou-se um monastério, onde ainda é visível parte de suas ruínas.

    Fé, uma mulher cristã da Aquitania, França, foi assada sobre uma grade de ferro e depois decapitada em 287 d.C.

    Quintin era um cristão natural de Roma; porém, decidiu empreender a propagação do Evangelho nas Qálias com um tal Luciano, e pregaramjuntos em

    Amiens. Luciano dirigiu-se a Beaumaris, onde foi martirizado. Quintin permaneceu em Picardia e mostrou grande zelo em seu ministério. Preso como cristão, foi estirado com roldanas até que se lhe deslocassem os membros. Seu corpo foi dilacerado com açoites de arame farpado, e depois derramaram-lhe óleo fervente sobre a carne viva. Suas faces e axilas foram queimadas com tochas. Após tanta tortura, foi enviado de volta à masmorra, onde morreu no dia 31 de outubro de 287 d.C. Seu corpo foi lançado ao rio Somme.

    A Décima Perseguição sob Diocleciano, em 303 d.C.
    Sob os imperadores romanos, a chamada Era dos Mártires foi ocasionada, em parte, pelo aumento do número de cristãos e por suas crescentes riquezas, que suscitaram o ódio de Qalerio, filho adotivo de Diocleciano. Some-se a isto o estímulo de sua mãe, uma fanática pagã, que praticamente empurrou o imperador a iniciar esta perseguição.

    O dia fatal, assinalado para o início da sangrenta obra, era vinte e três de fevereiro de 303 d.C., data em que se celebraria a Terminalia, e que, como se jactavam os cruéis pagãos, poria fim ao cristianismo. Mo dia marcado, iniciou-se a perseguição em Nicomédia. Pela manhã, o prefeito da cidade chegou à igreja dos cristãos com um grande número de oficiais e, após arrebentarem as portas, tomaram todos os livros sagrados e lançaram-nos às chamas.

    Toda esta ação ocorreu na presença de Diocleciano e Qalerio que, não satisfeitos em queimar os livros, fizeram desmoronar a igreja, de modo que não ficasse dela nem o rastro. O gesto foi seguido de um severo edito que ordenava a destruição de todas as demais igrejas e todos os livros cristãos. Logo veio a ordem para banir os seguidores de Cristo de todas as possessões romanas.

    A publicação deste edito ocasionou um martírio imediato porque um atrevido cristão não só o arrancou do lugar onde estava posto, mas execrou o nome do imperador pela injustiça cometida. A provocação foi suficiente para atrair a vingança pagã sobre o tal cristão, que foi então preso, severamente torturado e, finalmente, queimado vivo.

    Todos os cristãos foram encarcerados. Qalerio ordenou secretamente que ateassem fogo ao palácio imperial para que os seguidores de Cristo fossem acusados de incendiários; assim teria uma razão plausível para, com a maior das severidades, levar a cabo a perseguição. Começou um sacrifício generalizado; houve vários martírios. Não se fazia distinção de idade ou sexo. O simples nome “cristão” era tão odioso aos pagãos que todos, imediatamente, caíram vitimados. Muitas casas foram incendiadas, e famílias cristãs inteiras pereceram nas chamas. Outros tiveram pedras penduradas ao pescoço e, atados juntos, foram lançados ao mar. A perseguição generalizou-se em todas as províncias romanas, principalmente no Leste. Pelo longo tempo que durou — dez anos — é impossível determinar o número de mártires e descrever as várias formas de martírio.

    Açoites, espadas, punhais, cruzes, veneno e fome foram empregados para matar os cristãos. Esgotou-se a imaginação no esforço de inventar torturas contra pessoas que não haviam cometido crime algum, a não ser pensar de maneira distinta dos seguidores da superstição.

    Uma cidade da Frigia, totalmente povoada por cristãos, foi queimada, e todos os moradores pereceram nas chamas.

    Cansados da carnificina, vários governantes de províncias apresentaram-se diante da corte imperial para mostrar a ilegalidade de tal conduta. Assim, muitos foram livres da execução, mas, ainda que não fossem mortos, tudo se fazia para que suas vidas se tornassem miseráveis. Muitos tiveram as orelhas e o nariz cortados, o olho direito arrancado, os membros inutilizados mediante terríveis deslocações, e as carnes queimadas com ferro em brasa.

    Lembremos agora, de maneira particular, das pessoas mais destacadas dentre aquelas que deram suas vidas nesta sangrenta perseguição.

    Sebastião, um célebre mártir nascido em Narbona, nas Qálias, e que chegou a ser oficial da guarda do imperador romano, permaneceu um verdadeiro cristão em meio à idolatria. Não se deixou seduzir pelos esplendores da corte, nem se levar pelos maus exemplos; tampouco se contaminou por esperanças de ascensão.

    Ao recusar-se a abraçar o paganismo, foi levado, por ordem do imperador, a um campo perto da cidade, chamado Campo de Marte, e ali o atacaram com flechas. Executada a sentença, alguns piedosos cristãos dirigiram-se ao local da execução a fim de sepultar o corpo. Foi então que perceberam nele sinais de vida. Levado imediatamente para um lugar seguro, em pouco tempo Sebastião recuperou-se, a fim de preparar-se para um segundo martírio. Pois, tão logo pôde sair, colocou-se intencionalmente no caminho do imperador, quando este subia a um templo pagão, e repreendeu-o pelas muitas crueldades e irracionais prejuízos contra o cristianismo.

    Ao recobrar-se do assombro, Diocleciano ordenou que Sebastião fosse preso e levado a um lugar perto do palácio, e que ali fosse golpeado até morrer.

    Para que os cristãos não conseguissem recuperar nem lhe sepultar o corpo, ordenou que fosse lançado ao esgoto. Todavia, Lucina, uma dama cristã, encontrou um modo de tirá-lo dali e de sepultá-lo nas catacumbas.

    Neste tempo, os cristãos, após sérias ponderações, concluíram ser ilegítimo portar armas sob as ordens de um imperador pagão. Maximiliano, o filho de Fábio Victor, foi o primeiro a ser decapitado por causa desta norma.

    Vito, siciliano de alta classe, foi educado como cristão e teve suas virtudes aumentadas com o passar dos anos. Em todas as suas aflições, susteve-o a sua constância; a sua fé foi superior aos maiores perigos. Seu pai, Hylas, que era pagão, ao descobrir que o filho fora instruído nos princípios do cristianismo pela ama que o criara, empregou todos os esforços para demovê-lo da fé. Desiludido, por nada conseguir, sacrificou o filho aos ídolos, no dia 14 de junho de 303 d.C.

    Victor era um cristão de boa família, em Marselha, na França. Passava grande parte da noite em visita aos aflitos e aos débeis, obra que não podia ser realizada durante o dia, por questão de segurança. Victor gastou sua fortuna na minoração das angústias dos cristãos pobres. Finalmente, teve sua prisão decretada pelo governador Maximiano, que ordenou fosse ele atado e arrastado pelas ruas. No cumprimento dessa ordem, Victor recebeu da enfurecida plebe todo tipo de crueldades e indignidades. Como continuasse inflexível, sua força foi interpretada como obstinação.

    Levantou então os olhos ao céu, orou a Deus que lhe desse paciência; depois, sofreu as torturas com a mais admirável firmeza. Os carrascos, cansados de atormentá-lo, levaram-no a uma masmorra. Nesta prisão, ganhou para Cristo os carcereiros Alexandro, Feliciano e Longino. Ao inteirar-se disso, o imperador ordenou que fossem imediatamente executados. Os policiais foram decapitados, e Victor novamente levado ao tronco. Depois de golpeado sem misericórdia, foi de novo lançado ao cárcere. Ao ser interrogado pela terceira vez acerca de sua religião, perseverou em seus princípios.

    Trouxeram então um pequeno altar, e ordenaram-lhe que oferecesse incenso sobre ele. Inflamado de indignação diante de tal ordem, precipitou-se valentemente e, com um chute, derrubou o altar e o ídolo. Maximiano achava-se presente, e ficou de tal modo enfurecido, que ordenou a amputação do pé que golpeara o altar. Pouco depois, Victor foi jogado em um moinho e destroçado. Isto se deu no ano 303 d.C.

    Quando Máximo era governador da Cilicia, na cidade de Tarso, fizeram comparecer diante dele três cristãos: Taraco, um ancião; Probo e Andrônico.

    Depois de repetidas torturas e exortações a que se retratassem, receberam finalmente a sentença de morte. Levaram-nos ao anfiteatro, soltaram sobre eles várias feras. Contudo, nenhum dos animais, ainda que famintos, os quis tocar. Então o domador soltou um grande urso, que naquele mesmo dia havia destruído três homens; tanto este voraz animal como uma feroz leoa recusaram atecax os presos. Ao perceber que era impossível destruí-los através das feras, Máximo ordenou sua morte pela espada, no dia 11 de outubro de 303 d.C.

    Romano, natural da Palestina, era diácono da igreja em Cesaréia, quando se iniciou a perseguição de Diocleciano. Condenado por sua fé, em Antioquia, foi flagelado e posto no tronco. Seu corpo foi rasgado com ganchos; sua carne, cortada com facas; seu rosto, marcado; seus dentes, quebrados com golpes; e seus cabelos, arrancados pela raiz. Pouco depois ordenaram que fosse estrangulado. Era dia o 17 de novembro de 303 d.C.

    Susana, sobrinha de Caio, bispo de Roma, foi induzida pelo imperador Diocleciano a se casar com um nobre pagão, parente próximo dele. Ao recusar a honra que lhe era proposta, foi decapitada.

    Doroteo, homem notável na casa de Diocleciano, era cristão, e muito se esforçou a fim de ganhar outros para Cristo. Em seus labores religiosos, foi ajudado por Qorgonio, outro cristão que também pertencia ao palácio. Ambos foram torturados e estrangulados.

    Pedro, um eunuco pertencente à cada do imperador, era um cristão de singular modéstia e humildade. Foi posto sobre uma grelha de ferro e assado em fogo lento, até expirar.

    Cipriano, o mago (assim chamado para ser distinguido de Cipriano, bispo de Cartago), era natural de Antioquia. Recebeu uma educação académica em sua juventude, e aplicou-se particularmente à astrologia. Depois, viajou para ampliar seus conhecimentos, e visitou vários países, entre eles Grécia, Egito, índia, etc. Com o passar do tempo, conheceu Justina, uma jovem dama de Antioquia, cuja linhagem, beleza e qualidades suscitavam a admiração geral. Um cavalheiro pagão pediu a Cipriano que o ajudasse a conquistar o amor de Justina. Porém, após ele empreender esta tarefa, foi convertido; queimou seus livros de astrologia e magia, recebeu o batismo, e sentiu-se animado pelo poderoso espírito da graça. A conversão de Cipriano exerceu grande efeito sobre o cavalheiro pagão, que logo abraçou o cristianismo. Durante as perseguições de Diocleciano, Cipriano e Justina foram aprisionados como cristãos. Ele foi dilacerado com tenazes; ela, açoitada. Após outros tormentos, foram decapitados.

    Eulália, dama espanhola de família cristã, fora notável em sua juventude, por seu gentil temperamento e grande sabedoria, raramente encontrados nos caprichosos anos juvenis. Após ser ela presa como cristã, o magistrado tentou, com os modos mais sutis, ganhá-la para o paganismo. Eulália ridicularizou as divindades pagãs com tal aspereza, que o juiz, enfurecido por sua conduta, ordenou que fosse torturada. Assim, seus flancos foram dilacerados com garfos, e seu tórax queimado, até que espirou nas chamas. Era dezembro de 303 d.C.

    No ano 304 d.C, quando a perseguição atingiu a Espanha, Daciano, governador de Tarragona, ordenou que Valério, o bispo, e Vicente, o diácono, fossem presos, atados com correntes e encarcerados. Como os prisioneiros se mantivessem firmes em sua resolução, Valério foi exilado, e Vicente, posto no tronco. Seus membros foram deslocados, e sua carne rasgada com garfos. Depois, foi posto sobre uma grelha, com fogo por baixo, e pontas para cima, que lhe atravessavam a carne. Estes tormentos não o destruíram nem fizeram com que mudasse de atitude; foi então levado de volta ao cárcere, confinado em uma pequena e imunda masmorra escura, repleta de pedras pontiagudas e de cacos de vidro, onde morreu em 22 de janeiro de 304 d.C. Seu corpo foi jogado a um rio.

    A perseguição de Diocleciano tomou feições mais duras em 304 d.C, quando muitos cristãos foram torturados de modo cruel, e mortos das maneiras mais penosas e ignominiosas. Citaremos dentre estes cristãos os mais eminentes.

    Saturnino, bispo de Albitina, cidade da África, foi, depois de torturado, enviado de novo ao cárcere, onde morreu de fome. Seus quatro filhos, após serem atormentados de várias maneiras, tiveram a mesma sorte.

    Dativas, um nobre senador romano; Telico, um piedoso cristão; Victoria, uma jovem dama de fina linhagem e grande fortuna, com alguns outros de classes sociais mais humildes, todos eles discípulos de Cristo, foram torturados de maneira similar, e pereceram de igual forma.

    Agrape, Quionia e Irene, três irmãs, foram encarceradas em Tessalônica, quando a perseguição de Diocleciano chegou à Grécia. Receberam nas chamas a coroa do martírio, em 25 de março de 304 d.C. O governador, ao perceber que não podia causar qualquer impressão a Irene, ordenou que a fizessem desfilar nua pelas ruas, e quando a vergonhosa ordem foi executada, acendeu um fogo junto à muralha da cidade. Nessas chamas, subiu ao Céu o espírito desta jovem cristã.

    Agato, homem piedoso, Cassice, Felipa e Eutiquia foram martirizados nessa mesma época. Os detalhes, porém, não nos foram transmitidos.

    Marcelino, bispo de Roma, que sucedeu a Caio naquela cidade, opôs-se intensamente às honras divinas dadas a Diocleciano. Por isso, sofreu o martírio mediante uma variedade de torturas, no ano 304 d.C. Até expirar, consolou sua alma com a perspectiva dos gloriosos galardões, que receberia pelos sofrimentos experimentados no corpo.

    Victorio, Carpoforio, Severo e Severiano eram irmãos, e os quatro ocupavam cargos de grande confiança e honra na cidade de Roma. Após eles

      • RENATO DE CARVALHO SAIBA QUE DENTRO DA BÍBLIA TEM O NOME DE TRÊS PAPAS

        E MAIS FILHO DE LUTERO EU TI DOU UMA LISTA DE MAIS DE 80 ESCRITORES ECLESIÁSTICO E DE HISTORIADORES E DE PADRES DA IGREJA E DOS CRONISTAS E DOS PADRES APOSTÓLICOS DOS TRÊS PRIMEIROS SÉCULOS DA ERA CRISTÃ EM QUE TODAS TESTIFICAM A IGREJA CATÓLICA COMO A IGREJA FUNDADA POR JESUS CRISTO SENDO SÃO PEDRO O PRIMEIRO BISPO

        EU TI PROVO NA ARQUEOLOGIA TI PROVO NA GEOLOGIA E NA GEOGRAFIA QUE A IGREJA CRISTÃ OU IGREJA PRIMITIVA É CATÓLICA

        SE VOCÊ QUISER FILHO DAS TREVAS EU TI DOU O SITE DE ARQUEOLOGIA QUE DESCOBRIRAM 8 IGREJAS CATÓLICAS DO PRIMEIRO SECULO

        VOCÊ RICARDO DE CARVALHO VEM POSTAR AQUI FALSOS DOCUMENTOS DE ISODORO

        TOMA VERGONHA NA SUA CARA

        OLHA NOS ESTADOS UNIDOS ERA 19 MILHÕES DE CATÓLICOS EM 20 ANOS ATRÁS E AGORA DEPOIS DE 20 ANOS POR CAUSA DA PATRÍSTICA OS CATÓLICOS JÁ PASSAM OS 70 MILHÕES DE CATÓLICO

        VAMOS DEBATER FILHO DAS TREVAS VOU AMAR TI DESMASCARAR MAS UMA VEZ

  15. A mentira católica de que Cristo colocou Pedro como Papa é lançada por terra aqui:
    A Igreja Católica mandando renegar Cristo na Patrística – Ana Paula Valadão falando sobre a Sagrada Tradição e a Patrística (www.youtube.com)A leitura é feita na Patrística

    • RENATO DE CARVALHO VEJA ISSO AQUI É PATRÍSTICA

      Tábua cronológica da história do cristianismo – segundo século

      105 – nasce Justino Mártir. Morre em 165.

      107 – 3ª perseguição dos cristãos, sob Trajano (98-117). Inácio de Antioquia martirizado em Roma. De acordo com Severo, depois que Trajano descobriu que os cristãos eram inocentes, ele proibiu as crueldades contra eles.

      Inácio acentuou o papel do bispo local como o enfoque de unidade. Ele afirmou que o bispo era o representante de Deus na Terra. Na época de Inácio, as igrejas da Ásia Menor eram governadas por bispos monárquicos, ajudados por presbíteros e diáconos. Em uma carta para os Efésios, Inácio escreveu, “Seja sujeito ao bispo e ao presbitério…pois mesmo Jesus Cristo, nossa Vida inseparável, é a vontade manifesta do Pai; como também os bispos, até aos confins da Terra, são assim pela vontade de Jesus Cristo”. Inácio é o primeiro escritor conhecido a aplicar o nome de católica à Igreja: “onde estiver o bispo, estejam também as pessoas: onde estiver Jesus Cristo, aí estará a Igreja católica”.(aos Esmirnenses)

      De várias cartas (escritas por volta de 107):

      Sobre a divindade de Cristo: ” …sendo unidos e escolhidos por Sua verdadeira paixão, de acordo com a vontade do Pai e Jesus Cristo nosso Deus.” (Efésios)
      “Há um corpo, carnal e espiritual, feito e não feito; Deus encarnado; verdadeira vida em morte; de Maria e de Deus; primeiro passível, então impassível; Jeus Cristo nosso Senhor”. ( Efésios)
      “O próprio Deus apareceu na forma de um homem, para a renovação da vida eterna.” (Efésios)

      Sobre a identidade do Filho e o Logos: “Deus se manifestou por Jesus Cristo, Seu Filho, que é Sua Palavra eterna.” (Magnésios)

      Sobre a Trindade: “Sejam sujeitos a seu bispo como Jesus Cristo ao Pai, segundo a carne,: [como] os apóstolos [eram sujeitos] a Cristo, o Pai e o Espírito Santo”. (Magnésios)

      Sobre o batismo: “Pois nosso Deus Jesus Cristo… nascido e batizado, por Sua paixão purificou a água, para o purificação dos pecados.” (Efésios)

      Eucaristia: “… obedecendo seu bispo e o presbitério de todo coração; partindo o mesmo pão que é o bálsamo da imortalidade; nosso antídoto contra a morte, mas que nos faz viver para sempre em Cristo Jesus… “ (Efésios)
      “Desejo o pão de Deus que é a carne de Jesus Cristo (da semente de Davi), e a bebida que desejo é o Seu sangue, que é o amor incorruptível. “ (Aos Romanos)
      “Pois há somente uma carne de nosso Senhor Jesus Cristo; e um cálice na unidade de seu sangue; um altar…” (aos Filadelfos)

      Domingo: “Pois se nós ainda continuamos vivendo de acordo com a lei judaica, devemos admitir que não tivemos obtido a graça…não mais guardamos o sábado, mas o dia do Senhor, no qual nossa vida se renonvou por Ele…” (aos Magnésios)

      Inácio foi martirizado sob a perseguição de Trajano em 107. Ele advertiu os cristãos influentes em Roma a não tentarem obter sua liberdade da prisão. Isto o privaria do sofrimento na união com o Senhor.

      Em sua História Eclesiástica (livro VI, capítulo 8), Sócrates disse que Inácio introduziu cânticos na igreja em Antioquia depois de ter visto uma visão de anjos “cantando hinos para a Santíssima Trindade”.

      Nós sabemos, pelo Martírio de Inácio, do segundo século, que as relíquias de Inácio foram reverenciadas já naquela época. Nele, lemos: “só ficaram as partes mais duras de seus santos restos, que foram levadas para Antioquia e embrulhadas em linho, como um tesouro inestimável deixado à santa Igreja pela graça que obteve no martírio.”

      Hegesipo (veja ano 170) disse que Simeão, filho de Cleófas, quanto teve 120 anos de idade, sofreu o martírio sob Trajano. Simeão, disse, era um filho do tio do Senhor, e tinha sido bispo depois de Tiago, o Justo.

      Hegesipo também registrou que nesta época os hereges tentaram corromper a Igreja, quando o último dos apóstolos morreu. Ele também listou muitos deste grupos: simonianos, cleobianos, doricianos, gorteanos, masboateianos, menandristas, marcianitas, carprocacianos, valentinianos, basilidianios e saturnalianos – que foram atacados pelos apologistas Irineu e Hipólito.

      110 – nasce Marcião, líder de uma seita herética. Morreu em 165. Marcião rejeitou o Deus do Velho Testamento, o criador deste mundo, e conseqüentemente rejeitou o Velho Testamento também. Ele acreditou que era impossível que Jesus, o redentor do gênero humano, tivesse nascido de uma mulher.

      Papias, bispo de Hierápolis na Frígia, viveu nesta era. Ele é a fonte da tradição que o evangelho de Marcos era baseado no testemunho de Pedro. Papias foi um quiliasta. Eusébio de Cesaréia era da opinião que Papias aprendeu o mileniarismo de um certo João, o presbítero. Segundo esta idéia, outros (até Irineu, v. ano 177) interpretaram mal Papias – dizendo que ele obteve esta opinião do apóstolo João, pensando que haveria um milênio literal.

      112 – Plínio, o Jovem (61/62 – 113), governador da Bitínia, escreveu uma carta ao imperador Trajano. Ele declarou que os cristãos “estão acostumados a se encontrarem em um dia antes da luz do dia, cantar hinos para Cristo como para Deus, e se ligarem por um sacramento de não cometerem maldade”.

      115 – Trajano sobrevive de um terremoto que devastou a Antioquia.

      116 – Adriano expulsa os judeus de Chipre depois de suprimir sua revolta na qual muitos habitantes gregos da ilha (240.000) foram massacrados.

      118 – 4ª perseguição dos cristãos, sob Adriano (117-138). De acordo com Severo, Adriano montou “imagens de demônios” no monte de templo e do Gólgota. Adriano também colocou guardas para impedir os judeus de se aproximarem de Jerusalém.

      122-7 – construção da muralha de Adriano.

      124 – a anônima Epístola para Diogneto, uma apologia do cristianismo escrito a um pagão, “meu senhor Diogneto”. O autor explica que a Palavra não é “algum servo de Deus”, ou “algum anjo ou príncipe”. De fato, a Palavra era Deus: “como Deus ele foi enviado, como homem para homens” que foi o “artífice e construtor” da Criação. O autor às vezes contrasta a “chama passageira” do martírio que os cristãos experimentam com o eterno tormento daqueles que não podem ver por causa da “maldade e erro deste mundo”.

      125 – o papiro 52 foi escrito neste ano. É o fragmento mais antigo do Novo Testamento existente. Contêm partes de Jo. 18:31-33 e 37-38.

      126 – Quadrato escreve uma apologia da fé cristã dirigida a Adriano (como Aristides fez na mesma época). Nesta obra, Quadrato menciona que alguns daqueles que foram curados por Jesus ainda estavam vivendo.

      127-42 Ptolomeu, astrônomo, geógrafo, e matemático de em Alexandria. Seu modelo geocêntrico ficou muito conhecido até 1542, quando Copérnico admitiu o sistema heliocêntrico. A circurferência da Terra por Ptolomeu era 30% menor que o valor atual.

      130 (132?) – O imperador Adriano reconstrói Jerusalém, chamando-a de Aelia Capitolina (depois Aelius Adriano). Ali, ele ergueu um templo para Júpiter. Ele também taxou um imposto aos judeus para pagar a manutenção do templo Júpiter Capitolino.

      130 – um certo Áquila produziu uma nova tradução grega, muito literal doVelho Testamento. Áquila foi discípulo do rabino Akiba e um prosélito do judaísmo. O propósito de sua tradução era suplantar a Septuaginta. (Incidentemente, o rabino Akiba apoiou Bar-Kocheba, crendo que ele cumpriu as profecias messiânicas.)

      130 – a Epístola de Barnabé foi escrita entre a queda de Jerusalém (70) e esta data. Só se conhece uma versão latina da história e o texto grego completo foi descoberto em 1859 com a descoberta do Códice Sinaiticus. A epístola explica eventos e práticas do Velho Testamento de uma maneira alegórica e os aplica para Cristo e a Igreja. Barnabé identifica aquele que se encarnou para nossa salvação com o que Deus disse: “façamos o homem a nossa imagem”.

      135 – outra rebelião judaica começou, esta aqui conduzida por Bar-Kocheba. De acordo com Justino, “Nesta guerra judaica, Bar-Kocheba… ordenou que só os cristãos deveriam ser sujeitados a tormentos terríveis, a menos que renunciassem e blasfemassem Jesus Cristo.”

      136 – segunda conquista e destruição de Jerusalém pelos romanos. Mais de 500.000 mortos à espada. O imperador Adriano proibiu os judeus de voltarem à Jerusalém, e eles se dispersaram pela Terra.

      Neste ano o filósofo alexandrino Valentino, um cristão batizado, mas pensador agnóstico, vai a Roma. Ele deixou a comunidade cristã em 140, quando outro foi escolhido bispo de Roma. Deixando Roma em 160, Valentino continuou praticando sua filosofia religiosa, escrevendo O Evangelho da Verdade. Suas idéias, como outras idéias gnósticas, afirmavam um dualismo fundamental entre o bem e mal e a salvação pela gnose. Ele foi refutado por Irineu e Hipólito.

      Basilides foi outro filósofo agnóstico de Alexandria. A escola que ele fundou, conhecida como os basilidianos, ainda existia na Alexandria no séc. IV. Os basilidianos são talvez os primeiros a celebrar o batismo de Jesus em 6 de janeiro (ou 10 de janeiro), praticando uma vigília noturna. Basilides usava o termo “Abraxas” (que pensava ter um significado mágico) para Deus.

      Outro grupo gnóstico viu o Simão Mago (At. 8.9-24) como o verdadeiro Deus ou Pai. Deus tinha gerado o primeiro pensamento (Ennoia) para criar os anjos que, por sua vez, criaram o Universo. Por ciúme, os anjos prenderam Ennoia em carne humana, e ela foi condenada a transmigrar a de um corpo a outro. Para livrá-la, Deus entrou na Criação na forma de Simão, e ele deu a salvação à humanidade em troca de reconhecê-lo ser deus.

      O mitraísmo ficou bem popular no Império Romano, particularmente entre os soldados. Em 307, Diocleciano dedicou um templo a Mitra em Carnuntum, no Danúbio. Mitra era um deus do Sol, e sua fé dele enfatizava a lealdade ao Imperador. Depois que os imperadores se tornaram cristãos, o mistraísmo decaiu. Mitra tinha sido o maior deus persa antes do zoroastrismo. Os santuários dele eram em cavernas. Só homens assistiam as cerimônias desta fé, e não havia, aparentemente, nenhuma hierarquia religiosa.

      140 – Justino Mártir escreveu sua Apologia ao Imperador Antonius Pius (138-61). Ele deu uma descrição do culto de domingo:

      “No dia chamado Festa do Sol, todos os que vivem nas cidades ou no país se ajuntam em um lugar, e são lidas as memórias dos Apóstolos ou as escritas dos Profetas conforme o tempo. Então, quando o leitor termina, o Presidente instrui e encoraja que as pessoas pratiquem as verdades contidas nas lições das Escrituras. Depois, todos nós nos levantamos e fazemos orações…”

      “Depois que as orações terminam, nós nos saudamos um ao outro com um beijo. Depois, trazem pão e um cálice de vinho misturado com água ao celebrante. Ele os toma e oferece louvor e glória ao Pai de todos pelo Nome do Filho e o Espírito Santo, dando graças por termos sido merecedores de receber estes dons de Deus; e quando ele termina as orações e as ações de graças todos os presentes dizem alto: Amém. Amém na língua dos hebreus significa: assim seja.”

      “Depois que o celebrante dá graças e todas as pessoas dizem Amém, aqueles entre nós chamados diáconos dão a todos os presentes o pão e o vinho misturado com água, sobre os quais os presentes dão graças e também os levam para aqueles que estão ausentes. E esta refeição é chamada de Eucaristia por nós, da qual não pode participar quem não crê no que dissemos ou não é lavado pela água do perdão dos pecados, tendo suas vidas dirigidas por Cristo.”

      Justino rejeitou a mitologia pagã, mas respeitou a filosofia grega. Ele acreditava no livre-arbítrio, sendo crítico da doutrina gnóstica que a predestinação era independente da moralidade. Ele também acreditou que a realização das profecias do Antigo Testamento
      eram uma forte prova que Jesus era o Messias, rejeitando a negativa idéia que Marcião tinha das Escrituras judaicas. Justino acreditava em um reino literal de mil anos de Cristo na Terra e aceitava o canonicidade e interpretação literal do Apocalipse.

      Justino viu o batismo como um banho de arrependimento e conhecimento de Deus pelo qual o Espírito é dado, uma substituição para a circuncisão, e a entrada para a remissão dos pecados. A Eucaristia é o novo sacrifício predito por Malaquias. Ele interpretou as palavras “façam” como “ofereçam”. Ele ligou a Eucaristia com a paixão de Cristo e acreditava na Real Presença: “Nós não recebemos estes alimentos como pão ou vinho comum. Mas como nosso Salvador Jesus Cristo foi feito carne pela Palavra de Deus e foi feito carne e sangue para nossa salvação, também aprendemos que a comida que foi eucaristizada por Sua oração (aquela comida que por processo de assimilação nutre nossa carne e sangue) é a carne e sangue do Jesus encarnado.”

      Justino considerou a Septuaginta como o único texto fidedigno do Velho Testamento. Ele viu Maria como a antítese de Eva. Nossa queda veio por uma virgem desobediente, mas nossa salvação por uma obediente.

      140 – Aristo de Pella escreveu sua Disputação de Papisco e Jasão, um diálogo entre um judeu e um cristão sobre a verdade da fé. Esta obra só nos é conhecida hoje por referências a ela.

      155 – Policarpo, bispo de Esmirna, visita Roma e vê que os romanos não celebravam a Páscoa como no oriente (veja ano 190). Isto foi quando Aniceto era o bispo de Roma.

      157 – Policarpo queimado na estaca em Esmirna. Um ano depois, o aniversário do martírio de Policarpo era celebrado. Assim começou o primeiro “dia de santo”.

      157 – Montano, líder de uma seita herética, nasce. Ele era um frígio. Junto com duas mulheres, Prisca e Maximilla, entrou em estados extáticos e falava como que movido pelo Espírito Santo. Eles eram quiliastas e acreditavam que a Nova Jerusalém aterrissaria na
      Frígia. Eles ensinaram que discordar de suas falas era uma blasfêmia contra o Espírito.

      160 – por este ano, o sepulcro de Pedro estava marcado por um santuário.

      A celebração anual da Páscoa pode ter começado em Roma neste ano (veja 190). Na Ásia já tinha sido celebrada muito antes.

      Tertuliano nasce. Morre em 230.

      Cláudio Apolinário, bispo de de Hierápolis (160-180). Apolinário relata que um exército do Imperador Antoninus (Marco Aurélio) (161-180) foi atacado por uma forte tempestade pelas orações dos cristãos.Apolinário disse que o Senhor foi crucificado na Páscoa, em 14 de Nisã, não num dia depois. A Última Ceia, ele disse, aconteceu antes da Páscoa, como menciona João (Jo. 13.1).

      Durante o reinado de Marco Aurélio, um certo Alexandre Paflagoniano fez um misterioso espetáculo envolvendo uma serpente sagrada chamada Glycon.

      165 – morte de Justino Mártir.

      Taciano. Pouco antes da morte de Justino, um nativo da Mesopotâmia (chamado de assírio), Taciano, converteu-se ao Cristianismo depois de estudar filosofia. Sua conversão pode ter acontecido em Roma onde ele conheceu Justino. Taciano fez uma obra chamada Harmonia dos Evangelhos, conhecida comoDiatessaron e uma Apologia aos Gregos. Depois da morte de Justino, Taciano se simpatizou com uma seita gnóstica ascética conhecida como Encratitas, ou os “auto-controlados”, que tinha surgido no ano 166. Taciano mudou-se para Antioquia e atraiu discípulos para esta heresia até a morte em 172.

      167 – de acordo com o Venerável Beda, o bispo de Roma, Eleutério, recebeu um pedido de batismo de um rei britânico neste ano.

      168 – Teófilo (morreu em 181 ou 188) se tornou bispo de Antioquia. Realizou várias obras de comentários nos evangelhos e no livro de Provérbios, mas sua única obra sobrevivente é apologética, dirigido ao amigo pagão Autólico.

      170 – Melito de Sardes (morreu em 177, sob a perseguição de Aurélio) viajou a Palestina onde obteve uma lista de livros do velho Testamento hebraico com exceção de Ester.

      Melito acreditava na divindade de Cristo. Ele escreveu, “…nosso Senhor Jesus Cristo… é razão perfeita, a Palavra de Deus; Ele que foi procriado antes da Luz; Ele é o criador junto com o Pai; Ele é o Criador do homem; Ele é tudo em todos; …no Pai, o Filho; em Deus, Deus”.

      “Não há necessidade, para pessoas inteligentes, tentar provar, das ações de Cristo subseqüente ao batismo, que Sua alma e corpo, Sua natureza humana como a nossa, eram reais, e nenhum fantasma da imaginação. Pois as ações feitas por Cristo depois do batismo, e especialmente os milagres, deram indicação e garantia para o mundo de Sua divindade oculta na carne. Pois sendo perfeito Deus e perfeito homem, deu-nos mostra dessas duas naturezas: de Sua divindade, pelos milagres durante os três anos que decorreram depois do batismo; de Sua humanidade, durante os trinta períodos semelhantes que precederam o batismo no qual, por causa de Sua baixa obrigação com a carne, escondeu os sinais de Sua divindade, embora fosse o verdadeiro Deus que existe antes de todos os tempos.”

      Melito derivou a palavra Pascha do grego paschein, sofrer. Em seu Peri Pascha, que data de cerca de 165, ele escreveu, “Ele veio na Terra, do céu, por sofrimento humano, ficando encarnado no útero de uma virgem do qual ele se tornou homem; ele assumiu os sofrimentos do homem num corpo capaz de sofrimento, e pôs um fim para os sofrimentos da carne, e por Seu espírito incapaz da morte ele se tornou a morte da morte do homem… Este é quem na virgem se encarnou, na cruz foi suspenso, na Terra foi enterrado, do morto foi ressuscitado, para as alturas do céu foi elevado.”

      170 – Hegesipo nasce nestá época. Ele foi um antigo cronista da História da Igreja.

      170 – Dionísio de Corinto escreve, “era o costume dos romanos…desde o princípio… ajudar toda a comunidade por vários meios e enviar contribuições para as igrejas em toda cidade, aliviando os necessitados.” Dionísio mencionou o martírio de Pedro e Paulo em Roma.

      ~175 – na segunda metade do segundo século, foi escrita a Epistula Apostolorum. A obra descreve Jesus ordenando a Seus seguidores que observassem o Pascha “até que eu volte do Pai com minhas feridas”. O Pascha parece ter sido observado em 14/15 Nisã.

      177 – 5ª perseguição da Igreja, sob o Imperador Marco Aurélio (161-180). Nesta época, os hereges gnósticos perturbaram as igrejas do vale de Rona. Estas igrejas eram gregas e tinham grandes ligações com as igrejas da Ásia Menor. Irineu de Lyon atacou muito desses hereges em suas obras.

      177 – Irineu, discípulo de Policarpo, é eleito bispo de Lyon (nasceu em 130). Morreu em 200. Acreditou que o plano da Nova Aliança é a “recapitulação” da Criação original: pelo pecado de Adão, perdeu-se a semelhança com Deus, mas ficou a imagem. Pela fé em Cristo, o homem pode recuperar a semelhança perdida. Para ele, a história da salvação é um progressivo ensino apresentado por Deus ao homem no Evangelho. Irineu, como Justino Mártir, acreditava que Cristo reinará na Terra durante mil anos, e protestava veementemente contra as tentativas de alegorizar os textos milenaristas. Irineu criticou a doutrina gnóstica com o ensino da Sucessão Apostólica – se a gnose fosse verdadeira, os apóstolos teriam ensinado isto aos seuss sucessores. Os apóstolos, ele dizia, ensinara, a Regra de Fé (bem parecida com nossos Credos Apostólicos).

      Irineu escreveu, “A tradição dos Apóstolos é manifesta no mundo inteiro; e nós podemos reconhecer aqueles que foram, pelos apóstolos, ordenados bispos nas igrejas, e ver sua sucessão até nossa época. Se os apóstolos tivessem ensinado mistérios ocultos, eles os teriam passado aos outros, especialmente para aqueles de suas próprias igrejas. Porque eles queriam que esses homens fossem muito perfeitos e inocentes em todas as coisas, pois os estavam sucedendo, dando seu próprio governo a estes homens.”

      Irineu viu o batismo como o selo de vida eterna e do novo nascimento a Deus, pelo qual o Espírito Santo é dado. Ele escreveu, “… ele veio para salvar todas as pessoas; todos, eu quero dizer, são os regenerados por Ele a Deus: crianças, jovens e velhos” (já que por crianças ele quer dizer os nascidos de novo, parece ser uma referência ao batismo infantil). Para Irineu, a Eucaristia era a “nova oblação da Nova Aliança” oferecida por Deus ao mundo. Irineu não ligou a Eucaristia com a paixão de Cristo, como Justino fez, mas a via mais como uma oferta das primícias. Mas Irineu identificou o pão e o vinho com o corpo e o sangue de Jesus.

      Irineu acreditava que Maria não teve pecados. Também relata uma das mais antigas fontes da igreja comemorar o Pentecostes.

      Com respeito à divindade de Cristo, escreveu Irineu, “Os livros sagrados reconhecem com respeito a Cristo que como Ele é o Filho do homem, assim não é o mesmo Ser um [mero] homem; e como Ele é carne, assim é Ele também espírito, e a Palavra de Deus, e Deus.”

      “Mas já que seria muito longo enumerar em um volume como este as sucessões de todas as Igrejas, nós confundiremos todos esses que, de qualquer maneira, se por presunção ou vanglória, ou por cegueira e má opinião, ajuntam outros do que é normal, mostrando aqui as sucessões dos bispos da maior e mais antiga Igreja conhecida, fundada e organizada em Roma pelos dois grandes apóstolos, Pedro e Paulo, que Igreja tem a tradição e a fé que vem a nós vinda dos apóstolos. Pois é com esta Igreja, por causa de sua origem superior, é que todas as Igrejas têm que concordar, quer dizer, todo o crente no mundo inteiro; e é nela que o crente tem a tradição Apostólica em todos lugares.” (Contra as Heresias 3,3,2) .
      A última linha nesta passagem também pode ser traduzida, “Pois para esta Igreja, por causa de seu principado mais poderoso, é necessário que toda Igreja concorde; nesta Igreja sempre foi preservada a tradição dos apóstolos”. Isto expressa a idéia que a Igreja de Roma é unida em todos os lugares.

      Ele declara que Pedro tinha estado em Roma, e que Lino foi lá o primeiro bispo, ordenado por Pedro e Paulo.

      Irineu mencionou um grupo de gnósticos que honravam imagens e dá a impressão que o uso de imagens era relativamente desconhecido na Igreja em sua época. Ele afirmou que o charismata ainda eram ativo em sua época e notou que os demônios eram expulsos, o futuro predito, e havia muitas ressurreições de mortos. Refutando um uma das interpretações gnósticas das Escrituras, Irineu relata a Tradição que recebeu dos discípulos de João (e outros apóstolos) para o efeito que Jesus tinha quase cinqüenta anos quando ele foi crucificado.

      179 – conversão de Bardesanes (154-222) ao cristianismo. Infelizmente, ele foi influenciado pelos gnósticos e negou a Criação imediata por Deus do Universo e Satanás, apresentando assim uma série de seres intermediários. Bardesanes se tornou uma importante figura do gnosticismo sírio.

      O mandaeanismo se originou em alguma época durante os primeiros três séculos no oriente médio. Nesta religião, a salvação é conseguida pela própria pessoa, por conhecimentos esotéricos. Neste sistema, existem seres espirituais (Arcões) entre a alma e Deus. Nestes pontos, o mandaeanismo é semelhante ao gnosticismo. Ao contrário de muitos sistemas gnósticos, porém, eles proibiam a promiscuidade sexual e encorajavam o matrimônio. Os mandaeanos consideram Jesus um falso messias, mas tinham grande respeito por João Batista.

      180 – antes desta época, o Cristianismo estava estabelecido na África do Norte, como testemunhado em latim pelos Atos dos Mártires de Scillium, escritos por volta de 180.

      Rodon, sobre quem pouco é conhecido, escreveu obras contra os catafrígios e os Marcionitas.

      Teófilo, bispo de Cesaréia, atestou que as igrejas na Palestina e Alexandria observaram a Páscoa em um domingo – diferentes das igrejas na Ásia Menos (veja 190 abaixo).

      185 – Tertuliano (160-230) converte-se ao cristianismo. Se tornou montanista em ~200. Ele foi o primeiro teólogo cristão a escrever em latim. Em contraste com Irineu e Clemente de Alexandria, Tertuliano dizia que o útero de Maria foi aberto ao nascimento de Cristo e acreditava que isto estava profetizado em Ex. 13:2. Dizia que Maria teve relações sexuais normais com o José e que Jesus teve irmãos.

      Tertuliano acreditava que o 2º Mandamento contra imagens fundamental aos cristãos. Ele afirmava que algumas imagens eram inocentes e não ídolos – como a serpente de bronze que era o símbolo da cruz(Em Idolatria).

      Em uma carta escrita entre 200 e 206, Tertuliano falou contra o batismo infantil. Dizia que ele não era de origem apostólica. Ele dizia que não havia perdão dos pecados cometidos depois do batismo. Dizia que os solteiros deveriam ficar sem o batismo até se casarem; que deveriam ficar sem o batismo até a velhice; as viúvas e viúvos deveriam esperar até que se casassem de novo ou ficarem em continência.

      Do artigo batismo, da Enciclopédia Católica diz: “A imersão é sem dúvida muito antiga na Igreja e aparentemente de origem apostólica. É mencionada por Tertuliano (De cor. milit., iii), S. Jerônimo (Dial. Contra Luc., xxvii) e muitos outros escritores antigos”.

      Tertuliano acreditava no milênio literal que duraria 1000 anos literais, localizado na Nova Jerusalém que desceria do céu.

      Ele usou a frase “Vigário de Cristo”, mas a referência é ao Espírito Santo (Prescrição Contra os Hereges, Capítulo 28). Em referência a Mt.16, Tertuliano escreveu (op. cit., Capítulo 22), “Havia algo escondido do conhecimento de Pedro,chamado de ‘pedra na qual a Igreja deveria ser construída’, que tinha ‘as chaves do reino do céu’ e o poder de‘ligar e desligar o que há na Terra’? Havia qualquer coisa escondida de João, o discípulo mais amado doSenhor, que se apoiou em Seu peito e só a quem o Senhor revelou o traidor e também lhe recomendou os cuidados de Maria?” Veja que Tertuliano não fez nenhuma distinção entre Pedro e João em grau de conhecimento. Também não afirmou a supremacia de Pedro.

      Tertuliano ensinou que o Filho derivava a substância do Pai e que o Espírito procedia do Pai pelo Filho. Em uma obra contra um certo Praxeas, ensinou que o Pai, Filho e Espírito eram uma pessoa, descrevendo a Trindade como sendo “suscetível denúmero sem divisão”. Na mesma obra, Tertuliano dizia que o bispo de Roma (Victor) inicialmente “reconheceu osdons proféticos de Montano, Prisca e Maximilla” mas foi persuadido por Praxeas para seguir o exemplo do bispo anterior. Praxeas renunciou o patripassionismo, mas ele depois voltou a este erro.

      Em Prescrição Contra os Hereges, Tertuliano advertiu contra discutir Escritura com os hereges, porque eles nunca serão convencidos. O guia para a verdadeira interpretação, e a doutrina verdadeira, seria visto na transmissão da tradição apostólica pela Igreja.

      Em uma obra às vezes atribuída a Tertuliano, o autor identificou 25 de março como a data da crucificação de Jesus, declarando, de acordo com a cronologia de João, que a data também era 14 de Nisã.

      185 – Máximo, bispo de Jerusalém (185-196). Ele escreveu uma obra sobre a origem do mal.

      189 – Victor se torna bispo de Roma. Morreu em 199. Durante a posse de Victor, a controvérsia monarquista surgiu como uma revolta contra a teologia do Logos de Justino Mártir. Justino tinha ensinado que o Logos era “outro Deus”, significando “outro em número, não em objetivo”. Os cristãos tinham discutido contra os gnósticos que havia um único primeiro princípio, o criador Deus, um único monarca, mas a teologia do Logos prejudicou este argumento. Para evitar o diteísmo incipiente de Justino, Sabélio propagou a doutrina que o Pai e o Filho são um e o mesmo e a diferença está só no nome. A doutrina de Sabélio é às vezes chamada de modalismo, porque o Pai, Filho e Espírito são modos do mesmo ser. No Ocidente, foi chamada patripassionismo, que significa que o Pai sofreu os sacrifícios da cruz.

      190 – Victor exigiu conformidade das igrejas do Oriente sobre a data da Páscoa. Ele dizia que seu método para estabelecer a data para a Páscoa foi estabelecida por Pedro e Paulo. As igrejas da Ásia Menor consideraram isto autocrático e tomaram como ofensa. Polícrates (130-196), bispo de Éfeso, escreveu a Victor defendendo sua prática Pascal, citando o exemplo do evangelista Filipe, o apóstolo João, o bispo Policarpo e outros. Ele disse: “eu, portanto, irmãos, que vivi sessenta e cinco anos no Senhor e
      me encontrei com irmãos no mundo inteiro, e tenho praticado toda a Santa Escritura, não estou com medo de tais palavras. Paraesses maior que eu disse, ‘devemos obedecer Deus em vez do homem’”.

      Irineu de Lyon também escreveu a Victor: “E esses presbíteros que governaram a Igreja antes de Sotério, sobre os quais governas agora, eu quero dizer Aniceto [(155-66)] Pio [(140-55)], Higino [(136-40)] e Teléforo [(125-36)] e Xisto [(115-25)],nenhum deles observaram, nem permitiram que seus sucessores observassem…em nenhum momento eles lançaram qualquer coisa por causada forma. Mas esses mesmos presbíteros antes de vós que não observaram tal prática, praticavam a Eucaristia às Igrejas que não observavam. Equando o santo Policarpo foi para Roma, no tempo de Aniceto, tinham pouca diferença entre eles a respeito de vários assuntos. Igualmente, eles concordavam em tudo e não havia discussões. Pois nem
      Aniceto pôde persuadir Policarpo a não observar isto, porque ele sempre tinha praticado isto com João, o discípulo de nossoSenhor… e Policarpo nem persuadiu Aniceto para observar, que disse que ele ele praticava assim por causa dos presbíteros antes dele”.

      A distinção entre as igrejas que ‘observavam isto’ das que não observavam talvez pode se referir à prática de observar a Páscoa em um domingo: as igrejas na Ásia Menor observavam o dia 14 de Nisã como Páscoa, sem ter em conta em que dia da semana caia. A discordância está no significado preciso da palavra “observar”, de Irineu. Em uma interpretação dos eventos (proposto por Karl Holl em 1927), a Páscoa não foi observada sob qualquer forma ou em qualquer data em Roma no tempo de Aniceto (aproximadamente 155), mas foi introduzida em 165 quando Sotério foi bispo.

      190 – aproximadamente nesta época, Clemente de Alexandria presidiu a escola catequética de Alexandria e serviu lá até 203. Nasceu em 150. Morreu em 215. Clemente era um teólogo leigo. O princípio central de sua teologia dele era a doutrina da Criação. Já que a Criação era boa, Deus implantou as sementes da verdade em todas as criaturas. Portanto, havia muito para aprender dos filósofos gregos. Sua Stromata descreve os atributos dos gnósticos cristãos. Ele dizia que o casamento não é um estado espiritual inferior ao celibato, e rejeitou a idéia que todos os cristãos eram abstinentes ou vegetarianos. Em sua idéia, a Igreja é uma escola onde o pecador pode ser restaurado. Clemente viu a vida espiritual como um processo de educação sem fim que não termina com morte, e tudo precisaria ser purificado antes de entrar na presença de Deus. Clemente rejeitou as interpretações milenárias de Irineu e Justino. (De acordo com O Ano Cristão, de Gwynne, Clemente mencionou que o aniversário de Cristo era observado em sua época. Talvez fosse em 6 de janeiro, diferente do 25 de dezembro, cuja observância começou em Roma no quarto século.)

      192 – em uma obra por volta deste ano, Tertuliano mencionou a observância da vigília da Páscoa.

      198 – Zeferino se torna bispo de Roma. Morreu em 217. A controvérsia monarquista continuou.Hipólito se opôs a Sabélio com a doutrina que o Pai e o Filho são duas pessoas distintas. Calisto, um escravo livre e arquideão da igreja, tinha sido exilado para as minas de Sardenha entre 188 e 193. O imperador Cômodo (m.
      193), ao pedido de sua concubina cristã, Márcia, ordenou uma libertação geral de todos os cristãos exilados em Sardenha. Assim, Calisto retornou. (Nesses dias, a Igreja considerava o matrimônio concubinato contanto que a concubina cristã agisse como se fosse.) Talvez a pedido de Calisto, Zeferino tentou aproximar os monarquistas e os defensores da teologia do Logos. Ele disse: “eu conheço um Deus,Cristo Jesus, e a Seu lado não conheço nenhum outro que foi procriado e passível” e “o Pai não morreu mas sim o Filho”.

      Diz-se que Hipólito é o último teólogo romano a escrever em grego. A transformação do Ocidente do grego ao latim foi completada na época de Constantino. (Mas veja abaixo, ano 366.)

      Em sua Tradição Apostólica, escrita entre 215 e 217, nós lemos, “E primeiro batizai os pequenos; e se eles puderem falar, eles farão assim; se não, seus pais ou outros parentes falarão por eles. Então batizai os homens, e a última detodas as mulheres; elas têm que soltar os cabelos primeiro e colocar de lado qualquer enfeite de ouro ou ornamentos de prata quelevem: não deixe ninguém levar qualquer coisa estranha até a água com eles”. Isto indica a prática do batismo infantil em Roma, que talvez fosse por imersão.

      Hipólito também relatou a preparação dos candidatos ao batismo antes da Páscoa. Estas preparações foram a raiz da Quaresma. O batismo praticava-se imergindo a pessoa três vezes na água: uma imersão para o Pai, o Filho, e o Espírito Santo, seguindo uma confissão de cada um. A Confirmação era dada pelo bispo impondo as mãos na pessoa (enquanto ele invocava o Espírito Santo a encher os batizados) e a aplicação de óleo (crisma).

      A Tradição Apostólica mostra a influência de oração judaica no culto cristão. Talvez foi escrita para combater a fraca atenção de Zeferino a cerimônia tradicional. Hipólito comenta que seu arquiinimigo mortal Calisto e seus seguidores, pelo menos, praticavam à tradição apostólica.

      Que a Eucaristia não era entendido como mero simbolismo é vista em sua ordem para mantê-la longe dos animais e não-batizados. “Pois é o corpo de Cristo é para ser comido pelos que crêem e não pelos despreparados”.

      A Tradição Apostólica também contém referências para o sinal da cruz: “façais sempre com reverência o sinal em suas frontes. Pois o sinal da paixão age e se manifesta contra o diabo se fizeres com fé”. E declara que o bispo era “escolhido por todas as pessoas”.

      Hipólito defendeu o milenarismo. Em face à crescente reação contra esta doutrina em Roma, conduzida pelo padre Caio, Hipólito explicou que os mil anos de Ap. 20.2-5 não eram literais, mas eram símbolos do esplendor do reino.

      Em um comentário em Daniel, Hipólito disse que Jesus nasceu em uma quarta-feira, 25 de dezembro, no ano 42 do ImperadorAugusto (2 a.C.?). Ele identificou 25 de março como a data da crucificação de Cristo e acreditava que isto ocorreu em 14 de Nisã, segundo a cronologia de João.

      Hipólito também é o primeiro autor a declarar que Pedro tinha sido bispo de Roma. Seu Cronicon perdido é citado a este efeito por Eusébio.

      200 – Serapião (morreu ~211), oitavo bispo de Antioquia, escreveu que o Evangelho de Pedro deveria ser rejeitado nas terras que não tinham sido “passadas por nós”.

      200? – papiro 66: 2º de Bodmer, João, 1956, textos alexandrinos/ocidentais: Jo. 1:1-6:11, 6:35-14:26, 29-30; 15:2-26; 16:2-4, 6-7; 16:10-20:20, 22-23; 20:25-21:9 P46: 2º Chester Beatty, texto-tipo alexandrino: Rm. 5:17-6:3; 6:5-14; 8:15-25; 8:27-35; 8:37-9:32; 10:1-11:22; 11:24-33; 11:35-15:9; 15:11-16:27; 1Co. 1:1-9:2; 9:4-14:14; 14:16-15:15; 15:17-16:22; 2Co. 1:1-11:10; 11:12-21; 11:23-13:13; Gl. 1:1-8; 1:10-2:9; 2:12-21; 3:2-29; 4:2-18; 4:20-5:17; 5:20-6:8; 6:10-18; Ef. 1:1-2:7; 2:10-5:6; 5:8-6:6; 6:8-18; 6:20-24; Fl. 1:1; 1:5-15; 1:17-28; 1:30-2:12; 2:14-27; 2:29-3:8; 3:10-21; 4:2-12; 4:14-23; Cl. 1:1-2; 1:5-13; 1:16-24; 1:27-2:19; 2:23-3:11; 3:13-24; 4:3-12; 4:16-18; 1Te. 1:1; 1:9-2:3; 5:5-9; 5:23-28. Hb. 1:1-9:16; 9:18-10:20; 10:22-30; 10:32-13:25. P46 é notório pelos erros do copista. P32: Biblioteca J. Rylands: Tt. 1:11-15; 2:3-8 P64 (+67): Mt. 3:9,15; 5:20-22; 5:25-28; 26:7-8, 10, 14-15, 22-23, 31-33, P90: Jo. 18:36-19:1; 19:2-7 P98: Ap. 1:13-20

      Talve a liturgia foi traduzida ao siríaco e cóptico nesta época. Em contraste com o Ocidente, a prática Oriental foi sempre administrar o serviço da Igreja no vernáculo.

      • PATRÍSTICA: Justino considerou a Septuaginta como o único texto fidedigno do Velho Testamento. Ele viu Maria como a antítese de Eva. Nossa queda veio por uma virgem desobediente, mas nossa salvação por uma obediente.

        VEJA SÓ NO QUE VOCÊ ACREDITA. VOCÊ ACREDITA QUE MARIA É A SALVAÇÃO PORQUE JUSTINO AFIRMA ISSO, CONTRARIANDO O QUE DISSE O PRÓPRIO SALVADOR: “EU SOU O CAMINHO A VERDADE E A VIDA, E NINGUÉM VEM AO PAI A NÃO SER POR MIM.”

        VOCÊ ACHA QUE EU DEVO ACREDITAR EM QUEM? JESUS OU JUSTINO?

        QUEM VOCÊ ACHA QUE VIVEU SEM PECADO? JESUS OU JUSTINO?

        AO FAZER ALGUM COMENTÁRIO OU ATÉ AFIRMAR ALGUMA COISA, QUEM VOCÊ ACHA QUE PODERIA TER ERRADO? JESUS OU JUSTINO?

        AS DUAS AFIRMAÇÕES CHEGARAM ATÉ NÓS. QUAL VOCÊ CONSIDERA INERRANTE? A DE JESUS OU A DE JUSTINO?

        TRADIÇÕES…

        OUTRA VEZ A PATRÍSTICA – VALE DIZER QUE AS HERESIAS COMEÇARAM EM 197 dC:

        Em sua Tradição Apostólica, escrita entre 215 e 217, nós lemos, “E primeiro batizai os pequenos; e se eles puderem falar, eles farão assim; se não, seus pais ou outros parentes falarão por eles. Então batizai os homens, e a última detodas as mulheres; elas têm que soltar os cabelos primeiro e colocar de lado qualquer enfeite de ouro ou ornamentos de prata quelevem: não deixe ninguém levar qualquer coisa estranha até a água com eles”. Isto indica a prática do batismo infantil em Roma, que talvez fosse por imersão.

        BÍBLIA CATÓLICA:

        MARCOS 16:15 E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura.

        MARCOS 16:16 Quem crer e for batizado será salvo, mas quem não crer será condenado.

        A PESSOA PARA SER BATIZADO, BATIZADA PRECISA CRER NO EVANGELHO. UMA CRIANCINHA NÃO PODE CRER EM NADA, ELA ESTÁ SENDO BATIZADA NEM SABE POR QUAL MOTIVO. NÃO SABE NEM O SIGNIFICADO DE BATISMO. SERÁ QUE VOCÊS SÃO TÃO TAPADOS QUE NÃO CONSEGUEM ENXERGAR ISSO? E ENXERGAR QUE ESTÃO SENDO ENGANADOS? “Ah! È QUE AS TRADIÇÕES NÃO ESCRITAS SÃO VÁLIDAS” ENTÃO DEUS TEM DUAS PALAVRAS? PORQUE UMA HORA ELE DIZ NA BÍBLIA QUE O REINO DOS CEUS É DAS CRIANCINHAS E OUTRA HORA NA TRADIÇÃO QUE CRIANCINHA TEM QUE SER BATIZADA PRA NÃO IR PRO LIMBO.

        UMA CRIANCINHA QUANDO MORRE, JÁ MORRE COMA SALVAÇÃO GARANTIDA!!!

        LUCAS 18:15 Trouxeram-lhe também criancinhas, para que ele as tocasse. Vendo isto, os discípulos as repreendiam.

        LUCAS 18:16 JESUS, PORÉM CHAMOU-AS DIZENDO: DEIXAI AS CRIANCINHAS VIREM A MIM E NÃO AS IMPEÇAIS, POIS DELAS É O REINO DE DEUS.

    • RENATO DE CARVALHO OLHA COMO VOCÊ É TÃO FACILMENTE DESMASCARADO

      O fato deste documento ser falso não é debatido entre os católicos. O que tanto Webster quanto White dizem a seu respeito é que a doutrina do papado foi estabelecida tendo por base este falso documento. Não pode ser mais falsa esta acusação. Qualquer um que concorde com esta informação está grosseiramente mal-informado ou está sendo intensamente desonesto na sua representação sobre o papado.

      Para que os clamores de Webster e White sejam verdadeiros, tanto o papado como as evidências do primado petrino deveriam aparecer entre os anos 750-850 d.C. Desta forma, o trabalho dos apologistas católicos está em demonstrar que tais ensinos são bem mais anteriores. Demonstraremos que esta evidência de fato existe e desacredita qualquer pessoa que mantenha a idéia de que os Falsos Decretos são a base do papado.

      TESTEMUNHO DAS ESCRITURAS

      Mt 16,18: “E te declaro: tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja, e os portões do inferno não prevalecerão contra ela”. Aqui vemos Jesus concedendo a Pedro a fundação da Igreja. Certamente, no aramaico, que Jesus claramente falava quando falava aos apóstolos e é a língua original do livro de Mateus, não há distinção entre as palavras “Pedro” (Kepha) e “pedra” (Kepha). Consequentemente, se analisarmos bem a língua original (ao invés de traduzir para o grego ou para o português), o mesmo versículo ficaria assim: “Tu és Kepha, e sobre esta Kepha edificarei a minha Igreja”. Somente este versículo é suficiente para o que possui fé, mas para os nossos opositores protestantes, que requerem mais, continuaremos.

      TESTEMUNHO DOS PAIS DA IGREJA

      Em 517 os bispos orientais consentiram e assinaram a fórmula do Papa Hormisdas, que afirma em parte: “a primeira condição da salvação é manter a norma da verdadeira fé e de modo algum se desviar da doutrina dos Pais. Desta forma, é impossível que as palavras ditas por nosso Senhor ‘ tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja ? não seja confirmada. E sua verdade tem sido provada pelo curso da história, pois na visão apostólica a religião católica sempre se permaneceu imaculada'” (citado em “This Rock”, outubro 1998).

      Tertuliano (220 d.C): “que o poder de ligar e desligar foi a vós concedido, isto é, a qualquer igreja ligada a Pedro? Que tipo de homem és para subverter e alterar o que foi a vontade manifestada do Senhor quando o confiriu pessoalmente a Pedro? Sob ti, disse Ele, edificarei a minha Igreja, e a ti darei as chaves, e não à Igreja; e o que tu ligares ou desligares e não o que eles ligarem ou desligarem” (Modesty, citado em Jurgens 387).

      São Clemente de Alexandria (190-210 d.C): “‘Nem o reino dos céus pertence aos dormentes e aos preguiçosos; certamente seria tomado à força’ Ouvindo estas palavras o bem-aventurado Pedro, o escolhido, o pre-eminente, o primeiro entre os discípulos, o único a quem o próprio Senhor pediu que se pagasse o tributo, rapidamente compreendeu seu significado” (citado em “Que rico será salvo?”, Jurgens 436).

      Orígens (226-232 et postea): “Pedro, sob o qual está edificada a Igreja, contra o qual os portões do inferno não prevalecerão, nos deixou somente uma epístoloa de genuidade conhecida. Nós aceitamos a segunda, porém ainda é duvidosa” (Comentários a João, citado em Jurgens 479a) . Este é um comentário sobre a epístola de Pedro, que mais tarde fora confimada genuína. Isto desacredita toda a teoria da Sola Scriptura, pois vemos que após duzentos anos depois de Cristo a canonicidade dos livros da Sagrada Escritura ainda era debatida.

      Orígens (244 d.C): (se referindo a Pedro) “Observe a grande fundação da Igreja. A mais sólida das rochas, sob o qual Cristo a edificou. E o que o Senhor disse a ele? “homem de pouca fé” disse, “porque duvidas?” (homilia sobre o Êxodo, citado em Jurgens 489).

      São Cipriano de Cartago (251 d.C): “O Senhor diz a Pedro: ‘Eu te declaro que és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja e as portas do inferno não prevalecerão contra ela. Dar-te-ei as chaves do Reino dos Céus…’ O Senhor edifica sua Igreja sobre um só, embora conceda igual poder a todos os apóstolos depois de sua ressurreição, dizendo: ‘assim como o Pai me enviou, eu vos envio. Recebei o Espírito Santo, se perdoardes os pecados de alguém, ser-lhes-ão perdoados, se os retiverdes, ser-lhes-ão retidos’. No entanto para manifestar a unidade, dispões por sua autoridade a orgiem desta mesma unidade partindo de um só. Sem dúvida, os demais apóstolos eram, como Pedro, dotados de igual participação na honra e no poder; mas o princípio parte da unidade para que se demonstre ser a única Igreja de Cristo…Julga conservar a fé quem não conserva esta unidade da Igreja? Confia estar na Igreja quem se opõe e resiste à Igreja? Confia estar na Igreja quem abandona a cátedra de Pedro sobre a qual está fundada a Igreja?” (Sobre a Unidade da Igreja).

      Santo Efrém (306-373 d.C): “Simão, meu seguidor, eu te fiz a fundação de toda a Igreja. Eu te chamei Pedro, porque em ti suportarão todos os fundamentos. Tu serás o inspetor de todos que edificarem a igreja para mim. Se edificarem o que for falso, tu, o fundamento, os condenará. Tu serás a principal fonte pela qual passarão meus ensinamentos, tu és o chefe dos meus discípulos. Por ti darei de beber a todos as pessoas. Ti escolhi para ser o primeiro de minha instituição, e dessa forma, como herdeiro, serás o executor de minhas riquezas. Te darei as chaves do meu Reino. Veja, te dei autoridade sobre todas as minhas ovelhas” (Homilias, citado em Jurgens 706).

      Santo Agostinho (391-430 d.C): “Antes de sua paixão, o Senhor Jesus Cristo, como sabeis, reuniu seus discípulos, chamados apóstolos. Entre os apóstolos em quase todos os momentos Pedro obteve o mérito de representar toda a Igreja. Com o fim de representar toda a Igreja, como viria a fazer, ele mereceu escutar: ‘te darei as chaves do reino dos céus'” (Sermões, citado em Jurgens 1526).

      Muito bem, existem ainda várias citações, mas as acima estão repletas de provas mais do que necessárias para demonstrar que a autoridade de Pedro e dos apóstolos existia muito antes da Doação de Constantino. Outro ponto a se colocar aqui é que se o papado ainda não fosse reconhecido como autoridade, esta falsificação seria fortemente rejeitada e ridicularizada. O fato de existirem tamanhas referências à autoridade de Pedro demonstra que ele possui credibilidade muito antes do Papa Nicolau I.

      Mas porque o Falso Decreto foi escrito? Teria sido para reforçar o papado? Não, muito pelo contrário, foi para “manter os bispos locais contra seus metropolitanos e outras autoridades, para assegurar impunidade absoluta e a exclusão de qualquer influência do poder secular” (Dollinger, citado em “This Rock”, 22 de outubro 1998)

      • RENATO DE CARVALHO SENDO O HOMEM SENDO TEÓLOGO CATÓLICO SE ELE DIZER ALGO FORA DA DOUTRINA CATÓLICA ELE É EXCOMUNGADO ASSIM COMO ACONTECEU COM UM EX PADRE DE SÃO PAULO

        E OUTRA EXISTEM TEÓLOGOS SEM IGREJAS MODERNISTAS COMO FALSOS PADRES QUE SE INFILTRAM NA IGREJA PARA TENTAR MANCHA-LA

        AMIGO EU TENHO MAS DE 40 MIL VOLUMES DE LIVROS SÓ DOS 5 PRIMEIROS SÉCULOS DA ERA CRISTÃ! OLHA RENATO DE CARVALHO UNS ME CONSIDERAM COMO UMA DAS MAIORES REFERÊNCIAS EM PATRÍSTICA E HISTÓRIA PRIMITIVA NO MUNDO

        É POR ISSO QUE EU AMO REFUTAR LUNÁTICOS
        E A SUA MASCARA FOI E SEMPRE SERÁ DESMASCARADO AQUI

    • REVOLTADO ANALFABETO HEREGE RENATO DE CARVALHO,

      Interessante é você sair da Bíblia para provar tese quando exige que os demais não saim da Biblia.

      Você diz que Lutero restaurou a verdade. Mas onde sua atuação e própria existência estão previstas ? Você está me dizendo que Lutero não está na Bíblia ?

      Você está me dizendo que Lutero era infalível ?

      Então você é luterano. Correto ?

      Ou você pertence a outra denominação que continua “reformando” a reforma que DEUS já teria feito através de Lutero ?

      Então a reforma feita por DEUS através de Lutero foi imperfeita ?

      Foi perfeita ? Então por que você não é luterano ?

      E se você estiver errado e ele não restaurou a verdade ?

      Quem decide isto ? É você ?

      Com que autoridade ? Recebestes de Jesus o poder de ligar e desligar na terra ?

      Engraçado que você desconsidera o poder conferido por Jesus a Pedro para ligar e desligar na terra. Finge que não leu.

      E para Lutero que não recebeu poder algum de Jesus neste sentido você atribui todos os méritos e “poderes” especiais.

      Você é protestante né ? Tá explicado.

      Você nunca leu “maldito o homem que confiam em outro homem” ?

      De onde você tirou que deve acreditar no homem Lutero ? E quem deve acreditar em você ?

      Se você mesmo diz que não há um só homem infalível em matéria de fé e doutrina e, por certo, você condena a infalibilidade papal, como é que pretende ser escutado se antes mesmo quem te escuta deve acreditar que você é falho ?:

      E Lutero é infalível ? Mas como ? Onde está isto na Bíblia ?

      Lutero estava certo ou errado quando batizava crianças ?

      Lutero estava certo ou errado quando chamou a Jesus de bêbado e adúltero atribuindo-lhe amantes que não teve ?

      Lutero estava certo ou errado quando defendeu a perpétua virgindade de Maria ?

      Você já leu alguma obra de Lutero ou aprendeu sobre o luceferino herege a partir dos ensinamentos de pastores protestantes ?

      Uma coisa é ouvir a igreja dos concílios, a igreja coluna e sustentáculo da verdade, a igreja dos 2000 anos e sobre a qual as portas do inferno jamais prevalecerão.

      Outra coisa é ouvir pastor protestante.

      Você escolhe entre Santo Agostinho ou Malafaia ?

      Ratzinger ou Terra Nova ?

      Santa Teresinha de Lesieux ou Santiago ?

      Padre Pio ou Soares ?

      São João Maria Vianney ou Valadona e Lagoinhas ?

      São Thomás de Aquino ou Casal Hernandez ?

      Madre Tereza de Calcutá ou Culto das princesas ?

      Eucarista ou Unção do chulé ?

      A caridade católica ou a prosperidade evangélica ?

      A igreja que atravessa séculos ou o pregador do aborto Edir Macedo ?

      Qual deles é teu “irmão” em Cristo e junto com você engrossa as estatísticas do IBGE como se fosse uma só religião “una” e “homogênea” evangélica ?

      Você vive a palavra viva e encarnada ou prega a religião do livro ?

      Será que você anda fazendo as escolhas certas ?

      E quem disse que a igreja Católica prega que a salvação é por méritos próprios ?

      Vocês é que dizem isto sobre nós. Nós não ensinamos tal coisa.

      Quem prega salvação fácil são os protestantes. Basta levantar o dedo e “aceitar” Jesus que já está salvo.

      Jesus diz que ele escolheu a nós e não o contrário e o evangélico faz o favor de “aceitar” Jesus.

      E datalhe: Dizem ainda os filhos de Lutero que salvação obtida é salvação garantida.

      Quem prega afinal o caminho fácil para a salvação ?

      A vida dos mártires e santos comprova que o caminho para o céu nunca foi tão fácil como pregam os seguidores de homens protestantes.

      Aliás, fique sabendo que presunção de salvação é pecado contra o Espírito Santo o qual não tem perdão nem no porvir.

      Nós católicos podemos conhecer os pecados contra o Espírito Santo, porque a Igreja, coluna e sustentáculo da verdade nos ensina.

      E você pode conhecer os pecados contra o Espírito Santo de modo que possa evita-los ?

      Se você pensa que está tudo na Bíblia, descobrirá que nem tudo está. Não por acaso a própria bíblia diz que Jesus fez e disse muitas outras coisas as quais não foram escritas. E nós cremos no que Jesus fez e disse, mesmo que não tenham sido escritas.

      E você o que faz ?

      Desconsidera o que Jesus fez e disse, porque não foi escrito.

      E considera tudo verdadeiro de Lutero e que também não foi escrito, não foi dito, ninguém viu e ninguém sabe.

      E basta um pastor dizer que teve uma “visão” para fundar igreja e logo você aceita sem questionar. Não importa o que diga a Bíblia, não importa que não esteja escrito e não importa que não tenha sido dito.

      Por isto sobre vós está escrito: “Deixarão a sã doutrina e se entregarão aos ensinamentos de homens.”

      RENATO DE CARVALHO convido a você ler o meu artigo sobre a porta larga da salvação patrocinada pelos seguidores de homens evangélicos:

      http://www.pr.gonet.biz/bbs/bbs_center.php?ID=194&tabela=bbs_table&subject=Artigos

    • RENATO SÓ A PATRÍSTICA DO PRIMEIRO E SEGUNDO SÉCULO DARIA UMA BIBLIOTECA DE OBRAS DOS PADRES APOSTÓLICOS E DOS PADRES DA IGREJA E DOS ESCRITORES ECLESIÁSTICOS DA IGREJA CATÓLICA QUE JÁ COMBATIA CONTRADITÓRIOS COMO VOCÊ

      COMO ME ORGULHO DE PERTENCER A UMA IGREJA FUNDADA POR JESUS CRISTO

      Escritos de Taumaturgo
      Gregório Taumaturgo

      {Degelo-muh tur’-guhs}
      Gregory, c.213-c.270, foi um dos Padres gregos da Igreja. Após os primeiros estudos em direito e retórica, ele foi (c.233) para Cesaréia, na Palestina, onde ele caiu sob a influência de Orígenes e se convertido ao cristianismo. Em seu retorno à sua cidade natal de Neocaesarea cinco anos depois, ele foi consagrado bispo. As muitas lendas que foram contadas sobre ele ganhou o nome de Taumaturgo (grego para “operador de milagres”). Seus escritos incluem o panegírico de Orígenes, o que dá uma imagem atraente do professor Gregory, ea Exposição da Fé, que foi dirigido contra os ensinamentos do Sabelianismo sobre a Trindade. Sua biografia foi escrita por São Gregório de Nissa.

      Obras de Gregório Taumaturgo

      Nota introdutória para Gregório Taumaturgo (205-265)
      Parte I.-Reconhecido Escritos.
      Uma declaração de fé.
      A metáfrase do Livro de Eclesiastes.
      Epístola canônica.
      A Oração e Panegírico Dirigida a Orígenes.
      Parte II.-duvidosa ou escritos falsos.
      A Confissão de Fé de corte.
      Sobre a Trindade.
      Doze Tópicos sobre a fé.
      Sobre o tema da Alma.
      Quatro homilias.
      A Primeira Homilia sobre a Anunciação à Virgem Maria.
      Homilia Segundo
      Homilia Terceiro
      Homilia quarta
      Em Todos os Santos.
      No Evangelho segundo Mateus.
      .

      .
      ________________________________________
      Parte II. Escritos duvidosa ou espúrias
      .
      A Confissão de Fé de corte. [254]
      I.
      Mais hostil e estranha para a Confissão Apostólica são aqueles que falam do Filho como assumiu a Ele pelo Pai a partir do nada, e de uma origem emanational; [255] e aqueles que possuem os mesmos sentimentos com relação ao Espírito Santo, aqueles que dizem que o Filho divino é constituído por dom e graça, e que o Espírito Santo é feito santo, aqueles que consideram o nome do Filho como um comum aos funcionários, e, assim, afirmar que Ele é o primogênito da criatura, como se tornar, como a criatura, fora existente da não-existência, e como está sendo feita pela primeira vez, e que se recusam a admitir que Ele é o Filho unigênito, – o único que o Pai tem, e que Ele deu a si mesmo a ser contada no número de mortais, e é assim contado primeiro-nascido; aqueles que circunscrevem a geração do Filho pelo Pai, com um intervalo de medida após a moda do homem, e se recusam a reconhecer que o Aeon do Gerador e que do Unigênito têm começo, aqueles que introduzir três sistemas separados e diversificada de adoração divina, [256] enquanto há apenas uma forma de serviço legítimo que recebemos a partir do antigo lei e os profetas, e que foi confirmado por o Senhor e pregado pelos apóstolos. Nem menos alienado da verdadeira confissão são aqueles que não seguem a doutrina da Trindade de acordo com a verdade, como uma relação composta de três pessoas, mas impiedosamente concebê-lo como implicando uma tripla estar em uma unidade (Mônada), formado na forma de síntese [257] e pensar que o Filho é a sabedoria em Deus, da mesma maneira como subsiste a sabedoria humana no homem através do qual o homem é sábio, e representam a Palavra como sendo simplesmente como a palavra que proferir ou conceber, sem qualquer qualquer hipóstase.
      II.
      Mas a confissão da Igreja, eo Credo que traz a salvação para o mundo, é o que trata da encarnação do Verbo, e tem que Ele deu a si mesmo sobre a carne do homem, que Ele adquiriu de Maria, embora ainda conserva sua própria identidade, e não sofreu qualquer transposição divina ou mutação, mas foi trazido junto com a carne à semelhança do homem, de modo que a carne foi feita uma com a divindade, a divindade tendo assumido a capacidade de receber a carne no cumprimento da mistério. E após a dissolução da morte lá permaneceu até o carne santa uma impassibilidade perpétua e uma imortalidade imutável, glória original do homem sendo levado para-a novamente pelo poder da divindade, e sendo ministrado em seguida, a todos os homens pela apropriação de fé. [258]
      III.
      Se, então, há alguém aqui, também, que falsificar a santa fé, seja atribuindo à divindade como o seu próprio o que pertence à humanidade – progressões, [259] e paixões, e uma glória que vem com a adesão [260] – ou pela separação da divindade do corpo progressiva e passível, como se subsistiu de se destacar, – essas pessoas também estão fora da confissão da Igreja e da salvação. Ninguém, portanto, pode conhecer a Deus, a menos que ele apreende o Filho, pois o Filho é a sabedoria por cuja instrumentalidade todas as coisas foram criadas, e esses objetos criados declarar esta sabedoria, e Deus é reconhecido na sabedoria. Mas a sabedoria de Deus não é nada parecido com a sabedoria que o homem possui, mas é a perfeita sabedoria que procede do Deus perfeito, e permanece para sempre, não como o pensamento do homem, que passa dele na palavra que é falada e (logo) deixa de ser. Portanto, não é apenas sabedoria, mas também Deus, nem é somente uma palavra, mas também Filho. E se, então, um discerne Deus através da criação, ou seja ensinada a conhecê-Lo pela Sagrada Escritura, é impossível, quer para prendê-lo ou para aprender d’Ele para além de sua sabedoria. E aquele que clama a Deus justamente, convida-Lo por meio do Filho, e aquele que se aproxima dele em uma verdadeira comunhão, vem a Ele através de Cristo. Além disso, o próprio Filho não pode ser abordado sem o Espírito. Para o Espírito é tanto a vida ea formação santa de todas as coisas; [261] e Deus enviando o Espírito, através do Filho faz a criatura [262] como Ele mesmo.
      IV.
      Um, portanto, é Deus Pai, uma Palavra, um Espírito, a vida, a santificação de todos. E nem há outro Deus como Pai, [263] nem há outro Filho como Palavra de Deus, nem há outro Espírito, como aceleração e santificante. Além disso, embora os santos são chamados os deuses, e filhos, e espíritos, eles não são nem cheios do Espírito, nem são feitos como o Filho e Deus. E se, então, qualquer um faz essa afirmação, de que o Filho é Deus, simplesmente como sendo ele mesmo cheio de divindade, e não como sendo gerado da divindade, ele desmentiu a Palavra, ele desmentiu a Sabedoria, ele perdeu o conhecimento de Deus, ele caiu fora no culto da criatura, ele assumiu a impiedade dos gregos, para que ele voltou, e ele tornou-se um seguidor da incredulidade dos judeus, que, supondo que a Palavra de Deus para ser humano, mas um filho, se recusaram a aceitá-Lo como Deus, e se recusaram a reconhecê-Lo como o Filho de Deus. Mas é errado pensar na Palavra de Deus como meramente humana, e de pensar das obras que são feitas por Ele como permanente, enquanto Ele não obedece a si mesmo. E se alguém diz que o Cristo faz todas as coisas apenas como ordenado pela Palavra, ele vai fazer tanto a Palavra de Deus ocioso, [264] e mudar a ordem do Senhor em servidão. Para o escravo é uma completamente sob o comando, eo criado não é competente para criar, por supor que o que é criado pode-se de igual modo criar outras coisas, implicaria que ele deixou de ser como a criatura. [265]
      V.
      Mais uma vez, quando se fala do Espírito Santo como um objeto feito santo, [266] que ele não será mais capaz de apreender todas as coisas como sendo santificado em (a) Espírito. Para aquele que santificou um, santifica todas as coisas. Que o homem, conseqüentemente, desmente a fonte da santificação, o Espírito Santo, que Ele desnuda o poder de santificar, e ele vai, assim, ser impedida de numeração Ele com o Pai eo Filho, ele faz nada, também, do santo ( ordenança) batismo, e não vai mais ser capaz de reconhecer os santos e agosto Trindade. [267] Para tanto, devemos apreender a Trindade perfeita [268] em sua glória natural e genuíno, ou poderemos estar sob a necessidade de falar mais de uma Trindade, mas apenas de uma Unidade; [269], ou então não, numeração [270] criou objetos com o Criador, nem as criaturas com o Senhor de tudo, nós também não mastro número que é santificado com o que santifica, mesmo que nenhum objeto que é feito pode ser numeradas com a Trindade, mas em nome da Santo batismo Trindade e invocação e adoração são administrados. Porque, se há três glórias vários, também deve haver três várias formas de culto com aqueles que impiedosamente adorar a criatura, pois se há uma distinção na natureza do adorou objetos, deve haver também com esses homens uma distinção em a natureza do culto oferecido. O que é recente [271] certamente não é para ser adorado com o que é eterno, porque o recente compreende tudo o que teve um começo, enquanto poderoso e imensurável é mentira que é antes das idades. Ele, portanto, que supõe um começo de vezes na vida do Filho e do Espírito Santo, com isso também corta qualquer possibilidade de numeração do Filho e do Espírito com o Pai. Porque, assim como reconhecemos a glória a ser um, assim devemos também reconhecer a substância na Divindade a ser um, e um também a eternidade da Trindade.
      VI.
      Além disso, o clemente capital da nossa salvação é a encarnação do Verbo. Acreditamos, portanto, que era, sem qualquer alteração na Divindade que a encarnação do Verbo ocorreu tendo em vista a renovação da humanidade. Para não ocorreu nem mutação nem transposição, nem qualquer circunscrição em vontade, [272] no que diz respeito a energia santa [273] de Deus, mas ao mesmo tempo que permaneceu em si mesmo, ele também realizou a obra da Encarnação, com vista a a salvação do mundo, e da Palavra de Deus, vivendo [274] na terra depois da moda do homem, mantido o mesmo em toda a presença do divino, cumprindo todas as coisas, e sendo unidos [275] adequadamente e individualmente com carne, e enquanto as sensibilidades apropriada para a carne estava lá, a energia divina manteve a impassibilidade adequado para si. Ímpio, portanto, é o homem que introduz o passibility [276] para a energia. Para o Senhor da glória apareceu em forma de homem, quando Ele se comprometeu a economia [277] sobre a terra, e Ele cumpriu a lei para os homens por seus atos, e por Seus sofrimentos que Ele acabou com os sofrimentos do homem, e por Sua morte Ele aboliu a morte, e pela sua ressurreição Ele trouxe vida a luz, e agora vamos procurar a sua vinda do céu em glória para a vida eo julgamento de todos, quando a ressurreição dos mortos terá lugar, a fim de que recompensa podem ser feitas a todos de acordo com o seu deserto.
      VII.
      Mas alguns tratam a Santíssima Trindade [278] de uma maneira horrível, quando confiantemente afirmar que não há três pessoas, e introduzir (a idéia de) uma pessoa desprovida de subsistência. [279] Por isso nos justificaremos de Sabélio, que diz que o Pai eo Filho são o mesmo. Para ele sustenta que o Pai é Ele quem fala, e que o Filho é a Palavra que habita no Pai, e se manifesta no momento da criação, [280] e, posteriormente, reverte a Deus no cumprimento de todas as coisas. A mesma afirmação que ele faz também do Espírito. Nós renegar isso, porque acreditamos que três pessoas – ou seja, Pai, Filho e Espírito Santo – são declarados de possuir uma divindade: para a única divindade, mostrando-se diante de acordo com a natureza da Trindade [281] estabelece a unicidade da natureza, e, portanto, há um (divindade que é a) propriedade do Pai, de acordo com a palavra: “Não há um só Deus, o Pai,” [282] e há uma divindade hereditária [283] no Filho, como está escrito: “O Verbo era Deus” [284] e há uma divindade presentes de acordo com a natureza em espírito a saber, o que subsiste como o Espírito de Deus – de acordo com a declaração de Paulo: “Vós sois o templo de Deus, o Espírito de Deus habita em vós. ” [285]
      VIII.
      Agora, a pessoa em cada declara a ser independente e de subsistência. [286] Mas a divindade é a propriedade do Pai, e sempre que a divindade de três é falado como um, o testemunho é confirmado que a propriedade [287] do Pai pertence também ao Filho e ao Espírito: portanto, se o divindade pode ser falado como uma em três pessoas, a trindade é estabelecido, ea unidade não for dissevered; ea unidade que é, naturalmente, o Pai também é reconhecido como o do Filho e do espírito. Se alguém, no entanto, fala de uma pessoa como ele pode falar de uma divindade, não pode ser que os dois em um, são como um só. [288] Para Paulo aborda o Pai, como uma em relação a divindade, e fala do Filho como um em relação de senhorio: “Há um só Deus, o Pai, de quem são todas as coisas, e nós para ele, e um só Senhor Jesus Cristo, pelo qual são todas as coisas, e nós por ele. ” [289] Portanto, se há um só Deus, e um só Senhor, e ao mesmo tempo uma pessoa como uma divindade em um senhorio, [290] como pode ser dado crédito a esta distinção (em) os termos “de quem” e ” por quem, “como já foi dito antes? Falamos, portanto, não é como se nós separamos o senhorio da divindade, nem como o afasta um do outro, mas como unificá-los no caminho garantido pela realidade e verdade, e nós chamamos de Deus Filho com a propriedade do Pai, [291] como sendo sua imagem e descendentes, e chamamos o Senhor Pai, abordando-o pelo nome do Senhor Um, como sendo sua origem e Begettor.
      IX.
      A mesma posição que temos respeito do Espírito, que tem essa unidade com o Filho que o Filho tem com o pai. Pelo que, a hipóstase do Pai ser discriminado pela denominação de Deus, mas não deixe que o Filho ser cortado a partir desta denominação, pois Ele é de Deus. Mais uma vez, deixe que a pessoa do Filho também ser discriminados pelo nome do Senhor, só não deixe Deus ser dissociada do que, para Ele é o Senhor como sendo o Pai do Senhor. E, como é próprio do Filho para exercer senhorio, pois Ele é que fez (todas as coisas) por si mesmo, e agora governa as coisas que foram feitas, enquanto, ao mesmo tempo, o Pai tem uma posse antes de que a propriedade, na medida como Ele é o Pai d’Aquele que é o Senhor; então vamos falar da Trindade como um Deus, e ainda não como se fez a um por uma síntese de três: para a subsistência, que é constituído por síntese é algo completamente partitivo e imperfeito . [292] Mas, assim como o Pai designação é a expressão de originalidade e de geração, de modo que o Filho designação é a expressão da imagem e filhos do Pai. Assim, se alguém perguntar como há um só Deus, se há também um Deus de Deus, nós responder que isso é um bom termo para a idéia de causalidade original, [293] desde que o Pai é o único Causa Primeira. [294] E se alguém também para colocar a questão, como não há um só Senhor, se o Pai também é o Senhor, podemos responder que mais uma vez ao dizer que Ele é assim na medida em que Ele é o Pai do Senhor; e essa dificuldade deve conhecer-nos mais.
      X.
      E, novamente, se a palavra ímpia, Como não há três Deuses e três pessoas, na suposição de que eles têm uma e mesma divindade – vamos responder: Só porque Deus é a Causa e Pai do Filho, e? esse Filho é a imagem e filhos do Pai, e não seu irmão, e do Espírito em forma como é o Espírito de Deus, como está escrito: “Deus é um Espírito.” [295] E, em tempos anteriores, temos esta declaração do profeta Davi: “Pela palavra do Senhor, os céus foram confirmados, e todo o poder deles pelo sopro (espírito) de Sua boca.” [296] E, no início do livro da criação [297], está escrito assim: “E o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas”. [298] E Paulo em sua Epístola aos Romanos diz: “Mas vós não estais na carne, mas no Espírito, se é que o Espírito de Deus habita em vós.” [299] E novamente ele diz: “Mas, se o Espírito daquele que ressuscitou Jesus dos mortos habita em vós, Ele que ressuscitou Cristo dentre os mortos vivificará também os vossos corpos mortais, pelo seu Espírito que habita em você.” [300] E ainda: “Como todos os que são guiados pelo Espírito de Deus, esses são filhos de Deus Porque não recebestes o espírito de escravidão novamente para temor, mas recebestes o espírito de adoção, pelo qual clamamos. : Aba, Pai “. [301] E novamente: “. Digo a verdade em Cristo, não minto, a minha consciência dando-me testemunho no Espírito Santo” [302] E novamente: “. Ora, o Deus da esperança vos encha de todo o gozo e paz no vosso crer, para que sejais ricos de esperança, pelo poder do Espírito Santo”[303]
      XI.
      E, novamente, escrevendo aos Romanos mesmo, ele diz: “Mas eu já escrevi mais ousadamente vos em algum tipo, como colocar você em mente, por causa da graça que me é dado de Deus, para que eu seja ministro de Jesus Cristo para os gentios, ministrando o evangelho de Deus, que a oferta dos gentios seja aceitável, santificada pelo Espírito Santo. Tenho, portanto, do qual eu, glória em Jesus Cristo nas coisas que pertencem a Deus. Para Atrevo-me a não falar de qualquer uma dessas coisas que Cristo não forjado por mim, [304] para fazer obedientes os gentios, por palavras e obras, através de sinais e prodígios, pelo poder do Espírito Santo “. [305] E novamente: “Rogo-vos, irmãos, pelo amor de nosso Senhor Jesus Cristo, e pelo amor do Espírito.” [306] E essas coisas, na verdade, são escritos na Epístola aos Romanos. [307]
      XII.
      Mais uma vez, na Epístola aos Coríntios, ele diz: “Para a minha palavra ea minha pregação não consistiram em palavras persuasivas de sabedoria humana, mas em demonstração do Espírito e de poder, para que a vossa fé não se apoiasse em sabedoria dos homens, mas no poder de Deus. ” [308] E novamente ele diz:. “Como está escrito: Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que o amam Mas Deus no-las revelou nós pelo Seu Espírito:. porque o Espírito penetra todas as coisas, sim, as coisas profundas de Deus para que o homem sabe as coisas do homem, senão o espírito do homem que nele está Mesmo assim as coisas de Deus ninguém as conhece,? mas o Espírito de Deus. ” [309] E novamente ele diz: “Mas o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus.” [310]
      XIII.
      Vês que toda a Escritura do Espírito é pregado, e ainda longe nomeado uma criatura? E o que pode o ímpio tem que dizer se o Senhor envia os seus discípulos para batizar em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo? [311] Sem contradição, o que implica uma comunhão e unidade entre eles, segundo a qual não há nem três divindades nem (três) senhorios, mas, enquanto lá permanecer verdadeiramente e, certamente, as três pessoas, a unidade real de os três devem ser reconhecidas . E dessa forma o devido crédito será dado ao envio e. Sendo enviado [312] (na Divindade), segundo a qual o Pai enviou o Filho eo Filho da mesma maneira envia o Espírito Para uma das pessoas certamente não poderia (ser dito) enviar próprio, e não se poderia falar do Pai como encarnado. Para os artigos da nossa fé não concordo com os princípios viciosos das heresias, e é certo que nossas concepções devem seguir as doutrinas inspiradas e apostólica, e não que a nossa impotente fantasias devem coagir os artigos da nossa fé divina.
      XIV.
      Mas se eles dizem: Como pode haver três pessoas, e como, mas uma divindade – faremos esta resposta:? Que de fato existem três pessoas, na medida em que há uma pessoa de Deus, o Pai, e um do Senhor a Filho e um do Espírito Santo, e ainda que não há senão uma divindade, na medida em que o Filho é a imagem de Deus, o Pai, que é Um, – isto é, Ele é Deus de Deus, e assim todos os Espírito é chamado o Espírito de Deus, e que, também, da natureza de acordo com a própria substância, [313] e não de acordo com a participação simples de Deus. E há uma substância [314], na Trindade, que não subsiste também no caso de objetos que são feitas, porque não há uma substância em Deus e nas coisas que são feitas, porque nenhum deles está na substância de Deus . Nem, na verdade, é o único Senhor de acordo com estes substância, mas não é o único Senhor do Filho e um Espírito Santo, e falamos também de uma Divindade, e um senhorio e um Santidade na Trindade, pois o Pai é Causa [315] do Senhor, tendo gerado Ele eternamente, e que o Senhor é o protótipo [316] do Espírito. Porque assim o Pai é Senhor, e também o Filho é Deus; “. Deus é Espírito” e de Deus, é dito que [317]
      XV.
      Nós, portanto, reconhecer um verdadeiro Deus, a Causa primeira, e um filho, Deus verdadeiro de Deus, possuindo natureza de divindade do Pai, – isto é, sendo da mesma substância com o Pai; [318] e um Espírito Santo, que, por natureza, e na verdade todos os santifica, e faz divina, como sendo da substância de Deus. [319] Aqueles que falam tanto do Filho ou do Espírito Santo como uma criatura que anathematize. Todas as outras coisas que temos de ser objetos feitos, e em sujeição, [320] criado por Deus por meio do Filho, (e) santificada pelo Espírito Santo. Além disso, reconhecemos que o Filho de Deus se fez Filho do homem, depois de ter tomado para si a carne da Virgem Maria, e não no nome, mas na realidade, e que Ele é tanto o Filho perfeito de Deus, e do perfeito ( ) Filho do homem, – que a pessoa é apenas um, e que não há um culto [321] para o Verbo ea carne que Ele assumiu. E nós anathematize aqueles que constituem adora diferentes, um para o divino e outro para o ser humano, e que adoram o homem nascido de Maria, como se Ele fosse outro que não o Deus de Deus. Pois sabemos que “no princípio era o Verbo, eo Verbo estava com Deus, eo Verbo era Deus.” [322] E nós adoramos Aquele que se fez homem por causa da nossa salvação, na verdade não tão perfeitamente como fez no corpo como, [323], mas como o Senhor que tomou para Si a forma de servo. Nós reconhecemos a paixão do Senhor na carne, a ressurreição no poder da Sua divindade, a ascensão ao céu, e Sua vinda gloriosa, quando Ele vier para o julgamento dos vivos e dos mortos, e para a vida eterna dos santos .
      XVI.
      E uma vez que alguns nos deram problemas ao tentar subverter a nossa fé em nosso Senhor Jesus Cristo, e pela afirmação de que ele não era Deus encarnado, mas um homem ligado com Deus, por esta razão, apresentamos a nossa confissão sobre o assunto da referidas matérias de fé, e rejeitar os dogmas infiel oposição à mesma. Para Deus, tendo sido encarnado na carne do homem, mantém também a sua própria energia pura, possuindo uma mente unsubjected pelos naturais [324] e afetos carnais, e segurando a carne e os movimentos carnais divinamente e sem pecado, e não apenas por unmastered o poder da morte, mas, mesmo destruindo a morte. E é o unincarnate verdadeiro Deus que apareceu encarnado, o perfeito com a perfeição genuína e divina, e nele não há duas pessoas. Também não podemos afirmar que há quatro adorar, viz., Deus e Filho de Deus, e do homem e do Espírito Santo.Portanto nós também anathematize aqueles que mostram sua impiedade no presente, e que, assim, dar ao homem um lugar no doxologia divina. Por que temos de que a Palavra de Deus se fez homem por causa de nossa salvação, a fim de que recebêssemos a semelhança da celeste, e ser divino [325] à semelhança daquele que é o verdadeiro Filho de Deus por natureza , eo Filho do homem segundo a carne, nosso Senhor Jesus Cristo.
      XVII.
      Acreditamos, portanto, em um Deus, isto é, em uma Primeira Causa, o Deus da lei e do Evangelho, o justo e bom, e em um Criador Senhor Jesus Cristo, verdadeiro Deus, isto é, da imagem do verdadeiro Deus, de todas as coisas visíveis e filho, invisível de Deus e unigênito Filho, e Verbo eterno, a vida e auto-subsistente e ativo. [326] sempre estar com o Pai, e em um só Espírito Santo, e no advento glorioso do Filho de Deus, que da Virgem Maria se fez carne, e suportou sofrimentos e morte em nosso lugar, e veio a ressurreição no terceiro dia, e foi levado para o céu, e na sua gloriosa aparição ainda está por vir, e em uma Igreja santa, o perdão dos pecados, na ressurreição da carne e na vida eterna.
      XVIII.
      Reconhecemos que o Filho eo Espírito são consubstancial com o Pai, e que a substância da Trindade é um, – isto é, que existe uma divindade de acordo com a natureza, o Pai restante gerado, e do Filho, sendo gerado do Pai de uma geração de verdade, e não em uma formação de vontade, [327] e do Espírito sendo enviados eternamente da substância do Pai por meio do Filho, com o poder de santificar toda a criação. E nós também reconhece que a Palavra se fez carne, e foi manifestado na carne movimento [328] recebeu de uma virgem, e não simplesmente energizar em um homem. E aqueles que têm comunhão com os homens que rejeitam a consubstancialidade como uma doutrina alheia às Escrituras, e falar de qualquer uma das pessoas da Trindade como criados, ea pessoa que se separam a divindade natural, temos como estrangeiros, e ter comunhão com nenhum tal. [329] Há um só Deus, o Pai, e há apenas uma divindade. Mas também o Filho é Deus, como sendo a verdadeira imagem da divindade e somente, de acordo com a geração ea natureza, que Ele tem do pai. Há um só Senhor, o Filho, mas na forma como está o Espírito, que tem mais de [330] senhorio do Filho para com a criatura que é santificado.O Filho peregrinou no mundo, tendo recebido da Virgem carne, que Ele cheios do Espírito Santo para a santificação de todos nós, e ter dado a carne até a morte, Ele destruiu a morte pela ressurreição que tinha em vista a ressurreição de todos nós, e Ele subiu ao céu, exaltando e glorificando os homens em si mesmo, e Ele vem pela segunda vez para nos trazer novamente a vida eterna.
      XIX.
      Um deles é o Filho, antes da encarnação e depois da encarnação. O mesmo (Filho) é homem e Deus, estes dois juntos, como se um, ea Palavra de Deus não é uma pessoa, e do homem Jesus de outra pessoa, mas o mesmo que subsistiu como Filho antes foi feita uma com carne por Maria , assim constitui-se um homem perfeito, e santo, e sem pecado, e usar essa posição econômica para a renovação da humanidade e para a salvação de todo o mundo. Deus Pai, sendo Ele mesmo a pessoa perfeita, tem, assim, a Palavra perfeita nascido dele verdadeiramente. não como uma palavra que é falado, nem mais uma vez como um filho por adoção, no sentido em que os anjos e os homens são chamados filhos de Deus, mas como um filho que está na natureza de Deus. E há também o Espírito Santo perfeito fornecido [331] de Deus através do Filho para os filhos de vida, adoção e vivificante, santo e transmitir santidade para aqueles que participam dele, – não como um sopro imaterial [332] soprou-los pelo homem, mas como o processo sopro vital de Deus. Portanto a Trindade é para ser adorado, para ser glorificado, para ser homenageado, e para ser reverenciado, o Pai de ser preso no Filho assim como o Filho é Dele, e do Filho, sendo glorificado no Pai, na medida em que Ele é de o Pai, e sendo manifestado no Espírito Santo para os santificados.
      XX.
      E que a Santíssima Trindade é para ser adorado sem qualquer separação ou alienação, nos é ensinado por Paulo, que diz em sua segunda epístola aos Coríntios: “A graça de nosso Senhor Jesus Cristo, eo amor de Deus, ea comunhão do do Espírito Santo, seja com yon todos “. [333] E, novamente, em que a epístola ele faz a seguinte explicação: “Agora o que nos confirma convosco em Cristo, e nos ungiu, é Deus, que também nos selou e deu o penhor do Espírito em nossos corações. ” [334] E ainda mais claramente que ele escreve assim na mesma epístola: “quando é lido Moisés, o véu está posto sobre o coração deles Mas, quando se converte ao Senhor, o véu lhe é retirado Agora, o Senhor é o Espírito.. e onde está o Espírito do Senhor, aí há liberdade Mas todos nós, com rosto descoberto, refletindo como um espelho a glória do Senhor, somos transformados na mesma imagem, de glória em glória, como pelo Espírito do. Senhor. ” [335]
      XXI.

  16. De: Renato de Carvalho

    ISTO É MEU CORPO – Jesus disse que o pão é o seu corpo. Aquele corpo que foi pendurado no madeiro e drenado até a última gota de sangue. E assim tinha de ser porque, se a Sua carne é alimento, a Torá proíbe comer carne com sangue (LV 17:11-12, LV 19:26). Este é o motivo pelo qual o pão da Santa Ceia não pode ser tungado no vinho: não se pode comer carne com sangue.
    QUE É DADO POR VÓS – Ainda é noite de quinta-feira. Somente na manhã de sexta-feira Sua carne será dada e Seu sangue derramado. No entanto, ele empregou os verbos de um modo como se estivesse fazendo isso naquele instante. Como sacrifício já consumado! Isso se deve ao fato de que Deus “chama as coisas que não são, como se já fossem” (Rm 4:17). Note que o verbo “é” está no indicativo presente, um tempo verbal que indica uma situação como simultânea ao momento em que é anunciada. Já o verbo “dado” está no particípio, que é a forma infinita do verbo. Portanto, o mistério da Santa Ceia, tanto naquela primeira vez como agora, é que se trata de um fato que ocorre simultaneamente ao seu anúncio e, em qualquer época, o seu corpo e o seu sangue têm infinito poder redentor. Jesus é o verbo infinito (Jo 1:1).
    ESTE CÁLICE É O NOVO TESTAMETO NO MEU SANGUE, QUE É DERRAMADO POR VÓS – Na hora do cálice, Jesus volta a empregar os verbos na mesma conjugação. Como a Torá diz que a “vida da carne está no sangue” (LV 17:11), Jesus não apenas deu Seu sangue por nós: Ele deu Sua Vida para a nossa carne! Por isso ele disse que Sua “carne verdadeiramente é comida” e o Seu “sangue verdadeiramente é bebida” (Jo 6:55)
    Com este novo pacto, Ele está cumprindo a profecia de cerca de 600 a.C.: “Eis que os dias vêm, diz o senhor, em que farei um Pacto Novo com a casa de Israel e com a casa de judá, não conforme o pacto que fiz com seus pais, no dia em que os tomei pelas mãos, para os tirar da terra do Egito, esse meu pacto que eles invalidaram, apesar de Eu os haver desposado, diz o Senhor. Mas este pacto que farei com a casa de Israel depois daqueles dias, diz o Senhor: Porei a minha Lei em seu interior, e a escreverei no seu coração; e Eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo. E não ensinarão mais cada um a seu próximo, nem cada um a seu irmão, dizendo: Conhecei ao Senhor; poque todos me conhecerão, desde o maior até o menor, diz o senhor; pois lhe perdoarei a sua iniquidade e não me lembrarei mais dos seus pecados” (Jr 31:31-34).
    DEPOIS DA CEIA – Primeiro participamos do corpo, morto por nós. Depois, participamos do Seu sangue precioso. Participar do corpo tungado no sangue é participar como Judas Iscaiotes.
    BEBEI DELE TODOS – Não apenas o sacerdote, mas todos os que participaram do corpo devem participar do sangue. Participar apenas do corpo sem sangue é participar apenas do Cristo morto. É uma participação incompleta. Ao bebermos o sangue depois de termos comido o corpo, este sangue precioso se junta ao Seu corpo no nosso ventre. Ocorre então o milagre do Cristo vivo na nossa carne. Podemos dizer como o apóstolo Paulo: “Vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim. E a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé no filho de Deus, o qual me amou, e Se entregou a Si mesmo por mim” (Gl 2:20)

    • Veja aqui herege Renato de Carvalho um pouco dos primeiros fragmentos cristãos
      do século II e III
      isso é a patrística

      ________________________________________
      Aviso de Introdução a restos do segundo e terceiro séculos
      Sob o título de Fragmentos dos séculos II e III são agrupados, na série de Edimburgo, uma massa de material ilustrativo valiosa, que pode ter sido distribuído com grande vantagem através dos volumes anteriores, em estrita ordem de cronologia. Algo se deve, no entanto, para a unidade da autoria, e para o design marcante de os editores da edição original de deixar esses fragmentos estão juntos, como o trabalho de seu colaborador realizado, o reverendo BP Pratten, com cuja habilidade e erudição nossos leitores já estão familiarizados. [3529]
      Eu contentei-me, portanto, de dar ordem aproximada e continuidade, por motivos cronológicos, para a série de nomes subjoined.Bardesanes foi eliminada aqui, e colocada de forma mais adequada com os autores siríaco. O leitor encontrará referências que podem ajudá-lo na busca de mais informações. Alguns desses nomes são de valor duradouro e interesse pela Igreja. Prefiro chamar esses “Fragmentos” seus “restos”.
      Para cada um dos seguintes nomes já prefixado alguns detalhes de informações, com datas, tais como o fornecimento de aprender.
      O seguinte é a
      Aviso introdutória do tradutor
      Os fragmentos que se seguem são as produções de escritores que viveram durante o segundo século ou no início da terceira.Pouco se sabe dos escritores, e as declarações feitas em relação a eles são freqüentemente muito indefinido, eo resultado de mera conjectura.
      1. Quadratus foi um dos primeiros dos apologistas cristãos. Ele disse ter apresentado seu pedido de desculpas a Adriano, enquanto o imperador estava em Atenas assistir à celebração dos mistérios de Elêusis.
      2. Aristo de Pella, um judeu, foi o autor de uma obra chamada A Disputa de Jason e Papiscus. Nada mais se sabe dele. Ele floresceu na primeira metade do século II.
      3. Melito foi bispo de Sardes, e floresceu no reinado de Marco Aurélio. Ele escreveu muitas obras, mas todos eles morreram, exceto alguns fragmentos. A autenticidade dos fragmentos siríaco é uma questão em aberto.
      4. Hegésipo também floresceu no tempo de Antonino Pio e Marco Aurélio. Ele é o primeiro historiador eclesiástico, mas seu livro foi bastante notas para uma história eclesiástica, do que uma história.
      5. Dionísio foi bispo de Corinto, no reinado de Marco Aurélio. Ele escreveu cartas para várias igrejas.
      6. Rhodon passou da Ásia para a Roma, e tornou-se um discípulo de Taciano. Decorrido o prazo de seu mestre em heresia ele permaneceu fiel à fé, e escreveu contra os hereges.
      7. Maximus floresceram na mesma época como Rhodon, sob os imperadores Commodus e Severo.
      8. Cláudio Apolinário foi bispo de Hierápolis, e apresentou uma defesa dos cristãos para Marco Aurélio. Ele escreveu muitas obras importantes, de que temos apenas alguns fragmentos.
      9. Polícrates foi bispo de Éfeso. Ele tomou parte na controvérsia sobre a questão da Páscoa. Ele morreu por volta de 200 dC
      10. Teófilo foi bispo de Cesaréia. Ele foi contemporâneo de Polícrates, e, como ele, envolvido na controvérsia da Páscoa.
      11. Serapião foi ordenado bispo de Antioquia 190 dC, mas quase nenhum outro fato de sua vida é conhecida. Ele escreveu várias obras.
      12. Apolônio escreveu uma obra contra os montanistas, provavelmente no ano de 210. Isso é tudo o que se sabe sobre ele.
      13. Pantænus, provavelmente um siciliano de nascimento, passou de estoicismo ao cristianismo, e foi para a Judéia para proclamar a verdade. Ele voltou para Alexandria, e tornou-se presidente da escola catequética lá, em que posto permaneceu até sua morte, que ocorreu por volta do ano 212 ad
      14. A Carta das Igrejas de Vienne e Lyons foi escrito logo após a perseguição na Gália, que teve lugar no ano 177 DC. Não se sabe quem é o autor. Alguns supõem que Irineu escreveu isso, mas não há um testemunho histórico para este efeito.
      Notas de Rodapé
      [3529] Ver vol. ii. (P. 125), etc
      Restos dos séculos II e III
      .
      Quadratus, bispo de Atenas. [3530]
      [Ad 126.] Quadratus [3531] é falado por Eusébio como “um homem de compreensão e de fé apostólica.” E ele comemora Aristides, como um homem de caráter semelhante. Estes foram os primeiros apologistas, ambos abordados seus escritos a Adriano, e eles estavam existente e valorizado nas igrejas na época de Eusébio.
      Desde o pedido de desculpas para a religião cristã. [3532]
      Nossos Salvador obras, além disso, estavam sempre presentes, porque eram de verdade, constituído por aqueles que tinham sido curadas de suas doenças, aqueles que tinham sido ressuscitado dos mortos; que não só foram vistos enquanto eles estavam sendo curados e levantou-se, mas foram depois constantemente presente. Nem eles permanecem apenas durante a permanência do Salvador na Terra, mas também um tempo considerável após sua partida, e, de fato, alguns deles sobreviveram até mesmo para os nossos tempos. [3533]
      Notas de Rodapé
      [3530] Mas ver Lightfoot, AF, parte ii. vol. ip 524. [3531] Em Quadrato e Aristides, consulte Routh, RS, p. 71; também Westcott, On the Canon, p. 92. [3532] No Eusébio, Hist. Eccl., Iv. 3. [3533] [Westcott supõe a Diogneto de Mathetes (vol. ip 23) pode ser o trabalho de Quadratus; Canon, p. 96.]
      .
      Aristo de Pella
      [Ad 140.] Aristo de Pella [3534] é suposto ter sido um judeu, cujo trabalho foi concebido para ajudar o judaísmo não de seu país. Embora seu trabalho é perdido, tanto o original ea tradução para o latim de um “Celso”, parece ter sido um trato popular entre os cristãos do tempo de Cipriano, eo prefácio Latina é frequentemente sufixo às edições de que o Padre.
      O trabalho de Aristo é conhecida como a Disputa de Papiscus e Jason, e Celso nos diz que Jason era um cristão hebraico, enquanto o seu adversário era um judeu de Alexandria. Agora, Papiscus possui-se convencido pelos argumentos de Jason, e conclui por um pedido para ser batizado. Celso, que parece ter sido um pagão ou um epicurista, ridiculariza o trabalho com comiseração desdenhosa, mas Orígenes repreende isso, e afirma o seu respeito pelo trabalho. Tudo isso considerado, é preciso pensar Aristo foi “quase persuadido a ser um cristão”, e merece um lugar entre os escritores cristãos.
      Do Disputa de Jason e Papiscus.
      “Eu me lembro”, diz Jerome (Com. Gal anúncio, cap iii comm 13….), “Na disputa entre Jason e Papiscus, que é composta em grego, de o ter encontrado escrito: ‘A maldição de Deus é aquele que é pendurado “.
      A partir da mesma obra.
      Jerônimo da mesma forma, em suas perguntas hebraico em Gênesis, diz:. “No princípio Deus criou o céu ea terra A maioria acredita, como se afirma também na disputa entre Jason e Papiscus e, como Tertuliano, em seu livro Contra Práxeas afirma e, como Hilário também, em sua exposição de um dos Salmos, declara, que no hebraico é: `No Filho, Deus fez o céu ea terra”. Mas que isso é falso, a natureza do caso em si prova. ”
      Talvez do mesmo trabalho.
      … E quando o próprio homem [3535], que tinha iniciado eles [3536] para essa loucura pagou a penalidade (diz Eusébio, Hist., Iv. 6), “toda a nação de que o tempo era estritamente proibido para definir pé na região de Jerusalém, pelo decreto formal e promulgação de Adrian, que ordenou que nem mesmo a distância de um olhar sobre a sua terra natal! ” Assim escreve Aristo de Pella.
      A partir da mesma obra.
      Eu encontrei esta expressão sete céus (diz Maximus, em Scholia no trabalho sobre a Teologia Mística, atribuído a Dionísio, o Areopagita, cap. I.), Também na disputa entre Papiscus e Jason, escrito por Aristo de Pella, que Clemente de Alexandria, no sexto livro dos contornos, [3537] diz que foi composto por São Lucas.
      Em relação ao mesmo trabalho.
      Assim escreve Orígenes: [3538] … em que um livro cristão é representado discutindo com um judeu a partir das Escrituras judaicas, e mostrando que as profecias sobre o Cristo se aplicam a Jesus: embora seu adversário dirige-se ao argumento sem capacidade comum , [3539] e de uma forma não unbefitting seu caráter judaico.
      Notas de Rodapé
      [3534] Routh, RS, vol. ip 93. Westcott, Canon, p. 106. Menção Grabe. Discussão Routh, em anotações, é mais culto e exaustiva. [3535] Barchochebas.[3536] Os judeus. [3537];; Upotuposos. [3538] Contra Celsum, iv. 52. [3539] Ouk agennos.
      .
      Melito, o Filósofo.
      [Ad 160-170-177.] Melito [3540] pode ter sido o sucessor imediato do “anjo” (ou “apóstolo”) da igreja de Sardes, a quem nosso Grande Sumo Sacerdote dirigiu uma das mensagens apocalípticas. Ele era um “padre apostólico” de fato, ele muito provavelmente sabia que o bem-aventurado Policarpo e Ireneu de Lyon seu discípulo. Ele é justamente reverenciado para a diligência com que ele procurou as provas que, em sua época, estabeleceu a Canon do Antigo Testamento, então apenas completa.
      Nos fragmentos seguintes vamos encontrá-lo chamado de bispo de Sardes, bispo de Ática, e Bispo de ITTICA. Ele também é-nos apresentado como “o filósofo”, e vamos encontrá-lo denominado “eunuco” por Polycrates. Supõe-se que ele havia se tornado um coelebs “para o reino dos céus”, sem intenção de confundir nosso Senhor, como fez Orígenes. Ele não era um monge, mas aceitou uma propriedade única de ser o mais livre e único olho no serviço do Mestre. Desde a erudição enciclopédica de Lightfoot que recolher alguns pormenores, como segue: –
      1. Adotei sua data, como Lightfoot dá, – isto é, o período de seus escritos, – sob os Antoninos. A improbabilidade de 70 anos no episcopado é motivo suficiente para rejeitar a idéia de que ele próprio era o “anjo da igreja de Sardes,” a quem o Senhor enviou a repreensão terrível.
      2. Seu silêncio sobre perseguições sob Vespasiano, Tróia, e Pio Antonino não pode ser invocada para isentá-los a partir desta mancha, contra a evidência positiva para o contrário.
      3. Uma coincidência com Inácio aos Efésios [3541] será observado a seguir.
      4. Melito, com Cláudio Apolinário e até mesmo Polycrates, pode ter sido pessoalmente com Inácio, [3542], é claro, um com o outro. Estes viveu não muito longe de Esmirna, Ásia Menor foi, no primeiro século, o foco da atividade cristã.
      5. Sabemos de sua visita ao Oriente a partir de sua própria conta, preservada por Eusébio. Os cristãos da Ásia proconsular estavam acostumados a tais viagens. Mesmo Clemente de Alexandria pode ter encontrado ele, como ele parece ter encontrado Taciano e Teódoto. [3543]
      6. Vouches Melito para o rescrito de Adriano, [3544], mas sua referência suposto o edital de Antonino não suportar escrutínio como mandado para a sua autenticidade. [3545]
      7. A Apologia de nosso autor foi dirigida a Aurélio em seu meio de carreira como um soberano, cerca de 170 dC. Justin, Melito, Atenágoras, Teófilo e todos contam a mesma história triste de crueldade imperial. Mesmo quando Justin escreveu a Antonino, Marcus era supremo nos conselhos do imperador ancião.[3546]
      8. Ele se tornou um mártir, provavelmente sob Marco Aurélio, por volta de 177 anúncios, [3547] alguns críticos eminentes mesmo datado sua Apologia tão tarde quanto este.
      Notas de Rodapé
      [3540] Routh, RS, vol. ip 113. E ver Westcott, Canon, p. 245. [3541] Lightfoot, AF, vol. ii. p. 48. [3542] Ib., Vol. ip 428. [3543] vol. ii. (Stromata) p. 301, esta série. [3544] vol. ip 186, esta série. [3545] Lightfoot, AF, vol. ip 468. [3546] Lightfoot, AF, vol. ii. [3547] Ibid., Pp 446, 494.
      I.
      Um discurso que estava na presença de Antonino César, e exortou [3548] O Disse César para familiarizar-se com Deus, e mostrou-lhe o caminho da verdade.
      Ele começou a falar o seguinte: –
      “Não é fácil”, disse Melito, “rapidamente para trazer para o caminho certo ao homem que tem um longo período de tempo previamente realizada rápido por erro Pode, no entanto, ser efectuada:. Pois, quando um homem se afasta sempre tão pouco do erro, a menção da verdade lhe é aceitável. Pois, assim como quando a nuvem quebra sempre tão pouco lá vem o bom tempo, mesmo assim, quando um homem se volta para Deus, a espessa nuvem de erro que o privou da visão verdadeira é rapidamente retirado antes dele Por erro, como doença [3549] e sono, muito rápido tem aqueles que estão sob a sua influência;. [3550] verdade, mas usa a palavra como um aguilhão, e fere os slumberers, e desperta-los, e quando eles estão acordados eles olham para a verdade, e também entender isso: eles ouvem, e distinguir o que é do que não é porque existem homens que chamam justiça iniqüidade. eles pensam, por exemplo, que é justiça para um homem para errar com muitos Mas eu, de minha parte, afirmo que não é uma boa desculpa para o erro que um homem erra com os muitos Porque, se um homem único pecado, [3551] o seu pecado é grande:.. quanta maior será o pecado quando o pecado muitos juntos!
      “Agora, o pecado de que falo é esta:.. Quando um homem abandona o que realmente existe, e serve o que realmente não existe There` é “o que realmente existe, e é chamado de Deus, Ele, eu digo, realmente existe, e pelo Seu poder Acaso, tudo subsiste Este ser é, em nenhum sentido feito, nem nunca vir a existir;.., mas Ele existe desde a eternidade, e continuará a existir para sempre e sempre Ele não muda, enquanto tudo else. mudanças Nenhum olho [3552] pode vê-lo, nem pensei prendê-lo, nem língua descrevê-lo, e aqueles que o amam falar dele assim: ‘Pai, e Deus da Verdade’.
      “Se, portanto, um homem abandonar a luz, e dizer que não há outro Deus, é claro do que ele mesmo diz que é alguma coisa criada que ele chama de Deus. Pois, se um homem chamado fogo de Deus, não é Deus, porque é fogo, e, se um homem chamada água de Deus, não é Deus, porque é água, e, se assim chamar esta terra em que pisamos, ou dos céus, que são vistas por nós, ou a sol, nem da lua, ou alguma uma dessas estrelas que correm o seu curso sem cessar por ordem divina, e não acelerar ao longo de sua própria vontade, nem são estes deuses, e, se um homem deuses chamada de ouro e prata, não são esses objetos coisas que nós usamos o que quisermos?, e, se assim chamar aqueles pedaços de madeira que queimar, ou aquelas pedras que quebram, como essas coisas podem ser deuses? Pois, eis que eles são para uso do homem. Como pode o `eles escapar da comissão de grande pecado, que em seu discurso de mudar o grande Deus em coisas que, desde que eles continuam, continuam por ordem divina?
      “Mas, não obstante isso, eu digo que, enquanto um homem não ouve, e assim não discernir ou entender que há um Senhor sobre essas criaturas, ele não é, talvez, a culpa: porque ninguém encontra a falha com um cego . homem que ele anda sempre tão mal Pois, da mesma forma como os cegos, homens assim também, quando foram buscar a Deus, tropeçou em pedras e blocos de madeira, e, dentre eles, eram ricos tropeçou em ouro e prata, e foram impedidos pelos seus tropeços de encontrar o que eles estavam buscando. Mas, agora que uma voz foi ouvida em toda a terra, [3553] declarando que há um Deus de verdade, e não foi dada a cada um uma olho com o qual ver, as pessoas estão sem desculpa que se envergonham de incorrer na censura de seus ex-companheiros em erro, e ainda o desejo de andar no caminho certo. Para aqueles que têm vergonha de ser salvo, deve perecer de necessidade., por isso, o conselho -los a abrir os olhos e ver, porque eis luz é dada abundantemente [3554] a todos nós para ver isso, e se, quando a luz surgiu em cima de nós, qualquer um fechar os olhos para não ver, para a vala! ele deve ir [3555] Mas por que é um homem de vergonha da censura dos que estiveram no erro juntamente com si mesmo, e isso Behoove ele para convencê-los a seguir seus passos;.? e, se eles não devem ser persuadidos por ele, então, a se desligar de sua sociedade Porque há homens que não são capazes de levantar de sua mãe-terra, e, portanto, também eles fazem deuses da terra de sua mãe,. e eles estão condenados pelos juízos de verdade, porquanto como aplicar o nome daquele que é imutável a esses objetos, que estão sujeitas a mudanças, e encolher não de chamar aqueles deuses coisas que foram feitas pelas mãos do homem, e se atreve a fazer uma imagem de Deus, a quem não viu .
      “Mas eu tenho que ressaltar ainda, que a Sibila [3556] também tem dito a respeito deles que são as imagens de reis falecidos que eles adoram e isso é fácil de entender:.! Pois eis que, mesmo agora culto e honra as imagens daqueles de Cæsarean classificação [3557] mais do que seus antigos deuses, pois a partir desses deuses seus antigos tanto tributo pecuniário e produzir reverter a favor de César, como para aquele que é maior do que Por conta disso, aqueles que desprezá-los, e assim causar. receita de César a cair curto, são condenados à morte. Mas, para o tesouro de outros reis também é apontado o quanto os adoradores em vários lugares deverá pagar, e quantos vesselfuls [3558] de água do mar, devem fornecer. Tal é a maldade do mundo -. daqueles que adoram e medo que não tem sensação Muitos deles, também, que são astutos, seja por causa de ganho, ou por vanglória, ou para o domínio sobre a multidão, a si mesmos adorar e incitar aqueles que são destituídos de entendimento para adorar, o que não tem sensação.
      “Eu vou mais escrever e mostrar, tanto quanto a minha habilidade vai, como e para o que provoca imagens foram feitas para reis e tiranos, e como eles chegaram a ser considerados [3559] como deuses. O povo de Argos fez imagens de Hércules, porque ele pertencia a sua cidade, e era forte, e por seus animais valentia matou nocivos, e mais especialmente porque eles tinham medo dele porque ele estava sujeito a qualquer controle, e levaram as esposas de muitos:. pela sua luxúria era grande , como a de Zuradi o persa, seu amigo. Novamente, o povo de Acte adorou Dionísio, [3560] um rei, porque ele tinha recentemente [3561] a videira plantada em seu país. os egípcios adoravam José, o hebreu, que foi chamado Serapis, porque ele lhes forneceu milho durante os anos de fome. Os atenienses adoravam Atena, filha de Zeus, rei da ilha de Creta, porque ela construiu a cidade de Atenas, e fez Ericthippus seu filho, rei lá, quem teve por adultério com Hefesto, um ferreiro, filho de uma mulher de seu pai. Era, também, sempre cortejar a sociedade de Hércules, porque ele era seu irmão do lado de seu pai. por Zeus, o rei se apaixonou por Alcmena, a esposa de Electrião, que era de Argos, e cometeu adultério com ela, e ela deu à luz a Hércules. As pessoas adoraram Balthi da Fenícia, [3562] rainha de Chipre, porque ela se apaixonou por Tamuz, filho de Cuthar rei dos fenícios, e deixou seu próprio reino e foi habitar em Gebal, uma fortaleza dos fenícios, e ao mesmo tempo fez todas as cortesãs sujeito ao rei Cuthar Além disso, antes Tamuz ela tinha caído no amor com Ares, e cometeu adultério com ele.; e Hefesto, o marido dela, pegou-a, e seu ciúme foi despertado contra ela, e ele veio e matou Tamuz no Monte Líbano, como ele estava caçando [3563] javalis, e de que o tempo Balthi permaneceu em Gebal, e ela morreu em a cidade de Aphiki, [3564], onde foi enterrado Tamuz Os elamitas adorado Nuh, filha do rei de Elão:. quando o inimigo tinha levado cativo, seu pai fez para ela uma imagem e um templo em Shushan, uma residência real que está na Elam Os sírios adoravam Athi, um Hadibite, que enviou a filha de Belat, uma pessoa hábil na medicina, e ela curou Simi, a filha de Hadade, rei da Síria;., e algum tempo depois, quando ele mesmo teve Hadade a lepra em cima ele, Athi Eliseu orou ao hebraico, e ele veio e curou de sua lepra. Os povos da Mesopotâmia também adoraram Cuthbi, uma mulher hebraica, porque ela entregue Bakru, o rei paternal [3565] de Edessa, de seus inimigos. que diz respeito para Nebo, que é adorado em Mabug, por que eu deveria escrever para você? Pois, eis todos os sacerdotes que estão em Mabug saber que é a imagem de Orfeu, um trácio Mago. Hadran, novamente, é a imagem de Zaradusht, um mago persa. Para os dois magia Magos praticado em um poço que estava em uma madeira em Mabug, em que era um espírito imundo, e agrediu e contestou a passagem de cada um que passou por todo o país em que em que a cidade de Mabug está situado, e estes Magos, de acordo com o que era um mistério em seu sistema Magian, mandou Simi, a filha de Hadad, para tirar água do mar e derramá-lo para dentro do poço, para que o espírito não deve vir para cima e cometer assalto Da mesma forma, o resto da humanidade fez imagens de seus reis e os adoraram;. de que a matéria não vou escrever mais.
      “Mas tu, uma pessoa de mente liberal, e familiarizado com a verdade, se tu considerar adequadamente esses assuntos, em comunhão com teu próprio; [3566] e, embora eles devem vestir-te com a roupagem de uma mulher, lembre-se que tu . arte um homem acreditar nEle, que é na realidade de Deus, e para ele, estava aberto a tua mente, e para ele cometer a tua alma, e Ele é capaz de dar-te a vida imortal para sempre, pois tudo é possível para Ele; [3567] e deixe todas as outras coisas sejam estimado por ti, assim como eles são – como imagens, imagens e esculturas como esculturas, e não deixe que só é ser colocado por ti, no lugar daquele que não é feita, mas deixá-lo, Deus sempre vivo, estar constantemente presente na tua mente [3568] Para a tua própria mente é Sua semelhança:. pois também é invisível e impalpável, [3569] e não para ser representado por qualquer forma, ainda pela sua vontade é a toda estrutura corporal movido. Sabe, portanto, que, se tu sempre servi-Lo, que é imóvel, mesmo que Ele existe para sempre, então tu também, se tu não deixar este corpo, o que é visível e corruptível, estaremos diante dEle para nunca, dotado de vida e conhecimento, e as tuas obras devem ser para ti riqueza inesgotável e posses infalível e saber que o chefe das tuas boas obras é esta: que te. conhecem a Deus e servi-Lo Saiba, também, que ele não vos pedir. nada de ti: Ele não needeth nada.
      “Quem é este Deus, Ele que é Ele mesmo a verdade, ea sua verdade palavra E o que é verdade o que não é moda, nem feito, nem representado pela arte:?.? Isto é, que nunca foi trazido à existência, e está em que conta chamada verdade. [3570] Se, portanto, um culto ao homem o que é feito com as mãos, não é a verdade que ele adora, nem ainda a palavra da verdade.
      “Eu tenho muito a dizer sobre este assunto, mas eu sinto vergonha para aqueles que não entendem que eles são superiores para o trabalho de suas próprias mãos, nem percebemos como eles dar ouro para os artistas que eles podem fazer para eles deuses, e dar-lhes a prata para seu adorno e honra, e mover suas riquezas de lugar para lugar, e então adorá-los. infâmia E o que pode ser maior do que isso, que um homem deve adorar suas riquezas, e abandonar aquele que concedeu as riquezas sobre ? ele e que ele deve insultar o homem, ainda adorar a imagem do homem, e matar um animal, ainda adorar a imagem de uma besta Isso também é evidente, que é a obra de seus semelhantes que eles adoram: por que não fazer? adorar os tesouros [3571], enquanto eles são definidos pelo no saco, mas quando os artistas têm imagens de moda eles adorá-los, nem eles adoram o ouro ou a prata considerados como propriedade, [3572], mas quando os buris têm esculpida eles, então eles adoram. homem sem sentido! que disso tem sido feito para teu ouro, que agora tu worshippest isso? Se é porque ela foi feita para se assemelhar a um animal alado, por que tu não adorar o animal alado em si? E se porque foi feito como um animal de rapina, eis a besta de rapina em si está diante de ti. E se é a obra em si que agrada-te que a obra de Deus por favor ti, que fez todas as coisas, e em Seu semelhança fez os operários, que se esforçam para fazer como ele, mas não se assemelham-Lo.
      “Mas talvez dirás:?. Como é que Deus não o fez tornar-me que eu deveria servi-Lo, e não imagens Ao falar assim, tu és buscando tornar-se um instrumento ocioso, e não um homem viver para Deus te fez tão perfeito como parecia bom para Ele, Ele te deu uma mente dotada de liberdade;. Ele colocou diante de objetos de ti em grande número, para que tu possas em tua parte distinguir a natureza de cada coisa e escolher por ti mesmo o que é bom; Ele colocou diante de ti os céus, e colocou nelas as estrelas, Ele colocou diante de ti o sol ea lua, e também eles a cada dia o seu curso nela, Ele colocou diante de ti a multidão de águas, e os conteve por Sua palavra, Ele colocou diante de ti a terra de largura, que permanece em repouso, e continua diante de ti sem variação: [3573], no entanto, para que não te deves supor que de sua própria natureza é tão continua, Ele faz também a tremer quando Ele apraz, Ele colocou diante de ti as nuvens, que por sua ordem trazem água de cima e satisfazer a terra – que a partir daí tu possas entender que aquele que coloca essas coisas em movimento é superior a todos eles, e podes aceitar felizmente a bondade Daquele que te deu uma mente qual a distinguir essas coisas um do outro.
      “Portanto, eu aconselho-te a conhecer-te, e para conhecer a Deus para entender como que há dentro de ti o que é chamado de alma – por que o olho vê, por ela os ouve ouvido, por ele fala a boca;. E como ele faz uso de todo o corpo, e como, sempre que lhe apraz para remover a alma do corpo, este cai a decair e perece A partir daí, portanto, que existe dentro de ti, e é invisível, entender como Deus também se move por todo. Seu poder, como o corpo, e que, sempre que agrada a retirar o Seu poder, o mundo inteiro também, como o corpo, vai cair a decair e perecer.
      “Mas por que este mundo foi feito, e por isso passa longe, e por que o corpo existe, e por isso cai a decair, e por isso continua, tu não podes saber até que tenhas a tua cabeça levantada a partir deste sono em que tu és afundado , e tens abriu os olhos e viu que Deus é um só, o Senhor de todos, e tens vindo a servi-Lo com todo o teu coração Então Ele lhes dei a conhecer a Sua vontade:. para cada uma que é cortada a partir do conhecimento da Deus vivo está morto e enterrado, mesmo quando em seu corpo. Assim é que tu chafurdar no chão antes de demônios e sombras, e pedes petições vãs de que o que não tem nada para dar. Mas tu, tu ficar-se entre aqueles que estão mentindo sobre a terra e pedras acariciando e dando sua substância como alimento para o fogo, e oferecendo sua vestes aos ídolos, e, enquanto eles próprios dotados de sentidos, estão empenhados em servir o que não tem sensação, e oferecer por teu imperecível petições alma para o que não decayeth, a Deus, que não sofre decomposição – ea tua liberdade será logo aparente, e sê-lo de cuidado, [3574] e dar graças a Deus que te fez e te deu a mente de . livre, a forma que tu a tua conduta como tu desejas Ele tem posto diante de ti todas estas coisas, e te showeth que, se tu segue a mal, hás de ser condenado por tuas más ações, mas que, se depois de bondade, tu receber dEle abundante boa, [3575], juntamente com a vida imortal para sempre.
      “Não há, portanto, nada para impedir-te de mudar a tua maneira mal da vida, porque tu és um homem livre, ou de buscar e descobrir quem é o Senhor de todos, ou de servi-Lo com todo o teu coração: porque com Ele não há relutância em dar o conhecimento de si mesmo para aqueles que a procuram, de acordo com a medida de sua capacidade de conhecê-Lo.
      “Que seja o teu primeiro cuidado para não enganar a si mesmo Porque, se tu dizes do que não é Deus:. Este é Deus, te enganas-te, sinnest e antes do Deus da verdade Insensato é que Deus, que é comprado e.! vendido? É Deus que está em quer? É que Deus, que deve ser vigiado? Como buyest tu-lo como escravo, e serves-o como um mestre? Como tu perguntas a dele, como de um que é rico, para dar a ti, e te dás a ele como a um que é pobre? Como fazes esperar dele que ele te fará vitorioso na batalha? para, eis quando teus inimigos te conquistou, que tira-lo da mesma forma.
      “Talvez um que é um rei pode dizer: Eu não posso me comportar corretamente, porque eu sou um rei, torna-se-me a fazer a vontade de muitos Quem fala assim realmente merece ser ridicularizado:. Para por que não o rei se o caminho [3576] para todas as coisas boas, e persuadir as pessoas sob seu domínio para se comportar com pureza, e para conhecer a Deus de verdade, e em sua própria pessoa coloca diante deles os padrões de todas as coisas excelentes – uma vez que, assim, torna-se a ele para fazer? Pois é uma coisa vergonhosa que um rei, ainda que mal ele pode conduzir-se, ainda deve julgar e condenar aqueles que fazem de errado.
      “Minha opinião é esta: que no` desta forma ‘um reino pode ser governado em paz – quando o soberano está familiarizado com o Deus da verdade, e é retido por medo de que ele fizesse errado [3577] para aqueles que são o seu súditos, e julga tudo com equidade, como alguém que sabe que ele mesmo também será julgado diante de Deus, enquanto, ao mesmo tempo, aqueles que estão sob seu domínio [3578] são retidos pelo temor de Deus de fazer o mal ao seu soberano, e são contidos pelo mesmo medo de fazer errado para o outro. por este conhecimento de Deus e de medo dele todo o mal pode ser removido do reino. Pois, se o soberano se abster de fazer o mal para aqueles que estão sob seu domínio , e abster-se de fazer o mal para ele e para o outro, é evidente que todo o país vai viver em paz. Muitas bênçãos, também, vai ser apreciado lá, porque entre todos eles o nome de Deus será glorificado. Pois o que bênção é maior do que isso, que um soberano deve entregar as pessoas que estão sob o seu domínio do erro, e por esta boa ação tornar-se agradável a Deus porque de erro surgem todos os males de que sofrem reinos;? mas o maior de todos os erros é esta: quando um homem é ignorante de Deus, e em Deus adora lugar a que não é Deus.
      “Há, no entanto, as pessoas que dizem: É para a honra de Deus que fazemos a imagem:. No fim, isto é, para que possamos adorar o Deus que se esconde da nossa vista Mas eles não sabem que Deus está no todos os países, e em todo lugar, e nunca está ausente, e que não há nada feito e ele não o sabe. Contudo, o homem, tu desprezível! dentro de quem Ele é, e sem o qual Ele é, e acima de quem Ele é, tens no entanto, foi e comprou madeira de ti desde a de carpinteiro, e é esculpido e transformado em uma imagem insulto a Deus. [3579] Para este sacrifício offerest tu, e não sabes que a tudo vê te vêem olho, e que a palavra da verdade reprova-te, a ti e diz: Como pode o Deus invisível ser esculpida Não, é a semelhança de ti mesmo que tu fazes e worshippest Porque a madeira foi esculpida, que não tens o discernimento para perceber que ainda é de madeira,?. ou que a pedra ainda é pedra? O ouro também o operário [3580] tira de acordo com seu peso na balança. E quando tu tinha feito [3581] em uma imagem, por que tu pesá-lo? Portanto tu és um amante de ouro, e não um amante de Deus. E tu não tem vergonha, por acaso ele ser deficiente, para exigir do fabricante de que por que ele roubou alguma dela? Ainda que os olhos que tu tens, a dose não te ver? E apesar de tu inteligência, [3582] dose tu não entende? Por que tu chafurdar no chão, e oferecer súplica a coisas que são sem sentido? temei aquele que faz tremer a terra, e fez os céus a girar, e feriu o mar, e remove o montanha do seu lugar – Ele que pode fazer-se como um incêndio, e consumir todas as coisas, e, se tu não ser capaz de limpar-te de culpa, mas não adicionar os teus pecados, e, se tu não ser capaz de conhecer a Deus , mas não duvido [3583] que Ele existe.
      “Mais uma vez, há pessoas que dizem: Tudo o que nossos pais nos legaram, que reverência Portanto, é claro, que é, que aqueles cujos pais legou a pobreza se esforçar para tornar-se rico e aqueles cujos pais não instruí-los.! , o desejo de ser instruído, e para saber o que os seus pais não sabiam! E por que, em verdade, é que os filhos de os cegos vêem, e os filhos de os coxos andam? Não, não é bem para um homem de seguir seus antecessores , se aqueles cujo curso foi mal, mas sim que devemos transformar a partir desse caminho deles, para que o que aconteceu com os nossos predecessores deve trazer desgraça sobre nós também Portanto, perguntar se curso de teu pai era bom:., e, em caso afirmativo, tu também seguir os seus passos;., mas, se o curso de teu pai era muito mal, deixa teu ser bom, e que assim seja com os teus filhos depois de ti [3584] ser entristecido também para teu pai, porque sua carreira é má, então desde que a tua dor pode servir para ajudá-lo mas, como para os teus filhos, falar com eles assim:. Há um Deus, o Pai de todos, que nunca veio a ser, nem nunca foi feita, e pela vontade de quem todas as coisas subsistem . Ele também fez os luminares, que Suas obras podem ver um ao outro, e ele se esconde em seu poder a partir de todas as suas obras, pois não é permitido a qualquer assunto estar a mudar para ver Aquele que não muda Mas como estão atentos. de Suas palavras, e são admitidos em que a aliança que é imutável, `eles verão a Deus – tanto quanto é possível para eles para vê-Lo Estes também terá poder para escapar da destruição, quando o dilúvio de fogo vem sobre todos. o mundo. Pois era uma vez uma inundação e um vento, [3585] eo grande [3586] homens foram arrastados por uma explosão violenta do norte, mas a apenas foram deixados, para uma demonstração da verdade. Novamente, em outro tempo houve uma enxurrada de água, e todos os homens e os animais morreram no tumulto de águas, mas a apenas foram preservados em uma arca de madeira por ordem de Deus, assim também será na última vez:. haverá um dilúvio de fogo, ea terra será queimada, juntamente com as suas montanhas, ea humanidade deve ser queimado, junto com os ídolos que eles fizeram, e as imagens esculpidas que eles adoravam, e do mar deve ser queimado , juntamente com suas ilhas, mas o justo será preservado da ira, como também como foram seus companheiros da arca nas águas do dilúvio E então os aqueles que não têm conhecimento de Deus, e aqueles que as tornaram ídolos, lamentam-se. , quando eles devem ver os ídolos de deles sendo queimado, junto com eles, e nada deve ser encontrado para ajudá-los.
      “Quando tu, Antonino [3587] César, deve familiarizar-se com estas coisas, e os teus filhos também contigo, então queres tu lhes legar uma herança para sempre, que não se pode murchar, e tu entregar tua alma, e as almas dos os teus filhos também, daquilo que virá sobre toda a Terra no julgamento da verdade e da justiça, por, de acordo como tu reconheceu ele aqui, então Ele vai te reconhecer lá;., e, se tu conta-Lo aqui supérfluo, Ele o fará não te conta um dos que conheceu e confessou.
      “Estes podem ser suficientes tua majestade, e, se forem muitos, ainda se dignou a aceitá-los.” [3588]
      Aqui termina Melito.
      Notas de Rodapé
      [3548] “, que foi entregue na presença … e em que, etc” Este parece ser o sentido pretendido, e que é dada por M. Renan: “Sermo qui est factus” Cureton torna: “Quem estava na presença, etc”, e supõe que Melito primeiro viu e conversou com o imperador, e depois escreveu esse discurso. Melito fala de mais de uma vez como escrito. Essa visão, no entanto, não dispõe de o fato de que é aqui Melito afirmou ter “exortava (lit., disse a) César, etc” Foi claramente a intenção de ser entendido que o discurso, ou da fala, foi dito: as referências para escrever apenas mostrar que ele foi escrito, antes ou após o parto. [3549] Cureton: “paixão”. A palavra *** leva os dois significados. [3550] Lit. “Peregrinar por baixo.” [3551] Cureton: “agir estupidamente.” [3552] Lit. “Vista”. [3553] Comp. Rom. x. 18. [3554] Cureton: “a luz sem inveja.” Mas a expressão semelhante à Gk. aphthonos, ungrudgingly, sem restrição. [3555] Lit. “Para a vala é o seu caminho.” Comp. Matt. xv. 14. [3556] Ver vol. ip 280, esta série, onde as linhas seguintes são citadas por Justino Mártir dos oráculos sibilinos: – “Mas se desviaram dos caminhos imortal, e adoração com uma Ídolos mente embotada e sem sentido, a obra de nossas próprias mãos, e imagens e figuras de homens mortos “. [3557] Cureton: “aqueles que pertencem a César.” Mas os próprios Cæsars são claramente significava. [3558] Cureton: “sacos cheios.” A primeira palavra é usada de uma bolsa de couro ou carteira, como em Lucas x. 4 (Peshito) para pera. [3559] Lit. “, Que se tornou.” [3560] Cureton, sem necessidade, lê a palavra “Dionísio”. [3561] Cureton torna “originalmente.” Mas comp. Judith iv. 3, onde a mesma palavra responde a prosphatos. [3562] Venus. [3563] conjectura Cureton de *** ou *** para ***, foi aprovado. [3564] Alguns identificaram com Afeque, Josh. xix. 30. Os ritos observados aqui foram especialmente abominável. [3565] Cureton: “o patrício”. Dr. Payne Smith, Tes. Syr. sv, considera a palavra como equivalente a pater tes poleos, pater civitatis “, um título de honra encontrado nos escritores bizantinos”, e está inclinado a pensar que um termo pertencente ao dialeto de Edessa. Um uso similar do mesmo adjetivo é citado de Buxtorf, Lex. Chald. Talm., P. 12: “. J + J + B + ua # um cognome R. Nachmanis, qui um celebritate Familiae sic cognominatus est, quase Patritius” Este ponto de vista parece ser apoiada pelo uso semelhante de um adjetivo para um substantivo acima: “. Cæsars” “pessoas de posição Cæsarean”, ou [3566] Lit., “Ser (ou, chegar a ser) com a ti mesmo.” Cureton: “entrar em ti mesmo.” O significado parece ser, “pensar por ti mesmo”. [3567] Cureton: “Tudo vem através de suas mãos.” Deve antes ser “, em suas mãos”, ou seja, “Ele tem poder para fazer tudo.” Veja a nota 7, p. 725. [3568] Lit., “Estar em execução na tua mente.” [3569] O texto tem ***, que M. Renan deriva da raiz *** e traduz “commovetur”. Este, embora correta em gramática, não atender o sentido. As gramáticas reconhecer a forma como Eshtaphel possível de ***, “tangere”, mas ele não é encontrado em utilização real. Dr. Payne Smith acha que a leitura correta a ser ***, o que dá o sentido desejado. [3570] Ou, “o que é fixa e invariável”. Não parece ser uma referência para a derivação de *** (verdade) de ***, firmus fuit (Stabilis). Cureton tem estranhamente mal traduzida ***, por “aquele que, sem ter sido trazido à existência, não existe”. A *** primeiro é nada, mas o sinal de negação enfática, que é freqüentemente anexado ao *** e *** é o infinitivo de ênfase pertencente ao *** segundo. [3571] Cureton: “materiais”. O texto impresso tem *** “drogas”. A leitura correta, dificilmente pode haver dúvida, é. *** [3572] Lit. “, De propriedade do ouro ou da prata,” se a palavra é justamente *** tomadas. Embora nenhum derivado de tal *** é encontrada nos dicionários, a forma é possível a partir do Palel do verbo: por exemplo, de ***. *** Veja Hoffmann, Gram. Syr., Sec. 87, 19. [3573] Lit. “Em uma moda.” [3574] Ou, “o que pertence a ele.” [3575] Lit. “Muitas coisas boas”. [3576] Lit. “Ser o novato.” [3577] Cureton provavelmente está certo em assim que tomar as palavras, apesar de a construção não é exatamente o mesmo que na frase semelhante, um pouco abaixo. Se sim, por que devemos ler ***. *** [3578] Lit. “Mão”. [3579] Lit. “Em um insulto a Deus.” Então M. Renan “, no opróbrio Dei”. Cureton, admitindo que este pode ser o sentido, torna “, uma abominação de Deus”, e refere-se à circunstância de que nas Escrituras, um ídolo é freqüentemente tão falado. Mas *** não é utilizado em tais passagens (isto é ou ***, ou, menos frequentemente ***), nem sempre aparecer a ter o significado que Cureton lhe atribui. [3580] Lit. “Ele”. [3581] Lit. “Fizeste-lo.” [3582] Lit. “Coração”. [3583] Lit. “Ser de opinião.” [3584] Esta parece preferível Cureton “, e deixar que os teus filhos depois de ti também acompanhar.” Se fosse este o significado, provavelmente o verbo *** teria sido usado, como na frase anterior, não. *** [3585] Então, o oráculo Sibilino, citado por Cureton no grego: – “E, quando ele o estrelado íngreme do céu Ascend, o Imortal Senhor fez suas obras com explosões poderosas assaltam: imediatamente as ventos Lançadas prostrado de sua altura a pilha altaneiro, e luta amarga entre os construtores despertada. ” [3586] Lit. “Escolhido”. A mesma expressão, exceto que o *** semelhante é usado para ***, ocorre Sap. Sol. xiv. 6, como uma tradução de huperephanon giganton, gigantes superbi. Veja Ts. Syr. ***, Sv. [3587] O ms. tem “Antonius”.[3588] Cureton, para a última cláusula, dá “como tu queres”, observando que o sentido é obscuro. A tradução literal é: “se quiseres,” a cláusula conseqüente sendo não expressa. “Se você, por favor, aceite-as,” parece que se quer dizer.
      II.
      Do Discurso sobre Alma e Corpo. [3589]
      Por esta razão que o Pai enviou o seu Filho do céu sem uma forma corpórea, que, quando ele deve colocar em um corpo por meio de ventre da Virgem, e nascer o homem, Ele pode salvar o homem, e reunir os membros do Seu que morte havia dispersado quando dividiu o homem.
      E mais adiante: – A terra tremeu, tremeu e os seus fundamentos, o sol fugiram, e os elementos se virou, e no dia se transformou em noite, porque não pôde suportar a visão de seu Senhor pendurado em uma árvore. Toda a criação foi espantado, maravilhado, dizendo: “Que mistério novo, então, é este o juiz é julgado, e mantém a sua paz;? Do Invisível é visto, e não é vergonha, o Incompreensível é apossado, e é Não indignado, o Ilimitável está circunscrito, e não me resistir, o Impossível sofre, e não me vingar, o Imortal morre, e corresponde, nem uma palavra, o Celestial é colocado na sepultura, e perseverar Que mistério é este novo “!? Toda a criação, eu digo, se espantou, mas, quando nosso Senhor surgiu a partir do local da morte, e morte de pisada, e vinculado a uma forte, e libertar o homem, então que toda a criação ver claramente que para homem causa do juiz foi condenado, eo Invisível foi visto, eo Ilimitável foi circunscrito, eo impassível sofreu, e do Imortal morreu, eo Celestial foi colocado no deu. Por nosso Senhor, quando Ele nasceu homem, foi condenado a fim de que ele pudesse mostrar misericórdia, foi preso no fim de que pudesse perder, foi apreendido a fim de que pudesse liberar, sofreu a fim de que Ele pode sentir compaixão, [3590] morreu no fim de que pudesse dar vida, foi colocada na sepultura para que pudesse levantar dos mortos. [3591]
      Notas de Rodapé
      [3589] Por Melito, bispo de Sardes. [3590] *** parece ser a verdadeira leitura, não o *** do ms impressa. [3591] [Tais passagens sustentar o testemunho de Jerônimo e outros, que este Pai venerável e aprendido era um pregador eloqüente.]
      III.
      Do Discurso sobre a Cruz. [3592]
      Sobre essas contas Ele veio a nós; sobre essas contas, se Ele era incorpóreo, Ele formou para si um corpo após a nossa moda, [3593] – aparecendo como uma ovelha, mas ainda permanecendo o pastor; sendo estimado um servo, ainda não renunciando a Filiação; sendo realizado no ventre de Maria, ainda vestida de natureza de Seu Pai; pisando sobre a terra, ainda enchendo o céu, aparecendo como uma criança, ainda não descartando a eternidade de Sua natureza; sendo investidos com um corpo, ainda não circunscrevendo a simplicidade sem mistura de Sua Divindade; ser estimado pobres, ainda não despojado de suas riquezas; necessidade de sustento na medida em que Ele era um homem, mas não deixar de alimentar o mundo inteiro na medida em que Ele é Deus, pondo sobre a semelhança de um servo , mas não prejudicando [3594] a semelhança de seu pai. Ele sofreu cada personagem [3595] pertencente a ele em uma natureza imutável: Ele estava de pé diante de Pilatos, e ao mesmo tempo estava sentado com seu pai, ele foi pregado no madeiro, e ainda era o Senhor de todas as coisas.
      Notas de Rodapé
      [3592] Por o mesmo. [3593] Ou “teceu – um corpo de nosso material.” [3594] Lit. “Mudando”. [3595] Lit. “Ele era tudo.”
      IV.
      Na fé. [3596]
      Temos reunidos trechos da Lei e dos Profetas relativos a essas coisas que foram declarados sobre o nosso Senhor Jesus Cristo, para que possamos provar o seu amor que este Ser é motivo perfeito, a Palavra de Deus, Aquele que foi gerado antes da luz, Ele que é o Criador, juntamente com o Pai, Ele, que é o Formador do homem, Ele que é tudo em todos, Ele que entre os patriarcas é Patriarca, Ele que na lei é a lei, entre os sacerdotes, sumo sacerdote; entre os reis, o Soberano, entre profetas, o Profeta, entre os anjos, Arcanjo, na voz do pregador, a Palavra, entre os espíritos, o Espírito; no Pai, o Filho, em Deus, Deus, Rei sempre e nunca. Para esse é o que foi piloto de Noé, Ele que foi o guia de Abraão, Ele que foi amarrado com Isaac, Ele que estava no exílio com Jacó, Ele que foi vendido com José; Ele, que era capitão do exército com Moisés, Ele que foi o divisor da herança com Jesus, filho de Nun, Ele que em Davi e os profetas anunciaram seus próprios sofrimentos, Ele que ponha em uma forma corpórea na Virgem; Aquele que nasceu em Belém, Ele que foi envolto em faixas -roupas na manjedoura, Ele que foi visto pelos pastores, Ele que foi glorificado pelos anjos, Ele que era adorado pelos Magos; Ele, que foi apontado por João, Ele que reuniu os apóstolos, Ele que pregou o reino , Ele que curou o coxo, Ele que deu a luz aos cegos, Ele que ressuscitou dos mortos, Ele que apareceu no templo, Ele que não foi acreditado pelo povo, Ele que foi traído por Judas, Ele que foi apreendido pela os sacerdotes, aquele que foi condenado por Pilatos, que foi perfurado na carne, ele que foi enforcado na árvore, ele que foi enterrado na terra, Ele que ressuscitou o lugar do morto, ele que apareceu aos apóstolos , Ele que foi levado para o céu, Ele que está sentado à direita do Pai, Ele, que é o repouso daqueles que estão partiu, o Recuperador de todos aqueles que perderam, a luz dos que estão em trevas, a libertador dos que estão em cativeiro, o guia dos que se desviam, o asilo do aflito, o noivo da Igreja, o cocheiro dos querubins, o capitão dos anjos, Deus que é de Deus, o Filho, que é de o Pai, Jesus Cristo, o Rei para sempre. Amen.
      Notas de Rodapé
      [3596] É Melito o bispo.
      V. [3597]
      Este é aquele que tomou uma forma corporal na Virgem, e foi enforcado na árvore, e foi enterrado no interior da terra, e sofreu não dissolução, Ele que ressuscitou o lugar do morto, e levantou homens da terra – da sepultura abaixo para a altura do céu. Este é o Cordeiro que foi morto, o que é o Cordeiro, que não abriu a boca. [3598] Este é aquele que nasceu de Maria, ovelhas justo da dobra. Este é aquele que foi tirado do rebanho, e foi levado ao matadouro, e foi morto na noite, e foi sepultado à noite; Ele, que não tinha osso dele quebrado na árvore; Aquele que não sofreu dissolução dentro da terra , Ele que ressuscitou o lugar dos mortos, e levantou-se a raça de Adão da sepultura abaixo, Este é aquele que foi condenado à morte. E onde Ele estava condenado à morte? No meio de Jerusalém. Por quem? Por Israel: porque Ele curou seus coxos, e limpou seus leprosos, e deu a luz ao seu cego, e levantou os seus mortos! Esta foi a causa de sua morte. Tu, ó Israel, foste dar comandos, e Ele estava sendo crucificado; foste alegria, e ele estava sendo sepultado, tu foste reclinada em um sofá macio, e ele estava assistindo na sepultura e da mortalha. [3599], ó Israel, transgressor da lei, por que tens cometido esta maldade nova, sujeitando o Senhor para novos sofrimentos – o teu próprio Senhor, aquele que te formou, aquele que te fez, Ele que te honrado, que te chamou Israel ? Mas tu não foi encontrado para ser Israel, porque tu não viste Deus, nem entendeu o Senhor. Tu não sabes, ó Israel, que este era o primeiro filho de Deus, que foi gerado antes do sol, que fez a luz brilhar, que iluminou o dia, que se separou da escuridão, que fixou as primeiras fundações, que a terra preparada, que recebeu o oceano, que estendeu o firmamento, que adornou o mundo. Bitter eram teus pregos e afiadas; língua teu amargo, que tu whet; amarga foi Judas, para que pusestes aluguer; amargas tuas testemunhas falsas, a quem tu stirredst-se na vesícula; teu amargo, que tu Preparaste; vinagre amarga, que o teu tu fizeste; amargas as tuas mãos, cheias de sangue. Tu feriste teu Senhor, e Ele foi levantado na árvore, e uma inscrição foi fixado acima, para mostrar quem Ele era, que foi morto. E quem era esse? (O que não deve dizer é muito chocante ouvir, eo que vamos dizer é muito terrível: no entanto, escutai, e tremer.) Foi Ele por causa de quem a terra tremeu. Ele que desligou o Terra no espaço foi enforcado até mesmo, Ele que fixou os céus foi fixada com pregos, Ele que deu a terra foi levada em cima de uma árvore, o Senhor de todos foi submetido a ignomínia de um corpo nu – Deus colocou a morte! o Rei de Israel morto com a mão direita de Israel! Infelizmente por causa da maldade nova do novo assassinato! O Senhor foi exposto com o corpo nu: Ele não foi considerado digno mesmo de cobrir, e, a fim de que Ele não pode ser visto, os luminares virou-se e tornou-se o dia escureceu [3600], porque eles mataram Deus, que estava pendurado nu em a árvore. Ele não era o corpo de nosso Senhor que os luminares coberta de trevas, quando definido, [3601], mas aos olhos dos homens. Pois, porque as pessoas não tremeu, a terra tremeu, porque não ficaram atemorizados, a terra foi atemorizados. Tu smotest teu Senhor: tu também foste ferido sobre a terra. E tu realmente liest morto, mas Ele ressuscitou o lugar dos mortos, e subiu para a altura do céu, depois de ter sofrido por causa daqueles que sofrem, e de ter sido obrigado por causa da raça de Adão, que foi preso, e tendo sido julgado por causa daquele que foi condenado, e tendo sido enterrado por causa do que estava enterrado.
      E mais adiante: – Este é aquele que fez o céu ea terra, e, no início, juntamente com o Pai, homem moda, que foi anunciado por meio da lei e dos profetas; que colocar em uma forma corpórea no Virgem; que foi enforcado na árvore; que foi enterrado na terra, que se levantou do lugar dos mortos, e subiu para a altura do céu, e está sentado à direita do Pai.
      Notas de Rodapé
      [3597] Por Melito, bispo de Ática. [Deste epígrafe, que se torna ITTICA abaixo, eu nunca vi uma explicação suficiente.] [3598] Lit. “O Cordeiro sem voz.”[3599] glossokomon O grego. [3600] [Para testemunho Flegonte, ver referências, vol. vii. p. 257. Mas note Lightfoot, Ap. F., parte ii. vol. ip 512; sua observação sobre Orígenes, Celsus, vol. iv. p. 437, esta série] [3601] Esta é a prestação de ***;. Cureton mas tem “fugido”, como se ele leu. ***
      VI. [3602]
      Ele que deu a terra foi levada em cima de uma árvore. O Senhor foi submetido a ignomínia com o corpo nu – Deus colocou à morte, o Rei de Israel morto!
      Notas de Rodapé
      [3602] Até o santo Melito, bispo da cidade de ITTICA. [Para Melito, em Apost Lightfoot. Padres, consulte a Parte II. vol. i. pp 133, 328, 428, 443-446, 468-469, 494. Ver Lardner, Credib., Vol. ii. 157, etc; Westcott, Canon, p. 246. Veja Polycrates, infra; no qual consultar Schaff, História, etc, vol. ii. p. 736. Acima de tudo, ver Routh, RS, tom. i. pp 113-153.]
      Fragmentos. [3603]
      I.
      Do Trabalho sobre a Páscoa. [3604]
      Quando Servílio Paulus procônsul da Ásia, no momento em que Sagaris [3605] sofreu o martírio, se levantou uma grande controvérsia em Laodicéia relativa ao tempo da celebração da Páscoa, ocasião em que aconteceu a cair na época adequada; [ 3606] e este tratado foi então escrito. [3607]
      Notas de Rodapé
      [3603] os seguintes fragmentos de Melito são traduzidos do grego, exceto n º IX., Que é tomada a partir do latim. [3604] No Eusébio, Hist. Eccl., Iv. 26. [Melito escreveu dois livros sobre o pascal e um No Dia do Senhor (ho logos peri kuriakes), de acordo com Eusébio. Mas isso é outra No dia de um dos livros sobre o pascal do Senhor? Pode-se duvidar. Routh nos remete a Barnabé. Ver vol. i. cap. 15 nota, 7, p. 147, esta série. Veja também Dionísio de Corinto, infra] [3605] Ele foi bispo de Laodicéia, e sofreu o martírio durante a perseguição de M. Aurélio Antonius -.. Migne. [3606] As igrejas da Ásia Menor manteve a Páscoa no décimo quarto dia da lua nova, qualquer dia da semana que pode ser, e, portanto, foram chamados Quartodecimans. Outras igrejas, principalmente as do Ocidente, manteve no domingo seguinte ao dia da Páscoa judaica. No caso aqui referido, a 14 do mês ocorreu no domingo em questão. [3607] Migne, não tão naturalmente, pontua o contrário, e torna “, o que tinha acontecido, então a cair no devido tempo, e nessa ocasião este tratado foi escrito.”
      II.
      Apologia do Dirigida a Marco Aurélio. [3608]
      Para a corrida do piedoso agora é perseguido de uma forma contrária a todos os precedentes, sendo assediado por um novo tipo de editais [3609] em toda a Ásia. Para descarado informantes, e como são gananciosos de bens de outros homens, tomando ocasião das ordens emitidas, exercer a sua assalto sem qualquer disfarce, pilhagem de propriedade e sua noite de dia, os que são culpados de nada de errado.
      Se estes processos ocorrem em teu licitação, [3610] muito bem. [3611] Para um soberano apenas nunca vai tomar medidas injustas, e nós, de nossa parte, de bom grado aceitar a honra de tal morte. Este pedido só apresentamos a ti, para que tu queres, antes de tudo examinar para ti sobre o comportamento desses agentes de renome de tanta discórdia, e depois chegar a uma decisão apenas para saber se eles merecem a morte e castigo, ou merece viver em segurança e tranquilidade. Mas se, pelo contrário, deve revelar-se que esta medida, e este novo tipo de comando, o que seria impróprio para empregar até mesmo contra bárbaros foemen, não procedem de ti, então tudo o mais que te rogamos para não deixar-nos, assim, expostos com a espoliação da população.
      Para a filosofia atual conosco floresceu em primeira instância, entre os bárbaros; [3612] e, quando depois surgiu entre as nações sob a tua regra, durante o reinado distinto do teu antepassado Augusto, que provou ser uma bênção da maioria dos presságio felizes ao teu império. Porque desde que o tempo o poder romano aumentou a grandeza e esplendor. Para este poder que tens sucedido como o tão desejado [3613] possuidor, e serás como tu continuar, juntamente com o teu filho, [3614], se tu proteger essa filosofia que cresceu com o teu império, e que teve a sua origem com Augusto; para que também os teus antepassados mais recentes pago honra, juntamente com as demais religiões existentes no império. Uma prova muito forte, além disso, que era para o bem que o sistema que professam veio a prevalecer, ao mesmo tempo que o império de início feliz como foi estabelecido, é este – que desde o reinado de Augusto nada incomum aconteceu; mas, ao contrário, tudo contribuiu para o esplendor e renome do império, de acordo com os desejos devotos [3615] de todos. Nero e Domiciano sozinho de todos os imperadores, impostas por alguns caluniadores, ter cuidado para trazer qualquer acusação contra nossas doutrinas. Eles, também, são a fonte de onde aconteceu que as calúnias deitado sobre aqueles que professam deles, em conseqüência do hábito sem sentido que prevalece de levar as coisas em boatos, descia para os nossos tempos. [3616] Mas o caminho que em sua ignorância perseguido foi anulada por teus progenitores piedosas, que muitas vezes e em muitos casos repreendeu por seus rescripts [3617] aqueles que se atreveu a definir a pé as hostilidades contra eles. Parece que, por exemplo, que o teu avô Adrian escreveu, entre outros, para Fundanus, o procônsul então a cargo do governo da Ásia. Teu pai, também, quando tu te foste associada com ele [3618] na administração do império, escreveu para as cidades, proibindo-os de tomar quaisquer medidas adversas para nós: entre o descanso para o povo de Larissa, e de Tessalônica, e de Atenas, e, em suma, a todos os gregos. E no que se refere a si mesmo, ao ver que os teus sentimentos respeitando os cristãos [3619] não são apenas a mesma que a deles, mas mesmo muito mais generosa e sábia, nós somos o mais convencido de que farás tudo o que pedimos de ti.
      Notas de Rodapé
      [3608] No Eusébio, Hist. Eccl., Lc [3609] Migne pensa que por elas são destinadas as ordens dadas por magistrados de cidades em sua própria autoridade, na distinção entre aqueles que emitidos a partir de imperadores e governadores das províncias. [3610] A referência deve ser o de cartas privadas: para em qualquer uma das principais cidades da Ásia um mandato do imperador teria sido tornada pública antes do procônsul começou a executá-lo – Migne.. [3611], ‘Esto kalos genomenon parece ser aqui usado no sentido de kalos sozinho. A correção da tradução Migne, o recte atque ordine FACTA sunto, está aberto a dúvida. [3612] Os judeus. Porfírio chama as doutrinas dos cristãos barbaron tolmema. Veja Euseb., Hist. Eccl., Vi. 19 -. Migne. [3613] Euktaios. [3614] Commodus, que, portanto, parece ainda não foram associados com seu pai no império -. Migne. [3615] Euchas. [3616] hon “Aph ‘kai para tes sukophantias Alogo sunetheia peri tous toioutous rhuenai sumbebeke pseudos. [3617] ‘Engraphos. [3618] A leitura de Valesius, sou ta panta auto sundioikountos, é aqui adotado. [3619] Peri Touton.
      III.
      Apologia do mesmo. [3620]
      Nós não somos aqueles que prestar homenagem a pedras, que estão sem sensação, mas do único Deus, que é antes de tudo e sobre todos, e, além disso, somos adoradores do seu Cristo, que é verdadeiramente a Palavra de Deus [3621] existente antes de todos os tempos.
      Notas de Rodapé
      [3620] No alexandrinum Chronicon. [3621], ‘ontos Theou Logou.
      IV.
      Do livro de extratos. [3622]
      Melito de Onésimo seu irmão, cumprimento: –
      Como você tem, muitas vezes, solicitado pelo seu respeito pela palavra de Deus, manifestou o desejo de ter alguns extractos de a Lei e os profetas a respeito do Salvador, e sobre a nossa fé em geral, e desejada, além disso, para se obter um preciso conta os livros antigos, quanto ao seu número e seu arranjo, tenho lutado com o melhor de minha capacidade de executar essa tarefa: saber bem o seu zelo pela fé, e sua ânsia de se familiarizar com a Palavra, e especialmente porque eu estou certo de que, através de seu anseio por Deus, estima-vos estas coisas para além de todas as outras coisas, engajados como você está em uma luta para a salvação eterna.
      Por conseguinte, procedeu-se à leste, e foi para o lugar onde as coisas em questão foram pregadas e teve lugar, e, depois de fazer-me com precisão familiarizados com os livros do Antigo Testamento, eu defini-los, logo abaixo, e, concomitantemente, enviar-lhe da lista. Os seus nomes são os seguintes: –
      Os cinco livros de Moisés – Gênesis, Êxodo, Levítico, Números, Deuteronômio, Josué, [3623] Juízes, Rute, quatro livros dos Reis, os dois de Crônicas, o livro dos Salmos de Davi, os Provérbios de Salomão, também chamado de o Livro da Sabedoria, Eclesiastes, Cântico dos Cânticos, Jó, os livros dos profetas Isaías, Jeremias, da 12 contido em um único livro, Daniel, Ezequiel, Esdras. A partir destes fiz meus extratos, dividindo-os em seis livros.
      Notas de Rodapé
      [3622] No Eusébio, lc [3623] ‘Naue Iesous.
      V.
      Desde o Catena sobre o Gênesis. [3624]
      No lugar de Isaac, o justo, um carneiro apareceu para o abate, a fim de que Isaac pode ser liberado de suas amarras. O abate deste animal resgatado Isaac da morte. Da mesma forma, o Senhor, sendo morto, nos salvou; estar vinculado, Ele nos libertou; ser sacrificado, Ele nos redimiu …
      Porque o Senhor foi um cordeiro, como o carneiro que Abraão viu apanhado no Sabec arbusto. [3625] Mas este arbusto representava a cruz, e que lugar de Jerusalém, eo cordeiro do Senhor ligado para o abate.
      Pois, como um carneiro foi Ele vinculado, diz que sobre o nosso Senhor Jesus Cristo, e como cordeiro foi Ele tosquiadas, e como a ovelha era Ele levado ao matadouro, e como cordeiro foi crucificado Ele, e Ele carregou a cruz [3626 ] sobre os seus ombros quando ele foi levado até a colina para ser morto, como era Isaac por seu pai. Mas Cristo sofreu, e Isaque não sofreu: para ele era, mas um tipo daquele que deve sofrer. No entanto, mesmo quando serve apenas para um tipo de Cristo, ele feriu os homens com espanto e medo.
      Para um novo mistério foi apresentada a ver, – um filho levado por seu pai a uma montanha a ser morto, cujos pés ele ligados, e deitou-o sobre a lenha do sacrifício, preparando com cuidado [3627] que fosse necessário para sua imolação. Isaac de sua parte é silenciosa, ligada como um carneiro, não abrindo a boca, nem emitir um som com sua voz. Pois, não temendo a faca, nem acovardados diante do fogo, nem preocupado com a perspectiva de sofrimento, ele sofreu bravamente o caráter do tipo do Senhor. Assim aí reside Isaac diante de nós, com seus pés atados como um carneiro, o pai de pé, com a faca toda nua na mão, não diminuindo de derramar o sangue de seu filho.
      Notas de Rodapé
      [3624] A partir de Melito de Sardes. [3625] A palavra hebraica% K ° B + S + °, matagal, não é encontrado como um nome próprio. [3626] Para xulon. [3627] spoudes Meta. Migne: Cum festinatione.
      VI.
      Dois Scholia em Gênesis XXII. 13. [3628]
      O siríaco e hebraico usa a palavra “suspensa”, [3629] como mais claramente tipificando a cruz.
      A palavra Sabek [3630], alguns tornaram remissão, [3631] outras verticais, [3632] como se o significado, concordando com a crença popular, eram – um bode andando erigir-se a um arbusto, e não ereto pego por sua chifres, de modo a ser de um tipo simples de cruz. Por esta razão, não é traduzida, porque a palavra hebraica significa único em outras línguas [3633] muitas coisas. Para aqueles, porém, que pedem é apropriado para dar uma resposta, e dizer que Sabek denota levantado. [3634]
      Notas de Rodapé
      [3628] Na edição da LXX. publicado pelo Card. Jarra, 1581. [3629] kremamenos. O hebraico é Z + X + # N +, o *** siríaco, tanto significado simplesmente “pegou”. [3630] Ver nota sobre o fragmento de um pouco antes. [3631] aphesis. [3632] orthios. [3633] Lit. “Quando traduzido.” [3634] epermenos.
      VII.
      Sobre a natureza de Cristo. [3635]
      Pois não há necessidade, para pessoas de inteligência, para tentar provar, a partir das obras de Cristo depois do seu batismo, que a sua alma e seu corpo, sua natureza humana [3636] como a nossa, era real, e não fantasma da imaginação. Para as obras feitas por Cristo após Seu batismo, e, especialmente, seus milagres, deu indicação e segurança para o mundo da Divindade escondida em sua carne. Pois, ser ao mesmo tempo Deus e homem perfeito do mesmo modo, Ele deu-nos indicações seguras de Suas duas naturezas: [3637] de Sua Divindade, pelos Seus milagres durante os três anos que se passaram após o batismo; da sua humanidade, durante a 30 semelhante períodos que antecederam o batismo, em que, por motivo de sua propriedade baixo [3638] no que respeita à carne, Ele escondeu os sinais de Sua Divindade, embora Ele era o verdadeiro Deus existe antes de todas as idades.
      Notas de Rodapé
      [3635] Em Anastácio do Sinai, O Guia, cap. 13. [3636] Ou, de acordo com a pontuação de Migne, “Sua alma, e do corpo de sua natureza humana.” As palavras são, para Hemas Alethes kai aphantaston tes psuches autou kai tou somatos tes kath ‘anthropines phuseos. [3637] ousias. [Comp. nota 13, infra.] [3638] Para ateles.
      VIII.
      Desde a Oração sobre a Paixão de Nosso Senhor. [3639]
      Deus tem sofrido com a mão direita de Israel. [3640]
      Notas de Rodapé
      [3639] Anastácio, Guia, cap. 12. [3640] [;; Israelitidos O Theos peponthen hupo dexias ‘. Compare Taciano, vol. ii. p. 71, nota 2; também Orígenes, vol. iv. p.480, nota 4, esta série. E ver Routh, RS, ip 148. Então, “Deus colocou à morte”, p. 757, supra.]
      IX. [3641]
      Chefe do Senhor – Sua Divindade simples, porque Ele é o princípio eo Criador de todas as coisas: em Daniel. [3642]
      Os cabelos brancos do Senhor, porque Ele é “o Ancião dos Dias:” como acima.
      Os olhos do Senhor – a inspecção Divina: porque ele vê todas as coisas. Assim no apóstolo:. Pois todas as coisas estão nuas e patentes aos Seus olhos “[3643]
      As pálpebras do Senhor – ocultos mistérios espirituais nos preceitos divinos. No Salmo: “. Sua pergunta pálpebras, que é provar, os filhos dos homens”[3644]
      O cheiro do Senhor – Seu prazer nas orações e obras dos santos. Em Gênesis: “E o Senhor sentiram um odor de doçura.” [3645]
      A boca do Senhor – Seu Filho, ou palavra dirigida aos homens. Em o profeta, “A boca do Senhor o disse,” [3646] e em outros lugares, “Eles provocaram a boca para a raiva.” [3647]
      A língua do Senhor – Seu Esp

  17. RENATO DE CARVALHO PARA MIM NÃO VÊ VOCÊ FALAR PAPAGAIADAS ESTUDE ESSE É O MEU RECADO

    AGORA SÓ UM RECADO ESTUDE NAS FONTES E NAS TESTEMUNHAS OCULARES

    ESTUDAR EM SITES DE HISTORIADORES PROTESTANTE É FURADA

    NÃO PRECISA ESTUDAR TAMBÉM NOS SITES CATÓLICOS

    FAZ ASSIM PROCURE AS MAIORES BIBLIOTECAS DO BRASIL RENOMADAS.

    Pronunciamentos (Gregório de Nanzianzo).
    Contra Eunômio – Livro I (Gregório de Nissa).
    Contra Eunômio – Livro II (Gregório de Nissa).
    Contra Eunômio – Livro III (Gregório de Nissa).
    Contra Eunômio – Livro IV (Gregório de Nissa).
    Contra Eunômio – Livro V (Gregório de Nissa).
    Contra Eunômio – Livro VI (Gregório de Nissa).
    Contra Eunômio – Livro VII (Gregório de Nissa).
    Contra Eunômio – Livro VIII (Gregório de Nissa).
    Contra Eunômio – Livro IX (Gregório de Nissa).
    Contra Eunômio – Livro X (Gregório de Nissa).
    Contra Eunômio – Livro XI (Gregório de Nissa).
    Contra Eunômio – Livro XII (Gregório de Nissa).
    Contra Eunômio – Tomo II (Gregório de Nissa).
    Contra os Macedonianos (Gregório de Nissa).
    Sobre a Fé Santa (Gregório de Nissa).
    Sobre a Morte das Crianças (Gregório de Nissa).
    Sobre a Não-Existência de Três Deuses (Gregório de Nissa).
    Sobre a Santíssima Trindade (Gregório de Nissa).
    Sobre a Virgindade (Gregório de Nissa).

    Carta ao Bispo Basílides (Dionísio de Alexandria).
    Carta ao Bispo Dionísio de Roma (Dionísio de Alexandria).
    Cartas Diversas (Dionísio de Alexandria).
    Comentário ao Eclesiastes (Dionísio de Alexandria).
    Contra os Sabelianos (Dionísio de Roma).
    Contra Sabélio (Dionísio de Alexandria).
    Da Natureza (Dionísio de Alexandria).
    Das Promessas (Dionísio de Alexandria).
    Hinos de Nísibis (Efrém da Síria).
    Hinos para a Festa da Epifania (Efrém da Síria).
    Hinos sobre a Fé (Efrém da Síria).
    Hinos sobre a Natividade do Senhor (Efrém da Síria).
    Homilia sobre Nosso Senhor (Efrém da Síria).
    Homilia sobre a Mulher Pecadora (Efrém da Síria).
    Homilia sobre o Conselho e o Arrependimento (Efrém da Síria).
    Leituras Catequéticas (Cirilo de Jerusalém).
    Regra Pastoral – Livro I (Gregório I de Roma).
    Regra Pastoral – Livro II (Gregório I de Roma).
    Regra Pastoral – Livro III (Gregório I de Roma).
    Regra Pastoral – Livro IV (Gregório I de Roma).

    “Acerca do Discernimento das Paixões e dos Pensamentos” (Evágrio do Ponto). Agradecemos a Roberto Gortiz pelo envio da sua tradução.
    “Atos de Pedro” (Apócrifo). Agradecemos a Wilson Reis Lopes de Melo Pinto pelo envio da sua tradução.
    “Contra Proclo” (Caio). Agradecemos a Philippe Gebara pelo envio da sua tradução.
    “Evangelho da Natividade de Maria” (Apócrifo). Agradecemos a Andrea Patrícia pelo envio da sua tradução.

    O Padre Clemente de Alexandria foi movido para a área “Escritores Eclesiásticos”.Acrescentada a seguinte obra:

    Da Correção dos Rústicos (Martinho de Braga).
    Atualizada a seguinte obra:

    “Apocalipse de Pedro” (atribuído a São Pedro). Agradecemos a Wilson Reis Lopes de Melo Pinto pelo envio da sua tradução.

    A Demetriano (Cipriano de Cartago)
    A Fortunato ou Exortação ao Martírio (Cipriano de Cartago)
    Atas dos Debates Conciliares (Concílio Regional de Cartago VII)
    Contra Vigilâncio (São Jerônimo)
    Da Boa Paciência (Cipriano de Cartago)
    Da Disciplina Cristã (Comodiano)
    Da Mortalidade (Cipriano de Cartago)
    Da Oração do Senhor (Cipriano de Cartago)
    Da Vestimenta das Virgens (Cipriano de Cartago)
    Das Obras e das Esmolas (Cipriano de Cartago)
    Do Zelo e da Inveja (Cipriano de Cartago)
    Dos Lapsos (Cipriano de Cartago)
    Vida e Paixão de São Cipriano (Cipriano de Cartago)

    1ª Epístola sobre a Virgindade (Pseudo-Clemente de Roma)
    2ª Epístola sobre a Virgindade (Pseudo-Clemente de Roma)
    Comentários sobre a Epístola de Judas (Clemente de Alexandria)
    Comentários sobre a 1ª Epístola de João (Clemente de Alexandria)
    Comentários sobre a 2ª Epistola de João (Clemente de Alexandria)
    Contra a Heresia de Artemon (Caio)
    Contra Proclo (Caio)
    Da Alma (Clemente de Alexandria)
    Da Calúnia (Clemente de Alexandria)
    Da Providência (Clemente de Alexandria)
    Exortação aos Pagãos (Clemente de Alexandria)
    Fragmentos de Clemente de Alexandria citados por Antonio Melissa (Clemente de Alexandria)
    Fragmentos de Clemente de Alexandria citados por Cassiodoro (Clemente de Alexandria)
    Fragmentos de Clemente de Alexandria citados por Eusébio de Cesaréia (Clemente de Alexandria)
    Fragmento de Clemente de Alexandria citados por Macário Crisocéfalo (Clemente de Alexandria)
    Fragmentos de Clemente de Alexandria citados por Nicetas de Héracles (Clemente de Alexandria)
    Homilias Clementinas – Homilia I (Clemente de Roma)
    Homilias Clementinas – Homilia II (Clemente de Roma)
    Homilias Clementinas – Homilia III (Clemente de Roma)
    Homilias Clementinas – Homilia IV (Clemente de Roma)
    Homilias Clementinas – Homilia V (Clemente de Roma)
    Homilias Clementinas – Homilia VI (Clemente de Roma)
    Homilias Clementinas – Homilia VII (Clemente de Roma)
    Homilias Clementinas – Homilia VIII (Clemente de Roma)
    Homilias Clementinas – Homilia IX (Clemente de Roma)
    Homilias Clementinas – Homilia X (Clemente de Roma)
    Homilias Clementinas – Homilia XI (Clemente de Roma)
    Homilias Clementinas – Homilia XII (Clemente de Roma)
    Homilias Clementinas – Homilia XIII (Clemente de Roma)
    Homilias Clementinas – Homilia XIV (Clemente de Roma)
    Homilias Clementinas – Homilia XV (Clemente de Roma)
    Homilias Clementinas – Homilia XVI (Clemente de Roma)
    Homilias Clementinas – Homilia XVII (Clemente de Roma)
    Homilias Clementinas – Homilia XVIII (Clemente de Roma)
    Homilias Clementinas – Homilia XIX (Clemente de Roma)
    Homilias Clementinas – Homilia XX (Clemente de Roma)
    O Pedagogo – Livro I (Clemente de Alexandria)
    O Pedagogo – Livro II (Clemente de Alexandria)
    O Pedagogo – Livro III (Clemente de Alexandria)
    Outros Fragmentos de Obras Perdidas de Clemente de Alexandria (Clemente de Alexandria)
    Qual Homem Rico será Salvo? (Clemente de Alexandria)
    Reconhecimentos – Livro I (Clemente de Roma)
    Reconhecimentos – Livro II (Clemente de Roma)
    Reconhecimentos – Livro III (Clemente de Roma)
    Reconhecimentos – Livro IV (Clemente de Roma)
    Reconhecimentos – Livro V (Clemente de Roma)
    Reconhecimentos – Livro VI (Clemente de Roma)
    Reconhecimentos – Livro VII (Clemente de Roma)
    Reconhecimentos – Livro VIII (Clemente de Roma)
    Reconhecimentos – Livro XIX (Clemente de Roma)
    Reconhecimentos – Livro X (Clemente de Roma)
    Tapeçarias – Livro I (Clemente de Alexandria)
    Tapeçarias – Livro II (Clemente de Alexandria)
    Tapeçarias – Livro III (Clemente de Alexandria)

    Carta 1 (Atanásio de Alexandria)
    Carta 2 (Atanásio de Alexandria)
    Carta 3 (Atanásio de Alexandria)
    Carta 4 (Atanásio de Alexandria)
    Carta 5 (Atanásio de Alexandria)
    Carta 10 (Atanásio de Alexandria)
    Carta 11 (Atanásio de Alexandria)
    Carta 13 (Atanásio de Alexandria)
    Carta 14 (Atanásio de Alexandria)
    Carta 17 (Atanásio de Alexandria)
    Carta 18 (Atanásio de Alexandria)
    Carta 19 (Atanásio de Alexandria)
    Carta 20 (Atanásio de Alexandria)
    Carta 22 (Atanásio de Alexandria)
    Carta 24 (Atanásio de Alexandria)
    Carta 27 (Atanásio de Alexandria)
    Carta 28 (Atanásio de Alexandria)
    Carta 29 (Atanásio de Alexandria)
    Carta 40 (Atanásio de Alexandria)
    Carta 42 (Atanásio de Alexandria)
    Carta 43 (Atanásio de Alexandria)
    Carta 44 (Atanásio de Alexandria)
    Carta 45 (Atanásio de Alexandria)
    Carta 46 (Atanásio de Alexandria)
    Carta 47 (Atanásio de Alexandria)
    Carta 48 (Atanásio de Alexandria)
    Carta 49 (Atanásio de Alexandria)
    Carta 50 (Atanásio de Alexandria)
    Carta 51 (Atanásio de Alexandria)
    Carta 52 (Atanásio de Alexandria)
    Carta 53 (Atanásio de Alexandria)
    Carta 54 (Atanásio de Alexandria)
    Carta 55 (Atanásio de Alexandria)
    Carta 56 (Atanásio de Alexandria)
    Carta 58 (Atanásio de Alexandria)
    Carta 59 (Atanásio de Alexandria)
    Carta 60 (Atanásio de Alexandria)
    Carta 61 (Atanásio de Alexandria)
    Carta 62 (Atanásio de Alexandria)
    Carta 63 (Atanásio de Alexandria)
    Carta 64 (Atanásio de Alexandria)
    Do Espírito Santo (Basílio de Cesaréia)
    Homilias sobre o Hexaemeron – Homilia 1 (Basílio de Cesaréia)
    Homilias sobre o Hexaemeron – Homilia 2 (Basílio de Cesaréia)
    Homilias sobre o Hexaemeron – Homilia 3 (Basílio de Cesaréia)
    Homilias sobre o Hexaemeron – Homilia 4 (Basílio de Cesaréia)
    Homilias sobre o Hexaemeron – Homilia 5 (Basílio de Cesaréia)
    Homilias sobre o Hexaemeron – Homilia 6 (Basílio de Cesaréia)
    Homilias sobre o Hexaemeron – Homilia 7 (Basílio de Cesaréia)
    Homilias sobre o Hexaemeron – Homilia 8 (Basílio de Cesaréia)
    Homilias sobre o Hexaemeron – Homilia 9 (Basílio de Cesaréia)
    O Livro das Leis de Diversos Países (Bar Daisan)

    Cânons de Basílio Magno (Basílio de Cesaréia)
    Cânons de Cirilo (Cirilo de Alexandria)
    Cânons de Gregório (Gregório de Nissa)
    Cânons de João o Jejuador (João IV de Constantinopla)
    Cânons de Pedro (Pedro de Alexandria)
    Cânons de Teófilo (Teófilo de Alexandria)
    Cânons de Timóteo (Timóteo de Alexandria)

    Cânons de Ancira (Concílio Regional de Ancira)
    Cânons de Antioquia (Concílio Regional de Antioquia)
    Cânons de Calcedônia (Concílio Ecumênico de Calcedônia)
    Cânons de Constantinopla I (I Concílio Ecumênico de Constantinopla)
    Cânons de Constantinopla III (III Concílio Ecumênico de Constantinopla)
    Cânons de Dionísio (Dionísio de Alexandria)
    Cânons de Éfeso (Concílio Ecumênico de Éfeso)
    Cânons de Gangra (Concílio Regional de Gangra)
    Cânons de Gregório Taumaturgo (Gregório de Neocesaréia)
    Cânons de Laodicéia (Concílio Regional de Laodicéia da Frígia)
    Cânons de Neocesaréia (Concílio Regional de Neocesaréia)
    Cânons de Nicéia II (II Concílio Ecumênico de Nicéia)
    Cânons de Sárdica (II Concílio Regional de Sárdica)
    Da Reconciliação – Livro I (João Crisóstomo)
    Da Reconciliação – Livro II (João Crisóstomo)
    Epístola do Concílio Ecumênico de Éfeso ao Concílio Regional da Panfília (Concílio Ecumênico de Éfeso)
    Homilia sobre a Confissão, a Tristeza do Rei Acab e o Profeta Jonas (João Crisóstomo)
    Homilia sobre a Conversão e a Oração (João Crisóstomo)
    Homilia sobre a Esmola e as Dez Virgens (João Crisóstomo)
    Homilia sobre a Penitência (João Crisóstomo)

    1ª Catequese aos Catecúmenos (João Crisóstomo)
    2ª Catequese aos Catecúmenos (João Crisóstomo)
    Os 85 Cânons Apostólicos (Anônimo)
    Conversa com Nicodemos (João Crisóstomo)
    Do Batismo do Senhor (Gregório de Nissa)
    Prescrições (Pacômio de Tabenési)
    Protríptico do Santo Batismo (Pacômio de Tabenési)
    Sermão aos Neófitos (João Crisóstomo)
    Sermão sobre o Santo Batismo (Gregório de Nanzianzo)
    Atualizadas as seguintes obras:
    “Carta a Aeglon de Cinópolis [Fragmento]” (Alexandre de Alexandria). Agradecemos a Rafael de Souza pelo envio de sua tradução.
    “Carta de Lêntulo a Otávio” (Apócrifo). Agradecemos a José Rubens Almeida Leme Filho pela indicação do site que continha a tradução em português.

    Apologia de sua Fuga (Santo Atanásio de Alexandria)
    Apologia dirigida ao Imperador Constâncio (Santo Atanásio de Alexandria)
    Carta aos Bispos do Egito e Líbia (Santo Atanásio de Alexandria e outros)
    Carta de 95 Bispos do Egito e Líbia (Santo Atanásio de Alexandria e outros)
    Contra os Arianos (Santo Atanásio de Alexandria)
    Contra os Pagãos (Santo Atanásio de Alexandria)
    Contra os Pagãos – Livro I (Arnóbio de Sica)
    Contra os Pagãos – Livro II (Arnóbio de Sica)
    Contra os Pagãos – Livro III (Arnóbio de Sica)
    Contra os Pagãos – Livro IV (Arnóbio de Sica)
    Contra os Pagãos – Livro V (Arnóbio de Sica)
    Contra os Pagãos – Livro VI (Arnóbio de Sica)
    Contra os Pagãos – Livro VIII (Arnóbio de Sica)
    História Acéfala (Autoria Desconhecida)
    Da Encarnação do Verbo (Santo Atanásio de Alexandria)
    Da Sentença de Dionísio de Alexandria (Santo Atanásio de Alexandria)
    Deposição do Heresiarca Ário (Santo Atanásio de Alexandria)
    Discursos contra os Arianos – Discurso I (Santo Atanásio de Alexandria)
    Discursos contra os Arianos – Discurso II (Santo Atanásio de Alexandria)
    Discursos contra os Arianos – Discurso III (Santo Atanásio de Alexandria)
    Discursos contra os Arianos – Discurso IV (Santo Atanásio de Alexandria)
    Dos Decretos contra os Arianos (Santo Atanásio de Alexandria)
    Dos Sínodos de Arimino e Selêucia (Santo Atanásio de Alexandria)
    História dos Arianos (Santo Atanásio de Alexandria)
    Sobre Lucas 10,22 e Mateus 11,27 (Santo Atanásio de Alexandria)
    Tomo aos Antioquenos (Santo Atanásio de Alexandria)

    Atas do Debate com o Heresiarca Manes (Arquelau da Mesopotâmia)
    Demonstração I – Da Fé (Afraates da Síria)
    Demonstração V – Das Guerras (Afraates da Síria)
    Demonstração VI – Dos Monges (Afraates da Síria)
    Demonstração VIII – Da Ressurreição dos Mortos (Afraates da Síria)
    Demonstração X – Dos Pastores (Afraates da Síria)
    Demonstração XVII – De Cristo, o Filho de Deus (Afraates da Síria)
    Demonstração XXI – Da Perseguição (Afraates da Síria)
    Demonstração XXII – Da Morte e dos Últimos Tempos (Afraates da Síria)

    Acerca do Corpo e Alma e a Paixão do Senhor (Santo Alexandre de Alexandria)
    Carta 17 (Santo Ambrósio de Milão)
    Carta 18 (Santo Ambrósio de Milão)
    Carta 20 (Santo Ambrósio de Milão)
    Carta 22 (Santo Ambrósio de Milão)
    Carta 40 (Santo Ambrósio de Milão)
    Carta 41 (Santo Ambrósio de Milão)
    Carta 51 (Santo Ambrósio de Milão)
    Carta 57 (Santo Ambrósio de Milão)
    Carta 61 (Santo Ambrósio de Milão)
    Carta 62 (Santo Ambrósio de Milão)
    Carta 63 (Santo Ambrósio de Milão)
    Carta a Aeglon de Cinópolis (Santo Alexandre de Alexandria)
    Carta a Alexandre de Constantinopla (Santo Alexandre de Alexandria)
    Carta aos Ministros da Igreja Católica (Santo Alexandre de Alexandria)
    Carta aos Sacerdotes e Diáconos de Alexandria e Mareotis (Santo Alexandre de Alexandria)
    Contra os Maniqueus (Alexandre de Licópolis)
    Da Virgindade – Livro I (Santo Ambrósio de Milão)
    Da Virgindade – Livro II (Santo Ambrósio de Milão)
    Da Virgindade – Livro III (Santo Ambrósio de Milão)
    Das Viúvas (Santo Ambrósio de Milão)
    Do Arrependimento – Livro I (Santo Ambrósio de Milão)
    Do Arrependimento – Livro II (Santo Ambrósio de Milão)
    Do Espírito Santo – Livro I (Santo Ambrósio de Milão)
    Do Espírito Santo – Livro II (Santo Ambrósio de Milão)
    Do Espírito Santo – Livro III (Santo Ambrósio de Milão)
    Dos Mistérios (Santo Ambrósio de Milão)
    Explicação da Fé Cristã – Livro I (Santo Ambrósio de Milão)
    Explicação da Fé Cristã – Livro II (Santo Ambrósio de Milão)
    Explicação da Fé Cristã – Livro III (Santo Ambrósio de Milão)
    Explicação da Fé Cristã – Livro IV (Santo Ambrósio de Milão)
    Explicação da Fé Cristã – Livro V (Santo Ambrósio de Milão)
    Memorial de Símaco aos Imperadores Romanos (Senador Símaco)
    Sermão contra Auxêncio (Santo Ambrósio de Milão)

    Evangelho da Natividade de Maria (autoria desconhecida)
    Evangelho de Nicodemos (atribuído a Nicodemos)
    Evangelho do Pseudo-Mateus (atribuído a São Mateus)
    Evangelho Grego da Infância do Senhor (atribuído a São Tomé)
    Evangelho Latino da Infância do Senhor (atribuído a São Tomé)

    A Descida de Cristo aos Infernos (atribuído a Nicodemos)
    Apocalipse de Pedro (atribuído a São Pedro)
    Atos de Pedro (atribuído a São Pedro)
    Atos de Pedro e dos Doze Apóstolos (atribuído a São Pedro)
    Evangelho Sírio da Infância do Senhor (atribuído a São Tomé)
    História Eclesiástica – Livro I (Eusébio de Cesaréia)
    História Eclesiástica – Livro II (Eusébio de Cesaréia)
    História Eclesiástica – Livro III (Eusébio de Cesaréia)

    Carta de Lêntulo a Otávio (atribuído a Lêntulo)
    Evangelho Árabe da Infância do Senhor (atribuído a São Pedro)
    Evangelho de Bartolomeu (atribuído a São Bartolomeu)
    Evangelho de Pedro (atribuído a São Pedro)
    História de José, o Carpinteiro (atribuído a Jesus e os Doze Apóstolos)

    A Vingança do Salvador (Vindicta Salvatoris) (autoria desconhecida)
    Carta de Herodes a Pilatos (atribuída ao rei Herodes)
    Carta de Pilatos a Herodes (atribuída a Pôncio Pilatos)
    Carta de Pilatos a Tibério (atribuída a Pôncio Pilatos)
    Carta de Tibério a Pilatos (atribuída a Tibério César)
    Contra as Heresias – Livro V (Santo Ireneu de Lião)
    Declaração de José de Arimatéia (atribuída a José de Arimatéia)
    Harmonia dos Evangelhos (Amônio de Alexandria)
    Morte de Pilatos (Mors Pilati) (autoria desconhecida)
    Relatório de Pilatos a César (Anaphora) (atribuído a Pôncio Pilatos)
    Sentença Condenatória de Jesus Cristo (2) (atribuída a Pôncio Pilatos)
    Tradição de Pilatos (Paradosis) (autoria desconhecida)

    Contra as Heresias – Livro II (Santo Ireneu de Lião)
    Contra as Heresias – Livro III (Santo Ireneu de Lião)
    Contra as Heresias – Livro IV (Santo Ireneu de Lião)
    Da Escalada Espiritual (São João Clímaco)
    Livro de Orsiésio (Orsiésio de Tabenési)
    Regra de São Pacômio (São Pacômio de Tabenési)

    Diatessaron (Taciano da Síria)
    Do Instituto Cristão (Gregório de Nissa)
    Exortação aos Mártires (Tertuliano de Cartago)
    Homilia sobre o Salmo 130 (Santo Hilário de Poitiers)
    Odes de Salomão (atribuídas ao Rei Salomão)

    1ª Conferência (São Doroteu de Gaza)
    2ª Conferência (São Doroteu de Gaza)
    3ª Conferência (São Doroteu de Gaza)
    4ª Conferência (São Doroteu de Gaza)
    5ª Conferência (São Doroteu de Gaza)
    6ª Conferência (São Doroteu de Gaza)
    7ª Conferência (São Doroteu de Gaza)
    8ª Conferência (São Doroteu de Gaza)
    9ª Conferência (São Doroteu de Gaza)
    10ª Conferência (São Doroteu de Gaza)
    11ª Conferência (São Doroteu de Gaza)
    12ª Conferência (São Doroteu de Gaza)
    13ª Conferência (São Doroteu de Gaza)
    14ª Conferência (São Doroteu de Gaza)
    15ª Conferência (São Doroteu de Gaza)
    16ª Conferência (São Doroteu de Gaza)
    17ª Conferência (São Doroteu de Gaza)

    Carta a Hesíquio (João de Apaméia)
    Carta Primeira (Antonio do Egito)
    Carta Segunda (Antonio do Egito)
    Carta Terceira (Antonio do Egito)
    Carta Quarta (Antonio do Egito)
    Carta Quinta (Antonio do Egito)
    Carta Quinta-Bis (Antonio do Egito)
    Carta Sexta (Antonio do Egito)
    Carta Sétima (Antonio do Egito)
    Carta a Teodoro (Antonio do Egito)
    Explicação do Símbolo (Santo Ambrósio de Milão)
    Sátira dos Filósofos Gregos (Hérmias o Filósofo)
    Sentenças Diversas (Antonio do Egito)
    Vida de Hilarião (São Jerônimo)

    Das Heresias (Santo Agostinho de Hipona)
    Da Ordem – Livro I (Santo Agostinho de Hipona)
    Da Ordem – Livro II (Santo Agostinho de Hipona)
    Da Perfeição da Justiça do Homem (Santo Agostinho de Hipona)
    Mensagem aos Donatistas após a Conferência (Santo Agostinho de Hipona)
    O Espelho da Sagrada Escritura (Santo Agostinho de Hipona)
    O Matrimônio e a Concupiscência – Livro I (Santo Agostinho de Hipona)
    O Matrimônio e a Concupiscência – Livro II (Santo Agostinho de Hipona)
    Oito Questões do Antigo Testamento (Santo Agostinho de Hipona)

    Acerca Daqueles que Crêem ser Justificados por suas Obras (Marcos o Asceta)
    Acerca do Discernimento das Paixões e dos Pensamentos (Evágrio Pôntico)
    Advertências sobre a Índole Humana e a Boa Vida (Antonio do Egito)
    A Lei Espiritual (Marcos o Asceta)
    Atas do Debate com o Donatista Emérito (Santo Agostinho de Hipona)
    Contra os Priscilianistas e Origenistas – Livro I (Santo Agostinho de Hipona)
    Contra os Priscilianistas e Origenistas – Livro II (Santo Agostinho de Hipona)
    Da Imortalidade da Alma (Santo Agostinho de Hipona)
    Discurso sobre a Oração (Nilo o Asceta)
    Do Sacerdócio – Livro I (São João Crisóstomo)
    Do Sacerdócio – Livro II (São João Crisóstomo)
    Do Sacerdócio – Livro III (São João Crisóstomo)
    Do Sacerdócio – Livro IV (São João Crisóstomo)
    Do Sacerdócio – Livro V (São João Crisóstomo)
    Do Sacerdócio – Livro VI (São João Crisóstomo)
    Dos Oito Pensamentos que Viciam (Cassiano de Roma)
    Dos Sonhos (Evágrio Pôntico)
    Epístola aos Católicos sobre a Seita Donatista
    Solilóquios – Livro I (Santo Agostinho de Hipona)
    Solilóquios – Livro II (Santo Agostinho de Hipona)
    Vida de São Bento Abade (São Gregório I de Roma)

    1ª Conferência dos Padres do Deserto (São João Cassiano)
    14ª Conferência dos Padres do Deserto (São João Cassiano)
    Contra as Heresias – Livro I (Santo Agostinho de Hipona)
    Sentenças Anônimas dos Padres e Madres do Deserto
    Sentenças de Madres do Deserto
    Sentenças de Padres do Deserto

    Da Justificação dos Santos (Santo Agostinho de Hipona)
    Hino contra Bar Daisan (Santo Efrém da Síria)
    Vida de Moisés (São Gregório de Nissa)

    1º Livro a Autólico (São Teófilo de Antioquia)
    2º Livro a Autólico (São Teófilo de Antioquia)
    3º Livro a Autólico (São Teófilo de Antioquia)
    Da Oração (Tertuliano de Cartago)
    Discurso contra os Gregos (Taciano da Síria)
    I Concílio Regional de Toledo

    A Criação e a Queda (Santo Atanásio de Alexandria)
    Carta-Consulta ao Imperador Trajano (Plínio o Jovem)
    Carta-Pedido do Rei Abgaro a Jesus (atribuída ao Rei Abgaro de Edessa)
    Carta-Resposta ao Governador Plínio o Jovem (atribuída a Jesus)
    Carta-Resposta de Jesus ao Rei Abgaro (atribuída a Jesus)
    Edito de Milão (Imperadores Constantino e Licínio)
    Edito sobre a Primazia da Igreja de Roma (Justiniano III)
    Extratos sobre Religião no Código de Teodósio

    Cânones dos 318 Bispos de Nicéia (I Concílio de Nicéia)
    Credo de Nicéia (I Concílio de Nicéia)
    Epístola aos Laodicenses (Apócrifo do N.T.)
    Epístola de Constantino sobre a Celebração da Páscoa (I Concílio de Nicéia)
    Epístola Sinodal à Igreja de Alexandria (I Concílio de Nicéia)
    Oração de Manassés (Apócrifo do A.T.)
    Outros Cânones de Nicéia (I Concílio de Nicéia)
    Salmo 151 (Apócrifo do A.T.)
    Sentença Condenatória de Jesus Cristo (Apócrifo do N.T.)

    Cânon de Muratori (Anônimo)
    Da Virgindade Perpétua de Maria (São Jerônimo)
    Demonstração da Pregação Apostólica (Santo Ireneu de Lião)
    Epístola a Policarpo de Esmirna (Santo Inácio de Antioquia)
    Epístola a Todos os Cristãos (Santo Urbano I de Roma)
    Epístola aos Bispos do Egito (São Zeferino I de Roma)
    Epístola aos Efésios (Santo Inácio de Antioquia)
    Epístola aos Esmirnenses (Santo Inácio de Antioquia)
    Epístola aos Filadelfos (Santo Inácio de Antioquia)
    Epístola aos Filipenses (São Policarpo de Esmirna)
    Epístola aos Magnésios (Santo Inácio de Antioquia)
    Epístola aos Magnésios – forma longa (Pseudo-Inácio)
    Epístola aos Romanos (Santo Inácio de Antioquia)
    Epístola aos Tralianos (Santo Inácio de Antioquia)
    Exortação sobre o Rancor de um Monge (São Pacômio de Tabenési)
    O Martírio de São Policarpo (Piônio de Esmirna)
    Sermão sobre a Natividade de Maria (São João Damasceno)

    Catequeses Mistagógicas (São Cirilo de Jerusalém)
    Decreto Gelasiano (São Gelásio I de Roma)
    Epístola sobre a Caridade, Humildade e Fidelidade à Fé Católica (Santo Efrém da Síria)
    Tradição Apostólica (Hipólito de Roma)
    Vida de Macrina (São Gregório de Nissa)

    Da Inutilidade dos Ídolos (São Cipriano de Cartago)
    Da Unidade da Igreja Católica (São Cipriano de Cartago)
    Epístola 39 (Santo Atanásio de Alexandria)
    Epístola a Marcelino sobre a Interpretação dos Salmos (Santo Atanásio de Alexandria)
    O Martírio de São Cipriano (das Atas de Martírio)
    Salmos para todas as Ocasiões (Santo Arsênio da Capadócia)
    Saltério de Bênçãos (Santo Arsênio da Capadócia)
    Sermão sobre Lucas 12,16-21 (São Basílio de Cesaréia)
    Vida de Santo Antão (Santo Atanásio de Alexandria)

    A mais antiga Oração Mariana (Autoria Desconhecida)
    Da Doutrina dos Apóstolos – forma breve (Autoria Desconhecida)
    Didaqué (Autoria Desconhecida)
    Epístola a Diogneto (Autoria Desconhecida)
    Epístola de Barnabé (Pseudo-Barnabé)
    O Pastor (Hermas de Roma)
    :
    Carmina (Rústico Helpídio)
    Da Hierarquia Celeste (Pseudo-Dionísio Areopagita)
    Epitáfio (Abércio de Hierápolis)
    Fragmentos (Pápias de Hierápolis)

    Da Trindade (Boécio)
    Dos Oito Espíritos Malvados (Evágrio do Ponto)
    Filocalia (Evágrio do Ponto)
    Peregrinação aos Locais Santos (Egéria de Constantinopla)

    Apologia (Aristides de Atenas)
    Da Destruição Britânica (São Gildas da Bretanha)
    Da Ressurreição dos Mortos (Atenágoras de Atenas)
    História dos Francos – Livro I (São Gregório de Tours)
    Petição em Favor dos Cristãos (Atenágoras de Atenas)
    Vida de Santa Maria do Egito (São Sofrônio do Egito)

    1ª Epístola aos Coríntios (São Clemente I de Roma)
    2ª Epístola aos Coríntios (Pseudo-Clemente)
    Do Cuidado devido aos Mortos (Santo Agostinho de Hipona)
    Hino a São Lourenço (Santo Ambrósio de Milão)
    Regra de Santo Agostinho (Santo Agostinho de Hipona)
    Regra de São Bento (São Bento de Núrsia)
    Sermão 13 (São Cesário de Arles)
    Sermão da Vigília Pascal (Santo Agostinho de Hipona)
    Sermão sobre a Devastação de Roma (Santo Agostinho de Hipona)
    Sermão sobre a Parábola do Filho Pródigo (Santo Agostinho de Hipona)
    Sermão sobre a Ressurreição do Senhor (Santo Agostinho de Hipona)

  18. Fato é que os católicos apostólico romano(ceita a qual eu vomito) e cia(candomblé,budismo,…). tem muita coisa em igualdade e nem preciso ser um bom teólogo pra saber…esses tem bem em comum a “idolatria e a mentira” e eles fazem vista grossa nessa questão e também em muitas outras destorcem a biblia. Isso serve para os idolatras de plantão que eles sabendo da queda de satanás que o mesmo quis tomar o lugar de DEUS e tentou se colocar acima de DEUS VIVO ou seja adorando-se a si mesmo fazendo a pratica da idolatria e contaminando outros anjos os mesmos deixando o seus principados… (Is 14.11-23),(Ez 28.11-19). Então posso afirmar que a idolatria tem por criador satanás e todos que pratica tal pecado é idolatra também e quem se diz irmão de idolatra tem como pai o diabo e Jesus recusou isso(Mt.4-9)e Jesus definiu bem a relação de filho e pai e mostrou quem tem por pai a DEUS e quem tem por pai a satanás.(Jo.34-44) e em (Ap.22.8-9)é bem claro que nada e nem ninguém é digno de adoração,veneração…por que todo aquele que está de baixo do sol é pecador(Criatura,servo ou filho)

    • Concordo plenamente. O diabo usa de distorções para fazer ao que não têm conhecimento da palavra acreditar em mentiras.
      Isso aconteceu quando Jesus foi tentado no deserto: Satanás diz para ele se jogar do precipício, distorcendo a parte em que Deus dará ordem aos anjos para o guardarem, mas Jesus, conhecedor da Palavra, disse que não devia tentar a Deus.
      Mais acima o católico diz que um profeta se prostou diante da Arca da Aliança e todo o povo o acompanhou. Existe aí uma distorção da Palavra porque quando Deus manda construir a Arca e fazer os dois Querubins, ele os manda fazer para representar a presença invisível Dele, e não para que esses objetos sejam para adoração. O se prostar ali é para Deus e não para a Arca, ao contrário de quando um Católico se curva à Maria. Isso é explicado na própria Bíblia Católica (Bíblia de Jerusalém).
      Um outro fato interessante escrito na Bíblia de Jerusalém é o seguinte: Mateus 1:25 “Mas não a conheceu até o dia em que ela deu à luz um filho. E ele o chamou com o nome de Jesus.”
      Nesse versículo o comentário Católico diz que o texto não considera o periodo ulterior (após o nascimento de Jesus) e por si não afirma a virgindade perpétua de Maria, mas a tradição da Igreja a supõe.
      No mundo físico e/ou real, palpável, o que dá sustentação à uma teoria é o teste científico; no mundo espiritual o que dá sustentação à uma suposição é a Palavra de Deus, e muita coisa do que o Papa prega não passa pelo crivo da Palavra de Deus; portanto o quanto podermos pegar a verdadeira Palavra de Deus devemos fazer isso; e ai de nós se não fizermos isso; isso á mandamento de Deus!!!

      • RENATO VAI UM CONSELHO HEREGE VOCÊ NÃO APRENDE MESMO VAI ESTUDAR CARA VOCÊ CONTINUA CADA VEZ MAIS BURRO DOENTE E CONTRADITÓRIO

        CARA PARA DE LÊ FABULAS E FALSIFICAÇÕES AMADORAS!

      • RENATO DE CARVALHO

        VEJA AQUI UM POUQUINHO DE PATRÍSTICA

        OLHA AMIGA VOCÊ NÃO SABE COMO ME DIVIRTO QUANDO VEJO UM PROTESTANTE LEIGO OU UM HISTORIADOR PROTESTANTE DE FUNDO DE QUINTAL

        AFIRMANDO QUE A IGREJA CATÓLICA FOI FUNDADA POR CONSTANTINO KKKKK
        RESUMINDO HELEN SÓ AS PROVAS DO ANO 33 DA ERA CRISTÃ ATÉ O ANO 269 ANTES DE CONSTANTINO TER NASCIDO SE VOCÊ JUNTAR TODAS AS OBRAS DOS PADRES DA IGREJA DOS PADRES APOSTÓLICOS E DOS CRONISTAS E DE TODOS OS ESCRITORES ECLESIÁSTICOS DARIA PARA FAZER UMA IMENSA BIBLIOTECA

        HELEN EU JUNTEI AQUI ALGUNS DESSES ESCRITORES CATÓLICOS AMIGA DESFRUTEM DE INFORMAÇÕES E PROCUREM POR OBRAS DESSES GRANDES HOMENS

        VEJA UMA PEQUENA LISTA DE ACONTECIMENTOS HISTÓRICOS
        1. Quadratus foi um dos primeiros dos apologistas cristãos. Ele disse ter apresentado seu pedido de desculpas a Adriano, enquanto o imperador estava em Atenas assistir à celebração dos mistérios de Elêusis.
        2. Aristo de Pella, um judeu, foi o autor de uma obra chamada A Disputa de Jason e Papiscus. Nada mais se sabe dele. Ele floresceu na primeira metade do século II.

        3. Melito foi bispo de Sardes, e floresceu no reinado de Marco Aurélio. Ele escreveu muitas obras, mas todos eles morreram, exceto alguns fragmentos. A autenticidade dos fragmentos siríaco é uma questão em aberto.

        4. Hegésipo também floresceu no tempo de Antonino Pio e Marco Aurélio. Ele é o primeiro historiador eclesiástico, mas seu livro foi bastante notas para uma história eclesiástica, do que uma história.

        5. Dionísio foi bispo de Corinto, no reinado de Marco Aurélio. Ele escreveu cartas para várias igrejas.

        6. Rhodon passou da Ásia para a Roma, e tornou-se um discípulo de Taciano. Decorrido o prazo de seu mestre em heresia ele permaneceu fiel à fé, e escreveu contra os hereges.

        7. Maximus floresceram na mesma época como Rhodon, sob os imperadores Commodus e Severo.

        8. Cláudio Apolinário foi bispo de Hierápolis, e apresentou uma defesa dos cristãos para Marco Aurélio. Ele escreveu muitas obras importantes, de que temos apenas alguns fragmentos.

        9. Polícrates foi bispo de Éfeso. Ele tomou parte na controvérsia sobre a questão da Páscoa. Ele morreu por volta de 200 dC

        10. Teófilo foi bispo de Cesaréia. Ele foi contemporâneo de Polícrates, e, como ele, envolvido na controvérsia da Páscoa.

        11. Serapião foi ordenado bispo de Antioquia dC 190, mas quase nenhum outro fato de sua vida é conhecida. Ele escreveu várias obras.

        12. Apolônio escreveu uma obra contra os montanistas, provavelmente no ano de 210. Isso é tudo o que se sabe sobre ele.

        13. Pantænus, provavelmente um siciliano de nascimento, passou de estoicismo ao cristianismo, e foi para a Judéia para proclamar a verdade. Ele voltou para Alexandria, e tornou-se presidente da escola catequética lá, em que posto permaneceu até sua morte, que ocorreu por volta do ano 212 ad

        14. A Carta das Igrejas de Vienne e Lyons foi escrito logo após a perseguição na Gália, que teve lugar em anúncio 177.
        [DC 126]. Quadratus [3531] é falado por Eusébio como “um homem de compreensão e de fé apostólica.” E ele comemora Aristides, como um homem de caráter semelhante. Estes foram os primeiros apologistas, ambos abordados seus escritos a Adriano, e eles estavam existente e valorizado nas igrejas na época de Eusébio.
        Desde o pedido de desculpas para a religião cristã. [3532]

        Nossos Salvador obras, além disso, estavam sempre presentes, porque eram de verdade, constituído por aqueles que tinham sido curadas de suas doenças, aqueles que tinham sido ressuscitado dos mortos; que não só foram vistos enquanto eles estavam sendo curados e levantou-se, mas foram depois constantemente presente. Nem eles permanecem apenas durante a permanência do Salvador na Terra, mas também um tempo considerável após sua partida, e, de fato, alguns deles sobreviveram até mesmo para os nossos tempos. [3533]

        Notas de Rodapé

        [3530] Mas ver Lightfoot, A. F., parte ii. vol. i. p. 524. [3531] Em Quadrato e Aristides, consulte Routh, RS, p. 71; também Westcott, On the Canon, p. 92. [3532] No Eusébio, Hist. Eccl., Iv. 3. [3533] [Westcott supõe a Diogneto de Mathetes (vol. ip 23) pode ser o trabalho de Quadratus; Canon, p. 96.]
        .

        Aristo de Pella

        [DC 140]. Aristo de Pella [3534] é suposto ter sido um judeu, cujo trabalho foi concebido para ajudar o judaísmo não de seu país. Embora seu trabalho é perdido, tanto o original ea tradução para o latim de um “Celso”, parece ter sido um trato popular entre os cristãos do tempo de Cipriano, eo prefácio Latina é frequentemente sufixo às edições de que o Padre.
        O trabalho de Aristo é conhecida como a Disputa de Papiscus e Jason, e Celso nos diz que Jason era um cristão hebraico, enquanto o seu adversário era um judeu de Alexandria. Agora, Papiscus possui-se convencido pelos argumentos de Jason, e conclui por um pedido para ser batizado. Celso, que parece ter sido um pagão ou um epicurista, ridiculariza o trabalho com comiseração desdenhosa, mas Orígenes repreende isso, e afirma o seu respeito pelo trabalho. Tudo isso considerado, é preciso pensar Aristo foi “quase persuadido a ser um cristão”, e merece um lugar entre os escritores cristãos.

        Do Disputa de Jason e Papiscus.

        “Eu me lembro”, diz Jerome (Com. Gal anúncio, cap iii comm 13….), “Na disputa entre Jason e Papiscus, que é composta em grego, de o ter encontrado escrito: ‘A maldição de Deus é aquele que é pendurado “.

        A partir da mesma obra.

        Jerônimo da mesma forma, em suas perguntas hebraico em Gênesis, diz:. “No princípio Deus criou o céu ea terra A maioria acredita, como se afirma também na disputa entre Jason e Papiscus e, como Tertuliano, em seu livro Contra Práxeas afirma e, como Hilário também, em sua exposição de um dos Salmos, declara, que no hebraico é: `No Filho, Deus fez o céu ea terra”. Mas que isso é falso, a natureza do caso em si prova. ”

        Talvez do mesmo trabalho.

        … E quando o próprio homem [3535], que tinha iniciado eles [3536] para essa loucura pagou a penalidade (diz Eusébio, Hist., Iv. 6), “toda a nação de que o tempo era estritamente proibido para definir pé na região de Jerusalém, pelo decreto formal e promulgação de Adrian, que ordenou que nem mesmo a distância de um olhar sobre a sua terra natal! ” Assim escreve Aristo de Pella.

        A partir da mesma obra.

        Eu encontrei esta expressão sete céus (diz Maximus, em Scholia no trabalho sobre a Teologia Mística, atribuído a Dionísio, o Areopagita, cap. I.), Também na disputa entre Papiscus e Jason, escrito por Aristo de Pella, que Clemente de Alexandria, no sexto livro dos contornos, [3537] diz que foi composto por São Lucas.

        Em relação ao mesmo trabalho.

        Assim escreve Orígenes: [3538] … em que um livro cristão é representado discutindo com um judeu a partir das Escrituras judaicas, e mostrando que as profecias sobre o Cristo se aplicam a Jesus: embora seu adversário dirige-se ao argumento sem capacidade comum , [3539] e de uma forma não unbefitting seu caráter judaico.

        Notas de Rodapé

        [3534] Routh, R. S., vol. i. p. 93. Westcott, Canon, p. 106. Menção Grabe. Discussão Routh, em anotações, é mais culto e exaustiva. [3535] Barchochebas. [3536] Os judeus. [3537];; Upotuposos. [3538] Contra Celsum, iv. 52. [3539] Ouk agennos.
        .

        Melito, o Filósofo.

        [DC 160-170-177.] Melito [3540] pode ter sido o sucessor imediato do “anjo” (ou “apóstolo”) da igreja de Sardes, a quem nosso Grande Sumo Sacerdote dirigiu uma das mensagens apocalípticas. Ele era um “padre apostólico” de fato, ele muito provavelmente sabia que o bem-aventurado Policarpo e Ireneu de Lyon seu discípulo. Ele é justamente reverenciado para a diligência com que ele procurou as provas que, em sua época, estabeleceu a Canon do Antigo Testamento, então apenas completa.
        Nos fragmentos seguintes vamos encontrá-lo chamado de bispo de Sardes, bispo de Ática, e Bispo de ITTICA. Ele também é-nos apresentado como “o filósofo”, e vamos encontrá-lo denominado “eunuco” por Polycrates. Supõe-se que ele havia se tornado um coelebs “para o reino dos céus”, sem intenção de confundir nosso Senhor, como fez Orígenes. Ele não era um monge, mas aceitou uma propriedade única de ser o mais livre e único olho no serviço do Mestre. Desde a erudição enciclopédica de Lightfoot que recolher alguns pormenores, como segue: –

        1. Adotei sua data, como Lightfoot dá, – isto é, o período de seus escritos, – sob os Antoninos. A improbabilidade de 70 anos no episcopado é motivo suficiente para rejeitar a idéia de que ele próprio era o “anjo da igreja de Sardes,” a quem o Senhor enviou a repreensão terrível.

        2. Seu silêncio sobre perseguições sob Vespasiano, Tróia, e Pio Antonino não pode ser invocada para isentá-los a partir desta mancha, contra a evidência positiva para o contrário.

        3. Uma coincidência com Inácio aos Efésios [3541] será observado a seguir.

        4. Melito, com Cláudio Apolinário e até mesmo Polycrates, pode ter sido pessoalmente com Inácio, [3542], é claro, um com o outro. Estes viveu não muito longe de Esmirna, Ásia Menor foi, no primeiro século, o foco da atividade cristã.

        5. Sabemos de sua visita ao Oriente a partir de sua própria conta, preservada por Eusébio. Os cristãos da Ásia proconsular estavam acostumados a tais viagens. Mesmo Clemente de Alexandria pode ter encontrado ele, como ele parece ter encontrado Taciano e Teódoto. [3543]

        6. Vouches Melito para o rescrito de Adriano, [3544], mas sua referência suposto o edital de Antonino não suportar escrutínio como mandado para a sua autenticidade. [3545]

        7. A Apologia de nosso autor foi dirigida a Aurélio em seu meio de carreira como um soberano, sobre anúncio 170. Justin, Melito, Atenágoras, Teófilo e todos contam a mesma história triste de crueldade imperial. Mesmo quando Justin escreveu a Antonino, Marcus era supremo nos conselhos do imperador ancião. [3546]

  19. 1ª espistola de Joao 2:19 que fala: Sairam de nós mas não eram de nós, porque se fossem de nós ficariam conosco!!falar o que para esses hereges protestantes a epistola já diz tudo!!orgulho de ser CATÓLICA,morrerei católica,defenderei e proclamarei VIRGEM MARIA,A ABENÇÔADA!! POR TODOS OS DIA DA MINHA VIDA!!”Oh! Maria! Se eu fosse Rainha do Céu e Tu fosses Teresa, eu queria ser Teresa a fim de que tu fosses a Rainha do Céu.”

    • Salmos 89:5

      E os céus louvarão as tuas maravilhas, ó SENHOR, a tua fidelidade também na congregação dos santos.

      Celia Regina Pinheiro VAMOS AO ASSUNTO SOBRE OS SANTOS BÍBLICAMENTE
      Olha Celia Regina Pinheiro pode ter toda certeza do mundo que a própria Escritura dá testemunho de que Abraão foi considerado justo pelos apóstolos (cf. Rm 4,3-9; Gl 3,9; Hb
      6,15; Tg 2,23). Celia Regina Pinheiro este reconhecimento de que Abraão estava no céu com Deus é um exemplo de canonização na própria Escritura e já na era apostólica.
      SOBRE ISSO Celia Regina Pinheiro MAIS DE 200 ESCRITOS QUE TESTIFICAM ISSO SÓ DO PRIMEIRO E SEGUNDO SÉCULO DA ERA CRISTÃ SEM UMA SÓ ÚNICA VOZ DISCORDE
      Agora Celia Regina Pinheiro vou ti da um outro exemplo que podemos citar na própria Escritura é a canonização de Estevão.
      Celia Regina Pinheiro assim diz a Escritura que era homem cheio do Espírito Santo (cf. At 6,8). Quando foi martirizado em nome da Fé em Cristo, viu a Glória do Cristo e pediu ao Senhor que recebesse o seu espírito (cf. At 7,55-59).

      AGORA EU TI PERGUNTO Celia Regina Pinheiro será que Estevão não foi para o céu? Claro que sim! E mais ele foi considerado santo pelo próprio apóstolo Paulo (cf. At 22,20), que assistiu a pregação de Estevão e corroborou com a sua morte.
      E OUTRA Celia Regina Pinheiro e o bom ladrão que reconheceu Cristo como seu Salvador e que o próprio Senhor prometeu levá-lo ao paraíso (Lc 23,43), por acaso Celia Regina Pinheiro não é um outro exemplo de canonização feita pela própria Escritura?
      OLHA Celia Regina Pinheiro a canonização não faz parte da doutrina católica, mas da práxis católica.
      O que faz parte da doutrina católica é a Comunhão dos Santos, não confundir.
      Celia Regina Pinheiro VOU TI CITAR por exemplo as obras conhecidas na antiguidade como hagiógrafos (atas da vida dos santos).
      Os hagiógrafos testificavam o reconhecimento pela Igreja de que uma determinada pessoa ou grupo de pessoas era santo e que já gozava da presença de Deus.
      E MAIS Celia Regina Pinheiro a Igreja desde os primeiros séculos reconhecia os mártires como santos (a exemplo de Estevão, considerado o primeiro mártir da Igreja).
      Ser um mártir da fé era um critério que não deixava dúvidas se uma pessoa devia ser considerada santa, isto é, um modelo na fé, um herói em Cristo e que estava no céu.

      Os hagiógrafos mais citados da antiguidade são as atas dos mártires de Lião (177 d.C) e do Martírio de S. Policarpo de Esmirna (250 d.C.), discípulo de S. João (1).
      Como se vê, Celia Regina Pinheiro a canonização dos santos, isto é, o reconhecimento de que uma pessoa venceu a corrida (cf. Cl 2,8) e que está com Deus, é uma prática que consta na Bíblia e que sempre foi observada pelos primeiros cristãos.

      Celia Regina Pinheiro assim diz as escrituras sagradas.
      Hebreus 13
      7. Lembrai-vos de vossos guias que vos pregaram a palavra de Deus. Considerai como souberam encerrar a carreira. E imitai-lhes a fé.

      OLHA Celia Regina Pinheiro

      Agora observe que venerar os Santos é uma ordem Bíblica, se eu lembro, considero e imito já estou venerando, a veneração respeitosa aos Santos e Anjos é uma doutrina já praticada no (AT).
      Pra você que não sabe Celia Regina Pinheiro o Rei Davi em um ato de veneração compôs um cântico fúnebre para Saul e Jonathan após a morte deles.
      VEJA
      II Samuel 1
      Compôs então Davi o seguinte cântico fúnebre sobre Saul e seu filho Jônatas,
      Ordenando que fosse ensinado aos filhos de Judá. É o canto do Arco, que está escrito no Livro do Justo:
      Tua flor, Israel, pereceu nas alturas! Como tombaram os heróis?
      Celia Regina Pinheiro UM ABRAÇO AMIGA

    • Se fosse proibido fazer imagens jamais a própria bíblia faria referencia delas em hipótese alguma muito pelo contrario as imagens serviu de exemplo e serviu para enfeitar os templos a mando de Deus como as seitas protestantes são inocente ao afirmar a maior mentira do século que não se pode fazer imagens isso é ridículo
      Vejam no livro de Ezequiel 411 ENTÃO me levou ao templo, e mediu os pilares, seis côvados de largura de um lado, e seis côvados de largura do outro, que era a largura da tenda.(…)
      17 No espaço em cima da porta, e até na casa, no seu interior e na parte de fora, e até toda a parede em redor, por dentro e por fora, tudo por medida.
      E foi feito com querubins e palmeiras, de maneira que cada palmeira estava entre querubim e querubim, e cada querubim tinha dois rostos, A saber: um rosto de homem olhava para a palmeira de um lado, e um rosto de leãozinho para a palmeira do outro lado; assim foi feito por toda a casa em redor.
      Me digam não seria contradição fazer imagens
      Se o próprio Deus todo poderoso diz para não fazer imagens de nada acima do céu e nem embaixo da terra claro que não.
      Deus proíbe ídolos
      Olhem o que Deus diz para Moisés
      Deus informa a Moisés o seguinte: Eu escolhi Bezalel, filho de Uri, filho de Hur, da tribo de Judá, e o enchi do Espírito de Deus, dando-lhe destreza, habilidade e plena capacidade artística para desenhar e executar trabalhos em ouro, prata e bronze, para talhar e esculpir pedras, para entalhar madeira e executar todo tipo de obra artesanal
      Quem é contra imagens jamais daria ordens nem dom para fazer-las o problema é que poucos sabem quem o tradutor da bíblia protestante João Ferreira de Almeida adulterou certos trechos da bíblia em nomes que era pra ser traduzido ídolos ele traduziu por imagens agora olhem essa passagem bíblica que seria contradição se realmente fosse proibido fazer imagens como os protestantes divididos afirmam inocentemente
      Vejam o que diz nessa passagem
      Moisés
      Dt 10:1-3 – “Naquele mesmo tempo, me disse o SENHOR: Alisa duas tábuas de pedra, como as primeiras, e sobe a mim a este monte, e faze uma arca de madeira. E, naquelas tábuas, escreverei as palavras que estavam nas primeiras tábuas que quebraste, e as porás na arca. Assim, fiz uma arca de madeira de cetim, e alisei duas tábuas de pedra, como as primeiras, e subi o monte com as duas tábuas na minha mão”.
      VEJA
      Agora em Êxodo 37 notem o que Bezalel fez vai contra todo tipo de argumentos de protestantes sola scriptura
      1 Bezalel fez a arca da aliança de madeira de acácia; a arca media um metro e dez de comprimento por sessenta e seis centímetros de largura e sessenta e seis de altura.
      e fez mais
      notem que
      2 Ele a revestiu de ouro puro por dentro e por fora e pôs em toda a volta um remate de ouro.
      e tem mais Bezalel
      3 Fez quatro argolas de ouro e as colocou nos quatro pés da arca, ficando duas argolas de cada lado.
      e ainda
      4 Ele fez cabos de madeira de acácia e os revestiu de ouro.
      5 Depois enfiou os cabos nas argolas nos dois lados da arca, para que pudesse ser carregada.
      6 Bezalel fez uma tampa de ouro puro de um metro e dez de comprimento por sessenta e seis centímetros de largura.
      7 Ele fez dois querubins de ouro batido,
      8 um para cada ponta da tampa. Ele os fez de tal modo, que formavam uma só peça com a tampa.
      9 Os querubins ficavam de frente um para o outro, olhando para a tampa, e as suas asas abertas cobriam a tampa.
      10 Bezalel fez uma mesa de madeira de acácia, com as seguintes medidas: oitenta e oito centímetros de comprimento por quarenta e quatro de largura e sessenta e seis de altura.
      11 Ele revestiu de ouro puro a mesa e colocou um remate de ouro em volta dela.
      12 Também fez em volta da mesa um friso de quatro dedos de largura e pôs um remate de ouro em volta do friso.
      13 Fez quatro argolas de ouro e as pôs nos quatro cantos, perto dos quatro pés.
      14 Perto do friso estavam as argolas por onde passavam os cabos que eram usados para se carregar a mesa.
      15 Ele fez os cabos de madeira de acácia e os revestiu de ouro.
      16 Fez também de ouro puro as vasilhas para a mesa, isto é, os pratos, os copos, as taças e as jarras que eram usados para as ofertas de vinho.
      17 Bezalel fez de ouro puro batido o candelabro, a sua base e a sua haste. As flores que enfeitavam o candelabro, com os seus botões e as suas pétalas, formavam uma só peça com ele.
      18 Dos seus lados saíam seis braços, três de um lado e três do outro.
      19 Cada um dos seis braços tinha três flores com o formato de flor de amendoeira, com os seus botões e as suas pétalas.
      20 A haste do candelabro tinha quatro flores com o formato de flor de amendoeira, com os seus botões e as suas pétalas.
      21 Havia um botão de amendoeira debaixo de cada um dos três pares de braços.
      22 Os botões, os braços e o candelabro formavam uma só peça de ouro puro batido.
      23 Bezalel também fez sete lamparinas para o candelabro; as tesouras de cortar os pavios das lamparinas e os cinzeiros eram de ouro puro.
      24 Ele usou trinta e quatro quilos de ouro puro para fazer o candelabro e todas as peças que o acompanhavam.
      25 Bezalel fez um altar de madeira de acácia para queimar incenso em cima dele. O altar era quadrado, medindo quarenta e cinco centímetros de comprimento por quarenta e cinco de largura; e tinha noventa centímetros de altura. As pontas, nos quatro cantos, fo
      26 Bezalel revestiu de ouro puro a tampa, os quatro lados e as pontas e colocou um remate de ouro em volta do altar.
      27 Também fez duas argolas de ouro e as colocou debaixo do remate, uma de cada lado. Por dentro das argolas passavam os cabos que eram usados para carregar o altar.
      28 Os cabos foram feitos de madeira de acácia e revestidos de ouro.
      29 Bezalel preparou o azeite sagrado de ungir e o incenso puro de cheiro agradável, misturado como perfume.
      Só nessas passagens ficam claro como o protestantismo é inocente fraco e sem argumento
      E mais tudo isso que Bezalel fez era para enfeitar o templo e tinha varias imagens e a arca da aliança e tudo isso que fez Bezaleu foi a mando de Deus
      A igreja católica usa os seus santos e como as suas imagens que somente apenas representam uma pessoa que existiu e que foi exemplo de fé virtude e respeito e que serve de modelo para seguirmos os seus passos nada mais do que isso
      VEJA
      Bezalel era muito obediente e sensível a voz de Deus. Capítulo 36:1.
      E fez tudo “conforme a tudo o Senhor tinha ordenado”
      Ele fez a Arca da Aliança, o Propiciário, a Mesa, o Candelabro, o Altar de Holocausto, o Átrio e tantas outras coisas.

      Vejam essas passagens que vai contra toda tese do protestantismo
      Salomão mandou colocar no Santo templo imagens de
      – 2 QUERUBINS no Oráculo (III Reis 6,23-28),
      -mandou colocar no templo
      12 BOIS na bacia de bronze! (III Reis 7,25);

      mandou colocar no templo
      BOIS e LEOES e QUERUBINS! (III Reis 7,28-29) e
      e ainda “como que figuras de HOMENS EM PÉ”, e

      mais QUERUBINS e LEÕES (III Reis 7,36);
      Seria contradição se realmente fosse proibido fazer imagens pois quem ordena e abomina quem faz imagens jamais em hipótese alguma daria ordens para faze-las você não acha herege?
      Se fosse proibido fazer imagens COMO AS SEITAS PROTESTANTES AFIRMAM A PRÓPRIA BÍBLIA jamais se faria referencias a elas POIS SE DEUS DIZ NÃO COMETERÁS ADULTÉRIO E NA MESMA BÍBLIA TIVESSE PASSAGENS QUE SE PODE COMETER ADULTÉRIO SERIA CONTRADIÇÃO POR ISSO NÃO EXISTE ASSIM É SE FOSSE PROÍBIDO IMAGENS NÃO EXISTIRIA MILHARES DE REFERÊNCIAS A ELAS
      Que um exemplo se num livro diz é pecado adulterar e em outras passagens do mesmo livro diz que se pode adulterar esse livro não estaria entrando em contradição?
      Claro que sim por isso não é e nunca foi proibido fazer imagens e sim ídolos para adoração
      vejam mais passagens bíblicas agora em Samuel 6
      Que se referem ao mesmo tema imagens
      Vejam
      Os filisteus roubaram a arca da alinça e pagaram caro por isso então eles consutaram seus advinhos e eles disseram essa ordem dada pelo senhor de israel para colocar
      A arca do SENHOR sobre o carro, como também o cofre com os ratos de ouro e com as imagens das suas hemorroidas.
      Os filisteus oferecem a Deus pela expiação da culpa, “cinco hemorroidas de ouro e cinco ratos de ouro”.
      Então, disseram: Qual é a expiação da culpa que lhe havemos de oferecer? E disseram: Segundo o número dos príncipes dos filisteus,
      cinco hemorroidas de ouro e cinco ratos de ouro, porquanto a praga é uma mesma sobre todos vós e sobre todos os vossos príncipes.
      Os filisteus oferecem a Deus pela expiação da culpa, “cinco hemorroidas de ouro e cinco ratos de ouro”Os filisteus oferecem a Deus pela expiação da culpa, “cinco hemorroidas de ouro e cinco ratos de ouro”.
      5 – Fazei, pois, umas imagens das vossas hemorroidas e as imagens dos vossos ratos, que andam destruindo a terra, e dai glória ao Deus de Israel; porventura, aliviará a sua mão de cima de vós, e de cima do vosso deus, e de cima da vossa terra.
      Os filisteus oferecem a Deus pela expiação da culpa, “cinco hemorroidas de ouro e cinco ratos de ouro”.
      Aqui fica claro se Deus todo poderoso fosse contra imagens não aceitaria essa expiação pelos pecados dos filisteus por terem roubado a arca da aliança do povo de Israel
      Vejam outro exemplo
      O mesmo Deus, no mesmo livro do Êxodo, manda Moisés fazer dois querubins de ouro e colocá-los por cima da Arca da Aliança ( Ex 25,18-20 ). Manda-lhe, também fazer uma serpente de bronze e colocá-la por cima duma haste, para curar os mordidos pelas serpentes venenosas ( Num 21,8-9 ).
      A serpente de Bronze: Um fato histórico
      Olhem o que fala João 3:14 diz: “E de modo por que Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do homem seja levantado”

    • Infelizmente em cima do que vc disse: (Morrerei católica e proclamarei a virgem Maria) Vai morrer sem a tua salvação. Porque a salvação naõ esta em Maria, e sim em Cristo.Os verdadeiros seguidores de Maria, são os que obedecem a Jesus e não Maria. Em (JOAO 2:5) Maria disse : Fazei tudo que ele (JESUS)vos disser. Em outras palavras eu não tenho poder p/ fazer o milagre, mas ele sim, liberta, cura transforma, faz milagre…etc. Mostra um milagre de Maria p/ mim na Bíblia que eu começo a servir ela combinado. Deus e o Espírito Santo lhe de entendimento !!!

        • ISSO AQUI RENATO DE CARVALHO SÃO OS PADRES APOSTÓLICOS DA IGREJA CATÓLICA

          Biografia de Hermas

          Um dos Padres Apostólicos, Hermas era um cristão 2d século, que foi vendido em Roma como um escravo. Ele foi libertado, casado, e tornou-se sucesso nos negócios, mas foi denunciado por seus filhos durante uma perseguição. Sua famosa obra, O Pastor, dividido em três partes (Visões, Mandatos, símiles), é uma série de revelações concedidas por uma mulher idosa (representando a igreja) e um pastor (um anjo) sobre o arrependimento do pecado, e os preceitos morais que levam a uma vida nova. Muitos cristãos primitivos consideravam parte da Escritura.
          Obras de Hermas
          • Notas introdutórias Pastor de Hermas (160 dC) (ou o Pastor de Hermas)
          • Pastor de Hermas – Primeiro Livro – Visões
          Primeira Visão
          Visão Segunda
          Terceira Visão
          Quarta Visão
          Visão Quinta
          • Pastor de Hermas – Livro Segundo – Mandamentos
          Primeiro Mandamento
          Segundo Mandamento
          Terceiro Mandamento
          Quarto Mandamento
          Quinto Mandamento
          Sexto Mandamento
          Sétimo Mandamento
          Oitavo Mandamento
          Nono Mandamento
          Décimo Mandamento
          décimo primeiro mandamento
          Reis Mandamento
          • Pastor de Hermas – Terceiro Livro – Similitudes
          Similitude Primeiro
          Similitude Segundo
          Similitude Terceiro
          Similitude quarta
          Similitude Quinta
          Similitude Sexto
          Sétimo Similitude
          Similitude Oitava
          Similitude Nona
          Décima Similitude
          Pastor de Hermas – Elucidações

    • Jesus é conhecido como Cristo filho de Davi, isto não quer dizer que Davi é pai de Deus, leia Romanos 1:3e4,assim como Maria não é mãe de Deus mas mãe de Jesus homem, Maria se considera serva e foi salva pela fé no salvador, Jesus, veja Lucas 1:46a56 e aprendam sobre humildade, de uma mulher agraciada por Deus que nunca permitiria que sua suposta uma imagem sua foce exposta nem para veneração, e nunca admitiria ser chamada de rainha pois foi uma serva e como servos devemos imita-la

      • MANOEL VOCÊ TEM O QUE NO CÉREBRO VOCÊ E O HEREGE DO RENATO DE CARVALHO NO QUAL REFUTEI AQUI UMAS 100 VEZES E SE FOR PRECISO REFUTO MAS UM MILHÃO DE VEZES

        MANOEL TOMA VERGONHA NA CARA DE MOSTRAR PASSAGENS BÍBLICAS EM BÍBLIAS ADULTERADAS DE JOÃO FERREIRA DE ALMEIDA

        ESSAS SUAS HERESIAS SÓ AUMENTA O BURACO OCO PROFUNDO E CHULO DAS SEITAS PROTESTANTES QUE DESTRUIU A EUROPA

      • VEJA AQUI MANOEL ANALFABETO A VERDADE DOCUMENTAL:

        A bíblia impressa por Gutenberg é uma versão anterior ao Concílio de Trento, a citada edição contém os deteurocanônicos. Vejam a Bíblia de Gutenberg no link abaixo:

        http://www.hrc.utexas.edu/exhibitions/permanent/gutenberg/web/pgsdbl560/2_297298_143v144r.html

        Mas, para tentarem se esquivar os caluniadores dizem acima: Eles já vinham fazendo isso desde o século V, contudo, o reconhecimento oficial e definitivo desses livros por parte da Igreja Católica se deu a partir do século XVI. Mas a trágica argumentação acima é facilmente desmascarada pelo Codex Sinaiticus, do Séc. IV que também contém os Deteurocanônicos.

        Vejam o seguinte artigo: http://caiafarsa.wordpress.com/deuterocanonicos-e-o-codex-sinaiticus/ Assim provamos e mostramos a mentira e a omissão do CACP, que neste artigo conta uma meia verdade, pois admitir a verdade total seria desastroso para eles.

      • MANOEL VOCÊS DAS SEITAS PROTESTANTESS MISTURAM IMAGENS DE ÍDOLOS, (que é proibido),

        VEJA SUAS CONTRADIÇÕES ANALFABETO

        COM IMAGENS SACRAS, (que é permitido por Deus)!

        A idolatria é uma palavra formada por dois radicais, ido, que provém de ídolo e latria, que significa culto a uma divindade

        Veja aqui nesse versículo umas das piadas e contradições protestantes!

        E ainda:”Me prostro voltado para o teu sagrado templo” (Sl 138(137),2

        ]…E lá (no teu santuário), ó Senhor, possamos cantar com o Salmista: “Nós nos saciamos com os bens da tua casa, com as coisas sagradas do teu templo”
        (Sl 65(64),5).

        PROTESTANTES CHAME ESSE VERSÍCULO DE IDOLATRIA POIS É ISSO QUE A IGREJA FAZ NOS SEUS TEMPLOS.CONTRADIÇÕES PROTESTANTES

        VEJA

        Por outro lado, eu teria – se possível fosse – um enorme prazer em visitar o Templo de Deus, que Salomão mandou edificar; e no qual a glória de Deus pousou.

        Lugar Sacro em que abundavam inúmeras imagens de animais (touros e leões) – imagens que participavam do Verdadeiro Culto a Deus. Aliás, imagens sagradas e abençoadas e que, portanto, conjuntamente com todo o Templo do Altíssimo, eram reverenciadas. Está escrito: “Reverenciareis meu santuário” (Lv 19,30).

        E AGORA PARA REFUTAR OS PROTESTANTES DE UMA VEZ POR TODAS

        SAIBAS QUE era neste mesmo templo que os apóstolos e Jesus iam para orar:

        VEJA

        “Jesus passeava no templo, no pórtico de Salomão.” (João 10,23)

        “Enquanto isso, realizavam-se entre o povo pelas mãos dos apóstolos muitos milagres e prodígios.

        Reuniam-se eles todos unânimes no pórtico de Salomão.”(Atos 5, 12)

        AGORA EU PEREGUNTO?

        Estariam Jesus e os apóstolos sendo idólatras ao frequentar um templo repletos de imagens de escultura?Clao que não!

        OLHA AQUI MAIS UMA VEZ

        Fica provado, portanto, que Deus nunca proibiu a fabricação de imagens e sim de ídolos para a adoração, colocando-os no lugar do próprio Deus. Desmascaramos assim mais uma falsa interpretação protestante.

        A própria Bíblia as diferenciam, mais são os protestantes que misturam tudo!

        Vou mostrar uma prova bíblica sobre esse tema.

        No livro de Ezequiel, ele próprio cita de que tipo de imagens são ídolos, e os que são proibidos!

        Veja

        Ezequiel 8

        6 E ele me disse: Filho do homem, vês tu o que eles estão fazendo? as grandes abominações que a casa de Israel faz aqui, para que me afaste do meu santuário; Mas verás ainda outras grandes abominações.7 E levou-me à porta do átrio; então olhei, e eis que havia um buraco na parede.8 Então ele me disse: Filho do homem, cava agora na parede. E quando eu tinha cavado na parede, eis que havia uma porta.9 Disse-me ainda: Entra, e vê as ímpias abominações que eles fazem aqui.10 Entrei, pois, e olhei: E eis que toda a forma de répteis, e de animais abomináveis, e todos os ídolos da casa de Israel, estavam pintados na parede em todo o redor.

        No livro de Ezequiel, ídolos são figuras de répteis!

        Agora eu pergunto as seitas protestantes o que as figuras de répteis tem a ver com o catolicismo???

        Agora, vejam no mesmo livro de Ezequiel ele citando as imagens permitidas dentro do templo, e detalhe, TEM ROSTO HUMANO!

        Ezequiel 41

        1 ENTÃO me levou ao templo, e mediu os pilares, seis côvados de largura de um lado, e seis côvados de largura do outro, que era a largura da tenda.(…)17 No espaço em cima da porta, e até na casa, no seu interior e na parte de fora, e até toda a parede em redor, por dentro e por fora, tudo por medida.

        18 E foi feito com querubins e palmeiras, de maneira que cada palmeira estava entre querubim e querubim, e cada querubim tinha dois rostos,

        19 A saber: um rosto de homem olhava para a palmeira de um lado, e um rosto de leãozinho para a palmeira do outro lado; assim foi feito por toda a casa em redor.

        Agora vejam essas outras passagens bíblicas que vai contra toda tese do protestantismo

        Salomão mandou colocar no Santo templo imagens de

        – 2 QUERUBINS no Oráculo (III Reis 6,23-28),

        -mandou colocar no templo

        12 BOIS na bacia de bronze! (III Reis 7,25);

        Mandou colocar no templo

        BOIS e LEOES e QUERUBINS! (III Reis 7,28-29) e

        E ainda “como que figuras de HOMENS EM PÉ”, e

        Mais QUERUBINS e LEÕES (III Reis 7,36);

        Há ainda a estátua que ficou – por um bom período de tempo – na Casa de Deus em Silo: “Eles instalaram para seu uso a imagem que Micas havia esculpido, e ela permaneceu lá todo o tempo em que subsistira a casa de Deus em Silo” (Jz 18,31).

        Haja vista existirem estátuas aceitas no templo (querubins, leões, touros: 1Rs 7,29; além de escultura de guirlandas e palmas: 2 Cron 3,5),afora a estátua da serpente de bronze (cf. Nm 21,8-9) ou dos ratos e tumores (cf. 1Sm 6,11).

        Agora eu me pergunto? Não seria contradição se realmente fosse proibido fazer imagens

        Pois quem abomina quem faz imagens jamais em hipótese alguma daria ordens para fazê-las vocês não acham?

        Pode ter certeza que se fosse proibido fazer imagens

        COMO AS SEITAS PROTESTANTES AFIRMAM A PRÓPRIA BÍBLIA jamais faria referências a imagens

        POIS SE DEUS DIZ NÃO COMETERÁS ADULTÉRIO E NA MESMA BÍBLIA TIVESSE PASSAGENS QUE SE PODE COMETER ADULTÉRIO NÃO SERIA UMA GRANDE CONTRADIÇÃO?

        POR ISSO SE FOSSE PROÍBIDO FAZER IMAGENS OS VERSÍCULOS BÍBLICOS NÃO NOS DARIA MILHARES DE MILHARES DE REFERÊNCIAS SOBRE O TEMA IMAGENS.

        Vamos AGORA ler em Atos 28 Veja o que fez o Católico São Paulo quando embarcou em um Navio indo Para ROMA

        “Ao termo de três meses, embarcamos num navio de Alexandria, que havia passado o inverno na ilha. Este navio levava por INSÍGNIAS* os DIÓSCUROS*”. (At 28,11)

        O NOME INSÍGNIAS : É EMBLEMAS, IMAGENS

        E O NOME DIÓSCUROS: REPRESENTA A IMAGEM DE CASTOR E PÓLUX, ORNANDO A PROA DO NAVIO

        Agora São Paulo, ao embarcar nesse navio cheio de imagens ele não aproveitou a ocasião para condenar aquelas imagens, porque São Paulo era Católico e não um protestante pois ele sabia muito bem distinguir Imagem de Ídolo.

        Agora vamos pensar e raciocinar.

        tanto em Êxodo 20,4, quanto em Deuteronômio 5,8 consta o seguinte

        “לא תעשׁה לך פסל וכל תמונה אשׂר בשׂמים ממעל ואשׂר בארץ מתחת ואשׂר במים מתחת לארץ ”

        A quarta palavra da direita para a esquerda encontramos a palavra “פסל” que se lê “FESEL” que, no hebraico, significa ÍDOLO.

        E mais nas traduções bíblicas encontramos quase sempre “IMAGENS DE ESCULTURA” ou “IMAGENS ESCULPIDAS”.

        Devemos entender que não se trata de qualquer imagem e sim apenas como imagens de ídolos.

        É o que se entende quando lemos com cuidado todo o início do Decálogo em que podemos verificar facilmente que se trata de ídolos.

        Por isso de forma alguma devemos aí incluir toda e qualquer imagem que Deus considera

        Caso Fosse o contrário, então Deus não teria:

        1 – mandado fazê-las (Êxodo 25,18; Números 21,8)

        2 – dado suas ordens ao povo falando do meio dos querubins de ouro (Êxodo 25,22);

        3 – operado milagres através delas (Números 21,9; Êxodo 25,22);

        4 – aprovado tais imagens, quando encheu com sua glória o templo de Salomão (que estava repleto delas “por dentro e por fora”) (Números 21,9; 1 Reis 8, 10-11; Êxodo 25,22);

        5 – permitido que seus amigos o adorassem prostrados à frente delas (Josué 7,6)

        Aqui fica claro que Deus proíbe ídolos se caso não fosse Deus não dirá assim para Moisés

        Veja

        Deus informa a Moisés o seguinte: Eu escolhi Bezalel, filho de Uri, filho de Hur, da tribo de Judá, e o enchi do Espírito de Deus, dando-lhe destreza, habilidade e plena capacidade artística para (desenhar) e executar trabalhos em ouro, prata e bronze, para talhar e esculpir pedras, para entalhar madeira e executar todo tipo de obra artesanal

        Nesse versículo fica claro que é safadeza protestante e dos seus pastores que fazem lavagem cerebral em pessoas inocentes e leigas que são levadas e enganadas pelo livre exame bíblico

        A conhecida sola scriptura.

        Pois meus irmãos católicos e minhas irmãs católicas

        Saibas que são enormes os erros de tradução de João Ferreira de Almeida sobre a palavra Imagens.

        Saibas que em 1683, o tradutor da Bíblia protestante em língua Portuguesa, João Ferreira de Almeida, passa a adulterar as Sagradas Escrituras, colocando o termo “Imagens de Escultura” no lugar de ÍDOLO.

        Para desmascarar esse farsante é simples!

        Leia Exodo 20 verso 3 e 4, no grego e no hebraico, e pegue a palavra EIDLON e PHESEL, traduze ela e veja

        Que a Bíblia protestante está adulterada, em IMAGENS DE ESCULTURA,

        Vejamos esta frase nos escritos originais!

        “לא תעשׁה לך פסל וכל תמונה אשׂר בשׂמים ממעל ואשׂר בארץ מתחת ואשׂר במים מתחת לארץ

        A palavra “פסל” foi escrita em hebraico e se lê “PESEL” que se traduz no grego por “ÊIDOLON” e em português por ÍDOLO. Confira então algumas falsificações, em (Êxodo 20,4) (Isaías 42, 8) (Isaías 42, 17) (Isaías 44,9) (Isaías 44, 10) (Isaías 44,15) (Isaías 44,17) onde nos originais estão as palavras “ÍDOLOS”.

        Além de enfiar a palavra“imagem de escultura”em sua tradução, João Ferreira de Almeida criminosamente enfia também a palavra “procissão” em (Is 45,20). Assim maldosamente, depois de querer condenar as imagens usa mais um pretexto para negar as procissões Católicas.

        As informações daquela época não diziam se Almeida sabia hebraico, mas há uma certeza de que nunca teve às mãos os originais da Bíblia, e sim, escritos do século XVI de Erasmo de Roterdan.

        Por isso hoje, os erros na tradução de João Ferreira de Almeida, aumentaram, incluindo os de gramática, com frases inteiras erradas, tanto pela fraseologia quanto pela ortografia e sintaxe.

        Os atualizadores das edições contemporâneas são, na maioria, estrangeiros, que mal conhecem a língua portuguesa, e escrevem no nosso idioma palavras e frases tiradas do inglês, pois é comum esses revisores e atualizadores serem norte-americanos.

        Para aqueles que não sabem muito sobre a vida de João Ferreira de Almeida, eis um pequeno comentário!

        Almeida saiu do Catolicismo por volta de 1642, para ingressar no protestantismo com o objetivo de trabalhar na Igreja Reformada Holandesa, tornando-se radicalmente um anti-Católico.

        Tinha deixado Portugal para viver em Málaca na Malásia, mas em 1651 se transferiu para a Batávia e, em 1656, se ordenou pastor. Por volta de 1642 começou a traduzir para o Português uma parte do Novo Testamento e em 1683 completou a tradução do Pentateuco.

        João Ferreira de Almeida nunca foi Padre, mas usava este título para ganhar credibilidade, pois eram assim também chamados os missionários protestantes.

        O protestantismo atual não sabendo destas falsas traduções, aprendeu através de várias gerações a acusar os Católicos de adorar imagens. Muitas vezes conseguiram e ainda conseguem confundir os mais simples.

        Lendo na Bíblia (Ex 20,1-5), percebemos que Deus proíbe severamente a fabricação de ídolos(falsos deuses) para serem colocados no lugar do Deus verdadeiro (criador do universo) mas Ele não proíbe a fabricação de imagens.

        Vou aqui esclarecer melhor:

        O que é Imagem: é a representação de um ser em seu aspecto físico. Assim imagem é

        : é um falso deus, inventado pela fantasia humana (sol, lua, animais, etc.) Os povos vizinhos dos antigos Israelitas adoravam vários deuses e fabricavam vários ídolos. uma fotografia, uma estátua, um quadro, etc.

        O que é Ídolo é um falso deus, inventado pela fantasia humana (sol, lua, animais, etc.) Os povos vizinhos dos antigos Israelitas adoravam vários deuses e fabricavam vários ídolos.

        O que é Adorar: é o ato de considerar Deus como o único criador e senhor do mundo.

        O que é Idolatria: é o ato de adorar o ídolo, o falso deus, ou seja, é considerar o falso deus como criador e senhor do universo.

        O que é Venerar: é imitar, honrar, louvar, homenagear, saudar, etc. Por isso, nós Católicos, veneramos os Anjos, os Santos e Nossa Senhora.

        Por isso é certo que quando as imagens não são para serem colocadas no lugar de Deus, isto é, quando as imagens não são para serem adoradas, então o mesmo Deus as manda fazer, e muitas. Confira em: (Êxodo 25,18-20) (26,1-2; 37,7-9) (1 Reis 6,23-29) (1 Reis 6,32; 7,36; 8,7) (2 Crônicas3,10-14; 5,8) (Ezequiel 41,17-21) (Números 21,8-9) (1 Crônicas 28,18-19) (Números 7,89) (1 Samuel 4,4) (2 Samuel 6,2) (Hebreus 9,5)

        O templo de Deus, construído ricamente pelo rei Salomão, estava cheio de imagens de escultura e Deus se manifestou nesse templo e o encheu de sua glória: (Ezequiel 41,17-20 – 43,4-6). Nesse templo havia até imagens gigantes: (1 Reis 6,23-35) (2 Crônicas 3,10-14) tinha “a serpente de bronze, querubins de ouro, grinaldas de flores, frutos, árvores, leões”, etc. (Números. 21,9) (Êxodo 25,13) (Ezequiel 1,5; 10,20) (1 Reis 6,18,23; 7,36) (Números 8,4).

        Os primeiros Cristãos usavam imagens nos lugares de culto, nos cemitérios e nas catacumbas. Perseguidos, para auxiliar sua fé tão posta à prova, pintavam e esculpiam naqueles subterrâneos, figuras representando Cristo e Sua Mãe Santíssima. O que mostra de passagem que o culto também à Mãe de Cristo é tão antigo quanto o próprio Cristianismo. Desde os inícios da arquitetura sacra as Igrejas foram enriquecidas com imagens tanto a título de instrução dos iletrados.

        Irmãos e irmãs as imagens contribuem para dar aos lugares de culto um aspecto sagrado, e convidam ao recolhimento e à oração (Êxodo 25,22) (1 Reis 6,23-28). Por isso, os querubins da Arca da Aliança não eram simples adornos. Lembravam ainda a mediação secundária dos Anjos (Hebreus 1,14), e integravam os objetos do culto.

        OBS.: Na Vulgata, inclusive, é citada que, no Templo de Jerusalém, a presença de uma imagem de homem:

        Apresentando como que a figura de um homem de pé” (III Reis 7,36)>> [BÍBLIA SAGRADA (Traduzida da Vulgata), 15a.

        Conclusão

        A Bíblia é bem clara ao mostrar que Deus manda fabricar as imagens, e mais uma vez é fácil notar o grave erro cometido por João Ferreira de Almeida adulterando passagens das Sagradas Escrituras.

        Elevando pastores falastrões a ganhar muito dinheiro a custas de pessoas que tem suas mentes deturpadas ao engano e a mentira.

    • Que piada é essa? Pra que tanto exasperação?
      E isso de “saíram de nós”? Você acredita então
      que todos os protestantes(são muitos) estão na roça?

    • ROUBANDO A GLÓRIA DE DEUS

      Trouxe hoje uma pregação de um áudio (compilada) do Pastor Juanribe Pagliarin, que transcrevi na íntegra, e fala sobre o roubo da glória de Deus: nessa pregação – que é a explicação de uma passagem bíblica – o Pastor Juanribe esclarece como A IMAGEM DE NOSSA SENHORA ganhou a coroa e o manto que tem hoje, porque ganhou esses presentes, quem deu esses presentes e como terminou a vida dessas pessoas que presentearam a imagem da “santa”.

      ÁUDIO COMPILADO
      Isaias 42:8 . Já acharam? Tem alguém ao teu lado sem a Palavra? Chega perto da pessoa e fala: “olha, é aqui que o Pastor Juanribe vai ler”. Só que eu vou ler nessa Bíblia aqui ó. Eu vou ler numa Bíblia Católica, tudo bem? Você lê na tua Bíblia aí, eu vou ler numa Bíblia Católica. Mas você vai ver que é bem parecida a Palavra, o sentido é o mesmo; algumas palavras vão estar diferentes, mas o sentido é o mesmo.

      É Deus falando. Aqui nessa Bíblia Católica, nessa tradução pastoral, ao invés de Jeová aparece Javé, tá? Aliás ninguém sabe qual é a pronúncia correta do nome de Deus. Por causa do temor de falar o nome do Senhor em vão os judeus não pronunciava este nome, então a pronúncia correta se perdeu. Há quem acredite que é Iahweh, outros estudiosos acreditam que é Javé – como está dizendo aqui, a Bíblia Católica – e outros acreditam que a tradução correta é Jeová, mas ninguém sabe direito qual é a pronúncia. Aqui nesta Bíblia Católica está escrito como Javé, está bom?

      Está escrito assim, Deus falando: “Eu sou Javé, esse é o Meu nome! Não vou dar para outro a minha glória, nem vou ceder a minha honra para os ídolos” Amém? Estou lendo na Bíblia Católica conforme está escrito; e vou ler de novo, acompanhe na sua Bíblia aí:
      “Eu sou Javé, esse é o Meu nome! Não vou dar para outro a minha glória, nem vou ceder a minha honra para os ídolos” Amém? Eu vou ler pela terceira vez e gostaria que cada pessoa que está aqui na sede da Paz eVida do Rio de Janeiro repetisse comigo – como sou quem está falando vocês vão repetir a Bíblia Católica comigo tá? Então vamos lá: “Eu sou Javé…, esse é o Meu nome…! Não vou dar… para outro… a minha glória…, nem vou ceder… a minha honra… para os ídolos”… Amém?

      Você acompanhou na tua Bíblia, é mais ou menos a mesma coisa? É bem parecido não é? Então você que crê que Deus falou isso, desocupe as tuas mãos e dê a melhor salva de palmas possível para a Palavra de Deus. [aplausos] Enquanto você aplaude, olhe para o alto e diga: “glória ao Teu nome Senhor!” Vai aplaudindo e olhando para o alto e dizendo: “honra e glória ao Teu nome Senhor!”

      [Oração]

      Senhor Deus e Pai Todo-Poderoso! Deus bendito e Deus amado! Todo este povo está dando glória e honra ao teu nome! Seja o Senhor Iahweh! Seja o Senhor Javé! Seja o Senhor Jeová! Toda honra e toda glória pertencem ao Senhor! Então recebe agora o louvor de todo este povo e sobre cada vida que te glorifica derrame agora a Tua benção, a Tua graça, a Tua virtude e o Teu poder! Pai querido, este povo veio aqui pra ouvir a Tua Palavra! Ninguém quer ouvir o homem não! Todos querem ouvir o Senhor falar! Então venha agora com o Teu Espírito e tome o lugar do pregador! Tome a boca do mensageiro! Fale com cada vida aqui presente! Com cada pessoa que está ouvindo à distância! Envia a Tua Palavra com poder e autoridade! E que a Tua Palavra vá, e produza o resultado para o qual está sendo mandada! Em nome do Senhor Jesus! Diga amém Jesus! Graças a Deus. Podeis sentar por favor, quem tiver lugar – quem não tiver fica de pé como eu.

      Deus não abre mão disto. Aliás, quando Ele organizou a Palavra, chamou Moisés e o colocou para escrever a Lei, e Ele mesmo ditava, sendo que na primeira vez o próprio Deus escreveu com o Seu dedo, a primeira Escritura Sagrada foi escrita com o dedo de Deus, nas pedras, lá no Monte Sinai, e Deus ali, na primeira instrução já foi muito claro e contundente a respeito dos ídolos.

      Eu quero que você leia comigo no Livro de Êxodo. Acompanhe na tua Bíblia, no capítulo 20 – eu vou ler na Bíblia Católica a partir do versículo primeiro –, está escrito assim: “Então Deus pronunciou todas essas palavras: Eu sou Javé teu Deus, que fiz você sair da terra do Egito, da casa da escravidão, não tenha outros deuses diante de mim, não faça para você ídolos, nenhuma representação daquilo que existe no céu e na terra, ou nas águas que estão debaixo da terra, não se prostre diante desses deuses, nem sirva a eles, porque eu, Javé teu Deus, sou um Deus ciumento” Amém?

      Então Deus passou em primeiro lugar essa instrução, e Deus não abre mão disso; porque sendo ele o criador de todo céu e toda a terra e de tudo que neles há, Ele quer o mérito de tudo que acontece nesse planeta; reputar à outra criatura ou divindade, pessoa viva ou morta, aquilo que Deus está operando, significa roubar a honra de Deus. Ora, se eu tiver um livramento, e eu falar assim nesse livramento: “Ah! Mas foi o meu anjo da guarda que me livrou” Então eu estarei roubando a honra de Deus e estarei dando a glória para o anjo, e isso pode ser transportado pra qualquer outra situação: “Ah! Foi o meu santo protetor que me ajudou” Então a pessoa está roubando a honra de Deus e está dando glória para aquele “santo protetor” que ela imagina que lhe fez o favor, e isso vai se repetindo sempre – alguém diz assim: “não, eu não fui mandado embora porque o meu santo é muito forte” Hã… Deus fica muito triste. A honra Dele foi transferida para um suposto santo e a pessoa que não foi mandada embora, ao invés de dar glória a Deus, deu glória para o “santo”. E Deus diz claramente: “Eu sou Javé, este é o Meu nome, não vou dar para outro a minha glória, nem vou ceder minha honra para os ídolos”

      Qualquer tipo de transferência nesse sentido provoca a ira de Deus! Se você continuar lendo ali – no primeiro mandamento do Senhor –, quando ele escreveu com o próprio dedo, Ele diz: “Eu faço misericórdia em milhares aos que me amam e guardam a minha palavra, mas eu reflito a maldade dos pais nos filhos até a terceira e quarta geração daqueles que me aborrecem” Deus, em toda a Sua Palavra instruiu o ser humano para, de maneira nenhuma, acreditar em ídolos, ou acreditar em imagens.

      Quando a gente fala isso, alguém já pensa que a gente está falando mal, por exemplo, do catolicismo – ainda mais quando eu digo que estou lendo uma Bíblia Católica –, mas por quê eu estou lendo uma Bíblia Católica? Porque o meu avô, italiano briguento, aqui no Brasil – veio naquela leva de imigrantes, no Paraná – foi visitar o irmão na cadeia, e esse meu tio-avô, que estava preso, conversando com o meu avô, ouviu o meu avô perguntar: “Que livro preto é esse aí na tua cela?” E meu tio-avô falou: “Ah! Isso é de uns protestantes que vieram me visitar aqui na cadeia e me deram esse livro” “Mas que livro é este? E meu tio-avô falou pro meu avô: “É uma Bíblia” “Bíblia?” “É, um livro de protestante. Eu não quero, você quer Pepe?” E o meu avô falou: “Eu quero” Aí meu avô começou a ler o livro e falou: “Esse livro de protestante é muito duro. Essa Bíblia de protestante e dura demais, como é que o padre nunca me ensinou isso?! Só pode ser mentira!” Aí ele foi lá na Igreja principal, conversou com o padre que também era um italiano e pediu uma Bíblia emprestada; e o padre deu pra ele uma Bíblia bem grande, toda ilustrada e escrita em italiano, e o meu avô começou a ler a Bíblia Católica. Quando o meu avô começou a conferir na Bíblia Católica, ele disse: “Mas tudo que está escrito na Bíblia dos protestantes também está escrito nesta Bíblia Católica, e o padre nunca me falou!” Foi aí que o meu avô despertou para a verdade.

      Um dia ele passou em frente a uma pequena Igreja onde o povo estava cantando e louvando a Deus – os Protestantes da Igreja Metodista. Ele falou: “ Vou entrar na Igreja desses protestantes. Quero ver como é que é”. E aí quando ele entrou, ele começou a ouvir a pregação da palavra. Tudo que ele tinha estudado na Bíblia Protestante a na Bíblia Católica o pastor falou naquela noite e perguntou: “ Quem aqui – sabendo disso agora – quer receber Jesus Cristo, o Filho de Deus, como único salvador” Aí meu avô, que era Católico Apostólico Romano roxo, de beijar pé de santo, quando ele ouviu aquele convite, ele levantou a mão mais do que depressa e entregou a vida pra Jesus Cristo. [aplausos, mas esses aplausos são para Deus e não para o Pastor] Por isso que eu estou lendo numa Bíblia Católica, porque se eu hoje estou aqui, eu devo isso à Bíblia Católica também, porque foi nela que o meu avô estudou e conferiu a verdade.

      Eu vou ler mais um trecho nessa Bíblia e você pode acompanhar na tua também, no livro de salmos. Aqui na Bíblia Católica e na tua é o Salmo de número 115 – algumas versões Católicas alteram a numeração, mas o Salmo é de número 115. Eu vou ler o versículo 4, diz assim: “Os ídolos deles são prata e ouro, obras de mãos humanas; têm boca e não falam, têm olhos e não veem, têm ouvidos e não ouvem, têm nariz e não cheiram, têm mãos e não tocam, têm pés e não andam, sua garganta não tem voz; aqueles que os fazem ficam como eles; todos aqueles que neles confiam.

      Então quando Deus diz: “Eu não vou dar a minha honra para as imagens de esculturas, e a pessoa insiste em adorar um ídolo – ela que está se dirigindo a um ídolo cego, surdo, mudo, paralítico, sem fôlego de vida, ela vai ficar acabando semelhante ao ídolo. É uma maldição que está na Bíblia, seja ela Católica ou Protestante, e a pessoa que insiste nessa adoração falsa – desrespeitando a vontade de Deus –, ela acaba sendo vítima daquele ciúme de que Deus falou, Ele disse: “Eu sou Deus ciumento, Eu faço misericórdia aos milhares que me amam e que guardam a minha Palavra, mas eu visito a maldade dos pais nos filhos até a terceira e quarta geração daqueles que me aborrecem” E é por isso que muita gente no Brasil tem uma família amaldiçoada, vem há gerações, e aquilo vai passando porque o povo não conhece a Palavra.

      Eu vou ler mais um trecho aqui – eu vou ler na Bíblia Católica, mas vou manter também a minha aberta agora, no Livro de Isaías também, no capítulo 45 versículo 20 –, eu vou ler na Bíblia Católica e vou ler na minha Bíblia, na Bíblia que nós usamos, os Evangélicos usam – Isaías capítulo 45, versículo 20. Acompanhe na tua porque eu vou ler aqui na Bíblia Católica, edição Paulus; é muito pesada essa Palavra e eu quero pedir a todos os Católicos que estão me ouvindo, que escutem isso, porque eu vou ler primeiro a Bíblia Católica; depois eu vou ler como está escrito na nossa Bíblia, pra você não achar que eu estou ofendendo os Católicos; olha, eu vou ler até assim que é pra você ver que é na Bíblia Católica mesmo que eu estou lendo: “Vocês, que escaparam das nações, reúnam-se, venham, cheguem mais perto todos juntos, esses que carregam suas imagens de madeira são ignorantes” É duro não é? Pesado demais. A tradução da Bíblia Católica, essa tradução da Editora Paulus, essa tradução que é autorizada pelo Vaticano, e que tem o Imprimatur da Igreja Católica Apostólica Romana, olha o Imprimatur aqui, ó. Quem assinou esse Imprimatur, isto é, autorização e aprovação dessa versão da Bíblia Católica foi o Dom Luciano Mendes de Almeida – Presidente da CNBB, Conferência Nacional dos Bispos do Brasil.

      Então, ler isso na Bíblia Católica choca! Não é? Porque a Bíblia Católica falou: “Esses que carregam ídolos nas costas são ignorantes!” Agora deixa eu ler como é que está na nossa Bíblia, olha o que diz aqui ó, Deus falando: “Congregai-vos e vinde, chegai-vos juntos vós que escapastes das Nações, nada sabem os que conduzem em procissão as suas imagens de esculturas feitas de madeira e rogam a um deus que não pode salvar” Então você vê que a Bíblia Protestante foi mais educada que a Bíblia Católica, não é? A Bíblia Protestante falou: “Os que carregam imagens em procissão nada sabem” Não sabem, mas a Igreja Católica chega, com essa Bíblia e diz: “Não! São ignorantes!” Muito pesado.

      Vou continuar lendo aqui na Bíblia Católica acompanhe na tua, por favor: “Esses que carregam sua imagens de madeira são ignorantes, dirigem suas preces a um deus que não é capaz de salvar; declarem, Deus diz, declarem, tragam suas provas, façam conselho entre si; alguém proclamou isso desde os tempos antigos? Quem o anunciou desde aquele tempo? Não fui eu, Javé? Fora de mim não existe outro Deus! Não existe Deus justo e salvador a não ser Eu! Voltem-se para Mim e vocês serão salvos ó extremidades todas da terra, pois Eu Sou Deus e não existe outro.” O único que salva, o único que pode salvar, o único que pode dar vida, o único que sabe de todas as coisas é Deus. E Ele diz:”Vocês que estão se voltando para um ídolo, carregando uma imagem nas costas em procissão, vocês estão rogando para uma imagem que não pode salvar e não pode fazer nada – Deus diz que só Ele é capaz de fazer -, e Ele não abre mão disso. Se você quisesse fazer uma opção por livre e expontânea vontade, levando em consideração só o teu querer você faz o que quiser da tua vida, cada pessoa é livre; mas se você realmente está interessado, interessada em ouvir a vontade de Deus e saber o que é que Deus requer da tua vida, então você precisa prestar atenção nesta Palavra.
      Teve um Padre que se converteu, escutando as mensagens pela rádio – numa cidade vizinha à Aparecida; ele foi ouvindo a rádio ali na clausura, bem baixinho para os outros Padres não perceberem; e toda a noite ele estava lá, ouvindo a pregação; uma noite ele escutou uma mensagem, e a Palavra ficou se repetindo na mente dele, o tempo todo: “Não farás para ti imagem de escultura; não farás para ti imagem de escultura.” E esse Padre não conseguia mais dormir. O tempo todo na mente dele esse versículo: “Não farás para ti imagem de escultura”. E ele foi ficando angustiado, angustiado. Aí ele foi celebrar a Missa – todos os padres atrás dele -, ele levantou a Óstea, com aquele gesto característico dos Padres, na hora que ele ergueu a Óstea para o alto, ele disse que sentiu um fogo muito grande, um calor muito forte em todo o corpo, e ele começou a falar palavras que ele não entendia. Eu disse: “Padre, você foi batizado com o Espírito Santo”. Ele falou: “comecei a falar coisas que eu não entendia, mas a minha mente estava bem lúcida; eu sabia tudo que estava acontecendo, aí eu tive vontade de falar coisas que eu sabia que não podia falar, eu sabia que eu não podia; mas a minha boca começou a falar sozinha, e eu disse para o povo que estava dentro da Igreja – eu abaixei a Óstea e disse: “gente, Maria não salva! Aparecida não salva! Pedro não salva! Quem salva é Jesus Cristo! [Aplausos… Não para o Pastor, mas para Jesus Cristo] E foi um reboliço na Igreja Católica.
      Esse padre, italiano também, olhou para mim dentro do carro – eu o convidei para almoçar -, ele falou: “Pastor, eu nunca entrei num shoping”. Falei: “Por quê? Ah! Porque a gente vive na clausura [quem tiver entendimento vai saber por que os Padres vivem na clausura, mas a Palavra de Deus é poderosa]. Eu falei: “Ah, mas hoje você vai almoçar comigo no shoping”. Aí estamos nós no carro – o Padre no banco da frente, eu no banco de trás -, o Padre olha pra mim, padre magrinho coitado, fazia muito jejum, muita penitência, ele olhou para trás, para mim, abaixou o óculos na metade do nariz, ficou me olhando por cima do óculos, o olho dele encheu de lágrimas, aí ele pôs a mão no rosto, aquela mão magrinha, os dedos sequinhos, ele pôs a mão assim e começou a chorar, e ele olhava pra mim e começava a falar: “Pastor, ô Pastor”. E eu olhando pro Padre, o homem em angústia: “Pastor, eu ensinei tanta gente errada, eu ensinei o erro pra tanta gente. O senhor acha que tem salvação para mim?” “Padre, tudo que você fez, naquele tempo, você já está arrependido. Todo o pecado tem perdão no sangue de Jesus Cristo”. O homem parou de chorar na hora! Ele estava aflito pala grande quantidade de pessoas que ele tinha instruído errado [Aplausos].

      Agora veja você, conhecendo a Palavra, o que a pessoa vai fazer? Vai continuar no erro, ou vai se arrepender como fez esse padre, e vai mudar de vida? Em Curitiba tem outro padre que se converteu. Ele quer passar a paróquia pra gente. Eu falei: “Padre, não pode passar Paróquia. Como é que você quer me passar a Paróquia Padre?” “não, mas eu me converti, eu me converti”. E ele estava doente que nem não sei o quê, foi na Paz e Vida de Curitiba e foi curado na hora por Aquele que está vivo, Aquele que tem todo o poder no Céu e na Terra [Aplausos] – entregou a vida pra Jesus. Olha só amado, amada, a pessoa continua no erro porque não conhece, mas quando ela conhece, há chance de arrependimento e há chance de perdão.

      Mas por que eu estou lendo a Bíblia Católica? Por que eu estou nesse assunto? Porque a Igreja Católica Apostólica Romana no Brasil – com ordem do Vaticano, com ordem de Roma – iniciou, na nossa nação, um concurso para coroação da “santa, Aparecida” onde, todos que quisessem, poderiam desenhar uma nova coroa para Aparecida para ser fabricada uma nova coroa, para que, no centenário da santa, ela seja coroada.

      Pelo regulamento, que eu tenho uma cópia aqui – eu consegui esse regulamento na site oficial do Santuário Nacional de Nossa Senhora da Conceição Aparecida –, pelo regulamento você já fica sabendo qual é o objetivo. Regulamento do concurso, por que participar: “O presente concurso integra as comemorações relativas ao centenário da solene coroação da imagem de Nossa da Conceição Aparecida, oferecendo um desafio e uma oportunidade singulares aos interessados e participantes: promover, através do trabalho artístico, a reflexão sobre o agir de Deus na pessoa humana; ressaltar a força da figura feminina e materna na história humana e Cristã; fazer homenagem à santa, através da ornamentação de sua própria imagem; e enfim, criar a coroa do centenário, para simbolizar tudo o que a virgem Aparecida representa para seus devotos. Com o resultado do concurso, espera-se contribuir para valorizar a devoção à Nossa Senhora da Conceição Aparecida; Promover uma ampla divulgação do evento de sua coroação; e reafirmar o amor filial do povo brasileiro para com sua mãe, rainha e padroeira.” Essa é a ideia, está bom? Você ouviu falar de Jesus Cristo aqui? Não. Querem honrar a santa.Querem preparar uma nova coroa, porque a primeira que foi dada a ela foi um presente da princesa Isabel.

      Princesa Isabel não tinha filhos, e ela foi lá com o conde Deu, seu marido, e disse: “Aparecida, me dá um herdeiro. Eu quero um filho herdeiro.” E ela volta tempos depois com três filhos. Na primeira visita ela tinha dado um manto – esse manto que a imagem de Aparecida usa -, aquele manto tem vinte pedras, vinte brilhantes, representando as vinte províncias da época, e mais uma pedra maior representando a capital, que na época era o Rio de Janeiro. Então, o manto de Aparecida foi presente da princesa Isabel, e quando ela voltou ali com os três filhos, ela levou a coroa. A coroa que a imagem de Aparecida usa, foi dada há cem anos atrás pela princesa Isabel, e contém quarenta brilhantes: toda cravejada de rubis, brilhantes, esmeraldas. É um presente muito caro. Mas a Igreja Católica, então, pensou assim: “poxa, está fazendo cem anos. Vamos bolar um concurso para agitar um pouco mais a adoração à imagem de Aparecida.” E esse concurso teve a participação de muitas pessoas, e já foi escolhida a coroa oficial – a coroa vencedora, já foi escolhida.

      Posso ler um pedacinho desse texto? Também consegui no site oficial do Santuário Nacional de Nossa Senhora da Conceição Aparecida: “Considerando a expressiva votação que os cinco trabalhos classificados receberam do júri popular, o júri institucional decidiu por consenso, que a coroa vencedora é a da designer Lena Garrido de Belo Horizonte, Minas Gerais. Após longa discussão e análise dos protótipos, o resultado foi proclamado por Dom Raimundo Damasceno Assis, Arcebispo de Aparecida às 14:00h do dia 10 de Junho de 2004, no convento dos Missionários Redentoristas” Então, esta é a coroa vencedora, e a santa vai ter agora essa nova coroa; e agora, ela vai receber toda essa honra, toda essa glória – esse é o propósito da Igreja Católica.

      Deixa eu dizer uma coisa: Deus não dá a honra Dele para as imagens de escultura; e Ele realmente faz uma cobrança em cima de quem se prostra diante de um ídolo; e Ele não perdoa ninguém nesse ponto, porque Ele disse: “Eu aborreço aqueles que Me aborrecem. Eu visito a maldade dos pais nos filhos até a terceira e quarta geração.”

      Então veja só uma coisa: a primeira autoridade brasileira a visitar a Basílica de Aparecida – a Basílica velha na época – e pedir ajuda para resolver os problemas que enfrentava, foi Dom Pedro II; Dom Pedro II queria se desligar de Portugal, declarar a independência, e ser, aqui no Brasil, o rei do Brasil, porque ele só era o Príncipe Regente; foi lá e pediu ajuda para a imagem de Aparecida, tempos depois, Dom Pedro II foi desterrado do Brasil e teve que fugir para a Europa, e morreu em Paris de uma doença incurável na época chamada pneumonia – esse foi o fim de Dom Pedro II.

      A Princesa Isabel, que foi quem deu o manto para a imagem, quem deu a primeira coroa para a imagem; a Princesa Isabel foi lá e pediu: “eu quero um herdeiro para o trono” Ela rogou à imagem “quero um herdeiro para o trono” A própria Princesa Isabel nunca virou rainha do Brasil, e muito menos qualquer um dos seus filhos – não se tornaram reis do Brasil. Também a Princesa Isabel, foi banida do País e morreu em Paris – também foi mandada embora.

      Tivemos depois o presidente Getúlio Vargas, que assinou junto com o Papa – Pio XI -, ele assinou o decreto dizendo que a imagem de Aparecida era a protetora do Brasil. Você já sabe como terminou a vida de Getúlio Vargas, ele se matou com um tiro no peito.

      Quando o Papa veio aqui no Brasil muita gente ficou eufórica, o Papa pegou a imagem de Aparecida e beijou diante das câmeras; deu glória e honra para uma imagem de barro sem vida, e ele beijou aquele ídolo e adorou aquilo, e ensinou os brasileiros a fazer a mesma coisa. Esse Papa era um atleta, aliás, era o Papa mais atleta que já assumiu Roma; esse homem escalava picos de neve, esquiava, praticava esportes. Dê uma olhada para o final da vida desse Papa, o João Paulo II; veja como foi o final da sua vida.

      O presidente do Brasil na época em que o Papa veio aqui e beijou a imagem de Aparecida era o General João Batista Figueiredo, o último ditador militar da revolução de 64. João Batista Figueiredo assinou um decreto no nosso país instituindo que o dia 12 de Outubro é o dia da santa, feriado nacional – antes não era feriado, ele decretou que é feriado. João Batista Figueiredo era um presidente que vivia sendo filmado pelas emissoras de televisão, correndo, praticando esportes, andando a cavalo, fazendo equitação, saltando; depois que esse General deu o feriado para a imagem de Aparecida, esse General começou a ter graves problemas políticos e graves problemas de saúde, e ele foi ficando encarquilhado, torto, encarquilhado, e ele já não conseguia, se quer, andar com a cabeça erguida, vivia fazendo tratamento: acupuntura, agulhas, tratamentos alternativos, massagens, mas não adiantou, morreu muito doente, e morreu muito pobre. Sabe por quê? Por causa dessa Palavra que eu li aqui, na Bíblia Católica, que vou ler de novo pra você – Livro de Isaías Capítulo 42:8: “Eu sou Javé, esse é o Meu nome! Não vou dar para outro a minha glória, nem vou ceder a minha honra para os ídolos” Deus não abre mão disso.

      Não adianta. se você é devoto de algum ídolo – “ah! Pastor, mas o ídolo que eu tenho representa Jesus Cristo.” Não é de Deus! não é Cristo! Quem te falou que é Jesus Cristo? “ah Pastor está lá, meio lourinho, com o olho azul” – E quem te falou que Jesus era meio lourinho com o olho azul? Que a pele dele era clarinha? Quem te falou isso? Ninguém sabe como Jesus era; você está adorando um ídolo ali; rogando para uma imagem sem vida; dando crédito para ela; quando o verdadeiro Jesus Cristo não está lá, mas sim à direita do poder de Deus; recebeu todo o poder no Céu e na Terra; Ele está assentado com Deus; Ele é o Todo-Poderoso. Aquele a quem você deve honrar e dar glória, está lá na glória! [Aplausos] Qualquer que seja a imagem você tem que se desfazer dela, isso é muito sério. Quando Jesus estava aqui na Terra, deram alguma honra e glória para Ele? Nem os seus discípulos. A única honra e glória que deram para Ele foi esta: uma coroa de espinhos – não de ouro nem de prata, não tinha nem um rubi, nenhuma pedra preciosa, mas sim muitos espinhos –, um manto vermelho colocado nas costas, em sinal de zombaria, e no lugar dum cetro, uma cana, como se fosse um cabo de vassoura – ali, na mão Dele, como se fosse um cetro real –, e se ajoelhavam diante Dele. Essa foi a honra que deram para Jesus, mas riam muito e diziam: “salve rei dos judeus.” E cuspiam no rosto Dele. Essa foi a honra e a glória que Ele recebeu aqui na Terra; mas pela vontade de Deus, Ele agüentou tudo; e foi para a cruz do calvário, e morreu por todos os nossos pecados; foi sepultado e no terceiro dia ressuscitou; caminhou aqui na Terra depois de ressuscitado por cerca de quarenta dias; foi visto por mais de quinhentas pessoas; e um dia, quando Ele estava dando as últimas instruções, sem que os discípulos esperassem, Ele foi se elevando ao Céu; começou a subir para o alto, e foi subindo, subindo, e os discípulos ficaram admirados: “esse Homem está flutuando!” E os discípulos ficaram acompanhando aquela flutuação, e Jesus subindo; e subindo cada vez mais alto, até que uma nuvem do Céu o encobriu; e todo mundo queria continuar vendo: “cadê Ele? Cadê?” Aí dois varões de branco se aproximaram dos discípulos e disseram: “varões galileus, por que estais olhando para o alto? Este Jesus, que entre vós foi recebido em cima no Céu, um dia Ele há de voltar aqui na Terra. Tão certo como vocês o viram subir, um dia Ele vai voltar!”[Aplausos] É esse que vai voltar.

      E Ele não precisa, que seja feito um concurso, com designers famosos, criando uma coroa pra quando Ele voltar. Ele não precisa disso! Ele já foi coroado lá na glória. Designer nenhum neste país ou no mundo teria a criatividade para criar uma coroa digna do Senhor Jesus!

      E eu vou encerrar essa mensagem meu querido e minha querida, lendo com você o Livro de Apocalipse, capítulo 19, versículo 11, quando João disse: “E vi o Céu aberto, e eis um cavalo branco, e o que estava assentado sobre ele chama-se fiel e verdadeiro, e julga e peleja com justiça; e os seus olhos eram como chama de fogo, e sobre Sua cabeça havia muitos diademas; e tinha um nome escrito que ninguém sabia, senão Ele mesmo; e estava vestido de uma veste salpicada de sangue; e o nome pelo qual ser chama é, a Palavra de Deus; e seguiam-no os exércitos que há no Céu, em cavalos brancos; e vestidos de linho fino, branco e puro; e da sua boca saía uma aguda espada para com ela ferir as nações; e Ele as regerá com vara de ferro; e Ele mesmo é o que pisa o lagar do vinho do furor e da ira do Deus Todo-Poderoso; e na veste, e na Sua coxa tem escrito este nome: “REIS DOS REIS E SENHOR DOS SENHORES.” [Aplausos] Esta é a honra, e esta é a glória do Senhor Jesus! É assim que todas as nações um dia o verão: vindo com poder e autoridade, cheio de glória, honra e poder. Jesus não precisa ser coroado por nenhum homem ou mulher, quando Ele vier. Nenhuma Igreja vai coroá-lo quando Ele vier. Ele já foi coroado! E Ele é o único Rei! Ou você vai adorar Esse Jesus, ou vai continuar com os ídolos.

      Pastor Juanribe, você leu só no Antigo Testamento, a Bíblia Católica – mas no Novo Testamento qual o problema? A Igreja antigamente não adorava ídolos não? A Igreja no seu início não adorava imagem? Só um exemplo eu vou te dar! Vamos ler a carta do Apóstolo João, vamos ler o capítulo 5… No último versículo… versículo 21. Olha como o Apóstolo João termina esta carta, e ele foi o Apóstolo que mais viveu viu? De todos os Apóstolos, ele foi o que mais viveu. Então no tempo do Apóstolo João, ele que foi o último dos Apóstolos, ele ensinava isso. É sinal que os seus antecessores também ensinaram, ele escreveu – e eu vou ler na Bíblia Católica: “Filhinhos cuidado com os ídolos.” Como é que está escrito na tua Bíblia? Fugi dos ídolos, não é? É, fugi dos ídolos. Aqui na Bíblia Católica esta mandando tomar cuidado com os ídolos. E tem que tomar cuidado mesmo! Porque eles acabam enredando a pessoa, aprisionando o ser humano numa falsa religiosidade e a pessoa PERDE A SALVAÇÃO, pode acreditar. 40:59

    • SINTO MUITO MINHA CARA CÉLIA REGINA PINHEIRO,VOCÊ VAI MORRER NUMA FÉ ESTÉRIL PORQUE PESSOA MORTA NÃO PODE FAZER NADA PELOS VIVOS, SOMENTE QUEM ESTÁ VIVO PELO SÉCULO DOS SÉCULOS PODE, PORQUE FOI O ÚNICO QUE MORREU RESSUSCITOU E TEM O PODER DE FAZER ALGO POR NÓS. O DIABO ESTÁ RINDO DA TUA CARA QUANDO VOCÊ SE AJOELHA NA FRENTE DA IMAGEM QUE DIZEM PARA VOCÊ QUE É DE MARIA.
      LEIA O QUE ESTÁ ESCRITO LOGO ABAIXO SOBRE JACÓ E O MOTIVO DE ELE NÃO TER PERMITIDO SER ENTERRADO NO EGITO.
      ENTRE IMITAR E SE AJOELHAR DIANTE DE UMA IMAGEM DE UMA PESSOA QUE VIVEU NO PASSADO HÁ UM ENORME ABISMO.

      A Igreja primitiva não havia se desviado do Evangelho, ela ensinava o que está escrito em Atos, que conta a trajetória da Igreja primitiva. Veja em Atos dos Apóstolos se alguém ali se atrevia a ensinar outro tipo de adoração senão ao Deus invisível de Israel. Jesus certa vez disse: “examinai as escrituras, porque elas testificam de mim”. Hoje temos essa liberdade porque o papa não pode mais usar o tribunal da Inquisição.
      A palavra também diz que não é por força, nem por violência, mas é pelo Espírito de Deus.

      O jargão de vocês é dizer: “Mostre-me um versículo da Bíblia onde Deus manda um homem criar uma Igreja”. Pois eu digo a todos você que Deus nunca ordenou a nenhum ser humano criar nenhuma Igreja, pois ela foi criada por Jesus Cristo, que é o cabeça, e não o papa. Da mesma forma não deu autoridade para se criar papado nenhum, porque o papado foi criado por gananciosos religiosos da época que queriam monopolizar a Palavra de Deus, isso foi possível porque à época a Igreja era subsidiada por um Estado tirano – o papado não existia no primeiro século, veja em Atos.

      Flávio Josefo escreveu sua obra no primeiro século da era Cristã, e em 1568 páginas de sua obra completa não se vê registro de papado nenhum porque naquela época não existia papa. O papado foi uma mentira, um embuste muito bem criado pelas trevas para manter em cativeiro os incautos.
      Juntamente com esse embuste foi criado um Estado dentro de um Estado, o Vaticano é o menor país do mundo, e Deus não deu autoridade para nenhuma Igreja criar um País – Estamos quites até aqui?
      É da cultura do ser humano – isso de qualquer país do mundo – acreditar em fábulas, mentiras infundadas, coisas desse tipo.

      Que o diga são Jorge, um padre católico, que também era soldado romano: São Jorge , segundo a fábula, matou um dragão, dragão esse inventado pelas mentes férteis e ávidas por criarem contos. Dragão não existe e nunca existiu. Quando uma pessoa faz uma reza pra são Jorge ou qualquer santo que seja quem está recebendo aquilo é o próprio diabo, porque morto não pode ajudar nenhum ser humano vivo e vice-versa, por mais santo que tenha sido , está escrito na bíblia, e quem disse isso foi Jesus Cristo (isso é prática de espiritismo, eles fazem o mesmo na macumba). Então por que as orações têm que ser dirigidas a Ele – JESUS? Porque Ele morreu e ressuscitou no terceiro dia, e isso significa que Ele pode atender nossas orações porque está vivo.

      Não quero dizer com isso que aquele padre do passado tenha sido do diabo. Ele simplesmente não pode ajudar ninguém de onde está. O diabo é quem aproveita a situação e ri da cara de quem faz essas rezas.
      Realmente concordo que ele tenha sido um cristão porque foi torturado por não ter negado o nome de Cristo, somente de Cristo. E nem assim vocês aprendem!!

      VAMOS VER O QUE DIZ A TORÁ DOS JUDEUS? É A TORÁ MESMO, EM HEBRAICO, ARAMAICO E TRADUZIDA PARA O PORTUGUÊS PELO RABINO MEIR MATZLIAH MELAMED . NOTE-SE QUE ATÉ AS PALAVRAS SÃO DIFERENTES.

      GÊNESIS 47: 29

      “E CHAGARAM OS DIAS DE ISRAEL PARA MORRER, E CHAMOU SEU FILHO JOSÉ, E DISSE-LHE: SE, ROGO, ACHEI GRAÇA A TEUS OLHOS, PÕE, ROGO, TUA MÃO DEBAIXO DE MINHA COXA, E FARÁS COMIGO CARIDADE E VERDADE; ROGO-TE, NÃO ME SEPULTES NO EGITO”

      NA MESMA TORÁ TEM UM COMENTÁRIO SOBRE ESSE VERSÍCULO, VEJA:

      “NÃO ME SEPULTES NO EGITO – JACOB ERA ADMIRADO NA TERRA DE SEU EXÍLIO COMO UMA FIGURA MÁGICA, RESPEITADA PELO POVO EGÍPCIO. SE FOSSE ENTERRADO NESTA TERRA, SEU TÚMULO SE TRANSFORMARIA EM LOCAL SAGRADO, FOCO DE PEREGRINAÇÃO E ADORAÇÃO. SER IDOLATRADO APÓS A MORTE SERIA UM FINAL TRÁGICO PARA UMA PESSOA QUE SIMBOLIZOU A FÉ NO DEUS ÚNICO DURANTE A SUA VIDA”

      HISTÓRIA DOS HEBREUS

      EIS A APRESENTAÇÃO DO LIVRO DE FLÁVIO JOSEFO:

      “TENDO ATRAVESSADO SÉCULOS ATÉ OS NOSSOS DIAS, A HISTÓRIA DO POVO JUDEU, ATRAVÉS DO REGISTRO DE FLAVIO JOSEFO, PERMANECE COMO O MAIS FIDEDIGNO RELATO DOS ACONTECIMENTOS CONTIDOS NAS ESCRITURAS.
      DIVERSAS RAZÕES CONTRIBUÍRAM PARA TORNAR ESTA UMA OBRA-PRIMA, NÃO APENAS A MAGNITUDE DO ASSUNTO, MAS TAMBÉM O FATO DE SEU AUTOR SER TANTO TESTEMUNHA OCULAR QUANTO COADJUVANTE DE ALGUNS DOS EVENTOS POR ELE NARRADOS. ALÉM DISSO, O QUE SE REVELA EM HISTÓRIA DOS HEBREUS É A CONFIRMAÇÃO DAS PROMESSAS DE DEUS PARA O SEU POVO E O CUMPRIMENTO DE SUA PALAVRA EM TODOS OS FATOS REGISTRADOS EM SUA PÁGINAS

      O AUTOR

      DE ORIGEM JUDAICA, SENDO TAMBÉM DE LINHAGEM SACERDOTAL, FLÁVIO JOSEFO, UM ESCRITOR E HISTORIADOR JUDEU QUE VIVEU ENTRE 37 E 103 d.C., ESCREVEU A OBRA QUE SE TORNARIA, DEPOIS DA BÍBLIA, A MAIOR FONTE DE INFORMAÇÕES SOBRE OS IMPÉRIOS DA ANTIGUIDADE, O POVO JUDEU E O IMPÉRIO ROMANO.”

      VEJA O QUE DIZ FLÁVIO JOSEFO NO ARTIGO 772 DE ANTIGUIDADES JUDAICAS:

      “NESSE MESMO TEMPO, APARECEU JESUS, QUE ERA UM HOMEM SÁBIO, SE É QUE PODEMOS CONSIDERÁ-LO SIMPLESMENTE UM HOMEM, TÃO ADMIRÁVEIS ERAM AS SUA OBRAS. ELE ENSINAVA OS QUE TINHAM PRAZER EM SER INSTRUÍDOS NA VERDADE E FOI SEGUIDO NÃO SOMENTE POR MUITOS JUDEUS, MAS TAMBÉM POR MUITOS GENTIOS. ELE ERA O CRISTO. OS MAIS ILUSTRES DENTRE OS DE NOSSA NAÇÃO ACUSARAM-NO PERANTE PILATOS, E ESTE ORDENOU QUE O CRUCIFICASSEM. OS QUE O HAVIAM AMADO DURANTE SUA VIDA NÃO O ABANDONARAM DEPOIS DA MORTE. ELE LHES APARECEU RESSUSCITADO E VIVO NO TERCEIRO DIA, COMO OS SANTOS PROFETAS HAVIAM PREDITO, DIZENDO TAMBÉM QUE ELE FARIA MUITOS OUTROS MILAGRES. É DELE QUE OS CRISTÃOS, OS QUAIS VEMOS AINDA HOJE, TIRAM O SEU NOME”

      O MESMO LIVRO DE FLÁVIO JOSEFO CONTA A HISTÓRIA DE JUDAS MACABEU, QUE LUTA CONTRA O EXÉRCITO DE ANTIOCO EPIFANIO, INVASOR DE JERUSALÉM E PROFANADOR DO TEMPLO. ANTIOCO COLOCOU IMAGENS DE DEUSES PAGÃOS PARA SEREM ADORADAS, CONFORME SUBTÍTULO:

      “O REI ANTIOCO, RECEBIDO NA CIDADE DE JERUSALÉM DESTRÓI-A COMPLETAMENTE, SAQUEIA O TEMPLO E CONSTRÓI UMA FORTALEZA. ABOLE O CULTO A DEUS. VÁRIOS JUDEUS ABANDONAM A RELIGIÃO. OS SAMARITANOS RENUNCIAM A SUA NACIONALIDADE E CONSAGRAM O TEMPLO DE GERIZIM AO JÚPTER GREGO. ”

      SERÁ QUE TEM ALGUMA SEMELHANÇA COM A IGREJA CATÓLICA ROMANA, QUE ABOLIU O CULTO A JESUS E PASSOU A CULTUAR MARIA? VOCÊS FIZERAM COMO OS SAMARITANOS, TROCARAM O CRIADOR PELA CRIATURA!!!

      A PALAVRA NÃO DIZ: “BEM AVENTURADA A NAÇÃO CUJA DEUSA É UMA SENHORA” , MAS DIZ: “BEM AVENTURADA É A NAÇÃO CUJO DEUS É O SENHOR”

      A PALAVRA DE DEUS É PARA SER ABERTA NA IGREJA E EXPLICADA, NÃO APENAS LIDA. SE ASSIM FOSSE EU NÃO PRECISARIA SAIR DE CASA PARA TER CONHECIMENTO DE DEUS.

      UM OUTRO FATO INTERESSANTE E INTRAGÁVEL FOI UM FILME QUE ASSISTI – O EXORCISTA -, ONDE UM PADRE DISSE TER QUE PRIMEIRO TERIA QUE PEDIR AUTORIZAÇÃO AO PAPA PARA EXPULSAR UM DEMÔNIO, QUANDO JESUS, LÁ TRÁS DEU UMA ORDEM DIRETA: “15 E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura. 16 Quem crer e for batizado será salvo, mas quem não crer será condenado. 17 Estes milagres acompanharão os que crerem: expulsarão os demônios…” ESSES VERSÍCULOS FORAM TIRADOS DA BÍBLIA DE VOCÊS – A BÍBLIA AVE-MARIA.
      E DIGO MAIS, AVE ERA UMA SAUDAÇÃO A CÉSAR QUE FOI TRANSFERIDA PARA MARIA. O ANJO NÃO SAUDOU MARIA COM UM AVE E SIM COM “ALEGRA-TE CHEIA DE GRAÇA” – NA BÍBLIA DE JERUSALÉM, CATÓLICA; E “ALEGRA-TE MUITO FAVORECIDA!” – BÍBLIA EVANGÉLICA.

      AS PESSOAS ESTÃO HOJE ABANDONANDO O CATOLICISMO PORQUE ESTÃO DESCOBRINDO QUE ESTAVAM PRATICANDO UMA FÉ ESTÉRIL, ESTÃO SE CONVERTENDO A DEUS. ELAS ESTÃO VENDO QUE A IGREJA EVANGÉLICA MUDA SUAS VIDAS DE VERDADE. E NÓS NÃO ENSINAMOS NINGUÉM A VIRAR RELIGIOSO.
      SABE O QUE É UM RELIGIOSO? UMA PESSOA QUE VAI À IGREJA TODO SANTO DIA E A VIDA ESTÁ TODA DESTRUÍDA, NÃO MUDA.. ENTÃO SE AS PESSOAS ESTÃO VINDO PARA AS IGREJAS EVANGÉLICAS É PORQUE ESTÃO VENDO MUDANÇAS EM SUAS VIDAS. E APRENDENDO A ADORAR O ÚNICO DEUS VERDADEIRO, COMO DIZ A PALAVRA:

      “PAI, QUE CONHEÇAM A TI SÓ COMO ÚNICO E VERDADEIRO DEUS E A JESUS CRISTO QUEM ENVIASTE”

      • RENATO DE CARVALHO
        ME DIGA DE QUAL SEITA PROTESTANTE VOCÊ PERTENCE?

        OU ME DIGA QUE VOCÊ NÃO É PROTESTANTE E SIM UM CRISTÃO?

        POIS TODO CHARLATÃO COMO VOCÊ USA ESSES ARGUMENTOS

      • VOCÊ NÃO PASSA DE UM DOENTE RENATO DE CARVALHO
        OS CATÓLICOS NÃO CAEM MAIS NESSAS FABULAS SATÂNICAS VINDAS
        DE PESSOAS DO MAL DO SECULO COMO VOCÊ

        ME DIVIRTO MUITO COM VOCÊ

        SE INTERNA CARA
        UM FALSO PROFETA NO QUAL REFUTO E REFUTAREI QUANTAS VEZES FOREM NECESSÁRIO

  20. Gente!!!!

    Todos nós sabemos que catolicismo é seita, justamente por praticar idolatria, que consiste em veneração, adoração, prostração diante de imagens criadas de pessoas tão pecadoras quanto nós. No caso mais sobressalente temos Maria mãe de Jesus. Não concordo e digo que é totalmente errado da parte de qualquer um criar raiva, ou repudiar Maria, pois ela realmente foi agraciada por Deus, por trazer em seu ventre o nosso único e suficiente salvador Jesus Cristo e era uma boa mulher, mas de modo nenhum, usarei-a para ser uma intercessora entre eu e Deus, isso é pecado perante a palavra de Deus, pois só existe um mediador entre o homem e Deus, Jesus cristo Homem. Uma vez que isso é afirmado, qualquer coisa que ultrapassar a ordem bíblica se torna pecado. Não posso me curvar diante de sua imagem, agradecendo-a por qualquer graça alcançada. Não posso subir escadarias de joelhos pra pagar promessas que fiz a ela, agindo dessa forma caracteriza-se idolatria e isso conduz o idolatra ao inferno.
    Quero mediante a isso fazer a seguinte pergunta, alguém quer se converter e ter sua vida mudada, longe desse engano que é o catolicismo? Se você leitor quiser, ponha a mão no peito e diga sou pecador, reconheço que estava caminhando errado, me perdoe, escreva o meu nome no livro da vida, eu te reconheço como único e suficiente salvador de minha vida e só a ti buscarei, a mais ninguém clamarei, pedirei ou me prostrarei, Amém!
    Deus abençoe a todos!

    “O meu povo peca por não conhecer as Escrituras Sagradas e nem o poder de Deus!”

      • O André não esta errado não, idolatria é pecado, e o salário do pecado é a morte. RM 6 verso 23. Se idolatria não fosse pecado, seus praticantes quando morressem iriam para o céu, e não para o inferno conforme Apocalipse cap. 21 verso 8. Isto é a Bíblia quem diz, e não eu !!!

    • André Rocha você é uma doença vai estudar e aprender o que é idolatria e o que é imagens não converse besteiras herege estude a ceita protestante e verás o podre as mentiras as falsificações

      sobre a Idolatria, é interessante lembrar o que diz o próprio catecismo da Igreja, pois nele consta algumas coisas que fazem a carapuça servir muito bem para alguns protestantes que participam do forum…leia isto, mais claro, impossível. Entretanto, falar sobre isto com um “evangélico” às vezes é como se estivéssemos a ensinar Matemática à uma galinha:

      2129. «Não farás para ti nenhuma imagem esculpida…» Esta imposição divina comportava a interdição de qualquer representação de Deus feita pela mão do homem. O Deuteronómio explica: «Tomai muito cuidado convosco, pois não vistes imagem alguma no dia em que o Senhor vos falou no Horeb do meio do fogo. Portanto, não vos deixeis corromper, fabricando para vós imagem esculpida» do quer que seja (Dt 4, 15-16). Quem Se revelou a Israel foi o Deus absolutamente transcendente. «Ele é tudo», mas, ao mesmo tempo, «está acima de todas as suas obras» (Sir 43, 27-28). Ele é «a própria fonte de toda a beleza criada» (Sb 13, 3).
      2130. No entanto, já no Antigo Testamento Deus ordenou ou permitiu a instituição de imagens, que conduziriam simbolicamente à salvação pelo Verbo encarnado: por exemplo, a serpente de bronze (61) a arca da Aliança e os querubins (62).
      2131. Com base no mistério do Verbo encarnado, o sétimo Concílio ecuménico, de Niceia (ano de 787) justificou, contra os iconoclastas, o culto dos ícones: dos de Cristo, e também dos da Mãe de Deus, dos anjos e de todos os santos. Encarnando, o Filho de Deus inaugurou uma nova «economia» das imagens.
      2132. O culto cristão das imagens não é contrário ao primeiro mandamento, que proíbe os ídolos. Com efeito, «a honra prestada a uma imagem remonta (63) ao modelo original» e «quem venera uma imagem venera nela a pessoa representada» (64). A honra prestada às santas imagens é uma «veneração respeitosa», e não uma adoração, que só a Deus se deve:
      «O culto da religião não se dirige às imagens em si mesmas como realidades, mas olha-as sob o seu aspecto próprio de imagens que nos conduzem ao Deus encarnado. Ora, o movimento que se dirige à imagem enquanto tal não se detém nela, mas orienta-se para a realidade de que ela é imagem» (65).
      Resumindo:
      2133. «Amarás o Senhor teu Deus, com todo o teu coração, com toda a tua alma e com todas as tuas forças» (Dt 6, 5).
      2134. O primeiro mandamento chama o homem a crer em Deus, a esperar n’Ele e a amá-Lo sobre todas as coisas.
      2135. «Ao Senhor teu Deus adorarás» (Mt 4, 10). Adorar a Deus, orar-Lhe, prestar-Lhe o culto que Lhe é devido, cumprir as promessas e votos que se Lhe fizeram, são actos da virtude da religião, que traduzem a obediência ao primeiro mandamento.
      2136. O dever de prestar a Deus um culto autêntico diz respeito ao homem, individual e socialmente.
      2137. O homem deve poder professar livremente a religião, tanto em privado como em público (66).
      2138. A superstição é um desvio do culto que prestamos ao verdadeiro Deus. Manifesta-se na idolatria, bem como nas diferentes formas de adivinhação e magia.
      2139. O acto de tentar a Deus por palavras ou por obras, o sacrilégio e a simonia são pecados de irreligião, proibidos pelo primeiro mandamento.
      2140. Na medida em que rejeita ou recusa a existência de Deus, o ateísmo é um pecado contra o primeiro mandamento.
      2141. O culto das imagens sagradas funda-se no mistério da encarnação do Verbo de Deus. E não é contrário ao primeiro mandamento.

      • RESPOSTA PARA OLIVEIRA

        A SEITA CATÓLICA ANTES DE ENSINAR A IDOLATRIA PROCUROU MEIOS DE ENGANAR OS IDÓLATRAS DIZENDO QUE IDOLATRIA NÃO É IDOLATRIA. E O PIOR É QUE ELES ACREDITAM. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

        VAMOS VER O QUE DIZ A TORÁ DOS JUDEUS? É A TORÁ MESMO, EM HEBRAICO, ARAMAICO E TRADUZIDA PARA O PORTUGUÊS PELO RABINO MEIR MATZLIAH MELAMED . NOTE-SE QUE ATÉ AS PALAVRAS SÃO DIFERENTES.

        GÊNESIS 47: 29

        ISRAEL NO TEXTO É JACÓ CUJO NOME FOI MUDADO PARA ISRAEL

        “E CHAGARAM OS DIAS DE ISRAEL PARA MORRER, E CHAMOU SEU FILHO JOSÉ, E DISSE-LHE: SE, ROGO, ACHEI GRAÇA A TEUS OLHOS, PÕE, ROGO, TUA MÃO DEBAIXO DE MINHA COXA, E FARÁS COMIGO CARIDADE E VERDADE; ROGO-TE, NÃO ME SEPULTES NO EGITO”

        NA MESMA TORÁ TEM UM COMENTÁRIO SOBRE ESSE VERSÍCULO, VEJA:

        “NÃO ME SEPULTES NO EGITO – JACOB ERA ADMIRADO NA TERRA DE SEU EXÍLIO COMO UMA FIGURA MÁGICA, RESPEITADA PELO POVO EGÍPCIO. SE FOSSE ENTERRADO NESTA TERRA, SEU TÚMULO SE TRANSFORMARIA EM LOCAL SAGRADO, FOCO DE PEREGRINAÇÃO E ADORAÇÃO. SER IDOLATRADO APÓS A MORTE SERIA UM FINAL TRÁGICO PARA UMA PESSOA QUE SIMBOLIZOU A FÉ NO DEUS ÚNICO DURANTE A SUA VIDA”

        OLHA SEMELHANÇA COM A PRÁTICA DA SEITA CATÓLICA. ELES FAZEM A MESMA COISA COM OS MORTOS, E OLHA QUE JACÓ FOI UM HERÓI DA FÉ.
        ELE ESTÁ SE NEGANDO A ACEITAR ADORAÇÃO. MESMO ASSIM OS IDÓLATRAS ACHAM QUE PODEM FAZER ISSO SEM DESAGRADAR A DEUS.

        • RENATO DE CARVALHO VAI PREGAR SUAS MENTIRAS EM OUTRO LUGAR

          SUAS SEITAS PROTESTANTES NEM 500 ANOS TEM AINDA!

          SEITA É O QUE VEM DEPOIS AGORA A IGREJA CATÓLICA POSSUI 2000 MIL ANOS

          • ISSO É A TORÁ DOS JUDEUS MEU CARO. AQUI QUEM ESTÁ COMENTANDO É UM JUDEU ORTODOXO. VÁ LER UM POUCO A TORÁ PRA VER SE APRENDE UM POUCO DE ADORAÇÃO COMO OS JUDEUS FAZEM E COMO NÓS CRISTÃOS FAZEMOS – EM ESPÍRITO E EM VERDADE.

            VÁ COM ESSA IMAGEM QUE VOCÊS TÊM DO “PAI ETERNO” E PEÇA QUE UM JUDEU A REVERENCIE. SABE POR QUE ELES NÃO VÃO FAZER ISSO? PORQUE ELES SABEM QUE DEUS NÃO PODE SER ADORADO ATRAVÉS DE IMAGEM. ISSO É ENSINADO DESDE O COMEÇO DA BÍBLIA, E NÃO VENHA COM A HISTÓRIA DA ARCA DA ALIANÇA NEM DOS QUERUBINS QUE EU JÁ EXPLIQUEI A FUNÇÃO DELES (LOCAL DA PRESENÇA INVISÍVEL DE DEUS, NÃO FORAM COLOCADOS ALI PARA SEREM ADORADOS NÃO!!!! SEUS ANALFABETOS ESPIRITUAIS)

          • Caros protestantes para vocês contestar obras e todos os escritos que confirmam o primado de São Pedro em Roma? Vai uma dica primeiro estudem!

            Vamos lá o que é o estudo da Arqueologia?

            Arqueologia (do grego, « arqué », antigo, e « logos », discursodepois estudo, ciência) é a disciplina científica que estuda asculturas e os modos de vida do passado a partir da análise de vestígios materiais. É uma ciência social que estuda as sociedades já extintas, através de seus restos materiais, sejam estes móveis (como por exemplo um objeto de arte) ou objetos imóveis (como é o caso das estruturas arquitectónicas). Incluem-se também no seu campo de estudos as intervenções feitas pelo homem no meio ambiente.
            A maioria dos primeiros arqueólogos, que aplicaram sua disciplina aos estudos das antiguidades, definiram a arqueologia como o estudo sistemático dos restos materiais da vida humana já desaparecida. Outros arqueólogos enfatizaram aspectos psicológico-comportamentais e definiram a arqueologia como a reconstrução da vida dos povos antigos.
            Em alguns países a arqueologia é considerada como uma disciplina pertencente à antropologia; enquanto esta se centra no estudo das culturas humanas, a arqueologia dedica-se ao estudo das manifestações materiais destas. Deste modo, enquanto as antigas gerações de arqueólogos estudavam um antigo instrumento de cerâmica como um elemento cronológico que ajudaria a pôr uma data àcultura que era objeto de estudo, ou simplesmente como um objeto com um verdadeiro valor estético, os antropólogos veriam o mesmoobjeto como um instrumento que lhes serviria para compreender o pensamento, os valores e a própria sociedade a que pertenceram.
            AGORA O QUE É? UMA INVESTIGAÇÃO ARQUEOLÓGICA?
            A investigação arqueológica relaciona-se fundamentalmente à pré-história e às civilizações da antiguidade; no entanto, ao longo do último século, a metodologia arqueológica aplicou-se a etapas mais recentes, como a Idade Média ou o período industrial. Na atualidade, os arqueólogos dedicam-se cada vez mais a fases tardias da evolução humana, como a arqueologia industrial.
            A investigação arqueológica necessita do auxílio de vários outros ramos científicos (ciências naturais e sociais), assim como é importante adquirir o conhecimento empírico da população que nos rodeia, pois a fonte oral é muitas vezes o ponto de início para o desenvolvimento de algum estudo. Costuma-se dizer que “cada velho que morre é uma biblioteca que arde”, pois é informação que se perde.
            Uma investigação arqueológica começa pela investigação bibliográfica ou, em alguns casos, pela prospecção, que faz parte do levantamento arqueológico. Há uma grande diferença entre prospecção e sondagem, a primeira é para o levantamento e a segunda é o que dá inicio a escavação propriamente dita.
            No levantamento, é sempre importante se observar as especificidades de um local: a abrupta mudança de coloração do solo (camadas estratigráficas), a presença de plantas não nativas, a presença de animais e outros aspetos.
            Apesar de toda a dedicação, a arqueologia é amostral, porque trabalha com vestígios e não com a totalidade da história do local.
            RESUMINDO É IMPOSSIVEL CONTESTAR O PRIMADO DE SÃO PEDRO EM ROMA!
            POIS OS EXISTEM MILHARES DE MILHARES DE OBRAS EXISTEM AS IGREJAS DOS PRIMEIROS SÉCULOS DESCORBERTAS PELA ARQUEOLOGIA QUE TEM ARMONIA COM AS ATAS DOS BISPOS
            E COM OS ESCRITOS DOS PADRES DA IGREJA E DOS PADRES APOSTÓLICOS QUE POSSUEM ARMONIA COM OS ESCRITOS CRONISTAS DE DOS FILOSÓFOS ESCRITORES ECLESIÁSTICOS DA IGREJA CATÓLICA

            SÃO PEDRO FOI O PRIMEIRO BISPO ISSO É FATO
            • Clemente, terceiro bispo de Roma e discípulo de Pedro, por volta de (96) d.C., em sua Epístola aos Coríntios, faz clara alusão ao martírio deste e de Paulo em Roma:
            “Todavia, deixando os exemplos antigos, examinemos os atletas que viveram mais próximos de nós. Tomemos os nobres exemplos de nossa geração. Foi por causa do ciúme e da inveja que as colunas mais altas e justas foram perseguidas e lutaram até a morte. Consideremos os bons apóstolos. Pedro, pela inveja injusta, suportou não uma ou duas, mas muitas tribulações e, depois de ter prestado testemunho, foi para o lugar glorioso que lhe era devido. Por causa da inveja e da discórdia, Paulo mostrou o preço reservado à perseverança. Sete vezes carregando cadeias, exilado, apedrejado, tornando-se arauto no Oriente e no Ocidente, ele deu testemunho diante das autoridades, deixou o mundo e se foi para o lugar santo, tornando-se o maior modelo de perseverança”. .[16]
            • Inácio de Antioquia, bispo, mártir e também discípulo de Pedro, em cerca de (107) d.C., em sua Epístola aos Romanos, a qual fora dirigida à comunidade cristã lá situada, refere-se nos seguintes termos ao martírio de Pedro e Paulo em Roma:
            “Não vos dou ordens como Pedro e Paulo; eles eram apóstolos, eu sou um condenado. Eles eram livres, e eu até agora sou um escravo”.[17]
            • Papias, bispo de Hierápolis, por volta de (140) d.C., ao tratar da origem do Evangelho de Marcos, atribui o relatado a João Marcos, companheiro de Paulo e Barnabé, a partir da convivência com os que haviam estado com Jesus, em especial Pedro quando este estava em Roma:
            “Papias, bispo de Hierápolis, atesta a atribuição do segundo evangelho a Marcos, “intérprete” de Pedro em Roma. O livro teria sido composto em Roma, depois da morte de Pedro (prólogo antimarcionita de século II, Ireneu) ou ainda durante sua vida (segundo Clemente de Alexandria). Quanto a Marcos, foi identificado como João Marcos, originário de Jerusalém (At 12,12), companheiro de Paulo e Barnabé (At 12,25; 13,5.13; 15,37-39; Cl 4,10) e, a seguir, de Pedro em “Babilônia” (isto é, provavelmente, em Roma) segundo 1Pd 5,13.”[18]
            • O bispo Dionísio de Corinto, em extrato de uma de suas cartas aos romanos (170) trata da seguinte forma o martírio de Pedro e Paulo:
            “Tendo vindo ambos a Corinto, os dois apóstolos Pedro e Paulo nos formaram na doutrina do Evangelho. A seguir, indo para a Itália, eles vos transmitiram os mesmos ensinamentos e, por fim, sofreram o martírio simultaneamente.”[19]
            • Gaio, presbítero romano, em 199:
            “Nós aqui em Roma temos algo melhor do que o túmulo de Filipe. Possuímos os troféus dos apóstolos fundadores desta Igreja local. Ide à Via Ostiense e lá encontrareis o troféu de Paulo; ide ao Vaticano e lá vereis o troféu de Pedro.”
            Gaio dirigiu-se nos seguintes termos a um grupo de hereges: “Posso mostrar-vos os troféus (túmulos) dos Apóstolos. Caso queirais ir ao Vaticano ou à Via Ostiense, lá encontrareis os troféus daqueles que fundaram esta Igreja.”[20]
            • Orígenes (185 – 253) responsável pela Escola Catequética de Alexandria afirmou:
            “Pedro, ao ser martirizado em Roma, pediu e obteve que fosse crucificado de cabeça para baixo”[21]
            “Pedro, finalmente tendo ido para Roma, lá foi crucificado de cabeça para baixo.”[22]
            • Ireneu (130 – 202), Bispo de Lião (nascido em Izmir atual Turquia) referiu:
            “Para a maior e mais antiga a mais famosa Igreja, fundada pelos dois mais gloriosos Apóstolos, Pedro e Paulo.” e ainda “Os bem-aventurados Apóstolos portanto, fundando e instituindo a Igreja, entregaram a Lino o cargo de administrá-la como bispo; a este sucedeu Anacleto; depois dele, em terceiro lugar a partir dos Apóstolos, Clemente recebeu o episcopado.”
            “Mateus, achando-se entre os hebreus, escreveu o Evangelho na língua deles, enquanto Pedro e Paulo evangelizavam em Roma e aí fundavam a Igreja.”[23]
            • Formado como jurista Tertuliano (155-222 d.C.) falou da morte de Pedro em Roma:
            “A Igreja também dos romanos pública – isto é, demonstra por instrumentos públicos e provas – que Clemente foi ordenado por Pedro.”
            “Feliz Igreja, na qual os Apóstolos verteram seu sangue por sua doutrina integral!” – e falando da Igreja Romana, “onde a paixão de Pedro se fez como a paixão do Senhor.”
            “Nero foi o primeiro a banhar no sangue o berço da fé. Pedro então, segundo a promessa de Cristo, foi por outrem cingido quando o suspenderam na Cruz.”[24]
            • Eusébio (263-340 d.C.) Bispo de Cesareia, escreveu muitas obras de teologia, exegese, apologética, mas a sua obra mais importante foi a História Eclesiástica, onde ele narra a história da Igreja das origens até 303. Refere-se ao ministério exercido por Pedro:
            “Pedro, de nacionalidade galileia, o primeiro pontífice dos cristãos, tendo inicialmente fundado a Igreja de Antioquia, se dirige a Roma, onde, pregando o Evangelho, continua vinte e cinco anos Bispo da mesma cidade.”
            • Epifânio (315-403 d.C.), Bispo de Constância (também foi Bispo de Salamina e Metropolita do Chipre) fala da sucessão dos Bispos de Roma:
            “A sucessão de Bispos em Roma é nesta ordem: Pedro e Paulo, Lino, Cleto, Clemente etc…”[25]
            • Doroteu de Tiro:
            “Lino foi Bispo de Roma após o seu primeiro guia, Pedro.”[26]
            • Optato de Milevo:
            “Você não pode negar que sabe que na cidade de Roma a cadeira episcopal foi primeiro investida por Pedro, e que Pedro, cabeça dos Apóstolos, a ocupou.”[27]
            • Cipriano (martirizado em 258), Bispo de Cartago (norte da África), escreveu a obra “A Unidade da Igreja” (De Ecclesiae Unitate), onde diz:
            “A cátedra de Roma é a cátedra de Pedro, a Igreja principal, de onde se origina a unidade sacerdotal.”[28]
            • Santo Agostinho (354 – 430):
            “A Pedro sucedeu Lino.”[29]

            São Firmiliano (morto no ano 269 da era cristã VEJA O QUE ELE ESCREVE SOBRE SÃO PEDRO “Mas o que é o seu erro … que não permanece na fundação da Igreja um que foi fundada sobre a rocha de Cristo, pode ser aprendido com isso, o que Cristo disse a Pedro sozinho [Mateus 16:18.]: ‘ tudo o que o que ligares na terra será ligado também no céu, e tudo o que desligares na terra, será desligado no céu “[Mateus 16:19].” (coletados em Cipriano Cartas 74 [75]: 16 [AD 253 ]). “[Papa] Stephen [I] … se orgulha de o lugar do seu episcopado, e sustenta que ele segura a sucessão de Pedro, de quem os fundamentos da Igreja foram postos [Matt. 16:18] …. [ Papa] Stephen … anuncia que ele tem pela sucessão do trono de Pedro “(ibid., 74 [75], 17). A Carta de Clemente para Tiago “Seja conhecido para você, meu senhor, que Simão [Pedro], que, por causa da verdadeira fé, eo fundamento mais seguro de sua doutrina, foi designado para ser o alicerce da Igreja, e para este fim foi pelo próprio Jesus, com a boca verdadeira, chamado Pedro “( Carta de Clemente para Tiago 2 [AD 221]). Taciano ou Taciano, o Sírio nascido no ano 120 e morto no ano 180 da era cristã foi um escritor cristão do segundo século e discípulo de São Justino VEJA O QUE ELE DIZ SOBRE SÃO PEDRO “Simão Cephas respondeu e disse:” Tu és o Messias, o Filho do Deus vivo ‘. Jesus respondeu, e disse-lhe: “Bem-aventurado és tu, Simão, filho de Jonas: a carne eo sangue não revelou a ti, mas o meu Pai que está nos céus E eu te digo, também, que você é Cefas, e sobre. esta pedra eu edificarei a minha Igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela “( O Diatesseron 23 [170 dC]). VEJA AGORA O poema Contra o marcionitas “Neste cadeira em que ele próprio tinha sentado, Pedro, em Roma ordenou poderoso Linus, o eleito em primeiro lugar, para se sentar. Depois dele, Cletus também aceitou o rebanho da dobra. Como seu sucessor, Anacleto foi eleito por sorteio. Clemente segue ele, bem conhecido para os homens apostólicos. Depois dele Evaristo governou o rebanho, sem crime. Alexander, sexto em sucessão, elogia a dobra de Sisto. Após seus tempos ilustres foram concluídas, ele passou para Telesphorus. Ele foi excelente, um fiel mártir … “( Poema Contra o marcionitas 276-284 [AD 267]).

            RESUMINDO QUAL QUER ANTI CATÓLICO POR RAIVA E ODIO E INOCENCIA PODE LUTAR CONTRA A IGREJA PODE CONTESTAR O PRIMADO DE SÃO PEDRO

            MAS NUNCA VAI CONSEGUIR PROVAR UM SÓ NÃO ENTRE AS MAIS DE MILHARES DE MILHARES DE CENTENAS DE CENTENAS QUE PROVAS GENUÍNAS QUE COMPROVA QUE SÃO PEDRO FOI O PRIMEIRO BISPO DE ROMA!

            QUEM TENTAR CONTESTAR ESSE MEU TEMPO POR FAVOR NÃO VENHA COM SOLA SCRIPTURA E MUITO MENOS COM PONTOS DE VISTA!

            POIS HISTÓRIA SE CONTESTA COM HISTÓRIA E N

        • Irmãos católicos vejam como responder biblicamente as seitas protestantes

          1 — Protestantes: — Todas as verdades reveladas por Deus encontram-se na Bíblia.
          O que diz a Bíblia:
          “Há muitas outras coisas que Jesus fez e que, se fossem escritas uma por uma, creio que no mundo inteiro não caberiam todos os livros que teriam que ser escritos”. (Jo 21,25)
          “Embora tenham muitas coisas a vos escrever, não quis fazê-lo com papel e tinta. Mas quero ir ter convosco e vos falar de viva voz, para que a nossa alegria seja perfeita”. (3 Jo 13)
          “Jesus fez, diante de seus discípulos, muitos outros sinais, que não se encontram escritos neste livro. Estes, porém, foram escritos para que creiais que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais a vida em seu nome”. (Jo 20, 30-31)

          2 — Protestantes: — Só a Bíblia contém as regras da fé, não a tradição.
          O que diz a Bíblia:
          Por conseguinte, irmãos ficai firmes: guardai as tradições que vos ensinamos oralmente ou por escrito. (2Ts 2,2)
          “O que de mim ouviste na presença de muitas testemunhas, confia-o a homens fiéis, que sejam idôneos para ensiná-los a outro” (2Tm 2,2).
          3 — Protestantes: O único magistério é o da Bíblia. Somente nela se pode crer.
          O que diz a Bíblia:
          “Ele lhes disse de novo: A paz esteja convosco! Como o Pai me enviou, também eu vos envio. Dizendo isto, soprou sobre eles e lhes disse: recebei o Espírito Santo”. (Jo 20 20,21)
          “… ide, pois, e fazei com que todas as nações se tornem minhas discípulas, batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo, e ensinando-as a observar tudo quanto vos ordenei. E eis que estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos!” (Mt 28, 19-20).
          “Quem vos ouve, a mim ouve, quem vos despreza, a mim despreza e também despreza aquele que me enviou”. (Lc 10, 16).
          “Mas o Paráclito, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, ele vos ensinará tudo e vos recordará tudo o que vos disse”. (Jô 14,26)
          4 — Protestantes: é fácil de se entender a Bíblia, quem a lê está livre de erro.
          O que diz a Bíblia:
          “Isto mesmo ele (Paulo) faz em todas as suas cartas, ao falar nelas desse assunto. Nelas existem pontos difíceis de se entender, que algumas pessoas ignorantes e sem firmeza deturpam, como fazem com as demais Escrituras, para a própria perdição”. (2Pd 3,16)
          “Disse então o Espírito a Filipe: Aproxima-te para bem perto do carro. Filipe acelerou o passo. Ouvindo que lia o profeta Isaías, disse-lhe: Porventura, entendes o que lês? Ele respondeu: Como posso entender se não há quem me explique? E convidou Filipe a subir e sentar-se ao lado dele”. (At 8,29-31)
          5 — Protestantes: Jesus não estabeleceu autoridade alguma na sua Igreja; pastores e fiéis são todos iguais.
          O que diz a Bíblia:
          “Em verdade vos digo: Tudo que ligardes na terra, será ligado no céu; e tudo que desligardes na terra, será desligado no céu”. (Mt 18,18)
          “Olhai por vós e por todo rebanho, sobre o qual o Espírito Santo vos estabeleceu bispos para apascentar a Igreja de Deus, que ele adquiriu para si pelo sangue do seu próprio Filho”. (At 20,28)
          “Aos presbíteros que estão entre vós, exorto eu, que sou presbítero como eles e testemunha dos sofrimentos de Cristo e participante da glória que há de ser revelada. Apascentai o rebanho de Deus que vos foi confiado, cuidando dele, não por coação, mas de livre vontade, como Deus quer, nem por torpe ganância, mas por devoção, nem como senhores daqueles que vos couberam por sorte, mas, antes, como modelos de rebanho. Assim, quando aparecer o supremo pastor, recebereis a coroa da glória que não murcha”. (1Pe 5,1-3)
          “Nós vos rogamos, irmãos, que tenhais consideração por aqueles que se afadigam no meio de vós, e presidem no Senhor e vos admoestam. Tende para com eles um amor por causa do trabalho que eles executam. Vivei em paz uns com os outros”. (1Ts 5,12-13)
          6 — Protestantes: A Igreja Catolica Romana no inicio foi a Igreja de Cristo, mas com o passar do tempo vem caindo em erros, abusos e escândalos, demonstrando que ela não é mais a Igreja de Cristo.
          O que diz a Bíblia:
          “Também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja e as portas do inferno nunca prevalecerão contra ela. Eu te darei as chaves do Reino dos Céus, e o que ligares na terra será ligado nos céus, e o que desligares na terra será desligado nos céus”. (Mt 16, 18-19).
          “Se eu tardar, saberás como proceder na casa de Deus vivo: coluna e sustentáculo da verdade”. (1Tm 3,15)
          7 — Protestantes: Jesus não constituiu Pedro cabeça da Igreja na terra. Na Igreja não há outra cabeça senão Cristo. Logo não deve haver Papa.
          O que diz a Bíblia:
          “Depois de comerem, Jesus disse a Pedro: Simão Filho de João, tu me amas mais que estes?
          — Sim, Senhor, tu sabes que eu te amo, respondeu Pedro. Acrescentou Jesus: Apascenta os meus cordeiros. Uma segunda vez lhe perguntou: Simão, filho de João, tu me amas? — Sim, tu sabes que eu te amo, confirmou Pedro. Repetiu Jesus: Apascenta as minhas ovelhas. Pela terceira vez lhe disse Jesus: Simão, filho de João, tu me amas? Pedro ficou triste por ter lhe perguntado pela terceira vez: Tu me amas? E lhe respondeu: Senhor, tu sabes que eu te amo. Jesus lhe disse: Apascenta as minhas ovelhas”. (Jô 21, 15-17) .
          “Simão, Simão, Satanás vos (plural, ou seja, toda a igreja) procurou para vos peneirar como trigo, mas eu roguei por ti (singular, ou seja, rogou por Pedro e por sua fé), para que a tua fé não desfaleça, e tu, uma vez convertido, confirma os irmãos”. (Lc 22 31-32)
          8 — Protestantes: Jesus não constituiu bispos para governar a sua Igreja. Jesus não deu aos seus apóstolos o poder de ordenar sacerdotes; portanto, o chamado sacerdócio católico não foi instituído por Cristo.
          O que diz a Bíblia:
          “Olhai por vós e por todo o rebanho, sobre o qual o Espírito Santo vos constitui bispos, para apascentar a Igreja de Deus, que ele adquiriu para si pelo sangue do seu próprio Filho” (At 20, 28)
          “Certo dia, enquanto celebravam o culto do Senhor e jejuavam. Disse o Espírito Santo: Separai-me Barnabé e Saulo para a obra a que os destinei. Então, depois de terem jejuado e orado, impuseram-lhes as mãos e despediram-nos. Enviados, pois, pelo Espírito Santo, desceram eles a Selêucia, e dali navegaram para Chipre” (At 13, 2-4)
          “A ninguém imponhas apressadamente as mãos, não participes dos pecados de outrem. A ti mesmo conserva-te puro” (1Tm 5,22)
          “Eu te deixei em Creta para cuidares da organização e ao mesmo tempo para que constituas presbíteros em cada cidade, cada qual devendo ser como te prescrevi…”(Tt 1,5)
          O rito de impossição de maos ate hoje caracteriza a ordenação dos Bispos Catolicos.
          9 — Protestantes: Qualquer um que esteja cheio do espírito evangélico é verdadeiro sacerdote de Cristo e pode pregar seu Evangelho sem necessidade de passar por cerimônias chamadas “ordenações” nem ser enviado por bispo ou papa.
          O que diz a Bíblia:
          “Portanto todo sumo sacerdote, tirado do meio dos homens, é constituído em favor dos homens em suas relações com Deus. A função é oferecer dons e sacrifícios pelos pecados. É capaz de ter compreensão por aqueles que ignoram e erram”. (Hb 5,1-2)
          “Mas como poderiam invocar aqueles que não creram? E como poderiam crer aqueles que não ouviram? E como poderiam ouvir sem pregador? E como poderiam pregar se não fossem enviados? Conforme está escrito [Is 57,7]: Quão belos são os pés que anunciam a paz”. (Rm 10, 14-15)
          “Portanto, consideram-nos os homens como servidores de Cristo e administradores dos mistérios de Deus” (1Cor 3,9)
          “Alguém está doente? Mande chamar os presbíteros da Igreja, para que orem sobre ele, ungindo-o com óleo em nome do Senhor”. (Tg 5,14)
          10 — Protestantes: Quem crer em Jesus Cristo como salvador se salva, não é necessário fazer boas obras.
          O que diz a Bíblia:
          “Tudo o que fizerdes ao mais pequeninos dos Meus irmãos, o fazeis a Mim.” (Mt 25:40)
          “Então o Rei dirá aos que estão à direita: – Vinde, benditos de meu Pai, tomai posse do Reino que vos está preparado desde a criação do mundo, 35. porque tive fome e me destes de comer; tive sede e me destes de beber; era peregrino e me acolhestes; 36. nu e me vestistes; enfermo e me visitastes; estava na prisão e viestes a mim.” (Mt 25: 35)
          “E se possuir o dom da profecia e conhecer todos os mistérios e toda a ciência e alcançar tanta fé que chegue a transportar montanhas, mas, se não tiver caridade, nada sou”. (1Cor 13,2)
          “Não são os que ouvem a Lei que são justos perante Deus, mas os que cumprem a Lei é que serão justificados”. (Rm 2,13)
          “Meus irmãos, se alguém disser que tem fé, mas não tem obras, que lhe aproveitará isso? Acaso a fé pode salvá-lo? Se o irmão ou a irmã não tiver o que vestir e lhes faltar o necessário para a subsistência de cada dia, e alguém lhes disser: Ide em paz, aquecei-vos, e não lhes der o necessário para a manutenção, que proveito haverá nisso? Assim também é a fé, se não houver obras, será morta em si mesma. De fato alguém poderá objetar-lhe: Tu tens fé e eu obras. Mostra-me a tua fé sem obras e eu te mostrarei a fé pelas obras. Tu crês que há um só Deus? Ótimo! Lembra-te, porém, de que também os demônios crêem, mas estremecem. Queres, porém, ó homem insensato, a prova de que a fé sem obras é vã? Abraão, nosso pai, não foi justificado pelas suas obras quando ofereceu sobre o altar Isaac, seu filho? Já vês que a fé concorreu para as suas obras e pelas obras é que a fé se realizou plenamente. E assim se cumpriu a Escritura que diz que Abraão creu em Deus e isso lhe foi imputado como justiça e ele foi chamado amigo de Deus. Estais vendo que o homem é justificado pelas obras e não simplesmente pela fé. Da mesma maneira também Raab, a meretriz, não foi justificada pelas obras, quando acolheu os mensageiros e os fez voltar por outro caminho? Com efeito, como o corpo sem o sopro da vida está morto, assim também é morta a fé sem obras”. (Tg 2,14-25)
          11 — Protestantes: Jesus morreu pela salvação de todos; logo é fazer injuria a Cristo dizer que são necessárias nossas obras para a salvação, como se a redenção não fosse suficiente. A fé em Jesus é que nos merece o Reino do Céu, não as obras.
          O que diz a Bíblia:
          “O Filho do Homem há de vir na sua glória do seu Pai, com os anjos, e então retribuirá a cada um de acordo com o seu comportamento”. (Mt 16,27)
          “Aí alguém se aproximou dele e disse: Mestre, que farei de bom para ganhar a vida eterna? Respondeu: Por que perguntas sobre o que é bom? O Bom é um só. Mas, se queres entrar na vida, guarda os mandamentos. Aquele lhe perguntou: Quais? Jesus respondeu: Estes: Não matarás, não adulterarás, não roubarás, não levantarás falso testemunho; honra pai e mãe e amarás o teu próximo como a ti mesmo. Disse-lhe então o moço: Tudo isso tenho guardado, que me falta ainda? Jesus respondeu: Se queres ser perfeito, vai, vende os teus bens e dá aos pobres, e terás um tesouro no céu. Depois, vem e segue-me” (Mt 19, 16-21)
          12 — Protestantes: Jesus não está realmente na Eucaristia, nem quis ele dar-nos a sua carne e o seu sangue para comermos e bebermos. Isso é um absurdo forjado pela Igreja de Roma. Não há prova alguma na Bíblia de que Jesus haja estabelecido o que os católicos chamam sacrifício da missa, nem que os apóstolos hajam celebrado esta cerimônia.
          O que diz a Bíblia:
          “Em verdade, em verdade vos digo;aquele que crê, tem a vida eterna. Eu sou o pão da vida. Vossos pais comeram o maná no deserto e morreram. Este é o pão vivo descido do céu. Quem comer deste pão, viverá eternamente. O pão que eu darei, é a minha carne para a vida do mundo. Discutiam entre si os judeus dizendo: Como pode este homem dar-nos a sua carne para comer? Jesus lhes respondeu então: Em verdade , em verdade vos digo: se não comerdes a carne do Filho do Homem e não beberes o seu sangue, não tereis a vida em vós.Quem come a minhas carne e bebe o meu sangue, tem a vida eterna e eu o ressuscitarei no último dia. Pois a minha carne é verdadeiramente comida e o meu sangue é verdadeiramente bebida. Quem come da minha carne e bebe do meu sangue, permanece em mim e eu nele” (Jô 6,47-56)
          “Com efeito, eu mesmo recebi do Senhor o que transmiti: na noite em que ia ser entregue, o Senhor Jesus tomou o pão e, depois de dar graças, partiu-o e disse: Isto é o meu corpo, que é para vós; fazei isso em memória de mim. Do mesmo modo, após a ceia, também tomou o cálice, dizendo: Este é o cálice da Nova Aliança em meu sangue; todas as vezes que dele beberdes, fazei-o em memória de mim”. (1Cor 11,27-29)
          “Assim, pois, quem come o pão e bebe do cálice do Senhor indignamente será réu do corpo e do sangue do Senhor. Examine-se, pois, o homem a si mesmo, e então coma do pão e beba do cálice, pois aquele que come e bebe sem discernir o corpo [do Senhor], come a própria condenação” (1Cor 11,27-29)
          “O cálice da benção que abençoamos, nãoi é comunhão com o sangue de Cristo? E o pão que partimos, não é o corpo de Cristo? Já que há um único pão, nós, embora muitos, somos um só corpo, visto que todos participamos desse único pão”. (1Cor 10,16)
          “Trabalhei não pelo alimento que se perde, mas pelo alimento que permanece até a vida eterna na, alimento que o Filho do Homem vos dará, pois Deus, o Pai, o marco com seu selo”. (Jô 6, 27)
          “Assim lhes disse: Eu sou o pão da vida. Quem vem a mim nunca mais terá forme e o que crer em mim nunca mais terá sede”. (Jô 6, 35)
          “Assim como o Pai, que vive, me enviou e eu vivo para o Pai, aquele que comer de mim viverá por mim. Este é o pão que desceu do céu. Ele não é como o que os pais comeram e pereceram; quem come deste pão viverá para sempre”. (Jô 6, 57-58)
          13 — Protestantes: A crença no purgatório não tem fundamentação bíblica.
          O que diz a Bíblia:
          “Assume logo uma atitude conciliadora com teu adversário, enquanto estas com ele no caminho, para que teu adversário não te entregue ao juiz e o juiz ao oficial de justiça, e assim sejas lançado na prisão. Em verdade te digo: Dali não sairás, enquanto não pagares até o último centavo”. ((Mt 5, 25-26)
          “Cada um veja como constrói. Quanto ao fundamento, ninguém pode pôr outro diverso do que foi posto: Jesus Cristo. Se alguém sobre esse fundamento constrói com ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno ou palha, a obra de cada um será posta em evidência. O Dia a tornará conhecida, pois ele se manifestará pelo fogo e o fogo provará o que vale a obra de cada um. Se a obra construída sobre o fundamento subsistir, o operário receberá uma recompensa. Ele mesmo, entretanto, será salvo, mas, como que através do fogo”. (1Cor 3,10-15)
          14 — Protestante: Só Deus perdoa os pecados, ele não concedeu aos padres católicos o poder de perdoá-los.
          O que diz a Bíblia:
          “Dizendo isto, Jesus soprou sobre eles e lhes disse: Recebei o Espírito Santo. Aqueles a quem perdoardes os pecados, ser-lhe-ão perdoados, aqueles aos quais não os perdoardes, ser-lhe-ão retidos”. (Jô 20,22-23).
          “Em verdade vos digo: tudo o que ligardes na terra será ligado no céu e tudo quanto desligardes na terra será desligado no céu”. (Mt 18,18).
          “Tudo isto vem de Deus, que nos reconciliou consigo por Jesus e nos confiou o ministério da reconciliação”. (2Cor 5,18).
          “Muitos dos que receberam a fé, vinham confessar as suas práticas supersticiosas”. (At 19,10)
          “Vendo o ocorrido, isto é, perdão dos pecados do paralítico, as multidões…glorificaram a Deus que deu tal poder aos homens”. (Mt 9,8).
          15 — Protestantes: Em nenhuma parte da Bíblia se encontra, como ensinamento divino, a lei do celibato no ministério pastoral.
          “A propósito das pessoas virgens não tenho preceito do Senhor; mas posso dar conselho, porque obtive do Senhor a misericórdia de ser digno de fé. Creio, pois, que, por causa das angustias do presente, é bom que o homem fique assim. Estás livre de mulher? Não procures mulher. Se te casares, não pecarás, se uma virgem se casa, não peca; mas essas pessoas sofrerão as tribulações da vida matrimonial, que eu quisera poupar-vos”. (1Cor 7,25-28).
          “Eu quisera que estivésseis isentos de preocupações. Quem não tem esposa cuida das coisas do Senhor e do modo de agradar ao Senhor. Quem tem esposa, cuida das coisas do mundo e de agradar à esposa, e fica dividido. Da mesma forma, a mulher não casada e a virgem cuidam das coisas do Senhor, a fim de serem santas de corpo e de espírito. Mas a mulher casada cuida das coisas do mundo; procura agradar o marido. Digo-vos isto pelo vosso interesse, não para armar ciladas, mas para que façais o que é mais nobre e possais permanecer junto ao Senhor sem distrações”. (1Cor 7,32-35).
          “Digo às pessoas solteiras e às viúvas que é bom ficarem como eu” (1Cor 7,8).
          “Jesus lhes disse: Em verdade eu vos digo, não há quem tenha deixado casa, mulher, irmãos, pais e filhos por causa do Reino de Deus, sem que receba muito mais neste tempo e, no mundo futuro, a vida eterna”. (Lc 18,29-30)
          “Ele acrescentou: Nem todos são capazes de compreender essas palavras, mas somente aquele a quem é concedido. Há eunucos que nasceram assim, desde o ventre materno. Há eunucos que foram feitos eunucos pelos homens. E há eunucos que se fizeram eunucos por causa do Reino dos Céus. Quem tiver capacidade para compreender, que compreenda”. (Mt 19,11-12).
          16 — Protestantes: O matrimonio não é um sacramento instituído por Jesus.
          O que diz a Bíblia:
          “Alguns fariseus aproximaram-se dele, querendo pô-lo à prova. Perguntaram-lhe: è lícito repudiar a própria mulher por qualquer motivo que seja? Ele respondeu: Não lestes que desde o principio o Criador os fez homem e mulher? E disse: Por isso o homem deixará seu pai e sua mãe e se unirá a sua mulher e os dois serão uma só carne. De modo que já não são dois, mas uma só carne. Portanto não separe o homem que Deus uniu”. (Mt 19,3-6) ver também (Mc 10,2-12)
          “Deus criou o homem à sua imagem, à imagem de Deus ele o criou, homem me mulher. Deus os abençoou e lhes disse: Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e submetei-a”. (Gn 1, 27-28)
          “E, vós maridos, amai as vossas mulheres como Cristo amou a sua Igreja e se entregou por ela, … pois ninguém jamais quis mal a própria carne, antes a alimenta e cuida dela, como também fez Cristo com a sua Igreja, … É grande este mistério, refiro-me à relação entre Cristo e sua Igreja”. (Ef 5, 25-29)
          17 — Protestantes: É um absurdo teológico ensinar ou crer que Deus tem mãe; logo Maria não pode ser chamada mãe de Deus. A veneração que os católicos tributam a Maria, é contrária a Bíblia.
          O que diz a Bíblia:
          “No sexto mês, o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galiléia chamada Nazaré, a uma virgem desposada com um varão chamado José, da casa de Davi; e o nome da virgem era Maria. Entrando onde ela estava, disse-lhe: Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo! Ela ficou intrigada com estas palavras, e pôs-se a pensar qual o significado daquela saudação. O anjo acrescentou: Não temas, Maria. Encontras-te graça junto de Deus. Eis que conceberás e darás à luz um filho, e o chamarás com o nome de Jesus. Ele será grande, será chamado Filho do Altíssimo, e o Senhor Deus lhe dará o trono de Davi, seu pai; ele reinará na casa de Jacó para sempre, e o deu reino não terá fim. Maria, porém, disse ao anjo: Como pode acontecer isso, se eu não conheço homem algum? O anjo lhe respondeu: O Espírito Santo virá sobre ti, e o poder do Altíssimo te cobrirá com sua sombra; por isso o Santo que nascer será chamado Filho do Altíssimo. Também Isabel, tua parenta, concebeu um filho na velhice, e este é o sexto mês [de gestação] para aquela que chamavam de estéril. Para Deus, com efeito, nada é impossível. Disse então Maria: Eis a escrava do Senhor; faça-se em mim segundo a tua palavra. E o anjo retirou-se”. (Lc 1, 26-38)
          “Com grande grito exclamou [Isabel] : Bendita és tu entre as mulheres, bendito é o fruto do teu ventre! Donde me vem que a mãe do meu Senhor me visite?”. (Lc 1,1-41).
          18 – Protestantes: Deus proibiu terminantemente no decálogo esculpir estátuas ou imagens.
          O que diz a Bíblia:
          “Farás um propiciatório de ouro puro, 125 cm de comprimento e 75 cm de largura. Farás dois querubins de ouro polido, nas duas extremidades do propiciatório, um de um lado do outro lado, de modo que os querubins estejam nos dois extremos do propiciatório. Os querubins com as asas estendidas por cima estarão encobrindo o propiciatório, um de frente do outro, voltados para o propiciatório. Porás o propiciatório sobre a arca, e dentro da arca o documento da aliança que te darei. Ali me encontrarei contigo, e de cima do propiciatório, no meio dos dois querubins colocados sobre a arca da aliança, eu te comunicarei o que eu ordenar aos israelitas”. (Ex 25, 10-22).
          “O Senhor respondeu-lhe: “Esculpi uma serpente venenosa e colocai-a sobre um poste. Quem for mordido por uma víbora e contemplar a serpente esculpida viverá. Moises obedeceu, fez uma serpente de bronze e a colocou sobre um poste; se alguém era mordido por uma víbora, contemplava a serpente de bronze e vivia. (Nm. 21, 8-9)
          “ Como Moisés levantou a serpente no deserto, assim é necessário que seja levantado o Filho do Homem”. (Jô 3, 14).
          19 — Protestantes: A invocação aos anjos e santos é contrária à Bíblia, não devemos invocá-los.
          O que diz a Bíblia:
          “… que o anjo que me salvou de todo mal abençoe estas crianças, nelas sobrevivam o meu nome e o de meus pais, Abraão, Isaac, que elas cresçam e se multipliquem sobre a terra!”. (Gn 48,16).
          “Pecamos contra o Senhor e contra ti. Intercede junto ao Senhor para que afaste de nós estas serpentes. Moisés intercedeu em favor do seu povo”. (Nm 21,7)
          “Eu vos peço, irmãos, por nosso Senhor Jesus Cristo, e pelo amor do Espírito Santo, que luteis comigo nas orações que fazeis por mim a Deus”. (Rm 15, 30)
          “… orai uns pelos outros, para que sejais curados. A oração fervorosa do justo tem grande poder. Assim Elias, que era um homem semelhante a nós, orou com insistência para que não chovesse, e não choveu na terra durante três anos e seis meses. Em seguida tornou a orar e o céu enviuo sua chuva e a terra voltou a produzir fruto”. (Tg 5,16-18)
          20 — Protestantes: Os santos do céu nada sabem sobre nós; por conseguinte, ignoram os nossos pedidos; é inútil invocá-los.
          O que diz a Bíblia:
          “Com orações e súplicas de toda sorte, orai por todo tempo, no Espírito, e para isso vigiai com absoluta perseverança e súplicas por todos os santos”. (Ef 6,18)
          Ao receber o livro, os quatro Seres vivos e os vinte e quatro Anciãos prostraram-se diante do Cordeiro, cada qual com uma cítara e taças de ouro cheias de incenso, que são orações dos santos, …” (Ef 6,18)
          “Moises, porém, suplicou ao Senhor, seu Deus, e disse: Por que , ó Senhor, se acende a tua ira contra o teu povo, que fizeste sair do Egito com grande poder e mão forte? — O Senhor, então, desistiu de aplicar o castigo com o qual havia ameaçado o povo”. (Ex 32, 11-14).
          “No dia seguinte, Moisés disse ao seu povo: Vós cometestes um pecado grave. Todavia, eu vou subir ao Senhor; talvez consiga expiar o vosso pecado.”(Ex 32,30)
          “Os filhos de Israel tiveram medo dos filisteus. Não cesses de invocar o Senhor nosso Deus, para que ele nos livre das mãos dos filisteus”. (1Sm 7,7-8).
          “Irmãos, eu vos peço, por nosso Senhor Jesus Cristo, que luteis comigo nas orações que fazeis por mim.” (Rm 15,30).
          “Orai por nós, irmãos”. (1Ts 5,25)
          “ não desprezeis nenhum desses pequeninos, porque eu vos digo que os seus anjos no céu vêem continuamente a face do meu Pai que está nos céus”. (Mt 18,10).
          “Orai por nós, porque estamos convencidos de que possuímos uma boa consciência, e com a vontade de viver bem em tudo”. (Hb 13,18).
          21 — Protestantes: Não temos garantia de que os anjos e santos no céu pedem por nós, ignorância invocá-los para que intercedam por nós.
          O que diz a Bíblia:
          “Então falou o anjo do Senhor dos exércitos: Até quando demorarás ainda a ter piedade de Jerusalém e das cidades de Judá, contra as quais estás irado há setenta anos”. (Zc 1,12)
          “Ao receber o livro, os vinte quatro Anciãos prostraram-se diante do Cordeiro, cada um com uma cítara e taças cheias de incenso, que são as orações dos santos, …” (Ap 5,8)
          Jesus disse: “E eu te digo: tu és Pedro e sobre está pedra construirei a minha Igreja…”. Ele disse a minha Igreja, e não as minhas Igrejas.
          “Há um só Senhor, uma só Fé, um só Batismo”. (Ef 4,5)

    • MEU CARO HEREGE DE NOME ANDRÉ ROCHA VEJA COMO VOCÊ PECA E ENTRA EM CONTRADIÇÕES CARA NÃO CONVERSE ASNEIRAS ALÉM DE TER UMA BÍBLIA PROTESTANTE E ADULTERADA E QUE FALTAM 7 LIVROS QUE ESSES MESMO 7 LIVROS QUE VOCÊS TIRARAM JESUS FAZEM REFERENCIAS DELES

      André Rocha saibas que uma das “grandes armas” que o protestantismo pensa ter para atacar a Igreja Católica são as imagens. Em qualquer conversa com protestantes a respeito de religião, seja qual assunto for, ele sempre tende que pender para as imagens da Igreja Católica. Quando isso acontece os protestantes sempre aparecem com a famosa passagem da suposta proibição de imagens do livro de Êxodo, ela é:

      ANDRE ROCHA LEIA ESSA MATÉRIA E TIRA SUA CONCLUSÃO ESTUDE MEU CARO BOA LEITURA
      “Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra.” (Ex 20, 4)
      Bem, essa parece ser uma proibição absoluta tanto da fabricação quanto da adoração de imagens. Qualquer um que ler a primeira vista vai tirar esta conclusão. Porém a bíblia não deve ser interpretada em versículos isolados nem em traduções tendenciosas, nem tudo que parece ser, é realmente.

      Se virarmos algumas páginas depois de Êxodo 20, em Êxodo 25, veremos Deus ordenando Moisés fabricar imagens:

      “Farás também dois querubins de ouro; de ouro batido os farás, nas duas extremidades do propiciatório.” (Ex 25,18)

      Ora, Deus está se contradizendo? Em um lugar ele proibiu a fabricação de imagens e 5 capítulos após, ele mesmo manda fazer imagens? Pode Deus se contradizer? Claro que não!

      Deus nunca proibiu a fabricação de imagens, o que Ele proibiu foi a fabricação de ídolos. Uma análise bem feita do texto e uma verificação do texto original provarão isso.

      Se olhar os versículos que antecedem e sucedem a passagem veremos que:

      “Não terás outros deuses diante de mim.
      Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra.
      Não te encurvarás a elas nem as servirás; porque eu, o SENHOR teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniqüidade dos pais nos filhos, até a terceira e quarta..” (Êxodo 20, 3-5)
      Pelo próprio contexto vemos que a passagem não se refere a “imagens” e sim a “deuses”, ou seja era a proibição das imagens desses deuses. Acontece que o povo judeu estava saindo Egito e embebido da idolatria pagã egípcia. Os deuses egípcios eram todos representados em imagens e pinturas, daí vem a proibição para que os judeus não mais fizessem as representações destes deuses.

      Analisando o texto no hebraico encontraremos a palavra “פֶסֶל֙ ” (fessel ou pecel), essa palavra não significa “imagens de escultura” e sim “ídolos”.

      A Exaustiva concordância Strong (dicionário das linguas bíblicas, e protestante) traduz essa palavra como:

      06459 pecel
      procedente de 6458; DITAT – 1788a; n. m.
      1) ídolo, imagem
      Como vemos a palavra não diz respeito a qualquer imagem, e sim a ídolos esculpidos, ou seja imagens de ídolos. De fato pode ser traduzida como imagem, mas não diz respeito a qualquer imagem e sim especificamente ídolos esculpidos.

      Dessa forma vemos que a passagem é uma clara referência aos deuses do Egito, como constataremos a baixo:

      “Não farás para ti ídolos ou coisas alguma que tenha a forma de algo que se encontre no alto do céu…”. (êxodo 20, 4):
      O que estava no céu, eram os deuses dos ares do Egito:

      RÁ (ou Rê), o criador dos deuses e da ordem divina egípcia. Foi retratado pela arte egípcia sob muitas formas e denominações e era também representado por um falcão, por um homem com cabeça de falcão ou ainda, mais raramente, por um homem. Quando representado por uma cabeça de falcão estabelecia-se uma identidade com Hórus, outro deus solar adorado em várias partes do país desde tempos remotos.

      Í BIS, uma ave pernalta de bico longo e recurvado. Existe uma espécie negra e outra de plumagem castanha com reflexos dourados, mas era o íbis branco, ou íbis sagrado,que era considerado pelos egípcios como encarnação do deus Thoth. Um homem com cabeça de íbis, era outra das representações daquele deus.

      HÓRUS, filho de Isis e Osíris. Ele é representado como um homem com cabeça de falcão ou como um falcão, sempre usando as duas coroas do Alto e Baixo Egito. Na qualidade de deus do céu, Hórus é o falcão cujos olhos são o sol e a lua.

      TOTH, era o deus-escriba e o deus letrado por excelência. Representado como um íbis ou um homem com cabeça de íbis, ou ainda um babuíno.

      “…embaixo na terra…”. (Êxodo 20, 4):
      O que estava na terra eram os deuses e animais terrestres do Egito:

      ANÚBIS, filho de Seth e Néftis, é o mestre dos cemitérios e o patrono dos embalsamares. É na realidade o primeiro entre eles, a quem se deve o protótipo das múmias, a de Osíris. Todo egípcio esperava beneficiar-se em sua morte do mesmo tratamento e do mesmo renascimento desta primeira múmia. Anúbis também introduz os mortos no além e protege seus túmulos com a forma de um cão, vigilante.

      ÁPIS, o boi sagrado que os antigos egípcios consideravam como a expressão mais completa da divindade sob a forma animal e que encarnava, ao mesmo tempo, os deuses Osíris e Ptah. O culto do boi Ápis, em Mênfis, existia desde a I dinastia pelo menos. Também em Heliópolis e Hermópolis este animal era venerado desde tempos remotos. Essa antiga divindade agrária, simbolizava a força vital da natureza e sua força geradora.

      KHEPRA, (escaravelho, em egípcio) ou um homem com um escaravelho no lugar da cabeça também representavam o deus-Sol. Nesse caso o besouro simbolizava o deus Khepra e sua função era nada menos que a de mover o Sol, como movia a bolazinha de excremento que empurrava pelos caminhos. Associados à idéia mitológica de ressurreição, os escaravelhos eram motivo freqüente das peças de ourivesaria encontradas nos túmulos egípcios.

      BABUINO ou cinocéfalo é um grande macaco africano, cuja cabeça oferece alguma semelhança com os cães. No antigo Egito este animal estava associado ao deus Thoth, considerado o deus da escrita, do cálculo e das atividades intelectuais. Era o deus local em Hermópolis, principal cidade do Médio Egito. Deuses particularmente numerosos parecem ter se fundido no deus Thoth: deuses-serpentes, deuses-rãs, um deus-íbis, um deus-lua e este deus-macaco.

      APÓFIS, a serpente que habitava o além-túmulo, representava as tempestades e as trevas. As serpentes estavam entre os adversários mais perigosos e o demônio líder de todos eles era Apófis a grande serpente.

      BASTET, uma gata ou uma mulher com cabeça de gata simbolizava a deusa Bastet e representava os poderes benéficos do Sol. Seu centro de culto era Bubástis, cujo nome em egípcio ( Per Bast ) significa a casa de Bastet. Em seu templo naquela cidade a deusa-gata era adorada desde o Antigo Império e suas efígies eram bastante numerosas, existindo, hoje, muitos exemplares delas pelo mundo.

      GEB, o deus da Terra é irmão e marido de Nut. É o suporte físico do mundo material, sempre deitado sob a curva do corpo de Nut. Ele é o responsável pela fertilidade e pelo sucesso nas colheitas. Ele estimula o mundo material dos indivíduos e lhes assegura enterro no solo após a morte. Geb umedece o corpo humano na terra e o sela para a eternidade. Nas pinturas é sempre representado com um ganso sobre a cabeça.

      “…ou nas águas debaixo da terra.”. (Êxodo 20, 4):
      Por fim o que estava nas águas eram justamente os deuses animais que ficavam nas águas e que eram adorados no Egito:

      SEBEK, um crocodilo ou um homem com cabeça de crocodilo representavam essa divindade aliada do implacável deus Seth. O deus-crocodilo, era venerado em cidades que dependiam da água, como Crocodilópolis.

      TUÉRIS, (Taueret ) era a deusa-hipopótamo que protegia as mulheres grávidas e os nascimentos. Ela assegurava fertilidade e partos sem perigo. Adorada em Tebas, é representada em inúmeras estátuas e estatuetas sob os traços de um hipopótamo fêmea erguido, com patas de leão, de mamas pendentes e costas terminadas por uma espécie de cauda de crocodilo.

      Será que é mera coincidência, Deus ter proibído as “imagens” justamente quando os judeus saíram do Egito? E por que esta proibição se assemelha tanto aos deuses do Egito? É apenas uma coincidência?

      Para que não haja mesmo qualquer dúvida ou questionamento de que Deus se referia aos falsos deuses do Egito, ao pedir que o povo não praticasse idolatria, nem fizesse “imagens”, leremos agora um trecho do livro de Josué, que foi quem substitui Moises:

      “Agora, pois, temei o Senhor e o servi-o com inteligência e fidelidade. Afastai os deuses aos quais vossos pais serviram do outro lado do rio e no Egito, e servi ao Senhor”. (Josué 24, 14).
      E para termos ainda mais certeza de que Deus falava claramente dos falsos deuses do Egito, leiamos o que fala também, Ezequiel 8, 8-10:

      “Filho do homem, disse-me ele, fura a muralha, quando a furei, divisei uma porta. Aproxima-te, diz ele, e contempla as horríveis abominações a que se entregam aqui. Fui até ali para olhar: enxerguei aí toda espécie de imagens de répteis e animais imundos e, pinturas em volta da parede, todos os ídolos da casa de Israel”.
      O que podemos perceber com essa passagem bíblica? Obviamente que os sacerdotes estavam adorando os falsos deuses em forma de répteis e animais, que Deus havia proibido que fossem adorados.

      O próprio Josué que condenou as imagens dos ídolos, se prostrou diante das imagens da Arca da Aliança e isso não foi caracterizado como idolatria:

      “Josué rasgou suas vestes e prostrou-se com a face por terra até a tarde diante da arca do Senhor, tanto ele como os anciãos de Israel, e cobriram de pó as suas cabeças” (Josué 7, 6)

      Deus nunca iria se contradizer, proibindo e ao mesmo tempo mandando que se fabricassem imagens e permitindo de seus servos se prostrassem diante delas, como podemos ver em diversos versículos.

      A serpente de Bronze:

      “E disse o Senhor a Moisés: Faze uma serpente ardente e põe-na sobre uma haste; e será que viverá todo mordido que olhar para ela. E Moisés fez uma serpente de metal e pô-la sobre uma haste; e era que, mordendo alguma serpente a alguém, olhava para a serpente de metal e ficava vivo.” (Nm 21,8-9)
      A própria serpente de bronze foi uma prefiguração de Cristo e ele próprio confirma isto, ou seja a crucificação de Cristo foi representada com uma imagem de cobra:

      “Como Moisés levantou a serpente no deserto, assim deve ser levantado o Filho do Homem,” (João 3, 17)
      Estaria Moisés cometendo idolatria?

      O templo de Salomão:

      “E no oráculo fez dois querubins de madeira de oliveira, cada um da altura de dez côvados.” (I Reis 6, 23)
      “E revestiu de ouro os querubins. E todas as paredes da casa, em redor, lavrou de esculturas e entalhes de querubins, e de palmas, e de flores abertas, por dentro e por fora.” (I Reis, 6, 28-29)
      “E sobre as cintas que estavam entre as molduras havia leões, bois, e querubins, e sobre as molduras uma base por cima; e debaixo dos leões e dos bois junturas de obra estendida.” (I Reis 7, 29).
      “Para o interior do Santo dos Santos, mandou esculpir dois querubins e os revestiu de ouro.” (II Crônicas 3,10)
      Era neste mesmo templo que os apóstolos e Jesus iam para orar:

      “Jesus passeava no templo, no pórtico de Salomão.” (João 10,23)
      “Enquanto isso, realizavam-se entre o povo pelas mãos dos apóstolos muitos milagres e prodígios. Reuniam-se eles todos unânimes no pórtico de Salomão.”(Atos 5, 12)
      Estariam Jesus e os apóstolos sendo idólatras ao frequentar um templo repletos de imagens de escultura?

      Fica provado, portanto, que Deus nunca proibiu a fabricação de imagens e sim de ídolos para a adoração, colocando-os no lugar do próprio Deus. Desmascaramos assim mais uma falsa interpretação protestante.

      • POR QUE ISSO NÃO É PREGADO NAS MISSAS? PORQUE NÃO É INTERESSANTE.

        LIVROS APÓCRIFOS – UM DOS 7 QUE VOCÊ MENCIONA EDMÍLSON.

        NUNCA VI LIVROS PARA METEREM TANTO O PAU EM IMAGENS, ÍDOLOS E ADORAÇÃO A ELES. O DE SABEDORIA… NEM SE FALA…

        BARUC 6:3-5

        CARTA DE JEREMIAS:

        EM BABILÔNIA VEREIS DEUSES DE PRATA, OURO E MADEIRA, CARREGADOS AOS OMBROS E INSPIRANDO TEMOR ÀS NAÇÕES. TOMAI CUIDADO, PORTANTO, PARA NÃO PROCEDERES SEMELHANTEMENTE, ASSEMELHANDO-VOS AOS ESTRANGEIROS:QUE O TEMOR DIANTE DELES NÃO SE APODEREM DE VÓS AO VIRDES A MULTIDÃO DIANTE E ATRÁS DELES, ADORANDO-OS. DIZEI ENTÃO EM VOSSO ÍNTIMO: “É A TI QUE SE DEVE ADORAR SENHOR!”

        A GRANDE MENTIRA – ADOLF HITLER.

        “SE VOCÊ CONTAR UMA GRANDE MENTIRA, FALAR NELA SEMPRE, E REPETI-LA COM OUSADIA NECESSÁRIA, AS PESSOAS COMEÇARÃO A ACREDITAR NELA – E QUANTO MAIOR A MENTIRA, MELHOR.”

        • RENATO DE CARVALHO!
          CADE AS REFUTAÇÕES

          SOBRE OS 7 LIVROS SAIBAS QUE AS SATÂNICAS SEITAS PROTESTANTES USAM ELES NAS SUAS BÍBLIAS

          DEIXA DE PONTOS DE VISTA ME MOSTRE FATOS ME MOSTRE TESTEMUNHAS OCULARES VIBRADOR

    • meu caro irmão André ,a paz de nosso senhor JESUS CRISTO!!1TIMÓTEO 2,5 Deus é unico mediador entre DEUS e os homens….ENTAO O QUE AGENTE FAZ ORANDO UNS PELOS OUTROS???jESUS É O UNICO MEDIADOR,PORQUE SEU PASTOR ORA ENTAUM POR VC??PQ VC NAO VAI DIRETO A JESUS???Jesus nao esta sozinho vc sabe Ele é Cabeça da igreja e NÓS somos seu CORPO,somos os MEMBROS, este é o JESUS CRISTO INTEIRO,CABEÇA E MEMBROS,CORPO DE CRISTO!!O QUE EXPLICA Q A SOMBRA DE PEDRO CURAVA OS DOENTES???ATOS 5,15-16! OQUE EXPLICA OS LENÇOS DE PAULO CURAVA AS PESSOAS???ATOS 19,11-12!!MANTO DE ELIAS,1REIS 2,11-14!!ISSO NAO É MEDIAÇÃO????ELES FAZEM CURAS,ELES INTERCEDEM,E NAO SAO MEDIADORES???SAÕ SIM PORQUE FAZEM PARTE DO CORPO DE CRISTO!AGORA LEIA ESTA PASSAGEM ELISEU TAVA MORTO LEIA O QUE ACONTECEU EM 1REIS 13,20-21, UM MORTO RESSUCITOU AO TOCAR OS OSSOS DE ELISEU , UM MORTO FOI JOGADO NO SEPULCRO DE ELISEU, TOCOU OSSOS DE ELISEU E RESSUCITOU!!ENTAUM MEU IRMÃO INTERCESSAO TEM DURANTE E DEPOIS DA MORTE,DEUS AGE ATRAVEZ DE NÓS,MESMO MORTO ELISEU RESSUCITOU UM HOMEM!!O QUE VOCE ACHOU DA RESPOSTA????IRMÃO ANDRE,LAI MAIS A BIBLIA,E ENTENDENDA IGREJA CATOLICA NAO FOI INICIA EM 1517 COM MARTINHO LUTERO E SIM EM MATEUS 16-18 ,ME RESPONDA TO ESPERANDO

      • BELA RESPOSTA IRMÃO CARLOS OLHA AMIGO É UM ERRO E UMA HERESIA TREMENDA DAS SEITAS PROTESTANTES VIM DIZER QUE OS SANTOS NÃO INTERCEDEM

        E QUE NÃO EXISTE INTERCESSÃO NO CÉU QUANTA IGNORÂNCIA E FALTA DE ESTUDOS VERDADEIROS IRMÃO CARLOS

        VEJA OS SOFISMA E AS CONTRADIÇÕES BARATAS QUE OS PROTESTANTES NEGAM CLARAMENTE O QUE A PRÓPRIA BÍBLIA DEMONSTRA INCONTESTAVELMENTE EXISTIR

        VEJA CARLOS E RACIOCINE MEU CARO AMIGO QUE A INTERCESSÃO NÃO É TER PODER OU COISA PARECIDA E MAIS ELES MISTURAM HERESIAS E ESTUDOS ERRADOS CHEIOS DE CONTRADIÇÕES

        DE VIM DIZER FALSAMENTE QUE A INTERCESSÃO ANULA JESUS CRISTO TER MORRIDO NA CRUZ

        CARLOS ISSO É UMA TESE ABSURDA ENTRE ELES

        PRIMEIRO MEU AMIGO INTERCEDER É APENAS PEDIR EM FAVOR ORAR CLAMAR EXALTAR NUMA ÚNICA FELICIDADE PLENA

        JESUS DISSE QUE A ALEGRIA NO CÉU É IMENSA COM UMA SÓ PESSOA CONVERTIDA

        VOU TI DA VÁRIOS EXEMPLOS IRMÃO CARLOS SAIBAS QUE A BÍBLIA PROTESTANTE TIROU DESCARADAMENTE OS 7 LIVROS QUE ELES DIZEM MALANDRAMENTE SE APÓCRIFOS

        ISSO É FACHADA PRIMEIRO OS 7 LIVROS QUE AS SEITAS PROTESTANTES TIROU
        JESUS FAZEM REFERÊNCIAS DELES E MAS O LIVRO DO APOCALIPSE SÃO JOÃO SE INSPIROU NO LIVRO DE MACABEUS E DE TOBIAS

        E MAS CARLOS A PRIMEIRA BÍBLIA PROTESTANTE TINHA OS 7 LIVROS E DEPOIS POR INTERESSES A TIRARAM PARA NÃO ENTRAR EM CONTRADIÇÕES PROCURE SABER SOBRE A BÍBLIA PROTESTANTE DE NOME KING JAMES

        PROTESTANTES FALAM CONTRA A IGREJA SOBRE TANTOS ABSURDOS E NUNCA PROVARAM NADA O QUE ELES TRAZEM SÓ SÃO PONTO DE VISTAS ADULTERAÇÕES FALSIFICAÇÕES TANTO AMADORISMO RECHEADO DE BLASFÊMIAS E LOROTAS

        CARLOS OLHA EU SELECIONEI AQUI SÓ ALGUNS VERSÍCULOS BÍBLICOS QUE MOSTRAM EXISTIR INTERCESSÃO ENTRE OS SANTOS DO CÉU

        VEJA CARO AMIGO

        7 – Os Santos no céu estão na mesma condição dos Anjos, pois conservam as suas naturezas individuais e intelectuais, e possuem a mesma Luz divina na qual vêem a Deus, e em Deus conhecem tudo o que a sua mente pode conhecer. (“Na tua Luz veremos a Luz” – Sal. 35,10)

        amigo é Por isso, que a Bíblia afirma que os Santos “julgarão este mundo” (1Cor. 6,2). Agora para fazerem esse julgamento devem conhecer os atos praticados neste mundo. Portanto, os Santos conhecem as nossas precisões e intercedem por nós como nossos amigos junto de Deus.

        Carlos isso é o que lemos em várias passagens da Bíblia

        8 – a) Em Jeremias lemos: “E o Senhor me disse: ‘ainda que Moisés e Samuel se apresentassem diante de mim, o meu coração não se voltaria para esse povo.’” (Jer. 15,1) Ora, Moisés e Samuel já não eram do número dos vivos, e podiam, no entanto, interceder pelo povo.

        agora amigo esse livro a ceita protestante a tirou safadamente mas mesmo assim note-se ainda que, no 2º Macabeus (15,14), diz-se do próprio Jeremias, já falecido, que ele “muito ora pelo povo e pela cidade santa.” Vê-se, pois, que o povo eleito tinha essa fé.

        9 – b)Agora veja que no Apocalipse São João narra a visão que teve de Jesus Cristo em seu trono de glória, e diante dele se apresentavam anciãos “com taças cheias de perfume, que são as orações dos santos.” (Apc. 5,8; 8,4) Esses anciãos significam os “Santos da glória” apresentando a Jesus as orações dos “santos da terra”, os fiéis cristãos nesse mundo. Trata-se de uma forma de mediação secundária dos Santos entre Cristo e os seus fiéis.

        Amigo e ainda vou ti da uma dica o apocalipse é um livro de revelação, a revelação para época, o que aconteceu com aquela geração apenas, com os apóstolos mártires, agora veja a incoerência protestante, mesmo que a visão de João fosse para um futuro indeterminado, QUER DIZER QUE HOJE NINGUÉM PODE INTERCEDER, no futuro poderá?

        Os mártires que João viu, eram os mártires da época, perseguidos pelos judeus, Nero e Domiciano.e mesmo que a visão seja para época os santos e anjos no trono de Deus existe e não é simbolo aprenda isso meu caro amigo sobre isso todos os padres da igreja são unanimes em suas obras essa contestação errada nasceu com Lutero 1500 anos depois

        Agora amigo veja outra referencia clara na parábola do pobre Lázaro e do rico avaro, Jesus apresenta Abraão sendo rogado pelo mau rico que fora condenado ao inferno. (Lc. 16,27) No caso, o mau rico pedia o impossível. Não podia ser atendido. Mas, com este fato Jesus significou a possibilidade de se pedir ajuda aos amigos de Deus que estão no Céu, pois o mau rico pediu a intercessão de Abrãao.

        E não adianta OS PROTESTANTES VIM DIZER sofismas e mentiras doentias de vim me dizer que parábola é só um simbolo

        Os protestantes que que aprender uma coisa sendo simbolo ou não meu as parábolas de Jesus revelam e mostram uma verdade consumada meu caro amigo Carlos caso não fosse Jesus não diria para o ladão que ele estaria hoje mesmo no paraíso

        Agora veja no 1º livro dos Reis Que Deus prometeu a Salomão não retirar-lhe o trono em vida, e conservar para seu filho (Roboão) o reino de Judá, “em atenção” e “por amor de seu servo Davi (já morto).

        (1 Reis 11,11-13) Significa que Deus toma em consideração os pedidos de seus amigos da glória, os Santos.

        Agora Carlos veja que Moisés usa os nomes de Abraão já morto usa o nome de Isaac e de Jacó também já morto para interceder pelo povo Igual sentido tem a oração de Moisés pedindo a Deus que poupasse o povo culpado em atenção aos patriarcas Abraão, Isaac e Jacó, todos já falecidos. (Êx 32,11-14)

        E mas meu cato amigo ainda no 2º livro dos Reis a Bíblia narra o milagre da ressurreição de um morto, ao contato com os ossos do profeta Eliseu. (2 Reis 13,21) Nesse fato temos ainda a aprovação da prática católica de venerar as relíquias dos Santos.Queira ou não você contestar isso sempre será um erro de vocês protestantes divididos em 50 mil ceitas só no Brasil digo isso por que as suas teorias e estudos são heréticos pois são uma piada que exemplos pegue a teoria dos mórmons e as compare com uma adventista e pegue a adventista e compare seus estudos bíblicos e os compare com uma universal ou assembleia ou uma testemunha de Jeová ou igreja metropolitana do Brasil

        E mas meu amigo há protestantes que afirmam: que após a morte, as almas ficam em estado de esquecimento e não podem interceder pelos vivos. Só após o último juízo terão consciência. E citam erradamente um texto do Eclesiastes, que fala da condição dos mortos no túmulo onde “não sabem mais nada…” (9,5-6)

        MEU AMIGO essa é a verdadeira resposta: Eles aplicam à pessoa toda (corpo e alma) o que só se refere ao seu corpo. O sentido exato do texto nos é dado pelo mesmo Eclesiastes mais à frente – (12,1 e 7:

        “Lembra-te do teu Criador nos dias de sua juventude (…) antes que a poeira retorne à terra para se tornar o que era; e antes que o sopro de vida(a alma espiritual e imortal) retorne a Deus que o deu”.

        O que é inteiramente conforme ao que lemos na Epístola aos Hebreus (9,27): “Está determinado que o homem morra uma só vez e depois disto vem o juízo” – particular, logo após a morte.

        Daí Jesus ter garantido ao ladrão convertido na cruz (Lc. 23,43):“Em verdade eu te digo, hoje estarás comigo no paraíso” – com vírgula depois de “digo”, como no original grego, e não depois de “hoje”. Logo, com plena consciência logo após a morte.

        E MAS MEU AMIGO CARLOS OS PROTESTANTES

        fazem outra objeção por a Bíblia afirmar que há um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo. (1 Tim. 2,5)

        CARLOS E A RESPOSTA É TÃO SIMPLES :Olha amigo deve-se não se esqueçer que deve completar a citação de São Paulo (que em geral é citada só pela metade)

        VEJA

        e que continua no vers. 6 assim: “…o qual Se entregou em Redenção por todos”. Portanto, Jesus Cristo é, sim, o único Mediador, mas “de Redenção”. O que não exclui a mediação de intercessão dos Anjos e Santos, como acima ficou demonstrado.

        FICA NA PAZ AMIGO CARLOS

      • CARLOS, GOSTEI DE COMO VOCÊ COLOCOU O TEU PONTO DE VISTA E ACHO QUE É ASSIM QUE SE CONVERSA. NÃO SE CONVERSA COM ATAQUES E OFENSAS.

        RESPOSTA:

        PORQUE O SERVO DE DEUS ESTÁ VIVO, E QUANDO ELE ORA A DEUS POR ALGUÉM ELE ORA EM NOME DE JESUS – QUE É O MEDIADOR -, E JESUS É QUEM ABENÇOA.

        ESTÁ ESCRITO: “TUDO QUE PEDIRDES AO PAI EM MEU NOME EU O FAREI”

        AS PASSAGENS DAS QUAIS VOCÊ FALA, SOBRE ELIZEU, ERAM PARA APONTAR O QUE ACONTECERIA NO NT – A RESSURREIÇÃO – PORQUE AQUELA ÉPOCA ESSE ASSUNTO AINDA NÃO ERA ASSIMILADO COMO É HOJE.

        • CADE AS REFUTAÇÕES RENATO DE CARVALHO?

          SE VOCÊ SOUBESSE O NOJO QUE TENHO DE PESSOAS SEM CARÁTER COMO VOCÊ!

          DESVIOU O FOCO FOI?

          VAMOS ME MOSTRE O QUE VOCÊ FALA?

          É VI QUE VOCÊ É UM MENTIROSO
          UMA POBRE ALMA CONTRADITÓRIA

    • Voces evangelicos adoram o “tal” pai abraao o que dizer disto heim.Respeita os outros pois no nosso pais somos maioria e nao admitiremos ninguem desrespeitando nossos cultos a Maria.Estude mais e descubra que o inventor de voces lutero dizia que tinha que venerar a mae de Deus.Continue a adorar como diz voces “pai abraao”como adoramos Mais mae de deus.

    • onde esta escrito na bíblia que maria é mãe de Deus?sendo que jesus é o filho de Deus?e Maria foi virgem até ter Jesus,e por parto natural,deixou de ser virgem, e depois teve mais filhos:E, falando ele ainda à multidão, eis que estavam fora sua mãe e seus irmãos, pretendendo falar-lhe.
      E disse-lhe alguém: Eis que estão ali fora tua mãe e teus irmãos, que querem falar-te.
      Mateus 12:46-47 Parabéns amado ANDRÉ ROCHA.ENGRAÇADO QUE ESTA PAGINA SÓ DÁ MORAL PARA OS CATÓLICOS. FALAM MAIS A PALAVRA DO HOMEM E CRITICAM QUEM SITA AS ESCRITURAS.E NÃO SOMOS PROTESTANTES,somos CRISTÃO,QUE ADORA SÓ A CRISTO.

      • NOEME DIAS HEREGE VOCÊ TEM VERGONHA DAS 50 MIL SEITAS QUE POSSUI O BRASIL E POR ISSO PARA ESCONDER QUI É PROTESTANTE SE DIZ QUE É
        CRISTÃO,QUE ADORA SÓ A CRISTO.

        Primeiro, NOEME DIAS quem ti falou que Deus entregou o mundo a Maria?
        Parei de ler aqui.

        Mas com muita paciência NOEME DIAS, eu dei uma passada no resto de seu texto.

        OLHA NOEME DIAS se Jesus é Deus, Maria é mãe de Deus, se Jesus não é Deus, Maria não é mão de Deus,

        você escolhe qual Jesus você quer seguir, ou Jesus divino ou Jesus humano, NOEME DIAS agora dentro da desgraça protestante tem Jesus para todos os gostos, Tem até para os artistas pornôs.

        NOEME DIAS APRENDA HEREGE UMA COISA SIMPLES saibas que a que existem vários textos onde diz que Jesus Cristo teve irmãos, porém nenhum onde diz que Maria e José tiveram filhos e filhas, eu quero lembrar a você analfabeta que, esse termo (Filho e Filhas) era comum na cultura hebraica, pois assim, os hebreus conseguiam demonstrar que um determinado personagem teria tido vários irmãos biológicos; eu irei ti mostrar alguns exemplos:

        “3. Adão viveu cento e trinta anos: e gerou um filho à sua semelhança, à sua imagem, e deu-lhe o nome de Set. 4. Depois de haver gerado Set, Adão viveu oitocentos anos e gerou filhos e filhas.” (Gênesis capítulo 5)

        NOEME DIAS Observe o texto, Adão depois de ter gerado a Set (descendência dos filhos de Deus), gerou filhos e filhas, assim sabemos que Adão e Eva teve outros filhos além de Set.

        “7. E depois do nascimento de Enos, viveu ainda oitocentos e sete anos e gerou filhos e filhas.” (Gênesis capítulo 5)

        Por sua vez, Set teve Enos como filho e depois teve filhos e filhas, assim se sucedeu todas as gerações, um pouco mais além, podemos ver o caso do Grande Rei Davi.

        “13. Davi tomou mais concubinas e mulheres em Jerusalém, depois que deixou Hebron, e teve delas filhos e filhas.” (II Samuel capítulo 5)

        Segundo o texto de Samuel, Davi teve filhos e filhas.

        “1. Joás tinha sete anos quando começou a reinar. Seu reinado, em Jerusalém, durou quarenta anos. Sua mãe chamava-se Sébia; era ela de Bersabéia. 2. Joás fez o bem aos olhos do Senhor durante toda a vida do sacerdote Jojada, 3. o qual lhe deu por esposas duas mulheres, das quais teve filhos e filhas.” (II Crônicas capítulo 24)

        Parece-me que mais um Rei ao se casar teve filhos e filhas.

        AGORA NOEME DIAS o mais engraçado é que no caso de Maria e José o autor não diz nada sobre esse assunto, o mais normal seria o autor dizer, depois do nascimento de Jesus Cristo Maria e José teve filhos e filhas, mas o autor não diz isso. Por que será HEREGE NOEME DIAS?

        AGORA NOEME DIAS vamos analisar alguns textos do (NT).

        “41. Seus pais iam todos os anos a Jerusalém para a festa da Páscoa.
        42. Tendo ele atingido doze anos, subiram a Jerusalém, segundo o costume da festa.

        43. Acabados os dias da festa, quando voltavam, ficou o menino Jesus em Jerusalém, sem que os seus pais o percebessem. 44. Pensando que ele estivesse com os seus companheiros de comitiva, andaram caminho de um dia e o buscaram entre os parentes e conhecidos.

        45. Mas não o encontrando, voltaram a Jerusalém, à procura dele. 46. Três dias depois o acharam no templo, sentado no meio dos doutores, ouvindo-os e interrogando-os.” (Lucas capítulo 2)

        OLHA NOEME DIAS existem duas particularidade nesse texto, a primeira é que Jesus Cristo já tinha 12 anos, teoricamente ele já deveria ter irmãos,

        assim como os protestantes sugerem, mas a família Sagrada é composta apenas por três pessoas Maria, José e Jesus Cristo, NOEME DIAS agora aqui fica uma pergunta:

        Onde estavam os outros irmãos de Jesus Cristo? A segunda particularidade é que Jesus Cristo não estando na comitiva, Maria e José fora procurá-lo entre os seus parentes e não entre os seus outros filhos, o que seria mais natural, já que além de Jesus Cristo, Maria e José teria no mínimo mais quatro filhos.

        NOEME DIAS fica claro nesse texto que o mister (M) fez os outros filhos de Maria e José desaparecerem.

        Agora outro texto interessante é o do Evangelho de São João:

        “26. Quando Jesus viu sua mãe e perto dela o discípulo que amava, disse à sua mãe: Mulher, eis aí teu filho. 27.

        Depois disse ao discípulo: Eis aí tua mãe. E dessa hora em diante o discípulo a levou para a sua casa.” (João capítulo 19)

        NOEME DIAS AGORA TI PEÇO Peço pense comigo, com tantos irmãos biológicos, Jesus Cristo precisou deixar a sua mãe aos cuidados de São João?

        Tudo bem que na teologia protestante os irmãos de Jesus Cristo eram incrédulos, opa! Esqueci que um incrédulo era o Apostolo Tiago, mas deixa para lá, a teologia protestante é contradição em cima de contradição, mentira em cima de mentira;

        AGORA NOEME DIAS voltando ao assunto, por que Jesus Cristo teve que deixa a sua mãe aos cuidados de São João?

        Seria muito mais lógico ele deixá-la aos cuidados de seus irmãos biológico, pois a não crença desses supostos irmãos em Jesus Cristo não quer dizer que eles não seguiam a Lei Mosaica, uma coisa não tem nada a ver com a outra.

        Uma coisa é não acreditar em Jesus Cristo.

        Outra coisa era não acreditar na Lei Mosaica.

        Vários Judeus na época não acreditaram em Jesus Cristo, mas eram tementes as Leis de Moises, aliás, todos os Judeus era tementes as Leis Mosaicas, e na Lei Mosaica está claramente escrito, (Honrar Pai e Mãe), jamais eles deixariam de honrar sua mãe por não acreditarem em Jesus Cristo como o Messias, a não ser que esses supostos irmãos não existissem, mais uma sinuca de bico para vocês das seitas protestante.

        Até porque o próprio Jesus Cristo estaria contrariando o decálogo ao entregar sua mãe aos cuidados de São João e não de seus irmãos biológicos.

        AGORA NOEME DIAS para terminar eu vou analisar o texto mais usado pelos filhos da serpente.

        “3. Não é ele o carpinteiro, o filho de Maria, o irmão de Tiago, de José, de Judas e de Simão? Não vivem aqui entre nós também suas irmãs? E ficaram perplexos a seu respeito.” (Marcos capítulo 6)

        NOEME DIAS AGORA EU TI peço que você preste bem atenção onde diz: (o filho Maria); por que o autor usar o singular para se referir a Jesus Cristo como o filho de Maria e logo depois diz que o mesmo teve irmãos?

        Isso é interpretação de texto, se Maria e José tivessem outros filhos além de Jesus Cristo,

        seria mais lógico o autor dizer, (não é ele um dos filhos de Maria)? Sendo assim, eu termino a matéria mostrando a todos vocês o erro ortográfico do Evangelho de São Marcos. Graças a Deus, se levanta o protestantismo para consertar tais erros contidos na Bíblia Sagrada.

        NOEME DIAS agora só para constar, a palavra Irmão tanto no Hebraico como no Grego Kôine, pode ser empregado para irmão biológico, primo, tio, sobrinho, conterrâneos, compatriotas e discípulos.

      • NOEME DIAS SE CONVERTA HEREGE FILHO DE LUTERO
        SAIBAS QUE TODOS OS PADRES APOSTÓLICOS E PADRES DA IGREJA E TODOS OS ESCRITORES ECLESIÁSTICOS DOS QUATRO PRIMEIRO SÉCULOS DA ERA CRISTÃ CONFIRMAM A VIRGINDADE PERPÉTUA DE MARIA
        ATÉ O DEMONÔNIO DE NOME LUTERO E CALVINO TAMBÉM

        AGORA VEJA QUEM SÃO OS
        Quatros supostos irmãos de Jesus Cristo.

        NOEME DIAS esse sim é um assunto complicado, pois é uma ferida no peito dos hereges protestantes em sua perseguição e seu ódio contra a Mulher e a sua descendência, NOEME DIAS infelizmente dentro da desgraça protestante não se prega castidade, santidade e vida espiritual,

        sendo assim, vocês hereges perseguem qualquer doutrina que fira o seu modo mundano de seguir os seus próprios conceitos pessoais fora de uma vida espiritual, ou seja, vocês hereges não suportam a verdade de que pessoas Santas que se entregaram de corpo e Alma a sua vida para Deus;

        realmente é difícil para uma pessoa que só tem sexo na cabeça compreender a Virgindade Perpetua de Maria e a castidade de São José.

        NOEME DIAS porem, nós Católicos da única Igreja de Jesus Cristo estamos fora dessa vida mundana e conseguimos compreender exatamente o modo espiritual em que viveram os Santos e Santas, onde muitos deles viveram em plena castidade entregando totalmente a sua vida para Deus,

        isso não quer dizer que o sexo é pecado e sim que a castidade é Santa, ou seja, pessoas decidiram por sim só viverem em total castidade ou celibato, não foi só Virgem Maria que viveu com esse propósito, São João Batista e São Paulo são exemplos Bíblicos de castidade e celibato.

        AGORA NOEME DIAS eu vou ti provar a Virgindade Perpétua de Maria Santíssima com as profecias do (AT) a respeito:

        “12. És um jardim fechado, minha irmã, minha esposa, uma nascente fechada, uma fonte selada.” (Câticos capítulo 4)

        PRA VOCÊ QUE NÃO CONHECE A BÍBLIA NOEME DIAS EU TI PROVO que existe varias citações do livro de Cânticos dos Cânticos que são referentes a Bem Aventurada por todas gerações, ou seja, Virgem Maria.

        Nesse verso o Profeta diz claramente que Maria seria um jardim fechado, uma nascente fechada e uma fonte selada, fica claro nessa profecia de que Maria seria Virgem antes e depois do nascimento de Jesus Cristo.

        NOEME DIAS agora eu colocarei aqui uma Profecia do livro de Sabedoria de Salomão a respeito de Virgem Maria e de São José.

        VEJA
        “13. Feliz a mulher estéril, mas pura de toda a mancha, a que não manchou seu tálamo: ela carregará seu fruto no dia da retribuição das almas. 14.

        Feliz o eunuco cuja mão não cometeu o mal, que não concebeu iniqüidade contra o Senhor, porque ele receberá pela sua fidelidade uma graça de escol, e no templo do Senhor uma parte muito honrosa,” (Sabedoria capítulo 3)

        NOEME DIAS observe que isso são Profecias e todas as Profecias requer uma interpretação, a mulher estéril no caso é uma figuração da virgindade de Maria, o eunuco é uma figuração de São José, pois os primeiros capítulos do livro de Sabedoria são todos messiânicos.

        NOEME DIAS agora observem o próximo texto:

        “1. Mais vale uma vida sem filhos, mas rica de virtudes: sua memória será imortal, porque será conhecida de Deus e dos homens. 2.

        Quando está presente, imitam-na; quando passada, desejam-na; ela leva na glória uma coroa eterna, por ter triunfado sem mancha nos combates.” (Sabedoria capítulo 4)

        NOEME DIAS AGORA prestem atenção nesse texto, o autor diz:

        Mais vale uma vida sem filhos, “mas rica em virtudes”, sua memória será imortal, agora eu pergunto NOEME DIAS:

        Quem foi proclamada Bem Aventurada por todas as gerações por causa de suas virtudes? A resposta está no Novo Testamento, quem possui o Espírito Santo saberá do que eu estou me referindo.

        Bem,NOEME DIAS agora vamos partir para o (NT).

        OLHA NOEME DIAS esse é o versículo mais usado por vocês protestantes para sustentar a heresia de pregar contra a Virgindade Perpétua de Maria Santíssima:

        “3. Não é ele o carpinteiro, (o filho de Maria), o irmão de Tiago, de José, de Judas e de Simão? Não vivem aqui entre nós também suas irmãs? E ficaram perplexos a seu respeito.” (Marcos capítulo 6)

        NOEME DIAS prestem bem atenção no primeiro grifo em parênteses e observem que o autor usa o singular para afirmar que Jesus Cristo é o filho de Maria Santíssima,

        qualquer pessoa que saiba interpretar textos entendera que o autor está afirmando que Jesus Cristo é filho único de Virgem Maria, no caso dela ter tido mais filhos com São José o autor usaria o termo no plural, que ficaria dessa forma.

        “Não é ele o carpinteiro, um dos filhos de Maria…”.

        Porém, NOEME DIAS fica difícil cobrar interpretação de texto desses pastores que mal sabem escrever o seu próprio nome,

        e olha que eu não sou nenhum exemplo, até porque eu possuo certa limitação com a gramática.

        Bem, agora vamos tentar identificar Biblicamente quem são cada um desses supostos irmãos de Jesus Cristo, NOEME DIAS você irá se surpreender,

        pois nem entre eles (os quatro) exista um grau de irmandade maternal e paternal, eu vou provar para você NOEME DIAS que entre esses quatros supostos irmãos de Jesus Cristo

        dois deles eram pai e filho, ou seja, pai e filho não podem ser filhos da mesma mãe.

        NOEME DIAS eu vou começar com “Tiago”, quem era esse Tiago? Segundo São Paulo esse Tiago era conhecido como “Irmão do Senhor”, porém ele era um dos 12 Apóstolos.

        “18. Três anos depois subi a Jerusalém para conhecer Cefas, e fiquei com ele quinze dias. 19.

        Dos outros apóstolos não vi mais nenhum, a não ser Tiago, irmão do Senhor.” (Gálatas capítulo 1)

        NOEME DIAS observe o que São Paulo diz; ele diz que depois da sua conversão ele foi a Jerusalém para conhecer São Pedro, o mais importante é que ele afirma que além de São Pedro

        só estava em “Jerusalém Tiago Irmão do Senhor”, porém ele afirma que esse Tiago era um dos Apóstolos.

        Agora vamos contar quantos Apóstolos possuíam o nome Tiago e qual era o nome de seu Pai.

        “2. Eis os nomes dos doze apóstolos: o primeiro, Simão, chamado Pedro; depois André, seu irmão.

        Tiago, filho de Zebedeu, e João, seu irmão.

        3. Filipe e Bartolomeu. Tomé e Mateus, o publicano. Tiago, filho de Alfeu, e Tadeu. 4. Simão, o cananeu, e Judas Iscariotes, que foi o traidor.” (Mateus capítulo 10)

        “16. Escolheu estes doze: Simão, a quem pôs o nome de Pedro; 17. Tiago, filho de Zebedeu, e João, seu irmão, aos quais pôs o nome de Boanerges, que quer dizer Filhos do Trovão. 18. Ele escolheu também André, Filipe, Bartolomeu, Mateus, Tomé, Tiago, filho de Alfeu; Tadeu, Simão, o Zelador; 19. e Judas Iscariotes, que o entregou.” (Marcos capítulo 3)

        “13. Ao amanhecer, chamou os seus discípulos e escolheu doze dentre eles que chamou de apóstolos: 14. Simão, a quem deu o sobrenome de Pedro; André, seu irmão; Tiago, João, Filipe, Bartolomeu, 15. Mateus, Tomé, Tiago, filho de Alfeu; Simão, chamado Zelador; 16. Judas, Filho de Tiago; e Judas Iscariotes, aquele que foi o traidor.” (Lucas capítulo 6)

        NOEME DIAS OLHA lendo os texto em grifos podemos entender claramente que só existem dois “Apóstolos com o nome Tiago”:

        1º) Filho de Zebedeu e irmão de São João Evangelista.

        2º) Filho de Alfeo que mais para frente vamos ver que ele é Alfeo Cleofas.

        Conclusão de que o primeiro suposto irmão de Jesus Cristo não era filho de Virgem Maria e São Jose.

        Agora vamos partir para “José”; quem era esse José?
        Entre os quatros supostos irmãos de Jesus Cristo esse é o personagem que eu mais gosto, pois com ele eu consigo derrubar (3)

        coelhos com um tiro só, estudando esse personagem eu posso concluir quem ele era realmente, quem era a sua mãe e que dos outros três supostos irmãos de Jesus Cristo apenas Tiago Apostolo era o seu irmão biológico, sendo assim, Judas e Simão eram apenas parentes próximos de Tiago e Jose.

        NOEME DIAS OLHA os principais textos referentes a Jose são esse:

        “56. Entre elas se achavam Maria Madalena e Maria, mãe de Tiago e de José, e a mãe dos filhos de Zebedeu.” (Mateus capítulo 27)

        “40. Achavam-se ali também umas mulheres, observando de longe, entre as quais Maria Madalena, Maria, mãe de Tiago, o Menor, e de José, e Salomé” (Marcos capítulo 15)

        “23. Propuseram dois: José, chamado Barsabás, que tinha por sobrenome Justo, e Matias.” (Atos capítulo 1)

        AGORA NOEME DIAS Preste bem atenção nos textos de Mateus e Marcos,

        observe que o mesmo autor que cita “Tiago, Jose, Judas e Simão” como irmãos de Jesus Cristo, nesse texto o autor cita que apenas “Tiago e Jose” são filhos de dessa Maria, será que o autor se esqueceu de Judas e Simão?

        Será isso possível? Lógico que não, apenas que Judas e Simão não eram filhos dos mesmos pais que Tiago e Jose, todos eles eram parentes apenas um do outro e, por sua vez, os quatro eram parentes próximos de Jesus Cristo onde na cultura Judaica se usavam a palavra (Irmãos).

        NOEME DIAS mesmo assim temos que saber quem era essa Maria mãe de Tiago e Jose, pois os hereges poder acreditar que se tratava de Maria Santíssima.

        noeme dias vou colocar aqui alguns textos dos quatros evangelhos para assim descobrir quem era essa Maria mãe de Tiago e Jose.

        “56. Entre elas se achavam Maria Madalena e Maria, mãe de Tiago e de José, e a mãe dos filhos de Zebedeu.” (Mateus capítulo 27)

        “40. Achavam-se ali também umas mulheres, observando de longe, entre as quais Maria Madalena, Maria, mãe de Tiago, o Menor, e de José, e Salomé” (Marcos capítulo 15)

        “25. Junto à cruz de Jesus estavam de pé sua mãe, a irmã de sua mãe, Maria, mulher de Cléofas, e Maria Madalena.” (João capítulo 19)

        Mateus cita que ao pé da cruz estavam:

        Maria Madalena.
        Maria mãe de Tiago e Jose.
        A mãe dos filhos de Zebedeu.

        Marcos cita que ao pé da cruz estavam:

        Maria Madalena.
        Maria mãe de Tiago e Jose.
        Salomé (Mãe dos filhos de Zebedeu).

        Já São João nos mostra uma informação a mais do que os outros Evangelhos, ele diz que ao pé da cruz estavam:

        Virgem Maria a mãe de Jesus Cristo.

        Maria mulher de Cleofas irmã (parente) de Virgem Maria e é a mãe de Tiago e Jose.

        Maria Madalena.

        Omite a sua mãe (que seria Salome).

        Conclusão NOEME DIAS:

        A Maria mãe de Tiago e José citada por Mateus e Marcos é a mesma Maria mulher de Cleofas que São João diz ser irmã (parente) de Virgem Maria Santíssima.

        NOEME DIAS assim fica mais fácil descobrir o porque os filhos de Maria mulher de Cleofas eram tratados como irmãos (parentes) de Jesus Cristo, pois essa Maria era parente de Virgem Maria Santíssima.

        Agora observe que essa Maria mulher de Cleofas e mãe de Tiago e Jose era tratada como a “outra Maria”:

        “1. Passado o sábado, Maria Madalena, Maria, mãe de Tiago, e Salomé compraram aromas para ungir Jesus.” (Marcos capítulo 16)

        “1. Depois do sábado, quando amanhecia o primeiro dia da semana, Maria Madalena e a outra Maria foram ver o túmulo.” (Mateus capítulo 28)

        noeme dias Agora eu ti pergunto:

        Alguém em plena sã consciência acredita que “Virgem Maria” mãe do Salvador seria tratada pelos Apóstolos como “outra Maria”?

        Lógico que o autor ao se referir “outra Maria” estava se referindo a essa parenta de Virgem Maria que possuía o mesmo nome da mãe do Salvador.

        Resumindo:

        Jose o segundo suposto irmão de Jesus Cristo era:

        Irmão biológico de Tiago Apostolo.

        Filho de Maria mulher de Cleofas.

        Parente próximo de Jesus Cristo, Judas e Simão.

        Deveria ser sobrinho de Virgem Maria e São Jose.

        Disputou com Matias a sucessão Apostólica de Judas Scariotes.

        NOEME DIAS agora vamos passar para “Judas”;

        quem era esse Judas? Esse Judas será a pedra nos sapatos protestantes, pois ele é a maior prova de que na cultura Judaica (parente próximo) é considerado (Irmão),

        e na cultura Judaica essa regra vale até para pai e filho, pois pai e filho não deixam de ser parentes um do outro.

        Observe NOEME DIAS que Judas (também conhecido como Tadeu) era um dos (12) Apóstolos e era filho de Tiago Irmão do senhor.

        “13 Depois do amanhecer, chamou seus discípulos, e escolheu doze dentre eles, aos quais deu também o nome de apóstolos: 14 Simão, ao qual também chamou Pedro, e André, seu irmão; Tiago e João; Filipe e Bartolomeu; 15 Mateus e Tomé; Tiago, filho de Alfeu, e Simão, chamado Zelote; 16 Judas, filho de Tiago; e Judas Iscariotes, que veio a ser o traidor.” (Lucas capítulo 6)

        NOEME DIAS Preste bem atenção nesse texto, pois São Lucas não deixa passar essa informação despercebida, observe que ele diz:

        Tiago era filho de Alfeo (Cleofas).
        Judas era filho de Tiago.

        NOEME DIAS OLHA algumas traduções trazem uma adulteração onde diz que (Judas Irmão de Tiago), porém isso não é a tradução correta, no grego original não aparece a palavra (Adelphoi) que significa (Irmão) no grego.

        Bem, agora nós sabemos o porque São Marcos e São Mateus no seus Evangelhos esquecem de citar os nomes de “Judas e Simão” como também sendo filhos de Maria de Cleofas.

        “56. Entre elas se achavam Maria Madalena e Maria, mãe de Tiago e de José, e a mãe dos filhos de Zebedeu.” (Mateus capítulo 27)

        “40. Achavam-se ali também umas mulheres, observando de longe, entre as quais Maria Madalena, Maria, mãe de Tiago, o Menor, e de José, e Salomé” (Marcos capítulo 15)

        NOEME DIAS OLHA é bem simples entender isso.

        Se Judas era filho de Tiago, Maria de Cleofas era a sua Avó e não a sua mãe, e José era seu tio e não o seu irmão.

        NOEME DIAS OLHA realmente eu não sei como vocês protestantes
        caem nas mentiras de seus pastores com seus versos isolados e fora dos contextos,

        ainda mais porque eles são adeptos da auto-interpretação Bíblica onde cada um tem o direito de interpretar a Bíblia ao seu bel prazer, sendo assim, essa informação não poderia ter passado despercebido.

        NOEME DIAS agora chegou a hora de “Simão”; que era esse Simão? Esse personagem sim ficará nas escuras, pois nenhum texto Bíblico nos fornece qualquer informação sobre os seus pais, porém podemos concluir que se trata de mais uma parente próximo a família de Jesus Cristo,

        alguns teólogos chegaram a conclusão de que se trata de Simão Zelote que também era Apostolo e São Mateus diz que ele era de Cana da Galiléia:

        “4. Simão, o cananeu, e Judas Iscariotes, que foi o traidor.” (Mateus capítulo 10)

        Sendo ele cananeu, poderia muito bem ser parente de Jesus Cristo, pois foi o mesmo local onde aconteceram as bodas de Cana e alguns teólogos dizem ter sido o casamento de um parente próximo de Jesus Cristo.

        OLHA NOEME DIAS isso é só uma teoria, o que provamos aqui é que nenhum dos quatro supostos irmãos de Jesus Cristo são filhos de Virgem Maria Santíssima e São Jose.

        Lembrando A VOCÊ NOEME DIAS que todo esse estudo sobre Judas se filho de Tiago é um estudo particular e não um ensino da Santa Igreja, a Santa Igreja segue a tradição de que “Tiago, Jose, Judas e Simão” eram filhos de Maria de Cleofas e Alfeo, seguindo assim os ensinamentos dos Pais da Igreja desde o primeiro século.

        OLHA NOEME DIAS ISSO É PATRÍSTICA Assim diz Papias no Século I:

        “(1) Maria, a mãe do Senhor; (2) Maria, a esposa de Cléofas ou Alfeu, que era mãe de Tiago, bispo e apóstolo, de Simão, de Tadeu e de um dos que se chamavam José; (3) Maria Salomé, esposa de Zebedeu, mãe de João, o evangelista, e Tiago; (4) e Maria Madalena. Estas quatro mulheres são encontradas no Evangelho. Tiago, Judas e José são filhos de uma tia do Senhor. Maria, mãe de Tiago, o menor, e José, esposa de Alfeu, era irmã de Maria, mãe do Senhor, e que João liga a Cléofas; eram irmãs por parte de pai, por parte da família do clã ou por outra ligação qualquer. Maria Salomé é chamada simplesmente por Salomé por causa de seu marido ou de seu vilarejo. Alguns afirmam que ela é a mesma pessoa que Maria de Cléofas, já que teria se casado duas vezes.” (Papias, explicações dos oraculos do senhor)

        Outros Padres da Igreja:

        “Como por uma virgem desobediente foi o homem
        ferido, caiu e morreu, assim também por meio de uma virgem obediente à palavra
        de Deus, o homem recobrou a vida. Era justo e necessário que Adão fosse
        restaurado em Cristo, e que Eva fosse restaurada em Maria, a fim de que uma
        virgem feita advogada de uma virgem, apagasse e abolisse por sua obediência
        virginal a desobediência de uma virgem.” (Santo Irineu 130-203 Contra Heresias L. 5, 19.1)

        “…corpo de Maria toda santa, sempre virgem, por uma
        concepção imaculada, sem conversão, e se fez homem na natureza, mas em separado
        da maldade: o mesmo era Deus perfeito, e o mesmo era o homem perfeito, o mesmo
        foi na natureza em Deus, uma vez perfeito e homem.” (Santo Hipólito 170-236 As obras e Fragmento VII)

        RESUMINDO NOEME DIAS NÃO CONVERSE O QUE VOCÊ NÃO SABE E NÃO CONHECE A BÍBLIA MOSTRA CLARAMENTE QUE MARIA NÃO TEVE FILHOS OS PADRES DA IGREJA DOS PRIMEIROS SÉCULOS TAMBÉM

        ATÉ MESMO LUTERO O CRIADOR DA SEITA PROTESTANTE TAMBÉM

      • Se idolatria não fosse pecado seus seguidores quando morresem iriam p/ o céu e não para o “lago de fogo com enxofre, que é a segunda morte” Livro de (Apocalipse 21 verso 8) leia também: (1COR 6 verso 9 e 10 Não sabeis que os injusto não herdarão o reino dos céus, Não erreis nem os devassos, os idólatras,os adúlteros, os efeminados,ladroes, os bêbados…herdarão o reino de Deus) Ora, se a Bíblia diz isto, que quem adora imagens não herdarão o reino de Deus, eu não vou ficar perdendo meu tempo com conversinha mole. O apóstolo Paulo disse uma vez: 2COR 13 verso 8 “Nada podemos contra a verdade, senão pela verdade” Ir contra a verdade de Deus ( sua Palavra) seria um verdadeiro suicídio. Que Deus e o Espírito Santo possa dar entendimento a todos vcs irmãos católicos !!!!!

  21. como pode os protestantes ser tão hereges cabeça dura e passar tanta vergonhas no debate e ainda insiste em querer se justificar isso é uma piada euclides junior ou Renato mostre o versículo bíblico que Deus da autoridade para homens fundar igrejas é muito facil né bande de hereses então mandem apenas um

    • DEUS NÃO DEU AUTORIDADE PARA CRIAR UM PAÍS:

      REPETINDO.

      A Igreja primitiva não havia se desviado do Evangelho, ela ensinava o que está escrito em Atos, que conta a trajetória da Igreja primitiva. Veja em Atos dos Apóstolos se alguém ali se atrevia a ensinar outro tipo de adoração senão ao Deus invisível de Israel. Jesus certa vez disse: “examinai as escrituras, porque elas testificam de mim”. Hoje temos essa liberdade porque o papa não pode mais usar o tribunal da Inquisição.
      A palavra também diz que não é por força, nem por violência, mas é pelo Espírito de Deus.

      O jargão de vocês é dizer: “Mostre-me um versículo da Bíblia onde Deus manda um homem criar uma Igreja”. Pois eu digo a todos você que Deus nunca ordenou a nenhum ser humano criar nenhuma Igreja, pois ela foi criada por Jesus Cristo, que TAMBÉM é o cabeça, e não o papa. Da mesma forma não deu autoridade para se criar papado nenhum, porque o papado foi criado por gananciosos religiosos da época que queriam monopolizar a Palavra de Deus, isso foi possível porque à época a Igreja era subsidiada por um Estado tirano – o papado não existia no primeiro século, veja em Atos.

      Flávio Josefo escreveu sua obra no primeiro século da era Cristã, e em 1568 páginas de sua obra completa não se vê registro de papado nenhum porque naquela época não existia papa. O papado foi uma mentira, um embuste muito bem criado pelas trevas para manter em cativeiro os incautos.
      Juntamente com esse embuste foi criado um Estado dentro de um Estado, o Vaticano é o menor país do mundo, e Deus não deu autoridade para nenhuma Igreja criar um País – Estamos quites até aqui?
      É da cultura do ser humano – isso de qualquer país do mundo – acreditar em fábulas, mentiras infundadas, coisas desse tipo.

      Que o diga são Jorge, um padre católico, que também era soldado romano: São Jorge , segundo a fábula, matou um dragão, dragão esse inventado pelas mentes férteis e ávidas por criarem contos. Dragão não existe e nunca existiu. Quando uma pessoa faz uma reza pra são Jorge ou qualquer santo que seja quem está recebendo aquilo é o próprio diabo, porque morto não pode ajudar nenhum ser humano vivo e vice-versa, por mais santo que tenha sido , está escrito na bíblia, e quem disse isso foi Jesus Cristo (isso é prática de espiritismo, eles fazem o mesmo na macumba). Então por que as orações têm que ser dirigidas a Ele – JESUS? Porque Ele morreu e ressuscitou no terceiro dia, e isso significa que Ele pode atender nossas orações porque está vivo.

      Não quero dizer com isso que aquele padre do passado tenha sido do diabo. Ele simplesmente não pode ajudar ninguém de onde está. O diabo é quem aproveita a situação e ri da cara de quem faz essas rezas.
      Realmente concordo que ele tenha sido um cristão porque foi torturado por não ter negado o nome de Cristo, somente de Cristo. E nem assim vocês aprendem!!

      • DEUS NÃO DEU AUTORIDADE PARA CRIAR UM PAÍS:

        RENATO DE ONDE VOCÊ TIROU ISSO FILHO DAS TREVAS ME MESMO FONTE DESSAS SUAS FABULAS

        REPETINDO.

        A Igreja primitiva não havia se desviado do Evangelho, ela ensinava o que está escrito em Atos, que conta a trajetória da Igreja primitiva. Veja em Atos dos Apóstolos se alguém ali se atrevia a ensinar outro tipo de adoração senão ao Deus invisível de Israel. Jesus certa vez disse: “examinai as escrituras, porque elas testificam de mim”. Hoje temos essa liberdade porque o papa não pode mais usar o tribunal da Inquisição.
        A palavra também diz que não é por força, nem por violência, mas é pelo Espírito de Deus.

  22. Em Atos 2 acontece a descida do Espírito Santos sobre a Igreja. Veja bem, a Igreja não é o templo contruído por mãos humanas. A Igreja é cada um que tem a unção desse Espírito, porque no dia do arrebatamento da Igreja o que vai subir não é placa de Igreja e sim aqueles que são lavados e remidos pelo san gue de Jesus, os que são batizados com o Espírito Santo.
    Qualquer pessoa que tenha recebido Jesus como único e suficiente salvador,é o que a Palavra de Deus prega, está apto a ganhar almas para o Reino de Deus.

    EU vou trazer um estudo que fala sobre o Véu do Santuário que foi rasgado com a morte de Jesus. Vocês terão uma idéia do erro que é se confessar a um homem pecador como os católicos fazem e pensam que estão sendo perdoados. O Véu do Santuário foi rasgado e podemos hoje pedir perdão de pecados diretamente a Deus em nome de Jesus.

    • RENATO VOCÊ DIZ QUE VAI FAZER UM ESTUDO MAS ESTUDO DE QUE MEU CARO RENATO VOCÊ VAI FAZER UM ESTUDO PARA AUMENTAR SUA BURRICE E SUA IGNORÂNCIA RENATO VOCÊ UM POBRE HEREGE SAIBAS QUE ESTÁ MAIS DO QUE CLARO QUE JESUS CRISTO FUNDOU A SUA IGREJA E NÃO IGREJAS E PARA TI PROVAR HEREGE SAIBAS QUE A BÍBLIA E OS APÓSTOLOS DIZEM E CONFIRMAM ISSO CLARAMENTE E EU VOU TI MOSTRAR AGORA RENATO MILHARES DE REFERÊNCIAS BÍBLICAS QUE JESUS FUNDOU SUA IGREJA SAIBAS QUE TODOS OS APÓSTOLOS TAMBÉM CONFIRMAM A IGREJA CATÓLICA COMO A IGREJA DE JESUS CRISTO RENATO POR ISSO SÃO PAULO TAMBÉM FAZ REFERENCIA AOS BISPOS PARA APASCENTAR A IGREJA CATÓLICA E ISSO TUDO RENATO ESTÁ DENTRO DA BÍBLIA E PAULO AINDA MANDA OBEDECER OS BISPOS E OS PRESBÍTEROS RENATO ESTUDE A PATRÍSTICA FILHO DA DISCÓRDIA

      HOJE AS CEITAS PROTESTANTES SÓ AUMENTAM SABE POR QUE RENATO POR QUE SEUS PASTORES PREGAM O BEL PRAZER, PREGAM A TEORIA DA PROSPERIDADE E DE VIVER UMA VIDA FÁCIL PROMETENDO TRABALHOS E REALIZAÇÕES E SE CASO O SEU CASAMENTO ESTIVER CM INFIDELIDADE VOCÊ PODE SE SEPARAR E SE CASE DE NOVO QUANTAS VEZES QUISER ETC…

      VOCÊS PROTESTANTES DECORAM VERSÍCULOS BÍBLICOS E PREGAM PARA OS VAIDOSOS E MATERIALISTAS O CAMINHO FÁCIL RENATO TENHO DÓ DESSAS PESSOAS QUE NÃO CONHECE A VERDADE RENATO A BÍBLIA DEMONSTRA CLARAMENTE QUE JESUS FUNDOU SUA IGREJA E NÃO IGREJAS SÓ QUE VOCÊ E TODOS OS PROTESTANTES SÃO FILHO DE LUTERO E NÃO ACEITA ESSA VERDADE RENATO DEIXE DE SOFISMA ACORDE

      VEJA EM

      (Atos dos Apóstolos 20,28)

      Cuidai de vós mesmos e de todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu bispos, para pastorear a Igreja de Deus, que ele adquiriu com o seu próprio sangue.

      NESSE VERSÍCULO DA BÍBLIA DIZ CLARAMENTE QUE OS BISPOS SÃO ENCARREGADOS DE PASTOREAR A IGREJA QUE JESUS FUNDOU SEU HEREGE RENATO VOCÊ QUE O ESCRITO DO QUARTA PAPA SÃO CLEMENTE ELE FALA SOBRE ISSO E SÃO CLEMENTE TEM UMA CARTA NA DENTRO DA BÍBLIA TAMBÉM

      VEJA MAIS RENATO

      VEJAM MAS COMPROVAÇÕES BÍBLICA INCONTESTÁVEIS DE QUE DESDE O PRIMEIRO SÉCULO A IGREJA CATÓLICA TINHA OS BISPOS OS PRESBÍTEROS OS DIÁCONOS E OS SACERDOTES ISSO É BÍBLICO

      HEREGE

      VEJA

      (I Timóteo 5,17)

      Os PRESBÍTEROS que desempenham bem o encargo de presidir sejam honrados com dupla remuneração, principalmente os que trabalham na pregação e no ensino.

      DE ONDE VEM ESSE ENSINO RENATO DA IGREJA CARO AMIGO VOCÊ QUER O SITE DA IGREJA DE MEGIDO QUE A ARQUEOLOGIA DESCOBRIU DATANDO SER DO ANO 30 DA ERA CRISTÃ E QUE JESUS CRISTO E SEUS APÓSTOLOS FICAVAM NELA

      VEJA MAIS PROVAS BÍBLICAS HEREGE SOBRE OS BISPOS DA IGREJA QUE SÃO ENCARREGADOS DE CUIDAR DO POVO

      VEJA

      São Tiago 5,14)
      Está alguém enfermo? Chame os sacerdotes da Igreja, e estes façam oração sobre ele, ungindo-o com óleo em nome do Senhor.
      (Sacerdócio Ministerial

      VEJA MAIS REFERENCIAS RENATO DE COMO A IGREJA CATÓLICA É BÍBLICA

      ISSO É BÍBLICO JESUS CRISTO QUERIA UMA IGREJA E ELA SE CHAMA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA

      VEJAM

      Paulo e Timóteo, servos de Cristo Jesus, a todos os santos em Cristo Jesus que estão em Filipos, com os bispos e Diaconos. Filipenses 1:1.

      AMIGO LEIA OS ESCRITOS DO PRIMEIRO E SEGUNDO SÉCULO MUITO ANTES DE CONSTANTINO TER NASCIDO A IGREJA CATÓLICA EXISTIA

      Apocalipse 1,6)

      e que fez de nós um reino de sacerdotes para Deus e seu Pai, glória e poder pelos séculos dos séculos! Amém. (Sacerdócio comum)

      ISSO É INCONTESTÁVEL É POR ISSO QUE OS PROTESTANTES NEGAM A TRADIÇÃO POIS SE ELES ESTUDAREM SERIAMENTE A BÍBLIA E OS ESCRITOS PATRÍSTICOS E OS CATÁLOGOS DOS 3 PRIMEIROS SÉCULOS ELES SE CONVERTEM AO CATOLICISMO VERDADEIRAMENTE OU VAI USAR A FARSA DE DIZER QUE IGREJA NÃO SALVA E SIM SEUS ATOS ACORDA RENATO

      VEJA MAS PROVAS BÍBLICAS

      (Filipenses 1,1)
      Paulo e Timóteo, servos de Jesus Cristo, a todos os santos em Jesus Cristo, que se acham em Filipos, juntamente com os bispos e diáconos…

      RENATO EU RECOMENDO A VOCÊ LÊ A GRANDÍSSIMA OBRA

      DE Eusébio de Cesareia 265 D.C. História Eclesiástica (Eusébio)
      NESSA GRANDÍSSIMA OBRA HISTÓRIA ECLESIÁSTICA VOCÊ VAI CONHECER UM POUCO MELHOR
      A ÚNICA IGREJA VERDADEIRA SÃO MAIS OU MENOS 5000 MIL PAGINAS PARA VOCÊ LÊ

      AGORA VEJAM AQUI MAIS CLARÍSSIMAS PROVAS BÍBLICAS VINDAS DO PRÓPRIO APÓSTOLO DE JESUS CRISTO SOBRE A IGREJA E SAIBAM QUE DESDE O PRINCÍPIO DO CRISTIANISMO A IGREJA JÁ POSSUÍA OS SEUS BISPOS PRESBÍTEROS DIÁCONOS E SACERDOTES

      RENATO VEJA O QUE SÃO PAULO DIZ COMPROVANDO ISSO

      São Tiago 5,14)
      Está alguém enfermo? Chame os sacerdotes da Igreja, e estes façam oração sobre ele, ungindo-o com óleo em nome do Senhor.
      (Sacerdócio Ministerial

      ISSO É INCONTESTÁVEL HEREGE ME MOSTRE ESTUDOS DA ÉPOCA PADRES DA IGREJA QUE DISSE OUTRA COISA POBRE E INFELIZ CRIATURA

      VEJAM MAIS PROVAS

      (Tito 1,7)

      Porquanto é mister que o bispo seja irrepreensível, como administrador que é posto por Deus. Não arrogante, nem colérico, nem intemperante, nem violento, nem cobiçoso.

      QUEM É ESSE BISPO HEREGE UM PASTOR PROTESTANTE QUE NÃO É SÃO OS BISPOS DA IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA

      CARO RENATO SE VOCÊ QUERER INUTILMENTE CONTESTAR ISSO AMIGO EU TI DOU UMA LISTA DE MAIS 30 NOMES DE PADRES DA IGREJA E BISPOS DO PRIMEIRO E SEGUNDO SÉCULO QUE ESCREVERAM VÁRIOS LIVROS CARTAS E EPÍSTOLAS TESTIFICANDO A IGREJA CATÓLICA COMO A IGREJA DE CRISTO

      VEJA MAIS PROVAS (I Timóteo 3,1)

      Eis uma coisa certa: quem aspira ao episcopado, saiba que está desejando uma função sublime.

      MAIS PROVAS AMIGOS

      Ora, rogamo-vos, irmãos, que reconheçais os que trabalham entre vós, presidem sobre vós no Senhor e vos admoestam. 1 Tessalonicenses 5:12.

      MAS PROVAS AMIGOS

      Fiel é esta palavra: Se alguém aspira ao episcopado, excelente obra deseja. É necessário, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma só mulher, temperante, sóbrio, ordeiro, hospitaleiro, apto para ensinar. 1 Timóteo 3:1-2.

      MAIS PROVAS CLARAS AMIGO

      Pois é necessário que o bispo seja irrepreensível, como despenseiro de Deus, não soberbo, nem irascível, nem dado ao vinho, nem espancador, nem cobiçoso de torpe ganância. Tito 1:7.

      ISSO É INCONTESTÁVEL JESUS CRISTO SÓ FUNDOU UMA SÓ IGREJA E NÃO IGREJAS OS APÓSTOLOS MOSTRAM ISSO OS PADRES DA IGREJA TAMBÉM NÃO EXISTE UM NÃO DE DÚVIDA

      OLHEM MAIS PROVAS CLARAS BIBLICAMENTE QUE SÓ CONFIRMAM ISSO

      Paulo e Timóteo, servos de Cristo Jesus, a todos os santos em Cristo Jesus que estão em Filipos, com os bispos e Diaconos. Filipenses 1:1.

      MAIS PROVAS CLARAS QUE MOSTRA A IGREJA CATÓLICA
      SE UM PROTESTANTE QUERER REFUTAR ISSO ELE TERIA QUE TENTAR MUDAR TODA UMA HISTÓRIA

      VEJAM

      Obedecei a vossos guias, sendo-lhes submissos; porque velam por vossas almas como quem há de prestar contas delas; para que o façam com alegria e não gemendo, porque isso não vos seria útil. Hebreus 13:17.

      A PRÓPRIA BÍBLIA MOSTRA QUE EXISTE OS BISPOS DIÁCONOS E PRESBÍTEROS PERTENCENTES A IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA VEJA O QUE DIZ IGNÁCIO

      Sejam obedientes ao bispo e os uns aos outros, como Jesus Cristo o era ao Pai [segundo a carne], e como os Apostolos o eram a Cristo e ao Pai, para que possa ter união da carne e o espírito. Ignácio (FALECIDO NO ANO 105 DA ERA CRISTÃ)

      VEJAM PROVAS CLARISSIMAS DA IGREJA VERDADEIRA

      Hebreus 12-23 à universal assembléia e igreja dos primogênitos inscritos nos céus, e a Deus, o juiz de todos, e aos espíritos dos justos aperfeiçoados;

      Assembléia = Igreja

      Universal = Católica

      A Igreja Católica (o termo “católico”, derivado da palavra grega: καθολικός (katholikos), significa “universal” ou “geral”),

      VEJAM QUE EM
      Mateus 16,18 Jesus afirma isso de construir sua igreja

      Vejam

      “Também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.”

      É REALMENTE CLARO QUE JESUS FUNDOU A SUA IGREJA
      VEJAM QUE

      Jesus realmente prometeu que o Espírito Santo estaria com Sua Igreja e a ensinaria para sempre (cf. João 14,16-17)!

      (Atos dos Apóstolos 20,28)

      Cuidai de vós mesmos e de todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu bispos, para pastorear a Igreja de Deus, que ele adquiriu com o seu próprio sangue.

      VEJAM MAIS PROVAS DE JESUS TER FUNDANDO UMA IGREJA E NÃO IGREJAS

      VEJAM

      Jesus Cristo disse: “Haverá um só Pastor e um só Rebanho (cf. Jo 10,16).

      Olhem o que Jesus diz para os seus Apóstolos

      “É me dado todo poder no Céu e na terra; ide pois, e ensinai a todos os povos e eis que estou convosco todos os dias até a consumação do mundo” (Mateus 28,19-20)

      VEJAM

      MAIS REFERENCIAS CLARAS

      OLHEM O QUE DIZ SÃO PAULO

      Só a verdade liberta e a Igreja é coluna e firmeza da verdade (1Timóteo 3,15)

      Agora desejo perguntar a todos os não-Católicos por favor, me mostre um versículo(s) na Sagrada Escritura que dá autoridade para qualquer pessoa fundar outra igreja que não aquela única de Mateus 16,18.

      ACORDA RENATO DEIXA DE LOROTA HEREGE

      PEGUE ESSES ESCRITORES ELES TEM LIVROS E OBRAS E É MUITO ANTES DE CONSTANTINO
      E MAIS PARE DE LÊ ESCRITORES HEREGES DO ANO DE 1560 PARA FRENTE ISSO É UMA PIADA LEIA ESSES AQUI HEREGE LEMBRANDO A VOCÊ RENATO TODOS ESSES BISPOS E PADRE DA IGREJA QUE TI MANDEI AGORA ELES POSSUEM VÁRIAS OBRAS LIVROS EPÍSTOLAS E CARTAS

      São Firmiliano (feleceu no ano 268 da era cristã)

      São Gregorio Taumaturgo (faleceu no ano 268 da era cristã)

      São Cornélio (faleceu no ano 253 da era cristã)

      São Dionísio (faleceu no ano 268 da era cristã)

      Novaciano (faleceu no ano 257 da era cristã)

      São Panteno De Alexandria feleceu no ano 200 da era cristã)

      o Clemente de Roma (nasceu no ano 30 e faleceu no ano 102 da era cristã),

      Santo Inácio de Antioquia (nasceu no ano 35 e faleceu no ano 110 da era cristã)

      Aristides de Atenas falecido no ano 130 da era cristã) foi um dos primeiros apologistas cristãos; obra conhecida Apologia de Aristides.

      São Policarpo (nasceu em 69 e faleceu no ano 156 da era cristã)

      Hermas (faleceu no ano 160 da era cristã)

      Didaquè (ou Doutrina dos Doze Apóstolos) é como um antigo catecismo, redigido entre os anos 90 e 100, na Síria, na Palestina ou em Antioquia. Traz no título o nome dos doze Apóstolos. Os Padres da Igreja mencionaram-na muitas vezes em suas obras.

      São Justino (nasceu no ano 100 e faleceu no ano 165 da era cristã)

      Santo Hipólito de Roma (nasceu em 160 e faleceu no ano 235 da era cristã) d

      Melitão de Sardes (falecido no ano 177 da era cristã)

      Atenágoras (falecido no ano 180 da era cristã)

      São Teófilo de Antioquia (nasceu no ano 120 e faleceu no ano 180 da era cristã)

      Santo Ireneu de Lyon(nascido no ano 130 e faleceu no ano 202 da era cristã)

      São Clemente de Alexandria (falecido no ano 215 da era cristã)

      Orígenes (nasceu no ano 184 e faleceu no ano 254 da era cristã)

      Tertuliano de Cartago (nasceu no ano 160 e faleceu no ano 220 da era cristã)

      São Cipriano (faleceu no ano 258 da era cristã)

      Zeferino falecido no ano 217 da era cristã)

      Urbano nascido no ano 175 e faleceu no ano 230 da era cristã)

      PAPÍAS nasceu no ano 60 e faleceu no ano 130 da era cristã )

      MARCO MINUCIO FELIX
      (nasceu no ano 150 e faleceu no ano 215 da era cristã)

      TACIANO (nasceu no ano 120 e faleceu no ano 180 da era cristã)

      ESPERO QUE VOCÊ ESTUDE HEREGE MAIS NÃO EM FANTASIAS E FABULAS ACORDE HEREGE JESUS CRISTO FUNDOU SUA IGREJA DE NOME CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA

      • È lamentavel o plano satanico em que os teologos catolicos e os tradutores a serviço da Roma Papal para destruir a santa palavra de Deus , a Biblia!!
        Essa turma destroi e corrompe o TEXTO origina l grego com uma traduçao fajuta e pifia.EM TIAgo 5,14 ,traduzem “presbiteros,” para “Sacerdotes.”Nenhuma traduçao biblica contem essa traduçao “sacerdote”.Das traduçoes biblicas SOicedade Britnica, TRaduçao ALmeida corrigida,Tradução Inerncaional , nehnhuma traduz ‘sacerdtotes.”MAs os catolicos rasgam o txto original PARA SUA PROPRIA CONDENAÇÃO !!

        • AMIGO EUCLIDES JUNIOR HEREGE VOCÊ TA AINDA AQUI PAGADOR DE VEXA
          VAI ESTUDAR POBRE HEREGE NÃO EXISTE UMA SÓ ADULTERAÇÃO BÍBLICA CATÓLICA
          NA IGREJA CATÓLICA AGORA EM VOCÊS CEITAS PROTESTANTES SÃO MILHARES

          VOU TI MOSTRAR SÓ UM POUQUINHO DA PODRIDÃO DO DOS HISTORIADORES E PASTORES PROTESTANTES QUE PENA QUE VOCÊ CONTINUA LENDO FABULAS EU JÁ TI FALEI VAI NAS TRADUÇÕES ORIGINAIS PARA VOCÊ MESMO VÊ SE VOCÊ CONTINUAR A LÊ EM BÍBLIAS PROTESTANTES É CLARO QUE ELES VAI ADULTERAR E ESCONDER O PODRE DE VOCÊS VAI NAS TRADUÇÕES VAI NA FONTE ALMA ERRANTE

          VEJA AÍ UM POUCO DO PODRE DE VOCÊS

          SAIBAS EUCLIDES JUNIOR QUE

          Foram terríveis os prejuízos causados pelos tradutores protestantes em todas as suas tentativas de traduzir as Sagradas Escrituras. A incompetência, aliada muitas vezes a má fé, causou danos irreparáveis aos ensinamentos de Jesus Cristo na terra contribuindo decisivamente para a dispersão de seu rebanho. Acompanhe abaixo cada tradutor protestante e seu atentado às Escrituras:Lutero
          Na Alemanha, já havia 30 diferentes edições católicas alemãs da Bíblia*, mas, Lutero, fundando o protestantismo, resolveu fazer sua tradução e adulterou Romanos 1,17, onde diz que “o justo viverá pela fé”. Ele acrescentou a palavra alemã “allein” que significa “somente”, e passou a pregar que o justo “viverá SOMENTE pela fé”. Foi o modo desonesto que ele achou para justificar sua nova religião do “Sola fide”. Ele mesmo confirmou esta adulteração, quando cheio de ódio disse: ”Se um papista lhe questionar sobre a palavra ‘somente’, diga-lhe isto: papistas e excrementos são a mesma coisa. Quem não aceitar a minha tradução, que se vá. O demônio agradecerá por esta censura sem minha permissão.” (Amic. Discussion, 1, 127,’The Facts About Luther,’ O’Hare, TAN Books, 1987, p. 201). – * (Imperial Encyclopedia and Dictionary © 1904 Vol. 4, Hanry G. Allen & Company), (Holman Bible Dictionary © 1991).

          A carta de Tiago que condena o “Somente a fé” em (2,20), (2,14-16) e (2,21-22), foi assim tratada pelo dito “reformador”: ”A carta de Tiago é uma carta de palha, pois não contém nada de evangélico.” (‘Preface to the New Testament,’ ed. Dillenberger, p. 19.).

          Hoje, discretamente retiraram o “somente” das traduções protestantes posteriores, mas a doutrina de Lutero (sola fide) é a essência do protestantismo. Continua o jeito fácil de salvar-se, “somente” tendo fé, como determinou Lutero: “Seja um pecador e peque fortemente, mas creia e se alegre em Cristo mais fortemente ainda…Se estamos aqui (neste mundo) devemos pecar…Pecado algum nos separará do Cordeiro, mesmo praticando fornicação e assassinatos milhares de vezes ao dia”. (Carta a Melanchthon, 1 de agosto de 1521 – American Edition, Luther’s Works, vol. 48, pp. 281-82, editado por H. Lehmann, Fortress, 1963).

          Zwinglio

          Zwínglio foi além, na sua tradução alemã, ousou adulterar as mais importantes palavras de Jesus Cristo, com visível intenção de eliminar sua presença na Eucaristia. Colocou a palavra “significa”, onde Jesus diz que o pão “É” seu Corpo e o vinho “É” seu Sangue. Veja o repúdio de um autor protestante da época: “Não é possível de modo algum excusar este crime de Zwínglio; a cousa é por demais manifesta; (…) Não o podeis negar nem ocultar porque andam pelas mãos de muitos os exemplares dedicados por Zwinglio a Francisco, rei de França, e impressos em Zurique no mês de março de 1525. Na aldeia de Munder, na Saxônia, no ano 60 eu vi na casa do reitor do colégio, Humberto, não sem grande maravilha e perturbação, exemplares da Bíblia alemã, impressas em Zurique, onde verifiquei que as palavras do Filho de Deus haviam sido adulteradas no sentido dos sonhos de Zwinglio. Em todos os quatro lugares (Mt., 26; Mc., 14; Lc., 22; I cor., 11) em que se referem as palavras da instituição do Filho de Deus, o texto achava-se assim falseado: Das bedeutet meinen Leib, das bedeutet meinen Blut, isto significa o meu corpo, isto significa o meu sangue.” (Conr. Schluesselburg, op. cit. f. 44 a.) (citações em padre Leonel Franca, op. cit., pág. 211).

          Lutero levantou-se contra Zwinglio, e disse que ”“é “ não pode ser traduzido por “significa””. (Uma Confissão a respeito da Ceia de Cristo – Von Abendmahl Christi, Bekenntnis WA 26, 261-509, LW 37. 151-372, PEC 287-296. – SASSE, H. Isto é o meu Corpo, p. 107). Citado em: http://www.seminarioconcordia.com.br/Artigos_Prunzel/A_Santa_Ceia%20_em_Lutero.mht

          Eles corrigiram isso nas versões protestantes seguintes. Mas, até hoje os pastores pregam que “significa”.

          Tyndale

          Tyndale foi outro falsário protestante, por isso, morto por um decreto do imperador em Augsburg. O rei Henrique VIII já havia condenado em 1531 a “bíblia” de Tyndale como uma corrupção da Escritura. Nas palavras dos conselheiros do rei: “a tradução da Escritura corrompida por Tyndale deveria ser totalmente expelida, rejeitada e deveria ficar fora das mãos das pessoas…”. Para se pensar, que as “bíblias” protestantes de Tyndale ou Lutero fossem tão boas, por que os protestantes europeus hoje não as usam como fazem com a King James? São Thomas More, que viveu naquele tempo comentou que, procurar erros na “bíblia” de Tyndale era semelhante a procurar água no mar. (Henry G. Graham, Where We Got The Bible (TAN Books, 1977) pp. 128,130).

          Miguel Servet

          Miguel Servet foi outro protestante que morreu por corromper ao traduzir as Escrituras. João Calvino, o principal “reformador” protestante em 1522, obteve tantas cópias quanto pôde ter achado da Bíblia protestante de Miguel Servet para serem queimadas, já que Calvino não a aprovou. Depois Calvino queimou o próprio Miguel Servet na estaca. (Henry G. Graham, Where We Got The Bible (TAN Books, 1977) p. 129).

          William Shakespear

          William Shakespear, aquele da caveirinha, nasceu em 1564, e quando tinha 46 anos, em 1610, participou da tradução da Bíblia protestante do Rei Tiago (King James Version – KJV, publicada em 1611), e maliciosamente forçando a tradução, ele deixou autografado seu sobrenome no Salmo 46. Usando uma Bíblia KJV, localize o Salmo 46 e conte 46 palavras a partir do início: você encontrará a palavra “shake”. Vá agora para o final do mesmo Salmo e conte 46 palavras a partir da última voltando: você encontrará agora a palavra “spear”. Junte-as, e você obterá “Shakespear” (veja abaixo).

          SALM 46 (King James Version):

          “God is our refuge and strength, a very present help in trouble. Therefore will not we fear, though the earth be removed, and though the mountains be carried into the midst of the sea; Though the waters thereof roar and be troubled, though the mountains shake with the swelling thereof. Selah. There is a river, the streams whereof shall make glad the city of God, the holy place of the tabernacles of the most High. God is in the midst of her; she shall not be moved: God shall help her, and that right early. The heathen raged, the kingdoms were moved: he uttered his voice, the earth melted. The Lord of hosts is with us; the God of Jacob is our refuge. Selah. Come, behold the works of the Lord, what desolations he hath made in the earth. He maketh wars to cease unto the end of the earth; he breaketh the bow, and cutteth the spear in sunder; he burneth the chariot in the fire. Be still, and know that I am God: I will be exalted among the heathen, I will be exalted in the earth. The Lord of hosts is with us; the God of Jacob is our refuge”. (Charles The Hammer – Fonte: Catholic Apologetics .Net ).

          E assim o malandro Shakespear fez sua travessura, nos Salmos da bíblia inglesa protestante. Apesar do descalabro acima, esta é tida pelos protestantes como sua melhor tradução. Isso porque foi literalmente traduzida da Vulgata Católica de São Jerônimo. O crítico bíblico protestante, George Campbell, disse: “A vulgata é, no geral, uma versão boa e fiel”. ( Fonte: Lista Apologética Aplicada).

          João Ferreira de Almeida

          João Ferreira de Almeida, um protestante adolescente de 16 anos de idade, de origem portuguesa (que não era padre coisa nenhuma, mas usava esse título para ganhar credibilidade), afirmava ter feito a primeira tradução em língua portuguesa da Bíblia, diretamente dos originais em hebraico e grego. O que não é verdade.

          Este, nunca teve a mão os originais da bíblia, mas, escritos do séc. XVI de Erasmo de Roterdam. Também valeu-se de traduções católicas em vários idiomas, como atesta a Enciclopédia Wikipédia: “João Ferreira de Almeida lançou-se num enorme projecto: a tradução do Novo Testamento para o português usando como base parte dos Evangelhos e das Cartas do Novo Testamento em espanhol da tradução de Reyna Valera, 1569. Almeida usou também como fontes nessa tradução, as versões: Latina (de Beza), Francesa [Genebra, 1588] e Italiana [Diodati 1641] – todas elas traduzidas do grego e do hebraico. O trabalho foi concluído em menos de um ano quando Almeida tinha apenas 16 anos de idade.” http://pt.wikipedia.org/wiki/Jo%C3%A3o_Ferreira_de_Almeida

          A tradução do NT do adolescente João Ferreira tinha tantos erros, que os revisores passaram quatro anos tentando corrigir o que ele fez em menos de um. Ele morreu em 1691, sem completar o VT, e outro continuou a desastrada missão. Antes de morrer, João Ferreira publicou uma lista de mais de mil erros em seu Novo Testamento, e Ribeiro dos Santos afirma serem mais. (Ribeiro dos Santos foi um importante historiador do protestantismo brasileiro. Ele era pastor presbiteriano).

          Hoje, os erros aumentaram, incluindo os de gramática, com frases inteiras erradas, tanto pela fraseologia quanto pela ortografia e sintaxe. Em (Êxodo 9,24), (I Samuel 18,22) e (I Cor 4,3) a palavra espanhola “mui” aparece com grande freqüência do VT ao NT, provando que a tradução não foi dos originais, mas, surrupiada de versões latinas.

          As novas edições do adolescente João Ferreira, trazem muitos velhos erros, apesar de aparecer escrito na página inicial de cada volume, as frases: “EDIÇÃO REVISTA E CORRIGIDA”, ALMEIDA CORRIGIDA E FIEL. Tais expressões significam, em bom português, que o que foi impresso trouxe sempre erros e mais erros, a ponto de a própria legítima Palavra de Deus ter tido a necessidade de ser examinada de novo (revista) e “corrigida” por seres humanos incapazes, dando a entender que essa Palavra revelada pela Escritura Sagrada, no Antigo e no Novo Testamento, continha erros e precisou ser CORRIGIDA!

          Em 1819, a Bíblia iniciada e não terminada por João Ferreira de Almeida foi publicada em um só volume pela primeira vez, com o título:

          <>

          Note que 128 anos depois da morte de João Ferreira, que usava o título de “padre” para ganhar credibilidade, os protestantes, continuaram usando esse mesmo falso título, para dar credibilidade a sua bíblia ainda hoje infestada de erros. Alguns dizem que ele usava o título de “padre” ingenuamente, porque eram assim também chamados os missionários protestantes. Mas ingênuo mesmo, é quem crê numa marmelada destas.

          Como se não bastasse as distorções das Sagradas Escritura, eles também a mutilaram arrancando-lhe sete livros.
          Até o início do séc. XVII, os deuterocanônicos estavam lá nas Bíblias protestantes. Dá uma conferida na edição protestante KJV de 1611, e veja que nela estavam TODOS OS DEUTEROCANÔNICOS. Somente após a morte do Rei Tiago é que os protestantes resolveram “reformar” sua bíblia, ARRANCANDO-LHE definitivamente os deuterocanônicos, e os tachando erroneamente de “apócrifos”, por contrariarem suas doutrinas humanas. E ainda espalharam a mentira de que a Igreja os teria inserido no Concílio de Trento. Para desmascará-los, basta ver tais livros no índice de bíblia de Gutemberg, impressa quase um século antes deste Concílio. Veja:
          http://www.hrc.utexas.edu/exhibitions/permanent/gutenberg/web/pgstns/13.html

          Corrigindo os protrestantes: <> sempre significou: [escritos de assunto sagrado não incluídos pela Igreja no Cânon das Escrituras autênticas e divinamente inspiradas,] (Dicionário Enciclopédia. Encarta 99). Ou seja, são os livros que ficaram fora do Cânon da Igreja. Esses é que são os espúrios, ocultos etc, etc..

          Já os deuterocanônicos, estão sim no Cânon cristão. Confira: já escrevia Santo Agostinho, no ano 397: “… O cânon inteiro da Bíblia é o seguinte: os cinco livros de Moisés, ou seja, Gênese, Êxodo, Levítico, Números, Deuteronômio,… Tobias, Éster e Judite, e os dois livros de Macabeus,… Para dois livros, Sabedoria e Eclesiástico, é designado Salomão como autor, mas nossa provável opinião é que foram escritos por Jesus, o filho de Sirac,… Baruque,…” (Santo Agostinho, Sobre a Doutrina Cristã, livro 2, cap. 8, 13 ano 397).

          Virginia Mollenkott

          Durante os anos em que a bíblia protestante NIV (Nova Versão Internacional), esteve sendo preparada (1968-1978), trabalhou na comissão Virginia Mollenkott. Ela declarou sem a menor cerimônia: “Meu lesbianismo sempre tem sido parte de mim…” (New International Version – What today’s Christian needs to know about the NIV, G.W. & D.E. Anderson, article no. 74 TBS).
          Declarou ainda a tradutora protestante: “Até onde eu sei, ninguém incluindo o Dr. Palmer suspeitava que eu era lésbica enquanto eu estava trabalhando na NIV; era informação que eu mantinha privada naquela época”. (Carta de Virginia Mollenkott a Michael J. Penfold datada em 18 Dez. 1996).

          Como resultado natural de seu homossexualismo, Virginia Mollenkott certamente influenciou o texto da NIV, que suprimiu palavras contundentes sobre a condenação que o Senhor faz à prática homossexual. A mais escancarada foi em 1Cor 6,10 onde as palavras “efeminados” e “sodomitas” [em grego literalmente “arsenokoites” – homem que pratica coito com outro homem], foram retiradas e substituídas por “male prostitutes” (homens prostitutos) e “homosexual offenders” (ofensores de homossexuais!). Veja, agora, que se você prega para um homossexual que ele está em pecado quando pratica o homossexualismo, você o está ofendendo e você é que está cometendo o pecado imperdoável!!!

          A corrupção foi tanta, que 64.576 palavras estão faltando na corrupta NVI e DEZESSETE VERSOS INTEIROS! Veja a lista:

          Em Mateus: 3 versos: 17:21, 18:11 e 23:14.
          Em Marcos: 5 versos: 7:16, 9:44, 9:46, 11:26 e 15:28.
          Em Lucas: 2 versos: 17:36, 23:17.
          Em João: 1 verso: 5:4.
          Em Atos: 4 versos: 8:37, 15:34, 24:7, 28:28,
          Em Romanos: 1 verso: 16:24 e
          Em 1João: 1 verso: 5:7.
          Total: 17 versos subtraídos!

          A NVI foi lançada no Brasil, e certamente é a preferida das igrejas evangélicas gays: ‘Sinos de Belém’ e ‘Acalanto’. Ótima, para as corriqueiras cerimônias “matrimoniais” gays da igreja presbiteriana.

          E assim vai o povo errante do “Somente a fé”, do “significa”, dos falsários mortos, do errático tradutor de dezesseis anos que dizia-se “padre”, do “revista e corrigida”, do “ corrigida e fiel”, do Shakspear, do arranca livros e da lésbica tradutora, chamando o Todo Poderoso Deus, de “El Shadai”(???), de “Jeová” (???), ou qualquer outra coisa que os corruptores determinarem. O problema como vimos, é que seus ludibriados leitores viciam na palavra errada.

          O Reverendo. Dr. Aked, ministro batista, declarou à “Appleton’s Magazine,” em setembro de 1908:
          “Nas páginas da versão protestante da Bíblia será achado erros históricos, enganos aritméticos, inconsistências e contradições múltiplas, e, o que é longe pior, a pessoa acha que os crimes mais horríveis são cometidos por homens que falam: ‘Deus disse,’ em justificação de seus terríveis atos. Além disso, a Bíblia inglesa é uma versão de uma versão que é uma tradução de uma tradução. Veio do hebraico, grego e latim em inglês. Em todas suas fases antigas foi copiada à mão de um manuscrito a outro por escritores diferentes, um processo que resultou em muitos enganos”.

          Corrompendo e mutilando a Bíblia, Lutero e seus seguidores caem sob a maldição da própria Bíblia, que diz:
          ” Eu declaro a todos aqueles que ouvirem as palavras da profecia deste livro: se alguém lhes ajuntar alguma coisa, Deus ajuntará sobre ele as pragas descritas neste livro; E se alguém dele tirar qualquer coisa, Deus lhe tirará a sua parte da árvore da vida e da Cidade Santa, descritas neste livro.” (Apoc. 22,18-19).

          “É que de fato, não somos, como tantos outros, falsificadores da palavra de Deus. Mas é na sua integridade, tal como procede de Deus, que nós a pregamos em Cristo, sob os olhares de Deus.” (2 Cor. 2,17).

          • BOm dia amads leitores.IRmao, voce relamente é convertido a CRisto??ANalise suas palavras cheias de ódio e acusações difamatorias.COlega, deixa de copiar textos elaborados pelos teologos romanistas e seja mais original.EStude e procure compor uma peça mais pessoal, genuina ..O plágio de escritos demonstara falta de cultura, de preparo de até inteligencia para refutar.Nao tm jeito,os catolicos vivem deuma alienaão só.O QUE O CRENTE Tem a ver com as traduçoes de Lutero?SE foi homicida, prostituo , ISSO NAO INTERESSA AOS CRENTES :NAo ACeitamos a LUTERO>ACEITAMOS A CJESUS;Agora, claro, admitimos que Lutero foi um reformador, um homem corajoso e até de certa forma, USado por Deus para alertar o probema da apostasia e da corrupção generalizada a qual vivia o regieme papal a epoca;IRmao,o desespero causa um mito.DE onde o irmao tirou essa ideia de que os crente utiliam a Biblia traduzida por Lutero.DE onde o irmao tirou esse tipo de devaneio?IRmao,vemoa ser honestos por que o paida mentira é satanas.;Nao seja usado pelo diabo, irmao.Bem,a Biblia que a esmagadora maioria dos evangelicos utiliza, tem a traduçao fiel do grego e aramaico.ORa, aTRADUÇAO DE JAO DE ALMEIDA é uma das mais fieis.EXatamente as mesmas usadas pela SOciedad Biblica Britanica , INTernational e TODAS <TODAS nunca citam Romanos 1,17 assim traduzido por voce .VEjamos.Porque nele se descobre a justiça de Deus de fé em fé, como está escrito: Mas o justo viverá da fé.
            Romanos 1:17.
            NEstem link esta a prova.
            http://www.bibliaonline.com.br/acf+vc/rm/1

            Portano ; CAI mais uma farsa de um irmao que se diz convertido a CRisto mais que pelo uso da mentira e disfarcatez, ataca por atacar.carencendo de misericordia e oraçao .

            VAi se converter, irmao.JESUS TE AMA!!

        • EUCLIDES ALÉM DE PROTESTANTE ANALFABETO E HEREGE VOCÊ NÃO TOMA VERGONHA NA CARA MESMO CARA VOCÊ É REFUTADO MILHARES DE VEZES E AINDA CONTINUA NA MESMA BURRICE E BLASFÊMIA VOCÊ E NENHUM PROTESTANTE PASTOR TEM AUTORIDADE PARA DESIGNAR E FALAR O NOME E O QUE É SACERDOTES OU PRESBÍTEROS

          AS BÍBLIAS PROTESTANTES AGORA SIM SÃO ADULTERADAS DEIXA DE SER CARA DE PAU ESTUDE HEREGE NAS FONTES VOU MAS UMA VEZ DESMASCARAR VOCÊ FILHO DA PERDIÇÃO QUE NÃO APRENDE NUNCA E SEMPRE TENTA ARRUMAR UMA DESCULPA ESFARRAPADA

          OLHA EUCLIDES JUNIOR

          Pedro era um simples presbítero?

          VAMOS LÁ

          Em vários sítios de apologética protestantes, muitos textos contra o primado de Pedro vêm falando que Pedro Príncipe dos Apóstolos se denominava um simples presbítero logo não gozava de nenhuma suprema autoridade sobre a Igreja, o que não lhe fazia em nada um Papa, apenas um simples sacerdote da Igreja.

          EUCLIDES JUNIOR VEJA BEM
          O texto em que se baseiam é 1 Pedro 5, 1 onde lêem “Aos presbíteros, que estão entre vós, admoesto eu, que sou também presbítero com eles, e testemunha das aflições de Cristo, e participante da glória que se há de revelar:” (Tradução João Almeida)

          Presbitero em algumas Igreja protestantes “reformadas” diz respeito ao líder espiritual de uma comunidade, algumas outras afirmam que presbitero é um pastor.

          Na Igreja católica o título prebítero é vulgarmente atribuido aos padres ordenados.

          Mas será que Pedro quis dizer realmente que ele era um presbítero no sentido de um simples pastor da Igreja? Vamos fazer uma exegese mais acurada do texto em grego:

          Πρεσβυτέρους τοὺς ἐν ὑμῖν παρακαλῶ ὁ συμπρεσβύτερος καὶ μάρτυς τῶν τοῦ χριστοῦ παθημάτων, ὁ καὶ τῆς μελλούσης ἀποκαλύπτεσθαι δόξης κοινωνός· (1Pe 5, 1 )

          A palavra Πρεσβυτέρους (do grego antigo “πρεσβύτερος” de “πρέσβυς”) em negrito no texto, apesar de se pronunciar como “presbíteros” tem sua tradução não como “presbítero” como vulgarmente entendemos hoje, como um simples sacerdote da Igreja, mas sua real tradução significa, “Ancião”, logo Pedro não estava falando como um simples presbítero como imaginamos hoje, mais sim como um ancião que foi testemunha da paixão de Cristo.

          E um presbítero , nas igrejas cristãs primitivas, era cada um dos anciãos aos quais era confiado o governo da comunidade cristã.

          EUCLIDES JUNIOR SAIBAS QUE
          A palavra hebraica equivalente é za·qen e identificava os líderes do Antigo Israel, quer no Âmbito de uma cidade, da tribo ou em nível nacional.

          PRESTE ATENÇÃO HEREGE EUCLIDES JUNIOR QUE
          Segundo o dicionário grego temos:

          1. De idade avançada, freqüentemente subst. Pessoa (mais) velha Lc 15, 25; Jo 8, 9; At 2, 17; 1 Ti 5, 1b. De um período de tempo οἱ π. Homem antigo, nossos ancestrais Mt 15, 2; Mc 7, 3, 5; Hb 11, 2.

          2. Como uma designação de um oficial idoso. presbitero.

          Logo nenhuma tradução possível se encaixa como presbítero no sentido que entendemos hoje, de sacerdote, padre ou pastor.

          EUCLIDES HEREGE PRESTE ATENÇÃO E
          Agora vamos analisar quantas vezes esta palavra Πρεσβυτέρους se repete na bíblia e a tradução João Almeida a traduz como ancião e não como presbítero:

          Entre Judeus

          Mt 16, 21

          Grego:

          Ἀπὸ τότε ἤρξατο ὁ Ἰησοῦς δεικνύειν τοῖς μαθηταῖς αὐτοῦ ὅτι δεῖ αὐτὸν ἀπελθεῖν εἰς Ἱεροσόλυμα, καὶ πολλὰ παθεῖν ἀπὸ τῶν πρεσβυτέρων καὶ ἀρχιερέων καὶ γραμματέων, καὶ ἀποκτανθῆναι, καὶ τῇ τρίτῃ ἡμέρᾳ ἐγερθῆναι.

          João Almeida :

          “Desde então começou Jesus a mostrar aos seus discípulos que convinha ir a Jerusalém, e padecer muitas coisas dosanciãos, e dos principais dos sacerdotes, e dos escribas, e ser morto, e ressuscitar ao terceiro dia.”

          Mt 27:41

          Grego:

          “ Ὁμοίως δὲ καὶ οἱ ἀρχιερεῖς ἐμπαίζοντες μετὰ τῶν γραμματέων καὶ πρεσβυτέρων καὶ Φαρισαίων ἔλεγον”

          João Almeida:

          “E da mesma maneira também os príncipes dos sacerdotes, com os escribas, e anciãos, e fariseus, escarnecendo…”

          A mesma coisa se repete em Mc 14, 43, 53; Lc 7, 3; 9, 22; At 4, 23; 6, 12.

          Entre os Cristãos

          At 11, 30

          Grego

          “ ὃ καὶ ἐποίησαν, ἀποστείλαντες πρὸς τοὺς πρεσβυτέρους διὰ χειρὸς Βαρνάβα καὶ Σαύλου.”

          João Almeida

          “O que eles com efeito fizeram, enviando-o aos anciãos por mão de Barnabé e de Saulo.”

          At 14, 23

          Grego:

          “ Χειροτονήσαντες δὲ αὐτοῖς πρεσβυτέρους κατ᾽ ἐκκλησίαν, προσευξάμενοι μετὰ νηστειῶν, παρέθεντο αὐτοὺς τῷ κυρίῳ εἰς ὃν πεπιστεύκεισαν. ”

          João Almeida:

          ”E, havendo-lhes, por comum consentimento, eleito anciãos em cada igreja, orando com jejuns, os encomendaram ao SENHOR em quem haviam crido.”

          A mesma coisa se repete em 1 Tm 5:17,19; Tt 1, 5; Js 5, 14; 1 Pd5:5; 2 Jo 1; 3 Jo 1; Ap 4:4; 7:11.

          NOTE BLASFEMO EUCLIDES JUNIOR QUE
          Logo vemos que a Tradução João Almeida nada mais passa do que uma tradução tendenciosa. A palavraπρεσβυτέρους (ancião) se repete quase que 30 vezes no novo testamento e somente na que Pedro de refere a ele mesmo, a “João Almeida” traduz como presbítero. Logo na de Pedro!

          E além de tudo os protestantes caem de boca em cima da passagem, não sabendo eles o real significadoe a morfologia da palavra e o como Pedro realmente se intitulou.

          Euclides saibas que apesar de hoje usarmos a palavra “Presbítero” como um sacerdote que preside uma Igreja particular, Pedro emprega o sentido etimológico da palavra que é “ancião” em oposição ao que ele vai falar aos Jovens no versículo 5 do mesmo capítulo onde lemos:

          “Semelhantemente vós jovens, sede sujeitos aos anciãos . . .” (1 Peter 5, 5 – João Almeida)

          Note que no versículo 1 já analisado a João Almeida traduz πρεσβυτέρους como Presbítero por que Pedro se referia a ele próprio, mas 4 versículos depois a mesma João Almeida traduz a mesma palavra πρεσβυτέρους comoAncião, logo podemos ver a tradução tendenciosa.

          Por Que Pedro Não Poderia Ser Um Simples Presbítero, no sentido atual da palavra?

          Existe uma hierarquia na Igreja e Pedro só poderia estar no todo dela, como apostolo:

          Ef 4, 11 “A uns ele constituiu apóstolos; a outros, profetas; a outros, evangelistas, pastores, doutores…”

          Cada um na Igreja tem sua função logo, Pedro não teria 2 cargos:

          1 Cor 12, 29 Porventura são todos apóstolos? são todos profetas? são todos doutores? são todos operadores de milagres?

          Pedro é notável e coluna da Igreja

          Gl 2, 1-9

          É freqüentemente chamado por Paulo de Cefas. Κηφᾶς, ᾶ, ὁ (Aramaico = ‘rocha’)

          Jo 1, 42; 1 Cor 1, 12; 3, 22; 9, 5; 15, 5; Gal 1, 18; 2, 9, 11, 14.

          Seu nome está na frente todas as listas dos apóstolos e dos grupo intimo de Jesus

          Mt 10,2; Mt 17,1; Mt 26,37.40; Mc 3,16; Mc 5,37; Mc 14,37; Lc 6,14; At 1,13

          Pedro- Pedra sobre a qual Jesus edificou sua Igreja

          Mt 16,18

          Jesus paga imposto por ele e por Pedro

          Mt 17,26

          Jesus confia aos apóstolos a papel de Ensinar as pessoas tudo que prescreveu

          Mt 28,20

          Pedro é sempre destacado dos demais apóstolos

          Mc 1,36; Mc 16,7; Lc 9,32; Jo 13,6-9; Jo 21,7-8; At 2,37; At 5,29; ICor 15,5

          Jesus Roga por Pedro para que ele Confirme os irmãos

          Lc 22,31s

          Cristo Ressuscitado aparece primeiro a Pedro

          Lc 24,34; 1Cor 15,5s

          Jesus manda Pedro a apascenta as ovelhas dele

          Jo 21,15ss

          É sempre ele que toma as decisões e toma a palavra entre os apóstolos

          Mt 18,21; Mc 8,29; Lc 9,5; Lc12,41; Jo 6,67ss; At 1,15.22; At 2,14; At 10,1; At 15,7-12

          Pedro realiza o primeiro milagre da Era da Igreja, curando um aleijado

          At 3,6-12

          Pedro lança a primeira excomunhão a Safira e Ananias

          At 5,2-11

          Pedro é a primeira pessoa após Cristo a ressuscitar um morto

          At 9,40

          Cornélio, o 1º pagão convertido, é orientado por um anjo a procurar Pedro para ser instruído no cristianismo

          At 10,1-6

          Pedro abre, preside e encerra o primeiro Concílio da Cristandade

          At 15,7-11

          S.Paulo vai conhecer Pedro e fica 15 dias com ele

          Gál 1,18

          Logo Pedro se referiu a ele mesmo como ancião e não como “presbítero” atual como andam colocam as palavras na boca de Pedro.

          estude herege não escreve conversinhas pra boi dormir

          EUCLIDES JUNIOR BATEU O RECORDE DA BURRICE E DA IGNORÂNCIA
          NORMAL VINDO DE UM PROTESTANTE RACHADO

        • EUCLIDES JUNIOR VOCÊ É FILHO DO PAI DA MENTIRA VAI ESTUDAR NAS FONTES FILHO DO MAU VOCÊS SÃO DIVIDIDOS EM MAIS DE 50 MIL CEITAS ADMITA ISSO HEREGE

          AGORA EU TI GARANTO COM TODA CERTEZA DO MUNDO QUE
          A IGREJA CATÓLICA SIM ESSA FOI FUNDADA POR JESUS CRISTO
          AGORA VOCÊ SIM É UM MALFEITOR

          OLHA EUCLIDES JUNIOR EU APOSTO COM VOCÊ E TI DESAFIO

          APESAR QUE VOCÊ TOMOU UMA SURRA E NÃO RESPONDEU NENHUMA DAS PERGUNTAS DOS DEBATES QUE VI AQUI ATÉ AGORA VOCÊ DESVIOU MENTIROSO FILHO DO MAU

          EUCLIDES ME
          MOSTRE UM SÓ VERSÍCULO BÍBLICO QUE DEUS DA AUTORIDADE PARA HOMENS FUNDAR IGREJAS HEREGE MALFEITOR
          NÃO VENHA COM SOFISMAS

          EUCLIDES JUNIOR

          VOCÊ ESTÁ ALIENADO ME DIGA VOCÊ É DA IGREJA METROPOLITANA DO BRASIL FILHO DE LUTERO

          SAIBAS QUE

          VOCÊ ESTA LENDO DEMAIS OS PAIS DA MENTIRA E FICOU LOUCO

          SAIBAS QUE AS PORTAS DOS INFERNO NÃO PREVALECERÃO CONTRA A IGREJA CATÓLICA

          VOCÊ É UMA DOENÇA

          OLHA EU CONHEÇO TUDO SOBRE PATRÍSTICA E HISTÓRIA

          E TUDO QUE VOCÊ DISSE É UM ABSURDO

          CAI NA REAL

        • EUCLIDES JUNIOR VOCÊ É DIVERTIDO CARA JÁ VI SOFISMAS HERESIAS ADULTERAÇÕES FALSIFICAÇÕES DE HISTORIADORES PROTESTANTES JÁ VI ATÉ FALSA HISTORIAS DE PAPISAS QUE OS HISTORIADORES PROTESTANTE INVENTARAM MAS VOCÊ AMIGO PASSOU DO CUMULO KKKKKKKKKK DE ONDE VOCÊ TIROU TANTAS ASNEIRAS MEU CARO

        • TITULO DA OBRA JESUS CRISTO FUNDOU A IGREJA CATÓLICA E NÃO IGREJAS

          AUTOR DA APOLOGÉTICA EDMILSON DESMASCARANDO QUAL QUER HISTORIADOR PROTESTANTE COMO O EUCLIDES JUNIOR

          VAMOS LÁ

          EUCLIDES JUNIOR VOCÊ ATÉ AGORA SÓ ME DEMONSTROU SER TÃO CONTRADITÓRIO TÃO IGNORANTE É TÃO INOCENTE NAS QUESTÕES QUE GIRA EM TORNO DA TEOLOGIA DA PATRÍSTICA DA HERMENÊUTICA DA EXEGESE DA APOLOGÉTICA E SE SOBRE TESTEMUNHOS DOCUMENTOS IGREJA CATÓLICA PAPAS E PADRES DA IGREJA

          QUE EXEMPLOS MEU CARO EUCLIDES JUNIOR EU VOU LHE DA VÁRIOS

          VAMOS LÁ

          PRIMEIRO EUCLIDES JUNIOR VOCÊ ERRADAMENTE ME DIZ QUE O PAPADO É DIABÓLICO E QUE NÃO É BÍBLICO E QUE JESUS CRISTO JAMAIS QUIS FUNDAR UMA IGREJA

          VAMOS LÁ EUCLIDES JUNIOR EU VOU TI MOSTRAR E VOU TI DESMASCARAR MAS UMA VEZ E IREI TI MOSTRAR AQUI QUE O QUE VOCÊ FALA É BLASFÊMIA E PONTOS DE VISTA QUE VOCÊ APRENDEU A TER AO LÊ LIVROS DE HISTORIADORES PROTESTANTES AMERICANOS QUE FICARAM MILIONÁRIOS NAS CUSTAS DE PESSOAS LEIGAS E CARENTES QUE PROCURAM VIVER UMA VIDA A PROCURA DE RESPOSTAS E DE PESSOAS NEOLIBERALISTAS QUE PROCURAM VIVER UMA VIDA DE ACORDO COM SEUS DESEJOS E SEUS PONTOS DE VISTA

          VAMOS LÁ

          ME RESPONDAS EUCLIDES JUNIOR OS LEITORES DO SITE LEPANTO TAMBÉM ESTÃO ESPERANDO SUAS RESPOSTAS POIS ATÉ AGORA VOCÊ NÃO ME DEMOSTROU NADA E SÓ SE COMPLICA AINDA MAIS POIS EM TODAS AULAS DE TEOLOGIA QUE VOCÊ LEVOU ATÉ AGORA VOCÊ SÓ RESPONDEU FORA DO CONTEXTO CRITICOU FALOU CONTRA MAIS NÃO ME DEMONSTROU PROVAS DOCUMENTOS COISAS CONVINCENTES NADA NADA
          POIS AS COISAS QUE VOCÊ FALOU E MOSTROU ATÉ AGORA EUCLIDES JUNIOR
          PASSARAM LONGE DO DITO POIS FORAM MERAS FALSIFICAÇÕES BARATAS QUE SÓ ILUDE MESMO QUEM NÃO PROCURA A VERDADE E PREFERE VIVER A VIDA NA MENTIRA

          POR ISSO VOU TI DA MAIS UMA CHANCE POBRE HEREGE

          VAMOS LÁ EUCLIDES JUNIOR EU TI DESAFIO A UMA VERDADEIRA AULA DE PATRÍSTICA E APOLOGÉTICA QUE SEGURAMENTE TI GARANTO QUE VOCÊ NÃO VAI ME RESPONDER BIBLICAMENTE E MUITO MENOS HISTORICAMENTE E VAI CORRER OU SE PERDER OU VAI USAR DE OUTROS NOMES COMO FAZ TODO PASTOR E HISTORIADOR PROTESTANTE COVARDE

          MAS VAMOS LÁ

          PRIMEIRO EUCLIDES JUNIOR VOCÊ ME DIZ QUE O PAPADO NÃO É BÍBLICO
          ME RESPONDAS ENTÃO MAIS AS RESPOSTAS TEM QUE TER FONTE HISTÓRICA DE TESTEMUNHAS OCULARES DA ÉPOCA E TAMBÉM QUERO LIVROS E NOMES DE BISPOS E DE PADRES DA IGREJA DA ÉPOCA QUE DIZEM O CONTRÁRIO NESSES TRÊS PRIMEIROS SÉCULOS DA ERA CRISTÃ

          E MAIS EUCLIDES JUNIOR APRENDA UMA COISA
          QUE LIVROS DE HISTÓRIAS NÃO SÃO FONTES MEU CARO AMIGO CULTO

          SAIBAS EUCLIDES JUNIOR QUE OS LIVROS DE HISTÓRIAS SÃO OBRIGADOS A NOS FORNECER UMA FONTE CONFIÁVEL E VERÍDICA O QUE NEM SEMPRE ACONTECE POIS A MAIORIA DESSES LIVROS DE ENCICLOPÉDIAS FORAM BASEADOS NAS FÁBULAS DO PROTESTANTISMO AMERICA EUCLIDES JUNIOR
          APRENDA ALMENOS ISSO

          VAMOS LÁ EUCLIDES JUNIOR VOCÊ ME DIZ QUE O PAPA NÃO É BÍBLICO E QUE JESUS CRISTO NÃO FUNDOU A IGREJA CATÓLICA E QUE TUDO ISSO FOI INVENTADO POR CONSTANTINO

          ME RESPONDAS ENTÃO EUCLIDES JUNIOR SE O PAPA NÃO É BÍBLICO?
          COMO VOCÊ INOCENTEMENTE DIZ

          ENTÃO EUCLIDES JUNIOR ME RESPONDAS ESSAS PERGUNTAS POR QUE
          DENTRO DA BÍBLIA TEMOS O NOME DE 3 PAPAS

          E OS NOMES DELES SE CHAMAM SÃO PEDRO SÃO LINO E SÃO CLEMENTE ROMANO
          E ESSE PAPA DE NOME SÃO CLEMENTE ROMANO NASCIDO NO ANO 30 DA ERA CRISTÃ
          AINDA ESCREVEU UMA OBRA QUE FALA DA IGREJA CATÓLICA E NESSA MESMA OBRA ELE DIZ QUE SÃO PEDRO FOI O PRIMEIRO PAPA DE ROMA

          E NESSA MESMA OBRA ELE EXORTA A COMUNIDADE PARA RECEBEREM OS BISPOS DA IGREJA E AINDA ESSE MESMO PAPA SÃO CLEMENTE ROMANO TEM 2 CARTAS EM CORINTIOS DENTRO DA BÍBLIA

          E MAIS EUCLIDES JUNIOR ESSE QUARTO PAPA DA IGREJA CATÓLICA DE NOME SÃO CLEMENTE ROMANO AINDA É CITADO EM FILIPENSES PELO APÓSTOLO SÃO PAULO

          EUCLIDES JUNIOR EU VOU TI DA UMA LUZ SAIBAS QUE
          ALGUNS HISTORIADORES PROTESTES AFIRMAM QUE SÃO PAULO FALAVA DE OUTRO SÃO CLEMENTE MAS NÃO COLA NÉ POIS ISSO É PURA LOROTA POIS SÃO PAULO ESTAVA EM ROMA NESSA ÉPOCA

          E TAMBÉM NÃO EXISTE HISTORICAMENTE OUTRO NOME DE SÃO CLEMENTE NESSE PERÍODO E MAIS SOBRE ISSO TODOS OS BISPOS E PADRES DA IGREJA DA ÉPOCA TESTIFICAM E CONFIRMAM

          E MAIS EUCLIDES JUNIOR A IGREJA CATÓLICA POSSUI O SEU CATÁLOGO DO PRIMEIRO SEGUNDO E TERCEIRO SÉCULO DA ERA CRISTÃ PARA CONFIRMAR ESSAS VERDADES

          E MAIS EUCLIDES JUNIOR O SEGUNDO PAPA DA IGREJA CATÓLICA DE NOME SÃO LINO É CITADO PELO APÓSTOLO SÃO PAULO NAS SAUDAÇÕES FINAIS

          E SOBRE ISSO TAMBÉM É A MESMA COISA EXISTEM LIVROS CARTAS E EPÍSTOLAS DE PADRES DA IGREJA E DE BISPOS DA IGREJA DO PRIMEIRO E SEGUNDO SÉCULO QUE AS TESTIFICAM

          E MAIS EUCLIDES JUNIOR EU QUERO QUE VOCÊ
          ME RESPONDAS POIS DENTRO DA BÍBLIA TEM MILHARES DE PASSAGENS QUE FALAM PARA OBEDECER AOS BISPOS PRESBÍTEROS E DIÁCONOS DA IGREJA

          AÍ VOCÊ INOCENTEMENTE ME DIZ QUE ESSA IGREJA NÃO É A CATÓLICA

          QUAL É ESSA IGREJA ENTÃO EUCLIDES JUNIOR? A PROTESTANTE QUE NÃO ERA

          E NÃO ME VENHA FALAR QUE IGREJA É REUNIÃO DOS POVOS

          ISSO SÓ EXISTE PARA VOCÊS PROTESTANTES HEREGES QUE DIZ ISSO PARA JUSTIFICAR E CRIAR SUAS CEITAS MAS SAIBAS EUCLIDES JUNIOR QUE ESSA IGREJA EXISTE E ELA SE CHAMA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA

          POR ISSO EUCLIDES JUNIOR EU QUERO QUE VOCÊ ME EXPLIQUE O POR QUE DISSO

          HEREGE SAIBAS QUE DESDE O PRIMEIRO SÉCULO JÁ EXISTEM MALHARES DE PROVAS E REGISTROS QUE MOSTRAM INCONTESTAVELMENTE QUE JÁ EXISTIA A IGREJA CATÓLICA COM SEUS BISPOS PRESBÍTEROS DIÁCONOS PELO MUNDO AFORA

          E MAIS EUCLIDES JUNIOR
          OS PADRES DA IGREJA A ARQUEOLOGIA E A GEOLOGIA E TODA UMA HISTÓRIA DEMONSTRA SER A IGREJA CATÓLICA A IGREJA FUNDADA POR JESUS CRISTO

          TODOS OS PADRES DA IGREJA PREGOU ISSO COM AMOR PRAZER FELICIDADE E CONTENTO

          AGORA SE VOCÊ É CONTRA TUDO ISSO EUCLIDES JUNIOR POR FAVOR ME MOSTRE PROVAS TESTEMUNHAS OCULARES FONTE HISTÓRICA DOCUMENTOS OBRAS E ESCRITOS DE AUTORES E PADRES DA IGREJA DA ÉPOCA QUE CONTESTE ISSO

          AMIGO EUCLIDES JUNIOR?

          OLHA EU RECOMENDO A VOCÊ A LÊ UMA OBRA DE UNS DOS MAIORES HISTORIADORES DA HUMANIDADE ANOTE AÍ O NOME E A OBRA DESSE ESCRITOR EUCLIDES JUNIOR

          ELE SE CHAMA EUSÉBIO DE CESAREIA ELE NASCEU NO ANO 265 DA ERA CRISTÃ

          EUCLIDES JUNIOR OLHA ESSA OBRA DE NOME HISTÓRIA ECLESIÁSTICA
          TEM MAIS OU MENOS 5000 MIL PAGINAS

          NELA ELE FALA DO NOME DOS BISPOS QUE PERTENCIAM A IGREJA CATÓLICA
          ELE TAMBÉM FALA DAS OBRAS CARTAS E EPÍSTOLAS DOS PADRES DA IGREJA DOS DOIS PRIMEIRO SÉCULO

          EUCLIDES JUNIOR APRENDAS UMA COISA A IGREJA NASCEU CATÓLICA

          OLHE AÍ O QUE SÃO PAULO FALA CONFIRMANDO UMA IGREJA ONDE TEM PRESBÍTEROS BISPOS DIÁCONOS ANCIÕES ALí ESTÁ A IGREJA CATÓLICA

          VEJA ALGUMAS REFERENCIAS BÍBLICAS EUCLIDES JUNIOR SOBRE OS BISPOS DA IGREJA

          (I Timóteo 5,17)

          Os PRESBÍTEROS que desempenham bem o encargo de presidir sejam honrados com dupla remuneração, principalmente os que trabalham na pregação e no ensino.

          O QUE VOCÊ ME DIZ DISSO EUCLIDES JUNIOR E TEM MAIS
          VEJA

          Paulo e Timóteo, servos de Cristo Jesus, a todos os santos em Cristo Jesus que estão em Filipos, com os bispos e Diaconos. Filipenses 1:1.

          QUEM SÃO ESSES BISPOS E DIÁCONOS EUCLIDES JUNIOR UM PROTESTANTE QUE NÃO ERA

          VEJA MAIS PROVAS EUCLIDES JUNIOR

          (Tito 1,7)

          Porquanto é mister que o bispo seja irrepreensível, como administrador que é posto por Deus. Não arrogante, nem colérico, nem intemperante, nem violento, nem cobiçoso.

          AMIGO DESDE O PRIMEIRO SÉCULO A IGREJA JÁ TINHAM OS SEUS BISPOS ISSO É ORDEM DE DEUS ISSO É BÍBLICO HEREGE VEJA MAIS PROVAS

          (I Timóteo 3,1)

          Eis uma coisa certa: quem aspira ao episcopado, saiba que está desejando uma função sublime.

          ME DIGA DE ONDE É ESSA FUNÇÃO E EPISCOPADO EUCLIDES JUNIOR OS ESCRITOS E CATÁLOGOS DIZEM QUE É DA IGREJA E VOCÊ?

          VEJAM MAIS PROVAS EUCLIDES JUNIOR DA IGREJA CATÓLICA

          Ora, rogamo-vos, irmãos, que reconheçais os que trabalham entre vós, presidem sobre vós no Senhor e vos admoestam. 1 Tessalonicenses 5:12.

          ISSO É BÍBLICO MEU CARO ESTUDE A PATRÍSTICA E SE CONVERTA A VERDADEIRA IGREJA

          VEJA MAIS PROVAS CLARÍSSIMAS EUCLIDES JUNIOR
          VEJA

          Pois é necessário que o bispo seja irrepreensível, como despenseiro de Deus, não soberbo, nem irascível, nem dado ao vinho, nem espancador, nem cobiçoso de torpe ganância. Tito 1:7.

          VEJAM MAIS EUCLIDES JUNIOR VEJA QUE A SOLA SCRIPTURA NUNCA EXISTIU O LIVRE EXAME DA BÍBLIA FOI UM JOGO DE MARKETING DE LUTERO

          VEJA HEREGE A PROVA AQUI

          Obedecei a vossos guias, sendo-lhes submissos; porque velam por vossas almas como quem há de prestar contas delas; para que o façam com alegria e não gemendo, porque isso não vos seria útil. Hebreus 13:17.

          AGORA

          ME RESPONDAS EUCLIDES JUNIOR VOCÊ ME DIZ QUE JESUS CRISTO NÃO FUNDOU UMA IGREJA MAS POR QUE ENTÃO OS PADRES APOSTÓLICOS E OS PADRES DA IGREJA DO PRIMEIRO E SÉCULO SÉCULO PREGAM A IGREJA CATÓLICA

          E POR QUE DENTRO DA PRÓPRIA BÍBLIA TEMOS O NOME DE TRÊS PAPAS
          QUE CONFIRMAM ISSO E TESTIFICAM ESSAS VERDADES

          E MAIS EUCLIDES JUNIOR POR QUE OS PADRES DA IGREJA E OS PADRES APOSTÓLICOS E TODOS MÁRTIRES AO MORRER PROCLAMAVAM A IGREJA E MESMO OS PADRES DA IGREJA EM SUAS CARTAS EPÍSTOLAS E LIVROS FALAVAM DE UMA SÓ IGREJA DE NOME CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA CONSTRUÍDA POR JESUS CRISTO

          ME RESPONDAS EUCLIDES JUNIOR POR QUE TODOS OS PADRES DA IGREJA SÃO UNANIMES EM PROCLAMAR A IGREJA CATÓLICA COMO A IGREJA DE JESUS CRISTO SENDO SÃO PEDRO O PRIMEIRO PAPA

          SE VOCÊ CONTESTA ISSO EUCLIDES JUNIOR EU DESAFIO VOCÊ A ME FALAR APENAS UM NOME DE UMA PESSOA QUE FUNDOU A IGREJA CATÓLICA HEREGE

          OLHA SE VOCÊ DIZER QUE FOI CONSTANTINO MUITOS VÃO ACHAR QUE VOCÊ TEM ATROFIA CEREBRAL POIS MUITO ANTES DE CONSTANTINO TER NASCIDO EUCLIDES JUNIOR SE VOCÊ QUISER EU TI DOU UMA LISTA DE MAIS DE 50 NOMES DE PADRES DA IGREJA E BISPOS ESCRITORES SOMENTE DOS DOIS PRIMEIRO SÉCULO MUITO ANTES DE CONSTANTINO TER NASCIDO

          SE VOCÊ QUISER EUCLIDES JUNIOR EU TI DOU UMA VASTA LISTA DE OBRAS E ESCRITOS DE PADRES DA IGREJA E DE DOCUMENTOS HISTÓRICOS MUITO ANTES DE CONSTANTINO TER NASCIDO E QUE TODOS SÃO UNANIMES EM PROCLAMAR A IGREJA CATÓLICA

          OLHA EUCLIDES JUNIOR SE JESUS CRISTO NÃO FUNDOU UMA IGREJA POR QUE ELE DIZ ISSO A SÃO PEDRO?

          “Também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.”

          ME DIGA EUCLIDES JUNIOR VOCÊS FALAM QUE JESUS SE REFERIA A UMA PEDRA
          E NÃO A UMA IGREJA?

          ME RESPONDAS ENTÃO EUCLIDES JUNIOR POR QUE TODOS OS PADRES DA IGREJA
          SÃO UNANIMES EM DIZER QUE JESUS SE REFERIA A SUA IGREJA QUANDO DIZ PARA SÃO PEDRO TU ÉS PEDRO E SOBRE ESSA PEDRA EU FAREI A MINHA IGREJA

          ME RESPONDAS POR QUÊ? EUCLIDES JUNIOR SAIBAS QUE ESSA CONTESTAÇÃO DE QUE SÃO PEDRO NÃO FOI PAPA SÓ VEIO DEPOIS DE LUTERO TER SE REVOLTADO CONTRA A IGREJA CATÓLICA?

          E DE LÁ PRA CÁ O QUE SE TEM MAS NO MEIO PROTESTANTE É HISTÓRIAS FRACAS INVENTADAS PRA GANHAR FIEIS NA BASE DA MENTIRA

          ME RESPONDAS EUCLIDES JUNIOR POR QUE A BÍBLIA MOSTRA CLARAMENTE A IGREJA CATÓLICA MOSTRA OS BISPOS MOSTRA QUE JESUS FUNDOU UMA IGREJA E SÓ VOCÊS PROTESTANTES QUE NÃO TEM NEM MESMO 500 ANOS A CONTESTA?

          ME RESPONDAS EUCLIDES JUNIOR EU QUERO FONTE HISTÓRICA TESTEMUNHAS OCULARES E VERÍDICAS DE NOMES DE PADRES DA IGREJA QUE DUVIDOU DESSA GRANDIOSIDADE MEU CARO HEREGE

          VAMOS LÁ EUCLIDES JUNIOR ME RESPONDAS ISSO MAIS EU QUERO FONTE HISTÓRICA TESTEMUNHAS OCULARES DA ÉPOCA NOMES REGISTROS OBRAS BIOGRAFIAS DE NOMES DE AUTORES DA ÉPOCA QUE DIZ O CONTRÁRIO EU ESTOU ESPERANDO

          ME DIGA EUCLIDES JUNIOR QUE ISSO NÃO É ESTRANHO
          POIS SE JESUS CRISTO NÃO FUNDOU NENHUMA IGREJA

          ENTÃO A PRÓPRIA BÍBLIA ENTRARIA EM CONTRADIÇÃO POIS ELA MESMA AFIRMA ESSA IGREJA É TÃO CLARO E TÃO NÍTIDO EUCLIDES JUNIOR

          POIS A PRÓPRIA BÍBLIA DIZ QUE JESUS CRISTO FUNDOU SUA IGREJA

          QUE PROVAS MAS CLARAS DO QUE ESSA EUCLIDES JUNIOR

          EU TI DOU VEJA

          Hebreus 12-23 à universal assembléia e igreja dos primogênitos inscritos nos céus, e a Deus, o juiz de todos, e aos espíritos dos justos aperfeiçoados;

          Assembléia = Igreja

          Universal = Católica

          A Igreja Católica (o termo “católico”, derivado da palavra grega: καθολικός (katholikos), significa “universal” ou “geral”),

          OLHE JESUS EUCLIDES JUNIOR FALANDO DE FUNDAR A SUA IGREJA
          VEJA

          “Também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.”

          OLHA MAIS PROVAS CLARAS EUCLIDES JUNIOR DE JESUS CRISTO TER FUNDADO A SUA IGREJA
          VEJA

          Jesus realmente prometeu que o Espírito Santo estaria com Sua Igreja e a ensinaria para sempre (cf. João 14,16-17)!

          OLHA O QUE SÃO PAULO DIZ EUCLIDES JUNIOR QUE MAIS PROVAS DO QUE ISSO

          Só a verdade liberta e a Igreja é coluna e firmeza da verdade (1Timóteo
          3,15)

          VEJA ESSA OUTRA PASSAGEM BÍBLICA EUCLIDES JUNIOR SE VOCÊ NÃO ACEITA ISSO É POR BURRICE OU IGNORÂNCIA E PELOS SEUS ESTUDOS DISTORCIDOS QUE VOCÊ APRENDEU DOS HEREGES
          VEJA COMO É TÃO NÍTIDO E TÃO CLARO A EXISTÊNCIA DA IGREJA

          VEJA

          Deste modo, a razão da própria existência da Igreja está em ser um instrumento de santificação dos homens: “Santifico-me por eles para que também eles sejam santificados pela verdade” (Jo 17,19)

          EUCLIDES JUNIOR AGORA OLHA O QUE SÃO PAULO FALA
          VOCÊ QUE PROVAS MAIS CLARAS DO QUE ESSA MEU CARO IRMÃO HEREGE

          VEJA

          “Eu me tornei servo deste Evangelho em virtude da graça que me foi dada pela onipotente ação divina. A mim, o mais insignificante dentre todos os santos, coube-me a graça de anunciar entre os pagãos a inexplorável riqueza de Cristo, e a todos manifestar o desígnio salvador de Deus, mistério oculto desde a eternidade em Deus, que tudo criou. Assim, de ora em diante, as dominações e as potestades celestes podem conhecer, PELA IGREJA, a infinita diversidade da sabedoria divina”
          Efésios 3:7-10

          AGORA

          OLHE MAIS PROVAS CLARAS EUCLIDES JUNIOR DE QUE ESSA É A IGREJA DE QUE TODOS OS PADRES DA IGREJA E BISPOS ESCREVERAM EM SUAS OBRAS

          SÓ MESMO VOCÊS PROTESTANTES POR ORGULHO DESPREZO E MENTIRAS TENTAM MANCHAR A TODO CUSTO ESSA VERDADE TÃO NÍTIDA E TÃO CLARA

          VEJA

          (Atos dos Apóstolos 20,28)

          Cuidai de vós mesmos e de todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu bispos, para pastorear a Igreja de Deus, que ele adquiriu com o seu próprio sangue.

          OLHA MAIS PROVAS EUCLIDES JUNIOR SAIBAS MAIS UMA VEZ QUE DENTRO DA BÍBLIA TEMOS 3 PAPAS E AINDA EUCLIDES JUNIOR DENTRO DA BÍBLIA EXISTE ORDENS DADAS PELOS PRÓPRIOS APÓSTOLOS PARA OBEDECEREM AOS BISPOS PRESBÍTEROS E DIÁCONOS

          E VOCÊ VEM COM A FALSA HERESIA DE JESUS CRISTO NÃO FUNDOU UMA IGREJA

          VEJA MAS PROVAS CLARAS EUCLIDES JUNIOR

          ISSO É A IGREJA MEU CARO AMIGO PROCLAMADA POR TODOS OS PADRES DA IGREJA VEJA O QUE O PRÓPRIO SÃO PAULO ESCREVE MEU CARO HEREGE

          “Estas coisas te escrevo, mas espero ir visitar-te muito em breve. Todavia, se eu tardar, quero que saibas como deves portar-te na casa de Deus, que é A IGREJA de Deus vivo, coluna e sustentáculo da verdade.”
          1Timóteo 3:14-15

          ISSO É A IGREJA CATÓLICA MEU AMIGO NÃO VENHA COM SOLA SCRIPTURA NÃO VENHA COM VERSÍCULOS DECORADOS POIS ESSA FARSA DE LIVRE EXAME DA BÍBLIA SÓ DIVIDIU O CRISTIANISMO MEU CARO HEREGE EM MAIS DE 50 MIL CEITAS

          QUE MAS PROVAS CLARAS EU TI DOU EUCLIDES JUNIOR

          VEJA

          “Se teu irmão tiver pecado contra ti, vai e repreende-o entre ti e ele somente; se te ouvir, terás ganho teu irmão. Se não te escutar, toma contigo uma ou duas pessoas, a fim de que toda a questão se resolva pela decisão de duas ou três testemunhas. Se recusa ouvi-los, dize-o À IGREJA. E se recusar ouvir também A IGREJA, seja ele para ti como um pagão e um publicano.”
          Mateus 18:15-17

          AGORA EUCLIDES JUNIOR EU TI PEÇO ENCARECIDAMENTE NÃO CHAMEM OS APÓSTOLOS E PADRES DA IGREJA DE MENTIROSOS POIS TODOS ELES SÓ PREGARAM UMA SÓ IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA

          ESTUDE A PATRÍSTICA HEREGE

          ISSO É A IGREJA CATÓLICA MEU CARO

          VEJA EUCLIDES JUNIOR

          “Maridos, amai as vossas mulheres, como Cristo amou A IGREJA e se entregou por ela, para santificá-la, purificando-a pela água do batismo com a palavra”
          Efesios 5:25-26

          AGORA EUCLIDES JUNIOR ENTRE NESSE ENDEREÇO QUE EU VOU TI PASSAR
          POIS É A MAIOR DESCOBERTA DA HUMANIDADE POIS OS MAIORES ARQUEÓLOGOS DO MUNDO DESCOBRIRAM A MAIS ANTIGA IGREJA DO MUNDO

          DATANDO SER DO ANO 30 DA ERA CRISTÃ E QUE ELA ERA FREQUENTADA POR JESUS TODOS OS SEUS DISCÍPULOS

          AGORA ENTRE E TIRE VOCÊ MESMO A CONCLUSÃO

          http://cienciaconfirmaigreja.blogspot.com.br/2008/08/surpresa-de-megido-e-igreja-crist-mais.html

          EUCLIDES JUNIOR QUE MAIS PROVAS CLARAS DO QUE ESSAS

          DEIXE DE SOFISMA MEU CARO O PROTESTANTISMO NASCEU NO RENASCIMENTO NUMA ÉPOCA DE GRANDE PROGRESSO E DE GRANDÍSSIMAS DESCOBERTAS ONDE AS PESSOAS QUERIAM SE LIBERTAR QUERIAM SEUS PRÓPRIOS INTERESSES

          POIS O MUNDO MUDOU E DEUS PARA O MOVIMENTO DO RENASCIMENTO DEIXAVA DE SER O CENTRO DE TUDO

          ENTÃO AS GRANDES EMBARCAÇÕES AS GRANDES DESCOBERTAS RECHEADO DE EXPANSÕES MARÍTIMAS TECNOLÓGICAS MUDOU O MUNDO E O PROTESTANTISMO NASCEU NO RENASCIMENTO NO PERÍODO CHAMADO DE ANTROPOCENTRISMO

          SE TORNANDO UM MUNDO MODERNO NAS ARTES E NOS COSTUMES
          APRENDA ISSO MEU AMIGO O PROTESTANTISMO AGORA SIM É UMA CEITA MEU AMIGO POIS NASCEU DA REVOLTA E DOS INTERESSES QUE EXEMPLOS EU LHE DOU VÁRIOS

          SAIBAS QUE O QUE LUTERO PREGOU AGRADAVAM A MUITOS MERCADORES EMPRESÁRIOS DA ÉPOCA NÃO É ATOA QUE LUTERO MORREU FRUSTADO DEPOIS DE VÊ A DESGRAÇA QUE FEZ

          SAIBAS QUE LUTERO CRIOU FOI A IGREJA LUTERANA E COM ELA ENSINANDO A FARSA DO LIVRE EXAME BÍBLICO E POR CAUSA DESSA MENTIRA OS SEUS PLANOS NÃO DUROU MUITO E OS SEUS PROJETOS LOGO SE DESMORONAVAM SURGINDO DESDE ENTÃO AS BRIGAS E AS DISPUTAS E OS INTERESSES

          ENTÃO O PROTESTANTISMO LOGO SE DIVIDIU EM MILHARES DE NOVAS CEITAS ETC…

          E HOJE POR CAUSA DE LUTERO CALVINO E OUTROS HEREGES QUE PREGAM A SOLA SCRIPTURA VOCÊ VÊ O PROTESTANTISMO COMO ESTÁ VEJA HOJE EUCLIDES JUNIOR A DESAVENÇA TEM ATÉ IGREJAS DE PASTORES HOMOSEXUAIS
          ONDE CADA UM PODE SER DONO DA VERDADE

          PODE ATÉ PEGAR A BÍBLIA LÊ ALGUNS VERSÍCULOS E JÁ ACHAR QUE ELA CONDIZ COM A VERDADE

          ACORDA EUCLIDES JUNIOR EU QUERO RESPOSTAS FONTE HISTÓRICAS TESTEMUNHAS OCULARES COISA QUE VOCÊ E NENHUM PASTOR JAMAIS VAI CONSEGUIR ME DEMONSTRAR

          EUCLIDES JUNIOR
          ISSO SE CHAMA IGREJA CATÓLICA ROMANA MEU CARO AMIGO

          VEJA

          (Atos dos Apóstolos 20,28)

          Cuidai de vós mesmos e de todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu bispos, para pastorear a Igreja de Deus, que ele adquiriu com o seu próprio sangue.

          VEJA EUCLIDES JUNIOR ESSA IGREJA NÃO É SIMBOLO MEU AMIGO ELA É REAL
          (Tito 1,7)

          Porquanto é mister que o bispo seja irrepreensível, como administrador que é posto por Deus. Não arrogante, nem colérico, nem intemperante, nem violento, nem cobiçoso.

          OLHA MAIS UMA VEZ EUCLIDES JUNIOR PROVAS INCONTESTÁVEIS

          Fiel é esta palavra: Se alguém aspira ao episcopado, excelente obra deseja. É necessário, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma só mulher, temperante, sóbrio, ordeiro, hospitaleiro, apto para ensinar. 1 Timóteo 3:1-2.

          SAIBAS QUE JÁ NO PRIMEIRO SÉCULO MEU CARO AMIGO EUCLIDES JUNIOR

          QUANDO ALGUÉM FICAVA DOENTE ELES IAM ATÉ OS BISPOS DA IGREJA E FICAVAM CURADOS EXISTEM LIVROS E PROVAS SOBRE ISSO AMIGO

          ESSAS PROVAS TAMBÉM SÃO BÍBLICAS

          VEJA

          São Tiago 5,14)
          Está alguém enfermo? Chame os sacerdotes da Igreja, e estes façam oração sobre ele, ungindo-o com óleo em nome do Senhor.
          (Sacerdócio Ministerial

          ISSO É A IGREJA CATÓLICA EUCLIDES JUNIOR AGORA ME DÊ PROVAS QUE PROVE O CONTRÁRIO EU DESAFIO VOCÊ E QUAL QUER HISTORIADOR PROTESTANTE
          QUE VIER QUERER VIM REFUTAR ISSO

          AGORA EUCLIDES JUNIOR
          EU QUERO PROVAS DA ÉPOCA ESCRITOS NOMES DE AUTORES PADRES DA IGREJA FONTES HISTÓRICAS E VERÍDICAS E TESTEMUNHAS OCULARES QUE DIZ O CONTRÁRIO

          APRENDA UMA COISA SEU HEREGE

          SAIBAS QUE JESUS CRISTO FUNDOU UMA IGREJA SAIA DOS PONTOS DE VISTA E ESTUDE NAS FONTES EUCLIDES JUNIOR E ENCONTRARÁS A VERDADE

          AGORA VEJA O QUE DIZ SANTO INÁCIO DE ANTIOQUIA NUMA DE SUAS 7 IMENSAS CARTAS ENDEREÇADAS AOS BISPOS DA IGREJA

          OLHA EUCLIDES JUNIOR SAIBAS QUE SANTO INÁCIO DE ANTIOQUIA FOI UM DOS DISCÍPULOS DE SÃO JOÃO EVANGELISTA ELE NASCEU NO ANO 35 DA ERA CRISTÃ E FOI MORTO NO COLISEU NO ANO 110 DA ERA CRISTÃ

          VEJA O QUE ELE DIZ NUMA DE SUAS CARTAS

          Onde estiver o bispo, ali estarão também as multidões, da mesma forma que onde estiver Jesus Cristo, ali estará a Igreja Católica.

          AGORA PARA TERMINAR ESSA AULA DE APOLOGÉTICA E PATRÍSTICA EUCLIDES JUNIOR
          EU VOU TI PASSANDO O NOME DE ALGUNS PADRES DA IGREJA E BISPOS DO PRIMEIRO E SEGUNDO SÉCULO SAIBAS QUE TODOS ESSES NOMES QUE ESTOU TI PASSANDO FORAM DE PESSOAS DA IGREJA CATÓLICA QUE FORAM ESCRITORES E APOLOGISTAS E QUE NASCERAM E MORRERAM SEM NEM MESMO CONSTANTINO TER NASCIDO

          ANOTE AÍ OS NOMES

          Metódio de Olimpo (sec.III) padre da igreja

          Serapião era Patriarca de Antioquia (191-211)

          São Firmiliano (feleceu no ano 268 da era cristã)

          São Gregorio Taumaturgo (faleceu no ano 268 da era cristã)

          São Cornélio (faleceu no ano 253 da era cristã)

          São Dionísio (faleceu no ano 268 da era cristã)

          Novaciano (faleceu no ano 257 da era cristã)

          São Panteno De Alexandria feleceu no ano 200 da era cristã)

          o Clemente de Roma (nasceu no ano 30 e faleceu no ano 102 da era cristã),

          Santo Inácio de Antioquia (nasceu no ano 35 e faleceu no ano 110 da era cristã)

          Aristides de Atenas falecido no ano 130 da era cristã) foi um dos primeiros apologistas cristãos; obra conhecida Apologia de Aristides.

          São Policarpo (nasceu em 69 e faleceu no ano 156 da era cristã)

          Hermas (faleceu no ano 160 da era cristã)

          Didaquè (ou Doutrina dos Doze Apóstolos) é como um antigo catecismo, redigido entre os anos 90 e 100, na Síria, na Palestina ou em Antioquia. Traz no título o nome dos doze Apóstolos. Os Padres da Igreja mencionaram-na muitas vezes em suas obras.

          São Justino (nasceu no ano 100 e faleceu no ano 165 da era cristã)

          Santo Hipólito de Roma (nasceu em 160 e faleceu no ano 235 da era cristã)

          Melitão de Sardes (falecido no ano 177 da era cristã)

          Atenágoras (falecido no ano 180 da era cristã)

          São Teófilo de Antioquia (nasceu no ano 120 e faleceu no ano 180 da era cristã)

          Santo Ireneu de Lyon(nascido no ano 130 e faleceu no ano 202 da era cristã)

          São Clemente de Alexandria (falecido no ano 215 da era cristã)

          Orígenes (nasceu no ano 184 e faleceu no ano 254 da era cristã)

          Tertuliano de Cartago (nasceu no ano 160 e faleceu no ano 220 da era cristã)

          São Cipriano (faleceu no ano 258 da era cristã)

          Zeferino falecido no ano 217 da era cristã)

          Urbano nascido no ano 175 e faleceu no ano 230 da era cristã)

          PAPÍAS nasceu no ano 60 e faleceu no ano 130 da era cristã )

          Abercius San Abercius
          Bispo de Hierapolis falecido no ano 167 da era cristã

          MARCO MINUCIO FELIX
          (nasceu no ano 150 e faleceu no ano 215 da era cristã)

          TACIANO (nasceu no ano 120 e faleceu no ano 180 da era cristã)

          São Dionísio Bispo de Corinto,faleceu ano 171 da era cristã)

      • RENATO DE CARVALHO E OS MESMO TEXTOS REPETITIVOS E CANSATIVOS
        RENATO DE CARVALHO disse:
        2 de maio de 2013 às 22:40
        DEUS NÃO DEU AUTORIDADE PARA CRIAR UM PAÍS:

        REPETINDO.

        A Igreja primitiva não havia se desviado do Evangelho, ela ensinava o que está escrito em Atos, que conta a trajetória da Igreja primitiva. Veja em Atos dos Apóstolos se alguém ali se atrevia a ensinar outro tipo de adoração senão ao Deus invisível de Israel. Jesus certa vez disse: “examinai as escrituras, porque elas testificam de mim”. Hoje temos essa liberdade porque o papa não pode mais usar o tribunal da Inquisição.
        A palavra também diz que não é por força, nem por violência, mas é pelo Espírito de Deus.

        CADE AS FONTES HISTÓRICA AMIGO CADE A REFUTAÇÃO

        O EDMILSON ME INDICOU ESSE SITE MUITO BOM AGORA
        OS HEREGES UMA PIADA

    • Renato sabe o porque de muitas seita que nascem por ai, isso é simples, não tem nada a ver com se basear ou não na bíblia, até porque vocês são todos adeptos da sola sacripture mutilada e adultera, saibas Renato que essas seitas nascem por CAUSA DA AUTO INTERPRETAÇÃO, fora da Igreja coluna da verdade.

      Todas essas seitas, TJs, Adventistas, Mormons, etc… seguem a mesma bíblia e sola scripture e todas usam o seu argumento para defender a sua ideologia.

      Sobre a igreja sustentáculo da verdade tem que ter fundamento bíblico, Renato ó meu caro, veja a besteria que vc falou, até o ano 60 D.C nada do NT tinha sido escrito, mas o evangelho estava sendo pregado, até o século IV não existia cânon bíblico, cada comunidade lia o que bem queria, eram 500 livros espalhados pelas comunidade cristã, agora vc me vem com essa de que uma Igreja tem que ter apenas princípios bíblicos? Pelo contrario meu rapaz, é a bíblia que tem que ter princípios da Igreja se assim não fosse vc estaria lendo que Judas Scariotes era o Discípulo Amado e não traiu Jesus, apenas o libertou desse mundo a pedido do próprio Cristo.

      Renato Vc diz que a bíblia é a palavra de Deus, vc comete mais um pecado, a palavra de Deus é o verbo encarnado, ou seja, Jesus Cristo, vc chamar a bíblia de palavra de Deus se chama bibliolatria.

      Olha quem é a palavra de Deus.

      Apocalipse 19
      11. Vi ainda o céu aberto: eis que aparece um cavalo branco. Seu cavaleiro chama-se Fiel e Verdadeiro, e é com justiça que ele julga e guerreia.
      12. Tem olhos flamejantes. Há em sua cabeça muitos diademas e traz escrito um nome que ninguém conhece, senão ele.
      13. Está vestido com um manto tinto de sangue, e o seu nome é Verbo de Deus.

      Renato Vc diz seguir apenas a bíblia, porém tudo o que vc falou até agora é ant bíblico.

      Renato quem falou para vc que só na bíblia se encontra as palavras de Jesus? Ele edificou uma Igreja ou um Livro?

      As palavra de São Paulo estão vivas, todas as que foram escritas como as que foram apenas transmitidas, por isso NÓS SOMOS A CARTA DELE, se São Paulo quisesse que todos seu ensinamento tivesse em um livro, ele teria escrito o livro de São Paulo e enviado esse mesmo livro a todas comunidade, ao invés de enviar alguma cartas diferentes para regiões diferentes, fora muitas cartas que foram perdidas. Como a carta de Laodiceia, São Paulo sabia disso, que nem tudo seria escrito e muitas coisas seriam perdidas, por isso ele diz NÓS SOMOS A CARTA DELE, e ordena que se guarde tudo o que foi escrito e o que foi dito oralmente.

      Renato essa de ler a bíblia e pedir a iluminação do senhor para entende-la, é a furada do milênio, vc só conseguir isso em comunhão com sua igreja, fora dele acontece o que aconteceu com o protestantismo 50 milhões de seitas, vc diz ter iluminação para entender a bíblia, os TJs, os Adventistas, os Mormosn dizem o mesmo e ninguém fala a mesma língua. Ou seja que existe 50 milhões de Espírito Santo? O que te faz ter a certeza que a sua iluminação é melhor do que a dos TJs? Ou dos Judaizantes? Ele tb dizem seguir os principio bíblicos!

      Eu sigo as interpretações dos padres da igreja, pois eles conviveram com os apóstolos e sabiam o que ali estava escrito, e não deixaram o que não fora escrito morrer.

      No dia que vc entender que Jesus enviou a sua igreja e mandou anuncia o evangelho ao invés de edificar seu livro e escrever seu evangelho, ai seu olhos serão abertos.

      A bíblia é um livro sagrado e inspirado por Deus, mas é apenas mais uma das fontes de fé Cristã, não é a única, Deus não se calou com a humanidade depois que João morreu, e muito menos deixou de enviar seus profetas e suas revelações. O cristianismo nasceu com os apóstolos e não morreu com a morte dos apóstolos.

      Pense nisso Renato

      • Herege Renato de Carvalho para vocês tentar inutilmente contestar obras e todos os escritos que confirmam o primado de São Pedro em Roma? Vai uma dica primeiro analfabeto estude a patrística e a arqueologia!
        Vamos lá Renato herege de Carvalho você sabe o que o estudo da Arqueologia?
        Arqueologia (do grego, « arqué », antigo, e « logos », discursodepois estudo, ciência) é a disciplina científica que estuda asculturas e os modos de vida do passado a partir da análise de vestígios materiais. É uma ciência social que estuda as sociedades já extintas, através de seus restos materiais, sejam estes móveis (como por exemplo um objeto de arte) ou objetos imóveis (como é o caso das estruturas arquitectónicas). Incluem-se também no seu campo de estudos as intervenções feitas pelo homem no meio ambiente.
        A maioria dos primeiros arqueólogos, que aplicaram sua disciplina aos estudos das antiguidades, definiram a arqueologia como o estudo sistemático dos restos materiais da vida humana já desaparecida. Outros arqueólogos enfatizaram aspectos psicológico-comportamentais e definiram a arqueologia como a reconstrução da vida dos povos antigos.
        Em alguns países a arqueologia é considerada como uma disciplina pertencente à antropologia; enquanto esta se centra no estudo das culturas humanas, a arqueologia dedica-se ao estudo das manifestações materiais destas. Deste modo, enquanto as antigas gerações de arqueólogos estudavam um antigo instrumento de cerâmica como um elemento cronológico que ajudaria a pôr uma data àcultura que era objeto de estudo, ou simplesmente como um objeto com um verdadeiro valor estético, os antropólogos veriam o mesmoobjeto como um instrumento que lhes serviria para compreender o pensamento, os valores e a própria sociedade a que pertenceram.
        AGORA O QUE É? UMA INVESTIGAÇÃO ARQUEOLÓGICA?
        A investigação arqueológica relaciona-se fundamentalmente à pré-história e às civilizações da antiguidade; no entanto, ao longo do último século, a metodologia arqueológica aplicou-se a etapas mais recentes, como a Idade Média ou o período industrial. Na atualidade, os arqueólogos dedicam-se cada vez mais a fases tardias da evolução humana, como a arqueologia industrial.
        A investigação arqueológica necessita do auxílio de vários outros ramos científicos (ciências naturais e sociais), assim como é importante adquirir o conhecimento empírico da população que nos rodeia, pois a fonte oral é muitas vezes o ponto de início para o desenvolvimento de algum estudo. Costuma-se dizer que “cada velho que morre é uma biblioteca que arde”, pois é informação que se perde.
        Uma investigação arqueológica começa pela investigação bibliográfica ou, em alguns casos, pela prospecção, que faz parte do levantamento arqueológico. Há uma grande diferença entre prospecção e sondagem, a primeira é para o levantamento e a segunda é o que dá inicio a escavação propriamente dita.
        No levantamento, é sempre importante se observar as especificidades de um local: a abrupta mudança de coloração do solo (camadas estratigráficas), a presença de plantas não nativas, a presença de animais e outros aspetos.
        Apesar de toda a dedicação, a arqueologia é amostral, porque trabalha com vestígios e não com a totalidade da história do local.
        RESUMINDO É IMPOSSIVEL CONTESTAR O PRIMADO DE SÃO PEDRO EM ROMA!
        POIS OS EXISTEM MILHARES DE MILHARES DE OBRAS EXISTEM AS IGREJAS DOS PRIMEIROS S